Lançar-me no campo do sacrifício

«Propósito: Dar-me toda ao Senhor sem qualquer reserva, lançando-me no campo do sacrifício...

Ser pobre como Jesus

«À semelhança de Cristo e dos seus Apóstolos, procura apresentar um estado de abnegação ext...

Tempo: Quaresma

 

 

   Jesus não condena

«Não será Jesus
que condenará o pecador
quando este comparecer diante d’Ele;
será a própria alma.»

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Pensamentos

   

   Amor e sacrifício

«Se amamos,
saberemos sacrificarmo-nos;
e se nos sacrificamos
é sinal que amamos.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
A Eucaristia. 67

   

   Pratiquemos o silêncio

«Pratiquemos o silêncio
quando nos for dito alguma coisa
que nos desagrada,
recordando-nos que “Jesus calava-Se”»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Bilhetes à Irmã Teresa Crucificada de Jesus

   

   Imitar a vida que Cristo viveu

«Estas flores produzem fruta;
são as maçãs de que diz a Esposa:
“Confortai-me com maçãs”.
Dai-me, Senhor, trabalhos,
dai-me perseguições.
E verdadeiramente os deseja,
e até se sai bem deles;
porque como já não olha ao seu contento,
senão em contentar a Deus
seu gosto é de imitar em algo
a vida trabalhosíssima que Cristo viveu.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Conceitos do amor de Deus 7,8

   

   Uno-me a Ti, nos sofrimentos e sempre!

«Alegrai-vos
com o estado em que Deus vos pôs;
As dores,
os sofrimentos,
são para mim um paraíso
quando sofro com Deus;
e os maiores prazeres
um inferno,
se os saboreasse sem Ele.
Toda a minha consolação
seria sofrer qualquer coisa por Ele.»

Frei Lourenço da Ressurreição | 1614 – 1691
Carta 11. A uma religiosa. 17 de Novembro de 1690

   

   Ser pobre como Jesus

«À semelhança de Cristo
e dos seus Apóstolos,
procura apresentar um estado de abnegação exterior
e de pobreza absoluta
e coloca o espírito na necessidade
de fomentar a renúncia
e o desprezo do mundo
e de todas as suas riquezas e tesouros,
bens e possessões.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 37

   

   O grande amor da Virgem Maria

«Oh segredos de Deus!
Aqui não há senão render entendimentos
e pensar que
para entender as grandezas de Deus,
não valem nada.
Aqui vem a propósito ajoelharmo-nos
como fez a Virgem Nossa Senhora
com toda a sabedoria que Deus lhe deu,
que perguntou ao anjo quando A saudou:
“Como se fará isto?”
Em dizendo-lhe: “O Espírito Santo sobrevirá em Ti,
e a virtude do Altíssimo estenderá sobre Ti a sua sombra”,
não tratou de mais disputas.
Como quem tinha grande fé e sabedoria,
entendeu logo que,
intervindo estas duas coisas,
não havia mais que saber nem que duvidar.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Conceitos do Amor de Deus. 6, 7

   

   Lançar-me no campo do sacrifício

«Propósito:
Dar-me toda ao Senhor
sem qualquer reserva,
lançando-me no campo do sacrifício generosamente…
Abandonar-me cegamente à acção do amor,
e receber tudo e sempre
das mãos do meu Deus
sem perguntar nada…
Exercitar-me na humildade de coração
vivendo em submissão a todos…»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Pensamentos, Caderno 26: 1921-1924

   

   Amar a Cruz, porque nela está Jesus.

«No dia seguinte, depois da comunhão,
as palavras da Maria voltaram-me ao pensamento.
Senti nascer no meu coração
um grande desejo de sofrer,
com a íntima certeza
de que Jesus me reservava
um grande número de cruzes.
Senti-me inundada de consolações tão grandes
que as considero uma das maiores graças da minha vida.
O sofrimento tornou-se o meu atrativo.
Tinha encantos que me entusiasmavam,
sem bem os conhecer.
Até então, tinha sofrido sem amar o sofrimento;
desde esse dia senti por ele um verdadeiro amor.»

   

   Quero o que Tu queres

«Se tu quiseres, minha filha,
podes ser santa.
Diz muitas vezes a Jesus:
“eis-me aqui, toma-me,
esvazia-me, purifica-me…
Eu quero tudo aquilo que Tu queres.
Só Te quero a Ti,
só a Ti procuro!”»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 – 1948
Escritos Vários. pg.11

   

   O caminho da Cruz

«Na cruz está a vida e o consolo,
só ela é caminho que leva ao céu.

Na cruz está o Senhor
Do céu e da terra,
E o gozar de muita paz,
Ainda que haja guerra.
Todos os males desterra
Nesta terra.
Só ela é o caminho
Que leva ao céu.

É oliveira preciosa
A Santa Cruz,
Que com seu azeite nos unta
E nos dá luz.
Alma minha, toma a cruz
Com grande consolo:
Só ela é o caminho
Que leva ao céu.

É a cruz árvore verde
E desejada
Da Esposa, que à sua sombra
Se há sentado,
Para gozar do seu amado
O Rei do Céu,
Só ela é o caminho
Que leva ao céu.

Depois que se pôs na cruz
O Salvador,
Na cruz está a glória
E o honor;
E no padecer dor
Vida e consolo,
E o caminho mais seguro
Que leva ao céu.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Poesia 19

   

   Quem poderá dizer como és Tu?

«Ao comunicar agora à alma iluminações,
revelações
e consolações
a alma está disposta a não deter-se nelas.
Deixará que Deus realize o que pretende
por meio destas comunicações sobrenaturais,
mas ela permanece na obscuridade da fé,
porque não apenas aprendeu
mas conhece também
que nada disso é Deus
e que na fé tem tudo o que necessita:
Cristo, Verdade eterna
e n'Ele, o Deus incompreensível.»

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
Ciência da Cruz

   

   S. José

«Toma como Mestre e Diretor
o gloriosíssimo S. José;
recorre a Ele.
Oh, se Jesus te mostrasse um pouquinho
do interior de tão grande santo
e a grandeza da Sua Glória e do Seu Patrocínio!

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Perfeição Carmelitana. 51

   

   Jesus Cristo pediu ao Pai a Unidade

«A Igreja de Deus
é a Igreja da caridade, do amor.
Pediu Jesus Cristo ao Pai,
pouco antes de Se entregar à morte por nós:
“Pai Santo, guarda em Teu nome
aqueles que Me deste,
para que sejam um,
assim como Nós. (...)
Não rogo somente por estes,
mas também por aqueles que,
pela Tua palavra,
hão-de crer em Mim,
para que todos sejam um só;
como Tu, ó Pai, estás em Mim e eu em Ti,
que também eles estejam em Nós,
para que o mundo creia que Tu Me enviaste.
Dei-lhes a glória que Tu Me deste,
para que sejam um
como Nós somos um.
Eu neles e Tu em Mim,
para que eles sejam perfeitos na unidade
e para que o mundo reconheça
que Tu Me enviaste e os amaste,
como Me amaste a Mim”».

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Fátima, cap. 3

   

   As provas vividas em união conTigo, são graça

«As provas
às quais somos submetidos nesta terra
têm todas um duplo objetivo:
elas são destinadas a purificar-nos,
a desapegar-nos,
e ao mesmo tempo
a fazerem-nos cooperar na Redenção
realizada por Jesus Cristo.»

Beato Pe. Maria-Eugénio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências. 01.11.1966

   

   Que bom dar algo a quem amamos!

«Por este sofrimento
cada vez mais nos assemelhamos a Ele
e Lhe podemos dar um pouco de amor;
é tão bom dar alguma coisa
Àquele que amamos!»

Santa Isabel da Trindade | 1880 – 1906
Carta 42. A Margarida Gollot
(sua amiga, com aspirações ao Carmelo). 30.03.1901.

   

   Quero ser santo

«Oh! Meu Deus,
não sou uma santa,
apesar de me encherdes dos Teus benefícios!
Perdoa-me,
pois o serei de agora em diante.
Minha Mãe,
fazei que seja santa!

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Diário. 42

   

   Amor chama amor

«O veado,
quando tocado por certa erva venenosa,
não descansa nem sossega,
procurando remédio por um lado e por outro,
ora mergulhando numas águas ora noutras.
No entanto, a ferida da erva vai aumentando sempre mais
em todas as ocasiões e remédios que toma;
por fim, apodera-se inteiramente do coração
e acaba por matá-lo.
O mesmo acontece à alma tocada pela erva do amor,
como é esta de que falamos aqui.
Nunca pára de procurar remédios para a sua dor;
mas, além de não os encontrar,
ainda mais a aumenta com o que pensa, diz e faz.»

   

   A fonte que mana

A fonte que mana do coração do Cordeiro
não se esgotou.
Ainda hoje podemos lavar ali as nossas vestes.
na confiança da força reparadora
dessa sagrada fonte.
Prostramos-nos diante
do Trono do Cordeiro e respondemos à Sua pergunta:
Senhor, a quem iremos?
Só Tu tens palavras de vida eterna.
Deixa-nos beber das fontes da santidade
para o nosso bem
e o deste mundo sedento.
Concede-nos a graça de pronunciar
com um coração puro
as palavras da esposa que diz:
“Vem, vem Senhor Jesus,
vem depressa!”

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
As Bodas do Cordeiro

   

   Senhor, que eu nunca me afaste de Ti

«Senhor,
faz que nada nem ninguém
possa afastar-me do Teu serviço.
Que nunca perca de vista o fim para que fui criado:
a felicidade.
Ajuda-me, Senhor,
A procurar esta felicidade em Ti.
Quero repetir, com Teresa de Jesus,
perca eu tudo antes que ofender a Deus.»

Santo Henrique de Ossó | 1840 – 1896
Orações

   

   A pérola da humildade

«Vi que o orgulho
é a fonte de todos os pecados
e que a humildade
é o fundamento de todas as virtudes.»

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 – 1878
Pensamentos

   

   Cristo presente no altar

«Cristo, presente nos nossos altares,
não é só alimento e vida;
é também vítima expiatória
que ali Se oferece ao Pai pelos nossos pecados.
Na verdade, a Santa Missa
é a renovação incruenta do sacrifício da Cruz;
é Cristo imolado como vítima pelos nossos pecados,
sob as espécies do pão e do vinho.»

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Fátima, cap. 10

   

   No mais profundo segredo

«Ninguém devia estar na Tenda,
quando o Sumo Sacerdote
entrava nesse sublime e tremendo lugar
da presença de Deus,
ao qual ninguém tinha acesso além dele,
e Ele tinha-o apenas nesse momento;
e mesmo assim tinha que levar consigo incenso,
'para que a nuvem do incenso cobrisse o propiciatório
e não morresse'.
Este encontro solitário
tinha lugar no mais profundo segredo.»

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Edite Stein, Obras Completas – A Oração da Igreja.

   

   Somos crianças que não sabem andar

«Somos miseráveis
e caímos a cada passo.
Somos crianças
que ainda não sabem andar.
Como é que Jesus se vai aborrecer
com quedas que acontecem
por causa da nossa ignorância,
da nossa debilidade?
Não dê entrada ao desânimo.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 144

   

   Oferecer-me pelo Corpo Místico

«Oferece-te no santo sacrifício da Missa
juntamente com Jesus, no sacrifício,
na expiação das tuas culpas
e das do mundo inteiro;
e negoceia no céu
a cura e o alívio de Jesus dorido
no seu Corpo Místico crucificado.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 39, 7

   

   Amas-me até à loucura!

«Ó Verbo divino!
És Tu a Águia adorada que amo e que me atrai!
És Tu que, descendo à terra do exílio,
quiseste sofrer e morrer
para atraíres as almas
até ao seio do Eterno Fogo da Trindade Bem-aventurada.
És Tu que,
voltando a subir para a luz inacessível
que será para sempre a Tua morada,
ficaste ainda no vale de lágrimas,
escondido sob a aparência duma hóstia branca...
Águia Eterna!
Tu queres alimentar-me com a Tua divina substância,
a mim, pobre criaturinha,
que voltaria ao nada se o teu divino olhar
não me desse a vida a cada instante...
Ó Jesus!
Deixa-me, no excesso da minha gratidão,
deixa-me dizer-Te
que o Teu amor vai até à loucura...
Como queres, perante tal loucura,
que o meu coração não se eleve para Ti?»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito B. 5vº

   

   Quanto mais pobre, mais rico

«Quanto mais sou pobre e miserável,
tanto mais sou rica em Deus.»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 – 1770
Processo Ordinário (Pe. Ildefonso). 68

   

   Amo a Cruz

«Amo a Cruz,
porque foi o leito de dor de Jesus.
E como não amá-la?
Quero morrer sobre ela
com a alegria e a paz no coração.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Diário I. pg. 80

   

   Quero olhar só em que Vos posso servir

«Já vejo, Esposo meu,
o que vós sois para mim.
Não o posso negar,
por mim viestes ao mundo,
por mim passastes tão grandes trabalhos,
por mim sofrestes tantos açoites,
por mim ficastes no Santíssimo Sacramento
e agora me fazeis tão grandíssimos regalos. (…)
Pois daqui em diante, Senhor,
quero-me esquecer de mim
e olhar só em que Vos posso servir
e não ter vontade,
mas sim a vossa.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Conceitos do Amor de Deus 4, 10-11

   

   Um mistério mais profundo…

«A Virgindade Consagrada
é ainda um mistério mais profundo:
não é só símbolo e instrumento
da união Cristo-Igreja,
mas também participação
da união conjugal com Cristo
e da sua fecundidade sobrenatural.
Ela tem a sua origem no mais profundo da vida divina
e conduz-nos novamente a ela.
O Pai eterno participou
a totalidade da sua essência ao Filho
com um amor incondicional.
E da mesma maneira o filho a oferece de novo ao Pai.»

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
Edith Stein. Obras. 238

   

   Cinzas

«Nesta Quaresma,
o que faremos
para consolar o bom Jesus?...
Amá-Lo-emos muito
por todas as almas que não O amam;
esconder-nos-emos no seu Divino Coração
e, no mais doce silêncio,
cantar-Lhe-emos o nosso amor...»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 -1927
Carta 71. A Domenichina, sua irmã. Fevereiro de 1925.

   

   Mãe Dolorosa

«Jesus ama-te,
porque te comprou
com o preço de todo o Seu preciosíssimo Sangue:
não desconfies jamais d’Ele
e de Maria,
a tua Mãe Dolorosa.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Cartas a Sacerdotes e a Seculares. 22

   

   Não esqueças…

«Não esqueças por que preço
Jesus te resgatou:
não esqueças a Sua Paixão,
nem o Seu Calvário Eucarístico:
tudo sofreu por ti;
que só por Ele, portanto,
seja para ti doce e querido
o padecer.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Perfeição Carmelitana. 25

   

   A Fonte da Eucaristia que mana e corre

Bem eu sei a fonte que mana e corre,
Embora seja noite.

«Aquela eterna fonte não a vê ninguém
E bem sei onde é e donde vem,
Embora seja noite.

Não sei a fonte dela, que não há,
Mas sei que toda a fonte vem de lá,
Embora seja noite.

Não pode haver, eu sei, coisa tão bela
E céus e terra beleza bebem dela,
Embora seja noite.

Porque não pode ali o fundo achar,
Eu sei que ninguém a pode atravessar,
Embora seja noite.

A claridade sua não escurece
E sei que toda a luz dela amanhece,
Embora seja noite.

Tão caudalosas são suas correntes
Que regam céus, infernos e as gentes,
Embora seja noite.»

   

   Valentia no sofrimento

«Amemo-l’O em verdade,
dando-lhe todos os sacrifícios
grandes e pequenos que Ele nos pedir
e retiremos forças na nossa união com Ele.
A alma que vive sob o olhar de Deus
encontra-se revestida da sua força
e é valente no sofrimento.»

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 308

   

   Morrer para dar vida

«”Morro cada dia”,
diminuo,
renuncio-me cada dia
mais a mim mesma,
a fim de que em mim Cristo cresça
e seja exaltado;
Permaneço humilde
no fundo da minha pobreza,
vejo o meu nada,
a minha miséria,
a minha impotência.
Reconheço-me incapaz de progredir,
de perseverar na perfeição.
Observo as minhas muitas negligências e defeitos;
vejo toda a minha indignidade;
“prostro-me na miséria,
reconhecendo a minha aflição,
colocando-a diante da misericórdia
do meu divino Mestre”.
Não quero mais viver
da minha própria vida,
mas ser transformada em Jesus Cristo,
para que o Pai, ao inclinar-se sobre mim,
possa reconhecer
a imagem do Seu filho muito amado
em quem pôs todas as Suas complacências.»

Beata Isabel da Trindade | 1880 – 1906
O Céu na Terra, 12

   

   A vida de Cristo é só Amor

«O Presépio e o Calvário são paralelos,
dois quadros de um só díptico
que se iluminam mutuamente
e que enquadram a vida de Cristo.
Quanto ao meio, não sabemos bem o que se passou,
mas adivinhamos que foi o mesmo:
pobreza física e moral,
aniquilamento.»

P. Maria-Eugénio do Menino Jesus.
Os primeiros passos do Menino Deus. cap. A manjedoura e a cruz

   

   Amar como Deus quer ser amado

«Quando [as imagens religiosas]
te absorvem os sentidos,
ficas com o coração muito impedido
de chegar até Deus,
de O amar e te esqueceres de todas as coisas
pelo Seu amor.
Se por causa delas faltas a isto,
além de não to agradecer,
Deus castigar-te-á
por não haveres procurado em todas as coisas
mais o Seu gosto do que o teu.
Isto entende-se bem
com a festa que fizeram a Sua Majestade
quando entrou em Jerusalém.
Apesar de O receberam com muitos cânticos e ramos,
o Senhor chorava.
Tendo o coração longe d’Ele,
retribuíam-Lhe com aqueles sinais
e decorações exteriores;
poderíamos dizer que com isso
faziam mais festa a si mesmos
do que a Deus.»

   

   S. José

«Ó S. José,
Pai Dulcíssimo,
dá-me a graça de viver a vida interior
e progredir no amor,
até àquele fim,
onde Jesus me quer!»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 8

   

   Deus do meu coração!

«Senhor,
Deus do meu coração,
muitas vezes tenho vivido longe de Ti.
Pensava procurar a felicidade
e o meu coração andava cada dia mais vazio.
Só Tu, Senhor,
és capaz de encher a minha vida.
Que nunca perca de vista
o fim para que fui criado:
a felicidade.
E que procure esta felicidade
onde ela se encontra:
em Ti!»

Santo Henrique de Ossó | 1840 - 1896
Quarto de Hora de Oração, p. 31

   

   Purificar-me no Sangue de Jesus

«Devemos ter sede
de purificar a nossa alma
no Sangue de Jesus.»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinário – P. Ildefonso. 55

   

   A misericórdia de Deus

«Tocado por um arrependimento sensível,
Declaro [ao Senhor] toda a minha malícia;
peço-Lhe perdão,
abandono-me nas Suas mãos,
para que Ele faça de mim o que quiser.
Este Rei de bondade e de misericórdia,
longe de me castigar,
abraça-me amorosamente,
faz-me comer à Sua mesa,
serve-me com as Suas próprias mãos,
dá-me as chaves dos Seus tesouros
e trata-me em tudo como o Seu predilecto;
conversa e recreia-se sem cessar comigo
de mil e mil maneiras,
sem falar do meu perdão,
nem me tirar os meus primeiros hábitos.
Ainda que pedindo-lhe que me faça segundo o Seu coração,
vejo-me cada vez mais fraco e miserável,
ainda mais carente de Deus.
Eis como eu me considero
uma vez por outra em sua santa presença.»

Frei Lourenço da Ressurreição | 1614 – 1691
Carta 02. A um conselheiro espiritual.

   

   O Corpo Místico de Cristo é a Igreja, somos nós!

«Assim disposta a alma,
passarás ao segundo ato do amor.
E para isto, se no primeiro [ato de amor]
a alma olhava a Deus como esposa a Esposo,
como o amante
a um objeto belo e infinitamente amável e amante;
no outro [segundo ato de amor],
olha-O como cabeça de um corpo moral.
Olha- O neste corpo que é a Igreja,
chagado e crucificado,
indigente, perseguido,
desprezado e defraudado.
E, sob esta consideração,
oferece-te para o cuidar e prestar-Lhe aqueles serviços
que estejam ao teu alcance.
Olha-O além disso como teu Senhor,
Dono e Rei do mundo,
e como Ele não reina sem nós,
mas connosco, em nós e por nós;
sob este ponto de vista,
oferece-te a quanto Ele queira de ti.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Catecismo das Virtudes. 42,2

   

   O Amor é o dom mais perfeito

«O Apóstolo explica
como todos os dons mais perfeitos
nada são sem o Amor...,
que a Caridade é o caminho excelente
que conduz seguramente a Deus.
Finalmente encontrara o repouso...»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito B. 3vº

   

   Beijo a Tua mão misericordiosa

«Beijo a Tua mão misericordiosa,
ó meu Senhor e meu Deus,
e canto do profundo do meu pobre coração
o Magnificat.
Sede sempre bendito e louvado meu Deus,
nas provas, nas dores, mas amarguras.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Diário II, pg.50

   

   Vinde a mim vós que andais cansados

«Vós dizeis: “Vinde a mim todos
Os que trabalhais e estais carregados,
Que Eu vos consolarei».
Que mais queremos, Senhor?
Que pedimos? Que buscamos?
Porque estão os do mundo perdidos
Senão por buscarem descanso?

Valha-me Deus, oh! Valha-me Deus!
Que é isto, Senhor?
Oh! Que lástima! Oh! Que grande cegueira,
Que o busquemos
Onde é impossível encontra-lo!

Dai-nos, Senhor, luz;
Olhai que é mais necessária que ao cego,
Que o era desde o seu nascimento,
Pois este desejava ver a luz e não podia;
E agora, Senhor, não se quer ver.
Oh! Que mal tão incurável!
Aqui, Deus meu,
Se há-de mostrar Vosso poder;
Aqui a Vossa Misericórdia.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Exclamações VIII

   

   A interioridade

«Se tu soubesses
como é belo passar a Quaresma no Carmelo:
são sentimentos
que não se podem escrever
porque são demasiado interiores
e secretos…»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 72. A Domenichina, sua irmã. Fevereiro de 1925.

   

   A nova ordem dada por Deus

«A elevação acima dos limites da natureza,
a obra mais excelsa da graça,
não se alcança apenas com uma luta individual
contra a natureza
ou com a negação dos seus limites.
Alcança-se só por meio da humilde obediência
à nova ordem dada por Deus».

Santa Teresa Benedicta da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Ser Finito e Ser Eterno

   

   Penitência e oração

«Porque todos somos pecadores,
todos temos necessidade de orar
com humildade e perseverança.
Nisto mesmo, o divino Salvador
nos deu exemplo, porque tomou
sobre Si os nossos pecados e
quis fazer oração por nós.
Foi assim que, antes de iniciar a Sua vida pública,
passou quarenta dias e quarenta noites,
no deserto, a orar e a jejuar
para fazer penitência por nós.»

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Fátima, cap. 8

   

   A misericórdia é a minha felicidade

«Demos a Nosso Senhor,
à Santíssima Trindade,
esta alegria,
essa comoção pela nossa fé…
uma fé no poder da misericórdia,
que é a saúde da alma
e que será, no Céu,
a felicidade de todos.»

Venerável Pe. Maria-Eugénio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências. 23.01.1966

   

   Amar a Cruz

«Amemos as nossas cruzes,
elas são todas de ouro,
quando vistas aos olhos do amor.»

Beata Isabel da Trindade | 1880 – 1906
Carta 40. A Margarida Gollot. Janeiro de 1901.

   

   Deus alegra-me

«Deus é o único bem que nos pode satisfazer,
o único ideal
que nos pode apaixonar inteiramente.
Encontro tudo n’Ele.
Alegro-me até ao íntimo
por vê-l’O tão belo,
por sentir-me sempre unida a Ele,
já que Deus é imenso e está em toda a parte.
Ninguém pode separar-me d’Ele. […]
Deus sustenta-me a cada momento,
alimenta-me.
Tudo quanto vejo fala-me do Seu poder infinito
e do Seu amor.
Unindo-me ao Seu Ser Divino
santifico-me,
aperfeiçoo-me,
divinizo-me.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 121

   

   Não procurar gostos e consolações

«O caminho para procurar a Deus
consiste em fazer o bem em Deus
e mortificar o mal em si. […]
Porquanto para procurar a Deus
é preciso possuir um coração
desprendido e forte,
livre de todos os males e bens
que puramente não são Deus. […]
Diz que “não colherá as flores”
que encontrar neste caminho.
Elas significam todos os gostos,
consolações e deleites
que lhe possam surgir nesta vida,
os quais, se os quisesse colher e aceitar,
poderiam barrar-lhe o caminho.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual 3, 4-5

   

   Jesus, manso de Coração

«Jesus, quanto necessito da Tua doçura
eu, que hei de tratar com os mais próximos
para atraí-los ao Teu amor!

Quanto necessito da Tua forte doçura e da Tua doce fortaleza!
Busco-me mais a mim do que a Ti, ao tratar com as pessoas;
quero atraí-las ao meu amor egoísta
e não ao Teu doce e suave amor.

Ensina-me, Jesus, a amar como Tu, a sofrer como Tu.
Verdadeiramente eu não posso desejar,
com maior eficácia que Tu, o bem dos outros…
Porque, me entristeço e desanimo?
Porque não sou manso como Tu.

Quero aprender do Teu Coração
e submeter ao Teu suave jugo
a minha vontade, as minhas forças, a minha liberdade.

Quero viver só a vida de fé, de esperança, de amor
e que reine no meu coração a Tua mansidão,
para encontrar a paz e assim trazer
milhares de corações ao Teu serviço e amor.»

Santo Henrique de Ossó | 1840 – 1896
Um Mês na Escola do Coração de Jesus
Ed. 1995. Pág.212

   

   Esperar na Misericórdia do Senhor

«Senhor,
se uma criança de leite
fosse abandonada pela sua mãe,
lançada na lama,
que coisa poderia fazer?
Se as bestas, as moscas,
as serpentes
viessem mordê-la,
não poderia defender-se;
morreria de fome, de sede…
Senhor, os meus pecados
atraíram-me todos estes males.
Sou como aquela criança.
Mas Tu és o meu Pai;
tem piedade de mim;
sou a obra das Tuas mãos…»

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevações Espirituais, 20

   

   É doce padecer por Cristo

«É doce o padecer por Cristo:
doce mesmo entre as repugnâncias
porque é a vontade que Deus vê.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Perfeição Carmelitana. 25

   

   Seguir a Jesus com a própria cruz.

«Quem me dará ajuda
para combater uma tão contínua guerra
contra tantos adversários
que lutam contra mim?
Ah, bem vejo que Vós, meu Deus,
declaraste ser Vós o meu Capitão,
e elevando o estandarte da vossa Cruz,
dizes-me amorosamente:
“Toma a cruz que te apresento,
por muito que te pareça grande o seu peso;
vem atrás de Mim e não duvides”.
Para corresponder, pois, a tal convite,
prometo-Vos, ó meu Esposo Celeste,
não fazer nenhuma resistência ao vosso amor.
Mas já vejo que Vos encaminhais para o Calvário:
e eis que a vossa esposa prontamente Vos segue.»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Escritos Vários, 7

   

   Permanecer sob o Teu olhar

«É necessário
pôr toda a sua confiança em Deus,
desfazer-se de todos os outros cuidados,
mesmo duma quantidade
de devoções particulares,
das quais, ainda que muito boas,
nos carregamos muito mal,
já que estas devoções são apenas meios
para chegar ao fim.
Assim,
visto que, por este exercício da presença de Deus,
estamos com Aquele que é o nosso fim,
é inútil regressarmos aos meios,
mas podemos continuar com Ele
o nosso comércio de amor,
permanecendo na Sua santa presença,
seja por um acto de adoração,
de louvor, de desejo,
seja por um acto de oferecimento,
de acção de graças,
e de todas as maneiras
que o nosso espírito possa inventar.»

Frei Lourenço da Ressurreição | 1614 - 1691
Carta04. A uma religiosa. 03 de Novembro de 1685.

   

   Confiança

«Eu admiro em vós a obra de Deus.»
«Muitas vezes é Deus quem assume a tarefa de abrir-nos caminhos.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 71 e Carta 460

   

   Sinto em mim todas as vocações

«…Sinto em mim a vocação de Sacerdote.
Com que amor, ó Jesus,
Te seguraria nas minhas mãos
quando, à minha voz, descesses do Céu....
Com que amor Te daria às almas!...
Mas, ai de mim! Desejando ser Sacerdote,
admiro e invejo a humildade de S. Francisco de Assis,
e sinto a vocação de o imitar,
recusando a sublime dignidade do Sacerdócio.
Ó Jesus! meu Amor, minha vida...
Como conciliar estes contrastes?
Como realizar os desejos da minha pobre almita?...»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito B. 2vº-3rº

   

   Amar sem medida

«Amar sem medida quer dizer
sacrificar-se sem lamentos,
dar sem buscar recompensa,
perdoar sem rancores,
ajudar sem se cansar.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Autobiografia. p. 369

   

   Feliz quem ama a Deus

«Ditoso o coração enamorado,
que só em Deus pôs o pensamento;
Por Ele renuncia a todo o criado
e n’Ele encontra sua glória e contento.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Poesias 5

   

   Meu Deus ajuda-me

«Quando chega a noite
e a revisão do dia
nos mostra que muitas das nossa obras
foram fragmentárias
e outras, que nos tínhamos proposto,
ficaram sem se fazer
desperta em nós uma espécie de vergonha
e arrependimento,
nesse momento havemos de tomar as coisas
tal como são,
temos de pô-las nas mãos de Deus
e abandoná-las a Ele.
Desta maneira pode-se descansar n’Ele
para, depois de verdadeiramente recuperados,
começar o novo dia
como se fosse uma nova vida.»

Santa Teresa Benedicta da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
Edith Stein, ESWerke V, 90.

   

   O Paraíso é dos pequeninos

«V.R. compreende que sou uma criança
e que é próprio dos pequeninos
cair frequentemente,
não é verdade?
Mas, quando caio,
porque sou pequena
posso rapidamente levantar-me
e não faço mais
do que apertar-me sempre mais contra Jesus
dizendo-Lhe o meu amor
e que Ele é tudo para mim.
Como vê, a pequena parece gozar já
um paraíso antecipado,
ignorado por todos.»

Beata Elias de São Clemente.
Carta 44. Ao Padre Elia. Junho de 1924.

   

   A Igreja é Apostólica

«A Igreja de Deus é apostólica:
foi confiada por Jesus Cristo
aos Apóstolos e aos seus sucessores,
que deles recolheram
o fiel testemunho da Redenção,
com a missão de o tornarem
presente e vivificante
até aos últimos confins da terra
e da história:
“Foi-Me dado todo o poder
no Céu e na terra:
Ide, pois, ensinai todas as nações,
baptizando-as em nome do Pai,
do Filho e do Espírito Santo,
ensinando-as a cumprir
tudo quanto vos tenho mandado.
E Eu estarei sempre convosco,
até ao fim do mundo”».

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Fátima, cap. 3

   

   O peso da Cruz…

«O peso da Cruz,
que Cristo carregou,
é a corrupção da natureza humana
com todas as suas consequências
de pecado e sofrimento,
com as quais é castigada a humanidade caída.
Subtrair do mundo essa carga
é o sentido último da Via Sacra.
Regresso da humanidade libertada
ao coração do Pai celeste
e o estado de filhos adoptivos
é um dom gratuito da graça,
do amor omnimisericordioso.»

Teresa Benedicta da Cruz –
Edith Stein, 258

   

   Pai

«Nosso Senhor falou-nos de Deus,
Pai.
Ele mostrou-nos
quão orientado estava para o Pai,
quanto O amava.»

Venerável Pe. Maria-Eugénio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências. 05.06.1966

   

   Amizade Espiritual

«Há quanto tempo não nos vemos,
minha muito amada irmãzinha,
mas, repara,
desde a última vez que nos avistámos
que o meu coração nunca mais te deixou
e que me sinto bem pertinho de ti.
O nosso afecto é tão profundo,
tão elevado acima das coisas terrenas
que me parece que nada pode
ou jamais poderá
separar as nossas duas almas
que Jesus tão intimamente uniu!
Se soubesses como rezo por ti!
Sinto que, pelo teu lado,
também não me esqueces, querida irmãzinha.»

Beata Isabel da Trindade | 1880 – 1906
Carta 42. A Margarida Gollot. 30.03.1901.

   

   Viver em Deus

«Já não vivo senão para Deus só.
Todas as coisas mesquinhas
da vida no mundo
desapareceram.
Agora só vejo o grande,
o eterno,
o infinito.
Antes tudo era para mim desassossego,
perturbação, vazio;
agora tudo é paz,
tranquilidade,
satisfação completa com o meu Deus.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 121

   

   O lusco fusco da fé

«Quem procura a Deus
querendo permanecer no seu gosto e satisfação,
procura-O de noite
e, por isso, não O encontrará.
Quem O procura pelo exercício
e obras das virtudes,
abandonando o leito dos seus gostos e consolações,
procura-O de dia
e, assim, encontrá-l’O-á;
porque, o que não se encontra de noite
aparece de dia. […]
A alma,
pouco tempo depois
de ter abandonado a casa da sua vontade
e o leito do seu próprio gosto,
encontrará logo cá fora
essa Sabedoria divina,
que é o Filho de Deus,
seu Esposo.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual. 3, 3

   

   Grava a Tua Imagem

«Grava a tua IMAGEM na minha memória,
Grava a tua VERDADE no meu entendimento.
Grava a tua BENÇÃO nos meus lábios,
Grava o teu AM0R no meu coração.
Grava no meu interior a tua FORMOSURA.
Grava em mim a tua IMAGEM.»

Santo Henrique de Ossó | 1840 - 1896
Orações

   

   Fazer a vontade de Jesus

«É doce ouvir falar de Jesus,
mas mais doce é ouvir o próprio Jesus.
É doce pensar em Jesus,
mas é mais doce possui-Lo…
É doce pôr-se à escuta de Jesus,
mas mais doce é fazer a Sua vontade.»

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevações Espirituais. 7.

   

   O sacrifício: horizontes de graça.

«O sacrifício,
abraçado generosamente
e sem retrocesso,
dará à alma
um fruto centuplicado!»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Cartas III. 9.

   

   Misericórdia infinita

«Como pequenos peixinhos no oceano
continuamente nadamos
no mar
da infinita misericórdia
do Senhor.»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinário. P. Ildefonso. 55

   

   Fazer a vontade de Deus

«Perdoai-me, eu sofro;
esta ferida que tenho do lado faz-me sofrer,
mas o meu espírito está contente.
– Mas, meu Irmão,
se Deus quisesse que vós sofrêsseis essas dores
pelo espaço de dez anos,
ficaríeis satisfeito?
- Ficaria, não somente por esse espaço de tempo,
mas de Deus quisesse,
que eu padecesse até ao dia do juízo,
eu consentiria de boamente;
e esperaria ainda,
que Ele me fizesse a graça
de eu estar sempre contente.»

Frei Lourenço da Ressurreição | 1614 – 1691
A prática da presença de Deus. V, 3

   

   A paz que só Jesus dá

«Na manhã de 11 de Fevereiro
a minha alma estava imersa num oceano de paz,
daquela paz de que só Jesus
sabe fazer dom às almas.»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 75. Ao Padre Elias. 4 de Março de 1925.

   

   O Retiro de Quaresma

«Meu Papá querido,
Antes de me recolher
no santo retiro de Quaresma,
preciso de te agradecer mais uma vez…
O bom Deus, que conhece o teu coração,
possa recompensar-te
e satisfazer dignamente
todos os teus anseios.»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 70. A Giuseppe Fracasso, seu pai. Fevereiro de 1925.

   

   O caminho é a Cruz

«Nenhuma alegria materna
se pode comparar à felicidade da alma
capaz de acender a luz da graça
na noite do pecado.
O caminho é a Cruz.
Sob a Cruz a Virgem das Virgens
converteu-se na Mãe da Graça.»

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
Elevação da Cruz

   

   Adora a Cruz do Senhor

«Começa a olhar,
a contemplar e meditar
em Jesus Crucificado,
o Seu corpo moral que é a Igreja
chagada pelas heresias, erros e pecados
e, como fruto desta meditação,
olha bem o que te vou dizer.
Rendida ao pé da cruz, adora-a;
oferece-te, dá-te e entrega-te toda a Ele,
para que em ti, por ti e contigo,
faça o que lhe agrade».

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 39, 7

   

   A Eucaristia

«A Eucaristia, com efeito,
é o Pão do Céu,
a fonte de vida,
de unidade
e de caridade para a Igreja inteira.»

Venerável Pe. Maria-Eugénio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências. 07.04.1966

   

   Agradecer a Cruz

«O sinal pelo qual reconhecemos
que Deus está em nós
e que o Seu amor nos possui,
é o de receber não só com paciência,
mas com reconhecimento,
o que nos fere e faz sofrer.
Para chegar aí,
é preciso contemplar o Deus crucificado por amor,
e esta contemplação, se for verdadeira,
conduz infalivelmente ao amor do sofrimento.
É como tal que se agrada a Deus
e se avança nos caminhos do amor.»

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 314

   

   Amo o Pai

«“Porque amo meu Pai,
faço sempre o que Lhe compraz .”
Assim falava o santo Mestre,
e toda a alma que queira viver em contacto com Ele
deve também viver esta máxima.
O belo prazer divino deve constituir o seu alimento,
como pão quotidiano
e deve deixar-se imolar por todos os desígnios do Pai
à imagem do seu Cristo adorado.»

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
O Céu na terra, 10

   

   À sombra do Crucificado

«Devo comtemplar na minha alma Jesus crucificado.
Imitá-lo-ei
e receberei aos pés da cruz
o Sangue do meu Jesus
que abrigarei no meu coração
e que devo comunicar às almas dos que me são próximos,
para que também eles
se purifiquem pelo Sangue de Cristo.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Diário, 20

   

   A verdade

«O mais vulgar é dizerem que sois umas santas,
com palavras tão encarecidas
que parece que os ensina o demónio.
E assim deve ser às vezes,
porque, se as dissessem na ausência, passaria;
mas na presença,
que fruto pode trazer, a não ser dano,
se não andardes com muito aviso?
Por amor de Deus vos peço,
que nunca vos apazigueis com estas palavras,
que pouco a pouco vos poderiam fazer dano
e fazer-vos crer que dizem verdade,
ou pensar que já está tudo feito e que tendes trabalhado.
Nunca deixeis passar palavra desta
sem moverdes guerra a vós mesmas em vosso interior,
pois isto com facilidade se faz se tiverdes costume.
Lembrai-vos o que o mundo fez a Cristo Nosso Senhor
e que exaltado O tivera no dia de Ramos.
Vede a estima em que tinham a S. João Baptista,
que o queriam ter pelo Messias,
e como de pronto e porquê o degolaram.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Conceitos do Amor de Deus. 2, 13

   

   Vossa sou, para Vós nasci!

«Vossa sou, para Vós nasci,
Que quereis Senhor de mim?

Vossa sou, pois me criastes,
vossa, pois me redimistes,
vossa, pois me sofrestes,
vossa, pois me chamastes,
vossa, porque me esperastes,
vossa, pois não me perdi:
Que quereis, Senhor, de mim?

Que mandais, pois, bom Senhor?
que faça tão vil criado?
que ofício lhe haveis dado
a este escravo pecador?
Eis-me aqui meu doce Amor,
doce Amor, eis-me aqui:
Que quereis Senhor de mim?

Eis aqui meu coração,
eu o ponho em Vossas palmas,
meu corpo, a vida, a alma,
o meu íntimo e afeição;
doce Esposo e redenção,
pois por Vós eu me ofereci:
Que quereis, Senhor, de mim?»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Poema: “Vossa sou, para Vós nasci.”

Hoje celebram-se os 500 anos do Nascimento de Santa Teresa de Jesus

   

   Felizes os que morrem no Senhor!

«“Um abismo clama por outro abismo.”
É aí, no mais profundo,
que se operará o choque divino,
que o abismo do nosso nada,
da nossa miséria,
se encontrará frente a frente
com o Abismo da misericórdia,
da imensidade do tudo de Deus.
É aí que havemos de encontrar a força
de morrermos para nós mesmos
e que, ao perder o nosso próprio rasto,
seremos transformados em amor...
“Bem-aventurados os que morrem no Senhor!”»

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
O Céu na Terra, 4

   

   Desejar o sacrifício

«Quanto mais amamos,
mais necessitamos
e desejamos o sacrifício.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 121

   

   Maria é a figura mais perfeita da Igreja

«Somente Maria, a Mãe de Deus,
foi Virgem e Mãe
e, nestas perfeições,
é Ela somente que nos figura a pureza,
virgindade e maternidade da Igreja.
Esta é virgem porque na sua concepção,
nos seus partos, age o Espírito Santo;
é mãe fecunda pois conta como filhos
todos os destinados à glória.
Maria não é só o tipo e a figura mais perfeita possível da Igreja
para quem se consocia com ela.
É também a mais poderosa medianeira
neste enlace sagrado entre a Igreja
e o seu Esposo.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Minhas Vivências com a Igreja. pag 882. Maria Tipo da Igreja.

   

   Vem entregar-Te!

«Meu Senhor e Esposo,
o que de Ti andas a dar à minha alma aos poucos,
entrega-o todo de uma vez;
o que andas a mostrar
como que às escondidas,
acaba de o mostrar claramente;
o que andas a comunicar por mediadores,
que é uma comunicação simulada,
acaba por fazê-lo a sério,
comunicando-Te directamente.
Às vezes, nas Tuas visitas,
até parece que vais entregar a jóia da Tua posse,
mas, quando a minha alma se quer precatar,
vê-se sem ela, porque lha retiras;
isto é fingir que se dá.»

   

   A oração do Sacerdote

«Sou filha da Igreja.
Oh! Quanto alegria me dão
as orações do sacerdote!
No sacerdote não vejo senão Deus.
Não procuro a ciência do sacerdote,
mas a virtude de Deus nele…»

Beata Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevações Espirituais, 18

   

   Unir-me ao Coração de Jesus

«Quando sentir alguma aflição,
pena ou mortificação,
diga a si mesmo:
“Toma isto que te envia o Sagrado Coração de Jesus
para te unir a Ele”,
e procura sobretudo
conservar a paz do coração,
mais preciosa
que todos os tesouros imagináveis.»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Bilhetes à Irmã Teresa Crucificada de Jesus, 11

   

   Conheceu a morte e sorriu-lhe

Para o médico:
«Ai! Meu senhor,
os vossos remédios deram resultado demais em mim;
assim retardais a minha felicidade!»

«Adeus;
espero da Sua Misericórdia
a graça de O ver dentro de poucos dias.»

Frei Lourenço da Ressurreição | 1614 - 1691
A prática da presença de Deus. VI, 2 e 3

   

   A ciência do Amor

«A ciência do Amor!
Ah, sim! Esta palavra ressoa docemente
ao ouvido da minha alma.
Não desejo senão essa ciência.
Perante ela, tendo dado todas as minhas riquezas,
penso, como a esposa do Cântico dos Cânticos,
nada ter dado...
Compreendo perfeitamente que não há nada
que nos possa tornar agradáveis a Deus
senão o amor;
e este amor
é o único bem que ambiciono.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito B; 1rº

   

   S. José

«Disse-me [Nossa Senhora]
que Lhe dava muito gosto
que eu fosse devota do glorioso S. José;
que tivesse por certo que,
o que eu pretendia do mosteiro,
se havia de fazer
e nele se serviria muito o Senhor e a eles ambos;
que não temesse que nisto houvesse jamais quebra,
porque Eles nos guardariam
e já Seu Filho nos tinha prometido andar connosco.
Para sinal de que isto se cumpriria
dava-me aquela jóia.
Pareceu-me então que me tinha deitado ao pescoço
um colar de ouro muito formoso
e preso a ele uma cruz de muito valor.
Este ouro e pedras são tão diferentes das de cá,
que não têm comparação.
Sua formosura excede a tudo
o que podemos aqui imaginar,
pois o entendimento não alcança compreender
de que era a roupa,
nem como imaginar a alvura.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Livro da Vida. 33, 14

   

   A cruz leva-se conTigo, Senhor!

«Muitos são aqueles que ouvem a voz do Senhor
e se encaminham para ela,
mas nem todos têm a força
para a seguir até ao fim,
porque Jesus celebra as núpcias com a alma
sobre a Cruz,
e à cruz não se chega
senão percorrendo o caminho do Calvário.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Escritos vários, pg. 64

   

   Senhor, dissestes-nos que pedíssemos!

«Ó Senhor meu!
Como ousa pedir-Vos mercês
Quem tão mal Vos tem servido
E não tem sabido guardar o que lhe tendes dado?

Que se pode confiar
De quem muitas vezes tem sido traidor?

Pois, que farei, Consolo dos desconsolados
E remédio de quem se quer remediar convosco?

Será porventura melhor calar-me
Com as minhas necessidades,
Esperando que Vós as remedieis?

Não, por certo;
Que Vós Senhor meu e deleite meu,
Sabendo as muitas que haviam de ser
E o alívio que é para nós o contar-vo-las,
Dissestes que vo-las peçamos
Que não deixareis de dar.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Exclamações V, 1

   

   O sorriso de Deus

«Oh! Quanto quereria derramar no teu coração
a minha felicidade,
mas não é necessário:
como conheces bem a tua Elias,
compreenderás também o canto
de ininterrupta gratidão
que eleva ao Seu Deus:
e depois, mamã,
cantá-lo-emos juntas nas fogueiras dos céus
e a recompensa será
gozar eternamente o sorriso do bom Deus»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 64, a Pasqua Cianci, sua Mãe, Janeiro de 1925

   

   Os olhos do espírito abertos

«A expiação voluntária
é o que nos une mais profundamente
e de um modo real e autentico
com o Senhor.
E essa
nasce de uma união já existente com Cristo…
Só pode aspirar à expiação
quem tem abertos os olhos do espírito
ao sentido sobrenatural dos acontecimentos do mundo;
isto é possível
apenas nos homens em que habita o Espírito de Cristo,
que como membros da Cabeça
encontram n’Ele a vida, a força,
o sentido e a direcção.»

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
Obras 259

   

   Como um farol…

«Nós caminhamos sobre esta terra,
estamos em peregrinação,
fazemos parte deste povo de Deus
que caminha nesta terra,
no deserto,
no meio das dificuldades
e que marcha para a sua Pátria,
para o Reino de Deus.»

Venerável Pe. Maria-Eugénio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências, 13.03.1966

   

   Presença de Deus

«Dar-nos conta da presença de Deus:
é pensar que Deus e o nosso Anjo da Guarda
estão junto de nós
e vêem o que fazemos
e as intenções com que operamos.»

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Fátima, cap. 8

   

   Voltar o pensamento para as coisas de Deus

Lembras-te daquela vontade
que Ele exprime tão formalmente
no dia da criação:
“Façamos o homem à nossa imagem e semelhança”?
Oh! Vê tu,
se pensássemos mais nas origens da nossa alma,
as coisas daqui de baixo parecer-nos-iam tão pueris
que não teríamos senão desprezo por elas...
São Pedro escreve numa das suas epístolas
“que fomos feitos participantes da natureza divina”,
e São Paulo recomenda que
“conservemos até ao fim este princípio do seu Ser,
que Ele nos deu”.

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
A Grandeza da nossa vocação, 3

   

   A humildade de Jesus-Eucaristia

«Que pobre,
que apagado me parece o culto
que tributamos ao nosso Deus sacramentado!
Que pouco respeito temos
por Aquele perante O qual
os serafins se cobrem e se aniquilam!
E Ele suporta tudo em silêncio.
Mantém-Se sem esplendor,
oculto sob o pão,
para viver no meio das Suas criaturas.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 115

   

   Aquele a Quem mais quero.

«“Aquele a Quem mais quero.”
Isto é, [Aquele a Quem mais quero]
acima de todas as coisas.
Isto é verdade
sempre que a alma não se amedronta
diante do que lhe aparece pela frente
para fazer e padecer por Ele
qualquer coisa em Seu serviço.
E quando a alma também pode dizer com franqueza
o que diz aqui o verso seguinte,
é sinal de que O ama acima de todas as coisas.
Eis o verso:
“Dizei que sofro, peno e a morte espero.”»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual. 2, 5

   

   Jesus é o meu amor.

«Jesus é o meu amor
e a minha alegria;
a sua cruz é o meu prazer
e a minha paz.
O meu coração arde dia e noite
com o desejo de possuir
o Deus de amor.»

Beata Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevações Espirituais, 57

   

   Jesus veio trazer o fogo à terra.

«Jesus veio para trazer o fogo à terra.
Apresenta-Lhe o teu coração
para que o acenda
e para que as suas faúlhas
cheguem a todos os corações.
Se queres isto,
recorda-te que não deve faltar também
o teu sacrifício.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novene, Pensiere, Poesie. 43

   

   Elevar o coração a Deus

«Fixar os olhos no coração
e elevar o coração a Deus.»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinário. 27

   

   Como se deve adorar a Deus em espírito e verdade

«Adorar Deus em verdade,
é reconhecê-Lo pelo que é,
e reconhecermo-nos pelo que somos;
adorar a Deus em verdade
é reconhecer verdadeiramente,
actualmente e em espírito,
que Deus é o que é,
quer dizer, infinitamente perfeito,
infinitamente adorável,
infinitamente distante do mal
e assim com todos os atributos divinos;
qual será o homem, por pouco sensato que seja,
que não empregue todos os seus esforços
para prestar toda a reverência e adorações
a esta grandeza de Deus?»

Frei Lourenço da Ressurreição | 1614 – 1691
A Prática da Presença de Deus. IX, 2

   

   Amor a Deus e ao próximo

«Quanto mais perfeita for a caridade,
mais intimamente está o coração unido
com a sua Amada [Igreja];
e, mesmo crescendo a caridade
até ao infinito neste mundo,
esta união não pode consumar-se
senão na glória,
porque nesta vida há sempre perigos
e possibilidade de se romperem
estes sagrados laços.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
MR. Vedrá 11 de Maio de 1865, pag. 816.

   

   Só desejo agradar a Jesus!

«”Instruístes-me desde a minha juventude,
e até ao presente anunciei as vossas maravilhas.
Continuarei a publicá-las até à minha mais avançada idade”.
Qual será para mim essa idade avançada?
Acho que podia ser já,
porque aos olhos do Senhor, 2.000 anos são como 20...,
como um só dia...
Ah! não penseis, caríssima Madre,
que a vossa filha deseja deixar-vos...
Não julgueis que ela considera maior graça
morrer na aurora do que ao declinar o dia.
O que ela aprecia,
o que ela unicamente deseja,
é agradar a Jesus...»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito C, 2rº-3vº

   

   Agradecer o sofrimento

«Não me chega a vida inteira
para Te agradecer, ó Jesus,
os sofrimentos que me deste,
e eu sinto que
não sou eu que sofro,
mas és Tu que sofres em mim.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Diário I, p. 67

   

   Na vida passamos trabalhos

«É longa a vida,
e nela passamos muitos trabalhos,
temos necessidade de olhar
para o nosso desventurado Cristo,
ver como os passou,
para [nós] os levar[mos] com perfeição.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Moradas VII 7, 6

   

   Jesus manifesta-se

«Meu bom Padre,
abandonemos tudo em Deus!
Só Ele lhe poderá fazer compreender...
por mim sou incapaz…
sou demasiado nada…
para exprimir coisas que eu própria compreendo
de uma maneira que não é como quando se fala…
são sentimentos íntimos,
direi quase incompreensíveis…
mas compreende-se que é Jesus
que se manifesta à alma.
Que bondade Divina!!»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 69, ao Padre Elias. 18-02-1925

   

   O gozo da vitória da luz

«A visão do mundo em que vivemos,
a necessidade,
a miséria e o abismo da maldade humana
servem para atenuar sempre de novo
o gozo da vitória da luz.
A humanidade luta ainda no barro
e é pequeno o rebanho
que conseguiu pôr-se a salvo
nos mais altos cumes do monte.
A batalha entre Cristo
e o Anti Cristo não diminuiu.
Nesta batalha os seguidores de Cristo
têm o seu lugar.
E a sua arma principal é a Cruz…»

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
Edith Stein, Obras 257-258.

   

   Aquele que ama

«Aquele que ama,
sacrifica-se pela pessoa amada.
Foi o que Jesus Cristo fez por nós:
sacrificou-Se
e entregou-Se à morte
para nos dar a vida.»

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Fátima, cap. 6

   

   Faça-se a luz!

«Toda a gestação,
toda a obra divina profunda,
faz-se no caos,
na obscuridade da fé.»

Venerável Pe. Maria-Eugénio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências, 08.05.1966

   

   Renunciar a mim mesmo e seguir-Te

«Esta doutrina de morrer para si mesmo,
que entretanto constitui a lei
de toda a alma cristã,
desde que Cristo disse:
“Se alguém quiser vir após mim
que tome a sua cruz e renuncie a si próprio”,
esta doutrina,
apesar de parecer tão austera,
é duma suavidade deliciosa,
quando se olha para o termo desta morte,
que é a vida de Deus,
colocada em vez da nossa vida
de pecado e de misérias.
É o que São Paulo queria dizer,
quando escrevia:
“Despojai-vos do homem velho
e revesti-vos do novo,
segundo a imagem d’Aquele que o criou.”
Esta imagem é o próprio Deus.»

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
A Grandeza da nossa vocação, 3

   

   Jesus está comigo!

«Quando sofreres,
quando te sentires só…
o pensamento de que Jesus está contigo,
vendo-te sofrer,
te consolará.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 118

   

   Esperar é amar

«Também S. Gabriel disse a Zacarias
que não tivesse medo,
porque Deus ouviu a sua oração
que durante muitos anos fez
a pedir-lhe um filho,
embora sempre o tivesse escutado.
Portanto,
qualquer alma há-de compreender que,
embora Deus não atenda logo a sua necessidade ou pedido,
nem por isso, Aquele que, como diz David,
é refúgio nos momentos de tribulação,
deixará de a socorrer no tempo oportuno,
se não desanimar nem deixar de pedir.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual 2, 4

   

   Protege-me no Teu seio de amor

«Senhor,
protege-me sempre com o Teu amor,
como a criança no seio
está protegida pelas vísceras da sua mãe.
Aí ele não tem necessidade de nada,
nem para comer,
nem para beber;
está protegido de qualquer perigo;
com a sua mãe tem tudo…
E eu também, Senhor,
se me proteges com o Teu amor,
não me faltará nada.
Não desejo mais nada do que ser Tua;
não quero nunca sair de Ti…
E tal como a criança de torna frágil e mesquinha
quando sai do seio da sua mãe,
também eu seria infeliz
se saísse de Ti.
Protege-me, Senhor, no Teu seio;
protege-me nas vísceras do Teu amor…»

Beata Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevações Espirituais. 4

   

   O Senhor é meu Pastor, nada me falta!

«Se a tribulação não te falta,
abraça-a!
Mas espera e aguarda com paciência
o divino socorro,
que não faltará!»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 33

   

   Começar vida nova

«Desejo ardentemente
começar uma vida nova.
Vós, Senhor,
que me destes ajuda
para conhecer aquilo que devo fazer,
dá-me ajuda
para o pôr em prática:
é isto que espero
da Vossa divina misericórdia.»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Escritos Vários, 7

   

   Crer na palavra

«Crer na palavra
é usar o ouvido da alma
e estar atento,
escutá-la em silêncio.
Sempre que a alma acredite
na palavra de Deus revelada,
escuta-a
e se a escuta
também a ouve,
se a ouve
também a compreende.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Minhas Vivências com a Igreja,
4 Gruta da Santa Cruz-1864 Imaculada, 9

   

   Renascer das próprias cinzas

«Espantava-me depois,
como, em vindo este fogo de verdadeiro amor de Deus,
que dir-se-ia vir do alto –
pois por mais que eu queira e procure e me desfaça por ele,
a não ser quando Sua Majestade o quer dar,
como de outras vezes já tenho dito,
nada sou nem posso para conseguir sequer uma centelha
–, parece que consome o homem velho nas suas faltas,
tibiezas e miséria.
E, à maneira do que sucede à ave fénix, que
– segundo tenho lido –,
depois que se queima renasce das próprias cinzas,
assim a alma fica depois outra,
com desejos diferentes e grande fortaleza.
Não parece ser a mesma de antes;
mas começa, com pureza nova,
o caminho do Senhor.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Livro da Vida. 39, 23

   

   Como a Mãe das Dores

«É passando
pelo Coração trespassado da Mãe das Dores
que venho até ti
e peço-lhe para derramar na tua alma
a serenidade, a paz e a força
que A acompanharam sempre
durante o seu cruel martírio.»

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 312

   

   Seguir-Te até ao fim…

«Muitos são aqueles
que sentem a voz do Senhor
e vão atrás dela,
mas nem todos têm a força
de a seguir até ao fim,
porque Jesus celebra as Suas núpcias com a alma
sobre a Cruz,
e à Cruz não se chega,
senão percorrendo o caminho do Calvário.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Scritti vari, p.64

   

   O mandamento novo: não por palavras, mas por obras!

«Deus é caridade:
sê tu o reflexo de Deus.
O Amor não está inactivo,
quer sempre dar ao Amado,
quer imolar tudo.
Por amor do teu Deus
procura crescer no amor
vivendo de generosidade para com Ele.
Para Lhe provares o amor,
ama o próximo, mais do que a ti mesma,
não por palavras,
mas compadecendo-te, suportando, ajudando.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novene, Pensieri e Poesie, 59

   

   A glória alcança-se na autenticidade e discrição

«O bom Deus fazia-me sentir
que a verdadeira glória
é a que há-de durar eternamente,
e que para lá chegar
não é preciso fazer actos heróicos,
mas esconder-se e praticar a virtude.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito A, 32rº

   

   O amor é sempre crucificado.

«Crê filha, que a quem o meu Pai mais ama,
dá maiores trabalhos,
e a estes corresponde o amor.
Em que te posso melhor mostrar [o meu amor]
do que em querer para ti o mesmo que quis para Mim?
Vê estas chagas;
e olha que nunca chegarão aqui as tuas dores.
Este é o caminho da verdade.
Assim Me ajudarás a [evitar a] perdição dos que vivem no mundo,
entendendo tu que todos os seus desejos, cuidados e pensamentos
se empregam em como hão-de conseguir o contrário.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Relação 36

   

   A oração é fonte de toda a força!

«Para encontrar remédio contra todos estes males,
não há outro caminho senão aquele
que todas as coisas nos ensinam:
para quem, por comer demasiado, ficou doente,
o jejum é para este medicina;
para quem peca com a língua,
o silêncio o repara;
quem por sair de casa o seu pai,
como o filho pródigo,
chega a comer comida de animais,
voltando a arrepender-se
será sentado à mesa do seu pai como filho;
quem por se ausentar da oração perdeu as forças,
forçoso é que para as voltar as ter,
volte ambém a procurar o caminho [da oração]
que deixou.»

Madre Maria de S. José | 1548 - 1603
Avisos para o governo das Religiosas, cap. IV

   

   Hossana!

«Lembrai-vos o que o mundo deparou a Cristo Nosso Senhor
e que exaltado O tivera no dia de Ramos.
Vede a estima em que tinham a S. João Baptista,
que o queriam ter pelo Messias,
e como de pronto e porquê o degolaram.
Jamais o mundo exalta senão para rebaixar,
se são filhos de Deus os exaltados.
Eu tenho basta experiência disto.
Costumava eu afligir-me muito de ver tanta cegueira nestes louvores,
e já me rio, como se visse falar um louco.
Lembrai-vos de vossos pecados e,
posto que nalguma coisa vos digam verdade,
adverti que não é vosso e que estais obrigadas a servir mais.»

   

   Pôr-me nas Suas mãos…

«Quem O procura,
lhe abre a Sua alma
e a põe nas Suas mãos para que a forme,
a este Ele dá a forma.
Ele abre os olhos do espírito
para que compreendam claramente o que está escrito,
e os ouvidos para que escutem,
e os lábios para que possam proclamar quando, onde e como
é frutífero que suceda…
Ele põe a Sua mão sobre nós
quando nos aproximamos Dele,
mais ainda se participamos no Santo Sacrifício,
quer dizer,
quando não só estamos presentes, vemos e ouvimos,
mas quando nos con-sacrificamos com Ele.»

Santa Teresa Benedita da Cruz | 1891 - 1942
Edith Stein, Werke XII, 100-101

   

   Na terra deserta brota a água da Vida

«Parece que o Bom Mestre
colocou a minha alma numa terra deserta,
longe de qualquer olhar,
e naquela suave solidão
quantos mistérios não revela à minha alma?...
Há três pontos que me absorvem numa profunda meditação,
como se fosse um quadro
que o bom Jesus tivesse posto sob o meu olhar
onde eu pudesse considerá-lo profundamente:
- brevidade da vida, que isto infelizmente sente-se;
- fugacidade das criaturas;
- sede ardente de Deus…»

   

   A minha única alegria!

«É unicamente o pensamento
de ter realizado a vontade do Senhor
que faz toda a minha alegria.»

Venerável Pe. Maria-Eugénio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Carta 258

   

   Viver em “sociedade” conTigo!

«Ah, se tu soubesses
como é doce viver em «sociedade» com Ele,
segundo a expressão do mesmo santo [S. João da Cruz],
tu não poderias abandonar essa divina companhia,
pois Ele está perto de ti.
Ele ficaria tão contente
se quisesses fazer dele um Amigo,
um Confidente;
quanto mais se vive
com este Hóspede divino, mãezinha,
mais se é feliz,
mais força se tem para ir ao sacrifício.»

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 265

   

   A minha força!

«”No silêncio encontrareis a vossa força.”
Parece-me pois que,
guardar a sua força para o Senhor,
é realizar a unidade em todo o seu ser
pelo silêncio interior,
é reunir todas as suas potências
para as “ocupar” “no exclusivo exercício, do amor”;
é ter esse “olho simples”
que permite à luz de Deus iluminar-nos.
Uma alma que discute com o seu eu,
que se ocupa com as suas sensibilidades,
que persegue um inútil pensamento,
um qualquer desejo,
esta alma dispersa as suas forças
e não está inteiramente ordenada a Deus:
a sua lira não vibra em uníssono
e o Mestre, quando a toca,
não pode tirar dela harmonias divinas,
pois há demasiado de humano
e é uma dissonância.»

Beata Isabel da Trindade | 1880 – 1906
Último Retiro 3

   

   Em Comunhão com o Corpo de Cristo

«Mereçamos nós todos amar-Vos, Senhor;
já que se tem que viver,
viva-se para Vós!
Acabem-se já os nossos desejos e interesses:
que maior coisa se pode ganhar
de que contentar-Vos a Vós?»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Exclamações 15,3

   

   Só Jesus é belo!

«Só Jesus é belo,
só Ele pode alegrar-me.
Chamo-O,
choro por Ele,
procuro-O dentro da minha alma…
Quero ser sedenta de amor,
para que outras almas possuam este amor.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Diário e Cartas, p.373

   

   «E num só de meus olhos Te chagaste»

«É tão apertado o amor
com que o Esposo Se enamora da esposa
na fidelidade pura que vê nela,
que se antes ficava preso num cabelo do amor dela,
agora, preso num só olho da sua fé
por um laço tão apertado,
chaga-O de amor
por causa da grande ternura de afeto
com que se afeiçoou a ela,
metendo-a ainda mais no Seu amor.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual 31, 8

   

   Foi para amar-Te que nasci!

«Meu Deus,
quem não saboreou nesta pobre vida o Teu amor,
o que é que saboreou?
Quem não emergiu o seu coração
nas chamas do Teu amor,
onde o teve?
O nosso coração
tem necessidade de Te amar,
ó Bem imenso!»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Il Canto Sulla Montagna, IV

   

   Viver conTigo

«A união actual [da alma com Deus]
é mais perfeita e,
apesar de ser toda espiritual,
faz sentir a sua acção,
porque a alma nela não está adormecida como noutras uniões,
mas é estimulada poderosamente,
e a sua operação é mais viva do que a do fogo,
mais luminosa do que um sol
que nuvem alguma obscurece.»

   

   Viagem ao interior

«A obra grande de Deus no homem
lavra-se no interior.
A ordem, que aparece e se manifesta fora,
é obra e efeito da ordem interior.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 38, 2

   

   O santo exercício de orar

«Neste santo exercício de orar
entra tudo que é afeto e piedade
dos nossos corações para com Deus:
que é leite dos que começam,
manjar para os que avançam [neste caminho],
porto para os que pelejam,
coroa dos que triunfam,
medicina para os enfermos,
alegria para os tristes,
fortaleza dos fracos,
remédio dos pecadores,
alegria dos justos,
ajuda para os vivos
,sufrágio para os mortos,
e socorro geral para toda a Igreja,
porta real para entrar no Coração de Deus.»

Madre Maria de S. José | 1548 – 1603
Avisos para el Gobierno de las Religiosas, Cap. IV, p.129

   

   Amar-Te apenas a Ti!

«Até agora eu tinha sofrido sem amar o sofrimento;
depois desse dia [o da sua conversão]
eu sentia pelo sofrimento um verdadeiro amor.
Sentia também o desejo
de não amar senão o bom Deus,
de não encontrar alegria em nada mais, senão n’Ele.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 – 1897
Manuscrito A, 36rº

   

   Busco o caminho da liberdade

«É tanta a Sua misericórdia e bondade
que, mesmo estando nós em nossos passatempos,
negócios e contentos…
tem em tanto este Senhor nosso que O queiramos
e busquemos a Sua companhia,
que uma e outra vez, não deixa de nos chamar
para que nos acerquemos d’Ele.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Moradas II 1,2

   

   Amar com os olhos postos em Ti, Senhor!

«Amar sem medida quer dizer:
sacrificar-se sem lamentos,
dar sem recompensas,
perdoar sem rancores,
ajudar sem cansaço.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Autobiografia, p. 369

   

   Aplanou-nos o caminho

«No mundo,
onde tudo é ilusório,
só Deus permanece imutável
e é Ele mesmo
que prova os Seus amigos aqui na terra com a cruz,
aquela cruz que para nosso exemplo Ele abraçou
e [com a qual] subiu o Golgotá,
aplanando-nos o caminho que leva ao Céu.»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 27

   

   A Cruz e fé no Crucificado…

«Tal é a fé no Crucificado,
a fé viva
que vai unida a um abandono amoroso
e constitui para nós
a entrada na vida.»

Santa Teresa Benedita da Cruz | 1891 - 1942
Ciência da Cruz, 21


   

   Caminho sobre um único ponto: a vontade de Deus!

«Sinto-me bem a sós com Deus,
no íntimo da minha alma,
n’Ele encontro tudo […]
Gosto de senti-Lo,
mas ainda que O não sinta,
sei que sou uma gotinha de água perdida n’Ele
e isso me basta.
[…] confio no amor que sei, Deus me tem
e fico certa que não me deixará sair
da senda que me tem traçada.
Abandono-me mais e mais,
a viver a Sua vida em mim
e a desaparecer, no Seu ser Imenso, Infinito e Eterno…
Que Ele me ajude
e faça de mim o que mais Lhe agradar.»

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus | 1907 – 2005
Carta a D. Ernesto de 29-04-1951

   

   Busco-Vos a Vós!

«A virtude do Altíssimo
Te cobrirá com a Sua sombra.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Conceitos do Amor de Deus 5, 2

   

   Amar-Te é dar-Te espaço.

«Quem é o maior no Reino de Deus?
É o mais pequeno,
porque é o mais fraco;
pela sua fraqueza e a sua pobreza
oferece a Jesus o vaso maior
para tudo receber [d’Ele].»

Venerável Pe. Maria-Eugénio do Menino Jesus | 1894 – 1967
Ton Amour a grandi avec moi, p. 49

   

   Lembro-me…

«Lembro-me que a minha Mamã
com a minha tia Joaninha
nos levavam à Missa
e sempre nos explicavam tudo;
e na Missa,
quando chegava à comunhão,
eu “incendiava-me” em desejos
de receber a Nosso Senhor.
Pedia à minha Mãe este favor,
mas graças a Deus [não mo permitia]
por não me encontrar preparada
para este sublime acto.
Lembro-me que a minha Mãe e a minha Tia Joaninha
sentavam-me na mesa
e faziam-me perguntas acerca da Eucaristia.
Eu respondia às suas perguntas;
mas, como me viam tão pequenina,
não me deixavam fazer [a comunhão].»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Diário, 3

   

   Se alguém quer vir após Mim

«Despojar-se,
morrer para si mesmo,
deixar de se ver a si próprio,
parece-me que a isto se referia o Mestre
quando dizia:
“Se alguém quer vir após Mim,
que tome a sua cruz
e renuncie a si próprio.
“Ó alma, minha filha adoptiva,
olha-Me e perder-te-ás de vista;
derrama-te inteiramente no meu Ser,
vem morrer em Mim,
para que Eu viva em ti!...»

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Último Retiro, 24

   

   Que me custe alguma coisa este Cristo

«Sigam a mortificação e a penitência
querendo que lhes custe alguma coisa este Cristo
e não sendo
como os que buscam a sua comodidade e consolação
ou em Deus ou fora d'Ele.»

S. João da Cruz | 1542 – 1591
Carta 15

   

   Loucuras de amor!

«Só por causa de ti,
ainda que fosse para vir uma só vez para ti,
Jesus teria ficado na solidão de um tabernáculo
durante séculos:
medita isto e corresponde-Lhe.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 – 1949
Novenas – Pensamentos – Poesias, 62

   

   S. José, ensina-me a amar tudo o que é puro e belo!

«Não tinha ainda experimentado
que tudo é puro para os puros,
e que a alma simples e reta
não vê mal em nada,
porque, efetivamente,
o mal não existe senão nos corações impuros
e não nos objetos insensíveis...
Pedi também a S. José que velasse por mim.
Desde a infância tinha por ele uma devoção
que se confundia com o meu amor à Santíssima Virgem.
Todos os dias recitava a oração:
“Ó S. José, pai e protetor das virgens!”
E assim, foi sem temor que empreendi a longa viagem.
Ia tão bem protegida,
que me parecia impossível ter medo.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito A, [57rº]

   

   Verdadeira liberdade!

«Estou nas mãos de Deus;
Ele fará de mim o que quiser.»

Frei Lourenço da Ressurreição | 1614 – 1691
A prática da presença de Deus, III, 7

   

   Amar exige as obras do amor

«Tem sempre diante dos olhos
que a perfeição consiste
no cumprimento do mandamento do amor:
“amar a Deus e ao nosso próximo”.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 6

   

   A oração não tem fronteiras

«Durante os passeios que dava com o Papá,
ele gostava de me mandar
dar a esmola aos pobres que encontrávamos.
Um dia vimos um que se arrastava penosamente com muletas;
aproximei-me para lhe dar um soldo,
mas, não se considerando bastante pobre
para receber a esmola, olhou-me, sorrindo tristemente,
e recusou aceitar o que lhe oferecia.
Não consigo exprimir o que se passou no meu coração.
Quisera consolá-lo, aliviá-lo;
em vez disso, julgava tê-lo magoado.
Certamente o pobre doente adivinhou o meu pensamento,
pois vi-o voltar-se e sorrir-me.
O Papá acabava de me comprar um bolo;
tinha muita vontade de lho dar, mas não me atrevi.
Porém, queria dar-lhe qualquer coisa
que ele não me pudesse recusar,
pois sentia por ele uma simpatia muito grande.»

   

   Ama sem medida!

«Amar sem medida quer dizer:
sacrificar-se sem lamentos,
dar sem recompensa,
perdoar sem rancor,
ajudar sem olhar ao descanso».

Beata Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Autobiografia, p. 639

   

   Forja em mim uma consciência humilde

«Não está o amor de Deus em ter lágrimas,
nem em gostos e ternuras,
mas sim em servi-Lo
com justiça e fortaleza de animo
e humildade.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Vida 11, 14

   

   União com Deus

«Quero passar o exílio
no esquecimento de mim própria,
cobrindo a minha cruz de flores humildes,
longe dos olhares e aplausos humanos,
quero consumir-me
à sombra do meu Senhor…»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 – 1927
Pensamentos, Caderno 25

   

   Não és apenas tu…

«Não és apenas tu quem comete muitas faltas:
todos as cometemos.
Mas o Senhor é paciente e rico em misericórdia.
Na Sua Providência
também pode tirar proveito das nossas faltas,
se as colocamos diante do altar.
“Tu Senhor, não desprezas,
um coração humilhado e contrito” (Salmo 50).
Este é um dos meus versículos preferidos.»

Santa Teresa Benedita da Cruz | 1891 – 1942
Cartas 114-115

   

   Senhor, faz-me semelhante a Ti!

«Amar-Te é o meu sonho,
ser por Ti amada o meu ideal,
por isso procuro cativar-Te,
atrair-Te, buscar-Te,
dentro e fora de mim […]
Tu me atrais, me cativas,
és tudo para mim.
É o Teu amor que me leva,
qual brisa suave,
a entregar-me a Ti,
nessa comunhão de cada dia.
Tu me tomas para Ti
enquanto que Te entregas a mim,
Hóstia branca, suave,
oferecida ao Pai conTigo
– Hóstia de amor.»

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus | 1907 - 2005
O meu Caminho

   

   Jesus padeceu por nós

«Cristo padeceu
por causa da miséria que tomou sobre Si.
Ao vir à terra,
carrega o pecado da humanidade
sobre a Sua própria Humanidade
e sofre as consequências desse pecado.
Por esta razão, a Paixão de Cristo
começa desde o primeiro momento da Sua existência.
Estabelece-se n’Ele desde o primeiro instante
uma oposição dolorosa entre esse pecado,
que não é o Seu, mas o nosso,
e a Sua Divindade, a Sua santidade.
E esta situação fá-l’O imediatamente uma Vítima.
Esse é o sofrimento de Cristo,
o sofrimento da Paixão,
ao qual se refere a carta aos Hebreus quando diz que
“Cristo aprendeu a obediência no sofrimento”.»

Venerável Pe. Maria-Eugénio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Movidos pelo Espírito

   

   Subir a Via dolorosa

«A alma que quer servir a Deus
noite e dia no seu templo
deve estar resolvida a comungar efectivamente
na paixão do Seu Mestre…
Esta alma avança pelo caminho do Calvário
à direita do Seu Rei crucificado,
aniquilado, humilhado e, apesar disso,
sempre tão forte, tão calmo, tão cheio de majestade,
dirigindo-Se à Sua paixão…
Ele quer associar a sua esposa à sua obra de redenção,
e essa via dolorosa, por onde passa,
aparece-lhe como o caminho da Beatitude:
não só porque a ela conduz,
mas ainda porque o Mestre lhe fez compreender
que deve ultrapassar o que há de amargo no sofrimento
para, como Ele, aí encontrar o seu repouso.»

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Último Retiro, 13

   

   Aprender no sofrimento

«A história da minha alma resume-se em duas palavras:
“sofrer e amar”.
Está aqui toda a minha vida
desde que tenho consciência,
quero dizer, depois dos seis anos ou antes.
Eu sofria,
mas o bom Jesus ensinou-me a sofrer em silêncio
e a desafogar n’Ele o meu pobre coraçãozito.
A Madre está a compreender
que o caminho que Jesus me mostrou desde pequena,
foi o mesmo que Ele percorreu e amou;
e como Ele me amava,
escolheu o sofrimento
para alimentar a minha pobre alma.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Diário, 1

   

   Sois digno de todo o meu carinho!

«Se o meu carinho, Senhor,
te neguei ou te dei dividido,
ei-lo aqui inteiro.»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 – 1770
“Se as ásperas cadeias das minhas culpas
me avassalam”

   

   Desprender-me de mim

«Ter mais olhos para os bens de Deus
do que para o próprio Deus
é um grande erro.
Oração e desprendimento.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Pontos de Amor, 59

   

   Sem Ti, Senhor, não passo de pó e cinza!

«Não quero mundo nem coisa dele,
nem me parece algo me contente afora de Vós;
tudo o mais é para mim pesada cruz.
Bem me posso enganar
e nada ter disto que digo,
mas bem vedes, meu Senhor,
que, segundo posso entender,
não minto.
E estou tremendo – e com muita razão –
que me torneis a deixar.
Já sei até que ponto chega a minha fortaleza
e pouca virtude
quando não ma estais sempre a dar e a ajudar
para que Vos não deixe.»

   

   Julho: mês de “Maio” Carmelita!

texto?

   

   Rainha dos Mártires

«Esta Rainha das virgens
é também Rainha dos mártires;
mas é em seu coração que a espada a trespassou,
porque nela tudo se passa no interior…
Oh, como é bela de contemplar durante o seu longo martírio,
tão serena, envolvida numa espécie de majestade
que inspira, ao mesmo tempo, força e doçura.»

Beata Isabel da Trindade, Último Retiro, 41

   

   “Tenho sede!”

«Contemplando uma estampa de Nosso Senhor na Cruz,
fiquei impressionada com o Sangue que caía
de uma das suas mãos divinas.
Senti uma enorme pena,
ao pensar que esse Sangue caía na terra,
sem que ninguém se apressasse a recolhê-lo,
e resolvi manter-me em espírito ao pé da Cruz
para receber o Divino orvalho que dela escorria,
compreendendo que seria necessário
espalhá-lo sobre as almas...
O grito de Jesus na cruz: “Tenho sede!”
ressoava também continuamente no meu coração.
Estas palavras acendiam em mim
um ardor desconhecido e muito vivo...
Queria dar de beber ao meu Bem-Amado,
e sentia-me eu mesma devorada pela sede de almas...
Ardia no desejo de as arrancar às chamas eternas...»

Santa Teresa do Menino Jesus, Manuscrito A, 45vº

   

   Alimentas-me, para que viva para Ti!

«A Cruz, onde Ele deu a Sua vida por nós,
é a maior prova do Seu amor;
e Ele quis, pelas Suas próprias mãos,
entregar a cada um de nós
o memorial vivo dessa manifestação do Seu amor,
instituindo a Eucaristia
durante a Última Ceia que tomou com os Apóstolos:
“Enquanto comiam, tomou Jesus o pão e,
depois de pronunciar a bênção,
partiu-o e deu-o aos Seus discípulos, dizendo:
‘Tomai, comei: Isto é o Meu Corpo’.
Tomou em seguida um cálice, deu graças
e entregou-lho dizendo: “Bebei dele todos.
Porque este é o Meu Sangue, Sangue da Aliança,
que vai ser derramado por muitos
para remissão dos pecados”.»

   

   Permanecer em Ti!...

«Na dor lanço-me no infinito
onde encontro o meu Deus,
sem perder por um instante a paz íntima e profunda
que invade o meu espírito.
Quero fixar-Te, ó Sol eterno,
e perder-me na imensidão do Teu clarão,
como um átomo que se eleva e rodopia no ar…
Quero falar inspirada por Ti,
quero mover-me dirigida por Ti,
quero sorrir e chorar Contigo,
por Ti…»

Beata Elias de S. Clemente, Pensamentos, caderno 25

   

   A força duma Voz

«Quando o Senhor Jesus estava a rezar ao Pai,
em grande aflição e angústia…,
veio do céu uma voz interior
para O confortar na sua Humanidade.
Os judeus ouviram no exterior um som tão forte e tão grande
que uns diziam que tinha sido um trovão;
outros diziam que foi um anjo (Jo 12, 28-29).
Era através daquela voz escutada no exterior
que se indicava e dava a entender
a força e o poder que Cristo recebia interiormente…
E nem por isso se há-de entender
que o som da voz espiritual
deixa de ressoar no espírito da alma.»

S. João da Cruz, Cântico Espiritual, 14 e 15, 10

   

   Preciso da Tua graça!

«Uma alma depende tanto mais da graça
quanto mais aspira a uma maior perfeição
e a ajuda de Deus é-lhe tanto mais necessária,
a cada momento,
que sem ela nada pode fazer;
o mundo, a natureza e o demónio fazem-lhe,
conjuntamente,
uma guerra tão forte e contínua,
que, a arrastariam sem esse socorro actual,
e essa humilde e necessária dependência;
isto pode parecer duro à natureza,
mas é aí que a graça se apraz e repousa.»

Frei Lourenço da Ressurreição,
A Prática da Presença de Deus VII, 4

   

   Sangue de Cristo: voz do Amor!

«No dia de Ramos,
ao acabar de comungar,
fiquei com grande suspensão,
de modo que nem conseguia engolir
a sagrada partícula.
E tendo-A ainda na boca,
quando voltei um pouco a mim,
pareceu-me verdadeiramente que
toda a boca se me enchera de sangue.
Parecia-me que também o rosto,
e toda eu estávamos cobertos dele,
que estava quente como se então o Senhor
acabasse de derramá-lo.
Era excessiva a suavidade que então sentia.
Disse-me o Senhor:
“Filha, Eu quero que o meu Sangue te aproveite
e não tenhas medo que a minha misericórdia te falte.
Derramei-o com muitas dores
e tu, como vês, gozas dele com grande deleite.
Bem te pago o convite que me fazias neste dia”.
Isto disse, porque há mais de trinta anos que eu,
se podia, comungava nesse dia,
e procurava preparar minha alma para hospedar o Senhor…
Fazia eu de conta que ficava comigo,
em tão pobre pousada.»

Santa Teresa de Jesus, Relações, 26 (62)

   

   A renúncia da vontade!

«É preciso o sacrifício,
a renúncia da nossa vontade própria,
para chegar à união completa
com Nosso Senhor.»

Santa Teresa dos Andes, carta 39

   

   A certeza da Vida Eterna

«Reflecti sobre a luta económica,
que produziu tantas ruínas
e foi também causa
de um número espantoso de suicídios.
Creio que há uma relação
entre a incapacidade de olhar com olhos serenos
e aceitar a ruína da vida externa,
com uma concepção pobre da vida eterna.»

Santa Teresa Benedita da Cruz, Autobiografia, 2.1

   

   Senhor, ensina-nos a orar!

«Temos de saber
o que é que constitui a essência da oração:
é um pôr-se em contacto com Deus
para nos enriquecermos com Ele,
para estabelecer uma comunicação pela Fé,
por meio de um acto de amor.
A sua finalidade é
que n’Ele apreendamos o que Deus é
e que Ele mesmo possa comunicar connosco
e dar-nos, inclusivamente
de uma maneira insensível para nós,
o que tem;
quer dizer,
a graça.»

Venerável P. Maria-Eugénio do Menino Jesus,
Movidos pelo Espírito

   

   Acção e oração: duas lâmpadas para a vida!

«Na oração
a alma identifica-se com a santidade de Deus,
na medida em que ela generosamente se entrega
e Deus a toma consigo e a enriquece dos Seus dons.
Deus comunica-Se e revela-Se a quem Lhe apraz,
mas tal comunicação exige a fiel correspondência
da parte de quem a recebe.»

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus,
Apelos da Mensagem de Fátima, cap. 21

   

   Glorioso S. José

«Tomei por advogado e senhor
ao glorioso São José
e encomendei-me muito a ele.
Vi claramente que,
tanto desta necessidade
como de outras maiores
de honra e perda de alma,
este Pai e Senhor meu me tirou
com maior bem do que eu lhe sabia pedir.
Não me recordo até agora
de lhe ter suplicado coisa
que tenha deixado de fazer.»

Santa Teresa de Jesus, Vida 6,3

   

   Unir-me a Ti!

«A nossa felicidade está
em unirmo-nos e estreitarmo-nos cada vez mais
a Jesus crucificado,
não antepondo nada a Ele
que é tudo,
encerrarmo-nos,
lançarmo-nos
no abismo do seu Coração adorável…
morrer nos Seus braços
num êxtase de amor sacrificado,
de sacrifício amoroso.»

Josefina de Jesus Crucificado, Escritos Vários

   

   Diante de tanto Amor… sou servo inútil!

«Quando as minhas forças estiverem exauridas
e a minha existência consumida em Vos amar,
Dilecto da minha alma,
não terei feito senão o meu dever,
e quando tiver feito isto,
bem poderei chamar-me serva inútil…»

Beata Elias de S. Clemente, Pensamentos, caderno 25

   

   Confiados na bondade de Deus

«Confie na bondade de Deus,
que é maior que todos os males
que podemos fazer
e não se lembra da nossa ingratidão,
quando reconhecendo o que somos,
queremos voltar à Sua amizade.»

Teresa de Jesus, Vida 19, 17

   

   Às escuras…

«É às escuras que se procura a Deus.
A luz acende-se no exterior
para não cair,
mas nas coisas de Deus é ao contrário.
Portanto, é melhor a alma não ver,
e assim vai mais segura.»

S. João da Cruz, Ditos de Luz e Amor, 132

   

   Corro para Jesus

«Ah! que Jesus me perdoe, se O desgostei.
Mas Ele sabe bem que,
embora não tendo o gozo da Fé,
procuro, pelo menos realizar as obras dela.
Creio ter feito mais actos de fé
de há um ano para cá,
do que durante toda a minha vida.
Em cada nova ocasião de combate,
quando o meu inimigo me vem provocar,
porto-me com bravura.
Sabendo que é cobardia bater-se em duelo,
volto as costas ao adversário,
sem me dignar olhá-lo de frente;
mas corro para o meu Jesus,
e digo-Lhe
que estou pronta a derramar o sangue
até à última gota
para confessar que o Céu existe».

S. Teresa do Menino Jesus, Manuscrito C, 7rº

   

   Em todos os momentos: o amor faz tudo!

«Procuram-se métodos
para aprender a amar a Deus;
quer-se chegar ao amor
não sei por quantas práticas diferentes;
temos muito trabalho
para permanecer na presença de Deus
servindo-nos para isso
de uma quantidade de meios;
não será muito mais rápido
e muito mais direito
fazer-se tudo por amor de Deus,
servindo-nos de todas as acções
do nosso estado
para conservar a Sua presença em nós
por meio desse “comércio”
do nosso coração com Ele?
Para isso não é preciso talento,
vai-se com boa fé e simplicidade.»

Frei Lourenço da Ressurreição,
A Prática da Presença de Deus III, 2

   

   O dom da Fé vem pelo Amor

«Na oração encontrarás a Fé.»
«A Fé é a que realiza e alcança a oração…»

Beato Francisco Palau, carta 38,7
Luta da alma com Deus II,11

   

   Senhor, quero ver-Te feliz...

«Ó meu Jesus,
eu amo-Te!
Sou toda tua!
Entrego-me por completo
à Tua divina vontade.
Jesus,
dá-me a cruz,
mas dá-me a fortaleza
para a carregar.
Não importa
se me dás o abandono do Calvário
ou o gozo de Nazaré.
Apenas quero ver-Te feliz!»

Santa Teresa dos Andes, Diário 34

   

   Contemplar o Crucificado

«A cada novo sofrimento
beijo a Cruz do meu Mestre e digo-lhe:
“Obrigada, eu não sou digna”,
pois penso que a dor
foi a companheira da Sua vida,
e eu não mereço ser tratada como Ele
por Seu Pai.
O sinal pelo qual reconhecemos
que Deus está em nós
e que o Seu amor nos possui,
é o de receber não só com paciência,
mas com reconhecimento,
o que nos fere
e faz sofrer.»

Beata Isabel da Trindade, Carta 314

   

   A Luz da Verdade!

« Deus é a Verdade.
Quem busca a verdade busca a Deus,
quer esteja ou não consciente disso.»

Santa Teresa Benedita da Cruz, Carta 536

   

   O salto da Fé

«Começo a oração,
rezo uma oração vocal que nutre a minha inteligência;
procuro também alimentar a minha oração
mediante uma verdade dogmática
ou uma passagem da vida de N. Senhor
segundo o evangelho.
Mas eis que rapidamente
os meus sentidos se cansam
e acusam a fadiga,
distraindo-se:
orientam-se para outros objectos.
Tão pouco a minha inteligência,
feita para a luz,
pode resignar-se a esta obscuridade;
não compreende nada
e procura ocupar-se de pensamentos
que lhe ofereçam maior claridade.»

   

   Como és bom, Senhor!

«As pessoas que sabem vencer as tentações
mergulham no Ser imenso de Deus
como num oceano de graça,
força
e amor;
penetram nos segredos divinos,
com elevada clareza,
e entendem-nos,
ainda que os não possam compreender de todo.
Deus revela-Se a estas almas
com certa complacência
e comunica-lhes o conhecimento
de uma parte de Si mesmo,
segundo a capacidade que dá a cada uma
para alcançar a essência
do Ser divino.»

Serva de Deus Ir. Lúcia de Jesus, Apelos da Mensagem de Fátima, cap. 21

   

   Abrir-me à vontade de Deus!

«Só quando verdadeiramente
quisermos e não quisermos,
aquilo que Deus quer e não quer,
teremos tornado verdadeiro e forte
o nosso amor por Ele.»

Beata Josefina de Jesus Crucificado, Conselhos 28 – 4

   

   Cantar os Vossos louvores

«Ó meu Deus porque não tenho eu mil línguas
para cantar os vossos louvores?
Porque não possuo eu mil corações
para ardentemente Vos amar?...
Sim, meu doce Jesus,
o meu pobre coração compreendeu profundamente
um gemido que parte continuamente
do Vosso sacrário de amor…
É um gemido desconhecido…
é um grito nunca ouvido por ninguém…»

   

   Um tempo novo

«A misericórdia de Deus dá-me segurança
de que, pois me tirou de tantos pecados,
não quererá deixar-me de Sua mão,
para que me perca.»

Santa Teresa de Jesus, Vida 38,7

   

   Cristo é pouco conhecido

«Cristo é muito pouco conhecido
dos que se têm por seus amigos.
Vemos que andam a procurar n’Ele
os seus gostos e consolações,
amando-se muito a si mesmos,
e não as suas amarguras e mortes.»

S. João da Cruz, II Subida do Monte Carmelo 7, 12

   

   O Amor abre a porta ao Senhor!

«O Mestre manifesta-nos uma vez mais
o desejo de habitar em nós.
“Se alguém Me ama!”
O amor, eis o que O atrai,
o que arrasta Deus até à Sua criatura:
não um amor feito de sensibilidade,
mas este amor “forte como a morte
e que as águas imensas não podem extinguir.”»

Beata Isabel da Trindade, O Céu na Terra, 9

   

   Polimento eficaz…

«Repare no método que se emprega
para fazer brilhar os cobres:
untam-se com lama,
com matérias que os sujam
e tornam baços,
depois esfregam-se vigorosamente
e eles ficam a resplandecer
como o ouro.
As tentações
são como essa lama para a alma.
Não servem senão
para fazer brilhar nela
as virtudes opostas a essas tentações.»

Santa Teresa do Menino Jesus, Circular da Ir. Mª da Trindade

   

   Os pés na terra e o coração no Céu!

«O tempo da acção,
não é diferente do da oração;
possuo a Deus tão tranquilamente na lida da cozinha,
onde por vezes, várias pessoas
me pedem ao mesmo tempo coisas diferentes,
como se estivesse de joelhos
diante do Santíssimo Sacramento.
E a minha Fé torna-se por vezes tão clara
que julgo até tê-la perdido;
parece-me que o véu da obscuridade se rasgou
e que o dia sem fim e sem nuvens da outra vida começa
já a raiar.»

Frei Lourenço da Ressurreição, A Prática da Presença de Deus II, 4

   

   Procurar a solidão, para o encontro!

«Como é importante uma cela
para uma alma que conhece a Deus
e sente a necessidade suprema de se unir com Ele,
de ser com Ele uma só coisa por amor,
que O procura,
que O possui,
que O deseja,
que O espera,
que clamando, O chama!»

   

   A misericórida liberta-nos!

«Se somos sinceros
e não fechamos os olhos
perante os nossos pecados e faltas,
mas, vendo-os abertamente,
os confessamos,
e se acreditamos de verdade
na misericórdia,
então ela vem ao nosso encontro
e nos liberta.»

Santa Teresa Benedita da Cruz, Retiro para os Votos Solenes, 3ªfeira de Páscoa

   

   A verdadeira vocação cristã: participar da vida divina

«O nosso fim não é uma felicidade qualquer
que se conceda àqueles que tiverem feito boas obras
e tiverem cumprido na perfeição a lei moral,
àqueles que tiverem sido boas pessoas.
A nossa vocação, o fim que Deus escolhe para a nossa vida,
consiste em elevar-nos até Ele,
para a vida divina
da qual procedemos sem o saber,
quero dizer,
sem a haver experimentado.
A nossa vocação consiste em caminhar para Deus
para participar da vida divina,
para entrar no Seu ritmo
e alcançar com Ele
uma união que não tem fim.»

Venerável P. Maria-Eugénio do Menino Jesus, Movidos pelo Espírito

   

   Amor por amor!

«Sinto que Deus me ama
e sofro porque eu não o amo
como Ele merece ser amado
e como eu desejaria amá-Lo.»

Beata Josefina de Jesus Crucificado, Diário II

   

   Deus pode tudo!

«Se o nosso coração descansar só em Deus,
Ele terá cuidado de nós;
e tudo aquilo de que necessitamos
nos será dado por acréscimo.»

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus, Apelos da Mensagem de Fátima, cap. 21

   

   O segredo…

«Desde que o olhar de Jesus
se pousou sobre a minha alma,
compreendi toda a minha pequenez
e esta é uma das maiores graças
que recebi do Senhor,
porque compreendi
que é este o segredo
que torna a alma querida e amada
por Jesus…»

Beata Elias de S. Clemente, Diário, Caderno 13

   

   As chagas de Cristo são fontes de amor!

«Depois de comungar, parece-me clarissimamente,
assentou-se junto de mim Nosso Senhor
e começou a regalar-me com grandes consolações.
Disse-me entre outras coisas:
“Aqui me vês, filha, pois sou Eu; mostra tuas mãos”.
Parecia-me que me pegava nelas e as chegava a Seu lado;
disse: “Olha as Minhas chagas; não estás sem Mim.
A brevidade da vida passa”.»

Santa Teresa de Jesus, Relações 15, 6

   

   A serenidade nas provas provém da fé!

«Não é da vontade de Deus
que a alma se perturbe com coisa alguma
nem que sofra amarguras;
e, se as sofre com as contrariedades do mundo,
isso deve-se à sua pouca virtude,
porque a alma perfeita alegra-se
naquilo em que a imperfeita se atormenta.»

S. João da Cruz, Ditos de Luz e Amor 56

   

   Guarda para Mim o teu coração

«Queres consolar-Me?
Eu estou tão abandonado, minha filha,
não Me deixes, quero o teu coração que amo,
que Eu escolhi para Mim,
e suspiro pelo dia em que serás toda minha.
Ah! Guarda para Mim o teu coração.”

Beata Isabel da Trindade, Diário Espiritual, 31 de Março de 1899

   

   Que todos sejam salvos!

«Senhor, bem o sabeis,
não tenho mais nenhum tesouro
a não ser as almas que Vos aprouve unir à minha.
Estes tesouros fostes Vós que mos confiastes…»

Santa Teresa do Menino Jesus, Manuscrito C 34rº, 35vº

   

   Correr para o Senhor na tentação

«A prática mais santa,
mais comum
e a mais necessária à vida espiritual,
é a presença de Deus;
é gostar e ter o hábito da Sua divina companhia,
falar-Lhe humildemente
e entreter-se amorosamente com Ele,
em todo o tempo,
em todos os momentos,
sem regra nem medida,
sobretudo no tempo de tentações,
de penas,
de aridez,
de desgostos,
e mesmo até de infidelidades
e pecados.»

Frei Lourenço da Ressurreição, A Prática da Presença de Deus, VIII 1

   

   A Cruz: une a minha vontade com a de Deus

«O melhor é amar a vontade de Deus.
Ali encontramos a cruz
melhor do que em qualquer outra parte.
Ali cresce rectamente esta árvore bendita,
sem impedimento,
pois é sem a nossa escolha,
sem satisfação alguma.
Sentes na tua alma esse amor pela divina vontade?»

Santa Teresa dos Andes, Carta 149

   

   Oração de Cristo

«Como ocorria com frequência,
Cristo entrega-se à oração…
compreendemos muito bem que Cristo
passe as suas noites em oração,
porque todas as suas faculdades,
todo o Seu corpo,
descansam nessa imersão sobrenatural
na Divindade que O penetra,
reconforta e repõe as suas forças
muito mais que o sono físico:
assim é a oração de Cristo,
a oração unitiva.»

Venerável Padre Maria-Eugénio do Menino Jesus, Movidos pelo Espírito

   

   A Fé… caminho seguro!

«A nossa meta é a união com Deus,
o nosso caminho Cristo crucificado,
ser um com Ele chegando a ser crucificados.
O único meio apropriado para alcançar a meta
é a Fé.»

Santa Teresa Benedita da Cruz, A Ciência da Cruz

   

   A Fé e o Amor

«É a Fé e o amor
que hão-de levar-nos a detestar os nossos pecados,
a arrependermo-nos deles
e a mudar de vida,
para que Deus nos diga como a Maria Madalena:
“Os teus pecados estão perdoados”».

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus, Apelos da Mensagem de Fátima, cap. 7

   

   Amaste até morrer de amor

Lembra-Te de que o teu Rosto divino
Entre os teus foi sempre desconhecido
Mas tu deixaste para mim a tua doce imagem
E tu sabes que eu bem te reconheci...
Sim, reconheço-Te, através de um véu de lágrimas
Face do Eterno, descubro os teus encantos.
Jesus, dos corações
Que recolhem o teu pranto
Lembra-Te.

   

   Uma morte de amor

Um pastorzinho, sA533; estA533; penando,
Alheio de prazer e de contento
Tem na sua pastora o pensamento
E o peito por amor tão magoado.

Não chora por amor o haver chagado,
Pois lhe não dói assim ver-se afligido,
Embora o coração tenha ferido;
Mas chora de pensar ser olvidado.

   

   A Fonte da Eucaristia que mana e corre

Bem eu sei a fonte que mana e corre,
Embora seja noite.

Aquela eterna fonte não a vê ninguém
E bem sei onde é e donde vem,
Embora seja noite.

Não sei a fonte dela, que não há,
Mas sei que toda a fonte vem de lá,
Embora seja noite.

Não pode haver, eu sei, coisa tão bela
E céus e terra beleza bebem dela,
Embora seja noite.

   

   Valentia no sofrimento

«Amemo-l’O em verdade,
dando-lhe todos os sacrifícios
grandes e pequenos que Ele nos pedir
e retiremos forças na nossa união com Ele.
A alma que vive sob o olhar de Deus
encontra-se revestida da sua força
e é valente no sofrimento.»

B. Isabel da Trindade, Carta 308


   

   Morrer para dar vida

«”Morro cada dia”, diminuo,
renuncio-me cada dia mais a mim mesma,
a fim de que em mim Cristo cresça e seja exaltado;
Permaneço humilde no fundo da minha pobreza,
vejo o meu nada, a minha miséria, a minha impotência.
Reconheço-me incapaz de progredir,
de perseverar na perfeição.
Observo as minhas muitas negligências e defeitos;
vejo toda a minha indignidade;
“prostro-me na miséria, reconhecendo a minha aflição,
colocando-a diante da misericórdia do meu divino Mestre”.
Não quero mais viver da minha própria vida,
mas ser transformada em Jesus Cristo,
para que o Pai, ao inclinar-se sobre mim,
possa reconhecer a imagem do Seu filho muito amado
em quem pôs todas as suas complacências.»

B. Isabel da Trindade, O Céu na Terra, 12

   

   Na noite escura da fé

«Em uma noite escura,
Com ânsias, em amores inflamada,
Ó ditosa ventura!
Saí sem ser notada
Estando a minha casa sossegada.

Às escuras, segura,
Pela secreta escada disfarçada,
Ó ditosa ventura!
No escuro e ocultada,
Estando a minha casa sossegada.

   

   O Crucificado por amor

«Comamos com amor
este pão da vontade de Deus.
Se, por vezes, esses desígnios são demasiado crucificantes,
podemos dizer como o nosso adorado Mestre:
“Pai, se é possível afasta de mim este cálice”,
mas logo acrescentaremos:
“Não seja como eu quero, mas como Vós quereis”;
e, na calma e na força,
como o divino Crucificado,
subiremos também o nosso calvário,
fazendo subir ao Pai
um hino de acção de graças,
pois os que caminham nesta via dolorosa
são aqueles “que Ele conheceu e predestinou
para serem conformes à imagem de Seu divino Filho”,
o Crucificado por amor!»

B. Isabel da Trindade, O Céu na Terra, 30

   

   O sofrimento é a maior prova de amor

«Nunca havia compreendido tão bem
como o sofrimento é a maior prova de amor
que Deus possa dar à sua criatura,
e não duvidava que um tal sabor
estivesse escondido no fundo do cálice,
para quem o tenha bebido até ao fim.
É uma paterna mão, mão de infinita ternura
aquela que nos dispensa a dor.
Saibamos ultrapassar a amargura da dor
para encontrar aí o nosso repouso.»

B. Isabel da Trindade, Carta 313

   

   Foi para a liberdade que Cristo vos libertou!

«Senhor, enquanto durar esta vida mortal
Sempre corre perigo a vida eterna.
Ó vida inimiga do meu bem!
Ó livre arbítrio, tão escravo da tua «liberdade»
Se não viveres afeiçoado ao temor e amor Daquele que te criou.
Quando virá aquele ditoso dia
Em que te verás submergido
Naquele mar infinito da suma verdade,
Onde já não serás «livre» para pecar nem o desejarás,
Porque estarás consciente de todas as misérias
E familiarizado com a vida de Deus».

Santa Teresa de Jesus, Exclamações, 17, 4

   

   A necessidade de retiro

«Meu Deus,
eis que chegam os dias de retiro
tão impacientemente esperados,
peço-vos que os abençoeis.
E já que não posso romper com o mundo e viver na solidão,
pelo menos dai-me uma solidão de coração.
Que eu viva na vossa união intima,
que nada, mesmo nada, me possa distrair de Vós,
que a minha vida seja uma contínua oração…
Vós que tudo sabeis, sabei apenas que vos amo!
Ajudai-me a fazer bem este retiro,
pois, para Vós, desejo tornar-me uma santa»

B. Isabel da Trindade, Diário, 138

   

   Tende piedade de nós

«O Rei da pátria do sol brilhante
veio viver 33 anos no país das trevas.
Infelizmente as trevas não compreen¬deram
que esse Divino Rei era a Luz do mundo…
Mas, Senhor, a vossa filha compreendeu a vossa divina Luz.
Pede-Vos perdão para os seus irmãos
e aceita comer por quanto tempo quiserdes o pão da dor,
e de maneira nenhuma se quer levantar
desta mesa cheia de amargura,
à qual comem os pobres pecadores,
antes do dia que vós destinastes...
Acaso não poderá dizer-vos em nome dela
e em nome dos seus irmãos:
Tende piedade de nós, Senhor, porque somos pobres pecadores!...
Oh! Senhor, despedi-nos justificados!»

Santa Teresa do Menino Jesus, História de uma Alma, C, 6rº

   

   Olhai Senhor para o vosso mundo

«Pois, que é isto, meu Senhor e meu Deus!
Ou dai fim ao mundo ou ponde remédio a tão gravíssimos males;
não há coração que o sofra, ainda dos que o somos maus.
Suplico-Vos, Pai Eterno, não queirais mais sofre-lo:
atalhai este fogo, Senhor, pois o podeis, se quiserdes.
Vede que ainda está no mundo o Vosso Filho;
por respeito para com Ele, cessem coisas tão feias, abomináveis e sujas;
por Sua formosura e limpeza, não merece estar onde há coisas semelhantes.
Não o façais por amor de nós, Senhor, que não o merecemos,
mas fazei-o por amor a Vosso Filho.
Suplicar-Vos que não esteja connosco, não ousamos pedir: que seria de nós?
Se alguma coisa Vos aplaca, é termos cá tal penhor.
E pois algum meio há-de haver, Senhor meu, ponha-o Vossa Majestade.»

Santa Teresa de Jesus, Livro da Vida 35,4

   

   O Pai inclinou-se sobre esta criatura tão bela

"«Se conhecesses o dom de Deus...»
Há uma criatura que conheceu esse dom de Deus,
uma criatura que não perdeu sequer uma parcela dele,
uma criatura que foi tão pura, tão luminosa,
que parece ser a própria Luz.
Uma criatura cuja vida foi tão simples,
tão perdida em Deus,
que quase nada se pode dizer dela.

   

   O exercício do recolhimento

«Os sinais do recolhimento interior são três:
O primeiro, quando o homem espiritual
não gosta das coisas passageiras;
o segundo, se gosta da solidão e do silêncio
e de tudo o que signifique mais perfeição;
o terceiro, se as coisas que o costumavam ajudar
agora lhe estorvam, tais como as meditações e considerações e actos
não encontrando outro apoio na oração
senão o da fé, esperança e caridade»

S. João da Cruz, Ditos de Luz e Amor, 118 e cf. 2S 13-14

   

   Fixemos os olhos Nele

«Não é com descansos, nem regalos,
nem honras, nem riquezas
que se há-de ganhar
o que Jesus comprou com tanto Sangue.
Ó gente ilustre! Por amor de Deus abri os olhos!
Vede que os verdadeiros cavaleiros de Jesus Cristo
e os príncipes da Sua Igreja,
um S. Pedro, um S. Paulo, não levavam o caminho que levais!
Pensais, porven¬tura,
que há-de haver um caminho novo para vós?
Desenganai-vos!
Olhai: o Senhor começa a mostrar-vo-lo, às vezes,
por pessoas de tão pouca idade.»

Santa Teresa de Jesus, Fundações, 10, 11

   

   Somos herdeiros do grande Rei

«Ó Filho do Pai Eterno,
Jesus Cristo, Senhor Nosso,
verdadeiro Rei de tudo!
Que deixastes no mundo?
Que herdaremos de Vós, os Vossos des¬cendentes?
Que possuístes, Senhor meu,
senão trabalhos e dores e deson¬ras
e não tivestes mais do que um madeiro
para passar o trabalhoso trago da morte?

   

   Em Cristo, minha confiança

«Procurava representar a Cristo dentro de mim
e sentia-me melhor nos passos onde O encontrava mais só.
Parecendo-me que, estando só e aflito,
como pessoa necessitada, me havia de admitir a mim.
Destas simplicidades tinha eu muitas.
Em especial achava-me muito bem na oração do Horto;
ali era fazer-Lhe eu companhia. (…)
Ficava-me ali com Ele o mais que permitiam os meus pensamentos…
Tenho para mim que assim ganhou muito a minha alma,
porque comecei a ter oração sem saber que coisa era…»

Santa Teresa de Jesus, Livro da Vida 9,4

   

   Fortalecer a vontade

«Enquanto a nossa vontade tiver caprichos estranhos à união divina,
fantasias de sim e não, permanecemos num estado de infância,
não caminhamos a passo de gigante no amor,
porque o fogo ainda não queimou toda a escória;
o ouro não está puro e buscamo-nos ainda a nós mesmos!»

B. Isabel da Trindade, O Céu na Terra, 8

   

   Deus dá-se aos que tudo deixam por Ele

«Oh! Benignidade admirável de Deus,
que assim Vos deixais ver por uns olhos
que tão mal foram empregados como os da minha alma!
Fiquem eles já, Senhor, com Vos verem,
acostumados a não olhar para coisas baixas,
nem os contente nenhuma fora de Vós.

   

   Quando se ama

«Quando se ama, deseja-se bem ao ser amado.»

B. Isabel da Trindade, Carta 335

Quem não desejará saber deveras amar
A cada minuto, a cada palpitação do coração…
Ser em tudo semelhante ao Ser divino
Amando até ao extremo,
Dando a vida pelo irmão?

Quem não desejará
Tornar-se pequeno, como criança
Viver na palma da Sua mão
Tudo receber como preciosa dádiva
Repartindo com grandeza de alma
Tudo o que lhe é dado,
O amor que tem no seu coração?

   

   Carvão aceso

A alma virtuosa, sozinha e sem mestre,
é como o carvão aceso que fica só:
mais se vai esfriando que acendendo.

S. João da Cruz, Ditos de Luz e de Amor 7




   

   Imitar em tudo o Mestre

«Os que têm oração esforçada hão-de saber
que agradam ao Senhor;
hão-de alegrar-se e consolar-se por ter
o grandíssimo dom de receber o Senhor
no jardim da sua alma.
E ao saberem que Lhe agrada o esforço que empreendem,
desejarão contentá-lo a Ele mais do que a si mesmos.
Ajudem-n'O a levar a cruz
e pense que toda a vida nela viveu.
Não queira aqui seu reino,
nem deixe jamais a oração;
e assim determine-se
- embora esta aridez lhe dure toda a vida -
a não deixar Cristo cair sob o peso da cruz.
Tempo virá em que se lhe pague tudo por junto.
Não tenha medo de perder o trabalho.
A bom amo serve, para ele está olhando».

Santa Teresa de Jesus, Livro da Vida, 11, 10

   

   Deixar-te conduzir pela mão de Deus

“Ó alma espiritual,
quando vires obscurecido o teu apetite,
os teus afectos secos e na angústia
e as tuas potências incapazes de realizar qualquer exercício interior,
não te entristeças, mas vê antes nisso uma bênção.
Deus está a libertar-te de ti mesma,
deixando-te de mãos vazias […].
Agora é Deus que te leva pela mão e te guia na escuridão.”

S. João da Cruz, 2 Noite Escura 16,7

   

   Tesouro escondido

«A pessoa verdadeiramente devota
põe a sua devoção, sobretudo, no invisível.
É dentro de si que procura a imagem viva,
que é Cristo crucificado,
por quem prefere que tudo lhe roubem e tudo lhe falte».

S. João da Cruz, 3 Subida do Monte Carmelo 35,5

   

   Orientar todo oreafecto para as coisas de Deus

«O homem espiritual, ao primeiro movimento,
quando o gozo lhe foge para as coisas, deve reprimi-lo...
Quer dizer, o homem não deve gozar nada
que não seja para servir a Deus
e procurar a Sua honra e glória em todas as coisas,
orientando-as só para isto, e nelas afastar-se da vaidade,
não se atendo ao seu gosto e consolação».

S. João da Cruz, 3 Subida do Monte Carmelo 20,3

   

   Fracasso e fecundidade

«’Meu Deus, meu Deus, porque me abandonaste?’ (Mt 27, 46).
Este foi o maior abandono
que o Senhor recebeu nos sentidos durante a sua vida.
Mas, foi também com ele que realizou a maior obra da sua vida,
maior do que as obras e milagres que tinha feito no céu e na terra,
que foi reconciliar e unir pela graça o género humano com Deus.
E isto aconteceu, como digo,
exactamente no momento em que este Senhor
mais aniquilado estava em tudo.

S. João da Cruz, 2 Subida do Monte Carmelo 7,11

   

   Quero amar-Te Jesus...

«Ó meu Jesus,
agora é que eu vi,
que tudo no mundo é vaidade,
que só uma coisa é necessária:
amar-Te e servir-Te com fidelidade,
parecer-me e assemelhar-me em tudo a Ti.
Nisso consistirá a minha ambição.
Quero passar contigo
por todas as afrontas com alegria.
E se por minha fraqueza cair,
Jesus querido,
olhar-Te-ei na tua subida ao Calvário
e ajudada por Ti,
me levantarei.
Não permitas que Te ofenda,
ainda que levemente.
Prefiro mil mortes,
antes que dar-Te a mais ligeira pena».

Santa Teresa dos Andes, Diário 17

   

   Calar e agir

“O que falta, se é que falta, não é escrever ou falar,
porque normalmente é o que sobra,
mas sim o calar e agir.
Pois o falar distrai, enquanto que o calar e agir
recolhe e fortalece o espírito.
A partir do momento em que a pessoa sabe
o que lhe aconselharam para seu proveito,
já não precisa de ouvir nem falar mais,
mas apenas pô-lo verdadeiramente em prática,
com diligência e silêncio…
e não começar imediatamente à procura de coisas novas,
que só servem para satisfazer exteriormente o apetite,
se é que satisfazem, e deixar o espírito fraco e sem qualquer virtude interior”.

S. João da Cruz, Carta 8

   

   Em silêncio, deixa falar a Cruz

“Submisso aos pés da Cruz,
adora-a
e oferece-te
e entrega-te todo a Ele,
para que em ti, por ti e contigo
faça agora o que lhe apraz”

B. Francisco Palau, Carta 24 Julho de 1857

   

   Vibrar em uníssono

«Uma alma que discute com o seu eu,
que se ocupa com as suas sensibilidades,
que persegue um inútil pensamento,
ou um qualquer desejo,
esta alma dispersa as suas forças,
e não está inteiramente ordenada a Deus:
a sua lira não vibra em uníssono com o Mestre;
quando a toca, não pode tirar dela harmonias divinas,
pois há demasiado de humano e é uma dissonância.»

B. Isabel da Trindade, Último Retiro, 3

   

   Partilhar a Cruz

«Durante estes divinos colóquios
peço a Jesus a Cruz.
Esta Cruz é meu sustentáculo e minha esperança.
Esta Cruz que quero partilhar com o Mestre…
Ele digna-Se escolher-me por confidente,
por consoladora do Seu Coração!
Pelo meu amor, minha atenção, sacrifícios, orações…
quero fazer-Lhe esquecer as Suas dores.
Quero amá-Lo por todos os que não O amam!...»

B. Isabel da Trindade, Diário

   

   Na escola do amor

«Onde não há amor, põe amor, e encontrarás amor».

S. João da Cruz, Carta 26

   

   O Amigo verdadeiro nunca falhareplique montre

«Parece-me que nunca me vi em sofrimento,
depois que me determinei a servir
com todas as minhas forças a este Senhor e Consolador.
Embora, por vezes, me deixasse padecer um pouco, logo me consolava,
por isso, não faço nada em desejar trabalhos.
E assim, agora, parece-me que não tenho outro motivo para viver
senão para amar e padecer o que o Senhor quiser.
E é o que com maior determinação peço a Deus
e digo-Lhe, algumas vezes com todas as minhas forças:
Senhor, ou morrer ou padecer; não Vos peço outra coisa para mim.»

Santa Teresa de Jesus, Livro da Vida 40,20

   

   Para ser amigo de Deus

«Oh, se os espirituais soubessem
de quanto bem e abundância de espírito se privam
por não quererem retirar o espírito de ninharias!
Se as não quisessem saborear,
receberiam o sabor de todas as coisas
neste manjar simples do espírito!
Mas não o saboreiam. (…)
Assim também, quem quer amar outra coisa juntamente com Deus,
tem, sem dúvida, pouco apreço por Deus,
porque coloca na mesma balança com Deus
aquilo que, dista sumamente de Deus.

S. João da Cruz, 1 Subida do Monte Carmelo 5, 4

   

   Livrai-nos Senhor de todo o mal


Livrai-me, Senhor desta sombra de morte.
Livrai-me de tantos trabalhos,
Livrai-me de tantas mudanças e cumprimentos
Como forçosamente temos de ter os que vivemos,
De tantas e tantas coisas que me cansam e fatigam,
Que cansaria a quem as lesse
Se as dissesse todas.
Não consigo viver, cansa-me e sofro,
Ao recordar-me que vivi como não devia.
O que não se pode sofrer, Senhor,
é não poder saber ao certo se Vos amo,
Nem se são aceites os meus desejos diante de Vós.
Ó Senhor e Deus meu,
Livrai-me já de todo o mal
E sê servido de me levar
Para onde estão todos os bens.

Santa Teresa de Jesus, Caminho de Perfeição 42,3

   

   Ensina-nos a perdoar como Tu perdoas

«Mas, Senhor meu,
haverá algumas pessoas
que tenham trato comigo
e não entendam isto?
Se as houver
em Vosso nome lhes peço que se lembrem disto
e não façam caso de umas coisitas a que chamam problemas;
parece que fazemos como as crianças,
casas de palhinhas, com estes pontos de honra?...
Ó Senhor, Senhor! Não sois Vós o nosso Modelo e Mestre?
Sim, certamente. Pois em que esteve a Vossa honra, Honrador nosso?
Não a perdeste, por certo, em ser humilhado até à morte,
não, Senhor, mas antes a ganhaste para todos.
Bendito seja o Seu nome para sempre sem fim. Amen.
E, por Ele, eu suplico ao Pai Eterno
que perdoe as minhas faltas e grandes pecados,
pois eu não tenho tido a quem perdoar,
nem o quê e todos os dias tenho de que me perdoe.»

Santa Teresa de Jesus, Caminho de Perfeição 36,3-5

   

   O Pão de cada dia nos dai hoje

«Oh! Valha-me Deus!
Que grande amor o do Filho,
e que grande amor o do Pai!
Ainda não me espanto tanto do bom Jesus,
porque como já tinha dito ‘fiat voluntas tua’,
tinha-o de cumprir como quem é.
Sim, que não é como nós, pois, como a conhece,
cumpre-a amando-nos como a Si,
e assim andava a buscar como cumprir este mandamento
com maior perfeição embora fosse à Sua custa.
Ó Senhor Eterno!
Como aceitais tal petição, como o consentis?
Não vejais o Seu amor,
que a troco de fazer perfeitíssima a Vossa vontade,
e de a fazer por nós,
se deixará fazer em pedaços cada dia!
É de Vós, Senhor meu, o olhar a isto,
já que a Vosso Filho nada se Lhe põe diante.
Porque há-de ser todo o nosso bem à Sua custa?
Porque a tudo se cala e não sabe falar por Si, senão por nós?»

Santa Teresa de Jesus, Caminho de Perfeição 33,3-4

   

   Que a terra seja o Teu céu

«Bem fizeste, nosso bom Mestre,
em fazer esta última petição,
para que possamos cumprir aquilo
que dais em nosso nome;
porque de certo, Senhor, se assim não fora,
seria impossível, julgo eu.
Mas, fazendo o Vosso Pai aquilo que Lhe pedis:
de nos dar aqui o Seu reino,
eu sei que Vos deixaremos ficar por verdadeiro em dardes o que dais por nós;
porque, feita a terra céu, será possível fazer-se em mim a Vossa vontade.
Mas, sem isto, e em terra tão ruim como a minha, e tão sem fruto,
eu não sei, Senhor, como seria possível;
é coisa bem grande o que ofereceis!»

Santa Teresa de Jesus, Caminho de Perfeição 32,2

   

   Venha a nós o Vosso reino

«Não poderíeis, Senhor meu,
concluir com uma palavra e dizer:
dai-nos, Pai, o que nos convém?
Pois, para Quem entende tudo,
não parece seria preciso dizer mais.
Ó Sabedoria eterna!
Entre Vós e o Vosso Pai isto bastava;
e assim pedistes no Horto;
mostrastes a Vossa vontade e temor,
mas entregaste-Vos à Sua.
Mas conheceis-nos, Senhor meu,
e sabeis que não estamos tão rendidos como Vós estáveis
à Vontade de Vosso Pai,
e vistes que era preciso pedir coisas determinadas,
para que nos detivéssemos
a ver se é bem a nosso gosto o que pedimos,
e não sendo, não Lho peçamos.
Porque, segundo a nossa maneira de ser,
se não nos dão o que queremos
– com este livre arbítrio que temos –
não admitiremos o que o Senhor nos der,
porque, ainda que seja melhor,
enquanto não nos vemos com o dinheiro nas mãos,
nunca julgamos ver-nos ricos.»

Santa Teresa de Jesus, Caminho de Perfeição 30,1-2

   

   Dou-te a minha vontade

«Ó Senhor meu!
Que grande consolação é para mim
o não terdes deixado a um querer tão ruim como o meu
o cumprir-se a Vossa vontade!
Bendito sejais para sempre e louvem-Vos todas as coisas!
Glorificado seja para sempre o Vosso nome!
Bonito seria para mim, Senhor,
se estivesse em minhas mãos o cumprir-se ou não a Vossa vontade!
Dou-Vos agora a minha livremente,
embora em tempo que não vai livre de interesse,
porque já tenho provas e grande experiência do ganho
que há em pôr livremente a minha vontade na Vossa.
Que grande lucro há nisto,
ou que grande perda se não cumprimos o que oferecemos ao Senhor,
quando isto lhe dizemos no Pai-Nosso.»

Santa Teresa de Jesus, Caminho de Perfeição 32,4

   

   Tu que estás no mais profundo do meu ser…

Agora vede o que diz o Vosso Mestre:
«Que estais nos céus».
Pensais que importa pouco saberdes que coisa é o céu
e onde se deve procurar Vosso Sacratíssimo Pai?
Pois eu digo-vos
que, para entendimentos distraídos importa muito,
não só crer isto, mas procurar entendê-lo por experiência,
pois é uma coisa que muito prende o entendimento
e faz recolher a alma.
Já sabeis que Deus está em toda a parte. (…)
Onde está Deus é o Céu.
Vede que santo Agostinho o buscava em muitas partes
e veio a encontra-Lo dentro de si. (…)
Basta pôr-se em soledade e olhá-l’O dentro de si mesma,
e não se estranhar de tão bom Hóspede;
mas falar-Lhe com grande humildade, como a um pai;
contar-Lhe os seus trabalhos,
pedir-lhe remédio para eles entendendo
que não é digna de ser sua filha.»

Santa Teresa de Jesus, Caminho de Perfeição 28,1-2

   

   Tu, ó Deus, és nosso Pai

«Oh! Senhor meu,
como pareceis Pai de tal Filho
e como vosso Filho parece Filho de tal Pai!
Bendito sejais para todo o sempre!
Ó Filho de Deus e Senhor meu!
Como dais tantos bens juntos logo à primeira palavra?
Já que Vós mesmo Vos humilhais em tão grande extremo
até juntar-Vos connosco a pedir,
e a fazer-Vos irmão de coisa tão baixa e miserável,
como é que ainda nos dais, em nome do Vosso Pai,
tudo o que se pode dar, pois quereis nos tenha por filhos,
e a Vossa palavra não pode faltar?
Assim O obrigais a cumpri-la,
o que não é pequeno encargo,
pois, sendo Pai, nos há-de sofrer,
por graves que sejam as ofensas.
Se tornamos a Ele como filho pródigo
terá de perdoar, de nos consolar em nossos trabalhos,
de nos sustentar como fará um Pai,
que forçosamente há-de ser melhor
que todos os pais do mundo
porque n’Ele não pode haver senão a perfeição de todo o bem
e, depois de tudo isto, fazer-nos participantes e herdeiros convosco.»

Santa Teresa de Jesus, Caminho de Perfeição 27,1-2

   

   O Amigo verdadeiro

«Parece-me que nunca me vi em pena,
depois que estou determinada a servir
com todas as minhas forças a este Senhor e Consolador,
que, embora me deixasse padecer um pouco,
não me consolasse, de maneira que não faço nada em desejar trabalhos.
E assim, agora, me parece não tenho razão para viver senão para isto.
E é o que de melhor vontade peço a Deus
e digo-Lhe, algumas vezes com toda ela:
Senhor ou morrer ou padecer; não Vos peço outra coisa para mim.»

Santa Teresa de Jesus, Livro da Vida 40,20

   

   A força do Amor

Abandonado o velho modo de entender humano,
Deus dá-lhe um novo modo de conhecer Deus em Deus;
despojada a vontade de todos os seus velhos quereres e gostos humanos,
Deus dá-lhe um novo modo de amar Deus em Deus (…)
transformando o seu agir de humano em divino.
É isto o que se atinge no estado de união:
a alma não serve senão de altar onde Deus é adorado
em glória e amor, pois só Ele a habita.

S. João da Cruz, 1 Subida do Monte Carmelo 5,7

   

   Quem não se espanta de tanta misericórdia?

«Ó Jesus meu, o que é ver uma pessoa
que aqui tem chegado e depois,
caída num pecado, quando Vós,
por Vossa misericórdia, lhe tornais a dar a mão e a levantais!

   

   Seguir Jesus replica rolex

“Segue Jesus em todos os teus passos.
No deserto, orando pelos homens;
no Horto, agonizando por eles;
na pregação, socorrendo as suas necessidades;
na cruz, oferecendo-se ao Pai por eles”.

B. Francisco Palau, Carta 15 de Julho 1851