Deixar-se levar pelo Espírito de Deus

«Na doação plena do homem a Deus ele tem apenas que deixar-se conduzir e levar pelo Espírito...

Ascensão

«Cristo, formando um corpo moral com as almas dos santos padres, subiu aos céus e no empí...

Tempo: Natal

 

 

   O Baptismo torna-nos filhos de Deus

«Por último
recomendo-te a caridade para com o próximo.
O amor aos nossos semelhantes
é a medida do amor a Deus.
Não nos fixarmos na criatura,
só em Deus na sua alma,
já que, pelo baptismo
nos tornamos templos
da Santíssima Trindade.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 82. A Elena Salas González

   

   Epifania

«Não é necessário que experimentemos
a epifania na nossa vida.
Podemos viver na certeza da fé
que o que o Espírito de Deus realiza
secretamente em nós,
produz os seus frutos
para o Reino de Deus.
Nós veremos esses frutos na eternidade.»

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Vida Escondida e Epifania. 5.

   

   Tornar-se pequenino

«É necessário fazer-se pequenino
para entrar no reino dos Céus.
Fazer-se pequenino quer dizer
tornar-se nada,
humilhar-se,
aniquilar-se.
As pequenas coisas são ricas de humildade.
São gemas preciosas,
tesouros escondidos
que é necessário proteger na alma:
notadas só por Deus,
fazem-nos viver interiormente
em contínuo exercício das virtudes
e colocam-nos no caminho da santidade.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Escritos Vários. pg. 23-24

   

   A escada para o Pai é Jesus

«‘Ninguém vai ao Pai senão por Mim.’
Que bela escada,
que escada preciosa
é o nosso bom Jesus!»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinário (Ildefonso). 26

   

   O Verbo fez-Se carne

«Mui bom amigo é Cristo,
porque O vemos Homem
e com fraquezas e trabalhos,
e serve-nos de companhia.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Livro da Vida. 22, 10

   

   Sois o meu Tudo

«Do fundo da minha clausura
associo-me à alegria daquelas que tanto amo
e, depois, olhando para o divino Menino do Presépio,
digo-Lhe com uma inefável felicidade:
“Sois o meu Tudo.”
Sim, o horizonte surge-me muito belo,
pois na minha vida nada mais há senão Ele!
E Ele, não é o Céu inteiro?!...»

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 187

   

   Amemos o divino Menino

«Amemos o divino Menino
que sofre tanto
sem encontrar consolo nas criaturas.
Que Ele encontre nas nossas almas
um refúgio, um asilo
onde Se possa abrigar
no meio do ódio dos Seus inimigos,
e um jardim de delícias que O faça esquecer
o esquecimento dos Seus amigos.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 16. À sua Irmã Rebeca

   

   A noite de Natal de 1886

«A noite de Natal de 1886 foi, é verdade,
decisiva para a minha vocação,
mas para a designar mais claramente
devo chamar-lhe: a noite da minha conversão.
Nesta noite bendita
da qual está escrito que ela ilumina
as delícias do próprio Deus,
Jesus que Se fazia criança por meu amor
dignou-Se fazer-me sair das roupinhas
e das imperfeições da infância,
transformou-me de tal maneira
que já não me reconhecia a mim mesma.
Sem esta mudança
teria ficado ainda muitos anos no mundo.
Santa Teresa que dizia às suas filhas:
“Quero que não sejais mulheres em nada,
mas que em tudo igualeis os homens fortes “.
Santa Teresa
não teria querido reconhecer-me como sua filha
se o Senhor não me tivesse revestido da Sua força divina,
se Ele mesmo não me tivesse armado para a guerra.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 201

   

   O reino de Deus é o reino da Paz

«O reino de Deus sobre a terra
teve início quando a bem-aventurada Virgem
pronunciou o Seu “fiat”,
e Ele foi a Sua primeira serva.
E todos aqueles que,
antes ou depois do nascimento do Menino,
aderiram a Ele com a palavra e a acção
– S. José, S. Isabel com o seu filho
e todos os outros
reunidos em torno do presépio –
entraram no reino de Deus.»

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
O Mistério do Natal. 19

   

   Fim de Ano

«Neste ano também faço os meus pequenos preparativos,
cá as minhas «conspirações» com o meu divino Esposo.
Ele descerra-me todos os Seus tesouros
e é aí que mergulho
para oferecer à minha mãe um ramo todo divino,
uma coroa que há-de brilhar na tua fronte
para a eternidade,
e a tua menina um dia no Céu
alegrar-se-á ao pensar que ajudou o Mestre a prepará-la […]!...»

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 170, à sua Mãe

   

   Quero renascer conTigo!

«Que o divino Menino
vos cubra com as Suas mais doces bênçãos,
abundantes graças,
e que Ele vos ilumine com os mais doces raios do Seu amor!
Como hei-de rezar muito por vós, hoje à noite,
junto ao Presépio!
Ao meu Bem Amado Jesus confiarei todos os meus votos para 1901,
e será Ele que vo-los levará.
Esta festa de Natal, diz tanto à alma;
parece que Jesus a convida a morrer para tudo,
para renascer numa vida nova,
uma vida de amor.
Oh! se eu pudesse ser tão pequena como Ele
e pudesse crescer a Seu lado,
colocando os meus passos
no rasto dos Seus divinos passos!»

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 39

   

   Alegrar Jesus

«Que o divino Menino Jesus
encontre na vossa alma
uma morada toda perfumada
pelas rosas do Amor,
que nela encontre também
a lâmpada ardente da caridade fraterna
que lhe aquecerá
os pequeninos membros enregelados,
que lhe alegrará o coraçãozinho
fazendo-Lhe esquecer a ingratidão das almas
que não O amam suficientemente.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 246

   

   Jesus pede que O ajudemos na obra de salvação

«Da gruta de Belém,
do Menino Salvador,
chega até nós uma amorosa súplica:
“Ajuda-me,
ajuda-me na obra de amor
que venho realizar”.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Exortações e Conferências. 4.

   

   Jesus, Maria e José

«Jesus em Nazaré
vivia de obediência [a José e Maria],
do trabalho e de oração.
E nós, dentro destes santos muros,
nesta casa de Nazaré,
devemos preparar os caminhos a Jesus
orando, obedecendo e trabalhando,
reparando e oferecendo
pelos pobres pecadores,
a fim de que desça sobre eles
a divina misericórdia.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Escritos Vários. pg. 32

   

   O Verbo se fez carne

«Metamos as nossas mãos
nas mãos do Divino Menino,
pronunciando o nosso “SIM”
em resposta ao Seu “SEGUE-ME”,
e então seremos Seus
e a vida divina
poderá transbordar livremente
para nós.»

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
O Mistério do Natal. 19

   

   Natal!

«Natal!!!
A linda festa de Natal
é o aniversário da Natividade de Jesus
nosso redentor
que veio ao mundo na noite de 25 de Dezembro.
Para salvar os homens Jesus quis nascer
mais pobre do que os pobres,
ao passo que Lhe teria bastado
para salvar o género humano
derramar apenas uma gota do Seu sangue,
quis fazer-Se pequenino
e nascer num presépio
não tendo para O cobrir
senão uns pobres paninhos
e para aquecer os seus membros pequeninos,
um boi e um burro.
Quem poderá alguma vez compreender
este mistério de amor?!»

   

   Água do Batismo

«Por Ele [Jesus], a água santa do batismo,
Do pequenino de um só dia
Fará o templo onde o próprio Deus
Se digna habitar no Seu amor.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Poema 35

   

   Quanto amor!

«Se a ovelhinha soubesse
quanto amor arde por ela
no coração do Amante divino
não tornaria difícil a tarefa
àquelas doces mãozinhas de Jesus,
que desejam abraça-la
e lançar-se-ia por si,
nos Seus braços amorosíssimos.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 27

   

   Alegrei-me quando me disseram!

«A oração é princípio
para alcançar todos as virtudes.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Caminho 16,3

   

   Procurar a ovelha tresmalhada como Jesus.

«O amor de Cristo não conhece limites,
não acaba nunca,
não se retrai diante da deformidade e impureza.
Ele veio para os pecadores
e não para os justos,
e se o amor de Cristo vive em nós
devemos fazer como Ele
e pormo-nos à procura
da ovelha tresmalhada.»

Santa Teresa Benedicta da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
O Mistério do Natal. 22

   

   Amo Jesus!

«A cada instante quero dizer-Te:
Jesus, faz de mim aquilo que quiseres,
estou nas Tuas mãos.
Eu só Te quero amar muito e sempre,
tanto quanto és digno de ser amado
e tanto como ninguém Te amou.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Diário I, pg. 81

   

   Veio como a Luz que brilha nas trevas

«As trevas cobriam a terra
e Ele veio como a Luz que brilha nas trevas,
mas as trevas não O receberam.
Àqueles que O receberam,
trouxe a luz e a paz:
a paz com o Pai do Céu,
a paz com todos os que também são filhos da luz
e filhos do Pai,
e a paz profunda do coração;
mas não a paz com os filhos das trevas.
A esses o Príncipe da Paz
não oferece a paz, mas a espada.
Para esses, é o obstáculo
contra o qual correm e que os quebra.
Eis a dura e grave verdade
que não deve esconder-nos o encanto poético
do Menino do Presépio.»

Santa Teresa Benedicta da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
O Mistério do Natal. Os companheiros do Filho de Deus feito Homem

   

   O Senhor manifesta o Seu poder

«Nas bodas de Caná,
tendo a SSma Virgem
pedido a Jesus que socorresse o senhor da casa,
não lhe respondeu que a sua hora ainda não tinha chegado?...
Mas depois da provação, que recompensa!
A água muda-se em vinho...,
Lázaro ressuscita!...
Assim procedeu Jesus com a sua Teresinha:
depois de a ter provado durante muito tempo,
satisfez-lhe todos os desejos
do seu coração...»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito A 67 vº

   

   Epifania do Senhor

«No Oriente apareceu uma estrela
E seguimos o seu curso misterioso
Astro bendito, a sua luz revela-nos
Que na terra nasceu o Rei dos Céus.

O Céu protege-nos
E o nosso cortejo
Desafiando chuvas e neve
Segue o astro brilhante!…

Que cada um se prepare…
A estrela detém-se!…
Enchamo-nos de alegria,
Adoremos o Menino!…»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Poesia suplementar. 2

   

   Ele veio como luz

«As trevas cobriam a terra
e Ele veio como luz
que ilumina as trevas,
mas as trevas não o receberam.
Àqueles que O receberam
trouxe-lhes a Luz e a Paz:
a Paz com o Pai celestial,
a paz com todos aqueles
que igualmente são filhos da Luz e do Pai celestial
e a profunda e intima paz do coração.»

Santa Teresa Benedicta da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Obras

   

   A Paz nos braços de Maria!

«Surgiu a Estrela!
Maria gerou o Salvador!
Se buscas,
se desejas Jesus:
procura-O entre os braços de Maria!
Ama-A
e te dará o que tu procuras:
Jesus!»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 43

   

   Confiar ao Divino Menino o novo Ano!

«Caro Senhor
Que o divino Menino vos cubra
com as Suas mais doces bênçãos,
abundantes graças,
e que Ele vos ilumine
com os mais doces raios do Seu amor!
Como hei-de rezar muito por vós,
hoje à noite, junto ao Presépio!
Ao meu Bem Amado Jesus confiarei todos os meus votos
para o novo ano,
e será Ele que vo-los levará.»

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 39

   

   Ó Deus oculto

«Ó Deus oculto sob os traços da infância
Vejo em Ti o monarca dos Céus
Reconheço a tua grandeza, o teu poder
Na doce luz que brilha nos teus olhos.
Se quisesses, mil legiões de anjos
Ao teu apelo viriam formar a tua corte
Semeando de estrelas de oiro as tuas roupinhas
Cantariam o teu inefável amor.

Vejo na terra estrangeira
E ainda sem poder falar
O meu Deus, meu Salvador e Irmão
Sem ceptro nem tesouro.
Adorando este profundo mistério
Rei Divino, eu Te ofereço o meu ouro.
Ó Rei do Céu, vens a esta terra
Querendo salvar os homens teus irmãos.»

   

   Desaparecer n’Ele!

«Diante de Jesus Menino
a alma sente fortemente
a necessidade de se aniquilar!
Gostaria de desaparecer n’Ele».

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Exortações e Conferências. 1

   

   Amor de amores

«Quando o doce Caçador
Me atirou e deixou ferida,
Nos braços do meu amor
Minha alma ficou caída;
E tomando nova Vida
De tal sorte hei mudado,
Meu Amado é para mim
E eu sou para meu Amado.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Poesia 5

   

   A Família de Jesus!

«Lembra-Te de que os braços de Maria
Preferiste ao teu trono real
Doce Menino, para alimentar a tua vida
Só tinhas o leite virginal

A este festim de amor que Te dá a tua Mãe
Oh! digna-Te convidar-me, Jesus meu Irmãozinho.
De que a tua irmãzita
Fez palpitar o teu coração
Lembra-Te!…»

   

   Chegou o tempo!

«Já sendo chegado o tempo
Em que de nascer havia,
Assim como desposado
Do seu tálamo descia,
Abraçado à sua esposa,
Que em seus braços a trazia;
O qual a Mãe graciosa
Em um presépio estendia,
No meio de uns animais
Que na altura ali havia.»

   

   Nasceu Jesus no meu coração

«Também eu quero adornar o meu [coração]
com todas as belas flores que encontrar,
para o oferecer a Jesus […];
e quero, de facto, […]
que o Menino Jesus Se sinta tão bem no meu coração
que não pense mais em voltar para o Céu...»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 11

   

   O Teu Baptismo Jesus…

«Chegai-vos para junto deste bom Mestre
muito determinadas aprender o que vos ensina,
e Sua Majestade fará
com que não deixeis de sair boas discípulas.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Carta 26,11

   

   Jesus bate à nossa porta pedindo a nossa ajuda

«O Verbo Encarnado desceu à terra
para produzir frutos que nós recebamos;
para realizar a Sua missão
em nós e no mundo,
Ele tem necessidade da nossa cooperação.»

Venerável Pe. Maria-Eugénio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências, 13.02.1966

   

   O secreto encontro

«Eis-me num encontro de interioridade,
Secreto, divino, misterioso se faz...
Ocultas em duplo abismo, em profundidade
Onde nos espera dos Céus a doce paz.

Saibamos sempre descer ao último lugar
Assemelhando a Jesus, nosso Esposo querido:
E luzirá em nós da sua Face o luar,
Pois Ele é para os humildes e os mansos atraído.

Para poder na sua presença restar,
É preciso negar-se, eis a condição.
Ó, que o anulamento seja o nosso morar
Nosso palácio real, nossa habitação!»

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Poema 120, de 3 de Outubro de 1906

   

   Adoro a Bondade do Senhor!

«Sinto a minha alma
desfalecer de gratidão e de amor.
Passo a minha vida contemplando
essa Bondade incompreensível,
e dói-me a alma
ao ver que o Amor não é conhecido.
Abismo-me na Sua grandeza,
na Sua sabedoria.
Mas quando penso na Sua Bondade
o meu coração não consegue dizer nada.
Adoro-O.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 121

   

   Só o humilde sabe pedir

A alma só trata de apresentar ao Amado
as suas necessidades e penas,
porque quem ama discretamente
não se preocupa em pedir o que carece e deseja,
antes apresenta as suas necessidades
para que o Amado faça como for servido.
Foi assim que procedeu a Virgem bendita
com o seu amado Filho nas bodas de Caná da Galileia:
directamente não Lhe pediu o vinho,
mas disse apenas:
“Não têm vinho”.
Também as irmãs de Lázaro
não Lhe mandaram dizer que curasse o irmão,
mas que soubesse que estava doente
aquele a quem Ele amava.
A razão disto deve-se a três coisas.
A primeira: o Senhor sabe melhor o que nos convém
do que nós mesmos.
A segunda: o Amado enche-se mais de compaixão
ao ver a necessidade de quem O ama e a sua resignação.
A terceira: a alma entende
que se protege mais do seu amor-próprio e egoísmo
apresentando as necessidades
do que pedir o que lhe falta.

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual. 2, 8

   

   Só Vós, Senhor, me podeis contentar.

«Basta! Senhor!
É demais para mim;
dai, eu Vos suplico,
essa espécie de favores e consolações
aos pecadores que não Vos conhecem,
afim de assim os atrair ao Vosso serviço.
Que eu por mim tenho a felicidade
de Vos conhecer pela Fé
e parece-me que isso me deveria bastar;
mas porque nada devo recusar
de mão tão rica e tão liberal como é a Vossa,
aceito, meu Deus, os favores que me fazeis;
seja-Vos grato, no entanto,
que depois de os ter recebido,
Vo-los torne a dar
tais quais Vós mos destes,
pois sabeis bem que não são os vossos dons que eu desejo,
mas a Vós mesmo
e que com nada menos me posso contentar.»

Frei Lourenço da Ressurreição | 1614 – 1691
A prática da presença de Deus, III, 11

   

   Ó Deus oculto sob os traços da infância

«Ó Deus oculto
sob os traços da infância
Vejo em Ti o monarca dos Céus
Reconheço a tua grandeza, o teu poder
Na doce luz que brilha nos Teus olhos.
Se quisesses, mil legiões de anjos
Ao teu apelo viriam formar a tua corte
Semeando de estrelas de oiro as tuas roupinhas
Cantariam o teu inefável amor.»

   

   Seguir a estrela

«Os Reis Magos têm um significado particular.
Mesmo pertencendo nós já à Igreja visível
percebemos a necessidade interior
de superar os limites das concepções e costumes herdados.
Nós já conhecíamos a Deus;
no entanto sentíamos que Ele queria ser procurado
e encontrado de uma maneira nova.
Por isso nos pusemos em caminho
e procurámos uma estrela que nos indicasse o caminho recto.
E esta chegou até nós na graça da vocação.
Nós seguimo-la e encontrámos o Divino Menino.»

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Vida escondida e Epifania, 5

   

   O amor cresce quando se dá!

«O Verbo Se fez Carne;
o Amor tornou-Se visível:
Não pede outra coisa senão amor.
Dá ao Teu Deus o mais que puderes:
amando, tanto mais o amor cresce.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias, 42

   

   Quero cobrir-Te com as minhas asas

«Quero cobrir-Te com as minhas asas
Seguir-Te aqui por toda a parte
E todas as flores mais belas
Semearei sob os Teus passos.
Quero com uma estrela brilhante
Menino, fazer-Te um berço
E com a neve deslumbrante
Fazer-Te uma leve cortina
Quero das montanhas distantes
Abaixar para Ti as alturas
Quero que para Ti as planícies
Se cubram de Celestes flores.»

   

   Novo ano nas mãos da Rainha da paz!

«Tenho apenas alguns minutos
para vos apresentar os meus votos de bom ano.
Mas não preciso de muito tempo para repetir aos meus queridos Tios
os votos de felicidades que o meu coração formula.
Quereria, se isso fosse possível,
que o novo ano só lhes trouxesse consolações.
Mas ai!
Deus que conhece as recompensas
que reserva aos seus amigos,
muitas vezes gosta de lhes fazer ganhar os seus tesouros
por meio de sacrifícios.
Contudo,
mesmo no meio das provações que envia,
Deus é cheio de delicadezas.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 155

   

   Um novo ano que chega

«Como n’Ele o tempo corre veloz!
Faz um ano que Ele me introduziu na arca abençoada
e agora, como diz o bem-aventurado Pai,
São João da Cruz no seu Cântico:
“A rolinha, nas margens verdejantes,
Encontrou O tão desejado companheiro!”
Sim, encontrei Aquele que a minha alma ama,
esse Único Necessário,
e mais ninguém mo pode arrebatar.
Oh! como Ele é bom,
como é belo,
quereria estar completamente silenciosa,
inteiramente adoradora, a fim de penetrar cada vez mais n’Ele
e assim ficar tão cheia
que pudesse dá-lo pela oração
a essas pobres almas ignorantes
do dom de Deus.»

Beata Isabel da Trindade | 1880 – 1906
Carta 131

   

   Contemplar o Amor no Menino

«Não é apenas a criança,
mas o Amor em essência,
verdadeiro facho de fogo divino,
de luz puríssima,
vindo do seio do Pai,
que nós podemos contemplar em Jesus Menino.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
A Eucaristia, 5

   

   Ó Deus! Nas roupinhas encantas os anjos!

«Ó Deus! Nas roupinhas
Encantas os anjos
Verbo feito Menino
Inclino-me para Ti a tremer.
Quem compreenderá este mistério
Um Deus faz-Se criancinha?
Vem exilar-Se na terra Ele, o Eterno...
O Todo-Poderoso!
Divino Jesus, beleza suprema
Quero corresponder ao teu amor
Para provar como Te amo
Velarei sempre por Ti.»

   

   A normalidade da Sagrada Família

«Como será belo conhecer no Céu
tudo o que se passou na Sagrada Família!
Quando o Menino Jesus começou a crescer,
ao ver jejuar a Santíssima Virgem,
talvez lhe dissesse: “Eu também queria jejuar”.
E a Santíssima Virgem respondia:
“Não, meu Menino Jesus,
és ainda muito pequenino,
não tens forças”.
Ou então talvez não se atrevesse a impedi-l’O.
E o bom S. José! Oh! Como eu o amo!
Ele não podia jejuar por causa do trabalho.
Vejo-o aplainar,
depois enxugar a testa de vez em quando.
Oh! como me mete dó!
Como me parece que era simples a vida deles!»

   

   Ó admirável troca!

«Ó “admirável comércio”!
Encarnando,
o Criador do género humano
partilha connosco a Sua divindade.
Para esta obra admirável
é que o Salvador veio ao mundo.
Deus fez-Se filho dos homens,
para que os homens se tornem filhos de Deus».

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
O Mistério do Natal. O Corpo Místico e Cristo

   

   Um Deus, por vós, fez-Se mortal

«Ardei de amor, alma encantada
Um Deus por vós fez-Se mortal
Oh! mistério inefável
Quem vos pede esmola
É o Verbo Eterno!...
Minhas Irmãs, vinde sem receio
Vinde cada uma por sua vez
Oferecendo a Jesus o vosso amor
Sabereis a Sua vontade santa.
Dir-vos-ei o desejo do Menino
oculto nas roupinhas;
Que as vossas dores
As vossas alegrias
Sejam para o Menino.
Ardei de amor, alma encantada
Um Deus por vós fez-Se mortal
Oh! mistério inefável
Quem vos pede esmola
É o Verbo Eterno!...»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
O Divino Pobrezinho do Natal.

   

   Assemelhar-me a Jesus

«Pareçamo-nos em alguma coisa
ao nosso Rei,
que não teve casa,
a não ser o presépio de Belém,
onde nasceu…»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Caminho de Perfeição, cap. 2

   

   O Baptismo torna-nos filhos de Deus

«[…]
“antes de O veres, é preciso que o baptismo
Derrame na tua alma uma santa brancura,
É preciso que nela habite o verdadeiro Deus
É preciso que o Espírito Santo seja a vida do teu coração.
O Verbo, Filho de Deus e Filho de Maria,
No seu imenso amor imola-Se no altar.
Tens de ir sentar-te no Banquete da vida
Para receberes Jesus o Pão do Céu.
Então o Serafim chamar-te-á irmão,
E vendo em teu coração o trono do seu Deus
Far-te-á deixar as praias da terra,
Tu verás a morada deste Espírito de fogo.”

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Poesia 3

   

   Peço um milagre, Senhor!

«Mas Aquele cujo coração vela enquanto [se] dorme,
fez-me compreender que,
àqueles cuja fé é do tamanho de um grão de mostarda,
concede milagres,
e faz as montanhas mudarem de lugar,
para consolidar esta fé tão pequena;
mas para os seus íntimos, para a sua Mãe,
não faz milagres antes de ter experimentado a sua fé.
Não deixou Ele morrer Lázaro,
apesar de Marta e Maria Lhe terem mandado dizer que estava doente?... Nas bodas de Caná,
tendo a SSma Virgem pedido a Jesus que socorresse o senhor da casa,
não lhe respondeu que a sua hora ainda não tinha chegado?...»

   

   O olhar de Jesus é bênção!

«Que descanse sempre o olhar benévolo de Jesus,
e o Seu doce sorriso,
sobre a nossa casa,
e as graças mais copiosas desçam sobre ela
como uma chuva benéfica
que vivifica e restaura as nossas almas
sedentas do Seu Santo Amor…»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 – 1927
Carta 27

   

   José e Maria

«Porque é que em Maria e José
encontramos tanta serenidade,
tanta alegria e tanta paz,
quer nas tribulações,
quer nos perigos?
Porque com eles está sempre Jesus.
Jesus é a verdadeira alegria
e a verdadeira paz.

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Conselhos 12, 18

   

   Estar sempre ao pé de Ti.

«Bem-aventurado quem de verdade O amar
e O trouxer sempre ao pé de si.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Livro da Vida 22,7

   

   Tornar-se pequeno atrai as graças de Deus

«Tornar-se pequeno quer dizer,
negar-se,
humilhar-se,
abater o orgulho.
Nesta pequenez espiritual
o Senhor faz descer a Sua chuva de graças,
no fértil tereno da santa humildade.»

Beata Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Pensamentos, nº 130

   

   Sei quem Tu és

«Muito se contenta o Senhor
de que nos conheçamos,
e procuremos sempre olhar a nossa pobreza e miséria,
e que não temos nada
que não tenhamos recebido.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Moradas VI 5,6

   

   Um Connosco

«Ele fez-se um de nós,
e mais ainda,
fez-se um connosco.»

Santa Teresa Benedita da Cruz, Obras

   

   Nasces para mim, no Altar

«Nascido para ti,
torna a nascer para ti sobre o Altar
um número quase infinito de vezes…
Jesus Menino te faça amar a Eucaristia!
A Eucaristia fala-te de Belém e de Jesus Menino.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Exortações e conferências, 1

   

   A estrela provoca amor e alegria!

«Uma festa de amor e alegria
é a estrela que nos guia a todos
até ao presépio,
onde se encontra o Menino
que traz a paz à terra.»

Santa Teresa Benedita da Cruz | 1891 - 1942
O Mistério do Natal, 1

   

   Ponhamos os olhos na Humanidade de Jesus

«Pode representar-se que está diante de Cristo
e acostumar-se a enamorar-se muito
da sua Sagrada Humanidade,
trazendo-O sempre consigo.
E fale com Ele.
É pedir-lhe ajuda para as necessidades
e queixar-se-Lhe dos trabalhos.
É alegrar-se com Ele nos contentos
e não O olvidar por eles.
Isto sem procurar orações compostas,
mas palavras conformes
aos seus desejos e necessidade.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Livro da Vida 12,2

   

   Mãe: conduz os meus passos pelo caminho da Paz.

«Neste Novo Ano que Deus nos dá, para nos santificar
e mais nos unir a Ele,
façamo-Lo crescer em nossas almas;
que seja verdadeiramente Rei.
E nós, desapareçamos, esqueçamo-nos,
sejamos somente o “louvor da sua glória”,
segundo a bela expressão do Apóstolo.
Desejo-lhe também todas as graças de saúde
de que necessita,
pois que tem sido tão provada;
lembre-se do que dizia São Paulo:
“Glorifico-me nas minhas enfermidades,
porque então a força de Jesus Cristo habita em mim.”
O amor: eis o que torna o seu fardo tão leve
e o seu jugo tão doce.
Peçamos ao Deus Menino,
que nos consuma nesta divina chama,
neste fogo que veio trazer à terra.»

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 220

   

   Não perder tempo!...

«Mais um ano que passou!...
Celina! Passou, passou, nunca voltará;
como passou este ano
também a nossa vida passará
e bem depressa diremos: “Passou”,
não percamos o nosso tempo,
a eternidade bem cedo brilhará para nós!...
Celina, se quiseres, convertamos almas,
é necessário que este ano
façamos que muitos sacerdotes saibam amar Jesus!...
que Lhe toquem com a mesma delicadeza
com que Maria lhe tocava no seu berço!...

A tua irmãzinha Teresa do Menino Jesus da Sta Face.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 101, À sua irmã Celina

   

   A Luz do Presépio

«Diante do abaixamento do Verbo,
o nosso pobre intelecto desconcerta-se
e mais não sabe fazer do que abaixar-se,
adorar,
diante de tanta luz
que emana do Mistério!»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Exortações e Conferências, 1

   

   Olhar para Jesus

«Traga Nosso Senhor na sua alma
e represente-O
ora como Menino,
ora como Crucificado
ou Ressuscitado…
Esse olhar da alma para Ele
inflama-a de amor.
A toda a hora pode olhá-l’O.
Essa vista de Jesus a pacificará,
se estiver perturbada ou exaltada;
a fortalecerá, se estiver abatida;
a recolherá, se estiver dissipada.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 – 1920
Carta 137

   

   Nascer de novo, com Jesus!

«Esta festa de Natal,
diz tanto à alma;
parece que Jesus a convida a morrer para tudo,
para renascer numa vida nova,
uma vida de amor.
Oh! se eu pudesse ser tão pequena como Ele
e pudesse crescer a Seu lado,
colocando os meus passos
no rasto dos seus divinos passos!»

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 39

   

   Deus é Amor

«Deus é Amor.
Criou-nos por amor,
resgatou-nos por amor
e por amor nos destina
a uma união estreitíssima com Ele.
Deus-Amor está presente na nossa alma
com uma presença sobrenatural,
pessoal, objectiva.
Está nela numa actividade constante de amor,
como uma fogueira
que irradia constantemente o seu calor,
como o sol,
que não cessa de difundir a sua luz,
como fonte sempre transbordante.»

Venerável Pe. Maria-Eugénio do Menino Jesus | 1894 – 1967
Quero ver a Deus, cap. IV

   

   Senhor, em Ti encontramos a Luz e a Vida!

«Veio ao mundo feito homem
e manifestou-Se como Luz.
Luz que brilha nas trevas:
presente entre nós,
hoje como então,
mas velou-nos a humanidade;
está presente pela Sua palavra e pelas Suas obras,
pela Eucaristia e pelos Sacramentos,
pela Igreja e na pessoa de cada um dos nossos irmãos.
Ele diz:
“Eu sou a Luz do mundo.
Quem Me segue não andará nas trevas,
mas terá a luz da vida” (Jo 8,12).
Para os que seguem a Cristo,
n’Ele encontrarão a luz e a vida.»

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus | 1907 - 2005
O Rosário com a Irmã Lúcia, Mistérios gozosos

   

   Nasce Aquele que traz a paz!

«As trevas cobriam a terra
e Ele [Jesus] veio como a Luz que brilha nas trevas,
mas as trevas não O receberam,
trouxe a luz e a paz:
a paz com o Pai do Céu,
a paz com todos os que também são filhos da luz
e filhos do Pai.»

Santa Teresa Benedita da Cruz | 1891 - 1942
O Mistério do Natal, Cap. II

Mistério de Amor o Vosso, meu Deus e Senhor,
desces para nos dar a paz:
paz com o Céu,
paz com a terra.
Neste dia desce um manto
de doçura e ternura sobre a terra
que nos envolve como uma mão bondosa.
Senhor, que eu possa nascer hoje,
para uma vida nova,
prolongando em cada momento
a alegria da Vossa vinda,
que permanece em mim,
se me abrir, tal como a terra, para receber a semente.
Fica comigo, Senhor!
Adoro-Vos profundamente!

Na foto:
detalhe de pintura de Bartolomé Esteban Murillo
séc. XVII

   

   O Baptismo: porta da santidade

«O santo Baptismo deve depositar nas almas
um germe bem profundo das virtudes teologais,
pois se revelam logo na infância,
e basta a esperança dos bens futuros
para fazer aceitar sacrifícios.
Quando queria ver as minhas duas meninas
[que estiveram ao meu cuidado]
bem dispostas uma com a outra,
em vez de prometer brinquedos e rebuçados à que cedesse à irmã,
falava-lhes das recompensas eternas
que o Menino Jesus daria no Céu
às criancinhas bem comportadas.»

   

   Amemos loucamente a Deus!

«Amemos loucamente a Deus,
já que Ele, desde a eternidade nos amou.
Criou-nos sem ter necessidade de nós.
Para o homem foi dirigida toda a obra do seu poder.
Tudo pôs à nossa disposição.
Alimenta-nos e sustenta-nos continuamente.
E para não se separar de nós na eternidade,
deu-nos o Seu Filho Unigénito,
Deus fez-Se criatura.
Padeceu e morreu por nós.
Deus fez-Se alimento das Suas criaturas.
Alguma vez aprofundaste
esta loucura infinita de amor?»

Santa Teresa dos Andes, Carta 121

   

   Imitar a Pobreza do Menino do Presépio

«Aqueles cujo coração está livre
de toda a dependência de bens terrenos,
os pobres em espírito,
são chamados bem aventurados.
Uma tal pobreza em espírito
é também alcançável para aquele
que externamente
não se desprendeu de todas as suas posses.
Disto se trata precisamente,
de ter “como se não possuíssem”.
Tem que se aprender que o que se tem,
se deve levar solto nas mãos,
com a disposição permanente para o dar.»

Santa Teresa Benedita da Cruz, Felizes os pobres em espírito I, 2

   

   Receber Jesus

«Tudo sofre e sofrerá este Senhor
para achar uma só pessoa que O receba
e tenha em si com amor,
sejais vós esta pessoa;
porque não encontrando nenhuma,
com razão não lhe consentiria o Pai Eterno ficar connosco.»

Santa Teresa de Jesus, Caminho 35, 2

   

   Entrai Senhor e ficai comigo!

«”Se alguém me ama,
guardará a minha palavra,
e meu Pai amá-lo-á
e viremos a ele,
e faremos nele a nossa morada.”
Eis o Mestre
que nos manifesta uma vez mais
o desejo de habitar em nós.
“Se alguém me ama”!
O amor, eis o que atrai,
o que arrasta Deus até à sua criatura:
não um amor feito de sensibilidade,
mas este amor “forte como a morte
e que as águas imensas não podem extinguir”.»

   

   Epifania em Caná

«Ao veres a aflição dos esposos de Caná
Que não podem esconder, pois falta-lhes o vinho
Ao Salvador o dizes com solicitude
Esperando o auxílio do seu poder divino.
Jesus parece a princípio rejeitar o pedido
“Mulher, que nos importa”, responde Ele, “a vós e a Mim?”
Mas no fundo do coração, chama-Te sua Mãe
E o seu primeiro milagre, realiza-o por Ti.»

Santa Teresa do Menino Jesus, “Porque Te amo, ó Maria”

   

   As alegrias puras e santas!

«Sei que em Nazaré, Mãe cheia de graça,
Viveste pobremente, não querendo nada mais:
Nem arroubamentos, nem milagres, nem êxtases
Embelezam a Tua vida, ó Rainha dos Eleitos!….
O número dos pequenos é bem grande na terra;
Eles podem sem receio erguer os olhos para Ti.
É pela via comum, incomparável Mãe
Que Te apraz caminhar guiando-os para o Céu.»

«Esperando o Céu, ó minha Mãe querida,
Quero viver conTigo, seguir-Te em cada dia Mãe,
ao contemplar-Te, afundo-me absorta
Descobrindo no Teu coração abismos de amor.
O Teu olhar maternal desvanece os meus receios
Ensina-me a chorar, e a regozijar-me.
Em vez de desprezar as alegrias puras e santas,
Tu queres partilhá-las, dignas-Te abençoá-las.»

Santa Teresa do Menino Jesus, “Porque Te amo, Ó Maria”, 17-18

   

   Quem procura… encontra!

«Nos homens reunidos à volta do Presépio
temos uma imagem da Igreja.
Os Reis do longínquo Oriente representam os Gentios,
aos quais deve chegar a salvação a partir da Judeia.
Assim, temos aqui a Igreja dos Judeus e dos Gentios.
Os Reis Magos são, no Presépio,
os representantes de todos os que procuram,
de qualquer povo ou nação.
A graça tinha-os conduzido,
ainda antes de pertencerem à Igreja visível.
Neles vivia um desejo puro de alcançar a Verdade,
que não se deixa conter
nas fronteiras das doutrinas e tradições particulares.»

Santa Teresa Benedita da Cruz, Vida escondida e Epifania

   

   Olhai para Deus, tão humano!

«É grande coisa
enquanto vivemos
e somos humanos,
trazer a Deus humanado
diante de nós.»

Santa Teresa de Jesus, Livro da Vida 22,9

   

   A estrela da Fé

«Visto que Deus é a Verdade
e quer deixar-Se encontrar
por todos aqueles que O procuram de todo o coração,
tarde ou cedo tinha de iluminar a estrela desses sábios
para lhes indicar
o caminho da Verdade.»

Santa Teresa Bendita da Cruz, Vida escondida e Epifania

   

   Nasceu-vos hoje um Cordeiro

«Oh pastores em velada,
Por guardar vosso rebanho,
Nasceu-Vos hoje um Cordeiro
Filho de Deus soberano!
Nasce pobre e desprezado.
Começai já a guardá-Lo,
Porque o lobo há-de levá-Lo
Sem que O tenhamos gozado.»

Santa Teresa de Jesus, Poesias

   

   A humildade trouxe-O do céu

«A humildade trouxe-O do céu às entranhas da Virgem;
e também por Ela O traremos preso por um fio de cabelo
às nossas almas.
E crede-me:
quem maior a tiver,
mais O possuirá.»

Santa Teresa de Jesus, Caminho de Perfeição 16,2

   

   Que Jesus cresça em nós e nos dê a paz!

«Neste Novo Ano que Deus nos dá,
para nos santificar e nos unir mais a Ele,
façamo-l'O crescer em nossas almas,
guardemo-l'O só e separado;
que seja verdadeiramente o Rei.
E nós, desapareçamos, esqueçamo-nos,
sejamos somente o "louvor da Sua glória"...
Desejo-lhe, pois, esta profunda Paz
de acordo com o belo prazer divino.
Peçamos ao Deus Menino
que nos consuma nesta divina chama,
neste fogo que veio trazer à terra.»

B. Isabel da Trindade, Carta 220

   

   No “anoitecer” deste ano, brilhe a luz da acção de graças!

«Venho desejar-vos um bom ano!...
Assim como cada dia tem a sua última hora,
também cada ano vê chegar a sua última noite,
e é na noite deste ano
que me sinto levada a lançar um olhar sobre o passado
e sobre o futuro;
considerando o tempo que acaba de decorrer,
sinto-me levada a dar graças a Deus,
porque se a Sua mão nos apresentou um cálice de amargura,
o Seu Coração divino soube amparar-nos na provação
e deu-nos a força necessária para bebermos esse cálice até ao fim...»

   

   Tinham um só Coração, no Amor!

«É que não sei como se pode pensar na Rainha dos Anjos
– no tempo em que tanto passou com o Menino Jesus
– sem que se dê graças a São José
pelo muito que então Os ajudou.»

Santa Teresa de Jesus, Vida 6, 8

   

   Um Menino nasceu para nós…

«À meia-noite,
do dia de Natal,
celebrámos a Missa
e levámos o Menino à Cova, e aqui O obsequiámos…
Adorámos no Filho de Maria e do Eterno,
nascido em Belém,
uma inteligência Soberana
e Sabedoria infinita
e reconhecemos no Verbo feito Carne
um Mestre
que não pode enganar-Se
nem enganar…
Escutámos com atenção
as lições que nos deu este Menino,
que é a Verdade Infalível.»

Beato Francisco Palau, Páginas Periodísticas II

   

   À Luz do Presépio…

«Os Santos Inocentes
assemelham-se aos cordeirinhos
que, na sua inocência,
são levados ao matadouro.
Deste modo são a imagem
da pobreza mais extrema.
Não têm outra riqueza que a sua vida.
E esta também lhes é tirada,
sem que eles oponham resistência.
Eles rodeiam o Presépio
para nos indicar qual é a mirra
que devemos oferecer ao Menino Jesus:
quem quiser pertencer-Lhe totalmente,
tem que se entregar a Ele,
sem reservas
e abandonar-se à vontade divina,
como essas crianças.»

Santa Teresa Bendita da Cruz, “Exortação no dia da Epifania” de 1941

   

   O Verbo fez-Se Carne!

«Deus que desce do Céu à terra,
para salvar as Suas pobres criaturas,
é a obra-prima do amor!
Sim, veio do Céu, fez-Se
homem, abraçando a humilde condição da criatura!
Ele que é Deus, eterno como o Pai,
igual ao Pai em poder, sabedoria e amor!
Nasce como homem, mas é eterno como Deus!»

O Rosário com a Irmã Lúcia, Mistérios gozosos

   

   Ser, ConVosco, nova criatura!

«Esta festa de Natal, diz tanto à alma;
parece que Jesus a convida a morrer para tudo,
para renascer numa vida nova,
uma vida de Amor.
Oh! Se eu pudesse ser tão pequena como Ele
e pudesse crescer a Seu lado,
colocando os meus passos
no rasto dos Seus divinos passos!»

B. Isabel da Trindade, Carta 39

   

   Completou-se o tempo!

«Já sendo chegado o tempo
Em que de nascer havia,
Assim como desposado
Do seu tálamo descia,
Abraçado à sua esposa,
Que em seus braços a trazia;
O qual a Mãe graciosa
Em um presépio estendia,
No meio de uns animais
Que na altura ali havia.»

   

   Delicado amor

«A contemplação não  mais do que uma infusão secreta, pacífica e amorosa de Deus, que se lho permitirem, inflama a alma em espírito de amor a alma vai-se sentindo inflamada pelo amor divino, sem que ela própria o saiba nem compreenda como e donde lhe vem tão delicado amor.

S. João da Cruz, 1 Noite Escura 10,6


Cheap Women Shoes

Designer Shoes Outlet

High Quality Shoes For Sale

Cheap Shoes For Sale

Bell & Ross Replica Watches

U-Boat Replica Watches

   

   

«Pode representar-se que está diante de Cristo e acostumar-se a enamorar-se muito da sua Sagrada Humanidade, trazendo-O sempre consigo. E fale com Ele. É pedir-lhe ajuda para as necessidades e queixar-se-Lhe dos trabalhos. É alegrar-se com Ele nos contentos e não O olvidar por eles. Isto sem procurar orações compostas, mas palavras conforme aos seus desejos e necessidade.»

Santa Teresa de Jesus, Livro da Vida 12,2

   

   Que Jesus cresça em nós

Neste Novo Ano que Deus nos dá,
para nos santificar e nos unir mais a Ele,
façamo-l'O crescer em nossas almas,
guardemo-l'O só e separado;
que seja verdadeiramente o Rei.
E nós, desapareçamos, esqueçamo-nos,
sejamos somente o «louvor da Sua glória»...
Desejo-lhe, pois, esta profunda paz
de acordo com o belo prazer divino.
Peçamos ao Deus Menino
que nos consuma nesta divina chama,
neste fogo que veio trazer à terra.

Beata Isabel da Trindade, Carta 220

   

   Eloquência da simplicidade

Já que o Rei dos Céus quis que a sua Mãe
Mergulhasse na noite, na angústia do coração,
fake uhren
Maria, é então um bem sofrer na terra?
Sim, sofrer amando, é a felicidade mais pura!…
Cheap FIFA Coins
Tudo o que Ele me deu Jesus pode tomá-lo
Diz-lhe que nunca Se preocupe comigo…
Ele pode esconder-Se, eu consinto em esperá-l’O
Até ao dia sem ocaso em que se extinguirá a minha fé…

   

   Amor gera amorOrologi Replica Italia

Sempre que pensarmos em Cristo, lembremo-nos do amor com que nos que nos deu tantos bens; lembremo-nos como Deus, em Seu Filho, nos mostrou tal qualidade de amor para connosco; amor gera amor. Ainda que sejamos principiantes e ruins, procure¬mos sempre tomar consciência deste amor e despertarmo-nos para amar; porque, uma vez que o Senhor nos concedeu esta graça de que este amor se nos imprima no coração, tudo nos será mais fácil e tiraremos mais proveito de forma mais rápida e com menos esforços.
Conceda-nos Sua Majestade esta mercê pelo muito que nos amou pelo Seu glorioso Filho. Amen.

Santa Teresa de Jesus, Livro da Vida 22, 14

   

   Temos Irmão, Companheiro, Mestre…

«Já te disse tudo na minha Palavra, que é o Meu Filho – e não tenho outra – que mais te posso Eu responder agora ou revelar? Põe os olhos só n’Ele, air max pas cher
air max pas cher
air max pas cher
air max pas cher
porque n’Ele tudo disse e revelei, e acharás ainda mais do que pedes e desejas. Tu pedes locuções e revelações às migalhas, mas, se fixares n’Ele o teu olhar, acharás tudo. Ele é toda a minha locução e resposta, toda a minha visão e revelação. Ao dar-vo-l’O por Irmão, Companheiro, Mestre, Preço e Prémio, já vos falei, respondi, manifestei e revelei tudo. Desde o dia que desci com o meu Espírito sobre Ele no monte Tabor, dizendo: Quer dizer: «Este é o meu Filho muito amado, no Qual pus todo o Meu encanto, escutai-O», (Mt 17, 5). abandonei todas essas maneiras de ensinamentos e respostas, e tudo Lhe confiei a Ele. Escutai-O, porque Eu já não tenho mais fé para revelar, nem mais nada a manifestar. Porque, se falava an¬tes, era prometendo a Cristo; e, se Me perguntavam, as perguntas eram orientadas à petição e esperança de Cristo, no qual haviam de encontrar
o Bem total».

S. João da Cruz, 2 Subida do Monte Carmelo 22,5

   

   Contemplar Jesus com os olhos de Maria

Na terra do Egipto, parece-me, ó Maria
Que na pobreza o teu coração continua feliz,
Pois não é Jesus a nossa formosa Pátria,
Que te importa o exílio se tu possuis os Céus?…
Mas em Jerusalém, uma tristeza amarga
Como um vasto oceano te inunda o coração
Jesus, durante três dias, esconde-se da tua ternura
É então o exílio em todo o seu rigor!…

   

   Lançai sobre nós um olhar de paz

“Deus é o príncipe da Paz e não habita senão em corações unidos pelo amor”

Beato Francisco Palau, Carta 7


   

   Contemplando o mistérioreplique montre breitling

Lembra-Te de que chamaste pai
Ao humilde Jos que por ordem do Céu
Sem te acordar, do seio materno
Soube arrancar-Te ao furor de um mortal.
Verbo de Deus, lembra-Te desse mistério estranho
Tu guardaste silêncio e fizeste falar um anjo!
Do teu longo exílio
Nas margens do Nilo
Lembra-Te.

Lembra-Te de que em outras paragens
Os astros de ouro e a lua de prata
Que eu contemplo no azul sem nuvens
Alegraram, encantaram os teus olhos de Menino.
Com a tua mãozinha que acariciava Maria
Sustinhas o mundo e davas-lhe a vida.
E pensavas em mim,
Jesus, meu pequeno Rei
Lembra-Te.

   

   Lembra-Te, Jesus!

Lembra-Te da glória do Pai
Lembra-Te dos esplendores divinos
Que deixaste ao exilar-Te na terra
Para resgatar os pobres pecadores
Ó Jesus, descendo até à Virgem Maria
Escondeste a tua grandeza e glória infinita
Ah! do seio maternal
Que foi o teu segundo Céu
Lembra-Te.

Lembra-Te que no dia em que nasceste
Deixando o Céu, os Anjos cantaram:
Ao nosso Deus, glória, honra e poder
«E paz aos corações de boa vontade.»
Desde há dezanove séculos cumpres a tua promessa
Senhor, a paz é a riqueza dos teus filhos
Para saborear sempre
A tua inefável paz
Venho a Ti.

   

   O Pai confiou Cristo esposo à humanidade esposa

Já sendo chegado o tempo
Em que de nascer havia,
Assim como desposado
Do seu tálamo descia,
Abraçado à sua esposa,
Que em seus braços a trazia;
O qual a Mãe graciosa
Em um presépio estendia,
No meio de uns animais
Que na altura ali havia.

   

   O Verbo chama-se Filho

E no princípio morava
O Verbo, e em Deus vivia,
No qual a felicidade
Infinita possuía.

O mesmo Verbo era Deus
Que o princípio se dizia.

No princípio Ele morava
E princípio não havia.

Ele era o mesmo princípio
Porque dele carecia.

   

   Esponsais derolex replica Cristo com a humanidade

«Uma esposa que te ame,
Meu Filho, dar-te queria,
Que por teu amor mereça
Ter a nossa companhia.
E comer pão numa mesa,
Do mesmo pão que Eu comia,
Para que conheça os bens
Que em tal Filho Eu possuía.
E comigo lhe compraza
Tua graça e louçania».



   

   O amor do imenso Pai

Em aquele amor imenso
Que de ambos procedia
Palavras de grande gozo sac vuitton
fifa 15 coins
O Pai ao Filho dizia
Com tão profundo deleite
Que ninguém as entendia.
Somente o Filho as gozava
Porque a Ele pertencia,

   

   Torrentes de luzbest replica watches

Foi preciso Deus fazer um pequeno audemars piguet royal oak lady replica
milagre para me fazer crescer num instante, e esse e fA533;-lo no dia inesquecível de Natal (de 25 de Dezembro de 1886). Nessa noite luminosa que esclarece as delícias da Santíssima
rolex submariner
montre RolexTrindade, Jesus, o doce pequeno Menino de uma hora, mudou a noite da minha alma em torrentes de luz... Nessa noite em que Ele se fez fraco e sofredor por meu amor, tornou-me forte e corajosa; revestiu-me com as suas armas; e desde essa noite bendita, não fui vencida em nenhum combate; antes, pelo contrário, caminhei de vitória em vitória e comecei, por assim dizer, «uma corrida de gigante!...

Santa Teresa do Menino Jesus, História de uma Alma A 44vA533;

   

   

ssss