Brilhas no meio das trevas

«Pede à Santíssima Virgem que seja a tua guia, que seja a estrela, o farol que brilh...

Amor infinito

«Senhor Jesus, que quiseste revelar-nos o amor infinito do Pai e consolar-nos com palavras de...

Tempo: Comum

 

 

   A morte é uma amiga que me leva para Ti.

«Como Tu,
quero considerar a morte
como o momento de ‘passar deste mundo para o Pai’.
Mas sei que a morte
é o eco da vida
e que tenho de me preparar
todos os dias para ela,
vivendo como Tu viveste,
pensando como Tu pensaste,
sentindo como Tu sentiste,
amando como Tu amaste.
Assim seja, Senhor Jesus!»

Santo Henrique de Ossó | 1840 – 1896
Quarto de Hora de Oração. pg. 62.

   

   Intimidade com Aquele que habita em nós.

«Não ponhas limites
ao estudo da divina Presença,
à doce ocupação de viver
na intimidade com Aquele
que habita em nós.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Cartas III. 42

   

   As belezas da criação

«Quanto me ensinam as flores,
os insectos,
a amar
e a corresponder
ao amor de Deus!»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinário (Pe. Ildefonso). 34

   

   Quero ser a Tua companhia, Senhor!

«[Deus] não nos pede grande coisa:
uma pequena lembrança
de tempos a tempos,
uma pequena adoração,
às vezes pedir a Sua graça,
às vezes oferecer-Lhe as vossas penas,
outras vezes agradecer
as graças que vos fez e que vos faz
no meio dos vossos trabalhos,
consolar-vos com Ele,
o mais frequentemente que possais.
Durante as vossas refeições
e os vossos encontros,
elevai de vez em quando o vosso coração para Ele:
a mais pequena lembrança
ser-Lhe-á sempre muito agradável.
Para isto, não é necessário gritar bem alto,
Ele está mais perto de nós do que nós pensamos.»

Frei Lourenço da Ressurreição | 1614 – 1691
Carta 9. A uma senhora. Cerca de 1689.

   

   Providência de Deus

«Digo-te isto
para que tu também te abandones à Sua Providência.
Que bem cuidado está o que se fia em Deus!
Na oração ocupa-te
em adquirir esta confiança em ti
pois tens necessidade disso.
Essa confiança supõe a fé na Sua Providência
e a Providência é o cuidado
e a solicitude paternal que Deus tem connosco.
Deixemos que Deus cuide de nós,
que nos governe,
que nos guie
e esta confiança nos protegerá
contra as horríveis inquietações,
ânsias e temores que nos assaltam,
procedentes das nossas próprias ilusões.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 56, 2

   

   Pão vivo!

«Pão vivo, Pão do Céu, divina Eucaristia.
Ó Mistério sagrado! que o Amor produziu...
Vem habitar no meu coração, Jesus, minha Hóstia branca
Somente por hoje.

Digna-Te unir-me a Ti, Vinha Santa e sagrada
E a minha frágil vergôntea dar-Te-á o seu fruto
E poderei oferecer-Te um cacho dourado
Senhor, desde hoje.

Este cacho de amor, cujos bagos são almas
Para o formar só tenho este dia que foge
Ah! dá-me, Jesus, o ardor de um Apóstolo
Somente por hoje.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Poesia 5. Estofes 8-10

   

   Sou Teu

«Ó meu Jesus,
eu sou toda consagrada a Ti
e Te agradeço
por este dom inefável que me fizeste.
Eis aqui o meu coração:
cobre-o com o Teu preciosíssimo Sangue
como de um véu,
a fim de que não apareça a minha miséria,
mas a Tua santidade.
Quando eu passar desta vida,
então velarei o meu rosto com os Teus méritos;
apresentar-me-ei ao Pai transfigurada de Ti
e estarei segura de obter a Tua misericórdia.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Retiro para a Profissão Solene de uma Religiosa. Pg. 26

   

   Serve e espera na Sua misericórdia

«Mas ai! Ai! Criador meu!
A grande dor faz queixar e dizer
O que não tem remédio até que Vós queirais.
E a alma tão encerrada deseja a sua liberdade,
Desejando não sair nem um ponto do que Vós quereis.
Fazei, Glória minha, que cresça a sua pena,
Ou remediai-a de todo. (…)

Ó alma minha!
Deixa que se faça a vontade do teu Deus;
Isso te convém.
Serve e espera na Sua misericórdia,
Que remediará a tua pena,
Quando a penitência de tuas culpas
Haja ganho algum perdão para elas.
Não queirais gozar sem padecer.

Ó verdadeiro Senhor e Rei meu!
Que até nem para isto sirvo,
Senão me favorece
A Vossa soberana mão e grandeza
Que, com isto, tudo poderei.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Exclamações VI, 2-3

   

   Florir

«É preciso saber florir aí,
onde Deus nos semeou.»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 93. A Vicenza Rinaldi. 12.04.1925.

   

   A luta pela claridade

«Os livros não me servem de nada
até que eu tenha clarificado a questão
com uma elaboração pessoal.
Esta luta pela claridade realiza-se agora em mim
através de grandes sofrimentos
e não me deixava descansar
nem de noite, nem de dia».

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
Edite Stein, Obras.

   

   Amor infinito

«Senhor Jesus,
que quiseste revelar-nos o amor infinito do Pai
e consolar-nos
com palavras de confiança nesse amor:
concede-me, Senhor, a graça de Te amar
como Tu me amas
para que, se vierem dificuldades e contradições,
e o mundo me odiar como Te odiou a Ti,
eu saiba amar-Te.
Jesus, que eu Te sirva sempre
e faz de mim o que quiseres.
Ámen”.»

Santo Henrique de Ossó | 1840 – 1896
Quarto de Hora de Oração, p. 169.

   

   Caminhos distintos

«Sabes por demais como gosto de ti,
minha querida Maria Luísa,
para que haja necessidade de te dizer
como o teu noivado me alegrou;
já o adivinhava, até certo ponto […].
Rezo muito por ti, querida amiga,
e peço a Deus que te encha com as Suas bênçãos
e te dê toda a felicidade que seja possível viver nesta terra.
Sim, querida Maria Luísa,
o bom Mestre chama-nos a caminhos diferentes.
A parte que Ele escolheu para mim é muito bela […]!
Todas [Isabel, a mãe e a irmã]
nos alegramos com a tua felicidade
porque muito te amamos.»

Santa Isabel da Trindade | 1880 – 1906
Carta 25. A Maria Luísa Maurel (sua amiga). 30.11.1899.

   

   Brilhas no meio das trevas

«Pede à Santíssima Virgem
que seja a tua guia,
que seja a estrela,
o farol
que brilhe no meio das trevas
da tua vida.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 40

   

   Ser um s conTigo

Existem duas coisas
pelas quais poder saber
se o corao est bem roubado em Deus.
A primeira:
se sentir em si nsias por Deus
e no amar coisa alguma fora dEle []
A alma assemelha-se a um recipiente vazio
espera de se encher,
ao faminto que deseja a comida,
ao doente que suspira por sade,
ao que se encontra suspenso no ar
sem ter onde se apoiar.
assim que o corao est bem enamorado.

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico Espiritual. 9, 6

   

   Derramas nova fora na minha alma

Tu Senhor, conheces a nossa debilidade,
E no momento oportuno alivias o jugo
Que pesa sobre as nossas costas.
Ds-nos a paz,
E falas-me na Tua Palavra Sagrada
E derramas nova fora na minha alma.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Edith Stein, Obras Selectas.

   

   Louvor da Rainha do Carmelo

Tuas duas filhas contigo, boa Me,
Quereriam festejar
a Rainha do Carmelo
Devotando-lhe nossa vida tambm,

Da Rainha imaculada
Seremos louvores damor.
nossa Me bem-amada,
Guarda-nos em fiel louvor.

Cedo, na Ptria,
Me, acolhe-nos,
Na vida eterna
Pe-nos junto de vs.

Desde h muito o santo Deus nos atrai
E caminhamos de claridade em claridade.
pra plena luz que nossa aspirao vai
Para ver enfim sua divina beldade!...

E no segredo da sua Face
Deus quer para sempre nos ocultar.
Me, na ao da graa
Seus dons havemos de celebrar.

   

   Reveste-me das Tuas virtudes, Maria!

Sou religiosa, Maria,
mas no me basta
estar vestida com o Teu santo Hbito:
quero revestir-me de graa,
de pureza, de candura.
Reveste-me de santidade, Me querida,
esconde as minhas misrias
com o manto da Tua pureza,
acende o meu corao do Teu amor,
para que eu possa ser menos indigna do Teu Filho.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Dirio II, pg. 46

   

   A unio entre Jesus e Maria

medida que Jesus cresce,
que a Sua misso redentora
se afirma e se realiza,
a unio entre Jesus e Maria
por meio do olhar contemplativo da f viva,
por meio dos poderosos laos
do amor recproco,
torna-se mais estreita e mais operativa.
O tende entre vs os mesmos sentimentos de Cristo,
recomendado pelo Apstolo
nunca se realiza em grau semelhante a este.
Tudo se torna comum:
oferta, sentimentos, pensamentos, misso.
Maria oferece-Se, reza, trabalha com Jesus,
com as mesmas intenes.
Eles caminham rumo mesma meta,
envolvidos no mesmo desgnio divino
que os uniu para a salvao da humanidade.

Beato Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Quero ver a Deus. 886

   

   A Santssima Virgem favorece a quem A tem no corao

Irei para o Carmelo:
para assegurar a minha salvao
e a de todos os meus.
A sua filha carmelita
velar sempre ao p dos altares pelos seus,
que se entregam a mil preocupaes,
que se necessitam para viver no mundo.
A Santssima Virgem quer que eu pertena
a essa Ordem do Carmelo,
pois foi a primeira Comunidade
que Lhe rendeu homenagem
e A honrou.
Ela nunca deixa de favorecer
as suas filhas carmelitas.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 73. Ao seu pai

   

   Para Nossa Senhora no existem barreiras nem fronteiras

Para Nossa Senhora
no existem barreiras nem fronteiras;
todos os caminhos se aplanam
e Ela passa como Senhora,
Rainha e Me,
todos A aclamam e bendizem de joelhos a Seus ps,
pedindo perdo, graa, fora e luz,
f e amor,
mesmo aqueles que no creem,
no esperam, no confiam
e no amam.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Como vejo a Mensagem. pg. 62

   

   Que sempre me lembre de Ti, minha Me!

No esqueas a tua Me do Cu;
pelo menos ao som de um sino,
diz-Lhe uma Av Maria.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Cartas I. 18

   

   A humildade da Virgem

[A humildade] trouxe-O [ao Senhor]
do Cu ao seio da Virgem;
e tambm por ela
O traremos preso por um fio de cabelo
s nossa almas.
E crede: quem maior a tiver, mais O possuir,
e quem menos, menos.
Porque no posso entender
como haja nem possa haver
humildade sem amor
nem amor sem humildade,
nem possvel haver estas duas virtudes
sem grande desapego de todas as coisas.

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Caminho de Perfeio. 16, 2

   

   Porque Te amo, Maria

Oh! Quisera cantar, Maria, por que Te amo
Porque que o Teu Nome to doce me faz vibrar o corao
E porque que o pensamento da Tua grandeza suprema
No poderia inspirar minha alma o sentimento do temor.
Se eu Te contemplasse na Tua sublime glria
E mais brilhante do que todos os bem-aventurados,
No poderia acreditar que sou Tua filha
Maria, diante de Ti, eu baixava os olhos!

preciso que uma filha possa amar a sua me
Que esta chore com ela, partilhe as suas dores
minha Me querida, na terra estrangeira
Para me atrares a Ti, quanto choraste!
Meditando a Tua vida no santo Evangelho
Ouso olhar-Te e aproximar-me de Ti
Acreditar que sou Tua filha no me difcil
Pois vejo-Te mortal e sofrendo como eu.

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Poesia 54. Por que Te amo, Maria

   

   Me

Me,
Me da minha alma,
Me do meu corao,
sou teu:
salva-me!
Me de Deus e minha Me,
s a minha vida e esperana!
Com esta confiana,
viverei em paz
e morrerei com alegria
at poder dar-Te um abrao eterno no Cu,
ao ver que fui salvo pela Tua intercesso

Santo Henrique de Oss | 1840 1896
Quarto de Hora de Orao, p. 231.232

   

   Subir a montanha do Carmelo

Quero subir a montanha do Carmelo
confiando na minha celeste Me.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Dirio I. pg 89

   

   Viva Jesus!

Contemplar Jesus,
amar Jesus...
no haja na minha memria recordao
que no seja de Jesus,
e no meu corao afeto, nem palpitao,
nem suspiro, nem fibra
que no clame:
Viva Jesus, sou de Jesus!

Santo Henrique de Oss | 1840 1896
Quarto de Hora de Orao. Escritos de Henrique de Oss. Tomo 1. pg. 296

   

   A Humildade abre o corao a Deus.

Decide-te por caminhar
pela estrada segura da humildade:
para isso faz atos externos;
atos internos sempre
A porta do Cu estar aberta para ti.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 42

   

   Prometo-Vos, meu Deus

Prometo-Vos, meu Deus,
no colocar obstculos
ao que podeis operar em mim,
segundo os Vossos desgnios.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Escritos Vrios. 7

   

   Fazer a vontade de Deus

Dizer-vos presentemente o que se passa em mim,
no o posso exprimir.
No sinto pena nem dvida alguma sobre o meu estado,
visto que no tenho outra vontade
seno a de Deus,
que me esforo por cumprir em todas as coisas
e qual sou de tal forma submisso
que no quereria levantar uma palha do cho
contra ordem Sua
nem por outro motivo
que no seja o Seu puro amor.

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 - 1691
Carta 02. A um conselheiro espiritual. Sem data.

   

   Deus chama-me pregao

Deus chama-me pregao
e vou deixar-me levar
pelo esprito que me conduz
e, onde encontrar uma porta aberta,
entrarei por ela.
Sinto repulsa no esprito e no corpo
andar de um lado para o outro,
sem residncia fixa,
dependendo dos amigos,
ou melhor, da providncia.
Mas, minha irm,
tu conheces bem a minha natureza,
quando Deus me chama,
no h obstculo,
por desagradvel e terrvel que seja,
que no ultrapasse.
E, alm disso,
quando Deus prega e fala em mim e por mim,
a palavra de Deus me salvar e confortar.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 54. 1

   

   Fao como as crianas

Fora do Ofcio Divino,
que sou muito indigna de recitar,
no tenho coragem para me obrigar
a procurar nos livros belas oraes;
isso faz-me doer a cabea.
H tantas..., e todas to belas,
tanto umas como as outras...
No podendo recit-las todas,
e no sabendo qual escolher,
fao como as crianas que no sabem ler:
digo muito simplesmente a Deus
o que Lhe quero dizer,
sem compor belas frases,
e Ele compreende-me sempre...
Para mim, a orao um impulso do corao,
um simples olhar lanado para o Cu,
um grito de gratido e de amor,
tanto no meio da tribulao
como no meio da alegria;
enfim, algo de grande,
de sobrenatural,
que me dilata a alma
e me une a Jesus.

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito C. 25r - 25v

   

   Os olhos fixos em Ti

Como poderia ter limites
a minha confiana [em Ti, Jesus]?
... Ah! por Ti, bem o sei,
os Santos fizeram tambm loucuras;
fizeram grandes coisas, porque eram guias...
Jesus, sou demasiado pequena para fazer coisas grandes...,
e a minha loucura esperar que o teu Amor
me aceite como vtima.
A minha loucura consiste em suplicar s guias,
minhas irms,
que me obtenham o favor de voar
em direo ao Sol do Amor
com as prprias asas da guia Divina...
Por tanto tempo quanto quiseres, meu Bem-amado,
o teu passarinho ficar sem foras e sem asas;
permanecer sempre com os olhos fixos em Ti.
Quer ser fascinado pelo Teu divino olhar,
quer tornar-se a presa do Teu Amor...
Um dia, assim o espero, guia adorada,
virs buscar o Teu passarinho
e, subindo com ele para o Fogo do Amor,
mergulh-lo-s eternamente
no ardente Abismo desse Amor,
ao qual se ofereceu como vtima...

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito B. 5v

   

   Por esta porta temos que entrar

Vejo eu claramente e vi depois
que, para contentar a Deus
e para Ele nos fazer grandes mercs,
quer que seja por mos
desta Humanidade Sacratssima,
na qual Sua Majestade disse que Se deleita.
Muitas, muitas vezes
o tenho visto por experincia
e tem-mo dito o Senhor.
Tenho visto claramente
que por esta porta temos de entrar,
se queremos que a soberana Majestade
nos mostre grandes segredos.
Assim, V. Merc, senhor,
no queira outro caminho,
embora esteja no cume da contemplao;

   

   Tu s tudo para mim!

amor,
amor de Deus,
porque confio to pouco em Ti?
Quero lanar-me nos braos
da Tua santssima vontade
com um grande e imenso amor.
Quero fechar os olhos a tudo
A tudo o que so as minhas esperanas,
quero confiar s em Ti.
Tu s tudo para mim.
Tu s.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Dirio II. pg. 140

   

   Receber Jesus

O perfeito exerccio do amor
desejar sem fim receber Jesus!!

Beata Elias de S. Clemente | 1901 1927
Carta 93. A Vicenza Rinaldi. 12.04.1925.

   

   Deus paz

Deus paz,
d a paz
e a paz a mais pura alegria.
Fora de Deus
o corao jamais encontra repouso.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Conselhos. 1,3

   

   O toque divino

A terra est plena de desolao,
dizia o profeta,
porque ningum reflete em seu corao.
Mas que terra desolada esta? seno a alma,
quando, no entrando em si mesma,
onde Deus habita,
j no capaz de encontrar a fonte que jorra?
Os santos bem souberam fazer este movimento interior
e em que profundidade!
O solo da alma deles
era assim refrescado sem cessar
pelas guas vivas,
pelo contacto do Amor infinito:
viviam no Esprito Santo
no mais profundo de si prprios;
no fundo do abismo produzia-se o toque divino.

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Nota ntima 17. A contnua visita de Deus. Julho de 1906

   

   O poder do Teu Amor

Deus infundir,
na realizao desse desgnio sobre cada um de ns,
todo o poder do Seu Amor,
de forma que ns possamos bendizer
a Sua misericrdia infinita.

Beato Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferncias. 08.05.1966

   

   Jesus quer que o faa

Por favor,
permita-me oferecer-me ao Corao de Jesus
como vtima propiciatria pela paz verdadeira.
[] Sei que no sou nada,
mas Jesus quer que o faa,
e certamente que nestes dias [tempo de guerra]
Ele chamar a muitos para isto.

Santa Teresa Benedita da Cruz |
Edite Stein, Carta 286.

   

   Fome de que todos se salvem

fome,
sede insacivel a que sinto
de que as almas busquem a Deus.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 104

   

   Amar a Deus, mais do que a si mesmo

Por aqui poder a alma saber muito bem
se ama puramente a Deus ou no.
Se O ama,
no ter corao para se amar a si mesma
nem para fazer caso do seu gosto e proveito,
mas s para a honra e glria de Deus
e para Lhe agradar,
porque quanto mais se amar a si mesma,
menos corao ter para Deus.

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico Espiritual. 9,5

   

   Meu Jesus!

meu Jesus e tudo o que tenho!
Tu sabes que Te amo,
porque sabes tudo;
mas quo pouco Te amo, meu Jesus e meu tudo!
Grava o Teu nome no meu entendimento,
na minha memria, nos meus lbios
e, sobretudo, no meu corao,
para que no me recorde mais que de Jesus,
no fale mais que de Jesus,
nem ame mais que a Jesus.

meu Jesus e tudo o que tenho!
Ou amar-Te ou morrer;
ou melhor, viver e morrer,
amando-Te sobre todas as coisas,
com todo o meu corao,
com toda a minha alma
e com todas as minhas foras.
Que eu no v deste mundo, meu Jesus,
sem tornar-Te conhecido e amado,
quanto me seja possvel.
Aumenta o meu amor, meu Jesus e meu tudo.

Santo Henrique de Oss | 1840 1896
Revista Santa Teresa, 230, janeiro 1896, 100

   

   Segundo a Tua vontade

Rezamos, sim,
mas deixamos que Deus faa.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinrio (P. Ildefonso). 32

   

   Deus no me abandonar.

Carssima filha em Jesus Cristo:
no se descobrem os imensos tesouros escondidos
numa vida solitria,
quieta, pacfica e contemplativa,
seno olhando-os a partir do mundo
com uma alma de contemplativo.
Acredito que estejas bem,
ou seja, bem na maneira de falar;
pelo menos tens uma soledade para gemer,
suspirar e desafogares o teu esprito com Deus.
Para te salvar e me salvar a mim
dou-te uma regra que :
calar, obedecer e confiar a Deus a salvao.
Assim o fao eu por meu lado.
Digo-te calar e obedecer
e esperar em silncio
para que tenhas a certeza do que te vou dizer.
Deus no me abandonar,
e no me abandonar
porque sabe e conhece o fundo da minha alma,
conhece a rectido das minhas intenes,
propsitos e fins,
v a minha lealdade e generosidade
em sacrificar tudo quanto estimo.

Beato Francisco Palau | 1811 1872
Carta 49,1

   

   Confiana simples e amorosa

Quanto queles que amam [a Jesus]
e que vm depois de cada indelicadeza
pedir-Lhe perdo, lanando-se nos Seus braos,
Jesus estremece de alegria,
diz aos anjos o que o pai do filho prdigo dizia aos servos:
Vesti-lhe o seu melhor vestido,
ponde-lhe um anel no dedo, alegremo-nos.
Ah! Meu Irmo,
como a bondade,
o amor misericordioso de Jesus
so pouco conhecidos!...
verdade que para gozar destes tesouros,
preciso humilhar-se,
reconhecer o seu nada,
e o que muitas almas no querem fazer,
mas, meu Irmozinho,
no assim que procedeis,
por isso o caminho da confiana
simples e amorosa
bem indicado para vs.

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 261. Ao Pe. Bellire

   

   Infundi em ns a Vossa caridade

caridade
dos que verdadeiramente amam este Senhor
e conhecem a Sua condio!
No tm descanso
quando vm que podem contribuir um pouco
para que uma alma s aproveite
e ame mais a Deus,
ou para lhe dar alguma consolao
ou para a tirar de algum perigo!
Que mal descansariam
se descansassem por sua conta!
E, quando nada podem com obras,
valem-se da orao,
importunando o Senhor
pelas almas cuja perda lamentam.
Com gosto perdem o seu regalo
e o tm por bem perdido,
porque no se lembram do que as contenta,
mas sim da maneira de melhor fazer a vontade do Senhor.

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Fundaes. V, 5

   

   Assim tambm o que Me come viver por Mim

Uma esposa que Te ame,
Meu Filho, dar-Te queria
Que por Teu amor merea
Estar em Nossa companhia.
E comer po numa mesa
Do mesmo que Eu comia.

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Romance sobre o Evangelho In Principio erat Verbum, 3

   

    semelhana de Jesus

No Paraso
quanta exultao teremos
ao vermo-nos exatamente conformes
ao nosso grande Modelo:
Jesus!

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Cartas III. 142

   

   Ser louvor da Sua eterna glria!

Fomos criados e escolhidos por Deus
para sermos o louvor da Sua eterna glria.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 3

   

   A tua morada o Cu!

Pequena estrelinha de Maria
Coragem, sempre para a frente!
A tua morada o belo cu
no silncio da noite,
quando tudo se cala,
tu brilhars
e em linguagem muda
cantars as misericrdias de Jesus!...

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 93. A Vicenza Rinaldi. 12.04.1925.

   

   Apraz-Lhe fazer sentir a Sua presena

Nesta presena das trs divinas Pessoas,
da qual impossvel duvidar,
parece que se experimenta claramente
o que diz S. Joo:
Deus faria morada na alma, no s por graa,
mas porque Lhe apraz fazer sentir a Sua presena.

Santa Teresa de Jesus | 1515 1582
Contas de Conscincia 6,9

   

   Uma palavra de consolo

Desejava dar-lhe uma palavra de consolo.
Mas como seria isso possvel
margem da f?
A f cuja fora criadora e transformadora
experimento realissimamente em mim e noutros,
a f que levantou as catedrais da Idade Mdia
e a no menos maravilhosa obra da liturgia,
a f, a que Santo Toms chama
o princpio da vida eterna em ns,
diante dela todo o cepticismo cai por terra.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 1942
Edite Stein, Obras Completas Carta 143

   

   Enviais-me o maior dos sacrifcios

meu Deus,
enviastes-me o maior dos sacrifcios!
Depois de vos haver recebido diariamente ,
que me irei tornar sem Vs?
Mas, vs mo dissestes,
no tendes necessidade do Sacramento
para virdes a mim!
Amor, como sabeis consolar-me,
como junto de Vs a minha pobre alma
reencontra fora e coragem!
meu Bem, minha Vida,
sois Vs quem dais;
pouco me importando o que me enviais:
uma vez que venha de Vs
sempre bem bom!
Oh! agradeo quando me experimentais,
porque ento me parece que estais mais prximo,
que me amais ainda mais
e que a nossa unio mais estreita!
Amor, como bom sofrer por Vs e conVosco!
Recordai-vos apenas da minha fraqueza;
ajudai-me, que nada posso sem vs,
sede o meu Sustentculo e a minha Fora,
meu Deus.

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Nota ntima. 10. 20 de Outubro de 1900

   

   Roubar o corao

Porqu, tendo chagado
a este corao, o no curaste?
E, pois mo hs roubado,
por que assim o deixaste?

Roubar, no outra coisa
seno desapropriar algum do que seu
e apropriar-se disso quem rouba.
A alma, portanto,
apresenta aqui esta queixa ao Amado, dizendo:
J que Ele lhe roubou por amor o seu corao
e o retirou da sua posse e poder,
porque que no Se apoderou verdadeiramente dele,
e no ficou com ele, como faz o ladro?
De facto, o ladro leva consigo o roubo que roubou.
por isso que
do enamorado se diz ter o corao roubado
ou arrebatado por aquele que ama,
pois tr-lo fora de si, na coisa amada;
j no tem corao para si,
mas s para o que ama.

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico Espiritual. 9. 4-5

   

   Conduzido pela Tua mo de Pai!

A alma unida a Deus
diviniza-se de tal maneira
que chega a desejar e a agir
conforme Jesus Cristo.
Haver algo maior no mundo do que Deus?
Haver algo maior
do que uma alma divinizada?
No esta a maior grandeza
a que o homem pode aspirar?

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 40

   

   Aumenta a minha f

Peamos a Nosso Senhor
que Se digne aumentar a nossa f:
Eu creio, mas aumenta a minha f,
a fim que eu tenha a disposio necessria
para ser purificado por Vs,
santificado por Vs,
para ser outro Vs mesmo.

Beato Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferncias. 06.11.1966

   

   A divina corrente do amor

No quero perturbar-me
com as minhas misrias:
quero fazer penetrar nelas
a divina corrente do amor.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Dirio I. pg 125

   

   Quem ama

[]Quem ama
j no possui o seu corao;
entregou-o ao Amado.

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico Espiritual. 9, 2

   

   Onde h amor, h Deus

Onde h caridade, h Deus.
Se estivermos atentos
a fazer o bem ao nosso irmo,
Deus estar atento a ns.
Se cavarmos um buraco para o nosso irmo,
estamos a cav-lo para ns;
seremos ns mesmos que cairemos nele.
Mas se fizermos o Cu para o nosso irmo,
estaremos a faz-lo para ns.

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 1878
Penses de Marie de Jesus Crucifi, de Fr. Denis Buzy, SCJ

   

   Sou Teu!

Senhor,
Deus do meu corao,
muitas vezes tenho vivido
na cegueira mais absoluta,
longe de Ti.
Pensava procurar a felicidade
e o meu corao andava cada dia mais vazio.
S Tu, Senhor,
s capaz de encher a minha vida.
Tu, o meu ltimo fim!
Tudo por Ti,
nada sem Ti.
Sou Teu!

Santo Henrique de Oss | 1840 - 1896
Quarto de Hora de Orao, p. 31.

   

   Adorar

A adorao amor!

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 42

   

   Tudo comum entre os Amantes

A alma em graa,
que est na caridade de Deus,
est em Deus e Deus est nela,
porque ela vive da vida de Deus,
e Deus, de carta maneira,
da vida dela.
E assim ,
porque entre eles h uma s vida,
uma s caridade,
um Deus s!
Mas em Deus
tudo isto por essncia,
na criatura
por participao e por graa
e assim verdade
que tudo comum entre os Amantes.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinrio (P. Ildefonso). 36

   

   Ele est no Santssimo Sacramento

J muita misericrdia nos faz a todos,
querendo Sua Majestade que entendamos
ser Ele que est no Santssimo sacramento.
Mas que O vejam a descoberto,
e comunicar Suas grandezas
e dar Seus tesouros,
no quer seno queles
a quem entende que muito O desejam,
porque estes so os seus verdadeiros amigos.

Santa Teresa de Jesus | 1515 1582
Caminho de Perfeio 34,13

   

   Agir amando-Te

E no s uma obra,
tirando alguma parte da perfeio que h-de ter,
se torna pesada,
mas todas seguem por essa ordem:
que umas facilitam as outras
ou as tornam mais dificultosas.

Madre Maria de S. Jos | 1548 - 1603
Instruo de Novias

   

   Deixar-me purificar pelo amor

Bom Deus,
como tudo se purifica no corao
e no esprito,
como tudo cresce,
como tudo se eleva,
quando o olhar se volta para Vs

Beata Elias de S. Clemente | 1901 1927
Carta 93. A Vicenza Rinaldi. 12.04.1925.

   

   Estar em silncio e em calma

Para alcanar a paz interior
o que podemos fazer abrir-nos graa!
Quer dizer, renunciar completamente
nossa prpria vontade
e deixar-nos arrastar unicamente
pela vontade divina,
pondo toda a nossa alma dcil
para receber e ser transformada
nas mos de Deus.
Nisto coincidem o vazio
e o estar em silncio e em calma.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 1942
Edite Stein, Caminhos para a paz interior.

   

   Crer como a criana

[]
Qual deve ser a firmeza da nossa convico
e a extenso da nossa f em Deus:
temos de acreditar no poder
imenso da Sua palavra operante,
na sabedoria eterna do Seu Ser
que manancial de vida,
nas leis com que marcou os nossos caminhos,
na Sua obra criadora e redentora,
na palavra do Seu Verbo
e na doutrina que Ele nos ensinou,
na Sua Igreja depositria dessa doutrina
que o Seu Verbo lhe confiou,
na Sua misericrdia,
no Seu perdo e no Seu amor.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 23

   

   Bem aventurados os pobres em esprito.

Que esta esperana em Deus
que deve crescer sem cessar
e orientar sem cessar o nosso olhar
para o amor infinito que nos tomou,
nos faa compreender em cada dia,
a necessidade da nossa pobreza espiritual.

Beato Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e conferncias. 08.05.1966

   

    o Teu amor que opera em mim as obras do amor

Como possvel
que a companhia secreta
e o trato interior e amoroso
com o Senhor do universo,
que a prpria vida da alma que O ama,
no seja de forte ajuda e de estmulo
para as obras externas,
muito mais
porque estas se fazem todas
e unicamente por Seu amor?

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinrio (P. Ildefonso). 36

   

   Jesus o Capito do meu barco

Jesus alimenta-me todos os dias
com a Sua Carne adorvel
e, juntamente com este manjar,
escuto uma voz doce e suave,
como os ecos harmoniosos
dos anjos do Cu.
Esta a voz que me guia,
que solta as velas do barco da minha alma,
para que no sucumba
e para que no se afunde.
Sempre sinto essa voz querida,
que a voz do meu Amado,
a voz de Jesus no fundo da minha alma;
nas minhas penas,
nas minhas tentaes,
Ele o meu consolador,
Ele o meu Capito.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 192
Dirio. 10

   

   Desejos intensos de Deus

[A alma] diz que est a morrer de amor
por causa da vastido admirvel destas criaturas
que lhe falam dEle,
mas que no acabam de O mostrar.
Chama-lhe um no sei qu,
por no se saber dizer,
mas sente-se de tal maneira
que a alma fica a morrer de amor.
Este morrer de amor
comea na alma por um toque
de notcia altssima da Divindade,
que um no sei qu, [] que ficam balbuciando.
Este toque no contnuo,
nem muito intenso,
pois, se o fosse,
a alma desprendia-se do corpo;
pelo contrrio, passa depressa.
E assim fica a morrer de amor,
e este morrer intensifica-se
ao ver que no acaba de morrer de amor.
um amor impaciente,
de que se fala no Gnesis,
quando a Bblia diz
que o amor de Raquel em conceber era to grande,
que disse ao seu esposo Jacob:
D-me filhos, seno morrerei. (Gn 30, 1).

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico Espiritual 7, 1 e 4

   

   Jesus Cristo, Caminho, Verdade e Vida

Meu Senhor Jesus,
caminho, verdade e vida da minha alma,
no me falem os doutores,
os sbios nem os profetas;
fala-me Tu, Verdade eterna,
que abriste a boca dos profetas
e iluminaste e iluminas
a todo homem que vem a este mundo.

Calem-se na Tua presena todas as criaturas,
e fala-me Tu, Criador delas,
que mais proveito faz a alma
uma palavra sada da Tua boca,
que os mais sublimes
e bem compostos discursos dos homens.

Tuas mos me fizeram e me formaram:
completa pois a Tua obra
com as Tuas instrues.
Tu conheces melhor que ningum
o que falta de luz na minha inteligncia
e de amor no meu corao,
para ser o que Tu queres
e no grau que Tu queres,
e estes so, bem o sabes, meu Senhor,
os nicos desejos do meu corao,
sedento de palavras de vida eterna e de sade.

Santo Henrique de Oss | 1840 - 1896
Um ms na Escola do Sagrado Corao

   

   Ter um Pai

A pessoa que acredita em Deus feliz,
porque sabe que tem um Pai
que est na origem
e acima de toda a paternidade humana.
Ama o seu Pai,
descansa nos Seus braos
e vive para esse Pai,
que sabe ser bondade,
misericrdia,
perdo
e amor!

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 23

   

   Delicia-te em pensares em Deus no meio das ocupaes

Ama o teu Deus,
no s com todo o corao,
mas tambm com toda a tua mente.
Delicia-te com o pensares em Deus,
com a Sua divina presena.
Eleva e emerge a tua mente nEle:
Ele circunda-te por todos os lados,
nEle vives e te moves.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 50

   

   Levar no corao e orao os nossos irmos.

Esta carta vai chegar-te no dia da tua festa
e levar os meus melhores parabns.
nas mos de Maria que os deixo
e os deponho:
a Quem melhor poderia eu confi-los?
Tive a felicidade de ir a Lourdes no ms passado;
ser preciso dizer-te que rezei muito por ti,
querida amiga,
e por todos os que te so queridos?
Estou certa que o adivinhas, no ?...
Estiveste no meu corao,
no poderia esquecer-te!...

Santa Isabel da Trindade | 1880 1906
Carta 30. A Maria Lusa Maurel (sua amiga). 12.08.1900.

   

   Mergulhar no mais ntimo de si

[]Entremos em ns mesmos,
quebremos este dique,
deixemos amanhecer a graa,
reparemos o tempo perdido;
temos pouco tempo para viver,
a morte segue-nos de perto,
mantenhamo-nos alerta: s se morre uma vez!
Mais uma vez,
entremos em ns mesmos,
o tempo aperta,
no h mais dilaes,
est cada um por si.
Creio que vs haveis tomado medidas
de tal forma certas
que no sereis apanhada de surpresa:
eu vos louvo por isso,
pois esse o nosso ofcio!

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 1691
Carta 01. A uma Religiosa. 01 de Junho de 1682.

   

   A Providncia de Deus

Digo-te isto
para que tu tambm
te abandones Sua Providncia.
Que bem cuidado est
o que se fia em Deus!
Na orao ocupa-te em adquirir esta confiana
pois tens necessidade disso.
Essa confiana supe a f
na Sua Providncia
e a providncia o cuidado e a solicitude paternal
que Deus tem connosco.
Deixemos que Deus cuide de ns,
que nos governe,
que nos guie,
e esta confiana nos proteger
contra as horrveis inquietaes,
nsias e temores que nos assaltam,
procedentes das nossas prprias iluses.
Oferece-te a Nossa Senhora na orao,
coloca-te sob a Sua proteco
e confia nEla.
Confiemos em Deus e na Sua Me,
confiemos-Lhe as nossas coisas
e no seremos defraudados
nem confundidos nas nossas esperanas.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta.56.2,3

   

   Morrer por amor

O Martrio!
Eis o sonho da minha juventude.
Este sonho cresceu comigo
sob os claustros do Carmelo...
Mas tambm nisso,
sinto que o meu sonho uma loucura,
pois no saberia limitar-me a desejar
um gnero de martrio...
Para me satisfazer, ser-me-iam precisos todos...
Como Tu, meu Esposo adorado,
quereria ser flagelada e crucificada...
Quereria morrer esfolada como S. Bartolomeu,
e ser mergulhada em azeite a ferver, como S. Joo.
Desejaria suportar
todos os suplcios infligidos aos mrtires...
Como Santa Ins e Santa Ceclia
quereria apresentar o pescoo espada,
e como Joana dArc, minha querida irm,
quereria, na fogueira, murmurar o teu nome, Jesus!...
Ao pensar nos tormentos
que sero a sorte dos cristos no tempo do Anticristo,
sinto estremecer o corao,
e quereria que me fossem reservados esses tormentos...
Jesus! Jesus! Se quisesse escrever
todos os meus desejos,
ser-me-ia preciso utilizar o Teu Livro da Vida
onde esto descritas as aces de todos os santos,
e essas aces quereria t-las feito por Ti...

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito B. 3r

   

   S com amor se leva a cruz

No h madeira como a da Cruz
para acender na alma
o fogo do amor!

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 138

   

   Sou de Jesus

Sou de Jesus:
quero s-lo sempre mais,
quero viver como reflexo da Sua prpria Vida.
Sinto Jesus em mim.
Ele procura sempre mais
o fundo silencioso da minha alma.
Quer-me trabalhar,
quer-me transformar toda nEle:
d-me a Sua vida.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Dirio I. pg 105-106

   

   Sentei-me sombra

Sentei-me sombra
d'Aquele a quem havia desejado,
e seu fruto doce minha garganta. []
Oh! Que sombra esta to celestial,
e quem soubesse dizer
o que sobre isto d a entender o Senhor.

Santa Teresa de Jesus | 1515 1582
Conceitos de Amor de Deus 5,2

   

   No estamos ss

Como somos felizes
quando fazemos da nossa vida
um corao a corao,
uma troca de amor
com o Mestre divino,
quando O sabemos encontrar
no fundo da alma!...
Oh! Ento j no estamos ss
e temos necessidade de solido
para gozar da presena
do Hspede adorado!
S com Jesus s, eis o meu Cu!

Beata Elias de S. Clemente | 1901 1927
Carta 93. A Vicenza Rinaldi. 12.04.1925.

   

   Dentro da vida divina

A minha alma est vazia
do que a pode agitar e sobrecarregar,
mas cheia de santa alegria,
de animo e de fora para trabalhar.
Encontra-se numa nova dimenso,
porque saiu de si
e se submergiu dentro da vida divina.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Edite Stein, Caminhos para a paz.

   

   Reconhecer-Te como meu Senhor e meu Deus!

j coisa sobrenatural
e que no podemos procurar por ns mesmos,
por mais diligncias que faamos;
porque um pr-se a alma em paz,
ou p-la o Senhor, para melhor dizer,
com a Sua presena,
como fez ao justo Simeo,
porque todas as potncias se sossegam.
Entende a alma,
de um modo muito diverso do entender
com os sentidos exteriores,
que j est ali junto,
mesmo ao p de Deus,
que, com mais um poucochinho,
chegar a estar feita uma mesma coisa com Ele
por unio.
Isto, no porque O veja com os olhos do corpo,
nem com os da alma.

   

   A orao

O amor vai orao
para a encontrar um alimento,
um desenvolvimento
e a unio perfeita
que satisfaz todos os desejos.

Beato Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Vem encontrar o Deus Vivo. pg. 21

   

   Presena de Deus

Ofereci vrias Comunhes por tua inteno,
pobre irm
que tens estado privada
de receber Aquele
que a tua alma unicamente deseja;
mas, repara,
Ele no tem necessidade do Sacramento
para vir at junto de ti...

Santa Isabel da Trindade | 1880 1906
Carta 42. A Margarida Gollot (sua amiga, com aspiraes ao Carmelo). 30.03.1901.

   

   Ver em tudo a vontade de Deus

No deves abrigar no teu corao,
irmzinha,
esses sentimentos de desconfiana.
Procura sufoc-los na sua raiz,
rejeitando os pensamentos sombrios.
Porque te contrariam
e no fazem o que tu queres,
pensas que no gostam de ti?
Ento tambm eu diria o mesmo:
pois quando estava em casa
tinha que contrariar a minha vontade
at no mais mnimo detalhe.
No penses que s vezes
no me sentia contrafeita
por ter de me amoldar aos outros.
No entanto, minha irmzinha,
tinha o consolo de ver em tudo
a vontade de Deus[].

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 159 sua irm Rebeca

   

   A nossa vida est em Deus

bom lembrar
que a alma vive mais onde ama
do que no corpo que anima.
Ela no recebe a sua vida do corpo,
antes a d ao corpo
e vive por amor em quem ama.
Mas, alm desta vida de amor,
com o qual vive em Deus que a ama,
tambm ela, como todas as criaturas,
tem a sua vida, radical e naturalmente,
posta em Deus, conforme diz S. Paulo:
nEle que vivemos,
nos movemos
e existimos.
Quer dizer:
A nossa vida, o nosso agir e o nosso ser
esto em Deus.
S. Joo diz que tudo quanto foi criado
j era vida em Deus.

   

   Derrete o meu gelo, Senhor!

salvao minha!
Faz derreter o gelo que est no meu corao.
Quando o sol se pe,
o frio torna o gelo como uma pedra,
e se o sol aparece
o gelo liquefaz-se.
Assim a minha alma, Senhor:
se Tu a deixas,
fica gelada como uma pedra,
como um corpo morto [].
Vem, vem minha Vida.
Apressa-Te a vir para me ressuscitares!

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevaes Espirituais. 25.

   

   Senhor Jesus: s a minha alegria!

Senhor Jesus,
Tu prometeste-nos o descanso e a felicidade,
e eu creio em Ti!
Sei que, apesar das dificuldades,
eu sempre encontrarei em Ti
o que preciso para ser feliz.
E que, por outro lado, nunca nada nem ningum
poder saciar a minha sede de amor e de felicidade.
Por isso, consola-me ouvir dos Teus lbios
essas palavras de Mateus:
Vinde a Mim encontrareis descanso.
Jesus, s sempre o meu descanso,
a minha paz, a minha felicidade.
Sem Ti de nada sou capaz,
mas conTigo tudo posso.
Sem Ti no h felicidade nem paz,
mas conTigo tudo poderei superar
e sempre ser suave o Teu jugo
e leve o Teu fardo!

Santo Henrique de Oss | 1840 1896
Quarto de Hora de Orao, pg. 81.

Na foto: Santo Henrique de Oss, que hoje se celebra.

   

   Estar cheio da luz de Deus.

Que as tuas palavras,
os teus actos,
tudo resplandea da luz do bom exemplo,
do calor do Divino Amor
que deve arder-te no corao.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 43

   

   Amor com amor se paga.

Quem mais recebe de Deus,
com maior razo
est obrigado a corresponder.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Carta 8

   

   F viva!

Ele
[de acordo com a tradio teresiana,
conta a sua histria falando de um terceiro
para no atrair a ateno sobre si]
queixa-se frequentemente da nossa cegueira
e exclama sem cessar
que ns somos dignos de compaixo
por nos contentarmos com to pouco.
Deus, diz ele,
tem tesouros infinitos para nos dar;
e uma pequena devoo sensvel,
que passa num momento,
satisfaz-nos
Que cegos somos,
pois assim atamos as mos a Deus
e estancamos a abundncia das Suas graas.
Mas, assim que Ele encontra uma alma
penetrada de f viva,
derrama nela graas em abundncia.
[]Entremos em ns mesmos, []
deixemos amanhecer a graa,
reparemos o tempo perdido;
temos pouco tempo para viver,
a morte segue-nos de perto,
mantenhamo-nos alerta:
s se morre uma vez!

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 - 1691
Carta 01. A uma Religiosa. 01 de Junho de 1682.

   

   Nas mos de Deus

O senhor desejava
que eu no inclusse o sobrenatural?
Ora bem, seno fosse para falar disso,
desde logo eu no subiria a nenhuma tribuna.
No fundo uma verdade
muito pequena e simples
a que sempre tenho que dizer:
como se pode comear a viver
nas mos de Deus.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 1942
Carta 76.

   

   A Igreja corpo de Cristo

Os baptizados,
incorporados pelo baptismo e pela Eucaristia em Cristo,
sua Cabea,
por mais que a morte reduza a p e a cinza a carne,
se morrem em graa, []
logo que purgados ascendem glria;
quer se encontrem no cu, ou na terra,
ou sob a terra,
so o Corpo de Cristo.
A Cabea da Igreja,
Cristo Deus e homem,
est presente no cu e na terra,
l como c, em Cristo, a presena real:
comunga um, comungam mil,
todos esto unidos a ela.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
As minhas vivncias com a Igreja

   

    meu Jesus! eu amo-Te!

meu Jesus! eu amo-Te!
Amo a Igreja, minha Me.
Sei que o mais pequeno acto de puro amor
lhe mais til que todas as outras obras juntas.
Mas o puro amor estar de facto no meu corao?...
Os meus imensos desejos
no sero um sonho, uma loucura?...
Ah! se assim for, Jesus, ilumina-me!
Tu bem sabes, eu procuro a verdade...
Se os meus desejos forem temerrios,
f-los desaparecer,
pois esses desejos so para mim
o pior dos martrios...
Sinto, no entanto, Jesus,
que depois de ter aspirado s mais elevadas regies do Amor,
se eu no houver de as atingir um dia,
terei experimentado mais deleite no meu martrio,
na minha loucura,
do que experimentarei
no seio das alegrias do Cu,
a no ser que, por um milagre,
me tires a recordao das minhas esperanas da terra.
Nesse caso, deixa-me gozar durante o exlio
as delcias do Amor.
Deixa-me saborear
as doces amarguras do meu martrio...

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito B. [4v]

   

   O beijo de Jesus

Cada cruz da vida
como um beijo de Jesus.
Que este beijo seja a fora do [nosso] esprito
para poder caminhar cheio de amor
pelos caminhos da glria.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Pensamentos sobre Imagens (1 srie). 86. pg. 30

   

   Deus protege-me de O ofender

Deus protege-me tanto de O ofender
que, por vezes, at me espanto.
Sem que da minha parte
tenha feito quase nada para isso,
parece-me ver o grande cuidado
que Ele tem comigo.
Antes destas coisas
eu era uma imensidade de pecados e maldades
e no me parecia ser senhora de mim
para os deixar de cometer.

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Contas de Conscincia 3,12

   

   Sorrisos e carcias

Quero espalhar sorrisos e carcias
pelo meu Jesus

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Pensamentos. 25-6-1924

   

   Orar acolher a felicidade

A orao o trato de amizade
da alma com Deus.
Deus Amor,
e Amor bondade que se d a si mesma.
Uma plenitude existencial
que no se encerra em si,
mas que se derrama,
que se quer dar e fazer felizes.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 1942
Edite Stein, Amor com Amor.

   

   Pela Eucaristia ressuscitamos no ltimo dia

pela f que vemos Jesus Cristo:
sabemos que o Verbo de Deus;
acreditamos na Sua palavra,
na Sua Igreja;
queremos seguir o caminho
que Ele nos traou para, por Ele,
chegarmos ao Pai;
e, por Ele, seremos ressuscitados no ltimo dia.
Sim, porque, alimentando-nos do po da Sua Mesa,
bebendo ns do Seu clice,
temos a Sua vida em ns:
tornamo-nos um s com Ele,
pela participao do Seu Corpo e do Seu Sangue
na Eucaristia.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 10

   

   A Misericrdia derrama-se em caudal forte e amoroso

A misericrdia,
o amor que ultrapassa todas as barreiras da justia,
que se d na medida das deficincias
e das necessidades da alma.

Beato Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Dirio. pg. 23

   

   Entrega total

Ditosa a alma que ama de verdade,
pois o Senhor tornou-se seu cativo por amor!

Santa Isabel da Trindade | 1880 1906
Cu na terra, 10

   

   Depois da morte: os braos de Deus

A morte:
todos temos que morrer.
Tudo passa, e ns tambm.
Todos os dias nos aproximamos da eternidade.
Para qu apegarmo-nos s coisas que morrem?
As honras nunca so semelhantes virtude
e so miserveis criaturas
aquelas que no-las tributam.
As riquezas perdem-se em si.
No valem nada e no do a felicidade. []
S Deus nos pode encher.
Ele a verdade e o bem imutvel.
Ele o amor eterno.
Oh meu Jesus e minha Me,
que pertena a Ele para sempre!
Que nada me chame a ateno na terra
seno o sacrrio.
Conserva-me pura para Ti.
Que quando morrer possa dizer:
que felicidade
porque me irei perder no Oceano Infinito
do Corao de Jesus,
meu Esposo adorado.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Dirio. 42. (Retiro de 1918)

   

   Na minha fraqueza tornas-me forte

Na pobreza, abandono
e desapego de todas as apreenses da minha alma,
isto , na escurido do meu entendimento
e na angstia da minha vontade,
na aflio e agonia da memria,
ficando s escuras em pura f,
que noite escura para essas potncias naturais,
s com a vontade tocada de dor,
das nsias e desejos do amor de Deus,
sa de mim mesma,
isto , do meu baixo modo de entender,
da minha fraca maneira de amar,
da minha miservel e pobre maneira
de saborear a Deus.

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
2 Noite Escura 4,1

   

   Deus fala atravs dos homens da Igreja

Deus fala connosco atravs da Igreja.
Sim, porque Cristo, como homem
a Cabea
e os que Me amam [a Deus]
ao unir-se com Ele
so os seus membros,
e Eu, teu Deus,
falo pela boca da Igreja
revelando-te as verdades eternas.
Acredita, pois, na Igreja;
ouve e escuta atentamente a sua voz:
Quando fala o papa como tal,
fala a Igreja,
porque fala como Cabea do seu Corpo,
e o Pontfice com Cristo so uma s Cabea.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Minhas Vivncias com a Igreja - IV Domingo Advento 1864, pag. 781.

   

   Recomear sempre!

Visto que, por Sua misericrdia,
Ele nos d ainda um pouco de tempo,
comecemos deveras!
Reparemos o tempo perdido.
Voltemos com inteira confiana
a este Pai de bondade,
que est sempre pronto
para nos receber amorosamente.
Renunciemos, [] renunciemos generosamente,
por Seu amor,
a tudo o que no Ele,
Ele merece infinitamente mais.
Pensemos Nele sem cessar.
Ponhamos Nele toda a nossa confiana,
eu no duvido de que experimentaremos rapidamente
os efeitos disso
e de que no ficaremos insensveis
com a abundncia das Suas graas,
com as quais podemos tudo
e sem as quais no podemos mais do que o pecado.

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 1691
Carta08. A uma religiosa. 28 de Maro de 1689.

   

   Senhor, enches os meus vazios

Que coisa podes tu dar a Jesus?
Podes dar-lhe o teu nada
num acto de humilde abandono.
A humildade
o admirvel segredo do amor.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Escritos Vrios. pg. 11-12

   

   Determinao

Deus quer que a nossa orao
seja feita com verdade,
dando-nos conta do que somos,
da nossa pobreza,
do nosso nada diante de Deus;
dando-nos conta
do que pedimos e prometemos,
com sinceridade,
dispostos a cumprir as nossas promessas.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 9

   

   Que farei, Senhor meu?

Parece-me, Senhor meu,
que descansa a minha alma
considerando o gozo que ter
se, por Vossa misericrdia,
lhe for concedido gozar de Vs.
Mas quereria primeiro servir-Vos,
pois h-de gozar do que Vs,
servindo-a a ela, lhe ganhastes.
Que farei, Senhor meu?
Que farei meu Deus?

Santa Teresa de Jesus | 1515 1582
Exclamaes 4,1

   

   Como um gro de areia

Fazei, meu Deus,
que como um gro de areia
eu me perca no imenso abismo
do Vosso ardente Corao,
me consuma e me aniquile
nas chamas da Vossa Caridade
Fazei que eu seja obediente Vossa voz
e possa ouvi-la em todas as horas,
livre de todas as coisas de aqui de baixo;
que o meu olhar
esteja sempre fixo em Vs,
Bem Infinito,
esquecendo todas as coisas da terra

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Pensamentos. Caderno 26. pg.348

   

   Instrumento de reconciliao e de paz

As minhas primeiras horas
pertencem ao Senhor.
O trabalho que hoje me confia,
acolho-o de bom grado,
esperando que Ele me d a graa
para o realizar.
Por isso em primeiro lugar
aproximar-me-ei do altar de Deus.
Ali no se trata de mim,
nem dos meus insignificantes assuntos,
mas do grande sacrifcio da Reconciliao.

Santa Teresa Benedita da Cruz |
Edite Stein, Caminhos para a paz interior.

   

   Esvaziar-se para o Senhor poder entrar no Templo

Eu sei que para isto
[para a pessoa se tornar espiritual],
necessrio que o corao esteja vazio
de todas as outras coisas,
Deus quer possu-lo s para Ele; e
como no o pode possuir todo
sem o esvaziar de tudo o que no Ele,
tambm no pode agir
nem fazer nele o que gostaria.

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 1691
Carta03. A uma religiosa. 1685.

   

   Bendita seja a Vossa Majestade, Senhor!

Minha alma comeou
a acostumar-se de novo
ao bem da minha primeira infncia,
e vi a grande merc que Deus faz
queles a quem pe em companhia dos bons.
Parece-me que Sua Majestade
andava a mirar e a remirar
por onde e como me podia fazer voltar a Si.
Bendito sejais, Vs, Senhor,
que tanto me haveis sofrido!
Amen.

Santa Teresa de Jesus | 1515 1582
Livro da Vida 2, 8

   

   Ser santo

O Esprito de Jesus
que no veio para ser servido,
mas para nos servir,
depois de ter conquistado os Seus apstolos pelo amor,
desaparece de bom grado
por detrs das suas personalidades
e das suas aces.
O amor faz-Se humilde,
mesmo quando Omnipotente,
para exaltar aqueles a quem ama.
O apstolo,
tal como Jesus Cristo,
glorificado pelo Esprito de amor
que o possui.
A sua personalidade humana
exaltada e engrandecida
por esta presena
e este assenhoreamento do Esprito.

Beato Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Quero ver a Deus. 1074 1075.

   

   Estar conTigo

Nestes tempos temos estado tomadas
por uma quantidade de afazeres,
e eis que as reunies recomeam;
sabeis como isso me agrada,
enfim, ofereo tudo ao bom Deus.
Parece-me que nada me pode distrair dEle,
quando apenas agimos por Ele,
sempre na Sua santa presena,
sob o divino olhar
que penetra no mais ntimo da alma;
mesmo no meio do mundo
pode-se escut-lO
no silncio de um corao
que no quer ser seno para Ele!

Santa Isabel da Trindade | 1880 1906
Carta 38. Ao Cnego Angles. 01.12.1900.

   

   As coisas pequenas

S muito fiel
em fazer aquilo que o Senhor te inspira,
mais ainda se so coisas pequenas.
A vida[]
uma srie de coisas pequenas,
as quais, feitas com perfeio
engrandecem muito a alma.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 160

   

   Passar as fronteiras

A alma diz, tambm, que passar as fronteiras.
Elas significam as relutncias
e rebelies naturais
da carne contra o esprito.
Na verdade, como diz S. Paulo:
a carne tem desejos contrrios ao esprito
e apresenta-se como se fosse uma fronteira
resistindo ao caminho espiritual.
A alma h-de ultrapassar estas fronteiras,
vencendo os obstculos
e derrubando,
com a fora e a determinao do esprito,
todos os apetites sensuais e afeies naturais;
porque, enquanto a alma os mantiver,
o esprito fica de tal maneira preso debaixo delas,
que no pode passar verdadeira vida
e ao gozo espiritual.
Foi isto o que S. Paulo
deu muito bem a entender,
quando disse:
Se pelo esprito
mortificardes as afeies da carne e os apetites,
vivereis.

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico Espiritual, 3. 1

   

   Regresso ao Pai

Quando Jesus
nos leva as pessoas mais queridas
repitamos com Job:
O Senhor deu,
o Senhor tirou.
Tal como o Senhor quis
assim aconteceu.
Seja bendito o nome do Senhor.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinrio (P. Ildefonso). 72

   

   Os bem aventurados no Cu intercedem por ns

Creio que os Bem-aventurados
tm uma grande compaixo
pelas nossas misrias,
lembram-se de que enquanto eram frgeis
e mortais como ns,
cometeram as mesmas faltas,
travaram os mesmos combates
e a ternura fraternal
torna-se ainda maior
do que era na terra,
por isso no cessam de nos proteger
nem de rezar por ns.

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 263

   

   Quero ver a Deus

[Santa] Teresa [de vila]
era ainda uma criana
quando arrastou seu irmo Rodrigo
para a terra dos mouros,
na esperana de que eles os decapitassem.
Os dois fugitivos foram encontrados
por um dos seus tios
que os levou de volta para a casa paterna.
Aos pais, j inquietos,
que queriam averiguar o motivo desta fuga,
Teresa, a mais nova dos dois,
mas chefe da expedio, responde:
Parti porque quero ver a Deus
e para v-Lo, preciso morrer:
palavras de criana
que j revelam a sua alma
e anunciam o feliz tormento da sua vida.
Teresa quer ver a Deus
e para encontra-Lo
partir rumo ao herosmo
e ao desconhecido.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Quero ver a Deus. 25

   

   Quero amar-Te

Quero amar-Te
como Tu me amas,
Corao adorvel do meu Jesus.
Ainda que surjam trabalhos,
contradies e dores,
nada poder apagar, em mim,
o fogo do Teu Amor.
Quero amar-Te sempre
e em todas as coisas,
com toda a minha mente,
com toda a minha alma
e com todas as minhas foras.
Faz de mim o que quiseres,
pois nada mais desejo
que conformar a minha vontade com a tua
D-me o Teu Amor
pois s isto basta ao meu corao,
que criaste expressamente para amar-Te.

Santo Henrique de Oss | 1840 1896
Oraes

   

   Caminho para a paz

Procura ter sempre boa vontade
e ters paz!

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 42.

   

   Ocasies para praticar o amor recproco

Ainda que na vida religiosa
no houvesse mais nada
do que as contnuas ocasies
de praticar reciprocamente a caridade,
eu a abraaria mil vezes.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinrio (P. Ildefonso). 41.

   

   Amar-Te acima de tudo

Nos primeiros anos [do Noviciado],
ocupava-me normalmente nas minhas oraes
com pensamentos sobre a morte,
o julgamento, o Inferno, o Paraso,
e sobre os meus pecados.
Continuei assim por alguns anos,
aplicando-me cuidadosamente o resto do dia,
e mesmo durante o meu trabalho,
na presena de Deus,
que considerava sempre junto de mim,
e muitas vezes at no fundo do meu corao,
o que me dava uma to alta estima de Deus
que s a f era capaz de me satisfazer neste ponto.

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 1691
Carta 02. A um conselheiro espiritual. Sem data.

   

   Entrego-me e abandono-me a Ti

Se no fosse Ele a apoiar-me,
em certas alturas pergunto-me o que aconteceria;
mas Ele est comigo,
e com Ele tudo se pode [].
Assim, entrego-me, abandono-me
a este divino Bem-Amado,
e fico tranquila por saber a quem me confio.
Ele o todo poderoso,
que dispe todas as coisas
segundo o Seu bel-prazer,
apenas quero o que Ele quer,
no desejo seno o que Ele deseja,
e s Lhe peo uma coisa:
am-lO de toda a minha alma,
mas com um amor verdadeiro,
forte e generosos!

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 38. Ao Cnego Angles. 01.12.1900.

   

   Pobreza evanglica

Disputai sobre quem pode ser mais pobre;
gloriai-vos nos desprezos.
Sede pobres por prpria vontade;
despojai-vos de todos os vossos prprios afectos;
sede pobres no vestir, pobres, mas decentes,
limpas e modestas;
sede pobres na alimentao,
mas cuidadosas e limpas;
pobres no dormir;
pobres em tudo quanto possais ter;
pobres em casa
e pobres fora de casa;
cuidado em que alguma pouco mortificada
se queixe da pobreza;
seria muito mau sinal.
Se sois pobres,
sereis mortificadas e penitentes;
se no quereis nada, tereis tudo;
se vos despojais de tudo,
sereis vestidas de Deus;
sede pobres de esprito e de corpo;
despojai-vos dos vossos prprios critrios
e da vossa prpria vontade.
Se ningum tiver nada,
estareis sempre unidas e com paz
em Jesus Cristo.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 7. (s suas filhas espirituais)

   

   A humildade e o amor

Que a vossa vida
seja toda de humildade e de amor
a fim de que em breve
venhais para onde eu vou:
para os braos de Jesus!...

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 264

   

   Comungar a Tua vida todos os dias

Comungar
no quer dizer receber o Senhor
s materialmente,
mas absorv-Lo na alma.
Deixa-te levar pela vida de Jesus,
vive nEle,
conversa s com Ele.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Escritos Vrios. pg. 20

   

   Que as Vossas palavras no se afastem do meu pensamento!

Senhor, Deus meu!
E como tendes palavras de vida,
Onde todos os mortais
Acharo o que desejam,
Se o quiserem procurar!

Mas, que maravilha, Deus meu,
Que olvidemos Vossas palavras
Com a loucura e enfermidade
Que causam as nossas ms obras!

Deus meu! Deus,
Deus, Fazedor de todo o criado!
E, o que o criado,
Se Vs, Senhor, quiserdes criar ainda mais?

Sois Todo-poderoso;
So incompreensveis as Vossas obras.
Fazei, pois, Senhor,
Que no se apartem de meu pensamento
As Vossas palavras.

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
VIII Exclamao

   

   Estar sempre contente

Desejo que estejas sempre contente
e que confies sempre
na bondade do Senhor.

Beata Elias de S. Clemente | 1901 1927
Carta 81. A Saverio Centrone. 20.03.1925.

   

   Sofrer, por amor

Consola-me a ideia do Purgatrio;
a sofrerei alguma coisa por amor de Deus.

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 1691
A Prtica da Presena de Deus. V, 1.

   

   Embebidas em louvores de Deus

almas que j gozais,
Sem temor de vosso gozo
E estais sempre embebidas em louvores
De meu Deus!
Venturosa foi a vossa sorte.

Que grande razo tendes de vos ocupar
Sempre nestes louvores
E que inveja vos tem a minha alma,
Pois estais j livres
Da dor de ofensas to grandes
Que nestes desventurados tempos
Se fazem ao meu Deus,
E de ver tanta ingratido,
E de ver que no se quer ver
Esta multido de almas que leva Satans.

bem-aventuradas almas celestiais!
Ajudai a nossa misria
E sede nossas intercessoras
Ante a divina misericrdia,
Para que nos d um pouco de vosso gozo,
E reparta connosco
Desse claro conhecimento que tendes.

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
XIII Exclamao

   

   Trabalhar pela Igreja

O matrimnio espiritual
um verdadeiro contrato.
Deus doa-se definitivamente alma
e revela-se de uma maneira constante alma
numa viso intelectual.
Contudo, para selar a unio,
no h anel, mas sim o cravo,
que prende cruz.
Nada de convites intimidade nupcial,
mas uma solicitao
para trabalhar como uma verdadeira esposa
para honra do Esposo.
A posse tranquila de Deus desta unio
no um fim,
nem um repouso;
um meio para trabalhar mais eficazmente.
Jesus Cristo no desposa as almas nesta terra
a no ser para associ-las mais intimamente
s Suas imolaes e aos Seus trabalhos
pela Igreja.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Quero ver a Deus. 486

   

   Uma semente de trigo

Cristo ps a salvao na humanidade
como uma semente de trigo
que tem que crescer, []
no crescimento particular de cada pessoa.

Santa Teresa Benedicta da Cruz (Edith Stein) | 1891 1942
Edite Stein, Obras Completas A Vocao do homem e da mulher.

   

   Os pacficos

Os pacficos, que sofrem com mansido,
so bem-aventurados j c na terra,
porque esto em paz com o prximo
e gozam da sua amizade;
esto em paz com a prpria conscincia,
porque se sacrificam o necessrio
para no ofender a Deus
nem ao prximo
e praticar o bem.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 6

   

   Amor Purificador

Oh! Nada mais ver seno sempre a Ele;
mesmo quando esta mo cheia de amor
parea fazer sangrar o corao;
ainda que Ele se esconda,
Ele, o nico que procuramos!

Santa Isabel da Trindade | 1880 1906
Carta 44. A Margarida Gollot. 07.04.1901.

   

   Andar na presena de Jesus

Um dia estava sozinha no meu quarto.
Estava doente
e com a doena fiquei to caprichosa
que no podia estar s.
No dia a que me refiro,
a Lucia [a irm] tambm estava doente
e a Eliseia uma criada que cuidava do meu avozinho
foi fazer-lhe companhia.
Ento fiquei com tal inveja e sofrimento
que me pus a chorar.
Os meus olhos cheios de lgrimas
fixaram-se num quadro do Sagrado Corao
e senti uma voz muito doce que me dizia:
Como?! Eu, Joanita, estou sozinho no altar
por Teu amor,
e tu no aguentas um momento?

   

   Desejos de Deus

Mas como perseveras,
vida, no vivendo onde vives,
Matando-te deveras
As flechas que recebes
Daquilo que do Amado em ti concebes?

   

   Tudo por Jesus

Tudo por Jesus
Eu sou Teu,
e quero obedecer-Te em tudo.
Empregar toda a minha vida,
todas as minhas foras e talentos
somente naquilo
que for para a Tua maior glria
e fazer a Tua vontade.
Sim, meu Jesus,
tudo por Ti e tudo para Tua glria,
na vida, na morte
e para toda a eternidade.
Amn

Santo Henrique de Oss | 1840 - 1896
Oraes

Foto: Margarida Alvim

   

   Sou filha da Santa Igreja

Sou filha da Santa Igreja:
ela a minha Me.
uma honra para mim
chamar a Igreja minha Me.
Me-Igreja, Rosa Mstica, amo-te
A Igreja sofre;
o Santo Padre sofre,
o seu corao est aflito
A Igreja nossa Me
quando uma me sofre,
todos os filhos sofrem juntamente com a me
Oh! Quanto quereria dar o meu sangue
pela Igreja!
Ofereo tudo por ela,
pela unio,
pelo triunfo da Igreja

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevaes Espirituais. 17

   

   Instrumentos da misericrdia de Deus

A nossa mente,
a nossa alma
devem estar totalmente em Deus,
to intimamente unidas a Ele s,
que possam tornar-se
instrumentos da misericrdia divina.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Retiro para a Profisso simples de uma Religiosa. pg 29

   

   O caminho da santidade

O caminho que conduz santidade
estreito e spero:
mas nada de medos!
O Omnipotente o nosso Guia
e a nossa fora:
o que no poderemos fazer com Ele?

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Exortaes e Conferncias. 19.

   

   Busco-Te, com equilbrio

A actividade necessria
para a vida da Igreja,
indispensvel para manter o equilbrio humano.
[] A vida est no movimento,
manifesta-se pelo movimento
e tem necessidade de movimento.
A alegria, a sade, o equilbrio
encontram-se numa actividade moderada,
proporcional s nossas foras.
Querer destruir estas energias naturais,
que esto nas nossas potncias sensveis
ou nas nossas faculdades,
reduzindo-as imobilidade e inaco,
ainda que fosse para procurar este bem superior
que a contemplao perfeita,
expor-se a desordens fisiolgicas
e a uma ruptura do equilbrio humano.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Quero ver a Deus. 376

   

   O templo de Deus santo

O templo de Deus santo
e vs sois esse templo.
Oh que grande templo,
que belo palcio para o nosso Deus
a alma em graa!

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinrio Pe. Ildefonso.36

   

   Barquinha na tempestade

Se a barquinha da nossa alma
continua batida pelos ventos
e pela tempestade,
despertemos o Senhor que repousa,
Ele rapidamente acalmar o mar.

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 1691
Carta 01. A uma Religiosa. 01 de Junho de 1682.

   

   O passarinho adormecido

Jesus!
Como o teu passarinho est contente
por ser dbil e pequeno.
Que seria dele se fosse grande?...
Nunca teria a audcia
de aparecer na Tua presena,
de dormitar diante de Ti...
Sim, a est mais uma fraqueza do passarinho:
quando quer fixar o Divino Sol,
e as nuvens o impedem de ver
um nico raio,
contra sua vontade
os seus olhitos fecham-se,
a sua cabecinha esconde-se debaixo da asita,
e a pobre criaturinha adormece,
julgando fixar ainda
o Seu Astro Querido.
Ao acordar, no fica desolado,
o seu coraozinho fica em paz,
e recomea o seu ofcio de amor.

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito B. 5r

   

   Deus nunca me abandona

Deus no me abandonar,
e no me abandonar
porque sabe e conhece
o fundo da minha alma,
conhece a rectido das minhas intenes,
propsitos e fins,
v a minha lealdade
e generosidade
em sacrificar tudo quanto estimo.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 49, 1

   

   Trindade que adoro

meu Deus,
Trindade que eu adoro,
ajudai-me a esquecer-me inteiramente,
para me estabelecer em Vs,
imvel e pacfica
como se j a minha alma estivesse na eternidade.
Que nada possa perturbar a minha paz,
nem fazer-me sair de Vs,
meu Imutvel,
mas que cada minuto me leve mais longe
na profundidade do Vosso Mistrio.
Pacificai a minha alma,
fazei dela o Vosso cu,
Vossa morada amada
e o lugar de Vosso repouso.
Que nunca a eu Vos deixe s,
mas que esteja l inteiramente,
toda acordada na minha f,
perfeita adoradora,
toda entregue Vossa Aco criadora.

   

   Olhar-Te

No vos peo que penseis nEle,
nem que elaboreis muitos conceitos,
nem que faais grandes e delicadas consideraes
no vosso entendimento;
peo-vos apenas que O olheis.

Santa Teresa de Jesus | 1515 1582
Caminho de Perfeio (Escorial) 42,3

   

   A liberdade do amor

O amor o mais livre que h,
porque no dispe apenas de uma emoo isolada,
mas do conjunto do prprio eu,
da prpria pessoa...
O amor deve ser sempre o dom de si,
para que seja um amor autntico.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 1942
Edite Stein, Ser Finito e Ser Eterno.

   

   Virtudes que unem a Deus

No decorrer de toda a Mensagem,
a comear pelas aparies do Anjo,
encontramos um apelo converso
e ao sacrifcio
oferecido a Deus por amor
e pela converso dos pecadores.
Para mim,
este apelo como a norma bsica
de toda a Mensagem
que comea por introduzir-nos
num plano de f, de esperana e amor:
Meu Deus, eu creio,
adoro,
espero
e amo-Vos.
aqui que assente a base fundamental
de toda a nossa vida sobrenatural;
viver de f,
viver de esperana,
viver de amor.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Como vejo a Mensagem. pg. 48

   

   Se o Senhor nos sorri

Se o Senhor nos sorri,
no sentimos nada como penoso,
pelo contrrio,
a nossa vida transcorre alegre
e semeada de flores
Com o bom Deus no corao,
lana-te no campo da sociedade,
combate pela glria do Senhor
e a palma da vitria ser tua

Beata Elias de S. Clemente | 1901 1927
Carta 60. A Saverio Centrone. 02.12.1924.

   

   O sentido mais profundo

O sentido mais profundo
que fomos chamos pessoalmente
para viver o significado de determinados mistrios.
Dado que todos se relacionam internamente,
em cada um deles
temos por completo
a plenitude de Deus.

Santa Teresa Benedicta da Cruz (Edith Stein) | 1891 1942
Carta 178.

   

   Misericrdia

Jesus,
tende piedade da nossa fraqueza,
perdoai antecipadamente os nossos protestos,
no entanto continuai a insistir
por misericrdia
a fim de que ns sejamos tambm
outros Cristos.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferncias. 08.04.1966

   

   A orao de intercesso

Fizemos uma peregrinao
Nossa Senhora de Roc-Amadour.
Ah! Como l fazia bom tempo,
querida amiga,
e como me lembrei de todos os vossos,
como vos recomendei Santssima Virgem!
Ah! Poderia porventura esquecer-vos,
se estavam no meu corao!
to bom, no ,
rezarmos uma pela outra,
marcarmos encontro junto do bom Deus:
a j no h distncia nem separao!...

Beata Isabel da Trindade | 1880 1906
Carta 34. A Maria Lusa Maurel (sua amiga). 28.09.1900.

   

   Procuro-Te

Aonde te escondeste,
Amado, e me deixaste num gemido?
Qual veado fugiste
Havendo-me ferido.
Atrs de ti clamei: tinhas partido!

Pastores, se subirdes
Alm pelas malhadas ao outeiro
E porventura virdes
Aquele a quem mais quero,
Dizei que sofro, peno e a morte espero!

Buscando os meus amores,
Irei por esses montes e ribeiras;
No colherei as flores
Nem temerei as feras
E passarei os fortes e as fronteiras!

bosques e espessuras
Plantados pela mo do meu Amado!
prado de verduras
De flores esmaltado,
Dizei se Ele por vs ter passado!

Mil graas derramando
Passou por estes soutos com pressura
E, assim os indo olhando,
Com sua s figura
Vestidos os deixou de formosura.

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico Espiritual, estrofes 1 a 5

   

   Voltar para a Casa do Pai e da Me

esta [voltar para o Pai]
a melhor e a primeira reparao
que Deus e Nossa Senhora nos pedem
e que devemos oferecer-lhes,
pelos prprios pecados
e os pecados do prximo
e da humanidade perdida nos seus prprios erros,
transviada por caminhos tortuosos,
enganada,
iludida na busca do prazer que a degrada.
Que havemos ento de fazer?
Recuar, voltar atrs,
certos de que na casa paterna
ainda temos um lugar,
um Pai e uma Me que nos espera;
mudemos de vida
e vamos ao Seu encontro.
A encontraremos o perdo, a graa e a fora [].

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Como vejo a Mensagem. pg. 45

Senhor,
meu Pai,
vejo-Te de braos abertos,
esperando o meu regresso,
com o Corao cheio de alegria,
como o pai do filho prdigo.
Minha Me,
sei que me ajudas em cada momento
para que regresse continuamente para o Pai,
por Teu Filho Jesus.
Neste dia de Nossa Senhora do Rosrio
Te peo:
s a minha companhia em cada momento,
para que o meu corao
se volte para Ti
e arraste muitos irmos para o Senhor,
na enxurrada do Teu amor.
Assim seja.

   

   Ests presente

Deus, Senhor e meu Pai que me amas
eu creio que pela Tua imensidade,
ests presente em todo o lugar,
ests aqui, dentro de mim,
no meu corao
vendo os meus mais ocultos
pensamentos e afectos.
Adoro-Te com a mais profunda humildade,
e peo-Te perdo
pelas vezes que no Te amei de verdade.
Ensina-me a rezar para conhecer-me
e conhecer-Te,
para amar-Te sempre
e fazer-Te conhecido e amado.
Amm.

Beato Francisco Palau | 1811 1872
Oraes

   

   Dar ao irmo dar ao Senhor.

Se fazes o bem,
se ds,
d por Jesus.
Uma palha que seja,
dada por Jesus
ter um preo imenso;
e se desses todo o universo,
mas no o desses por Jesus,
seria como nada.

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevaes Espirituais. 51

   

   Deixar o corao livre para Jesus

Temos confiana em Jesus!
Se nos deixssemos invadir
pelas preocupaes
e pelo temor,
ento no teramos
nem tempo,
nem corao
para pensar nEle.
Tanto quanto possvel
deixemos livre o espao para Jesus.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Cartas a sacerdotes e a seculares. 58

   

   Amor por amor

Uma vez que o Amado
outra coisa no quer
do que amor por amor,
tendo-Se Ele dado todo por ns,
demos-Lhe todo o nosso corao
e viveremos contentes.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Bilhetes Irm Teresa Crucificada de Jesus. 14.

   

   Avanar nos caminhos de Deus

preciso, no entanto,
trabalhar sempre,
visto que na vida do esprito
no avanar recuar,
mas aqueles que tm
o sopro do Esprito Santo
navegam mesmo dormindo.

Frei Loureno da Ressurreio.
Carta 01. A uma Religiosa. 01 de Junho de 1682.

   

   No Corao da Igreja serei o Amor!

Ah! apesar da minha pequenez,
quereria esclarecer as almas
como os Profetas, os Doutores.
Tenho a vocao de ser Apstolo...
Quereria percorrer a terra,
pregar o Teu nome,
implantar no solo infiel a Tua cruz gloriosa,
mas, meu Bem-amado!,
uma misso s no me bastaria.
Quereria, ao mesmo tempo,
anunciar o Evangelho
nas cinco partes do mundo,
e at nas ilhas mais longnquas...
Quereria ser Missionrio,
no apenas durante alguns anos,
mas quereria t-lo sido
desde a criao do mundo,
at consumao dos sculos...

   

   Deus como bom Pai

Eu vejo que Deus, como bom Pai,
me leva pela mo
e conduz-me para onde Ele quer.
E por isso irei onde no sei
e caminharei por onde no quererei.
Deus sabe como estou disposto
a servir a Sua Igreja
e que em assuntos da Sua glria
vejo tudo plano e fcil.
Ele sabe o quanto estou desprendido
da prpria vida,
do meu repouso
e de todos as consolaes humanas e celestiais.
E porque Deus, nisto,
conhece a minha generosidade
no me abandonar
mas guiar-me- por onde Lhe parecer.
Eu ando seguro,
confiado nos cuidados
da sua paternal solicitude.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Catecismo de las virtudes. 56,1

   

   O passarinho

Jesus,
at agora compreendo o Teu amor
para com o passarinho [ela prpria]
pois ele no se afasta de Ti.
Mas eu sei, e Tu tambm o sabes,
muitas vezes a imperfeita criaturinha,
ficando embora no seu lugar
(isto , sob os raios do Sol),
deixa-se distrair um pouco da sua nica ocupao;
apanha um grozito direita e esquerda,
corre atrs de um vermezito...
Depois, encontrando uma pocita de gua,
molha as penas ainda mal formadas;
quando v uma flor que lhe agrada
o seu esprito entretm-se com essa flor...
Enfim! No podendo pairar como as guias,
o pobre passarinho entretm-se ainda
com as bagatelas da terra.

   

   Caridade: dar e receber

bendita caridade
que purifica,
que faz o bem,
que consola
e une a alma intimamente a Deus.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Dirio II, pg. 40

   

   Dai-nos, Deus meu, a entender

Dai-nos, Deus meu, a entender
O que se d aos que lutam varonilmente
Durante o sonho desta miservel vida.

Alcanai-nos, almas amadoras,
O poder entender o gozo que vos d
O ver a eternidade de vossos gozos,
E como coisa to deleitosa
Ver a certeza de que no se ho-de acabar.

Oh! Desventurados de ns, Senhor meu!,
Que bem o sabemos e cremos,
Mas, com o costume to grande
De no considerar estas verdades,
So j to estranhas s almas,
Que nem as conhecem nem as querem conhecer.

Oh! Gente interesseira, cobiosa
De seus gostos e deleites!
Para no esperar um breve tempo
E depois os gozar to em abundncia
Tudo perdem
Para gozar daquela misria
Que tm presente!

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
XIII Exclamao

   

   Silncio interior

Estou lanada no abismo
de um profundo silncio,
a paz do Senhor
a minha fora,
a sede de O amar
o meu repouso

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 37. A Padre Elia. 1923.

   

   Um caminho

Se levar a srio a procura de Deus,
ento, sem dvida nenhuma
encontrar um caminho.

Santa Teresa Benedicta da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Carta 172.

   

   Deus no insensvel

Que os nossos louvores
e agradecimentos a Deus
sejam a expresso da verdade
sentida no ntimo do nosso corao,
com esprito de f, de amor e confiana;
que Deus no Se contenta
com palavras vs, ocas e sem sentido,
ou frmulas estudadas
para serem aplaudidas pelas criaturas.
Mas a nossa orao tem de ser humilde
e acompanhada do esprito de sacrifcio.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 9

   

   Olhar de f

necessrio que sejamos almas de f,
inteiramente orientadas para Deus,
com um olhar que pde penetrar Deus profundamente
e que descobriu este poder de Deus,
esta misericrdia de Deus
que desce at terra
e que veio para nos curar
de todas as nossas misrias,
e nos associar Sua felicidade.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferncias. 23.01.1966

   

   A orao pelos irmos

Vou estar ainda mais unida a ti
durante esta semana,
minha boa Maria Lusa.
Oh! Do teu lado, reza tambm por mim,
que tanto preciso,
e to bom rezarmos uma pela outra,
no querida amiga?
A orao o elo das almas.
Oh! Quando estou perto de Deus
acho isso to doce,
to bom falar-Lhe de todos os que amo;
nEle os reencontro!...
Tambm tu, querida Maria Lusa,
fala um pouco de mim ao bom Jesus,
Ele escolheu-nos dois caminhos diferentes
mas o fim deve ser o mesmo.
Oh, sejamos inteiramente dEle,
ammo-lO muito.
Ele ama-nos tanto!
Amanh vou comungar por inteno do teu retiro;
e como hei-de recomendar muito
a minha querida Maria Lusa
a Nosso Senhor!...

Beata Isabel da Trindade | 1880 1906
Carta 36. A Maria Lusa Maurel (sua amiga). 16.10.1900.

   

   A vontade de Deus

No negar nada a Nosso Senhor.
Para isso ajuda a presena de Deus
e propor-se em cada momento
cumprir perfeitamente os deveres dessa hora,
pensando que se cumpre nisso
a vontade de Deus.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 137

   

   Plantados pela mo do meu Amado

Cada espcie de animais vive no seu elemento
e est colocada e plantada nele
como no seu bosque
ou regio onde nasce e cresce.
Na verdade, assim o ordenou Deus
quando os criou:
mandou terra que produzisse plantas e animais;
ao mar e gua, os peixes;
e fez do ar a morada das aves.
Por isso, vendo a alma que tudo foi feito
como Ele tinha mandado,
diz o seguinte verso:
Plantados pela mo do meu Amado.

Ele apresenta a seguinte considerao:
estas variedades e grandezas s poderiam ser feitas e criadas
pela mo do Amado Deus!
Note-se que ela diz intencionalmente pela mo do Amado,
porque, embora Deus faa muitas outras coisas
por mos alheias,
como so as dos anjos e dos homens,
esta, que consiste em criar,
nunca a fez nem faz por outra
que no seja a Sua.
por isso que a alma se inclina muito
ao amor do seu Amado
atravs da contemplao das criaturas,
porque se d conta que foram criadas pela mo do prprio Deus.

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico Espiritual. 4. 2-3

   

   Deus: minha herana

Meu Deus,
quero amar-Te
com todo o meu corao.
Peo-Te que me enchas da Tua graa,
da Tua amizade.
Abrasa-me no Teu amor.
Meu Deus!
s a minha herana para sempre.
Amm.

Santo Henrique de Oss | 1840 1896
Oraes

   

   Peixinho

Sou como um peixinho fora de gua:
ele abre e fecha a boca,
no tem outro alvio.
E eu sou assim.
No tenho outro alvio nesta terra
seno suspirar pela Ptria [o Cu].
Ai de mim!
Quando vir aquele dia?
Aqui [nesta terra]
tudo passa como um relmpago,
como as flores do campo.
Quando verei o que no tem fim?

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevaes Espirituais. 30

   

   Assistir ou participar na Liturgia?

No o assistir Missa que nos santifica,
mas o aprofundar bem o seu significado
e o tomar a firme resoluo
de amar verdadeiramente
e corresponder
a um Deus to louco de amor
pelo homem.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Cartas a Sacerdotes e Seculares. 104

   

   A Presena de Deus no centro da alma

Se, por vezes, ele [fala sobre si prprio]
est um pouco ausente desta divina presena,
Deus faz-se sentir rapidamente na sua alma
para o chamar,
coisa que lhe acontece frequentemente
sempre que est mais empenhado
nas suas ocupaes exteriores.
Ele responde com exacta fidelidade
a estas graas interiores:
ou com uma elevao do seu corao
em direco a Deus,
ou com um olhar doce e amoroso,
ou com algumas palavras
que o amor forma nos seus encontros,
por exemplo:
Meu Deus, eis-me todo aqui para Vs:
Senhor, fazei-me segundo o vosso Corao.

E ento parece-lhe que, com efeito,
sente que este Deus de amor
Se contenta com estas poucas palavras,
readormece e descansa no fundo
e centro da sua alma.
A experincia destas coisas
fazem-no to certo de que Deus
est sempre no fundo da sua alma
que no pode ter qualquer dvida disso,
o que quer que faa ou que lhe acontea.

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 1691
Carta 01. A uma Religiosa. 01 de Junho de 1682.

   

   Me junto Cruz

A arma mais forte
que Jesus nos deu
a partir da rvore da Cruz
Maria.
Amemos esta doce Me
e filialmente recorramos a Ela
para vencer todas as batalhas.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Pensamentos sobre Imagens (2 srie). 25. Pg. 71

   

   A fora salvadora da Cruz

A fora salvadora
o poder de ressuscitar
os que estavam mortos para a vida divina
por causa do pecado.
Esta fora salvadora da Cruz
passou palavra da Cruz e,
atravs desta palavra
comunica-se a quantos a recebem
e se abrem a ela sem pretender milagres,
nem fundamentos de sabedoria humana:
neles converte-se nessa fora vivificadora
e formadora a que chamam Cincia da Cruz.

Santa Teresa Benedicta da Cruz (Edith Stein) | 1891 1942
Cincia da Cruz.

   

   Jesus e Maria

Suplico-lhe
que me recomende com frequncia
ao Senhor Deus
e grande Virgem,
para que eu me torne conforme
aos Seus Coraes.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Cartas

   

   Tempo para Deus

Para viver no Carmelo
s precisava de uma coisa,
que a Vocao.
Eu estava muito persuadido,
de que para viver como anacoreta,
solitrio ou ermito,
no necessitava de edifcios
que logo desmoronariam;
Tampouco me eram indispensveis
as montanhas de Espanha,
pois julgava encontrar
em toda a extenso da terra
suficientes grutas e cavernas
para nelas fixar a minha morada.

Beato Francisco Palau | 1811 1872
Vida solitria, n 10

   

   O meu canto de hoje

A minha vida um s instante,
uma hora passageira
A minha vida um s dia
que me escapa e me foge
Tu sabes, meu Deus!
para amar-Te na terra
S tenho o dia de hoje!...

Oh! amo-Te, Jesus!
a minha alma por Ti suspira
S por um s dia o meu doce apoio.
Vem reinar no meu corao,
d-me o Teu sorriso
Somente por hoje!

Que me importa, Senhor,
se o futuro sombrio?
Nada posso pedir-Te, oh no, para amanh!...
Conserva-me o corao puro,
cobre-me com a Tua sombra
Somente por hoje.

Se penso em amanh,
temo a minha inconstncia
Sinto nascer em mim a tristeza e o desgosto.
Mas aceito, meu Deus, a prova, o sofrimento
Somente por hoje.

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Poesia 5

   

   Ter a morte por Mestra

Viverei cada instante
como se fosse o ltimo.
Procurarei ter sempre acesa a minha lmpada,
esperando o Esposo divino
que est para vir.
Terei como conselheira da minha vida
a morte;
t-la-ei, alis, como minha mestra
e interrog-la-ei
em cada uma das minhas aces.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Dirio I. Pg. 105

   

   Fazei que se sossegue este mar

meu Deus!
Quem pudera importunar-Vos muito,
e ter-Vos servido muito
para poder-Vos pedir to grande dom
em paga de meus servios,
pois no deixais nenhum sem paga!
Mas nada tenho feito por Vs, Senhor,
antes sou eu por ventura quem vos tenho irritado
de modo a que por meus pecados
surjam tantos males.
Pois que hei-de fazer, Criador meu,
seno apresentar-vos este Po sacratssimo,
e, ainda que no-Lo destes, tornar-Vo-Lo a dar
e suplico-Vos pelos mritos de Vosso Filho,
que me concedais este dom,
pois Ele por tantos modos a tem merecido?
Fazei, Senhor, fazei que se acalme este mar;
Que no ande sempre em tamanha tempestade
a nave da Igreja!
E salvai-nos, Senhor meu, que perecemos!

Santa Teresa de Jesus | 1515 1582
Caminho de Perfeio 35,5

   

   Maria: to pura, to luminosa

Se conhecesses o dom de Deus...
H uma criatura
que conheceu esse dom de Deus,
uma criatura
que no perdeu sequer uma parcela dele,
uma criatura que foi to pura,
to luminosa,
que parece ser a prpria Luz:
Speculum justitiae . [espelho de justia]
Uma criatura cuja vida foi to simples,
to perdida em Deus,
que quase nada se pode dizer dela.

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
O Cu na terra. 39

   

   Um Cu antecipado

Sou uma criana junto de Jesus.
Ele no me pede grandes coisas,
basta que eu O olhe sempre
e no silncio Lhe cante o meu amor:
no lhe parece
que eu gozo
um paraso antecipado?...

Beata Elias de S. Clemente | 1901 1927
Carta 41. A Giuseppe Fracasso. 18-03-1924

   

   Templo de Deus

Cada alma humana
um templo de Deus:
isto abre-nos a um panorama de todo novo e vasto.
A orao de Jesus
teria que ser a chave
para entender a orao da Igreja.

Santa Teresa Benedicta da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Edite Stein, Obras Completas A orao da Igreja.

   

   A orao deve reverter a favor dos irmos

Para que a nossa f,
a nossa adorao,
a nossa esperana
e o nosso amor
sejam verdadeiros e agradveis a Deus,
tm que reverter a favor dos nossos irmos,
atravs da nossa orao,
do nosso bom exemplo,
das nossas palavras
e das nossas obras.
Temos que procurar ajud-los
e atra-los,
para os levarmos a Deus,
por caminhos rectos de verdade,
de justia, de paz e de amor.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 6

   

    no Esprito que nos unimos a Ti

Ns acreditamos, Jesus,
no Esprito que est em Vs.
E por este Esprito,
(o qual tambm ns possumos),
que queremos unir-nos a Vs!

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferncias. 07.04.1966

   

   Fazer a vontade do Senhor

Tambm eu, querida irmzinha,
te amo tanto
e rezo muito, mesmo muito, por ti.
Ah! Sejamos, sim, inteiramente dEle,
entreguemo-nos ao nosso Bem-Amado Jesus
num generoso abandono.
Fazer a Sua vontade
sem dvida o que h de melhor.

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 28. A Margarida Gollot
(sua amiga, com aspiraes ao Carmelo). 01.07.1900.

   

   A comunho um cu na terra

A comunho um cu na terra
para a alma que se compenetra bem do acto que faz
Tiremos Jesus da Sua fria priso
e abriguemo-Lo no nosso corao,
to pobre, mas cheio de amor.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 128

   

   No perder a confiana

No sei dizer
o quanto me sinto privada de virtude.
Mas no quero perder a confiana
nAquele Deus que me fez
e me faz tanto bem.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Carta 27

   

   Ficarei saciado ao contemplar a Tua glria!

[] A inteno principal da alma
no consiste em pedir apenas
a devoo afectiva e sensvel,
onde no certo nem claro
possuir-se o Esposo,
mas, sobretudo,
pedir a presena e a viso clara da Sua essncia,
da qual quer ter a certeza
e a consolao na outra vida.

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico Espiritual. 1, 4

   

   Jesus, amigo verdadeiro

Jesus, amigo verdadeiro,
eu quero saborear o Teu amor
e viver numa atitude de gratido
porque me amas e me libertas.
Ajuda-me a ser todo Teu
e faz que os meus sentimentos,
palavras e aces
sejam o reflexo
do Teu amor
derramado pelo Esprito Santo
no meu corao. men.

Santo Henrique de Oss | 1840 - 1896
Oraes. Obras.

   

   A caridade em acto

No deixar passar ocasio alguma,
nem grande, nem pequena,
de exercitar, a qualquer custo,
em alvio do outro,
a bela virtude da caridade.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinrio (P. Ildefonso). 41

   

   Aceitar as circunstncias

Mantm no teu corao
uma suave disposio
de generosa prontido
para tudo aquilo
que Jesus quer de ti.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 34

   

   A santidade uma consequncia do dar a vida pelos irmos.

Eis a resposta quela [carta]
que recebi da nossa boa irm [];
dai-vos ao trabalho de lha dar.
Ela parece-me cheia de boa vontade,
mas quereria ir mais depressa
do que a graa:
no se santo de um momento para o outro!
Recomendo-vo-la;
devemos ajudar-nos uns aos outros
pelos nossos conselhos
e ainda mais pelos nossos bons exemplos.

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 - 1691
Carta08. A uma religiosa. 28 de Maro de 1689.

   

   Vossa sou!

Vossa sou, para Vs nasci,
Que quereis Senhor de mim?

Se quereis, dai-me orao,
se no, dai-me estiagem,
se abundncia e devoo,
e se no, esterilidade.
Soberana Majestade,
s encontro paz aqui:
Que quereis, Senhor, de mim?

Dai-me, pois, sabedoria,
ou, por amor, ignorncia;
dai-me anos de abundncia,
ou de fome e carestia;
dai trevas ou claro dia,
revolvei-me aqui ou ali:
Que quereis, Senhor, de mim?

Se quereis que esteja folgando,
quero por amor folgar.
Se me mandais trabalhar,
quero morrer trabalhando.
Dizei: onde, como e quando?
Dizei, doce amor, e repeti:
Que quereis, Senhor, de mim?

Esteja calado ou falando,
faa fruto, ou no o faa,
mostre a lei a minha chaga,
goze do Evangelho santo;
esteja penando ou gozando,
s Vs em mim vivei:
Que quereis, Senhor, de mim?

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Poesia 2

Na foto: Obra de Bernini,
representando a transverberao de Santa Teresa de Jesus,
que hoje se celebra.

   

   Invocaes

Esprito Santo, inspirai-me.
Amor de Deus, consumi-me
Ao verdadeiro caminho conduzi-me.
Maria, minha Me, guardai-me.
Com Jesus, abenoai-me
De todo o mal, de toda a iluso,
De todo o perigo, preservai-me.

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevaes Espirituais. 11

Na foto: Santa Maria de Jesus Crucificado, que hoje se celebra.

   

   Tu s o meu Deus!

Quanto mais as verdades
iam sem caminho natural,
mais firme era a minha f
e dava-me grande devoo.
Em serdes Todo-Poderoso
ficam includas, para mim,
todas as grandezas que Vs fizerdes,
e nisto jamais tive dvida.

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Vida 19,9

   

   Sou Corpo de Cristo: Igreja

Chegada a hora indicada
pela eterna Sabedoria de Deus,
em que devia sair da concepo divina
e nascer no mundo a Igreja santa,
criada, por antecipao,
como a mais perfeita de todas as criaturas,
uma virgem inteiramente bela
e totalmente pura,
o Esprito Santo tomou o sangue desta Virgem
e formou um corpo.
O Pai criou uma alma
que se uniu ao corpo
e o Filho de Deus, no mesmo instante,
uniu-se hipostaticamente humanidade
e, em razo desta unio hiposttica,
no h em Cristo seno uma pessoa
com duas naturezas,
a divina e a humana;

   

   Me: doce Rainha do meu corao

No entardecer da minha vida,
minha Me,
confio em que possa reencontrar-Te
no limiar da eternidade
e de Ti receber o abrao,
com o qual me entregars
ao meu querido Jesus,
pelos sculos dos sculos.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Os Primeiros Passos da Subida. 66.

   

   A verdadeira santidade

A santidade no consiste em dizer lindas coisas,
no consiste sequer em pens-las,
nem em senti-las!...
Consiste em sofrer
e em sofrer com tudo
Aproveitemos o nosso nico instante de sofrimento!...
No vejamos mais do que o momento presente!...
Um momento um tesouro
Um nico acto de amor
far-nos- conhecer melhor a Jesus
aproximar-nos- dEle por toda a eternidade!...

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 1897
Carta 89. A Celina. 26 Abril 1889.

   

   Unio com Deus

Quero amar a Deus
com os prprios ardores
do Seu divino Esprito,
com a ardente uno do Seu Amor;
am-lO at viver s para Ele
e at ser uma nica coisa com Ele:
uma a vontade, um o desejo, um o esprito.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Dirio II, pg. 23

   

   Esperar por Vossa presena

deleite meu,
Senhor de todo o criado e Deus meu!
At quando hei-de esperar por Vossa presena?
Que remdio dais a quem o tem to pouco na terra,
Para ter algum descanso fora de Vs?

vida longa! vida penosa!
vida que no se vive,
que soledade to s!
To sem remdio!

Pois, quando, Senhor, quando?
At quando?
Que farei, meu Bem, que farei?
Porventura desejarei no desejar-Vos?

meu Deus e meu Criador!
Chagais e no pondes a medicina;
Feris e no se v a chaga;
Matais deixando com mais vida.

Enfim, Senhor meu,
Fazeis o que quereis como poderoso.
Pois um verme to desprezvel, meu Deus,
Quereis que sofra estas contrariedades?
Seja assim, meu Deus, pois Vs o quereis,
Que eu no quero seno amar-Vos.

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Exclamaes VI, 1

   

   O maior tesouro: alegrarmo-nos da nossa pequenez

No dia da renovao dos santos votos,
trouxe sobre o corao
o seu nome
unido aos das minhas queridas Madres.
Rezei tanto
disse ao meu bom Deus que d a Vossa Reverncia
aquilo que h de melhor nos Seus tesouro divinos
a mim parece que seja Ele mesmo
no verdade, Nosso Padre Veneradssimo?...
e para mim pedi,
depois, permanecer sempre pequena,
no para receber carcias e beijos,
mas para ser levantada
pelos Seus amorosos braos

Beata Elias de S. Clemente | 1901 1927
Carta 36. A Padre Elia. 09-12-1923.

   

   No existe o acaso

Quanto mais amido reflito
em alguns acontecimentos da minha vida,
mais viva se torna em mim a convico de f
de que no existe o azar
-visto desde Deus-,
que toda a minha vida,
nos seus mais pequenos detalhes
est prevista no plano da providncia divina
e que ela , diante dos olhos de Deus que tudo v,
uma coerncia inteligvel perfeita.

Santa Teresa Benedita da Cruz|
Edite Stein, Ser Finito e Ser Eterno

   

   Jesus: o caminho para o Pai

No Seu ensino,
Jesus tem sobretudo o objectivo
de nos mostrar o caminho
para ir para Deus.
Ele o Caminho,
a Verdade
e a Vida.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferncias. 19.06.1966

   

   Assuno

Muito querida Senhora,
j amanh o dia da sua festa,
e confio os meus votos Santssima Virgem.
Peo-lhe, neste dia da gloriosa Assuno,
que faa descer sua alma
as mais doces bnos do Cu
e que lhe revele este divino segredo:
o meu Bem Amado tudo para mim,
e eu toda dEle.

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 207

   

   O Cu na terra

O Cu na terra
no viver com Deus?

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Dirio. 20

   

   A graa de Deus ser o vosso conforto

Nossa Senhora no nos anunciou prazeres,
alegrias terrestres,
honras, poder, ter
e ser grande e importante neste mundo,
onde tudo iluso, cegueira e vaidade,
e onde tudo isto se busca com af,
enganos, injustias,
e sabe Deus que mais!
Quereis oferecer-vos a Deus
para suportar todos os sofrimentos
que Ele quiser enviar-vos,
em acto de reparao pelos pecados
com que Ele ofendido
e de splica pela converso dos pecadores?
Sim, queremos.
Foi luz da perspectiva de muitos sofrimentos
que dei este Sim.
E o Senhor no nos enganou,
nem nos faltou com a Sua graa,
como prometeu Nossa Senhora:
A graa de Deus ser o vosso conforto.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Como vejo a Mensagem. Pgs. 37-38

   

   Um no sei qu que ficam balbuciando

Os que melhor O conhecem [a Deus]
entendem mais claramente
o muitssimo que lhes fica ainda por entender,
e os que menos O vem
so os que menos claramente se apercebem
do que lhes falta ainda ver,
ao contrrio dos que mais vem.
Creio que no poder compreender muito bem isto
quem no o tiver experimentado.
Porm, a alma que o experimenta,
ao dar-se conta que no capaz de entender
o que to altamente sente,
chama-lhe um no sei qu,
porque, tal como no se entende,
tambm no se sabe dizer,
embora, como disse, sabe-se sentir.

   

   A santidade a humildade

[] A santidade no a orao,
nem as vises ou as revelaes,
nem a cincia de falar bem,
nem os cilcios, nem a penitncia.
[A santidade] a humildade,
a paz.
A alma humilde rainha,
est sempre feliz.
Nas lutas e nas penas humilha-se;
acredita que no merece mais,
no pede mais.
Est sempre em paz.
O orgulho causa a perturbao.
O corao humilde o vaso,
o clice que contm Deus.

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevaes Espirituais. 49

   

   A Santa Missa: o Cu na terra

Quo rica s
tendo para ti a Santa Missa!
Esta nica coluna que sustm a terra,
esta pobre terra,
no te socorrer tambm a ti?
Antes toda para ti.
Oferece aquela Hstia
e aquele Clice
e tudo ser pago,
tudo obters.
Mas no esqueas
de te oferecer tambm a ti!

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 62

   

   Chegar a ser um com Ele a nossa felicidade

Assim como o ser um com Cristo
a nossa bem-aventurana
e progredir no caminho
de chegar a ser um com Ele
a nossa felicidade na terra,
assim tambm o amor Cruz
e a gozosa filiao divina
no so contraditrias.

Santa Teresa Benedicta da Cruz (Edith Stein) | 1891 1942
Edite Stein, Obras Completas Amor Cruz

   

   A arte do amor

A arte do amor
retribuir amor com amor.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Bilhetes Irm Teresa Crucificada de Jesus

   

   A divina Presena

Esta pessoa de que falo
[ele prprio]
est presentemente to habituado
a esta divina presena
que recebe Dela
auxlios contnuos
em todo o tipo de ocasies.

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 1691
Carta 01. A uma Religiosa. 01 de Junho de 1682.

   

   Amar a Deus e ao prximo

Cristo, constituindo um corpo
com todos os anjos e santos
predestinados glria,
Cabea da Igreja.
Vs, escreve So Paulo aos Corntios,
sois o corpo de Cristo.
E aos de feso:
Ele preparou os cristos
para o trabalho do ministrio,
que constri o Corpo de Cristo.
Deus, como Cabea
formando com os anjos e santos
predestinados para a glria
um corpo moral perfeito,
a meta do nosso amor.

   

   Aco de graas por Maria

Imagino a minha alma
como um terreno livre,
e peo SSma Virgem
que tire os escombros
que o possam impedir de estar livre;
em seguida suplico-Lhe que prepare Ela prpria
uma vasta tenda digna do Cu,
que a ornamente com os Seus prprios adereos,
e depois convido os Santos e os Anjos
para fazerem um concerto magnfico.
Parece-me que,
quando Jesus desce ao meu corao,
fica contente por se achar to bem recebido,
e eu fico contente tambm...
Tudo isto no impede
que as distraces e o sono
me venham visitar;
mas, ao sair da aco de graas,
vendo que a fiz to mal,
tomo a resoluo de ficar todo o resto do dia
em aco de graas...
Como vedes, minha querida Madre,
estou longe de ser conduzida pelo caminho do temor.

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito A. 80r

   

   Esvaziar-me para me encher de Ti!

Mesmo nas coisas espirituais
procurai despojar-vos de todas as satisfaes.
Tornai-vos pobres em tudo
e sereis ricos para o Cu.
Esvaziai-vos inteiramente
e sereis cheios de Jesus.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Pensamentos sobre imagens. (srie I). 75

   

   Procurar agradar em tudo a Deus

Desde esse tempo,
trabalho diante de Deus
simplesmente em f,
com humildade e com amor,
e aplico-me cuidadosamente
em nada fazer,
em nada dizer
e em nada pensar
que O possa desgostar.
Eu espero que,
tendo eu feito o possvel,
Ele faa de mim o que Lhe apraza.

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 1691
Carta 02. A um conselheiro espiritual

   

   A interioridade mais profunda da alma

Conhecemos a interioridade
mais profunda da alma
como a morada de Deus.
Pela sua espiritualidade pura,
esta interioridade capaz de acolher nela
o esprito de Deus.

Santa Teresa Benedicta da Cruz (Edith Stein) | 1891 1942
Edite Stein, Ser Finito e Ser Eterno.

   

   Alegrar-se com o bem do outro

Como Deus bom, querida amiga,
por nos ter dado uma outra,
e tambm que sacrifcio
viver to longe,
para quem tanto se ama.
Enfim, pensemos nestes dias to bons
e na prxima reunio:
sinto-me to feliz
por ter a tua promessa e a do teu noivo,
que assim fico descansada.
Agradeo-te por me teres permitido conhec-lo.
Todos os dias rezo pela vossa felicidade
que me muito doce!
Tambm a minha bem amada Maria Lusa
reza um pouco pela sua amiga Isabel
que tanto a ama
e que, como sabe,
lhe guardar sempre este lugar no seu corao,
no verdade?

Beata Isabel da Trindade | 1880 1906
Carta 33. A Maria Lusa Maurel. 07.09.1900.

   

   O Senhor tomou-me para Si

Passei o dia
[da minha Primeira comunho]
to feliz, que ser nico na minha vida.
Mudmos de casa pouco tempo depois.
Mas Jesus,
a partir deste primeiro abrao,
no me soltou e tomou-me para Si.
Todos os dias comungava
e falava com Jesus longo tempo.
Mas a minha devoo especial
era a Virgem.
Contava-Lhe tudo.
Desde aquele dia
a terra, para mim,
no tinha atractivo.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Dirio. 6

   

   Esfora-te, pois vs que te ajudo!

Um dia disse-me o Senhor:
Sempre desejas trabalhos
e, por outra parte, recusa-los:
Eu disponho as coisas
conforme ao que sei da tua vontade
e no conforme tua sensibilidade e fraqueza.
Esfora-te,
pois vs quanto te ajudo.

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Contas de Conscincia 11

   

   Almas generosas

s almas mais generosas
costumam apresentar-se outras feras
mais interiores e espirituais,
como sejam, dificuldades e tentaes,
tribulaes e trabalhos de vrias espcies
pelos quais conveniente passar.
Deus manda-os
aos que quer elevar a grande perfeio,
provando-os e examinando-os
como ouro no fogo,
conforme diz David:
Muitas so as tribulaes dos justos,
mas de todas elas os livrar o Senhor.
Contudo, a alma enamorada,
que estima o seu Amado
acima de todas as coisas,
confiando no seu amor
e no seu auxlio,
no tem grande dificuldade em dizer:
Nem temerei as feras, e passarei os fortes e fronteiras.

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico espiritual. 3, 8

   

   Famlia: amor dado e recebido

Oh! Que quanto mais os dias passam,
mais sinto necessidade
de agradecer ao bom Deus
por me ter dado uma famlia
to boa e to querida

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 78. A Giuseppe, seu pai. 18 de Maro de 1925

   

   Vocao

No podemos escolher inteiramente
o nosso estado nossa maneira,
mas sim devemos corresponder inteiramente
aos divinos chamamentos,
se queremos verdadeiramente
alcanar o fim suspirado.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 1770
Cartas

   

   O passarinho e a f

O passarinho quereria voar para o Sol brilhante
que lhe fascina o olhar;
quereria imitar as guias, suas irms,
que v elevarem-se at ao fogo divino
da Santssima Trindade...
Pobre dele!
Tudo quanto pode fazer agitar as suas pequenas asas;
mas levantar voo, isso no est no seu pequeno poder!
Que ser dele?
Morrer de desgosto, ao ver-se impotente?...
Oh, no! O passarinho nem sequer se vai afligir.
Com um audacioso abandono,
quer ficar a fixar o seu divino Sol.

   

   Amor universal

Nisto, est o verdadeiro amor.
aquele amor transbordante para com Deus
que, do nosso corao,
se derrama sobre o prximo
numa medida de f e generosidade tal,
que vemos em cada pessoa humana
quer tenha a nossa f
quer a no possua,
quer pratique o bem
quer ande enredada nas teias do pecado
em todas as pessoas
vemos a face de Jesus Cristo
e, em Cristo,
amamo-los como irmos nossos,
filhos do mesmo Deus e Pai,
que a todos criou
e a todos chama
a tomar parte na herana do Cu.
Por isso, o nosso amor
tem de se estender a todos.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 6

   

   Como as cordas de uma harpa

Vs sabeis que o seu (1) principal cuidado,
desde h mais de quarenta anos de religioso,
foi o de estar sempre com Deus,
e de no fazer nada,
no dizer nada
e no pensar nada
que Lhe possa desagradar,
sem outro fim em vista
seno o do Seu puro amor
e porque Ele merece infinitamente mais do que isso.

(1) De acordo com a tradio teresiana, conta a sua histria falando de um terceiro para no atrair a ateno sobre si.

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 1691
Carta 01. A uma Religiosa. 01 de Junho de 1682.

   

   Orao: lao que une os coraes

Como gostaria
de ter estado contigo ontem
para uma vez mais te manifestar,
num longo abrao,
toda a minha afeio
e todos os votos que formulo
de que sejas feliz
Mas, j que estamos to afastadas,
no podemos fazer mais nada
seno pensar e rezar muito uma pela outra.
A orao o lao que une as almas,
e como importante
o lugar que ocupas nas minhas preces,
minha muito querida Maria Lusa;
cada dia que passa
lembro-me de ti junto do bom Jesus,
e gostaria de ter-te junto a mim
nesta capelinha aonde me dirijo
todas as manhs s 7, para a Missa.

Beata Isabel da Trindade | 1880 1906
Carta 20. A Maria Lusa Maurel (sua amiga). 02.01.1899.

   

   Orao

Creio que fars todos os dias a meditao.
o momento para armazenar provises
para todo o dia,
o momento de pensar na grandeza de Deus
e no Seu Amor.
Penetrada desta grandeza,
todo o dia estars amando e louvando.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 105

   

   A obedincia a Deus unio com Ele

As aces do religioso no so dele,
mas sim da obedincia,
e se tirares as aces da obedincia,
delas te pediro contas como tendo sido perdidas.

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cautelas, XI

   

   O meu amado para mim

Quando este Esposo riqussimo
mais quer enriquecer e regalar uma alma,
converte-a tanto em Si que,
como uma pessoa que desmaia
com grande prazer e contento,
lhe parece que se fica suspensa
naqueles divinos braos
e arrimada quele sagrado lado
e quele peito divino.

Santa Teresa de Jesus | 1515 1582
Conceitos do Amor de Deus 4,4

   

   Conhec-Lo como amante

Para nos darmos a Deus amando-O
devemos aprender a conhec-LO como amante.
S assim Ele se pode abrir a ns.
De certo modo,
o Verbo da revelao alcana este fim.

Santa Teresa Benedicta da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Edite Stein, Ser Finito e Ser Eterno.

   

   Ests presente

Deus, Senhor e meu Pai que me amas,
eu creio que pela tua imensidade,
ests presente em todo o lugar,
ests aqui, dentro de mim,
no meu corao,
vendo os meus mais ocultos
pensamentos e afetos.
Adoro-Te com a mais profunda humildade,
e peo-Te perdo pelas vezes
que no te amei de verdade.
Ensina-me a rezar para conhecer-me
e conhecer-Te,
para amar-Te sempre
e fazer-Te conhecido e amado.
Amm.

Santo Henrique de Oss | 1840 1896
Oraes

   

   No dilogo silencioso do corao

Na vida oculta e silenciosa
realiza-se a obra da Redeno.
No dilogo silencioso do corao com Deus
preparam-se as pedras vivas
com as quais vai crescendo o Reino de Deus
e forjam-se os instrumentos selectos
que promovem a sua construo.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 1942
Edite Stein, Obras Completas - A orao da Igreja.

   

   Nossa Senhora do Carmo!

O Carmelo
a flor de Maria,
a Sua Casa.
Nossa Senhora
que d a flor da sua vida
Jesus
s nossas almas!

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Prticas de Piedade, p.22 bis

   

   A Proteco de Maria

A Santssima Virgem
d-me a entender que no est zangada comigo,
pois nunca deixa de me proteger
logo que A invoco.
Se tenho qualquer inquietao,
uma dificuldade,
volto-me depressa para Ela,
e como a mais terna das mes,
encarrega-Se sempre dos meus interesses.
Quantas vezes me aconteceu,
ao falar s novias,
invoc-La
e sentir os benefcios
da Sua maternal proteco!...

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito A, 26 r

   

   O nome de Maria

Gostaria de ter os mais puros lbios
para pronunciar o Nome de Maria,
e uma caneta de ouro para o escrever.

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Penses de Marie de Jsus Crucifi, por Fr. Denis Buzy

   

   Oferecimento

Meu Jesus,
Tu conheces a oferta
que Te fiz de mim mesma
pela converso das pessoas
que Te enumerei.
Desde hoje,
no s Te ofereo a minha vida,
mas tambm a minha morte,
como Te aprouver dar-ma.
Receb-la-ei com satisfao,
seja no abandono do Calvrio,
seja no Paraso de Nazar.

Santa Teresa dos Andes | 1900 1920
Dirio. 2

   

   Acolher Maria

Acolher Maria na nossa vida,
como me,
cumprir a vontade de Jesus
que, na pessoa de Joo,
no-La confiou.
No podemos acolher Jesus na nossa vida
sem acolher Maria,
sua e nossa Me.
Como Seus filhos,
todos ns acorremos a Ela
nas nossas mltiplas necessidades.

Santo Henrique de Oss | 1840 1896
Quarto de Hora de Orao, p. 231

   

   Jardim fechado

O homem um jardim fechado;
se para este jardim Maria
constituda cultivadora e jardineira,
o que que no podemos esperar
da sua habilidade e solicitude?
Fertilizando as nossas almas
com as guas que emanam
dos santos Sacramentos,
a divina jardineira colher,
no jardim do nosso corao,
flores de toda a espcie
e apresentar todos os dias ao seu Filho
um ramalhete de virtudes,
composto com admirvel variedade.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Documentos. 228

   

   S a minha Me

As crianas no percebem os perigos,
confiam na mam
e, se algum lhes quer fazer mal,
abraam-se com mais fora
ao corao materno.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 1948
Pensamentos sobre imagens. 54

   

   Me de Misericrdia

A Virgem Maria a nossa Me
no sentido real e eminente
Ela gerou-nos para a vida da graa
quando se entregou a si mesma,
com todo o seu ser, maternidade divina.
Por tudo isto ela est muito prxima de ns.
Ama-nos e conhece-nos
e empenha-se em fazer de ns
o que temos que ser.

Santa Teresa Benedita da Cruz|
Edite Stein, Membros do Corpo Mstico de Cristo.

   

   Parecer-me com Maria

O meu espelho h-de ser Maria.
Uma vez que sou sua filha,
devo parecer-me com Ela
e assim parecer-me-ei com Jesus.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Dirio. 15

Minha Me,
nesta Tua Novena Te peo:
faz-me parecer sempre mais conTigo,
pela humildade, pela pureza,
pela generosidade, a compaixo,
a docilidade,
pela diligncia em ajudar quem precisa
Parecer-me-ei assim,
sempre mais com o Teu Filho Jesus
e poderei fazer a experincia
de que Tu conduzes sempre a Jesus,
o Amor encarnado.
Assim seja!

   

   Minha Me do Carmo

Tratemos com a Virgem Maria
como com uma Me.
Confiemos a Ela
as nossas debilidades
a fim de que Ela as ajude a vencer;
as nossas tendncias
a fim de que as oriente para o bem;
os nossos pensamentos
a fim de que os torne castos;
os nossos afetos,
a fim de que os guarde puros.
Caminhemos at Deus por Maria;
seja Ela a escada para ir at Ele,
como para ns canal das Suas graas.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Conselhos. 2, 22

   

   Bem-aventurados os pequenos

Bem-aventurados os pequeninos!
Por eles esto bem em todos os lugares.
Mas os grandes
em todos os postos
encontram incmodo.

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevaes Espirituais. 48

   

   Humildade

O humilde,
se se engana,
se no consegue fazer qualquer coisa,
no se perturba,
porque sabe no ser nada
e no poder nada.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Perfeio Carmelitana. 49

   

   O tempo do Amor

O facto de no se obter imediatamente
tudo quanto pedimos
uma graa singular
que nos faz o Senhor,
porque desta maneira
Ele faz crescer para ns
o mrito da esperana,
da humildade
e da perseverana na orao.
Ele deleita-Se por nos fazer rezar
por muito tempo,
como faz a me
com o seu pequeno filhinho.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinrio (Ildefonso) 32

   

   Viver na presena de Deus

No digo que para isto
[viver continuamente na presena de Deus]
seja necessrio torturar-se muito;
no,
necessrio servir a Deus
numa santa liberdade.
necessrio trabalhar fielmente,
sem perturbao nem inquietude,
chamando doce e tranquilamente
o nosso esprito a Deus,
tantas vezes quantas o encontrarmos distrado.

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 1691
Carta04. A uma religiosa. 03 de Novembro de 1685.

   

   O Amor enche-nos da Sua luz

O amor puro, casto, virginal,
age na solido
com toda a plenitude das suas foras,
porque ali pode ver com toda a claridade possvel
o objecto do seu amor,
que a Igreja Santa,
isto , Deus e os prximos.
Na solido, retiro e silncio,
age com toda a sua eficcia,
porque ali ningum o distrai.
O objecto do amor
descrito pela lei do corao humano
imenso, infinito;
to grande que,
apesar da nossa capacidade ser quase que imensa,
preenche o corao todo,
se ele estiver vazio.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Minhas Relaes com a Igreja

   

   Olhos e corao de guia

Como que uma alma
to imperfeita como a minha
poder aspirar a possuir
a plenitude do Amor?...
Jesus, meu primeiro, meu nico Amigo!
Tu, a quem UNICAMENTE amo,
diz-me, que mistrio este?...
Porque no reservas estas imensas aspiraes
s almas grandes, s guias
que pairam nas alturas?...
Eu considero-me um dbil passarinho,
coberto apenas por uma leve penugem.
No sou guia.
Dela tenho simplesmente os olhos e o corao,
pois, apesar da minha extrema pequenez,
ouso fixar o Sol Divino,
o Sol do Amor,
e o meu corao sente em si
todas as aspiraes da guia...

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito B. 4v - 5r

   

   Descobrir a Deus em todas as coisas.

Sim!
uma graa imensa
poder conhecer a Deus,
atravs da f:
conhecer a revelao de Deus
e do amor que Ele nos manifesta
em todas as Suas obras;
conhec-Lo nas cincias humanas,
nas artes, nas foras
ou nas coisas que nos rodeiam:
tudo uma manifestao de Deus,
porque Ele revela-Se nas Suas obras.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 11

   

   Procuremos fortalecer-nos de humildade

No nos queixemos de temores,
nem nos desanime ver fracos
os nossos esforos e natureza,
mas procuremos fortalecer-nos de humildade
e entender claramente
o pouco que podemos por ns mesmos
e que, se Deus no nos favorece,
no somos nada.
Procuremos tambm confiar na Sua misericrdia
e desconfiar de todo em todo das nossas foras.

Santa Teresa de Jesus | 1515 1582
Conceitos do Amor de Deus 3,12

   

   Flor que se prostra reverente

Passando no outro dia no claustro,
o meu olhar pousou sobre uma florzinha
que do caule verde
se dobrava sobre a sua corola
e quase tocava na terra
Padre Veneradssimo,
a tnue flor de que lhe falei
a imagem fiel da minha alma,
que plena de graas imensas
se prostra reverente,
quase aniquilando-se,
para agradecer a eterna bondade
que tanto a ama
sem ter jamais uma correspondncia adequada...

Beata Elias de S. Clemente | 1901 1927
Carta 44. A Padre Elia. Junho de 1924.

   

   A Misericrdia torna possvel o impossvel

O prximo
no aquele com quem simpatizo.
todo o homem que se aproxima de mim
sem excepo.
E interiormente sentimos que nos dito:
'Tu podes porque deves'.
o Senhor quem o exige
e Ele no exige nada de impossvel.
Pelo contrrio, Ele torna possvel
o que naturalmente seria impossvel.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 1942
Edite Stein Ser Finito e Ser Eterno.

   

   Os desejos e as obras

As flores dos santos desejos
fazem chegar ao Cu
a sua fragrncia;
mas a alma no d a Jesus apenas promessas:
elas so vlidas pelas obras,
pela sua fidelidade
e pelo seu amor.
E estas obras so os frutos
que procedem do sacrifcio.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Pensamentos sobre Imagens (1 srie). 36, pg. 14

   

   O Triunfo de Deus

O triunfo de Deus,
o caminho para a unio perfeita no amor,
so marcados pelo sofrimento.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferncias. 20. 11. 1966

   

   Mar de amor infinito

Antes de chegar a Carlipa
fomos passar um dia a Biarritz
para cumprimentar o Oceano.
Como belo, querida amiga,
nem consigo dizer-te
como esse espectculo grandioso;
amo este horizonte sem barreiras,
sem limites!
A mezinha e a Guida
nem conseguiam arrancar-me minha contemplao,
e creio que me acharam um pouco maadora;
tenho a certeza de que tu,
tu ter-me-ias compreendido.

Beata Isabel da Trindade | 1880 1906
Carta 30. A Maria Lusa Maurel.12.08.1900.

   

   O espelho da alma

Todos os dias
fao a minha meditao [orao]
e vejo que grande ajuda
para nos santificarmos.
o espelho da alma.
Ao faz-la
quanto nos conhecemos a ns mesmos!

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Dirio. 18

   

   No colherei as flores

Repare-se que no so s os bens temporais
e os prazeres corporais
que impedem e contrariam
o caminho de Deus.
Tambm as consolaes
e os prazeres espirituais,
quando se procuram
ou efetivamente se tm,
impedem o caminho da cruz do Esposo Cristo.
Portanto, a quem quiser avanar,
convm no ficar a colher essas flores.
Mais ainda, preciso
que tenha a coragem e a valentia de dizer:
Nem temerei as feras,
e passarei os fortes e fronteiras.
Nestes versos refere-se aos trs inimigos da alma:
o mundo, o demnio e a carne.
So eles que lhe fazem guerra
e colocam obstculos no caminho.

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico Espiritual.3, 5

   

   A Jesus, manso de Corao

Jesus, quanto necessito da tua doura
eu, que hei de tratar com os mais prximos
para atra-los ao teu amor!

Quanto necessito da tua forte doura e da tua doce fortaleza!
Busco-me mais a mim do que a Ti, ao tratar com as pessoas;
quero atra-las ao meu amor egosta
e no ao teu doce e suave amor.

Ensina-me, Jesus, a amar como Tu, a sofrer como Tu.
Verdadeiramente eu no posso desejar,
com maior eficcia que Tu, o bem dos outros
Porque, me entristeo e desanimo?
Porque no sou manso como Tu.

Quero aprender do teu Corao
e submeter ao teu suave jugo
a minha vontade, as minhas foras, a minha liberdade.

Quero viver s a vida de f, de esperana, de amor
e que reine no meu corao a tua mansido,
para encontrar a paz e assim trazer
milhares de coraes ao teu servio e amor.

Santo Henrique de Oss,
Um Ms na Escola do Corao de Jesus
Ed. 1995. Pg.212

   

   Sofrer e amar

doce sofrer
com o pensamento de gozar eternamente.
Feliz, trs vezes feliz a alma que sofre!
O tempo breve,
muito breve.
Depois de se ter sofrido um instante
sobre a terra,
aquela alma estar sempre
com o Pai celeste
Tenho sede,
tenho sede de Jesus s!
Felizes as almas que sofrem em segredo,
conhecido de Deus s!...
Quanto amo uma alma
que sofre com pacincia,
escondida com Deus s!...

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevaes Espirituais. 57

   

   Despojar-se do eu

Se do teu eu te despojas
E por ti, em esquecimento,
S procuras a Deus,
Jesus far na tua alma
a Sua doce morada.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 40

   

   So grandes e nicos os dons de Deus

Porque so grandes os dons
que continuamente recebemos de Deus,
no podemos retribuir-Lhe nada
como se fosse uma digna recompensa,
porque tambm isso o recebemos de Deus.
Por isso estamos em perptua dvida,
O que sempre nos leva conscincia
da pura,
liberalssima beneficncia
do nosso Deus.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinrio (Ildefonso). 55

   

   Andar conTigo

Se eu fosse um pregador,
no pregaria outra coisa
seno a prtica da presena de Deus;
e se eu fosse director espiritual,
aconselh-la-ia a toda a gente,
de tal forma eu a considero necessria
e tambm fcil.
Ah! Se ns soubssemos
a necessidade que temos das graas
e auxlios de Deus,
no O perderamos nunca de vista,
nem sequer por um momento.
Crede-me,
tomai, a partir de agora,
uma santa e firme resoluo
de no vos afastardes nunca voluntariamente Dele
e de viver o resto dos vossos dias
nesta santa presena,
privada por seu amor,
se Ele julgar necessrio,
das consolaes do Cu e da terra.
Ponde mos obra;
se o fazeis como devido,
asseguro-vos de que vereis rapidamente os efeitos.
Eu ajudar-vos-ei nisto com as minhas oraes,
por mais pobres que elas sejam.

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 - 1691
Carta03. A uma religiosa. 1685.

   

   Abandonar-me Providncia

A Providncia, pelos seus altos desgnios,
deixou-te sem casa, nem terra, nem dinheiro
e, porque te oferece este meio,
ser, sem dvida, para que, neste tempo,
se continue lavrando no interior
o desprendimento perfeito
e, quando seja [oportuno],
a Sua vontade dispor outra coisa.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 37.

   

   Como sois meigo para comigo!

meu Deus!
Como sois meigo para com a vitimazinha
do vosso amor misericordioso!
Nem sequer agora
que Vs juntais o sofrimento exterior [a tuberculose]
s provaes da minha alma, posso dizer:
Rodearam-me as angstias da morte,
mas exclamo com gratido:
Desci at ao vale da sombra da morte,
mas no receio nenhum mal:
porque Vs estais comigo, Senhor!

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 262

   

   Viver sob o Teu olhar de amor.

Viver sob o olhar de Deus.
Que felicidade e que ajuda para a virtude!
Faz os primeiros esforos,
Jesus ajuda sempre a alma
a estabelecer-se a.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 47

   

   Comungar Jesus pela primeira vez

Aproximmo-nos do altar
[para a Primeira Comunho]
enquanto cantvamos esse belo cntico:
Alma feliz,
que nunca mais esquecerei.
No posso descrever
o que aconteceu na minha alma com Jesus.
Pedi-Lhe mil vezes que me levasse,
e senti a Sua voz querida
pela primeira vez.
Ah! Jesus, eu Te amo; eu Te adoro!
Pedia-Lhe por todos.
E sentia a Virgem muito perto de mim.
Oh, como o corao se dilata!
E pela primeira vez senti uma paz deliciosa.
Depois da aco de graas fomos ao ptio,
distribuir coisas pelos pobres
e abraar [cada uma] a sua Famlia.
O Meu paizinho beijava-me
e levantava-me nos seus braos,
feliz.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Dirio. 6. A Minha Primeira comunho, 11.09.1910

   

   A pureza do amor!

A pureza das criaturas
agrada mais a Deus que a dos Anjos,
porque enquanto para os Anjos
esta prerrogativa um dom,
na criatura assinala o triunfo da graa.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Conselhos. 3, 17

   

   Estes dois amores tornaram-se um

Ordenou em mim a caridade.
A Esposa se ama no sabe como,
nem entende o que ama.
O grandssimo amor que lhe tem o Rei,
que trouxe a to alto estado,
deve ter unido a Si o amor desta alma,
de maneira que no o merece entender
o entendimento.
Estes dois amores tornaram-se um

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Conceitos do Amor de Deus 6,11

   

   Anjo da paz: pedagogo da orao

At que um dia
o Senhor enviou o Seu Anjo
com uma mensagem de paz e de orao,
introduzindo-nos no clima de sobrenatural,
de f, de esperana e de amor.
Dizendo:
No temais, sou o Ano da paz. Orai comigo,
e ajoelhando em terra,
curvou a fronte at ao cho.
Levados por um movimento sobrenatural,
imitmo-lo repetindo as palavras
que lhe ouvamos pronunciar:
Meu Deus eu creio, adoro,
espero e amo-Vos.
Peo-Vos perdo para os que no creem,
no adoram,
no esperam
e no Vos amam.
Depois de repetir por trs vezes esta orao,
ergue-se e disse:
Orai assim.
Os Coraes de Jesus e de Maria
esto atentos voz das vossas splicas.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Como vejo a Mensagem. Pgs. 17-18

   

   S Tu me fazes plenamente feliz!

Como belo servir o Senhor
na simplicidade do corao
e sobrevoar tudo o que passa
Dizei-me, no sentis tambm vs
a sede do infinito?...
No, o nosso corao demasiado grande
quando considerado
face s coisas de aqui de baixo.
Sinto que o mundo inteiro,
todos os afectos das criaturas
no poderiam apagar um s instante
a imensido do seu vazio.
Deus,
s Deus,
pode fazer-me plenamente feliz...

Beata Elias de So Clemente.
Carta 41. 18-03-1924.

   

   Penetrar na profundidade

Todos sabemos que a mesma coisa
em tempos e circunstncias diversas
produz efeitos diferentes.
Podemos ler uma Palavra da Escritura,
escut-la ou pronunci-la cem vezes
e de certo modo ter captado o seu sentido,
mas pode no ter penetrado no profundo
e ficar na superfcie,
como uma semente num terreno pedregoso
que no pode germinar.

Santa Teresa Benedicta da Cruz (Edith Stein) | 1891 1942
Edite Stein, Obras Completas.

   

   Sou Teu!

Que alegria, Jesus,
nas palavras que pronuncias:
partilhas connosco a Tua pertena ao Pai.
No h lugar para dvidas:
ns somos Teus e somos do Pai!

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferncias. 07.04.1966

   

   Procuro-Te!

Oh! Nada mais ver
seno sempre a Ele;
mesmo quando esta mo cheia de amor
parea fazer sangrar o corao;
ainda que Ele Se esconda,
Ele, o nico que procuramos!

Beata Isabel da Trindade | 1880 1906
Carta 44. A Margarida Gollot. 07.04.1901.

   

   Reproduzir os mistrios de Cristo

Despertei cedo.
A minha Mam arranjou-me
e vestiu-me o vestido.
Penteou-me.
Ela fez-me tudo,
mas eu no pensava em nada.
Estava indiferente para tudo,
menos a minha alma para Deus.
Quando chegmos
estvamos a rezar o Rosrio da Primeira Comunho.
Em vez das Av Marias repetamos:
"Vinde meu Jesus, vinde!
Oh meu Salvador,
vinde Vs mesmo preparar o meu corao".

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Dirio. 6. A minha Primeira Comunho: 11.9.1910

   

   Corao Imaculado de Maria

E o que que Nossa Senhora nos disse?
Sacrificai-vos pelos pecadores
e dizei muitas vezes,
em especial sempre que fizerdes algum sacrifcio:
Jesus, por Vosso amor,
pela converso dos pecadores
e em reparao pelos pecados cometidos
contra o Imaculado Corao de Maria.
que Maria sofreu no Seu Corao de Me
toda a ofensa cometida contra Deus,
Jesus Cristo, Seu Filho.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 2005
Como vejo a Mensagem. pg. 51

   

   O Teu Corao!

Ah! bem sei que todas as nossas justias
No tm a Teus olhos nenhum valor
Para dar mrito aos meus sacrifcios
Quero lan-los no Teu Divino Corao.
No encontraste os Teus anjos sem mancha
No meio dos relmpagos ditaste a Tua lei!
No Teu Corao Sagrado, Jesus, eu me escondo
No tenho medo, a minha virtude s Tu!

Para poder um dia contemplar a tua glria
Sei que preciso passar pelo fogo
E eu escolho para meu purgatrio
O Teu Amor ardente, Corao do meu Deus!
A minha alma exilada ao deixar esta vida
Quereria fazer um acto de puro amor
E depois, voando para o Cu sua Ptria,
Entrar sem nenhum desvio no Teu Corao.

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Poesia 23

   

   Deus sempre maior

Entender e sentir
como imensa a Divindade,
ao ponto de ser impossvel conhec-la totalmente,
um altssimo entender.
Por isso, uma das maiores mercs
que Deus faz a uma alma nesta vida,
[] dar-lhe a entender claramente
e sentir to altamente de Deus,
de modo a que entenda claramente
que no se pode entender nem sentir totalmente.
De certa maneira isto assemelha-se ao modo
dos que O veem no Cu,
onde os que melhor O conhecem,
entendem mais claramente
o muitssimo que lhes fica ainda por entender,
e os que menos O veem
so os que menos claramente se apercebem
do que lhes falta ainda ver [].

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico Espiritual. 7, 9

   

   O Senhor convida a todos

Olhai que o Senhor convida a todos;
pois a verdade e no h que duvidar.
Se este convite no fosse geral Deus
no chamava a todos
e ainda que os chamasse no dizia:
Eu vos darei de beber.

Santa Teresa de Jesus | 1515 1582
6 Moradas 11,5

   

   Seguir Maria

Quero seguir-Te sempre
Por onde quer que for,
Contigo ser consagrada,
Pequena Hstia damor!

Humilde gro de trigo,
Modo por Teu amor,
Oferecido ao Pai contigo,
Hino de eterno louvor!

s Tu Senhora e Pastora,
Indo por esse mundo alm,
Em busca dos filhos dispersos
Traz-los no Teu Corao de Me.

Vai celeste Mensageira,
Por essa terra inteira,
No percas nem um s,
De quantos s Rainha e Padroeira.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Como vejo a Mensagem. Prtico

   

   Sou Teu!

Jesus, em Ti confio
Jesus, Deus do meu corao,
muitas vezes tenho vivido fechado
no meu egosmo,
longe de Ti.
Julgava procurar a felicidade,
E o meu corao estava cada vez mais vazio.
S Tu, meu Jesus,
s capaz de preencher a minha vida,
Tu, que s o meu ltimo fim.
Tudo por Ti, nada sem Ti!
Sou Teu!

Santo Henrique de Oss | 1840 1896
Oraes

   

   A Eucaristia

Quereria fazer compreender s almas
que a Eucaristia um cu,
pois que o Cu no seno
um sacrrio sem portas,
uma Eucaristia sem vus,
uma comunho sem fim.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 112

   

   S Tu s a minha alegria!

Senhor,
visita a Tua casa.
Lana sobre ela o Teu olhar.
Olha,
tantos animais que a entram
e a destroem!
Visita-a Senhor, visita a Tua casa
Jesus, visita o Teu jardim.
Sem Ti Inverno;
no h fruta.
Faz como o jardineiro,
o qual trabalha a terra e a aduba;
semeia-a, guarda-a, protege-a,
cava-a, rega-a.
O Teu jardim est rido.
Ele a minha alma;
ningum lhe leva uma gota de gua
Vem, Senhor Jesus;
sem Ti definho e caio.
S Tu s a minha fora,
s Tu s a minha alegria

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevaes espirituais. 23

   

   Jesus vela por ns!

Jesus vela por ns,
pelas nossas necessidades,
tem em conta
cada uma das nossas penas,
muito mais
do que aquilo que faria
um pai amoroso
pelo seu nico filho.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Cartas II. 2

   

   Em todo o tempo e lugar Te encontro, Senhor!

Deus
no est restringido
nem ao tempo,
nem ao modo.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinrio (Ricasoli). 10

   

   Estar sob o olhar amoroso de Jesus

No me ocupo seno de estar sempre
na Sua santa presena [de Deus],
na qual me mantenho
por uma ateno simples
e um olhar geral e amoroso em Deus,
que poderia denominar presena de Deus actual
ou, melhor dito, trato mudo e secreto da alma com Deus,
que quase nunca passa;
o que me causa s vezes
contentamentos e alegrias interiores
e, s vezes, at exteriores

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 1691
Carta 02. A um conselheiro espiritual.

   

   No abandonar a orao

Organiza a tua vida:
em orao, retiro e silncio,
e estas muralhas, guardar-te-o
contra os inimigos.
Na orao,
no silncio e retiro,
te encontrars a ss com Deus.
Se os demnios, usando o mundo como seu aliado,
cercam a fortaleza;
se te atacam com calnias,
com lnguas maldizentes e te combatem,
j sabes at onde chega o mundo.
Se s privada dos santos sacramentos,
humilha-te
e Deus,
que no tem as Suas mos atadas a estes sinais,
Te abenoar.
Por isso, no te preocupes,
segue inaltervel,
serena e em paz
na tua relao com Deus.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 40, 2

   

   Ser corredentor conTigo

O pensamento
de que os meus sofrimentos
podem ajudar as almas
d-me uma alegria profunda
e enche-me de paz.
A minha felicidade interior
imensa:
cada dor para mim uma joia
cada do Cu para me ornar.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Dirio I, pag 27

   

   A Santssima Trindade toma posse da nossa alma

Que chamamento o do nosso Esposo!...
O qu!... j no ousvamos sequer olhar-nos
de tal maneira pensvamos estar sem brilho
e sem enfeites
e Jesus chama-nos []
mas no est s;
com Ele as outras duas Pessoas da Santssima Trindade
vm tomar posse da nossa alma...

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 1897
Carta 165. A Celina

   

   S o amor d valor a todas as coisas

Senhor meu!
Lembro-me algumas vezes
Da queixa daquela santa mulher, Marta,
Que no se queixava s da sua irm,
Antes tenho por certo que o seu maior sentimento
Era por lhe parecer que Vs no Vos doeis Senhor,
Do trabalho que ela passava,
Nem se vos dava nada que [Maria] estivesse convosco.

Pareceu-lhe, porventura,
Que no era tanto o amor que lhe tnheis
Como a sua irm.
Isto devia-lhe fazer mais pena
Do que servir a Quem ela tinha tanto amor,
Pois este faz ter o trabalho por descanso.

Apercebe-se isto em no dizer nada a sua irm,
Antes, com toda a sua queixa, se foi a Vs, Senhor,
Pois o amor f-la atrever a dizer que isso no Vos dava cuidado.

At pela resposta se v ser
A verdade do que digo:
S o amor d valor a todas as coisas;
E que seja to grande que nenhuma lhe estorve o amar,
o mais necessrio.

   

   Jesus espera o nosso amor

Tudo deve ser de Jesus.
Ele merece o nosso pobre amor
e aquilo que me surpreende
saber que este divino Rei
o procura e o espera
de todas as almas

Beata Elias de S. Clemente | 1901 1927
Carta 71. A Domenichina, sua irm. Fevereiro de 1925.

   

   O Castelo da alma

Quem se entrega incondicionalmente ao Senhor
escolhido como instrumento
para construir o Seu Reino.
O Esprito Santo vai-a introduzindo
cada vez mais profundamente
nas moradas interiores do castelo da alma,
at essa ltima,
onde Ele pode dizer-lhe
que j tempo de que ela tome as Suas coisas por suas,
que Ele teria cuidado das dela..
Por isso ela apenas poder ocupar-se com diligncia das coisas do Senhor,
o Deus dos exrcitos.

Santa Teresa Benedita da Cruz, Os Caminhos do Silncio Interior, pg. 80

   

   Fazer a Tua vontade!

Oh! Como Ele bom,
querida irm!
Entreguemo-nos a Ele
para O amar
e para fazer a Sua santa Vontade;
que seja esse o nosso alimento
como me dizias na tua carta.

Isabel da Trindade.
Carta 50. A Margarida Gollot. Abril-Junho de 1901.

   

   Viver de f

Todos,
mas sobretudo as pessoas consagradas,
precisam de viver da f:
aquela f que v a Deus no prximo,
na autoridade
e nos acontecimentos;
aquela f que nos certifica
de que a autoridade representa a Deus
e de que, obedecendo,
fazemos a vontade de Deus.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 20

   

   A perfeio est no Amor

A perfeio est no amor.
Ns seremos julgados
sobre o amor,
sobre a qualidade
do nosso amor.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferncias. 27.08.1951

   

   Levantar muralhas

Essa unio, minha irm,
pede e exige um corao em paz,
em calma, imvel, inaltervel,
como um Cu,
e essa paz, essa calma,
[]
podemos adquiri-la,
estamos obrigados a procur-la,
combatendo com fora e vigor
tudo o que se levante nossa volta
para arrebat-la.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 38, 8

   

   Quero provar-Te o meu amor

No tenho outro meio de Te provar o meu amor,
seno o de lanar flores,
isto ,
no deixar escapar nenhum pequeno sacrifcio,
nenhum olhar,
nenhuma palavra;
aproveitar todas as mais pequenas coisas
e faz-las por amor[...]
Jesus,
para que Te serviro as minhas flores
e os meus cnticos?
Ah! bem sei,
esta chuva perfumada,
estas ptalas frgeis e sem nenhum valor,
estes cnticos de amor
do mais pequeno dos coraes,
encantar-Te-o.

   

   Milagres do Amor

O Amor,
s o Amor sabe realizar milagres de sacrifcio,
de confiana
e de abandono em Deus.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Escritos Vrios, p. 114

   

   Marcada com o Seu selo

No tendes ouvido da Esposa,
que a meteu Deus na adega do vinho,
e ordenou nela a caridade?
Pois assim isto:
como aquela alma j se entregou em Suas mos,
e o grande amor a tem to rendida,
no sabe nem quer mais
seno que Deus faa dela o que quiser,
e quer que, sem que ela entenda como,
saia dali marcada com o seu selo.

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
V Moradas 2,12

   

   O Teu amor por mim infinito

Vossa Reverncia conhece bem
quo infinitos so os desejos
do seu pequeno corao [da Beata Elias]
Jesus no a afasta
pelo contrrio,
na Sua imensa bondade,
ama acolh-los todos
para os conceder e satisfazer.
Mas Vossa Reverncia, []
apertar contra o Seu Materno corao
a pequena Ir. Elias
que sob esta aparncia
esconde um tesouro
o imenso amor pelo bom Deus e por Vossa Reverncia.

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 77. Madre Anglica. 12 de Maro de 1925.

   

   A verdadeira proximidade!

Quem entra no Carmelo
no se perde para os seus;
pois a nossa vocao
interceder por todos diante de Deus.

Santa Teresa Benedicta da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Carta 415

   

   Deus age em ns

A nossa santidade
fruto da aco de Deus em ns
e por Ele e com Ele
que somos santos
o amor que nos purifica,
que nos santifica,
que nos une
e nos salva

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
O Meu Caminho, Vol. II, p. 341

   

   Apresentao do Senhor

Em estes e outros rogos
Mui tempo passado havia;
Porm nos ltimos anos
O fervor muito crescia
Quando o velho Simeo
Em desejo se acendia,
Rogando a Deus que quisesse
Deix-lo ver este dia.
E assim o Esprito Santo
Ao bom velho respondia:
Sua palavra lhe dava
Que ele a morte no veria
At que chegasse a vida
Que do alto desceria,
E que ele nas prprias mos
Ao prprio Deus tomaria
E o teria nos seus braos
E consigo O abraaria.

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Romance sobre o Evangelho. 6

   

   Entrar na vontade de Deus

Ns fazemos nosso
o poder que Deus depositou nos Seus decretos,
nos Seus desgnios,
captamos a eficcia que Ele ps nas Suas ordens,
na Sua vontade;
ns fazemo-los nossos
entrando nesta vontade
e nesta luz.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferncias. 19.01.1966

   

   O centro mais profundo

Este mesmo santo [S. Joo da Cruz] diz ainda
que Deus o centro da alma.
E, quando a alma com toda a sua fora
tiver conhecido perfeitamente a Deus,
ento O amar e O gozar inteiramente,
ter chegado ao centro mais profundo que nEle possa alcanar.
Porm, antes de l chegar,
a alma j est em Deus que o seu centro,
mas no est no seu centro mais profundo
pois pode ir mais longe.
Como o amor que une a alma a Deus,
quanto mais intenso este amor,
mais profundamente ela entra em Deus
e nEle se concentra;
assim que possuir um nico grau de amor
est j no seu centro;
mas quando este amor tiver atingido a perfeio,
a alma ter penetrado
no seu centro o mais profundo.
A ser transformada a ponto de se tornar semelhantssima a Deus.
A esta alma, que vive do interior,
podem-se aplicar as palavras do Padre Lacordaire
a santa Madalena:
J no perguntes pelo Mestre a ningum da terra,
nem a ningum do Cu,
pois Ele a tua alma e a tua alma Ele.

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
O Cu na terra, 6

   

   Desejos do Cu

Jesus querido,
cada vez que me sinto mal,
sinto saudades de Ti,
desse Cu onde no Te ofenderei mais,
onde me embriagarei com o Teu Amor,
onde serei, Jesus, uma conTigo
pois hei-de estar em Ti
e mover-me em Ti.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Dirio 37

   

   Bens espirituais

Pastores, se subirdes
Alm pelas malhadas ao outeiro,
E porventura virdes
Aquele a Quem mais quero,
Dizei que sofro, peno e a morte espero.

Nesta cano [estrofe],
a alma quer valer-se de terceiros e intermedirios
junto do seu Amado,
pedindo-lhes que Lhe participem a sua dor e pena.
Porque uma das propriedades do amante
consiste em que se ele no consegue
falar pessoalmente com o Amado,
h-de faz-lo com os melhores meios que puder.
Assim, a alma quer valer-se agora dos seus desejos,
afectos e gemidos como mensageiros
que sabem revelar muito bem ao seu Amado
os segredos do corao.
Assim, persuadindo-os a partir, diz:
Pastores, se subirdes.
Aos seus desejos, afectos e gemidos chama pastores,
porquanto apascentam a alma de bens espirituais.

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico Espiritual, 1 e 2

   

   Eu Vos darei de beber

piedoso e amoroso
Senhor da minha alma!
Vs tambm dizeis:
Vinde a Mim todos os que tendes sede,
que Eu vos darei de Beber.

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Exclamaes IX,1

   

   Quem poder ser missionrio de paz e amor?

Quem poder ser missionrio
de paz e amor?
Aquele que paga o mal
com a abundncia do bem.
Aquele que procura com todo o afinco,
ser verdadeiro nas palavras,
franco na conversao,
inimigo de toda a hipocrisia e singularidade.
Aquele que cria laos de comunho,
quando se trata de promover os interesses de Jesus,
apoiando as boas iniciativas.
Aquele que promove em tudo
a unio e a concrdia.

   

   Ir a Jesus pelo amor

Vejo o meu irmo
vender o Dilecto [Jesus]
Oh, meu irmo,
como podes tu vender Jesus,
pelos teus prazeres,
pelos teus interesses,
para andares no caminho de Satans,
o qual o caminho do inferno?
meu irmo,
se queres vender o Dilecto,
eu compr-Lo-ei
Salvador,
eu Te comprarei com as minhas lgrimas,
com a obedincia,
com a humildade,
com a caridade,
com o sacrifcio,
com a morte,
com o mais puro amor ao prximo
Se fizer isto eu Te comprarei
queles que Te vendem.

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevaes Espirituais. 8

   

   Para a frente, com a Cruz!

Vai sempre para a frente
levando a tua bandeira,
levando a cruz no teu corao.
E tem sempre pronta a tua arma:
a orao.
S assim, minha filha,
podes e deves combater e vencer
na disciplina e na ordem;
podes e deves obedecer
at ao sacrifcio;
podes e deves praticar a caridade
interna e externa
com generosidade e herosmo.
Para a frente, sempre, no nome santo de Deus!

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Escritos Vrios. Pg. 8

   

   A rvore da santidade

S os humildes
se erguem em santidade.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Perfeio Carmelitana. 49

   

   A escada para o Pai

Ningum pode ir ao Pai,
seno por Mim.
Que bela escada,
que escada preciosa
o nosso bom Jesus!

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinrio. (Pe. Ildefonso). 26

   

   O Senhor a minha companhia

Admiro a fora e a coragem do senhor X
[trata-se de um rapaz feito soldado].
Deus deu-lhe boa natureza e boa vontade,
mas ainda tem um pouco de mundano
e muita juventude.
Espero que a aflio que Deus lhe enviou
lhe sirva de remdio salutar
e que o faa entrar em si-mesmo;
uma ocasio para o levar
a pr toda a sua confiana
Naquele que o acompanha
por todo o lado.
Que ele se lembre disto
o mais frequentemente que possa,
sobretudo no meio dos maiores perigos.

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 1691
Carta06. 12 de Outubro de 1688.

   

   Ouvir a Deus

Crer no Verbo Deus
ouvi-Lo com tanta clareza e segurana
com quanta maior f se cr.
A palavra de Deus permanece eternamente,
como o prprio Deus;
e Quem falou, j foi ouvido
e continuaro a ouvi-Lo
por todos os sculos.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Minhas Relaes com a Igreja
4 Gruta da Santa Cruz-1864 Imaculada, 9 (Locues), pg. 770.

   

   Desfolhar-me por amor

Sim, meu Bem-amado!
Assim se consumir a minha vida...
No tenho outro meio de Te provar o meu amor,
seno o de lanar flores,
isto , no deixar escapar nenhum pequeno sacrifcio,
nenhum olhar,
nenhuma palavra;
aproveitar todas as mais pequenas coisas
e faz-las por amor...
Quero sofrer por amor e gozar por amor.
Assim lanarei flores diante do Teu trono.
No encontrarei nenhuma
sem a desfolhar para Ti...
E depois, ao lanar as minhas flores, cantarei,
(poder-se-ia chorar ao praticar uma ao to alegre?),
cantarei, mesmo quando tiver de colher as minhas flores
no meio de espinhos;
e o meu cantar ser tanto mais melodioso
quanto maiores e mais agudos forem os espinhos.

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito B, 4r-4v

   

   Pacincia e amor para com todos!

Diante de Deus
e das criaturas
devo estar envolvida
por pacincia
e por caridade.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Dirio II, p.67

   

   S o Amor d valor a todas as coisas

S o Amor d valor a todas as coisas;
e que seja to grande
que nenhuma o impea de amar,
o mais necessrio.
Mas, como o poderemos ter, Deus meu,
conforme ao que merece o Amado,
se o amor que Vs nos tendes
no se junta ao nosso?

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Exclamaes V, 2

   

   Quero estar sempre conTigo, Senhor!

Estou feliz, melhor felicssima
o bom Jesus,
satisfazendo todos os anseios da minha alma,
derramou em torrente
as ondas da caridade imensa
encerrada no seu ternssimo Corao.
Venerado Padre,
agradea uma vez mais em meu nome
a este bom Senhor
e, reze, reze por mim,
pobre e frgil criatura
como descrever-lhe o retiro
precedente santa Velao [tomada de Vu]?...
Para ser sincera, terei de dizer
que foi uma festa com um vu de lgrimas,
mas plena de ntimas,
puras
e santas alegrias do Cu

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 75. Ao Padre Elias. 4 de Maro de 1925.

   

   Na liturgia vive Cristo

Na liturgia vive Cristo
A Liturgia a orao da Igreja
em que Cristo continua a orar,
tal como fez
durante a sua vida terrena com os salmos;
memria ininterrupta da sua vida,
cujos acontecimentos se nos apresentam
durante o ano litrgico.
Quem ora com a Igreja
ver-se- enraizado na vida de Cristo
e elevado acima de si mesmo.

Santa Teresa Benedicta da Cruz,
ESWerke XII

Cristo,
Tu continuas a orar na tua Igreja,
a orar em cada um de ns
para nos fazeres participar da adorao perptua
que no cu elevas ao Eterno Pai.
Toda a criao eleva
um hino de louvor ao Criador,
mas este hino s fica completo
quando cada um de ns participar intimamente
da Tua vida divina,
porque desde a eternidade fomos escolhidos
para permanecermos na presena de Deus,
no Amor adorante.
Ensina-nos, Senhor,
que participar na obra de salvao do Teu Amor
deixar-se transformar por Ti
e viver uma liturgia viva,
rezar contigo na Tua Igreja
e descobrir-se invadido pela Tua vida
e pela Tua orao,
que nos eleva por cima de ns mesmos
e nos faz permanecer em Ti.

   

   Ser santo!

Ser santa no ser indolente,
saber dar-se, entregar-se,
dizer sempre Sim! a tudo
o que o Senhor quiser,
com amor, com alegria
e generosidade.
Isto viver a luz de Deus
que habita em mim,
viver na luz,
viver da luz
e viver para a luz!
Ser receptculo da Luz Divina,
dessa Luz que Deus,
que mora em mim
e me absorve em Si, -
Sou assim uma pequena centelha de Luz Imensa
que Deus!
Amo-Te Senhor,
porque Tu s Amor!

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 2005
O Meu Caminho, Vol. II, p.381

   

   O mistrio da Eucaristia

O mistrio da Eucaristia
a grande prova de f dos Seus apstolos,
e poderemos dizer
que tambm a grande prova de f
de todos os cristos.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferncias. 20.03.1966

   

   Viver de amor!

Vou confiar-te uma coisa:
repara, parece que Ele a nossa guia divina,
ns somos as presas do seu amor;
Ele toma-nos, coloca-nos nas Suas asas
e leva-nos bem longe, bem alto,
para essas regies onde a alma e o corao
amam perder-se!
Oh! Deixemo-nos tomar,
ir at onde Ele quiser!
Um dia a nossa guia Bem Amada
far-nos- entrar nessa ptria
que as nossas almas aspiram.
Oh! Que felicidade, minha irm,
como ser bom!
Mas enquanto nos quiser deixar aqui em baixo,
amemos, amemos tanto quanto pudermos,
vivamos do amor, minha muito amada irmzinha,
o que eu mais desejo para os teus vinte anos,
beijando-te tanto quanto te amo.

Beata Isabel da Trindade | 1880 1906
Carta 41. A Margarida Gollot. 18.02.1901.

   

   Momentos de Cu!

Aproveitemos para nos enriquecermos
no momento da comunho.
Banhemo-nos nessa Fonte de Santidade
e peamos-Lhe o mundo inteiro das almas,
porque no nos saber dizer que no,
uma vez que o Seu Corao
est batendo em unssono com o nosso;
assim todos os nossos desejos so dEle,
e Ele todo-poderoso.
Que identificao to grande!
Somos, nesses momentos, outro Deus.
Para mim esses momentos so de Cu
sem nada terem deste desterro.
Que mais posso eu desejar
se Deus inteiramente meu?

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 113

   

   Mostra-me o Teu rosto

Qual veado fugiste
Havendo-me ferido.

Quer dizer,
deixando-me assim chagada,
morrendo com feridas de amor por Ti,
escondeste-Te to depressa como um veado.
Este sentimento muito forte porque,
naquela ferida de amor que Deus provoca na alma,
o afeto da vontade ergue-se subitamente
para possuir o Amado,
do qual sentiu o toque;
mas, com a mesma rapidez,
sente a sua ausncia, sem O poder ter como desejava.
E a alma sente logo o gemido dessa ausncia,
porque estas visitas so diferentes
daquelas em que Deus a recreia e consola.
Estas so mais para ferir do que para curar,
mais para atormentar do que para consolar;
elas servem para avivar a notcia
e aumentar o apetite [por Deus]
e, por conseguinte,
a dor e a nsia de ver a Deus.

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico Espiritual. 1, 15

   

   Imitar a Cristo

Pensar como Cristo Jesus,
sentir como Cristo Jesus,
amar como Cristo Jesus,
agir como Cristo Jesus,
conversar como Cristo Jesus,
falar como Cristo Jesus,
conformar, numa palavra,
toda a nossa vida com a de Cristo,
revestir-nos de Cristo Jesus,
eis aqui o nico negcio e ocupao essencial,
a primeira de todo o cristo.

Santo Henrique de Oss | 1840 - 1896
Um ms na escola do Sagrado Corao de Jesus, Prlogo

   

   Deus Tudo!

Procurai s a Deus,
sem vos deterdes em nada de criado.
Se falardes, que seja como se no falsseis;
se vedes, que seja como se no vsseis;
se ouvis, que seja como se no ouvsseis.
S Deus tudo;
a criatura no seno nulidade e pecado.
Tudo nesta terra vaidade,
porque tudo aquilo que passa nada.
No momento da morte
como nos lamentaremos
por no ter aproveitado o tempo!...

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevaes Espirituais. 1

   

   O amor como uma planta a cuidar

Como a nvel natural se semeiam as plantas,
se regam, cultivam
e crescem no meio
de uma vicissitude contnua de tempo,
assim a nvel moral
se semeia e cultiva a caridade na alma
e cresce no meio de uma vicissitude contnua
de agitaes exteriores.
A obra da caridade a seu tempo e em cada dia,
pelas obras, se Deus quiser,
derrubar obstculos
e oferecer meios
e, se assim no for,
estes aumentaro e estorvaro.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 37

   

   A ternura de uma me

Quanto a mim,
minha mezinha querida,
fiquei tomada de um espantoso desejo de te abraar
e compreendi toda a dimenso deste sacrifcio,
mas tambm disse ao bom Jesus:
Meu Jesus,
visto que a minha me j no est aqui
para apaparicar a sua Isabelinha,
necessrio que Vs o faais em vez dela,
e se soubesses como Ele
soube faz-lo
com toda a ternura de uma me!

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 46. sua me e sua irm. 16.04.1901.

   

   Dar graas ao Senhor

Como no louvar e glorificar o Senhor
por todos os benefcios dEle recebidos?
Dar-Lhe graas
uma necessidade da alma.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinrio. 55

   

   A graa sustenta-me no sofrimento

No posso compreender
que uma alma que est com Deus,
e que no O quer seno a Ele,
seja capaz de penas;
tenho at experincia suficiente
para no duvidar disto.

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 - 1691
Carta13. A uma religiosa. 28 de Novembro de 1690.

   

   Cristo: Rei dos coraes

Pensa sempre no teu Jesus:
afasta delicadamente, por amor,
todo o intil pensamento,
e vive da divina presena,
vive de orao.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 33

   

   A unio com Deus descerra horizontes infinitos

Confiei os meus votos Santssima Virgem
e pedi-lhe concedesse []
o que de melhor houver para a minha mam.
Tambm lhe peo que te revele
este doce segredo da unio com o bom Deus,
que faz com que atravs de todas as coisas
permaneamos com Ele:
a intimidade da criana com a sua me,
da esposa com o Esposo;
eis a vida da tua carmelita;
a unio seu sol brilhante,
ela v descerrarem-se horizontes infinitos!

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 209

   

   Bem alto...

No alto,
bem no alto
o ar mais sereno
e tudo paz.
Devemos portanto subir
para alcanar e gozar da paz.
Quando a mente e o corao
esto em Deus,
os maus ventos nos tocaro
sem nos fazer mal
e passaro.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Conselhos. 4, 18

   

   Recuperai o tempo perdido

Bendito seja o meu Deus!
Senhor! confesso Vosso grande poder.
Se sois poderoso, como sois,
Que h de impossvel ao que tudo pode?

Querei! Vs, Senhor meu, querei!
Ainda que seja miservel,
Creio fielmente que podeis o que quereis,
E quanto maiores maravilhas ouo de Vs
E considero que podeis fazer ainda mais,
Mais se fortalece a minha f
E com maior determinao
Creio que Vs fareis o que Vos peo.

   

   Deus realiza os desejos que pe no nosso corao

O Senhor tornou-me clara
toda a Sua imensa misericrdia
prodigalizada minha alma
e que, dando infinitos desejos ao meu corao
no pode deix-los irrealizados

Beata Elias de S. Clemente | 1901 1927
Carta 75. Ao Padre Elias. 4 de Maro de 1925.

   

   Deus aproxima-se do homem

No verdadeiro conhecimento de Deus,
o prprio Deus se aproxima do homem,
ainda que nem sempre se sinta presente
como no conhecimento experiencial.
Na f d-se a comunicao auto-pessoal
mediante a palavra.
Crer j um encontrar
ao que corresponde um deixar-se encontrar.
No no sentido
de que Deus nos diz algo sobre Si
atravs da Sua palavra,
mas que Ele mesmo
Se deixa encontrar atravs dela.

Santa Teresa Benedicta da Cruz (Edith Stein) | 1891 1942
Caminhos do Conhecimento de Deus

   

   Desde a mais tenra idade

Todos os lares
devem ser a primeira escola para os filhos,
onde eles aprendem a conhecer a Deus
e a aproximar-se dEle
pelos sacramentos e pela orao;
onde eles aprendem a preparar-se
para a sua Primeira Comunho,
no s ensinando-lhes aquela doutrina
onde est compendiada a Lei de Deus,
mas tambm inspirando-lhes aquela f viva,
confiana firme e amor ardente,
que, gravando-se nas almas em tenra idade,
permanece depois como
luz que guia os seus passos pela vida fora.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 1

   

   Espero em Vs, desde a aurora

Deus exige que ns Lhe peamos
para que Ele nos possa dar de maneira perfeita;
Ele quer tambm que ns esperemos,
que ns nos viremos para Ele.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferncias 22.05.1966

   

   Cu

Eu acreditava, sentia que h um Cu
e que esse Cu est povoado de almas
que me estimam e me consideram sua filha...
Esta impresso ficou gravada no meu corao, []
o meu corao desfez-se em amor e gratido,
para com todos os Bem-aventurados habitantes do Cu...

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito B. 2V

   

   S conta o que nos leva para Deus

inato na criatura
o desejo de sobressair.
Mas se pensarmos
de que servem esses triunfos sociais
que da noite para o dia se dissipam
Esses aplausos fingidos
o mais das vezes o que so?
O que fica de proveito
seno um orgulho secreto na alma?
No.
Nada disso serve,
pois s o que vale aqui na terra
aquilo que nos leva para Deus.
Ele o nico que poder encher
e satisfazer a tua alma.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 140

   

   Receber graas

Para Deus,
amar mais
conceder mais mercs

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico Espiritual. 33, 7

   

   Viva Jesus!

Senhor,
ajuda-me a que toda a minha vida
seja uma resposta
ao teu chamamento no batismo.
Que eu viva a vida da graa,
que a tua vida,
com fidelidade.
E que o meu compromisso
se concretize, dia a dia,
na orao,
na entrega
e no servio aos meus irmos.
Que seja este o lema da minha vida:
Viva Jesus!

Santo Henrique de Oss | 1840 - 1896
Quarto de Hora de Orao, p. 35

   

   Desejo de Deus

Meu Deus,
para chegar at Ti
estou disposta a passar pela gua,
pelo fogo,
pelo prprio inferno,
se necessrio.
Mas que eu Te encontre!..

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevaes Espirituais. 57

   

   Abandonado vontade de Deus

S sempre docemente abandonada
a todas as vontades de Jesus,
a tudo aquilo
que Ele permitir.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 33

   

   Deus derrama-Se!

Deus no deixar jamais
de lhe conceder ajudas especialssimas,
pois Ele no avaro
com quem fielmente O serve.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Carta 7

   

   Igreja

A presena da Igreja
vivifica tudo,
lava tudo,
e tudo glorifica e salva.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
M. R. com a Igreja

   

   No corao da Igreja, serei o Amor!

Sim, encontrei o meu lugar na Igreja,
e esse lugar, meu Deus,
fostes Vs que mo destes...
No corao da Igreja, minha Me,
eu serei o Amor...
Assim serei tudo...,
assim o meu sonho ser realizado!!!...
Por que falar de uma alegria delirante?
No, esta expresso no exacta.
antes a paz calma e serena do navegante
ao avistar o farol que o h-de guiar ao porto.
Farol luminoso do Amor,
eu sei como hei-de alcanar-Te;
encontrei o segredo para me apropriar da tua chama.

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito B. 3v

   

   Presena de Deus

O exerccio da presena de Deus
o segredo para se conceber
o maior horror ao pecado,
avanar na perfeio
e tornar-se santo.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Escritos Vrios, p. 15

   

   Permanecer na Presena de Deus

Que ele [um jovem soldado]
se lembre disto o mais que possa.
Que se acostume pouco a pouco
a este pequeno, mas santo exerccio;
ningum pode v-lo,
mas no h nada mais fcil
do que reiterar muitas vezes
durante o dia
estas pequenas adoraes interiores.
Recomendai-lhe, por favor,
que se lembre sempre que possa de Deus,
da maneira que eu mostro aqui,
pois prpria e muito necessria
para um soldado
todos os dias exposto a perigos de vida
e at de salvao.

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 - 1691
Carta06. 12 de Outubro de 1688.

   

   Encontrei a Cristo vivo no Corpo Mstico da Sua Igreja

Finalmente, depois de quarenta anos
passados tua procura,
encontrei-te.
Encontrei-te porque tu viestes ao meu encontro;
encontrei-te porque tu te deste a conhecer;
e se tu no te tivesses revelado,
assim teria desaparecido de entre os mortais
sem me haver relacionado contigo.
Que surpresa a minha
quando te visse, sem vu, no cu!

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Minhas Relaes com a Igreja, p. 497

   

   Intercesso

No dia em que a Igreja
comemora os nossos defuntos,
no deixarei de rezar de forma especial
pelos teus queridos pais
e meus amados tios,
fars tambm tu o mesmo
pelo nosso querido e inesquecvel tio Carlo,
e no podendo depor
sobre os seus restos mortais
umas simples flores,
lev-las-ei a Jesus Sacramentado,
a fim de que o seu perfume
Lhe fale por eles,
e o mesmo farei por ti:
ficas contente?

Beata Elias de S. Clemente | 1901 1927
Carta 24. A Francesco Fracasso. 12-11-1922.

   

   O Cu

No Cu da glria,
os bem-aventurados no tm repouso
nem de dia nem de noite, dizendo:
Santo, santo, santo, o Senhor Todo-Poderoso...
E, prostrando-se, adoram Aquele
que vive pelos sculos
No cu da sua alma,
o louvor de glria
comea j o seu ofcio da eternidade.
O cntico ininterrupto,
porque est sob a aco do Esprito Santo
que nele tudo opera ;
e embora nem sempre disso tenha conscincia,
porque a fraqueza de seu natural
no lhe permite fixar-se em Deus sem distraces,
canta sempre,
e sempre adora,
por assim [dizer]
inteiramente transposta no louvor e no amor,
na paixo da glria do seu Deus.
No cu da nossa alma
sejamos louvores de glria da Santssima Trindade,
louvores de amor da nossa Me Imaculada.
Um dia o vu cair,
seremos introduzidas nas eternas moradas,
e a cantaremos no seio do infinito Amor.

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
O Cu na terra. 44

   

   Senhor quero conhecer-Te!

Que ns de manha e com cuidado
nos acostumemos a no procurar
com todas as nossas foras
trazer diante de ns
a Sacratssima humanidade de Cristo,
isto no me parece bem.

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Vida 22, 9

   

   Fixar o olhar no Alto!

Se a criao te fala
e nela tu vs o poder [de Deus],
por outro lado, eu digo-te:
porque fixar o olhar aqui em baixo
e no o elevar ao Criador?
Que o teu olhar esteja voltado sempre para o alto
e s l encontrars alguma coisa
que detm qualquer outro pensamento,
e a alma, fixando aquele misterioso vu azul,
que encobre aos mortais a felicidade,
sente pujante a necessidade de se sacrificar
e at de derramar lgrimas, para o atingir:
no concordas?

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 24. 12-11-1922.

   

   O castelo interior

A alma, como castelo interior
um espao,
um castelo com muitas moradas,
onde o eu se pode mover livremente
saindo ou penetrando mais no interior.
No um espao vazio.
No pode viver sem receber;
nutre-se dos contedos
que assimila espiritualmente
por experincia.

Santa Teresa Benedicta da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Ser Finito e Ser Eterno

   

   Ser vtima

Encerrado nos nossos sacrrios,
imolado nos nossos altares,
o nosso Salvador continua a oferecer-Se ao Pai
como vtima pela remisso
dos pecados da humanidade,
esperando que muitas pessoas generosas
se queiram unir a Ele,
fazerem-se um s com Ele,
participando do mesmo sacrifcio,
para com Ele se oferecerem ao Pai
como vtima expiatria
pelos pecados do mundo.
Deste modo, Cristo Se oferece ao Pai
como vtima em Si mesmo
e, como vtima nos membros do seu Corpo Mstico,
que a Igreja.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 10

   

   A alegria de Deus dar-Se

O amor de Deus infinito;
Ele encontra a Sua alegria
em Se dar.
A grande felicidade de Deus
a de dar o Seu amor.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Acreditai na Loucura do Amor que est em Deus, p. 32

   

   Descobrir a fonte do Amor

Ontem tive um dia muito tranquilo,
o que raro acontecer ao Domingo;
imaginas se estaria feliz:
sabe to bem a solido e o silncio
Bem sei que por dentro
se pode ter tudo isso.
Quando o corao est tomado,
quem poder distra-lo?
O rudo no atinge
seno a superfcie,
mas l no fundo, no , querida Margarida,
nada mais h a no ser Ele!
Oh! Faamos bem o vazio,
desliguemo-nos de tudo,
que nada mais haja seno Ele,
somente Ele
que no vivamos mais,
mas seja Ele a viver em ns.

Beata Isabel da Trindade | 1880 1906
Carta 49. A Margarida Gollot. Abril-Junho de 1901.

   

   Morrer para mim. Viver para Ti.

Que felicidade se pudesse derramar
todo o meu sangue
para provar o meu amor a Deus!...
Ele, meu Esposo adorado,
est comigo.
Ele me infundir a coragem
para me imolar,
para derramar misticamente
todo o sangue do meu corao
em cada dia,
pois a carmelita deve morrer
a cada momento
pelos seus e pelas almas todas.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 88

   

   Escondes-Te como o veado!

de notar que no Cntico dos Cnticos
a esposa compara o Esposo
ao veado e cabra montesa,
dizendo:
O meu Amado semelhante a um gamo
ou a um filhote de gazela.
Chama-lhe assim
no s por ser estranho,
solitrio
e fugir a companhias, como o veado,
mas tambm devido destreza
em se mostrar e esconder.
o que costuma fazer
com as almas devotas:
visita-as para as consolar e animar,
mas depois foge e ausenta-Se para as provar,
humilhar
e ensinar.
Com isto faz-lhes sentir
com mais dor a ausncia.

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico Espiritual. 1, 15

   

   Entregar-me pela Tua Igreja!

A Igreja precisa de pessoas
que saiam da apatia
e do indiferentismo
e trabalhem pelos irmos necessitados.
E, sobretudo, precisa de apstolos
que tornem Jesus Cristo
conhecido e amado.
Queres ser um deles?

Santo Henrique de Oss | 1840 - 1896
Quarto de Hora de Orao, p. 35

   

   Preferir o caminho normal

No temos necessidade
de ouvir a palavra de um Anjo;
temos os mandamentos.
Tudo est escrito,
temos o caminho traado diante de ns.
Mas necessrio caminhar
e caminhar pelo recto caminho.
Se caminhas para outro lado,
ou se ficas a por terra,
para que coisa serve a luz?
Mas se caminhas no caminho recto,
traado diante de ti
ters a luz.

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevaes Espirituais. 36

   

   A Eucaristia o meu Sol!

Olhando o tabernculo eu digo:
Tenho tudo nEle!
Toda a beleza do campo,
do mar,
dos vales,
do Cu,
toda a frescura da sombra;
Ele o meu Sol.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
O Canto sobre a Montanha. 103

   

   Desejo amar-Te, Senhor!

com dor
que me vejo ainda
demasiado longe
de viver toda submergida
no Divino Corao.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Carta 20

   

   Estendo para Ti as minhas mos

Tomai coragem,
oferecei-Lhe sem cessar as vossas penas,
pedi-Lhe a fora para as sofrer,
sobretudo acostumai-vos
a vos entreterdes frequentemente com Ele
e no vos esqueais Dele
seno o menos que possais.
Adorai-O na vossa doena,
oferecei-Lha de vez em quando
e, na maior fora das vossas dores,
pedi-Lhe humilde e amorosamente,
como uma criana ao seu bom pai,
a conformidade com a Sua santa vontade
e o auxlio da Sua graa.
Ajudar-vos-ei com as minhas pobres
e miserveis oraes.

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 - 1691
Carta13. A uma religiosa. 28 de Novembro de 1690

   

   Amar Jesus amar os irmos

No altar dar-me-ei em amor totalmente a ti
todos os dias:
dar-te-ei a o meu Corpo e o meu Sangue.
Ao comeres o meu corpo
e beberes o meu sangue,
unir-me-ei a ti
e seremos uma s coisa.
E para que esta minha entrega a ti
cause a unio de amor,
preciso:
primeiro que acredites na minha existncia
porque, se no acreditas, no viria a ti;
segundo: que acredites no amor que te tenho,
porque se no acreditas que te amo
e que sou a tua Amada [a Igreja],
tu no me amarias
e terceiro: Entrega-te a mim.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
MR, pg. 837

   

   Gastar-me por Ti!

Ser tua esposa, Jesus!
Ser carmelita,
ser, pela minha unio contigo,
a me das almas.
Isso deveria bastar-me...;
no assim...
Sem dvida, estes trs privilgios
so realmente a minha vocao:
Carmelita, Esposa e Me.
No entanto, sinto em mim outras vocaes,
sinto a vocao de Guerreiro,
de Sacerdote,
de Apstolo,
de Doutor,
de Mrtir;
enfim, sinto a necessidade,
o desejo de fazer por Ti, Jesus,
todas as obras mais hericas...
Sinto na minha alma a coragem de um cruzado,
de um zuavo pontifcio,
quereria morrer num campo de batalha
pela defesa da Igreja...

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito B. 2v

   

   Quando Jesus fala

Venerado Padre,
Vossa Reverncia compreender que,
quando Jesus fala,
tudo se cala...
a terra desaparece

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 75. Ao Padre Elias. 4 de Maro de 1925.

   

   O deleite do conhecimento do Pai do Filho e do Espirito Santo

alma minha!
considera o grande deleite e grande amor
que tem o Pai em conhecer a Seu Filho
e o Filho em conhecer a Seu Pai,
e o ardor com que o Esprito Santo se junta com Eles,
e como nenhuma das Trs Pessoas se pode apartar
deste amor e conhecimento,
porque so uma mesma coisa.

Estas soberanas Pessoas conhecem-se,
estas amam-se
e umas com as outras deleitam-se.

Pois que necessidade h de meu amor?
para que o quereis, Deus meu,
ou que ganhais?

Oh! Bendito sejais Vs
Oh! Bendito sejais Vs, Deus meu,
para sempre!

Louvem-Vos todas as coisas, Senhor, sem fim
pois no o pode haver em Vs.

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
VII Exclamao

   

   Todo para Ti e todo para os outros!

Meu querido Jesus,
eu quero ser cada vez mais tua,
no quero que nenhum fio
me ate s criaturas,
a todas as coisas da terra.
Deixa-me ficar no entanto, Senhor,
os fios da piedade,
da caridade,
da compaixo,
e da bondade.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Dirio II, pg. 97

   

   Ser louvor da glria de Deus

Fomos criados e escolhidos por Deus
para sermos o louvor da Sua eterna glria.
Ser o louvor da Sua glria:
o fim mais alto,
a que Deus nos podia haver destinado!
termos em ns, por participao,
a glria de Deus,
com a qual O podemos louvar;
possuirmos a honra de Deus,
com a qual O podemos engrandecer;
sermos revestidos da dignidade de Cristo,
com a qual O podemos dignificar,
contribuir para que aumente esta dignidade
nos membros do Seu Corpo Mstico,
para que cada um se torne cada vez mais digno.
Para isso, necessria
uma plena doao ao Senhor,
numa vida de f, de esperana e de amor.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 3

   

   Uma vida nova

Esta a experiencia que fizeram
os que conhecem a vida interior:
foram arrastados at sua interioridade mais profunda
por algo que exerceu uma presso mais forte
que o conjunto do mundo exterior:
ali experimentaram a presena
duma vida nova, pujante,
superior,
a da vida sobrenatural,
divina.

Santa Teresa Benedicta da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Ser Finito e Ser Eterno.

   

   Abrir-me inteiramente a Ti!

Ns no acabamos
de nos darmos a ns mesmos
e por isso que Deus
no nos toma completamente.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferncias. 15.10.1966

   

   Fazer silncio

No achas que, por momentos,
esta necessidade de silncio
se faz sentir ainda mais?
Oh! Faamos calar tudo,
para nada mais ouvirmos seno Ele.
to bom o silncio
junto do divino Crucificado.
Oh! Minha irm.
Ele mantm-se sempre o mesmo,
Ele d sempre!

Beata Isabel da Trindade | 1880 1906
Carta 50. A Margarida Gollot. 1901

   

   As alegrias do Cu!

Oh! Se pudesses por um instante
sentir-te cheio de felicidade,
como eu me sinto!
Acredita que me pergunto a cada momento
se estou no cu,
pois vejo-me envolvida
por uma atmosfera divina,
de paz, de amor,
de luz e de alegria infinitas.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 96 (No Carmelo)

   

   O buscador de Deus

O enamorado [por Deus]
vive sempre penado na ausncia:
j entregue a quem ama,
esperando a recompensa da doao feita,
que a entrega do seu Amado,
v que ainda no acontece.
Havendo-se desprendido de tudo
e de si mesmo pelo Amado,
no encontrou o lucro da sua perda,
pois ainda no possui aquele que o seu corao ama.
Esta pena e sentimento da ausncia de Deus,
aquando estas divinas feridas,
costuma ser to forte
naqueles que se vo aproximando
do estado de perfeio,
que, se o Senhor no interviesse,
morriam.

   

   Corao de Cristo

Procurar no Corao de Cristo
o lugar de refgio,
no meio da nossa fraqueza,
uma resposta ao apelo
que Ele mesmo nos fez.
em Jesus que encontramos o descanso
para a fadiga que nos trazem as dificuldades
com que tropeamos todos os dias.
Encontrar Jesus
encontrar o corao
de um verdadeiro amigo,
que nos traz felicidade e paz.

Santo Henrique de Oss | 1840 - 1896
Quarto de Hora de Orao, p. 273.275

   

   Acreditar pr em prtica

No basta pregar,
preciso pr em prtica.

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevaes Espirituais, 57

   

   A Eucaristia Vida!

Se procuras uma alavanca que te erga,
ou uma luz que te ilumine,
dirige-te com todo o ardor
para a Divina Eucaristia.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 48

   

   Amar-Te a minha nica alegria

Encontro-me num desconforto interior to grande
que no vejo um raio de luz
em parte nenhuma.
para mim um tormento
s o pensar que me devo aplicar
s coisas de Deus:
agora imagine como deve andar o resto

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Carta 11

   

   Permanecer na Presena de Deus

Ainda que tenha praticado
com muita pusilanimidade e imperfeies
o exerccio de permanecer sempre
diante de Deus,
recebi, no entanto,
grandssimos benefcios.
Sei bem que misericrdia do Senhor
que devo atribu-los,
visto que nada podemos sem Ele
e eu ainda menos do que todos os outros.
Mas quando somos fiis
em nos mantermos na Sua santa presena,
em O considerar sempre diante de ns,
para alm disto nos impedir de O ofender
e de fazer o que quer que seja que Lhe desagrade,
pelo menos voluntariamente,
fora de O considerar desta maneira
adquirimos uma santa liberdade
para Lhe pedirmos as graas
de que precisamos.

   

   Nos jardins da Igreja

A Divina Providncia ou Deus,
como jardineiro,
semeou-vos, pela criao,
nos jardins da Igreja
e sois uma espcie de semente
que h-de produzir frutos e flores,
pobreza e penitncia.
Tende cuidado de conservar e manter [o amor],
crescendo continuamente nas virtudes

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 13

   

   A minha vocao o Amor!...

A caridade deu-me a chave da minha vocao.
Compreendi que se a Igreja tinha um corpo
composto de diversos membros,
o mais necessrio, o mais nobre de todos no lhe faltava:
compreendi que a Igreja tinha um corao,
e que esse corao estava ardendo de amor.
Compreendi que s o Amor fazia agir os membros da Igreja;
que se o Amor se apagasse,
os apstolos j no anunciariam o Evangelho,
os mrtires recusar-se-iam a derramar o seu sangue...
Compreendi que o Amor encerra todas as Vocaes,
que o Amor tudo,
que abarca todos os tempos e todos os lugares...
numa palavra, que Eterno!...
Ento, num transporte de alegria delirante, exclamei:
Jesus, meu Amor! Encontrei finalmente a minha vocao:
a minha vocao o Amor!...

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito B. 3V

   

   Amar tudo!

Tem sempre a caridade na mente,
no corao,
nas aes;
se assim no for
sers como uma estrela extinta.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 1948
Pensamentos sobre Imagens (srie I) 104, p. 34

   

   Senhor quero conhecer-Te!

Que ns no nos acostumemos
com cuidado
a procurar com todas as nossas foras
trazer diante de ns
a Sacratssima humanidade de Cristo,
isto no me parece bem.

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Vida 22, 9

   

   Confiar na misericrdia de Deus

Meu Pap bom,
confia sempre
na imensa misericrdia do Senhor,
e no temamos nunca nada,
pois quem melhor do que o Senhor
pode conhecer e compreender
os nossos coraes?...

Beata Elias de S. Clemente | 1901 1927
Carta 78. A Giuseppe F., seu pai. 18 de Maro de 1925

   

   S tem que se deixar guiar pelo Esprito

Aquele a quem o prprio Deus
concedeu a graa de introduzir
no prprio interior
e se entregou a Ele por inteiro
na unio de amor
esse s tem que se deixar guiar
e levar pelo Esprito de Deus
que sensivelmente o est empurrando

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 1942
Cincia da Cruz

   

   Sou templo de Deus

Assim no-lo diz o Apstolo S. Paulo:
No sabeis que sois templos de Deus
e que o Esprito de Deus habita em vs?
Se algum destri o templo de Deus,
Deus o destruir.
Porque o templo de Deus, que sois vs, santo.
O Apstolo chama aqui a nossa ateno
para os que, pelo pecado,
profanam o templo de Deus, que a prpria alma,
tornando-se assim indignos
da presena divina neles.
Ns temos obrigao de ser santos, isto ,
de no ofender a Deus com o pecado,
transgredindo a Sua Lei em matria grave
e at mesmo em matria leve,
advertida e voluntariamente.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 8

   

   O dom da Eucaristia

Para preparar as almas
para acolherem este mistrio da Eucaristia
e aderirem a ele,
Nosso Senhor faz o milagre da multiplicao dos pes,
que nos revela o Seu poder
e a Sua transcendncia de Homem-Deus.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferncias, 20.03.1966

   

   Deus em mim e eu nEle

Deus em mim e eu nEle,
seja esta a nossa divisa.
Ah! Quo boa esta presena de Deus
dentro de ns,
neste santurio ntimo das nossas almas.
a que sempre O encontramos,
ainda que pelo sentimento
no nos apercebamos da sua presena,
mas, no obstante,
Ele est l, talvez mais perto ainda, como dizes.
a que gosto de procur-lO.
Oh! Tratemos de nunca O deixar solitrio,
que as nossas vidas sejam uma contnua orao.
Oh! Quem de ns O poder arrebatar,
quem poder distrair-nos dAquele
que nos tomou totalmente para Si,
que nos fez inteiramente Suas!
Oh, como Ele bom, minha irm!

Beata Isabel da Trindade | 1880 1906
Carta 47. A Margarida Gollot. 18.04.1901

   

   Familiaridade com Jesus

Vivo to familiarmente unida a Jesus,
que para mim no h diferena alguma
entre o tempo em que Ele viveu na terra
e a vida do sacrrio.
Ali o encontro e,
como Madalena,
escuto as Suas palavras de Vida

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 136

   

   Anseio por Deus

precisamente o que a alma faz aqui
ao apresentar as suas necessidades.
como se dissesse:
Ide dizer ao meu Amado
que, se adoeo, me d a minha sade,
porque s Ele a minha sade;
se peno, a minha alegria,
porque s Ele a minha alegria;
se morro, a minha vida,
porque s Ele a minha vida.

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico Espiritual. 2, 8

   

   O Teresianismo de Santo Henrique

Santa Teresa de Jesus,
arrebatadora de coraes!
Eu no sei quando roubaste o meu,
nem sei quando despontou
a devoo e o carinho para contigo
na minha alma:
apenas sei que a tua imagem agraciada
e a leitura das tuas obras
despertaram na minha alma
um amor veemente para contigo
e logo que te conheci,
te amei com paixo.

Santo Henrique de Oss | 1840 - 1896
Desde la Soledad, RT. 280, septiembre-1887

   

   Procurar ardentemente o Senhor!

Tu pedes-me o sacrifcio
da Tua presena, Senhor;
mas no Vo-lo posso consentir.
Faz-me sofrer tudo o que quiseres,
mas no me deixes sem Ti.
Meu Deus, no posso mais.
O meu corao desfalece.
Olha, a minha alma definha,
o meu corao suspira;
vem depressa, Senhor, at mim,
no posso viver sem Ti.

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevaes Espirituais. 25

   

   O grande farol

Jesus
deve ser o grande farol
que as suas pupilas
devem procurar sempre.
Jesus
deve ser o objectivo do seu agir
e o palpitar ardente do seu corao.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Exortaes e Conferncias. 21

   

   Espero milagres!

Tudo se pode com Jesus!

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinrio. 29

   

   Manter-me na Presena de Deus

No vos desencorajeis
pela repugnncia que sentireis nisso
da parte da natureza
[por ficar apenas na presena de Deus,
abandonando a prtica de devoes].
necessrio que faais violncia;
muitas vezes, nos comeos,
pensamos que seja tempo perdido,
mas preciso continuar
na resoluo de perseverar nisso
[na simples prtica da presena de Deus]
at morte
e no obstante todas as dificuldades.

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 1691
Carta04. A uma religiosa. 03 de Novembro de 1685.

   

   Caminha pela vontade de Deus

Caminha
por onde a obedincia te guia,
no temas
e Deus te conduzir
a porto seguro.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 54, 2

   

   Pedir Santssima Virgem

Pedi Santssima Virgem.
No pedi a Deus,
porque quero deix-lO fazer como quiser.
Pedir Santssima Virgem
no a mesma coisa.
Ela sabe muito bem
o que h-de fazer dos meus desejos,
se deve diz-los ou no [a Deus]...
enfim, a Ela que cabe julgar
para no forar Deus a ouvir-me,
para O deixar fazer em tudo a Sua vontade.

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Caderno Amarelo, 4 de Junho

   

   Cruz

Jesus,
consumido por penas e por dores,
fez-me compreender profundamente
que sofrer a mais bela manifestao do amor.
Cruz nua,
cru padecer,
sublime e doce padecer,
que como anel de ligao,
unes a alma a Deus,
eu vos amo
e quereria sofrer em silncio
por Jesus
que deu a Sua vida por ns.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Autobiografia, p. 50

   

   Conhecer-Te, como Maria!

Para se cumprir a palavra de Jesus Cristo,
necessrio conhec-la e acreditar nEle;
porque como vamos cumprir
uma Lei que no conhecemos,
ou, se no acreditamos
na pessoa que a promulgou?
preciso, pois, aceitar a Pessoa de Cristo.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 3

   

   Um sonho

Minha Madre, acrescentei,
dizei-me ainda se Deus no me pede alguma coisa mais,
alm das minhas pequenas aces
e dos meus desejos.
Estar contente comigo?
O rosto da santa ficou com uma expresso
incomparavelmente mais terna que da primeira vez
em que me falou.
O seu olhar e as suas carcias
eram a mais doce das respostas.
Contudo, disse-me:
Deus no vos pede mais nada;
est contente, muito contente!...
Depois de novamente me ter acariciado
com amor ainda maior
que o da mais terna das mes para com o seu filhinho,
vi-a afastar-se...
O meu corao estava alegre;
mas lembrei-me das minhas irms,
e quis pedir algumas graas para elas.
Mas, ai! acordei!...

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito B, 2r - 2v

   

   Oferecer os sofrimentos

Vivo a cada instante
dando graas e glorificando ao Senhor
nos meus sofrimentos,
procurando mant-los escondidos de todos,
para poder servir e,
at mesmo ajudar minimamente a todos,
pela glria dAquele que Tudo.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Dirio III pg. 59

   

   Tu s fiel

Fixa-Se Deus a Si mesmo
no interior daquela alma.

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Moradas V 1,9

   

   A graa de Deus a guiava

Era claro
que a graa de Deus a guiava
para onde,
com infalvel certeza interior,
devia dirigir os seus passos.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 1942
Obras.

   

   Quanto amo Nossa Senhora!

Oh! Quanto amo Nossa Senhora
E s vezes, quando me retiro noite
no silncio da cela,
digo Virgem beijando-a:
Agora Tu s a minha Mam
quando irei ver-te e beijar-te?....
No te nego que c em baixo
tenho uma assistncia especial da Rainha do Cu;
aquilo que me comove
que mal concebo um pequeno desejo,
esta boa Me est pronta a satisfaz-lo
Agradece-lhe e reza-lhe muito por mim

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 47. A Pascua Cianci. 08-07-1924

   

   Filhos de Deus

Jesus veio anunciar-nos
que ns temos esta vocao
de filhos de Deus.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferncias. 19.06.1966

   

   Percamo-nos nEle.

Oh! Deixemo-nos a ns mesmas,
no nos continuemos a contemplar,
caminhemos para Ele,
percamo-nos nEle.

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 50. A Margarida Gollot. Abril-Junho de 1901.

   

   Ser feliz fazer a Vossa vontade

Lembra-te de que,
se no somos bons
e no fazemos o bem,
no seremos felizes
nem nesta vida nem na outra.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Dirio, 75

   

   Sede de Deus

Tambm ns,
que possumos as primcias do Esprito,
ns prprios gememos no nosso ntimo,
esperando a adopo de filhos de Deus.
este mesmo gemido
que a alma sente agora
no ntimo do seu corao enamorado.
Onde o amor fere,
l est o gemido da ferida a clamar sempre
por meio do sentimento de ausncia,
sobretudo depois de ter saboreado
alguma doce e saborosa comunicao do Esposo.
Ausentando-se,
ela ficou de repente sozinha e sequiosa.
Por isso diz: Qual veado fugiste.

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico Espiritual. 1, 14

   

   Aprender os sentimentos de Cristo

Jesus,
gostaria de penetrar
nos sentimentos do Teu Corao
e aprender a amar
com o mesmo amor com que Tu nos amaste.
Concede-me a graa de sentir,
pensar,
falar,
agir
e amar como Tu,
para que, aprendendo na escola do Teu Corao,
possa conhecer-Te
e amar-Te,
para gozar de Ti eternamente.

Santo Henrique de Oss | 1840 1896
Quarto de Hora de Orao, p. 273.275

   

   Jesus ocupa a minha alma

Digo-lhe apenas uma coisa:
vivo felicssima no meu nada,
escondida de todo o criado
e de mim mesma.
Jesus ocupa e beatifica a minha alma
Espero na Sua grande misericrdia
o perdo da minha no-correspondncia
e a graa de morrer consumida
no Seu divino amor
Reze por mim.

Beata Elias de So Clemente.
Carta 48. Ao Padre Elia. 18-07-1924.

   

   Splica ao Esprito Santo

Supliquemos ao Esprito Santo
que no deixe nunca ociosa
no nosso pobre corao,
a bela chama da caridade.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinrio. 57

   

   Permanecer em Tuas mos.

No te apoies em ti mesma;
no teu juzo,
no teu pensamento,
naquilo que fars,
naquilo que fizeste.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
O canto sobre a montanha. 48

   

   O Corpo Mstico de Cristo

Os baptizados,
incorporados pelo baptismo e pela Eucaristia
em Cristo, sua Cabea,
por mais que a morte
reduza a p e a cinza a carne,
se morrem em graa,
(se bem que muitos tm que passar pelo purgatrio,
para se lavarem da mais pequena mancha,
mas membros da Igreja),
logo que ficam purificados ascendem glria;
quer se encontrem no cu, ou na terra,
ou sob a terra,
so o Corpo de Cristo.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Minhas Relaes 11. Mulher tipo da Igreja, 10, pg. 879.

   

   Raio de luz na tempestade

Jesus, meu Bem-Amado!
Quem poder dizer com que ternura,
com que doura conduzis a minha pequena alma!
Como do vosso agrado
fazer brilhar o raio da vossa graa
mesmo no meio da mais sombria tempestade!...

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito B. 2r

   

   A paz do corao

A paz que tenho no corao
vem-me da unio ntima e profunda
que sinto com Deus:
uma vez que esta unio contnua
e no a consegue perturbar,
eu estou sempre em paz.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Autobiografia, p. 334

   

   Somos Templos de Deus

Se nos encontramos em estado de graa,
somos templos de Deus:
Se algum Me ama, guardar a Minha palavra;
Meu Pai
am-lo- e viremos a ele
e faremos nele morada.
Estamos perante o mistrio da habitao de Deus em ns,
Que se verifica no s pela presena real de Jesus Cristo,
quando o recebemos na Sagrada Comunho [];
mas verifica-se tambm
pela presena real das trs Pessoas Divinas,
que transformam a nossa alma
em templo vivo e permanente da Sua morada,
desde que pelo pecado
no nos tornemos indignos da Sua divina presena.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 8

   

   Senhor, infinita beleza!

imperador nosso,
sumo Poder, suma Bondade,
a mesma Sabedoria, sem princpio,
sem fim, sem haver limite em Vossas obras!
So infinitas sem se poderem compreender,
um plago sem fundo de maravilhas,
uma formosura que contem em si
todas as formosuras, a mesma Fortaleza!
Oh! Valha-me Deus!
Quem tivesse aqui toda a eloquncia
e sabedoria dos mortais para bem saber
como aqui se pode saber
que tudo no saber nada,
para neste caso dar a entender
algumas das muitas coisas que podemos considerar
para conhecer em algo
quem este Senhor e Bem nosso.

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Caminho de Perfeio 22,6

   

   Espero e confio em Ti!

Pequei!
Como posso esperar ir para o Paraso?
Sim, meu Deus,
espero porque pequei muito.
No Paraso farei resplandecer
mais do que as outras Irms
a misericrdia do Senhor

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevaes Espirituais, 22

   

   A riqueza que s Tu!

Penso que
se nos aproximssemos
ao Santssimo Sacramento
com grande f e amor,
bastaria uma vez para nos deixar ricos.

Santa Teresa de Jesus | 1515 1582
Vida 38, 19

   

   Orao

O que esse exerccio da orao?
um exerccio de obscuridade;
na longa pacincia que ela se desenvolve.
Assim se forja, obscuramente,
mas profundamente a nossa f.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferncias. 06.11.1966

   

   Quero ser como Tu, Maria

Maria foi to cndida e imaculada
nas Suas intenes:
foi toda para Deus.
Foi to humilde no conceito de Si,
nas Suas palavras,
no Seu agir.
Nunca ningum sofreu alguma coisa dEla,
mas com todos Maria foi doce.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias, 16

   

   A interioridade mais profunda

A interioridade mais profunda da alma
um receptculo em que o Esprito de Deus
se difunde com profuso
quando a alma se abre a ele
em virtude da sua prpria liberdade .
O Esprito de Deus sentido e fora.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Ser Finito e Ser Eterno

   

   Elo de unio

A mam e a Margarida
muito provvel que estejam no Midi
por alturas do teu casamento,
e tero pois a alegria de poder assistir.
Eu estarei presente pelo corao,
e, nesse dia,
que fervorosas oraes hei-de rezar
pela felicidade da minha querida Maria Lusa
que tanto amo.
Ah! No verdade,
que nada poder separar-nos,
nem mesmo distanciar-nos;
encontrar-nos-emos sempre junto do bom Deus.
Que Ele seja o nosso elo de unio!...

Isabel da Trindade.
Carta 51. A Maria Lusa Maurel 01.05.1901.

   

   Ocupemo-nos do prximo

Ocupemo-nos do prximo,
em servi-lo,
ainda que nos cause repugnncia faz-lo.
Desta maneira
conseguiremos que o trono do nosso corao
esteja ocupado pelo seu Dono,
por Deus, o nosso Criador.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Cartas

   

   Esperana do Cu

E, se a perfeio do amor
consiste em possuir a Deus
por unio e graa particular,
ento a alma, atingindo-a,
vive nesta vida com alguma consolao,
mas no totalmente.
Tambm David, apesar de toda a sua perfeio,
esperava encontr-la no Cu:
Ficarei saciado, ao contemplar a vossa glria.
Portanto, a paz, a tranquilidade e a alegria do corao
que a alma pode alcanar nesta vida
no so suficientes para deixar de gemer dentro de si,
embora de maneira pacfica e no penosa,
esperando o que ainda lhe falta.
O gemido est unido esperana.

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico Espiritual. 1, 14

Senhor,
ficarei saciado ao contemplar a Vossa glria.
Senhor,
ficarei repleto de alegria na Tua presena,
no Cu.
Por muito santa que uma pessoa seja
s no Cu encontrar a felicidade plena.
Mas, quanto mais desejo o Cu,
mais deverei constru-lo nesta terra,
ao meu redor.
D-me, Senhor,
a graa de sair de mim ao encontro dos outros.
Esta sada de mim, ou seja, este xtase
j comeo da vida eterna.
Assim seja.

   

   Que eu no v deste mundo

Que eu no v deste mundo, meu Jesus,
sem um Amor mais forte que a morte.
Que no v deste mundo, meu Jesus, para o paraso
sem gozar do Teu conhecimento e do Teu Amor,
pois conhecer-Te amar-Te e possuir a Vida Eterna,
que nos prometeste.
Eu quero, desde hoje, dedicar todas as minhas foras
em tornar-Te conhecido e amado por todos
Que tudo por Jesus, seja o meu lema,
estender o Teu Reino, a minha nica preocupao,
confiar no Teu Amor, a minha fortaleza,
e que s Deus basta seja toda a minha consolao.
Que a Ti, Jesus, eu pregue com a minha vida,
o meu exemplo e a minha misso.
Que o meu pensar e Amar, nesta terra
e todo o meu caudal, grande ou pequeno,
sejam o teu pensar e amar.
E que isto seja o meu cu nesta terra.
Glria ao Pai eterno e omnipotente,
e Glria ao Filho,
Vida da minha vida,
com o Amor, Consolador e Guia,
a Ti, seja dada glria eternamente.

Santo Henrique de Oss
Revista Teresiana,
1895-1896, pg. 99-101

   

   Exultao!

Oh! Quo admirvel Jesus!
Meu Deus, eu Te adoro!
S Tu s grande;
adoro a Tua grandeza,
o Teu poder.
S Tu s digno de admirao
Tu s admirvel.
Quem semelhante a Ti?
No h outro deus semelhante a Ti,
nem no Cu, nem na terra.
Quo feliz sou por Deus me ter criado
para O poder chamar meu Deus!
Se Tu me tivesses criado sem a razo
no poderia dizer meu Deus.
Dou-Te graas por me haveres dado a inteligncia:
eu Te a ofereo.
Quo feliz sou por ter um Pai
que enche o Cu e a terra!
Que em toda a parte
se ouam os louvores ao meu Deus!
Que a montanha rejubile de alegria,
que a terra exulte!...

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevaes Espirituais. 6

   

   Maria dirigiu-se sempre para Deus

Maria vive submersa
na luz imensa do Seu Deus:
abismada em Deus
Maria foi a pomba perfeita
que foi directamente a Deus
em cada uma das Suas aces,
em cada um dos Seus actos,
em cada uma das Suas palavras.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 16

   

   A f uma porta aberta para Ti

Deus tem muitos meios para nos atrair a Ele.
s vezes esconde-Se de ns,
mas s a f,
que no nos faltar na privao,
deve ser o nosso suporte
e o fundamento da nossa confiana,
que deve estar toda em Deus.

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 1691
Carta13. A uma religiosa. 28 de Novembro de 1690

   

   Maria: Me de Deus e nossa

Fomos, criados e escolhidos por Deus
para sermos o louvor da Sua eterna glria.
Ser o louvor da Sua glria:
o fim mais alto,
a que Deus nos podia haver destinado!
termos em ns, por participao, a glria de Deus,
com a qual O podemos louvar;
possuirmos a honra de Deus,
com a qual O podemos engrandecer;
sermos revestidos da dignidade de Cristo,
com a qual O podemos dignificar,
contribuir para que aumente esta dignidade
nos membros do Seu Corpo Mstico,
para que cada um se torne cada vez mais digno.
Para isso, necessria uma plena doao ao Senhor,
numa vida de f, de esperana e de amor.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 3

   

   Converter-me

Procuro, tanto quanto posso,
no me deter nas minhas faltas,
mas, pedindo perdo a Deus,
imagino que aquela a hora
na qual me converto toda a Ele.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Carta 16

   

   Entrar pela porta interior

Que fazer, minha filha,
para entrar no templo da sua alma
e ali dentro escutar a voz do rei Salomo?
Ah! Isto algo difcil,
porque a porta estreita!
Oh! E como so poucos
os que entram por esta porta to estreita da vida!
Conhece esta porta da vida
que nos conduz ao palcio do nosso Deus,
do nosso Rei e do nosso Senhor?
Ei-la aqui:
quem no renuncia a si prprio
e no toma a sua cruz
e no a leva sempre,
no digno de mim
e no pode ser meu discpulo.
Quem no renuncie a tudo o que possui
no pode ser meu discpulo.
Eis aqui a porta estreita
pela qual preciso entrar, minha filha.
Sem renunciar a si prpria
e a todas as coisas do mundo
nunca poder entrar por essa porta da vida eterna.
Esta abnegao e esta renncia,
entendidas espiritualmente,
so necessrias para entrar dentro de si.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta1,2

   

   Deus inesgotvel

Como somos felizes, querida Irm,
por compreender os segredos ntimos
do nosso Esposo!
Ah! se quissseis escrever tudo
quanto deles conheceis,
teramos belas pginas para ler.
Mas, bem sei,
preferis guardar no ntimo do vosso corao
os segredos do Rei.
Mas a mim que escrevo estas linhas,
sinto a minha impotncia para exprimir
com palavras terrenas
os segredos do Cu.
Alm disso, aps ter escrito pginas e pginas,
julgaria no ter sequer comeado...
H tantos horizontes diferentes,
tantos matizes infinitamente variados,
que s a paleta do Pintor celeste
me poder fornecer, depois da noite desta vida,
as cores capazes de pintar as maravilhas
que Ele descobre aos olhos da minha alma.

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito B. 1v

   

   Uno-me a Ele atravs da Palavra

A Sagrada Escritura
vale-nos como Palavra de Deus
porque com ela
Deus aproxima-Se de ns,
d-Se-nos a conhecer,
ao mesmo tempo que nos apresenta
as Suas exigncias.
Claro que isto s acontece
se a aceito na f,
como palavra dita em Seu nome.
Ele no percebido no momento,
nem fala pessoalmente;
no entanto uno-me a Ele
atravs desta Palavra transmissora,
sendo cativado interiormente por ela.

Santa Teresa Benedicta da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Caminhos do conhecimento de Deus.

   

   Serenidade

Deus
fala ao corao
recolhido e sereno.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Pensamentos sobre Imagens (2 srie) 72, p. 78

   

   Esta paz de alma

Oh Jesus,
quem soubera
as muitas coisas da Escritura que deve haver
para dar a entender
esta paz de alma!

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
7 Moradas 3,13

   

   O Lar paterno dos Cus

O que ser para os nossos coraes
quando todos reunidos
no lar paterno dos cus
nos encontrarmos e nos abraarmos
para nunca mais nos separarmos?...
Como este pensamento diminui
todas as penas
e nos faz desejar mil vidas
para as consagrar todas
ao Senhor das nossas almas!...
Oh! Como o meu corao
quereria expandir toda a alegria
de que est possudo
e fazer-te compreender, meu pap,
atravs deste pobre escrito
a minha grande felicidade!

Beata Elias de S. Clemente | 1901 1927
Carta 78. A seu pai. 18 de Maro de 1925

   

   Um selo particular

Deus ps em cada alma
um selo particular,
une-Se a cada uma
de modo especial e prprio.
Da abundncia da vida divina,
que nenhum corao humano pode abarcar,
concede o Senhor a cada um
um mistrio especial
atravs do qual,
Ele oferece um caminho incompreensvel.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Obras 370

   

   Jesus Cristo na Sua Igreja

Jesus Cristo assegura-nos
no s que confia a Sua Igreja aos Apstolos,
mas tambm
que estar com eles at ao fim do mundo,
na pessoa dos seus sucessores.
Esta presena do Senhor na Sua Igreja
fortalece a nossa f,
a nossa esperana
e a nossa caridade,
porque a Igreja de Deus Cristo entre ns,
Cristo em cada um de ns,
enquanto membros do Seu Corpo Mstico,
da Sua Igreja.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 3

   

   Quero estar conTigo, Senhor!

Peamos hoje a Nosso Senhor
que Ele nos faa compreender
a necessidade desta relao
quase constante com Deus,
porque ns vamos para Ele,
porque Ele o nosso termo.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferncias. 15.05.1966

   

   O reino de Deus est dentro de vs

O reino de Deus est dentro de vs.
Pouco antes, Deus convidava-nos
a permanecer nEle,
a viver na sua herana de glria,
e, agora, revela-nos
que no temos necessidade de sair de ns
para O encontrar:
O reino de Deus est no interior!...
So Joo da Cruz diz que
na substncia da alma,
onde no podem chegar nem o demnio
nem o mundo
que Deus se lhe d;
ento, todos os seus movimentos se tornam divinos
e, sendo embora de Deus,
so igualmente dela,
porque Nosso Senhor os produz nela e com ela.

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
O Cu na terra. 5

   

   Viver no Carmelo

Que te poderei dizer
sobre a felicidade que experimento
em ter-me entregado a Ele?
No uma felicidade qualquer a que sinto.
um cu o que possuo.
Iniciei essa ocupao de amar e louvar
que teremos na eternidade.
Aqui, no Carmelo, s existe Deus.
Vivemos mergulhadas nEle,
na Sua atmosfera divina
de paz e amor.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 136

   

   Ps nas trevas o Seu esconderijo

Deus inacessvel e escondido,
por isso, por muito que te parea encontr-lO,
sentir ou compreender,
sempre O hs-de ter por escondido
e servi-lO s escondidas no segredo.
No sejas como tantos principiantes
que pensam baixamente de Deus,
porque, quando no O entendem,
possuem ou sentem,
julgam-nO mais longe e mais escondido.
A verdade, porm, ao contrrio:
quanto menos distintamente O entendem,
mais dEle se aproximam,
pois, como diz o profeta David:
Ps nas trevas o seu esconderijo.
Assim, aproximando-te dEle,
forosamente hs-de sentir trevas
na fraqueza do teu olhar.
Portanto, fazes bem
em considerar sempre a Deus como escondido,
quer na adversidade
ou na prosperidade espiritual e temporal.

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico Espiritual. 1, 12

   

   O nosso Tesouro

Senhor Jesus, Tu que disseste,
onde est o nosso tesouro
Ali est o nosso corao.
Se Tu s o meu tesouro,
meu Jesus e todas as minhas coisas
onde ests Tu, a tem de estar o meu corao.
Mais ainda, se o teu corao o meu corao,
o meu corao deve estar contigo, no cu,
amando-Te e adorando-Te
entranhado em Ti, que s o meu Tesouro.
Como pode viver o meu corao
pondo o meu afecto nas criaturas,
que s podem dar-me o que tm ...
Bem clamas a todas as Tuas criaturas,
que voltem ao Teu Corao,
porque fora dEle no podem encontrar paz nem felicidade.
Corao do meu Deus e Tesouro do meu corao,
Faz com que no ame seno a Ti e por Ti
e comece a levar aqui na terra
a vida que eternamente me vai fazer feliz.
No permitas que ningum te roube o Teu tesouro,
que o meu corao;
Teu por graa,
Teu por natureza,
Teu por eleio.

Santo Henrique de Oss e Cervell | 1840 - 1896
Um ms na Escola do Corao de Jesus. Ed. 1995

   

   A imensa misericrdia!

Diante da imensa misericrdia
que o Senhor usa para comigo,
as minhas inaptides
no me deixam em paz.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinrio (Ricasoli). 22

   

   Temos um Deus infinitamente bom!

Ns temos um Deus
infinitamente bom
e que sabe o que precisamos.
Sempre acreditei
que Ele vos reduziria at ltima,
a ponto de vos renderdes.
Ele vir a seu tempo,
quando menos pensardes nisso.
Esperai Nele mais do que nunca.
Agradecei-Lhe comigo
pelas graas que Ele vos faz,
particularmente pela fora e pela pacincia
que vos d nas vossas aflies,
que so uma prova evidente
do cuidado que tem por Vs.
Consolai-vos, por isso, com Ele
e agradecei-Lhe por tudo.

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 - 1691
Carta06. A uma senhora. 12 de Outubro de 1688

   

   Ver a Deus como Pai

Eu vejo que Deus,
como bom Pai,
me leva pela mo
e conduz-me para onde Ele quer.
E por isso irei onde no sei
e caminharei por onde no quererei.
Deus sabe como estou disposto
a servir a Sua Igreja
e que em assuntos da Sua glria
vejo tudo plano e fcil.
Ele sabe o quanto estou desprendido da prpria vida,
do meu repouso
e de todas as consolaes humanas e celestiais.
E porque Deus, nisto,
conhece a minha generosidade
no me abandonar,
mas guiar-me- por onde Lhe parecer.
Eu ando seguro,
confiado nos cuidados
da sua paternal solicitude.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 56,1

   

   Jesus tem sede de amor

Eis portanto, tudo o que Jesus exige de ns.
No precisa para nada das nossas obras,
mas unicamente do nosso amor;
porque o mesmo Deus que declara
no ter necessidade nenhuma de nos dizer se tem fome,
no receou mendigar um pouco de gua Samaritana.
Tinha sede... Mas ao dizer: D-me de beber,
ra o amor da sua pobre criatura
que o Criador do universo reclamava.
Tinha sede de amor...

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito B. 1v

   

   Pequena coisa

Julga-te
uma pequena coisa que passa
e sers grande
em sabedoria.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Pensamentos sobre imagens, 1 srie 44, p. 18

   

   Resplandea a Vossa misericrdia

Oh! Que difcil coisa Vos peo,
Verdadeiro Deus meu,
Que queirais a quem no Vos quer,
Que abrais a quem no Vos chama,
Que deis sade a quem gosta de estar enfermo
E anda procurando a enfermidade!

Vs dizeis, Senhor meu,
Que vindes buscar os pecadores.
No olheis para a nossa cegueira, meu Deus,
Seno para o muito Sangue
Que derramou por ns o Vosso Filho.

Resplandea Vossa misericrdia
Em to crescida maldade;
Vede, Senhor, que somos feitura Vossa.
Valha-nos a Vossa bondade e misericrdia.

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
VIII Exclamao

   

   Como sou feliz!

Minha querida Mam,
escrevo-te estas pequenas linhas
porque sei que te faro feliz.
Se tu soubesses,
enquanto te escrevo,
o que se passa na minha alma!...
Se te fosse dado a ver por um pequeno buraco
a tua Elias sozinha no silncio da sua cela,
como feliz!
Hoje fao minhas as asas da pomba
e com rpido voo
corro sobre o cume do Carmelo
e aqui estabeleo a minha morada.

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
B. Elias de So Clemente, Carta 62,
a Pasqua Cianci, sua Me, Dezembro de 1924.

   

   As almas escondidas

As almas escondidas
no vivem isoladas,
mas num contexto vivente
e dentro da grande ordem divina.
A sua efectividade
e a sua unio
podem permanecer ocultas para eles mesmos
e para os outros
ao longo da sua vida terrena.
Porm tambm possvel
que algo de tudo isso aparea visvel aos homens.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Obras.

   

   Fomos escolhidos

No fostes vs que Me escolhestes,
fui Eu que vos escolhi e vos nomeei
para irdes e dardes fruto,
e o vosso fruto permanecer.
Fomos escolhidos para dar fruto
e para que o nosso fruto permanea:
[isto] ,
a perseverana
na fidelidade ao dom que recebemos de Deus
e nossa promessa de aceitao desse dom.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 20

   

   F obscura

A nossa f obscura;
ela exige uma atitude de humildade
da nossa parte.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferncias. 16.10.1966

   

   Amar de verdade

A propriedade do amor
de nunca se buscar a si mesmo,
de nada reservar para si,
mas de tudo dar quele que ama.

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
O Cu na terra, 10

   

   Tudo passa

Tudo o que h na terra
a cincia, a glria, as honras
h-de terminar.
A morte dissipa tudo.
S h um conhecimento e uma verdade
que no se obscurece
porque est baseada no Imutvel.
S um bem, s um amor no se destri,
porque inteiro e infinito.
Tudo passa na vida
menos as nossas boas obras.
Ns tambm passamos.
S um ser permanece sempre o mesmo:
Deus.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 96

   

   Olhar para Cristo e oferecer-me a Ele.

Olha- O [a Cristo] neste Corpo que a Igreja,
chagado e crucificado,
indigente, perseguido,
desprezado e zombado.
E, sob esta considerao,
oferece-te para O cuidar
e prestar- Lhe aqueles servios
que estejam ao teu alcance.
Olha- O alm disso como Senhor,
dono e rei do mundo,
e como Ele no reina sem ns,
mas connosco, em ns e por ns,
sob este ponto de vista,
oferece-te para tudo quanto Ele queira de ti.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Catecismo das Virtudes. 42,2

   

   Nossa Senhora do Carmo

Todas as que trazemos este hbito sagrado do Carmo
somos chamadas orao e contemplao
(porque este foi nosso princpio,
desta casta vimos,
daqueles nossos santos Padres do Monte Carmelo,
que em to grande solido e com tanto desprezo do mundo
buscavam este tesouro,
esta preciosa prola de que falamos),
poucas nos dispomos
para que o Senhor no-la faa encontrar.
Mas para chegar aqui,
temos muita necessidade,
e no nos descuidar nem pouco nem muito.
Por isso, minhas irms,
agora pedir ao Senhor,
j que de alguma maneira podemos gozar do Cu na terra,
que nos d Seu favor
para que no falhe por nossa culpa
e nos mostre o caminho e d foras na alma
para cavar at achar este tesouro escondido,
pois verdade que est em ns mesmas.

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Livro das Moradas. V. 1,2

   

   Deus aprova provando

Jesus fez-me compreender que,
queles cuja f
do tamanho de um gro de mostarda,
concede milagres,
e faz as montanhas mudarem de lugar,
para consolidar esta f to pequena;
mas para os seus ntimos,
para a sua Me,
no faz milagres
antes de ter experimentado a sua f.

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito A. 67v

   

   Maria d-me Jesus

Maria diz-te:
Dou-te o alimento,
a Carne e o Sangue do Inocente:
Aos ps de Maria,
encontrei a vida.

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevaes Espirituais. 15 Poema a Maria

   

   Maria a minha estrela e farol!

Pede Santssima Virgem
que seja a tua guia;
que seja a estrela e o farol
que resplandea nas trevas
da tua vida.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 40

   

   Maria: braseiro de amor

Maria,
devorada pelos ardores da caridade,
props-Se mudar a face do mundo,
pediu a salvao,
esperou-a
e obteve-a.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Ms de Maria, p. 62

   

   Imitando Maria uno-me a Cristo

Maria,
mais do que ningum,
une a nossa alma a Deus bendito,
com uma unio ntima de amor
e de adeso Sua santssima vontade.

Beata Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Conselhos. 2, 22

   

   S para Jesus Maria!

Que a Hstia Imaculada
te recorde a Imaculada Me de Jesus!
a Maria que devemos a Eucaristia.
Ela a aurora do Santssimo Sacramento.
Maria deseja
que tu faas as Suas vezes
junto de Jesus sacramentado.
S para Jesus Maria!

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 63

   

   Espelho de Deus

Se conhecesses o dom de Deus...
H uma criatura que conheceu esse dom de Deus,
uma criatura que no perdeu sequer uma parcela dele,
uma criatura que foi to pura,
to luminosa,
que parece ser a prpria Luz:
Speculum justitiae [Espelho de Justia].
Uma criatura cuja vida foi to simples,
to perdida em Deus,
que quase nada se pode dizer dela.
Virgo fidelis: a Virgem fiel,
aquela que guardava todas as coisas no seu corao.

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
O Cu na Terra, 39

   

   Vemos Maria ao lado de Cristo

Em Maria no vemos o Senhor,
mas vemo-la a Ela prpria ao lado do Senhor.
O seu servio um servio que Ela exerce
de forma imediata para Ele,
intercesso que Ela apresenta
em favor dos seres humanos
Ela est a, ao lado de Cristo,
no para o Seu proveito,
mas para o nosso.
Ela me dos viventes
no porque todos provenham dEla na sequncia das geraes,
mas porque o seu amor maternal
abarca juntamente com Cristo
que a cabea,
a todo o corpo mstico.

Teresa Benedicta da Cruz Edith Stein ,
Werke 151

   

   Nossa Senhora do Carmo

Recordo-me que,
quando morreu minha me,
fiquei da idade de doze anos,
pouco menos.
Quando comecei a perceber o que tinha perdido,
fui-me, aflita, a uma imagem de Nossa Senhora
e supliquei-Lhe, com muitas lgrimas,
que fosse minha Me.
Embora o fizesse com simplicidade,
parece-me que me tem valido;
porque conhecidamente
tenho encontrado esta Virgem soberana,
sempre que me tenho encomendado a Ela.

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Livro da Vida. 1, 7

   

   Abrir espaos para orar

Vamos igreja para orar,
para juntar em coro a nossa orao
dos nossos irmos:
e assim sucede quando l nos reunimos
para a celebrao da Eucaristia,
para a adorao do Santssimo,
para a reza do Tero
e para outras devoes comunitrias.
H depois a orao particular de cada um,
que no devemos descuidar.
Todos os filhos tm momentos
em que procuram encontrar-se a ss com seu pai,
para em particular
lhe exporem os seus problemas,
pedirem-lhe os seus conselhos e auxlio.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 8

   

   O caminho fazer a Tua vontade

Foi para realizar a vontade do Pai
que Jesus veio ao mundo;
foi realizao da vontade do Pai
que Ele consagrou toda a Sua vida
e as Suas actividades.
Seja feita a Tua vontade,
que se realizem todos os Teus planos,
todos os Teus desgnios,
aqueles que no compreendemos
e que so misteriosos.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Eu rezei por ti, pg. 51

   

   Revela-Te, Senhor!

O que que d ao profeta
a segurana que est diante de Deus?
O ver com os olhos ou a fora imaginativa
no suficiente para isso.
Tudo isto pode faltar,
e, contudo, pode dar-se a certeza interior
de que Deus quem fala.
Esta segurana apoiar-se-ia
no sentimento de que Deus est presente;
sente-se tocado por Ele no mais profundo.
A isto o que chamamos,
em sentido prprio,
experincia de Deus.
o ncleo de toda a vivncia mstica:
o encontro com Deus de pessoa a pessoa.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Escritos Espirituales, BAC, Madrid, 1998, 100s

   

   A f tem muitos ramos

A f no consiste s
em acreditar na existncia de Deus,
no Seu poder e na Sua sabedoria;
ela tem muitos outros ramos,
para onde se estende
e at onde a nossa plena adeso
deve chegar.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 3

   

   Orar na montanha

Nosso Senhor
escapa s multides
e aos apstolos
para se retirar
para a montanha

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferncias. 20.03.1966

   

   Faz-me mrtir do teu amor

Oh, torna-me mrtir do Teu Amor,
que este martrio me faa morrer.
Tira-me a liberdade de Te desagradar,
que nunca te faa a mais ligeira ofensa.
Quebra, arranca do meu corao
tudo o que Te desagrade.
Quero cumprir sempre a Tua vontade,
corresponder sempre Tua graa.
Mestre, quero ser santa para Ti,
s a minha santidade,
pois conheo a minha fraqueza.
Oh! Jesus, obrigada por todas as graas que me concedeste,
agradeo sobretudo por me teres provado.
to bom sofrer por Ti, conTigo.
Que cada batimento do meu corao
seja um grito de reconhecimento e de amor.

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Notas ntimas. 4

   

   Procurar a Deus pela f

alma,
fazes muito bem procurar [a Deus]
sempre escondido,
porque muito enalteces a Deus
e muito te aproximas dEle,
considerando-O mais alto e profundo
do que tudo quanto podes alcanar.
Portanto, no te fixes na parte
ou no todo daquilo
que as tuas potncias podem compreender.
Quer dizer, nunca queiras satisfazer-te
no que entenderes de Deus,
mas no que dEle no entenderes.
Nunca te detenhas a amar ou gozar
no que entenderes ou sentires de Deus;
mas ama e goza antes
no que dEle no podes entender e sentir,
porque isso procur-lO em f.

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico Espiritual. 1, 12

   

   S. Pedro: o primeiro Bispo de Roma

A Igreja de Cristo romana,
porque S. Pedro foi o primeiro Bispo de Roma.
Sendo Chefe e Cabea visvel da Igreja de Cristo,
a estabeleceu a Ctedra do Supremo Pontificado,
isto , do Chefe e Cabea visvel
da nica e verdadeira Igreja de Deus,
fundada por Jesus Cristo.
Assim todos os que so legitimamente eleitos
Bispos de Roma
constituem, por direito,
os verdadeiros Sucessores de S. Pedro,
enquanto Representante de Cristo na terra,
Chefe e Cabea visvel da Sua Igreja.
o Santo Padre.
Unimos a nossa orao orao de Cristo,
pedindo ao Pai a unidade da Sua Igreja,
para que o mundo acredite
que Cristo o enviado do Pai e,
unidos na mesma f,
na mesma esperana
e na mesma caridade,
formemos todos um mesmo Corpo Mstico de Cristo,
e, por Cristo todos sejamos salvos.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 3

   

   Consolao

Recomendemo-nos a Deus
e veremos que Ele
nos consolar.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinrio, 20

   

   Elevar o corao a Deus

Uma pequena elevao de corao basta.
Uma pequena lembrana de Deus,
uma adorao interior,
ainda que correndo
e de espada na mo,
so oraes que, por mais curtas que sejam,
so muito agradveis a Deus
e que,
longe de fazerem perder a coragem
nas ocasies mais perigosas
queles que empunham armas,
os fortificam.

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 1691
Carta 06. A uma senhora. 12 de Outubro de 1688

   

   A gratuidade do Teu amor!

Se eu fosse um Serafim de amor,
seria digna do Senhor?
Se me consumisse de sacrifcios
e de penas por Deus,
e a minha vida fosse um holocausto,
que coisa teria eu feito por Ti,
meu Deus e meu Tudo?

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Retiro para a Profisso simples de uma Religiosa, p. 8

   

   Como a Me acaricia o seu filho.

O profeta Isaas revela-nos
que no ltimo dia
o Senhor conduzir o seu rebanho
para as pastagens,
reunir os pequenos cordeiros
e os apertar contra o seu peito.
E como se todas essas promessas no bastassem,
o mesmo profeta,
cujo olhar inspirado mergulhava j
nas profundidades eternas,
exclama em nome do Senhor:
Como uma me acaricia o seu filho,
assim eu vos consolarei;
levar-vos-ei ao colo
e acariciar-vos-ei sobre os meus joelhos.
querida madrinha!
Depois de semelhante linguagem,
nada mais resta seno calar-nos,
chorar de gratido e de amor...

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito B, 1r-1 v

   

   Abandona-te Sua Providncia!

Que tambm tu
te abandones Sua Providncia.
Que bem cuidado est o que se fia em Deus!
Na orao ocupa-te em adquirir esta confiana em ti
pois tens necessidade disso.
Essa confiana
supe a f na Sua Providncia
e a Providncia
o cuidado e a solicitude paternal
que Deus tem connosco.
Deixemos que Deus cuide de ns,
que nos governe, que nos guie,
e esta confiana nos proteger
contra as horrveis inquietaes,
nsias e temores que nos assaltam,
procedentes das nossas prprias iluses.
Oferece-te a Nossa Senhora na orao,
coloca-te sob a sua proteco e confia nEla.
Confiemos em Deus e na Sua Me,
confiemos-lhe as nossas coisas
e no seremos defraudados
nem confundidos nas nossas esperanas.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 56. 2,3

   

   Gozar da Tua amizade!

Senhor do Cu e da terra,
como possvel que ainda estando nesta vida mortal
se possa gozar de Vs
com to particular amizade!

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Conceitos do Amor de Deus 14,10

   

   Apoiar-me na Tua vontade

A Ir. Elias uma criana
e assim ficar sempre nos braos de Jesus
e por isso que passo a vida contente e feliz,
abandonada s Divinas vontades.
Nada mais me atrai,
antes pelo contrrio,
tudo me cansa sem o bom Deus
A minha sede torna-se cada vez mais ardente
de consumar-me no mais profundo silncio
pela glria do meu Senhor
e quereria ser aquele afortunado tomo
lanado nos abismos profundos
da bondade Divina
para no mais existir

Beata Elias de S. Clemente | 1901 1927
Carta 54. Ao Padre Elia

   

   Um crescimento progressivo no amor

O efeito da vida de orao
era um crescimento progressivo no amor a Deus.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 1942
Obras

   

   O chamamento de Deus

O chamamento de Deus
no sempre um chamamento que realiza tudo.
um chamamento.
Resta-nos a ns responder.
No o bom Deus quem faz tudo;
Ele apenas quer agir
com a nossa boa vontade.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferncias 26.06.1966

   

   Repousar no Mestre

Cada incidente, cada acontecimento,
cada sofrimento, como cada alegria,
um sacramento dado por Deus;
pois [a pessoa] j no faz distines entre estas coisas,
transcende-as e ultrapassa-as para repousar, enfim,
acima de tudo, no prprio Mestre.
Ento exalta-O bem alto
na elevao do seu corao,
sim mais alto que os Seus dons ou as Suas consolaes,
mais acima das douras que procedem dEle.

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Cu na terra, 10

   

   A verdadeira amizade

A verdadeira amizade
consiste em aperfeioar-se mutuamente
e em aproximar-se mais de Deus.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 82

   

   Buscar a Deus

A alma constata que,
para encontrar o Amado,
no bastam gemidos e oraes,
nem valer-se de bons medianeiros.
E, como o desejo com que O procura verdadeiro
e grande o seu amor,
no quer deixar de realizar qualquer diligncia
que lhe seja possvel,
pois a alma que ama verdadeiramente a Deus
no descansa sem fazer tudo quanto pode
para encontrar o Filho de Deus, seu Amado.
E, depois de tudo ter feito,
no se sente satisfeita
e julga que no fez nada.

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico Espiritual. 3, 1

   

   Jesus admirvel

Oh! Quo admirvel Jesus!
Meu Deus, eu Te adoro!
S Tu s grande;
adoro a Tua grandeza, o Teu poder.
S Tu s digno de admirao
Tu s admirvel.
Quem semelhante a Ti?
No h outro Deus semelhante a Ti,
nem no Cu, nem na terra.
Quo feliz sou de que Deus me tenha criado
para O poder chamar de meu Deus!
Se Tu me tivesses criado em a razo,
no poderia dizer meu Deus.
Te dou graas por me teres dado a inteligncia:
eu ta ofereo.
Quo feliz sou por ter um Pai,
o qual enche o Cu e a terra!
Que por toda a parte se ouam os louvores do meu Deus!
Que as montanhas exultem de alegria,
que toda a terra exulte!...

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevaes Espirituais, 6

   

   Confio em Ti, Senhor!

Do que que poderemos temer
se Deus prometeu atender-nos
de cada vez que recorrssemos a Ele?

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinrio, 31

   

   A humildade aprofunda os fundamentos

S no humilde
se ergue seguro
o edifcio da santidade.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Perfeio Carmelitana, 48

   

   Unio entre os irmos.

Nossa Senhora tanto nos recomendou
a orao e o sacrifcio
pela converso dos pecadores:
Rezai, rezai muito
e fazei sacrifcios pelos pecadores.
Vo muitas almas para o Inferno,
por no haver quem se sacrifique
e pea por elas.
Pela nossa unio com Cristo,
com a Sua Igreja,
devemos tornar-nos
vtimas de expiao e de splica
pela converso dos nossos irmos.
Est nisso o ponto ideal da nossa caridade:
amar aqueles que talvez falam mal de ns,
nos contradizem e perseguem.
O nosso perdo, a eles oferecido
na luz da f, da esperana e da caridade,
atra-los- de novo para os braos de Deus.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 3

   

   Ter um corao semelhante ao Teu

No desejo outra coisa
seno assemelhar-me ao Corao de Jesus;
por isso procuro com grande empenho
praticar aquelas virtudes
que me possam tornar uma verdadeira cpia
do meu sumo Bem.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Carta 16

   

   Recolhimento activo

Um modo de recolher facilmente o esprito
durante o tempo da orao
e de o ter em maior repouso
no o deixar ganhar asas durante o dia.
necessrio mant-lo rigorosamente
na presena de Deus:
e estando habituada a vos lembrar Dele
de tempos a tempos,
ser mais fcil permanecer tranquila
durante as vossas oraes,
ou pelo menos chamar o esprito
dos seus devaneios.


Beato Francisco Palau | 1811 1872
Carta07. A uma religiosa. Sem data.

   

   Aprender a confiar em Deus

Aprendamos [em tempo de necessidade]
a confiar em Deus,
a fiarmo-nos nEle,
a esperar na sua paternal proteco,
e no temas que Ele nos abandone;
no deixa de ouvir
a quem O invoca e procura
de bom corao.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 46, 2

   

   Abandono nos braos do Pai

Jesus compraz-Se em mostrar-me o caminho
que conduz a essa fornalha divina
[o Corao de Deus] ;
o caminho o abandono da criancinha
que adormece sem medo
nos braos do seu pai...
Se algum for pequenino, venha a Mim,
disse o Esprito Santo
pela boca de Salomo.
E este mesmo Esprito de Amor disse ainda
que a misericrdia concedida aos pequenos.

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito B, 1r

   

   Reinterpretar a vida

Se ns fossemos como deveramos ser,
isto , cheios do esprito de Deus,
seramos verdadeiramente felizes.
Nem sempre tudo aquilo que nos causa tristeza
vem de fora,
antes, quase sempre a causa est em ns.
Se ns fssemos humildes, pacientes, mansos,
nada viria a ofuscar a nossa paz:
se tivssemos o verdadeiro amor a Deus,
cada tribulao e enfermidade
se transmutariam em alegria e gozo;
e se ns amssemos verdadeiramente o nosso prximo,
no nos ressentiramos
de todos os choques
que to frequentemente nos ofendem.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Conselhos, 2

   

   A minha Carne e o meu Sangue

Quem come a minha carne
e bebe o meu sangue,
permanece em Mim e Eu nele.
O amor de Cristo generoso.
D tudo o que tem e tudo o que ;
mas retira tudo o que temos,
ou tudo o que somos.
Tem uma imensa fome
que nos quer devorar absolutamente.
Penetra at medula dos ossos
e quanto mais Lho permitimos com amor,
tanto mais amplamente O saboreamos:
Conhece a nossa pobreza,
mas prescinde dela e de nada nos dispensa.

   

   O Sinal do amor

O Sinal mais certo,
a meu parecer,
que guardamos estas duas coisas
[amor a Deus e ao prximo]
guardando bem
a do amor ao prximo.

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Moradas V 3,8

   

   Na solido

Na solido
a alma conhece-se a si mesma
e eleva-se para Deus

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Pensamentos, 3

   

   Vida consagrada

A nossa funo consiste em amar e servir.
Uma vez que Deus no abandona nunca
o mundo que criou
e ama tanto os homens,
impossvel para ns, naturalmente,
menosprezar o mundo e os homens.
No os abandonamos
porque os consideramos sem valor,
mas para estar livres para Deus.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Werke XIV

   

   Envolvido no Teu Amor!

Tudo quanto existe
uma manifestao de Deus,
da Sua obra criadora,
providente e redentora.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 3

   

   Revela-Te, Senhor!

Peamos ao prprio Jesus
que Se revele,
que Se digne revelar-Se
a cada um de ns.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferncias, 06.03.1966

   

   Amar discretamente

Quem ama discretamente
no se preocupa em pedir o que carece e deseja,
antes apresenta as suas necessidades
para que o Amado faa como for servido.
Foi assim que procedeu a Virgem bendita
com o Seu amado Filho nas bodas de Can da Galileia:
directamente no Lhe pediu o vinho,
mas disse apenas:
No tm vinho.
Tambm as irms de Lzaro
no Lhe mandaram dizer que curasse o irmo,
mas que soubesse que estava doente
aquele a quem Ele amava.

   

   Jesus

Vede como ficareis bem pagas
e que bom Mestre tendes,
pois como sabe
por onde se h-de ganhar
a amizade de Seu Pai,
nos ensina como,
e com que O havemos de servir.

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Caminho 32,11

   

   Perdoar e esquecer

Chorar muito pelas faltas que se cometem
no humildade,
e mais ainda se so involuntrias.
Deve pedir perdo a Jesus
e imediatamente
como um menino com sua me
recostar-se no Seu Corao,
confiando que no s a perdoou,
mas que se esqueceu.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 144

   

   Quando Deus amado

Quando Deus amado,
mais facilmente atende os pedidos
de quem O ama.
Ele mesmo o diz por S. Joo:
Se permanecerdes em Mim,
pedi o que quiserdes,
e ser-vos- concedido.
Assim, quando a alma se encontrar
totalmente unida a Ele
pode deveras chamar-Lhe Amado,
porque o seu corao no se prende a outra coisa
que no seja Ele
e o seu pensamento est habitualmente
posto nEle.

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico Espiritual. 1, 13

   

   Aos ps da Virgem encontrei a minha vocao

Procurei-vos s, na minha juventude.
No Vos conhecia;
mas ouvi falar de Vs...
Ningum me sabia dar notcia de Vs...
Sozinho e por caminhos difceis,
cheguei a Vossos ps.
Quo cansado do mundo!
Com quantas feridas!
Quantos desenganos no corao!
A Vossos ps encontrei a paz perdida...
Bendita Rainha das graas!
Nos degraus do Vosso trono
senti reviver, no meu corao,
recordaes dulcssimas da minha me...
Junto do trono das Vossas misericrdias,
despertei como de um sonho profundo...
Acreditei, desejei e amei
o que nunca deveria ter esquecido.
A recordao da Me do cu
despertou em mim a recordao da me da terra,
os seus rogos, os seus conselhos santos,
os seus bons exemplos...
Encontrei a minha Vocao.

Santo Henrique de Oss e Cervell | 1840 - 1896
Escritos de Henrique de Osso TF, Tomo III, p.194
(aos ps da Virgem de Montserrat)

   

   Fidelidade nas pequenas coisas

Est atenta s pequenas coisas:
tudo grande diante do Senhor.
O Senhor no quer rapina no holocausto.
D-Lhe tudo.

Beata Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevaes espirituais. 56

   

   Exame de conscincia

Quem no se examina
como um terreno inculto.
Os santos amaram muito
o exame de conscincia:
ama-o, peo-te,
e f-lo bem.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Perfeio Carmelitana. 84

   

   Estou conTigo, Senhor!

No sei o que Deus me tem reservado;
estou numa tranquilidade to grande
que no temo nada.
Que poderia eu temer
quando estou com Ele?
Mantenho-me junto dEle o mais que posso.
Seja Ele bendito por tudo. Amen.

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 1691
Carta 05. A uma religiosa.

   

   Envolvido no Teu Amor!

Tudo quanto existe
uma manifestao de Deus,
da Sua obra criadora,
providente e redentora.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 3

   

   Uma noite de Inverno

Uma noite de Inverno,
cumpria, como de costume, o meu oficiozinho.
Estava frio, era noite...
De repente, ouvi ao longe
o som harmonioso de um instrumento musical.
Ento imaginei um salo bem iluminado,
todo resplandecente de dourados,
de donzelas elegantemente vestidas,
dirigindo-se mutuamente cumprimentos e cortesias mundanas.
A seguir, o meu olhar pousou na pobre doente que amparava;
em vez de uma melodia,
ouvia, de vez em quando, os seus gemidos queixosos;
em vez de dourados,
via os tijolos do nosso claustro austero,
mal iluminado por uma luz muito frouxa.

   

   Os dois movimentos do Amor.

A omnipotncia
faz descer Deus at ns
e a obedincia
faz elevar a alma at Deus.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
I Pensamentos sobre imagens. 108, p. 35

   

   A orao: fonte de gua viva

As almas que no tm orao
so como um corpo paraltico ou tolhido,
que embora tenha ps e mos,
no os podem mexer.

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Moradas 1. 1,6

   

   Amar com mais fora!

O corao,
depois de um longussimo combate,
descansa num doce abandono
e sente que ama ainda com mais fora
um Pai assim to bom e to santo...

Beata Elias de S. Clemente | 1901 1927
Carta 65, ao Padre Elias. 19-01-1925.

   

   Deus no exige nada sem dar primeiro

Deus no exige nada aos homens
sem lhes dar ao mesmo tempo
a fora necessria para o cumprir.
A f ensina-o
e a experincia da vida, fundada sobre a f,
confirma-o.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 1942
Ser Finito e Ser Eterno (SFSE) 458-459

   

   A misso dos Consagrados

A misso das pessoas consagradas
trabalhar e santificar-se
em unio com Cristo
pelo Reino dos Cus.
Assim cada consagrado
um outro Cristo na terra,
um outro cordeiro enviado por Deus
para tirar os pecados do mundo.
A forma para cumprir esta misso
dar a vida:
Se o gro de trigo, caindo na terra, no morrer,
Fica ele s;
mas, se morrer, d muito fruto. (Jo 12,24).

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 21

   

   Por Maria a Jesus

Oh, como bom,
nas horas em que se sente seno a prpria misria,
ir fazer-se salvar por Ele;
estou to cheia dEle,
mas o santo Deus deu-me uma Me,
imagem da sua Misericrdia,
que s com uma palavra
sabe acalmar toda a angstia da sua filhinha
e dar-lhe asas para voar
sob os raios do Astro criador.

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 225 Maro de 1905

   

   Mistrio que se quer revelar

Cristo Jesus um mistrio
que Se quer revelar a ns
pelas Suas palavras,
as Suas atitudes,
os Seus gestos,
pois Ele o nosso modelo.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferncias, 24.04.1966

   

   Diz-me os meus defeitos!

Por favor,
peo-te que me digas os meus defeitos,
pois eu tenho compaixo de mim
e no os encaro suficientemente.
Sou muito orgulhosa
e quero ser humilde.
Ajuda-me.
E sou colrica,
impaciento-me por tudo e por nada.
Assim, quando vires o menor sinal,
avisa-me, peo-te.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 12

   

   Penetrao dos mistrios

Porm, ainda que a alma
no os [os mistrios] chegue a penetrar
nesta vida mortal
to perfeitamente como na outra,
apesar de bem escondida,
contudo, como diz Moiss (Ex 33, 22),
se se esconder na cavidade do rochedo,
que a verdadeira imitao
da perfeio da vida do Filho de Deus,
Esposo da alma ,
tapando-a Deus com a sua mo,
merecer v-l0 pelas costas (Ex 33, 22-23);
quer dizer,
merecer chegar nesta vida
a uma perfeio que a una e transforme por amor
no Filho de Deus, seu Esposo.
Sentir-se-, assim, to unida a Ele,
to instruda e conhecedora dos seus mistrios
que, em relao ao conhecimento de Deus nesta vida,
no precisar de dizer:
Aonde Te escondeste?

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico Espiritual 1, 6

   

   Agradecer as chagas de Cristo

Andava pois j a minha alma cansada
e, embora quisesse,
no a deixavam descansar os ruins costumes que tinha.
Aconteceu-me que,
entrando eu um dia no oratrio,
vi uma imagem, que para ali trouxeram a guardar;
tinham-na ido buscar para certa festa
que se fazia na casa.
Era a de Cristo muito chagado
e to devota que, ao pr nela os olhos,
toda eu me perturbei por O ver assim,
porque representava bem o que passou por ns.
Foi tanto o que senti
por to mal Lhe ter agradecido aquelas chagas,
que o corao, me parece, se me partia
e arrojei-me junto dEle
com grandssimo derramamento de lgrimas,
suplicando-Lhe me fortalecesse de uma vez para sempre
para no O ofender.

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Vida 9, 1

   

   A Vossos ps

Aos ps de Maria,
a minha querida Me,
reencontrei a vida.
vs todos, que sofreis,
vinde a Maria;
aos ps de Maria
reencontrei a vida.
A vossa salvao, e a vossa vida,
esto aos ps de Maria.

Beata Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevaes Espirituais, 15

   

   Construir a casa sobre rocha

Feliz aquele que vive nesta terra unido a Deus,
observando a Sua Lei,
realizando os deveres do prprio estado,
aceitando as penas
com confiana no divino socorro.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Cartas Famlia, 13

   

   O bom combate

Recordemos sempre
que no obteremos nada na vida de santidade
seno combatendo.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Bilhetes escritos Irm Teresa Crucificada de Jesus. 4

   

   Querer o que Deus quer

Quando comeares a orao,
prepara-te com um acto de unio.
uma coisa muito simples.
querer o que Deus quer
e no querer o que Ele no quer.
abrir- Lhe o corao
e oferecer-se e dispor-se
a quanto exija de ti.
como tenho dito,
querer simplesmente o que Deus quer.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 42, 1

   

   Senhor, eis-me aqui!

Se se desperta na alma
o desejo da vida religiosa,
como se o Senhor pedisse a sua mo em casamento,
e se ela se consagra a Ele atravs dos votos ()
como se se antecipasse a festa
das bodas celestiais.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
As Bodas do Cordeiro

   

   Dar gosto a Jesus

No posso dizer
que tenha recebido muitas vezes consolaes
durante as minhas aces de graas;
talvez o momento em que menos as tenho...
Acho muito natural,
j que me ofereci a Jesus,
no como uma pessoa
que deseja receber a Sua visita
para consolao prpria,
mas, pelo contrrio,
para dar prazer quele que se d a mim.

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito A, 79 v

   

   Vencer a natureza

Bem-aventurados aqueles
a quem Vs dais a graa
de vencer a natureza.
Bem-aventurados aqueles
a quem dais a fora
de cumprir a Vossa vontade.
Como vejo ser to grande
a necessidade de rezar
pelas almas agitadas pelas tempestades
desencadeadas pela natureza:
esta natureza capaz dos divertimentos mais vis,
e das maiores destruies.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Autobiografia, p.298 - 299

   

   Olhai para Ele e falai-Lhe

Procurai trazer uma imagem deste Senhor,
que seja a vosso gosto,
no para traz-la no seio
e nunca olhar para ela;
mas para falar com Ele,
que Ele vos dir o que haveis de Lhe dizer.
Se falais com outras pessoas,
porque vos ho-de faltar palavras
para falar com Ele?

Santa Teresa de Jesus | 1515 1582
Caminho 26,9

   

   Viver buscando-Te para Te dar aos meus irmos.

Sim,
procurar o bom Deus no silncio do todo o criado,
lanar-se nos Seus braos amorosos
sem querer ver quanto acontece minha volta:
e, se aqui em baixo h verdadeiras alegrias desconhecidas,
nisto as encontra o meu corao.

Beata Elias de S. Clemente | 1901 1927
Carta 46. A Padre Elia. 30-06-1924.

   

   Unio entre Deus e o homem

Existe uma unio entre Deus e o homem,
e esta unio
o mais alto e o ltimo fim da existncia humana,
a beatitude e a perfeio do homem.
Na essncia divina no muda nada,
mas a essncia individual do homem
alcana a sua perfeio
atravs desta unio transformante.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 1942
Obras.

   

   A hora da f

A hora da f
toda a hora da nossa vida.
Toda a nossa vida
uma vida de f.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferncias 04.12.1966

   

   Andar na presena de Deus

Dar-nos conta da presena de Deus:
pensar que Deus e o nosso Anjo da Guarda
esto junto de ns
e vem o que fazemos
e as intenes com que operamos.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 8

   

   Louvor de glria

Um louvor de glria uma alma de silncio
que permanece como uma lira
sob o toque misterioso do Esprito Santo,
a fim de que Ele dela possa extrair
harmonias divinas;
e sabe que o sofrimento
como uma corda
que produz sons ainda mais belos,
tambm o amando ver no seu instrumento,
para mais deliciosamente
mover o Corao do seu Deus.

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
O Cu na terra, 43

   

   Inflamar a vontade!

Na orao h muitos graus e modos
O primeiro a meditao,
que consiste em reflectir
sobre uma verdade.
O essencial da orao
inflamar a vontade no amor de Deus;
depois de se conseguir isso,
tem-se fora para praticar a virtude.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 138

   

   Senhor, quero-Te s a Ti!

Todo o conhecimento que se possa ter de Deus nesta vida,
por grande que seja,
no um conhecimento real,
mas parcial e muito distante.
O conhecimento verdadeiro o da Sua essncia,
aquele que a alma aqui pede
por no se contentar com essas outras comunicaes.
Por isso, diz imediatamente:
No queiras enviar-me mais nenhum mensageiro.
como se dissesse: []
a partir de hoje
no queiras enviar-me estas notcias remotas.
Se at aqui me contentava com elas,
era porque no Te conhecia
nem amava tanto,
mas a grandeza do amor que agora tenho
no se pode contentar com estes recados.
Vem, pois, entregar-Te!

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico Espiritual. 6, 4-5

   

   O orgulho e a humildade

Vi que o orgulho a fonte de todos os pecados
e a humildade a fonte,
o fundamento de todas as virtudes.
O orgulho fez com que se perdesse o Anjo mais belo:
ele caiu por orgulho
Se se tivesse humilhado
tudo aquilo que tinha
ter-se-ia tornado ainda mais belo;
o orgulho fez dele um demnio.
Se Ado e Eva depois de terem pecado
se tivessem humilhado,
teriam obtido o perdo.
O orgulho perde-nos a todos;
pelo orgulho a vontade do homem
revolta-se contra Deus.

   

   Humildade

Com os humildes
Deus faz grandes coisas.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Perfeio carmelitana, 49

   

   Abrir-nos a Deus!

Basta ter fechadas as portas de fora
e a partir da
parece-me que a alma e o corao
no podem dirigir-se seno para Deus,
que o seu centro,
e Ele,
que o princpio do nosso agir,
ajuda a tudo fazer
depressa e bem.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinrio, 36

   

   No valorizar a tristeza sem causa.

Quando te sentires inquieta, triste,
com pena,
amargurada,
procura a causa e,
se no merece a pena,
como no merece tudo
o que no ofensa a Deus,
deita fora essa inquietao;
e se no vs causas,
se te sentes inquieta,
descontente sem causa,
ento sofre, tem pacincia,
deixa passar aquela hora de febre espiritual
e a calma interior voltar.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 38, 8

   

   Deus d-me a coragem

Deus d-me a coragem
na proporo dos meus sofrimentos.
Sinto que, de momento,
no poderia aguentar mais,
mas no tenho medo,
porque se eles aumentarem,
Deus aumentar ao mesmo tempo a minha coragem.

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Ultimas Palavras e Recordaes, 15 de Agosto, 6

   

   Ser santo

Desejo ardentemente
viver da vontade de Deus;
sei que desta maneira que se fazem os santos
e eu quero ser santa
para dar glria a Deus

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Dirio I, p. 10

   

   Tu ests comigo

Quem comeou a ter orao no a deixe,
pois o meio
por onde pode tornar-se a remediar
e, sem ela,
ser muito mais dificultoso.

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Vida 8, 5

   

   Deus to bom!

Coragem, boa mam,
confia tudo a Jesus.
Ele, que to bom,
saber compreender-te
e consolar-te.

Beata Elias de S. Clemente | 1901 1927
Carta 64, a Pasqua Cianci, sua Me, Janeiro de 1925

   

   A vontade de Deus

O que cumpre a vontade de Deus
aprende a conhecer o Esprito Divino,
a vida divina,
o amor divino;
e tudo isto no outra coisa
seno o prprio Deus.
Com efeito ao realizar com a entrega mais profunda
o que Deus exige dele,
a vida divina faz-se a sua prpria vida interior:
encontra Deus em si mesmo,
quando entra em si.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 1942
Ser Finito e Ser Eterno

   

   A maior alegria

A maior alegria de Deus
que Ele pode ter pelas Suas criaturas
a de poder difundir a Sua vida nelas,
derramar o Seu Amor
e a Sua Misericrdia.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e conferncias. 07.04.1966

   

   Jesus ora por ns ao Pai

Jesus Cristo, na Sua orao,
rogou tambm por ns:
No rogo somente por estes,
mas tambm por aqueles que, pela sua palavra,
ho-de crer em Mim.
E ns temos a felicidade
de ser do nmero daqueles que,
pela palavra dos Apstolos
que nos foi transmitida pelos seus sucessores,
acreditam no Senhor,
pelo que Cristo tambm rogou ao Pai por ns.
Sinto-me to feliz quando penso
que Ele me tinha presente
no momento em que dirigiu ao Pai esta orao:
que pensou em mim
e me apresentou ao Pai como filha do Seu amor!

   

   Deus est presente

Ver com os olhos ou a fora imaginativa
no so suficientes para a unio com Deus.
Tudo isto pode faltar, e, no entanto,
pode-se ter a certeza interior
de que Deus quem fala.
Esta segurana apoiar-se-ia no sentimento
de que Deus est presente;
se se sente tocado por Ele no mais profundo.
A isto o que, em sentido prprio,
chamamos experincia de Deus.

Santa Teresa Benedicta da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Obras 478

   

   Com a minha mo na Tua

Fazer a nossa orao com f e ateno,
evitando, quanto nos seja possvel, as distraces;
com respeito,
dando-nos conta de que estamos a falar com Deus;
faz-la com confiana e amor,
porque estamos a tratar com Aquele
que sabemos que nos ama
e quer ajudar a nossa fraqueza,
como um pai que d a mo ao filho
pequenino, para o ajudar a caminhar.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 9

   

   Um acto de f enternece a Deus.

[]Este acto de f que ns fazemos
atravs da obscuridade,
humilhando a nossa inteligncia,
reconhecendo simplesmente as suas dimenses
e aquilo que ela ,
faz estremecer o Corao de Nosso Senhor.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferncias, 16.10.1966

   

   Permanecer em Ti, Senhor!

Permanecei em mim.
o prprio Verbo de Deus que d esta ordem,
e que exprime esta vontade.
Morai em mim,
no por alguns instantes,
algumas horas que tm de passar,
mas morai...
num modo permanente, habitual.
Permanecei em mim,
orai em mim,
adorai em mim,
amai em mim,
sofrei em mim,
trabalhai,
agi em mim.
Permanecei em mim
quando vos apresentardes a qualquer pessoa
ou fizerdes qualquer coisa,
penetrai sempre cada vez mais nesta profundidade.
Esta , ento, verdadeiramente,
a solido, a que Deus quer atrair a alma para lhe falar,
como o cantava o profeta.

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
O Cu na terra, 3

   

   Procuro-Te, Senhor!

Busquemo-Lo [ao Senhor]
por meio dos sacramentos.
Nosso Senhor no-los deixou
para nos unirmos mais Sua divina Pessoa.
Comunguemos o mais frequentemente possvel
para O amarmos mais.
Quem se aproxima do fogo aquece-se.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 96

   

   A alegria do corao s Tu!

de saber que a ausncia do Amado
provoca no amante um gemido permanente,
porque, ao no amar nada seno a Ele,
em nada se apoia e [em nada] encontra alvio.
Nisto se conhece quem ama verdadeiramente a Deus:
no se satisfaz com nada que no seja Ele.
E, porque que digo no se satisfaz?
Porque, mesmo que venha a possuir tudo,
nunca andar contente;
e, quanto mais possuir [de outras coisas],
mais triste se sentir.
Na verdade, a alegria do corao
no consiste em possuir coisas,
mas em desprender-se de todas elas
e na pobreza de esprito.

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico Espiritual, 1, 14

   

   Rei de humildade e amor!

Senhor meu!
meu Rei!
Quem soubera representar agora
a Majestade que tendes!
impossvel deixar de ver que,
por Vs mesmo, sois grande Imperador.
Espanta ver esta majestade;
mas mais espanta, Senhor meu,
o ver com ela a Vossa humildade
e o amor que mostrais a uma como eu.

   

   Senhor, desce minha casa!

O humilde pode tudo,
porque se apoia em Deus
e nEle confia.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Perfeio Carmelitana, 49

   

   Maria: alimento e repouso

Me querida
A minha comida, o alimento que tomo,
ver-Te Me querida.
A gua que bebo para refrescar a minha alma
amar-Te, Me querida
Amando-Te, alcano a vida:
amando-Te, eu me refresco.
O repouso que tomo,
o de procurar-Te noite e dia

Beata Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevaes espirituais, 16

   

   S Deus basta!

Em todas as provas
devemos encontrar em Deus
o nosso sustento.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinrio, 72

   

   A unio com Deus conduz ao amor do prximo

Unida a alma com Deus por amor,
a caridade auxiliada de todas as virtudes
e das graas e dons do Esprito Santo,
opera na alma o amor ao prximo.
Opera, digo,
e ordena-o
e ordenadas todas as foras
e virtudes da alma
ao bem dos outros,
esse amor ordenado
produz com suavidade
frutos maduros, doces e saudveis.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 37

   

   O amor vence o inferno

Sim, se por impossvel
se pudesse amar a Deus no inferno,
e que Ele me quisesse l meter,
eu no me importaria,
porque Ele estaria comigo
e a Sua presena,
do inferno me faria um Paraso.
A Ele me abandono,
e Ele far de mim o que quiser.

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 - 1691
A prtica da presena de Deus, III, 10

   

   Tudo recebemos das mos de Deus

No sendo meus os bens c de baixo,
no devia achar difcil nunca os reclamar
se alguma vez mos tirassem.
Os bens do Cu ainda me pertencem menos,
pois so-me emprestados por Deus,
que mos pode retirar,
sem que eu tenha o direito de me queixar
Posso dizer que Jesus me deu a graa
de no estar mais apegada
aos bens do esprito e do corao
que aos da terra.

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito C, 18 v, 19 r

   

   O Senhor ama-vos demasiado!

O Senhor ama-vos demasiado
e repousa no vosso corao.
No entanto, Ele quer que O rodeemos
com as flores da pacincia,
da caridade
e da abnegao.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
porta da Tenda, n 312

   

    Filho de Deus e Senhor meu!

J que Vos humilhais em to grande extremo
at juntar-Vos connosco a pedir,
e fazer-Vos irmo de coisa to baixa e miservel,
como que ainda nos dais,
em nome de Vosso Pai,
tudo o que se pode dar,
pois quereis que nos tenha por filhos?

Santa Teresa de Jesus | 1515 1582
Caminho 27,2

   

   Fao de tudo a minha alegria!

No procuro outra consolao sobre a terra,
porque a paz do Senhor
mora no meu corao,
possuo-a sempre
e faz-me sorrir em cada acontecimento
Sou verdadeiramente feliz
e fao sempre a Sua vontade,
porque em tudo aquilo que me acontece
procuro ver o lado belo,
a santa vontade de Jesus,
meu nico amor
Fao de tudo a minha alegria

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 44

   

   Intensidade de uma Presena

Que insignificantes parecem os conflitos
com que antes se tinha de lutar!
E que abundncia de vida
com sofrimento e alegrias,
como o mundo no conhece nem pode conhecer,
contm um s dia,
quase insignificante visto de fora,
tendo tudo isto em si e ao redor de si,
se se acha com pessoas que s vem a superfcie,
e vive como um deles, sem que ningum o note.

Santa Teresa Benedicta da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Carta 167

   

   s meu Pai!

O mistrio da paternidade divina
confirma-nos na verdade
de que todos somos filhos do mesmo Deus;
esta verdade, confirmada por Jesus Cristo,
de que Deus nosso Pai,
enche-nos de confiana e fortifica-nos no amor,
porque quem jamais nos amou como Deus?
Por isso, a nossa orao
deve ser o encontro do amor do filho
que vai fundir-se no corao do Pai,
e o amor do Pai que Se inclina para o filho,
escuta as palavras do filho,
ouve os seus rogos,
os seus louvores,
os seus agradecimentos,
e atende os seus pedidos.

Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 8
Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 2005

   

   Deixar o Esprito Santo agir

Aquele que reza perfeitamente
aquele que deixa rezar o Esprito Santo nele,
aquele que deixa que o Esprito Santo gema,
aquele que se deixa mover por Ele,
aquele que se entrega a Ele com a sua vontade,
toda a sua alma,
para que o Esprito p
ossa fazer nele aquilo que Ele quer.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Eu rezei por ti, pg. 56

   

   Fonte de alegria

medida que se conhece este Deus-Homem
amamo-Lo at loucura.
Queria que tu O conhecesses
para que te enamorasses verdadeiramente
Como no amar Jesus com toda a alma?
Ele que a Beleza incriada;
Ele que a Sabedoria eterna;
Ele que a Bondade,
a Vida,
o Amor.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 136

   

   A f e o amor andam juntos

Fica-te dito, alma,
o modo que mais te convm
para achares o Esposo em teu esconderijo.
Mas, se quiseres que to diga outra vez,
atende a esta palavra cheia de substncia
e verdade inacessvel:
busca-O em f e amor,
sem te quereres satisfazer em coisa alguma,
nem possu-la
ou entender mais do que deves saber,
pois os dois so os moos de cego
que te ho-de guiar por onde no sabes
at ao esconderijo de Deus.
A f, que o segredo de que falmos,
so os ps que levam a alma at Deus;
o amor o guia que a encaminha.

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico Espiritual. 1, 12

   

   Louvor de glria

Enfim, um louvor de glria
um estar em contnua aco de graas.
Cada um dos seus actos,
dos seus movimentos,
cada um dos [seus] pensamentos,
das suas aspiraes,
ao mesmo tempo
que a enrazam mais profundamente no amor,
so como um eco do Sanctus eterno.

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
O Cu na terra, 43

   

   Igreja

A presena da Igreja vivifica tudo,
lava tudo,
e tudo glorifica e salva.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Minhas Relaes com a Igreja

   

   Nos sofrimentos

Para conservar a pacincia na provao,
considerai Jesus sobre a Cruz.
Todos O injuriavam,
todos mofavam dEle e das Suas dores;
Ele suportava tudo em silncio.
Tudo passa.
Nos vossos sofrimentos pensai
que glorificais a Deus.
Nesta terra o Senhor faz tudo por vs;
sofrei tudo por Ele.
Pensai sempre que Nossa Senhora
ser a vossa Me.
Pensai tambm que
depois das penas e das humilhaes
estareis no Paraso.
Oh, qual no ser ento a vossa glria,
a vossa alegria!...

Beata Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevaes espirituais. 37

   

   A humildade

No te apoies em ti prprio;
no teu juzo, nos teus pensamentos,
naquilo que fizeste ou que fars.
Sejam humildes os teus pensamentos,
humildes as tuas palavras,
as tuas maneiras,
as tuas aces
e ama as coisas humildes.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Perfeio Carmelitana, 48

   

   Desejo amar-Vos

Desejo amar-Vos com um amor paciente,
com um amor todo abandonado a Vs,
com um amor operante,
em suma,
com um amor firme e sem divises
e, o mais importante,
perseverante.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Escritos Vrios, 7

   

   As virtudes crists

A sociedade humana
para poder caminhar para o seu destino [para Deus]
no tem outro caminho
seno aquele que foi fixado pelo Seu Criador,
ou seja, o das virtudes crists

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
A Escola da Virtude Vindicada

   

   Ama

Ama,
ama sempre,
ama muito!
Que tudo te leve a amar sempre mais
o teu Deus.
Na eternidade amars
com aquele amor que se encontrar em ti
na hora da tua morte.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias, 50

   

   Viver de Deus com todos os santos

Vivei de Deus
e da Sua divina Presena
e em muito breve tempo
sereis perfeito!

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias, 51

   

   Como grande a Tua misericrdia!

Ah! meu Irmo, como a bondade,
o amor misericordioso de Jesus
so pouco conhecidos!...
verdade que para gozar destes tesouros,
preciso humilhar-se,
reconhecer o seu nada,
e o que muitas almas no querem fazer,
mas, meu Irmozinho,
no assim que procedeis,
por isso o caminho da confiana
simples e amorosa
bem indicado para vs.

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 261

   

   Encontrar a verdade e a paz.

Quem ama a Deus
encontra a verdade
e a paz.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Conselhos 4, 21

   

   Os Vossos deleites so com os filhos dos homens

Quando considero como dizeis
que os vossos deleites so com os filhos dos homens,
muito se alegra a minha alma.
Oh Senhor do cu e da terra,
que palavras estas para no desconfiar nenhum pecador!
Aquela voz que se ouviu
quando no baptismo diz
que vos deleitais com o vosso Filho.
Pois temos de ser todos iguais, Senhor?

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Vida 22, 7

   

   Olhar para Jesus

Quem poder alguma vez explicar-me
a delicadeza deste desapego absoluto do corao
operado pela mo do bom Deus sobre a minha alma?...
Desde tenra idade,
Jesus com arte de Mestre
trabalhava no meu pequeno e conquistado corao,
Ele pedia-me a renncia a tudo
a satisfaes temporais, a alegrias espirituais
Sim, eu dei-Lhe tudo com amor
e desfolhei sem reserva
as flores passageiras desta vida mortal.

   

   A orao o trato da alma com Deus

A orao o trato da alma com Deus.
Deus amor, e amor bondade
que se oferece a si mesma;
uma plenitude existencial que no se encerra em si,
mas que se derrama
que se quer dar e fazer feliz.
A esse transbordante amor de Deus
deve toda a criao o seu ser. []
A orao a faanha mais sublime
da qual capaz o esprito humano.
Ela no apenas conquista humana.
A orao como a escada de Jacob,
pela qual o esprito humano sobe at Deus,
e a graa de Deus desce aos homens.

Santa Teresa Benedicta da Cruz (Edith Stein) | 1891 1942
Obras 314

   

   A eficcia da orao

Como Jesus Cristo nos disse
que, sem Ele, nada podemos fazer de bom (Jo 15,5),
tomemos como fora a orao,
por meio da qual Deus nos conceder a graa precisa
para compreendermos os Seus mandamentos,
saber cumpri-los
e merecer assim o auxlio do Seu amor paternal:
Pedi e dar-se-vos-; procurai e encontrareis;
batei a abrir-se-vos-.
Pois, quem pede recebe;
e quem procura encontra;
e ao que bate abrir-se-. (...)
Se vs, sendo maus, sabeis dar
coisas boas aos vossos filhos,
quanto mais o vosso Pai que est nos Cus
dar coisas boas queles que Lhas pedirem (Mt 7,7-8.11).
Esta a promessa que nos inspira a confiana na orao
e nos certifica da sua eficcia.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 8

   

   A vida eterna

A vida eterna,
aquela que ns gozaremos no Cu,
a mesma vida que ns comeamos aqui na terra,
pelo caminho espiritual
e que consiste
em conhecer Deus
e Aquele que Ele enviou,
Jesus Cristo.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
O Teu Amor cresceu comigo, p.145

   

   Sacerdote do Amor

J que sois o Sacerdote do Amor
venho pedir-vos para me consagrardes a Ele
amanh na Santa Missa.
Baptizai-me no Sangue do Cordeiro
a fim de que, virgem de tudo o que no Ele,
eu no viva seno para amar
numa paixo sempre crescente,
at jubilosa unidade
a que Deus nos predestinou
no Seu querer eterno e imutvel.

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 234

   

   A alma unida a Deus diviniza-se.

A alma unida a Deus
diviniza-se de tal modo
que chega a pensar, a desejar e a agir
em conformidade com Jesus Criso.
H alguma coisa maior do que Deus?
H alguma coisa maior
do que uma alma divinizada?
No esta a mxima grandeza
qual o homem pode aspirar?

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 40

   

   Esconder-me para Te encontrar

Ento, alma formosa,
sabendo que em teu seio mora escondido
o teu desejado Amado,
procura esconder-te bem com Ele,
e em teu seio O abraars
e sentirs com afectuoso amor.
Repara que Ele te chama para esse esconderijo
por meio de Isaas:
Vai, entra nos teus aposentos,
fecha as tuas portas por dentro,
isto , todas as tuas potncias s criaturas,
e esconde-te por um momento (Is 26, 20),
quer dizer, por este momento da vida temporal.
alma, se durante esta vida to breve
guardares com cautela o teu corao,
como diz o Sbio (Pr 4, 23),
de certeza que Deus te dar
o que mais adiante anuncia tambm por Isaas:
Dar-te-ei tesouros escondidos,
e mostrar-te-ei a substncia
e os mistrios dos segredos (Is 45, 3).
Essa substncia dos segredos o prprio Deus.

S. Joo da Cruz | 1542 1591
Cntico Espiritual, 10

   

   O mar da misericrdia de Deus

Senhor,
eu sou negra,
mais negra do que o carvo;
mas a Tua misericrdia,
que maior do que o mar,
lavar-me-.
Se todos fossem beber e lavar-se no mar,
o mar no se esgotaria, nem se sujaria.
Senhor, Tu s este Mar.
Muitos Te desejam, mas so cegos;
no sabem nem procurar-Te,
nem ver-Te,
nem encontrar-Te;
as trevas os cegam.
Tambm eu, Senhor, sou deste nmero.

Beata Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevaes Espirituais, 3

   

   Encerra o teu corao nEle

Onde est o teu tesouro,
a est o teu corao.
Jesus, o teu tesouro,
sentado direita do Pai,
vive no santo Tabernculo.
Encerra a o teu corao,
pe no Cu o teu pensamento.
No querias saber mais nada,
nem procurar seno as coisas celestes.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 50

   

   No perder o nimo

Esforcemo-nos
por fazer tudo o que possvel
da nossa parte
e no percamos o nimo,
porque o nosso Amor
nos dar aquilo que nos falta.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Bilhetes escritos Irm Teresa Crucificada de Jesus, 16

   

   Prticas necessrias para adquirir a Vida Espiritual.

Que pode haver de mais agradvel a Deus
que deixarmos assim,
mil e uma vezes por dia,
todas as criaturas para,
retirados interiormente,
O adorarmos,
pois que destruir o amor-prprio
que s pode subsistir entre as criaturas,
das quais, esses regressos interiores a Deus,
nos desembaraam insensivelmente?

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 - 1691
A prtica da presena de Deus. VIII, 4a

   

   O amor de Deus rouba-me o corao.

A alma olha para Deus sob dois aspectos ou formas.
Primeiro,
como objecto de todos os seus afectos,
ou seja, como um ser infinitamente bom e amvel.
Esta figura, rouba-lhe o corao
que, enquanto bom e infinitamente belo,
isto ,
infinitamente perfeito,
toma e rouba a sua vista intelectual,
seus pensamentos e meditaes.
Sob este aspecto
as virtudes teologais e os seus dons
fazem que Deus e a alma sejam uma s coisa
por amor e pureza de pensamentos.
E enquanto na alma se realiza
primria e principalmente
esta divina unio,
todas as outras virtudes so auxiliares,
servas e exrcitos
que custodiam e servem de defesa neste trabalho.
Isto o amor de Deus para com a alma
e o amor da alma para com Deus.

Beato Francisco Palau | 1811 1872
Carta 38

   

   Orar por a vida nas mos do Pai

J lhe dei o meu conselho:
ser como uma criana
e pr a vida com toda a intensidade
nas mos do Pai.
Se mesmo assim,
no for possvel alcanar isto:
pedir, pedir ao Deus posto em dvida e desconhecido,
que seja Ele quem o ajude.

Santa Teresa Benedicta da Cruz (Edith Stein) | 1891 1942
Edith Stein, Carta 60

   

   Para Vs nasci!

Vossa sou, para Vs nasci,
Que quereis Senhor de mim?

Soberana Majestade,
eterna sabedoria,
bondade para a alma minha;
Deus sublime, suma bondade,
Olhai a grande vileza
que hoje nos canta amor assim:

Que quereis, Senhor, de mim?
Vossa sou, pois me criastes,
vossa, pois me redimistes,
vossa, pois me sofrestes,
vossa, pois me chamastes,
vossa, porque me esperastes,
vossa, pois no me perdi:
Que quereis, Senhor, de mim?

Que mandais, pois, bom Senhor?
que faa to vil criado?
que ofcio lhe haveis dado a este escravo pecador?
Eis-me aqui meu doce Amor, doce Amor, eis-me aqui:
Que quereis Senhor de mim?

Eis aqui meu corao,
eu o ponho em Vossas palmas,
meu corpo, a vida, a alma,
o meu ntimo e afeio;
doce Esposo e redeno,
pois por Vs eu me ofereci:
Que quereis, Senhor, de mim?

   

   O Pai deleita-Se contigo!

Goza do bem que te foi dado,
que muito grande;
Meu Pai deleita-Se contigo
e o Esprito Santo ama-te.

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Contas de Conscincia, 10

   

   Venho fazer-Te companhia!

muito boa companhia o bom Jesus
para no nos afastarmos dela
e de Sua sacratssima Me.

Santa Teresa de Jesus | 1515 1582
Moradas VI 7,13

   

   S o amor d valor a tudo!

Lembro-me algumas vezes
da queixa daquela santa mulher, Marta,
que no se queixava s de sua irm,
antes tenho por certo que seu maior sentimento
era por lhe parecer que no Vos doeis, Senhor,
do trabalho que ela passava,
nem se vos dava nada que no estivesse convosco.
Pareceu-lhe, porventura,
no era tanto o amor que lhe tnheis
como a sua irm.
Isto devia-lhe fazer mais pena
do que servir a Quem ela tinha tanto amor,
pois este [servir]
faz ter o trabalho por descanso.

   

   Somos morada de Deus.

Mas como poderemos ns cantar
os cnticos do Senhor numa terra estrangeira?...
H muito que as nossas harpas
esto penduradas nos salgueiros das margens,
j no saberamos servir-nos delas!...
O nosso Deus,
o hspede da nossa alma
bem o sabe,
por isso Ele vem a ns
com a inteno de encontrar uma morada,
uma tenda VAZIA
no meio do campo de batalha da terra.
No pede seno isto
e Ele mesmo o Msico Divino
que se encarrega do concerto...
Ah! se ouvssemos essa inefvel harmonia,
se chegasse aos nossos ouvidos uma s vibrao!...

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 1897
Carta 511

   

   Optar pelo Amor

Oh! Se pudesse por um instante
sentir-te cheio de felicidade,
como eu me sinto!
Acredita que me pergunto a cada momento
se estou no cu,
pois vejo-me envolvida numa atmosfera divina de paz,
de amor, de luz
e alegria infinitas.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 96

   

   Santidade: dom de Deus e adeso nossa

A santidade no depende dos homens,
mas da graa de Deus
e da correspondncia da nossa vontade.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 1948
Dirio II, p.37

   

   A pobreza espiritual

A pobreza espiritual
a experincia mais frequente
e a mais constante de Deus,
ao mesmo tempo
que o ndice revelador
das mais altas vias msticas.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
O teu Amor cresceu comigo, pg. 166

   

   A Virgem modelo

A Virgem,
que guardava no seu corao
a Palavra de Deus,
modelo daquelas pessoas atentas
nas quais revive continuamente
a orao sacerdotal de Jesus.
E o Senhor escolheu de preferncia a mulheres
que como ela se esqueceram completamente de si mesmas
para se submergir na vida e na paixo de Cristo,
para que fossem seus instrumentos
na realizao de grandes obras na Igreja.

Santa Teresa Benedicta da Cruz (Edith Stein) | 1891 1942
Edith Stein, Obras 404

   

   Muito se alegra a minha alma!

Esperana minha e meu Pai
E meu Criador
E meu verdadeiro Senhor e Irmo!
Quando considero em como dizeis
Que as Vossas delicias
So com os filhos dos homens,
Muito se alegra a minha alma.

Senhor do Cu e da terra!
Que palavras estas
Para no desconfiar nenhum pecador!
Falta-Vos, porventura, Senhor,
Com quem Vos deleiteis,
Que buscais um vermezinho
De to mau odor como eu?

Aquela voz que se ouviu no Baptismo do Jordo,
Disse que Vos deleitveis em Vosso Filho.
Pois, havemos de ser todos iguais, Senhor?

Oh! Que grandssima misericrdia
E que favor sem que o possamos merecer!
E que tudo isto esquecemos ns os mortais!

Lembrai-Vos, Deus meu, de tanta misria,
E vede a nossa fraqueza,
Pois de tudo sois sabedor.

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
VII Exclamao

   

   Quando vos quero ver

Quando vos quero ver a todos
corro ao Tabernculo
e, ali,
aos ps do Amor Eucarstico,
encontro-vos sempre
em Jesus, ns vivemos
e nos amamos

Beata Elias de S. Clemente | 1901 1927
Carta 31. A Giuseppe Fracasso. 29-07-1923

   

   Abandonar-se graa sem reservas

Abandonar-se graa sem reservas.
o afastamento mais decisivo da alma de si mesma,
o abandono mais incondicional.
Mas para se poder abandonar deste modo,
tem que enraizar-se fortemente,
deixar-se abraar pelo centro interior
com tal fora
que j no se pode perder;
o abandono o acto mais livre da liberdade.
Aquele, que totalmente despreocupado de si,
da sua liberdade e individualidade,
se entrega graa
adentra-se nela completamente livre
e sendo totalmente ele mesmo.
V-se ento a impossibilidade de encontrar o caminho
enquanto se tenha o olhar posto em si mesmo.

Santa Teresa Benedicta da Cruz (Edith Stein) | 1891 1942
Edith Stein, Obras VI, 156

   

   Basta-me a Tua graa!

Sabemos bem como somos fracos de vontade
e quanto necessitamos da fora da graa
para conseguirmos vencer as tentaes que nos assaltam,
os perigos que nos cercam
e as tendncias que nos inclinam para o mal.
Por isso, Jesus Cristo nos ensinou a pedir ao Pai:
No nos deixeis cair em tentao.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 8

   

   Como agradecer tanto amor?

No poderei agradecer bastante [a Jesus]
ter-me escolhido para Sua confidente,
a consoladora do Seu Corao.
Sim, com o meu amor,
com as minhas atenes,
com os meus sacrifcios,
quero fazer-Lhe esquecer todas as Suas dores.
Quero am-Lo por todos os que no O amam,
quero reconduzir a Ele as almas
que Ele tanto amou.

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Dirio - 12 de Fevereiro de 1899

   

   Como o Senhor bom e misericordioso

minha Madre, nunca experimentei to bem
como o Senhor bom e misericordioso.
Ele no me enviou este sofrimento
seno no momento em que tive a fora para o suportar;
se o tivesse tido mais cedo,
creio bem que teria mergulhado no desnimo...
Agora ele retira-me
tudo quanto pudesse haver
de satisfao natural no desejo que tinha do Cu.
Carssima Madre,
parece-me que agora nada me impede de levantar voo,
pois j no tenho outros desejos grandes,
excepto o de amar at morrer de amor.

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito C 7v,

   

   Procurar o Tesouro escondido

Mas tambm perguntas:
Ento, se Aquele que a minha alma ama est em mim,
porque que no O encontro nem O sinto?.
A razo disso que Ele est escondido,
e tu no te escondes para O encontrar e sentir.
Quem quiser encontrar uma coisa escondida,
h-de penetrar escondido no lugar onde ela est escondida;
ao encontr-la, fica to escondido como ela.
Portanto, uma vez que o teu Amado
o tesouro escondido no campo da tua alma,
pelo qual o sbio comerciante entregou tudo (Mt 13, 44),
convir que tu, para O encontrar,
esquecidas todas as tuas coisas
e alheando-te de todas as criaturas,
te escondas no teu refgio interior do esprito e,
fechando atrs de ti a porta,
isto , a tua vontade a todas as coisas,
ores a teu Pai em segredo (Mt 6, 6).

   

   Curar as chagas do prximo

Em vez de procurar reabrir a chaga,
deitando-lhe vinagre,
necessrio, pelo contrrio,
procurar ado-la e cur-la
com o azeite da caridade
e reparar a sua culpa
com mais amor e fidelidade ao Senhor.

Beata Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevaes espirituais, 34

   

   Sair de si ao encontro do outro

No te contentes em fazer o bem,
mas junta a isso
a doura,
a amabilidade,
como fez Jesus.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos, Poesias, 58

   

   Fazer tudo por Jesus!

Se a minha humanidade
se encontra menos forte e resoluta
para realizar qualquer coisa de difcil ou de rduo,
costumo incitar-me a faz-lo
com este pensamento:
O meu Jesus no o fez tambm por mim?.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Pensamentos, 189

   

   A minha alma louva o Senhor

Alegra-te, alma minha,
Que h quem ame a Deus como Ele merece.
Alegra-te,
Que h quem conhea a Sua bondade e valor.
D-Lhe graas, porque nos deu na terra
Quem assim O conhece
como Seu Filho nico.

   

   O sorriso de Deus

Mas o que poderei desejar-te?...
Quais so os meus votos para ti?...
Tu o sabes melhor que eu
por isso numa simples palavra encerro tudo
Que o bom Deus te sorria sempre neste vale de exlio
Compreendes quanto encerra esta suave palavra?...
um raio deste amvel sorriso
que torna fcil cada sacrifcio,
suave cada dor
Se o Senhor nos sorri
no sentimos nada como penoso,
pelo contrrio a nossa vida transcorrer alegre
e ser semeada de flores
Com o bom Deus no corao
lana-te no campo da sociedade,
combate pela glria do Senhor,
e a palma da vitria ser tua

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 60, a Saverio Centrone, 02.12.1924.

   

   O abandono a Deus

O abandono a Deus
consiste em libertar-se das prprias particularidades pessoais
com a finalidade de criar espao
para a presena e a aco de Deus.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 1942
Edith Stein, Obras v, 36

   

   Como importante orar!

Deus o nosso verdadeiro Pai;
devemos, por isso,
procurar encontrar-nos com Ele a ss,
para Lhe dirigirmos as nossas splicas,
os nossos agradecimentos,
os nossos protestos de fidelidade e amor;
para Lhe expormos as nossas dificuldades,
recebermos o Seu auxlio,
os Seus conselhos, a Sua luz, graa e conforto.
nesta orao, vivida em dilogo ntimo com Cristo,
que devemos preparar-nos para o desempenho da misso
que Deus nos quiser confiar,
porque neste encontro
que Deus nos comunica a luz, a fora e a graa,
com os dons do Esprito Santo.
S assim poderemos ser apstolos junto dos nossos irmos
e transmissores da Palavra de Cristo.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 8

   

   Como criancinhas

Deus espera que ns O amemos
como crianas
[e] que nos deixemos amar
como crianas muito pequeninas.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
O Teu amor cresceu comigo, p. 168

   

   Vinde a Mim

Nunca se deixe abater pelo peso das suas misrias
Parece-me que a alma mais fraca,
mesmo a mais culpvel,
a que bem mais pode esperar,
e aquele acto que ela faz de se esquecer
e se lanar nos braos de Deus
glorifica-O e d-Lhe mais alegria
que todos os movimentos de retorno dela sobre si mesma
e todos os exames que a fazem ainda viver com as enfermidades,
quando, afinal, possui no centro de si prpria
um Salvador que a todo o instante a quer purificar.

Beata Isabel da Trindade | 1880 1906
Carta 259

   

   s Tu o caminho da felicidade

Para mim inconcebvel que,
tendo desejos de ser feliz,
no busques a Jesus.
Depois de comungarmos temos tudo,
porque temos Deus,
que o nosso Cu no desterro.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 24

   

   Templos de Deus

Portanto, alma formosssima entre todas as criaturas,
que tanto desejas saber onde est o teu Amado
para te encontrares e unires a Ele,
j te foi dito que tu mesma s o aposento onde Ele mora,
o refgio e o esconderijo onde Se oculta.
Oxal seja motivo de grande consolao e alegria para ti
reconhecer que todo o teu bem e esperana
se encontram to perto de ti, melhor dizendo, to dentro de ti
que j no podes existir sem Ele.
Sabei, diz o Esposo,
que o reino de Deus est dentro de vs (Lc 17, 21).
E o apstolo S. Paulo, seu servo, diz:
Vs sois o templo de Deus (2 Cor 6, 16).

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico Espiritual. 1,6

   

   Confiar sempre!

Obrigada, meu Deus.
tanto melhor cair mil vezes,
para poder dizer duas mil vezes:
Espero em Ti, Senhor!
Olha para a minha fraqueza,
a minha misria;
s Tu s a minha fora.
Obrigada, obrigada
por me dares a conhecer e a sentir
aquilo que sou.
Prefiro isto aos milagres.
mais vantajoso para mim.
Quereria que todos me vissem cair.
Oh! Pobre orgulhosa como sou,
com quantas coisas alimentarei o meu orgulho?
Senhor, obrigada, de novo, obrigada!...

Beata Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevaes Espirituais, 21

   

   Delicia-Te no Senhor!

Bebe da Hstia santa
a pureza,
a vida!
Seja o teu Cu contempl-la,
mesmo no esprito.
Delicia-te no Senhor
e Ele te conceder aquilo que desejas.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias, 64

   

   Desejo de Amor

No se pode acreditar
que vida penosa seja o viver sem amor,
para quem arde de desejo deste amor.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Pensamentos, 19

   

   De p, junto Cruz

[A Rainha das Virgens] aprendeu
com o prprio Verbo
como devem sofrer aqueles
que o Pai escolheu como vtimas,
esses que resolveu associar grande obra da redeno,
os que conheceu e predestinou
para serem conformes ao seu Cristo,
crucificado por amor.
Ela a est, junto da Cruz,
de p,
forte e corajosa e eis o meu Mestre que me diz:
Ecce Mater tua, Ele d-ma por Me...
E, agora, que Ele voltou para o Pai,
que me ps a substitui-lo em seu lugar na Cruz
para que sofra no meu corpo o que falta Sua paixo,
por este Seu corpo, que a Igreja,
a Virgem a est ainda
para me ensinar a sofrer como Ele,
para me dizer,
para me fazer ouvir os ltimos cnticos da Sua alma
em que, a no ser ela, Sua Me,
ningum mais, pde reparar.

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
ltimo Retiro, 41

   

   A Cruz caminho da terra ao cu.

O mundo est em chamas. ()
Mas no alto, por cima de todas as chamas,
eleva-se a cruz.
Elas no podem queim-la.
Ela caminho da terra ao cu.
Quem a abraa com f,
com amor
e esperana
levado at ao Seio da Trindade.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 1942
Escrito para a Exaltao da Santa Cruz

   

   Me, ensina-me a rezar!

A Mensagem nos renova esta recomendao do Senhor:
Orai, orai muito!.
Este apelo a repetio da chamada orao
que tantas vezes nos foi dirigida por Deus
e que Jesus Cristo deixou aos Seus Apstolos
e a ns tambm,
nos ltimos momentos da Sua vida terrena:
Vigiai e orai.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 8

   

   Ter um s corao

Desejo que todas sejais
um s corao animado por um s esprito.
Ofereo-vos a Deus todos os dias
no santo sacrifcio
e apresento-vos no altar do sacrifcio
como um s corao.
Se todas formais um s corao,
se este corao est animado,
vivificado,
dirigido
e governado pelo Esprito de Deus,
com que abundncia derramar Deus
as Suas graas sobre vs!

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 7

   

   A orao que sempre atendida

minha Madre,
como so diferentes os caminhos
pelos quais o Senhor conduz as almas!
Na vida dos Santos encontramos muitos
que nada quiseram deixar deles para depois da morte,
nem a mais pequena recordao,
o mais pequeno escrito.
H outros pelo contrrio,
como a Nossa Madre Santa Teresa,
que enriqueceram a Igreja com as suas sublimes revelaes,
no temendo manifestar os segredos do Rei,
para que seja mais conhecido,
mais amado pelas almas.

   

   Serenidade

Para conservar a serenidade do esprito
indispensvel o exerccio da presena de Deus.
Com Deus presente agiremos com Ele
e a nossa aco ser,
sem dvida,
meritria e santa.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Conselhos. 5, 30

   

   Amar

O verdadeiro amante
em toda a parte ama
e sempre se recorda do Amado.

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Fundaes 5,16

   

   Ningum viu a Deus, como a Virgem

Ningum viu o Pai, diz-nos So Joo,
seno o Filho e aqueles a quem o Filho o quis revelar.
Parece-me que tambm se pode dizer:
Ningum penetrou o mistrio de Cristo na sua profundidade,
a no ser a Virgem.
Joo e Madalena viram bem longe neste mistrio,
So Paulo fala muitas vezes da inteligncia que dele lhe foi dada
e, contudo,
como todos os santos ficam na sombra,
quando se observa a lucidez da Virgem!...
Ela o inenarrvel,
[] o segredo que guardava e meditava no seu corao,
[e] que nenhuma lngua pde revelar,
nem pena alguma traduzir!

   

   O nada e o Tudo

Eu sou nada:
e o nada no se ofende,
nem pretende,
nem se perturba com nada.
Est persuadido da sua pequenez,
goza de Deus, que lhe basta

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Pensamentos, caderno 25

   

   No fundo da existncia

No fundo de toda a exigncia plena de sentido
que se apresenta alma com uma fora de obrigao,
h uma palavra de Deus.
No existe nenhum sentido
que no tenha no Logos a Sua ptria Eterna.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Edith Stein Ser Finito e Ser Eterno 459

   

   O segredo da felicidade

aqui que est
o segredo da felicidade,
na terra e no Cu:
no Amor!

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 1

   

   A aco de Deus sobre mim

A contemplao
no Deus sentido e saboreado,
a contemplao
a aco de Deus na alma,
quer se saboreie, quer no se saboreie.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e conferncias, 20.08.1957

   

   Escolher o belo e o bom

inato na criatura
o desejo de sobressair.
Mas se pensarmos de que servem esses triunfos sociais
que da noite para o dia se dissipam!...
O que fica de proveito
seno um orgulho secreto na alma?
No.
Nada disso serve,
pois s o que vale aqui na terra
aquilo que nos leva para Deus.
Ele o nico que poder encher
e satisfazer a tua alma.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 140

   

   Escondido com Cristo em Deus.

Se uma grande consolao para a alma
saber que Deus nunca a abandona,
mesmo quando em pecado mortal,
quanto mais no o ser
para a que vive em graa!
Ento, alma,
o que que desejas e procuras fora de ti,
se em ti que esto as tuas riquezas,
as tuas delcias, a tua consolao,
a tua riqueza e o teu reino,
ou seja, o teu Amado,
que a tua alma tanto deseja e procura?
E, j que O tens to perto,
goza e alegra-te com Ele no teu recolhimento interior.

   

   A vontade do Corao de Jesus

O meio para conservar a paz
o de no ter mais vontade prpria
e, em lugar da nossa,
pr a do Divino Corao
e deixar que ela queira por ns aquilo
que para Ele for o mais glorioso,
contentando-nos em nos subtermos
e nos abandonarmos.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Bilhetes Irm Teresa Crucificada de Jesus, 11

Foto: Santa Teresa Margarida de Redi que hoje celebramos

   

   A humildade

O orgulho
como um pequeno gro lanado gua:
incha, engrossa.
Exponde aquele pequeno gro ao sol, ao fogo:
seca, queima-se.
O humilde
como um pequeno gro lanado terra:
desce, esconde-se, desaparece, morre,
mas para reverdecer no Paraso.

Beata Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevaes Espirituais, 50

   

   A orao chega a todos!

A orao o meio soberano de apostolado:
s a orao chega a tudo e a todos;
s ela atrai com segurana a graa,
pois Jesus fiel
e prometeu tudo orao.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Exortaes e conferncias, 34

   

   Deus ama-te infinitamente!

Deus ama-nos muito mais
do que aquilo que ns podemos desejar.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 1770
Pensamentos, 12

   

   O Amor forte!

S a caridade,
amor verdadeiro e eterno,
nos pode dar os laos para nos unirmos nesta vida
e, se nos separarmos de Deus,
j no possvel a unio e a concrdia,
j no pode haver filiao espiritual verdadeira.

Beato Francisco Palau | 1811 1872
Carta 30

   

   A loucura do amor de Deus!

Jesus!
Deixa-me, no excesso da minha gratido,
deixa-me dizer-Te que o teu amor vai at loucura...
Como queres, perante tal loucura,
que o meu corao no se eleve para Ti?
Como poderia ter limites a minha confiana?...
Jesus, sou demasiado pequena para fazer coisas grandes...,
e a minha loucura esperar que o Teu Amor me aceite como vtima
Um dia, assim o espero, guia adorada,
virs buscar o Teu passarinho e,
subindo com ele para o Fogo do Amor,
mergulh-lo-s eternamente no ardente Abismo desse Amor,
ao qual se ofereceu como vtima...

   

   Afastar-se da mundanidade

Tal como um lugar solitrio
est mais apto a fazer sentir alma
a presena de Deus,
tambm o corao desapegado das coisas vs e transitrias,
um corao que vive longe das pompas mundanas,
est mais apto a acolher a brisa da graa divina.
A misso no mundo
no impede que se viva a vida
como se se estivesse numa ermida,
porque a verdadeira ermida
no est na solido do corpo,
mas no despojamento do corao,
de toda a vaidade.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Conselhos 3, 28

   

   Desculpar as culpas do outro

A Madre Teresa [Santa teresa de Jesus]
recomenda-vos a prtica constante da caridade.
Esta virtude to bela, to doce!
No recordeis nunca nem as culpas,
nem os defeitos das Irms.
Reservai para vs o mais difcil,
o mais penoso, para poder aliviar.
Pensai sempre bem das outras;
desculpai-as.
Se virdes uma Irm entornar o azeite,
pensai que est perdida em Deus
[por pensar em Deus se distraiu],
tomai pois um paninho para limpar o que se entornou

Beata Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevaes Espirituais, 33

   

   Tarde se incendiaram meus desejos

Parece, Senhor meu,
Que descansa minha alma
Considerando o gozo que ter,
Se, por Vossa misericrdia,
Lhe for concedido gozar de Vs.

Mas quereria primeiro servir-Vos,
Pois h-de gozar do que Vs,
Servindo-a a ela, lhe ganhastes.

Que farei, Senhor meu? Que farei, meu Deus?
Oh! Que tarde se incendiaram meus desejos,
E que cedo andveis Vs, Senhor,
Granjeando e chamando
Para que toda me empregasse em Vs!

   

   Estou felicssima!

Estou felicssima:
o bom Deus,
apagando todas as nsias da minha alma,
derramou em torrentes
as ondas da Sua imensa caridade
guardadas no Seu ternssimo Corao.
Padre Venerado,
agradea mais uma vez em meu nome
a este bom Senhor
e reze, reze por mim,
pobre e fraca criatura.

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 26. Ao Padre Elia. 28-02-1923

   

   A Rainha a Serva do Senhor

Maria tudo cumpre
no como coisa prpria:
a Serva do Senhor
e cumpre aquilo para o que Deus a chamou.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Edith Stein Werke V,5

   

   A adorao funde-se com o amorreplique rolex

A adorao funde-se com o amor,
com o reconhecimento,
com a gratido,
porque a ningum mais devemos tanto
como a Deus.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 4

   

   Esprito Santo de Amor

Deus um braseiro.
O Esprito Santo que o Centro, o Elo,
encontra a Sua alegria em Se dar.
Deus, que Amor,
encontra a Sua alegria em Se difundir.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferncias, 18.08.1957

   

   A Trindade o nosso Lar

Pelo baptismo, diz So Paulo,
fomos enxertados em Jesus Cristo.
E ainda: Deus fez-nos sentar l nos Cus, em Jesus Cristo,
para mostrar aos sculos vindouros as riquezas da sua graa.
E, mais adiante: J no sois hspedes nem estrangeiros,
mas sois da Cidade dos santos e da Casa de Deus.
A Trindade, eis a nossa morada, o nosso lar,
a casa paterna donde nunca devemos sair.
O Mestre disse-o um dia:
O escravo no permanece sempre na casa,
mas o Filho que a mora para todo o sempre.

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
O Cu na terra, 2

   

   Reservar o meu carinho para Jesus!

Aproxima-te de teu Deus prisioneiro
e d-Lhe um asilo na tua alma,
que O proteja dos Seus inimigos.
Que mais pode fazer Ele por Ti?
Para todas as pessoas que te amam
tens reservado o teu carinho,
e para Jesus no ters seno ingratido?

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 24

   

   Deus est escondido na alma

Para que esta alma sequiosa
possa encontrar o seu Esposo
e unir-se com Ele em unio de amor,
tanto quanto lhe for possvel nesta vida,
e sacie a sua sede com esta gota que dEle pode gostar nesta vida,
ser bom que, em nome do Esposo a quem faz o pedido,
lhe respondamos indicando o lugar mais certo
onde est escondido.
Certamente que,
se a O encontrar com a perfeio e o gosto
que se pode ter nesta vida,
no comear a vaguear em vo
atrs das pegadas de seus consortes (Cant t 1, 6).

   

   Abandonemo-nos a Deus!

Abandonemo-nos a Deus
e Ele nos dirigir e orientar.
Se somos cegos a Sua luz nos guiar,
se somos fracos a sua fortaleza nos sustentar,
se somos inconstantes a sua firmeza nos firmar.
Repousemos inteiramente na infinita misericrdia
que nunca falta a quem espera
e confia no Senhor.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Conselhos 2, 24

   

   S a minha Me!

Na luta,
na hora da prova,
os olhos da alma procuram a Estrela [Maria]!
Invoca Maria:
sentirs renascer em ti a fora;
no nome de Maria triunfars!
E ters paz.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias, 43

   

   Viver de f

Todas as oraes devem ser feitas por meio da f,
crendo que verdadeiramente Deus est presente em nossos coraes,
que deve ser adorado,
amado
e servido
em esprito e verdade;
que v tudo quanto se passa e passar em ns
e em todas as demais criaturas,
que independente de todos
e de quem todos dependem;
infinito em toda a espcie de perfeies,
que merece, pela sua excelncia infinita e soberano domnio,
tudo o que somos,
e tudo quanto est no cu e na terra,
que de tudo pode dispor a Seu belo-prazer
tanto no tempo como na eternidade;
que Lhe devemos, por justia,
todos os nossos pensamentos,
palavras
e aces. Vejamos se o fazemos.

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 - 1691
A prtica da presena de Deus. VIII, 5

   

   A f alimenta-se de amor!

Talvez no nos tenhamos dado bem conta
do inestimvel tesouro que trazemos em ns
e, por isso, s vezes, vivemos to descuidados!
Em ns, a f est amortecida,
pelo que a sua luz deixa de resplandecer sobre os nossos passos;
e assim a nossa vida fica sem fora,
a nossa orao sem fervor
e a nossa unio ntima com Deus acaba esquecida e apagada.
Para correspondermos a este apelo orao,
que Deus nos dirige por meio da Mensagem,
preciso intensificar a vida de f em ns,
para que ela nos conduza medida de renncia precisa
para no ofendermos a Deus
e mantermo-nos na Sua graa.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 8

   

   A caridade tem dois movimentos

A caridade tem dois movimentos,
irrompe na alma com duas operaes:
primeiro, une alma com Deus.
Segundo, depois de unida com Deus,
dedica-a ao bem do prximo.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
carta 37

   

   Peo tudo!

Jesus no Te peo seno a paz,
e tambm o amor, o amor infinito
sem outro limite para alm de Ti,
o amor que j no seja eu mas Tu, meu Jesus.
Jesus que por Ti eu morra mrtir,
pelo martrio do corao e do corpo, ou antes os dois...
Concede-me que cumpra os meus votos em toda a perfeio
e faz-me compreender o que deve ser uma esposa Tua.
Faz que eu nunca seja um fardo para a comunidade
mas que ningum se ocupe de mim,
que eu seja olhada pisada aos ps,
esquecida como um grozinho de areia s teu, Jesus.

   

   Que a tua vida seja um louvor

Que a tua vida seja toda um louvor ao Senhor.
Os teus pensamentos, as tuas palavras,
as tuas aces,
tenham como nico objectivo
bendiz-Lo e exalt-Lo.
feliz tarefa esta,
de nos unirmos aos anjos
para louvar o sumo bem.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 1948
Jogos Espirituais. p. 49

   

   Tu que s Imensido, mas Te fazes prximo

Pode tambm chamar-se f
ao acto de se entregar realidade
a que se referem todas as verdades de f,
quer dizer, a Deus,
e uma pessoa pode-se dar a Ele
ainda que no pense nEle luz de nenhuma verdade de f particular,
mas que se entregue a Ele,
o Incompreensvel
que encerra em si a substncia de todas as verdades de f
e est sobre todas elas
Neste entregar-se
a alma sente-se como que sustentada por este Deus
obscuro e incompreensvel,
e por isso esta obscura contemplao,
que Deus mesmo comunica alma
-lhe ao mesmo tempo Luz e Amor.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Edith Stein, Cincia da Cruz (CC) 165

   

   Como bom o divino Mestre!

Oh! Como bom este divino Mestre com a minha alma,
que no me consegue deixar por um momento na incerteza.
Apressa-se e, abaixando-Se ao nada,
dissipa toda a treva
e derrama a sua luz em torrentes no corao
cheio de incertezas e hesitaes.

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 59, ao P.Elias, 02.12.1924.

   

   O maior servio deixar-Vos a Vs

Mas, Pai celestial meu!
No valeria mais deixar estes desejos [de amor ao prximo]
Para quando a alma esteja
Com menos regalos Vossos,
E agora empregar-me toda em gozar-Vos?

Jesus meu!
que grande o amor
que tendes aos filhos dos homens!
Que o maior servio que se Vos pode fazer
deixar-Vos a Vs por seu amor e lucro.
E ento sois possudo mais inteiramente,
porque embora no se satisfaa tanto
a vontade de gozar,
a alma se goza de Vos contentar a Vs.
V que os gozos da terra
so incertos
ainda que paream dados por Vs,
enquanto vivemos nesta mortalidade,
se no vo acompanhados
de amor ao prximo.

   

   Jesus ama-me!

Deus amou-nos
e entregou-Se por nosso amor,
diz o apstolo S. Paulo.
Deus ama-nos
e por amor est nos nossos sacrrios,
esperando a nossa humilde correspondncia.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 1

   

   A minha pequenez atrai-Te, Senhor!

Se eu sou o que sou,
se obtive uma tal abundncia de graas,
foi porque me mantive pequeno,
foi porque o bom Deus se inclinou sobre a minha pequenez,
e a minha pequenez O atraiu.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 1967
Homilias e conferncias, 03.10.1960

   

   Cristo vem com os Seus tesouros

Ditosos os ouvidos da alma
suficientemente desperta e bastante recolhida
para escutar a voz do Verbo de Deus.
Felizes tambm os olhos desta alma
que luz da f viva e profunda,
pode assistir chegada do Mestre ao seu ntimo santurio.
Mas que chegada esta?
Cristo que vem com os Seus tesouros;
mas tal o mistrio da rapidez divina
que Ele chega continuamente,
sempre pela primeira vez,
como se nunca tivesse vindo;
a Sua chegada consiste num eterno agora.
Infinitas so as Suas delcias que traz,
visto que so Ele mesmo.
E d-se o seguinte fenmeno:
Deus quem, no fundo de ns,
recebe Deus vindo a ns,
e Deus contempla Deus!

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
O Cu na Terra, 17

   

   O amor pode tudo!

O amor
a fora que ajuda a fazer aquelas coisas
pelas quais se sente mais repugnncia.

Santa Teresa dos Andes | 1900 1920
Carta 45

   

   O Filho o Tudo do Pai.

Mostra-me onde Te apascentas
e onde descansas ao meio-dia (Cant. 1, 6).
Ao pedir que lhe mostrasse onde Se apascentava,
estava a pedir que lhe mostrasse a essncia do Verbo Divino,
seu Filho,
porque o Pai no Se apascenta seno no seu Filho nico,
que a glria do Pai.
E ao pedir que lhe mostrasse o lugar onde descansava,
estava a fazer o mesmo pedido,
porque s o Filho o enlevo do Pai.
O Pai no descansa noutro stio
nem se encontra noutra coisa
seno no seu amado Filho,
nO qual descansa totalmente,
comunicando-Lhe toda a sua essncia ao meio-dia,
ou seja a eternidade,
onde O gerou e gera continuamente.

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico Espiritual. 1, 4

   

   A verdadeira e estvel felicidade.

Sinto, meu Deus,
que no h nada na terra que possa fazer-me feliz;
s perdendo-me em Vs,
a minha alma encontra a verdadeira e estvel felicidade

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Pensamentos, caderno 25

   

   Tudo posso Contigo, Senhor!

No percamos o nimo
uma vez que tudo podemos
naquele Deus que nos conforta.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Pensamentos, 17

   

   A Imensidade de Deus e a minha pequenez

A que coisa poderei eu comparar o meu Deus?
Ao Oceano?
No suficiente.
Se toda a terra tivesse uma s gota de gua
para todos se refrescarem
no seria suficiente.
Assim o amor de todos os coraes.
No bastante para Ti meu Deus.
Eu sou a gota de gua
e tu s o Oceano.
Desejo ter o corao mais vasto da terra e do mar
para Te amar.

Beata Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevaes Espirituais, 2

   

   A orao alimento para dar vida aos irmos.

Convm sair da casa do amor-prprio espiritual
para ser toda de Deus e em Deus.
A orao pelas necessidades da Igreja
seja curta e frequente e, no resto,
ocupa-te do bem do prximo.
Ocupar-te do bem dos outros, por Deus,
cuidar de Deus e,
cuidar de Deus no seu corpo moral,
ser em verdade de Deus.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 6

   

   A tarde passava depressa

A tarde passava depressa;
em breve era preciso voltar
para os Buissonnets [para casa];
mas, antes de partir,
comia a merenda que tinha levado no meu cestinho.
A bela fatia de po com doce de fruta
que me tnheis preparado,
tinha mudado de aspecto:
em vez da cor viva, no via mais que uma leve cor rosada,
toda velha e sumida...
Ento a terra parecia-me ainda mais triste
e compreendia que s no Cu
a alegria seria sem nuvens....

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito A, 14v

   

   Boa vontade

Uma voz interior
continuamente me convida a viver adorando,
rezando, reparando,
agradecendo e oferecendo.
Eis-me aqui, Senhor, estou pronta.
Apenas tenho necessidade da Vossa ajuda.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Dirio 2, pg 67

   

   Guardar a Tua doce Presena

As minhas resolues:
[...]
Amar o recolhimento,
a solido e o silncio,
guardando a doce presena de Jesus
Amar este bom Senhor com todas as foras do meu esprito
no Lhe negando nada
de quando a cada momento
Ele pede minha alma.

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 58, Madre Mestra, 16.11.1924.

   

   Eternidade

Preparemos a nossa eternidade,
vivamos com Deus,
porque s Ele pode acompanhar e ajudar
nesta grande passagem.

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 231

   

   Diante do Deus Vivo

Estar diante do rosto do Deus Vivo a nossa vocao.
O Santo Profeta Elias deu-nos o exemplo.
Ele esteve diante do rosto de Deus
porque esse o tesouro infinito
pelo qual abandonou todos os bens da terra.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 1942
Obras Selectas

   

   O contacto pela f

O elemento que acompanha necessariamente a f
a obscuridade.
Nesta terra ela jamais se dissipar.
H uma verdade de base:
o contacto com Deus, pela f, uma certeza,
mas, ao mesmo tempo,
obscura.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferncias, 20. 08. 1957

   

   A f dizia que Ele estava ali

Quando comungava
procurava reforar a f,
nem mais nem menos do que se visse com os olhos corporais
entrar em Sua pousada o Senhor;
e como acreditava verdadeiramente
que este Senhor entrava na Sua pobre pousada,
se desocupava de todas as coisas exteriores
tanto quanto lhe era possvel
e entrava com Ele.
[] Considerava-se a seus ps
e chorava com a Madalena,
nem mais nem menos que se O vira com os olhos corporais
em casa do fariseu;
pois embora no sentisse devoo,
a f lhe dizia que Ele estava ali realmente.

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Caminho de Perfeio 34,7

   

   Ensina-me os segredos do Teu Corao!

Chorar muito pelas faltas cometidas no humildade:
e ainda mais se so involuntrias.
Assim que se cai deve-se pedir perdo a Jesus
e depois como uma criana com a sua me
aproximar-se do Seu Corao,
confiante que no s est perdoada,
mas at que disso j se esqueceu.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Cartas, 144

   

   Aonde Te escondeste?

Aonde Te escondeste, Amado,
e me deixaste num gemido?
Qual veado fugiste
Havendo-me ferido.
Atrs de Ti clamei,
tinhas partido!

Desta maneira d-se a entender que
se a alma sentir uma grande comunicao,
ou sentimento
ou notcia espiritual
nem por isso se h-de convencer de que aquilo que sente
consiste em possuir ou ver ntida e essencialmente a Deus,
ou que seja possuir mais a Deus
ou estar mais em Deus,
por muito forte que seja.
De igual modo, no deve pensar que,
se todas essas comunicaes sensveis e espirituais
lhe vierem a faltar,
ficando s escuras, em aridez e abandono,
Deus lhe falta mais duma maneira que doutra,
porque, na realidade
no poder certificar-se se est na Sua graa pela primeira,
ou sem ela pela segunda.

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico Espiritual. 1, 4

   

   ntima unio com Deus

No existe nada na terra
que se possa comparar com a felicidade
que experimenta a pessoa nesta ntima unio com Deus.
Infelizmente no sabemos apreciar esses dons,
estimar essa riqueza ,
nem sabemos viver essa ddiva.
Tambm para isto,
preciso que o Senhor nos conceda uma graa especial,
que ns no merecemos,
mas que Ele nos concede
por misericrdia
e pelo grande amor que nos tem.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 8

   

    amor poderoso de Deus!

Muitas vezes, Senhor meu, considero
Que se com alguma coisa, se pode suportar
O viver em Vs,
na solido,
Porque descansa a alma com aquele que o seu descanso.

Mas que isto, meu Deus,
Que o descanso cansa a alma
Que s pretende contentar-Vos?

Amor poderoso de Deus!
Quo diferentes so os teus efeitos
Dos do amor do mundo!
Este no quer companhia,
Por lhe parecer
Que lhe ho-de tirar o que possui.

   

   A treva que guia at Deus

Esta treva que guia at Deus ,
como j sabemos, a f.
o nico meio que nos leva unio,
porque pe a Deus diante dos nossos olhos
tal como Ele : infinito e trino.
A f semelhante a Deus
porque ambos cegam o entendimento
e aparecem-lhe em trevas.
Portanto a alma est tanto mais intimamente unida a Deus
quanto mais cheia est de f.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Cincia da Cruz (CC) 81-82

   

   Amvel Rainha do Carmelo!

Junto de vs, minha terna Me!
Encontrei o repouso do corao;
Nada mais quero sobre a terra,
S Jesus a minha ventura.
Se por vezes sinto a tristeza,
O temor que vem assaltar-me,
Sempre, sustentando a minha fraqueza,
Vos dignais, Me, abenoar-me.

Concedei-me que eu seja fiel
Ao meu divino Esposo Jesus.
Que um dia, a sua doce voz me chame
A voar por entre os eleitos.
Ento, terminou o exlio, o sofrimento;
Repetir-vos-ei l no Cu
O canto da minha gratido
Amvel Rainha do Carmelo!

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Poesia 7

   

    tua proteco eu me acolho

Recorramos mediao
de Nossa Senhora do Socorro
em todas as nossas necessidades
e seremos sempre atendidos.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinario (Ricasoli) 20

   

   Tornar forte a minha vontade

Quero fixar o olhar em Maria,
quero tom-La por modelo.
Tenho tanta necessidade da sua ajuda a materna
para obter do Deus bendito,
a completa transformao do meu esprito.
Com corao humilde invocarei frequentemente
a minha a Me querida, Maria,
e com ternura filial, Lhe pedirei
para tornar decidida a minha vontade,
para praticar a virtude
ainda que me custe o sangue.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Dirio II, P.134

   

   Molde de Jesus

O meu espelho deve ser Maria.
Uma vez que sou sua filha,
devo assemelhar-me a Ela
e assim assemelhar-me-ei a Jesus.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Dirio, 15

   

   Saber amar, pela f!

Uma alma que vivesse na f,
sob o olhar de Deus,
que tivesse este olhar simples de que Cristo fala no Evangelho,
isto , aquela pureza de inteno
que s v a Deus,
parece-me que essa alma viveria tambm na humildade:
saberia reconhecer em si os seus dons,
porque a humildade a verdade.
Mas de nada se apropria,
pois tudo refere a Deus
como fazia a Santa Virgem.

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
A Grandeza da nossa Vocao, 4

   

   Maria orava em silncio

Reunida ao redor da Virgem
que orava em silencio,
esperou a Igreja nascente
a nova infuso do Esprito,
que a devia vivificar
para uma maior claridade interior
e para uma aco exterior frutuosa.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Edith Stein, Werke. 403

   

   Maria, a tua obedincia atrai-me

Praza a Nosso Senhor,
que vivamos
como verdadeiros filhos da Virgem.

Santa Teresa de Jesus | 1515 1582
Fundaes 16,7

   

   Fazer sorrir Nossa Senhora.

Se queres que Maria fique contente,
se queres fazer com que Ela sorria,
faz com que Ela veja novamente o Seu Jesus,
em ti.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novene, Pensieri, Poesie, 16

   

   Eis a escrava do Senhor!

Eis a escrava do Senhor,
faa-se em mim segundo a Tua Palavra..
hoje eu disse-o mais fortemente [a Jesus]
juntamente com esta minha celeste Me,
quando recebi Jesus [na comunho].
Estes desejos de estar sempre pronta
para fazer a vontade de Deus,
para O servir,
para O amar
e para O conhecer sempre mais,
no procederam de alguma reflexo minha,
mas de uma chama ardente,
que ao mesmo tempo que me d a vida,
ao mesmo tempo faz com que a vida
me pertena menos.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Dirio II, p 116

   

   Minha Me, minha guia!

Nos primeiros instantes da minha vida
Tomastes-me nos vossos braos;
Desde esse dia, Me querida,
Protegeis-me sempre na terra.
Para conservar a minha inocncia,
Colocastes-me num doce ninho,
Guardastes a minha infncia
sombra de um claustro bendito.

Mais tarde, nos dias da juventude,
Ouvi o chamamento de Jesus!...
Na vossa inefvel ternura,
Mostrastes-me o Carmelo.
Vem imolar-te pelo teu Salvador,
Dizeis-me com doura;
Junto de mim, sers ditosa,
Vem imolar-te pelo teu Salvador.

   

   A orao do Pai-Nosso

O Pai-Nosso a orao por excelncia
que pe a Igreja nos lbios do sacerdote
no momento mais solene do Sacrifcio do altar.
a orao dos pequenos
que desconhecem todas as outras,
a dos santos
que no se cansam de saborear as suas frmulas
to cheias de sentido.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus,
Quero ver a Deus, cap. III , 2 parte

   

   As virtudes teologais tornam-se vida

As trs virtudes
f,
esperana
e caridade,
auxiliadas pelos mais altos e sublimes dons do Esprito Santo,
como so a inteligncia,
sabedoria,
cincia
e conselho,
unem a criatura ao Criador,
o esprito do homem com o seu Deus,
a alma com o Verbo de Deus.
E esta unio sagrada
a que h-de buscar,
ter
e possuir,
porque nela est a vida,
a sade
e a fora espiritual
e dela procedem
todas as demais inumerveis virtudes.
Deixando-nos de teorias,
vamos quilo que a ti te convm na prtica.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 38, 2

   

   Senti a caridade entrar

Um dia,
senti que a caridade entrava no meu corao;
senti a necessidade de me esquecer de mim
para dar gosto aos outros.
Desde ento fui feliz!...

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito A 45v

   

   Contemplao na aco

Tanto trabalho,
tantos deveres de caridade vos esperam.
A vossa alma no deve, por causa disto,
deixar de permanecer unida ao Senhor.
Apesar das mil e uma actividades,
a solido e o silncio devem reinar dentro de vs;
a alma manter-se- assim s com o S,
que, na quietude e na paz da alma recolhida nEle,
realiza as obras maravilhosas da graa.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Scritti Vari, pg.67

   

   Eu vos darei de beber

piedoso e amoroso Senhor da minha alma!
Vs dizeis:
Vinde a Mim todos os que tendes sede,
Que Eu vos darei de beber.

Oh Vida, que a dais a todos!
No me negueis a mim esta gua dulcssima
Que prometeis aos que a querem.
Eu a quero, Senhor, a peo, e venho a Vs.

No Vos escondais, Senhor, de mim,
Pois sabeis a minha necessidade
E que a verdadeira medicina
Da alma chagada por Vs.

   

   A verdadeira e estvel felicidade.

Sinto, meu Deus,
que no h nada na terra que possa fazer-me feliz;
s perdendo-me em Vs,
a minha alma encontra
a verdadeira e estvel felicidade

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Pensamentos, caderno 25

   

   Ter grandes desejos

As grandes aspiraes
so a nota distintiva das almas forjadas para as grandes coisas.
Somente esses grandes desejos
podem subministrar a fora necessria
para superar as dificuldades do caminho
e ultrapassar toda a limitao.
Eles constituem o alento
que arrebata a alma muito alto e muito longe.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Quero ver a Deus. cap.II, 2 parte

   

   S. Pedro e S. Paulo

Suplicava muito ao Senhor
que me livrasse de ser enganada[na sua vida espiritual].
Isto sempre o fazia e com muitas lgrimas
e o pedia a S. Pedro e a S. Paulo
porque o Senhor me disse,
como foi no seu dia que Ele me apareceu pela primeira vez,
que eles me guardariam para que no fosse enganada.
E assim os via muitas vezes ao meu lado esquerdo
muito claramente,
embora no por viso imaginria.
Eram estes gloriosos santos muito meus senhores.

Santa Teresa de Jesus | 1515 1582
Livro da Vida, 29, 5

   

   Doce Corao de Maria

Teu Imaculado Corao,
Me toda Ternura,
toda a minha ventura;
e junto a Teu altar
hei-de sempre invocar a Tua proteco,
o Teu nome Maria,
Teu doce Corao.
Quero sempre invocar
a Tua proteco.
O teu Nome Maria,
Teu doce Corao!

Letra de uma Msica composta pela prpria Irm Lcia

   

   Corao de Jesus

No para o primeiro lugar,
mas para o ltimo que eu corro.
Em vez de avanar como o fariseu,
repito, cheia de confiana,
a orao do publicano.
Imito, sobretudo, a conduta da Madalena;
a sua surpreendente, ou melhor,
a sua amorosa audcia,
que encanta o Corao de Jesus, seduz o meu.
Sim, estou certa de que mesmo que tivesse na minha conscincia
todos os pecados que se possam cometer,
eu iria com o corao despedaado de arrependimento
lanar-me nos braos de Jesus,
pois sei quanto ama o filho prdigo que para Ele volta.

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 1897
Manuscrito C, 36v

   

   A Lei do Amor

Uma s a Lei que governa o universo
e essa a Lei do Amor.
Deus, por amor, tudo criou,
por amor tudo redimiu,
e com a Lei do amor nos governa.
Olhemos com amor para a vida
e que o amor nos inspire a virtude e o bem.
A vida, olhada com amor torna-se bela,
porque a vida uma misso
e, quando se movido pela Amor,
a misso torna-se querida;
para alm de que o amor elabora e desenvolve
sempre novas e melhores energias no nosso corao,
pelas quais tudo se torna sublime e fcil.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Consigli. 6, 28

   

   Sou da Tua Casa!

No experimentais diariamente a verdade deste pensamento:
No sois j hspedes ou estrangeiros,
mas antes da Cidade dos santos
e da Casa de Deus?
Mas, para que se viva assim alm do vu,
como preciso estar-se fechado a todas as coisas c de baixo!
O Mestre apressa-me para me separar de tudo o que no Ele
- esta palavra diz-me tanto.

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 250

   

   Jesus Amor!

Quisera que visses em Jesus,
no Verbo,
o Amor que nos demonstrou.
Olhemos apenas para o Seu Amor,
uma vez que Ele Amor.
O Amor a Sua essncia,
no Amor se encontram todas as Suas perfeies infinitas.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 149

   

   S por hoje!...

[A alma] sabe que,
mesmo antes de nascer,
tem muitos outros benefcios que deve a Deus
e, no entanto, a maior parte da sua vida
tem decorrido no ar.
De todas estas coisas, da primeira ltima,
h-de prestar contas e dar razes at ao ltimo centavo,
quando Deus vier esquadrinhar Jerusalm
com lanternas acesas,
pois j tarde e, talvez, o fim do dia.

   

   O nico tesouro!

Quantas vezes,
especialmente noite,
olhando o santo Tabernculo
e respirando de felicidade,
penso e digo:
De tudo quanto h nesta terra
de grande, de belo, de precioso,
nada h que iguale o Tesouro que aqui se esconde
Est aqui o nico Tesouro que existe sobre a terra.
E eu posuo-O, vivo perto dEle.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Il Canto sulla Montagna, 104

   

   Toda a beleza vem de Ti!...

Sempre gostei de ler no livro aberto da natureza.
Desfrutava em sentir o perfume suave
das laranjeiras em flor,
ouvir como se fosse uma orao
o doce canto dos pssaros,
olhar o azul do cu, o nascer o pr do sol,
especialmente quando os ltimos raios
douravam os cumes das rvores.
A ordem e a beleza da natureza
falavam-me tanto de Deus,
e a minha alma no se cansava de dar louvores
ao grande Criador.

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Autobiografia, p. 75 (ed. Italiana)

   

   O Senhor a minha fora!

Quem pode contra Ti, que, triunfador,
Te levantas contra o reino do Inferno?
Quem, que tenha fora e o teu favor,
poder temer as armadilhas do Inferno?
E quem h-de temer qualquer terror
se est blindado com o teu amor eterno?
Senhor, que todos se confessem derrotados,
onde Tu e eu lutemos aliados!

Santa Teresa Margarida de Redi,
In Meu criador, meu Deus, meu Redentor.

   

   Pela caridade tudo floresce!

Tal como ao nvel natural se semeiam as plantas,
se regam, cultivam e crescem
no meio de uma vicissitude contnua de tempo,
assim a nvel moral se semeia e cultiva a caridade na alma
e cresce no meio de uma vicissitude contnua de agitaes exteriores.
Se Deus quiser a seu tempo e no seu dia,
pelas suas obras, a caridade derrubar obstculos
e oferecer meios e,
se assim no for,
estes aumentaro e estorvaro.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 37, 3

   

   Amor feito servio

Deus e minha Sabedoria infinita,
sem tamanho nem medida
e sobre todos os entendimentos anglicos e humanos!
amor,
que me amas mais do que eu me posso amar,
nem entendo.
Para que quero eu, Senhor,
desejar mais do que o que Vs me quiserdes dar?

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Exclamaes XVII, 1

   

   Guias o meu navio!

s vezes sentia-me s, muito s.
Como nos dias da minha vida de internato,
quando passeava triste e doente pelo enorme ptio,
no me cansava de repetir estas palavras que sempre faziam renascer a paz e a fora no meu corao: A vida o teu navio e no a tua morada. Quando era muito pequenina estas palavras levantavam-me o nimo.
E, no entanto, hoje, apesar dos anos
que fazem com que desapaream tantos sentimentos de piedade infantil, a imagem do navio continua a fascinar e a minha alma,
ajudando-me a suportar este desterro

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito A, 41r

   

   Audincia privada

A orao o meio soberano de apostolado:
s ela chega a tudo e a todos;
s ela atrai com segurana a graa,
pois Jesus fiel e prometeu tudo orao.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Esortazioni e Conferenze, 34

   

   Santssima Trindade

Que o Pai a cubra com a Sua sombra;
que o Verbo imprima em si a Sua beleza;
que o Esprito Santo que Amor
faa do seu corao um pequeno lar
onde rejubilem as Trs Pessoas divinas
pelo ardor das Suas chamas.

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 278

   

   s o meu Sol!

Um dia sem comunho pode assemelhar-se
a um dia sem sol,
sem po,
sem sorriso,
sem repouso.
Reza para que nunca te acontea isso,
por tua culpa.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novene, Pensieri, Poesie, 62

   

   Combinei com Ela

Combinei com a Santssima Virgem
que seja Ela o meu sacerdote,
que me oferea a cada momento pelos pecadores e sacerdotes,
mas banhada com o Sangue do Corao de Jesus.
Faa-o tambm, minha irmzinha querida.
Vivamos dentro desse [Corao de Maria].
Com Ele louvemos a Santssima Trindade.

Santa Teresa dos Andes | 1900 1920
Carta 162

   

   Abenoada solido!

Na solido a alma conhece-se a si prpria
e eleva-se a Deus.

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Pensamentos, caderno 25

   

   O Divino Artista

O Senhor conduz cada pessoa pelo seu prprio caminho,
e o que chamamos destino, o actuar do Artista,
do Eterno Artista, que cria a matria,
e lhe d, de alguma maneira, uma imagem,
com simples toques de dedo e pinceladas;
a vida que Ele prprio infundiu
e que agora responde, desde o interior,
s pinceladas e toques do Seu dedo.
Assim colaboramos com a obra artstica de Deus.
Ele no deixa que nos formemos sozinhos

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 1942
Obras 560

   

   Confio em Ti, meu Pai!

[Devemos procurar] fazer a nossa orao com f e ateno,
evitando, quanto nos seja possvel, as distraces;
com respeito, dando-nos conta de que estamos a falar com Deus;
faz-la com confiana e amor,
porque estamos a tratar com Aquele
que sabemos que nos ama
e quer ajudar a nossa fraqueza,
como um pai que d a mo ao filho pequenino,
para o ajudar a caminhar:

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 9

   

   O Senhor o bom jardineiro

H momentos em que a alma
no se lembra desse jardim [que o seu interior]:
tudo parece seco,
sem gua para sustentar,
tendo-se a impresso que a alma jamais teve em si virtudes.
grande o sofrimento.
O bom jardineiro sem gua
mantm as flores e faz crescer as virtudes.

Santa Teresa de Jesus | 1515 1582
Livro da Vida. 14,9; 11,9

   

   Tu s a felicidade!

Imaculada Hstia,
Tu s a felicidade,
em Ti se renem todas as belezas,
todas as alegria
e os homens no o sabem.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 1949
Perfezione Carmelitana, 3

   

   Estar na Tua Presena!

Devemos interromper por momentos,
e o mais amiudadamente que pudermos,
o nosso trabalho e outras aces,
mesmo leitura e escritos ainda que espirituais,
digo mais,
at as nossas devoes exteriores
e oraes vocais,
para adorar a Deus no ntimo do corao,
e a O saborear
mesmo que seja s de passagem
e como que furtivamente.

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 1691
A prtica da presena de Deus, VIII, 4

   

   A orao conduz s obras

A orao pelas necessidades da Igreja
seja curta e frequente
e, no resto, ocupa-te do bem do prximo.
Ocupar-se do bem do prximo por Deus,
cuidar de Deus no seu corpo moral
e ser em verdade de Deus.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 6, 4

   

   Amor por amor

Temos s o breve instante da vida para dar a Deus...
e Ele prepara-se j para dizer:
Agora a minha vez...
Que felicidade sofrer por Aquele
que nos ama at loucura! [].
Sim era loucura procurar os pobres coraezitos dos mortais
para deles fazer Seus tronos,
Ele o Rei de Glria
que est sentado sobre os querubins...
Ele a quem nem os cus podem conter...
Estava louco o nosso Bem-amado
ao vir terra procurar pecadores
para deles fazer os Seus amigos,
os Seus ntimos, os Seus semelhantes,
Ele que era perfeitamente feliz
com as Duas Pessoas adorveis da Trindade!...

   

   s o meu centro!

A minha vida
um contnuo acto de f.

Beata Josefina de Jesus Crucificado | 1894 1948
Autobiografia, p. 234

   

   Tu ests comigo!!

Oh! Que bom e verdadeiro amor
ser o da pessoa que pode dar proveito a todas,
e, deixando o seu prprio proveito pelo das outras!...

Santa Teresa de Jesus | 1515 1582
Caminho 7,8

   

   Tudo transformas em amor!

Sim, meu pap,
nada vir a parar a nossa corrida para o infinito;
com os olhos sempre no alto
correremos sem parar;
na dor que as nossas almas purificadas
se lanam sem demora para o Senhor.
necessrio bendizer e agradecer
e beijar com amor
aquela mo bendita
que vos acaricia
e vos prova:
a bondade infinita do Corao de um Deus,
que para vos tornar felizes
vos prova c em baixo [na terra]

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 27

   

   Dou-te graas pelo mistrio da Eucaristia

Ele quer vir a cada um:
alimentar-nos como uma me a um filho,
com a Sua Carne e o Seu Sangue;
entrar em ns
para que nos introduzamos totalmente nEle
e cresamos como membros do Seu Corpo.

Santa Teresa Benedita da Cruz | 1891 1942
Edith Stein , Obras 35

   

   Quero ter tempo para estar a ss conTigo

A orao o que nos aproxima de Deus,
e em Deus que se firma a nossa F,
se fortalece a nossa Esperana
e se intensifica a nossa Caridade.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Carta a Paulo VI | 08.12.1969

   

   Aco poderosa e insensvel

Temos a tendncia para identificar
vida mstica
e experincia mstica,
aco de Deus pelos dons do Esprito Santo
e experincia desta aco,
como se fossem coisas inseparveis.
Esta confuso a fonte de erros prticos importantes.
Com efeito, evidente que
a aco de Deus pelos Seus dons
claramente distinta
da experincia que possamos ter deles,
se bem que a primeira pode existir sem a segunda.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 1967
Quero ver a Deus, p. 314 e ss

   

   O Cu minha morada

Quando o vu cair,
com que felicidade me hei-de derramar
at ao mais secreto da Sua Face,
e l que hei-de passar a minha eternidade,
no seio desta Trindade
que foi j a minha morada aqui em baixo:
contemplar na Sua prpria luz,
os esplendores de Ser divino,
perscrutar todas as profundidades do Seu mistrio,
estar fundida com Aquele que se ama,
cantar sem repouso a Sua glria e o Seu amor,
ser a Ele semelhante,
porque se v tal qual Ele !...

Beata Isabel da Trindade | 1880 1906
Carta 269

   

   Amar Jesus exige um Encontro com a Sua Pessoa

A nica coisa que te deve preocupar
conhecer a Jesus
para O amares,
pois se conseguires enamorar-te dEle
sabers, mais tarde, segui-Lo
segundo o que a Sua vontade divina
te indicar.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 141

   

   Senhor, sou Tua morada!

A alma, enamorada do Verbo,
o Filho de Deus, seu Esposo,
desejando unir-se a Ele
por uma viso essencial e clara,
manifesta as suas nsias de amor
queixando-se-Lhe da ausncia.
Depois de [Deus] a ter ferido com o Seu amor,
que a levou a deixar todas as criaturas e a si mesma,
ainda tem de padecer a ausncia do seu Amado,
que no a liberta j da carne mortal
para O possuir na glria da eternidade.
Por isso diz: Aonde Te escondeste?.
como se dissesse: Verbo, meu Esposo,
mostra-me o lugar onde ests escondido!

   

   A comunho com os irmos leva-me Comunho com Deus

No confies nunca em ti mesmo,
no presumas de ti,
mas, com humildade, recorre luz de outros.
Sucede tantas vezes que a luz que desce sobre uma alma,
deve-se mais a um conselho que se pediu
do que eficcia do nosso prprio entendimento,
do nosso prprio saber.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas - Pensamentos - Poesias, 61

   

   Em Ti encontro tudo!

Devemos examinar cuidadosamente
quais so as virtudes que nos so mais necessrias
e as que nos so mais difceis de adquirir,
os pecados em que camos mais vezes
e as ocasies mais frequentes e inevitveis das nossas quedas;
devemos recorrer a Deus com uma inteira confiana
na ocasio do combate
e permanecer firme na presena de Sua divina Majestade,
adorando-O humildemente,
mostrando-Lhe as nossas misrias e fraquezas,
pedindo-Lhe amorosamente o socorro da Sua graa,
e assim nEle
encontraremos todas as virtudes,
sem ns termos nenhuma.

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 1691
A prtica da presena de Deus, VIII, 6

   

   Viver com Deus

Se te maldizem, abenoa;
se te caluniam, cala e ora.
Para quem vive em paz com Deus,
que desprezvel o mundo
e todas as suas coisas.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 40, 2

   

   Abandonar-me, sem medo!

Compreendo perfeitamente
que no h nada que nos pode tornar agradveis a Deus
seno o amor;
e este amor o nico bem que ambiciono.
Jesus compraz-Se em mostrar-me o caminho
que conduz a essa fornalha divina;
o caminho o abandono da criancinha
que adormece sem medo nos braos do seu Pai...
Se algum for pequenino, venha a Mim
disse o Esprito Santo pela boca de Salomo.

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 196

   

   No centro do Vosso Amor

Outro amor eu j no quero,
meu ser a Deus est dado,
e meu Amado para mim
e eu sou para o meu Amado.

Santa Teresa de Jesus | 1515 1582
Poesia 3

   

   Amar Jesus em todas as circunstncias!

Amar o bom Jesus,
sempre e em todos os acontecimentos,
am-Lo com todas as foras da alma,
am-Lo sem nunca me cansar,
am-Lo como meu primeiro e ltimo fim
para depois morrer consumida
nas ardente chamas do Seu Divino Amor

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Pensamentos, Caderno 26

   

   Amizade com Deus

Envolvida por uma atmosfera sobrenatural,
a alma deixa-se embeber,
elevar e transformar pela aco de Deus,
que a purifica e absorve;
absorvida, purificada, transformada e elevada
por uma aco divina que ela sente,
mas no sabe como.
Deus pode certamente conceder esta graa a uma pessoa
sem que haja algum esforo da parte dela,
mas ordinariamente o Senhor espera que se chegue aqui,
percorrendo com fidelidade
o caminho da orao vocal e mental;
porque por este caminho que a alma se purifica
e desprende das coisas da terra,
para se entregar somente a Deus.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 8

   

   Renova o meu corao, Senhor!

Quando a Igreja rompe com as formas tradicionais,
f-lo porque vive nela o Esprito
que sopra onde quer:
o Esprito que criou as formas tradicionais
e que tem que criar continuamente as novas formas.
Sem Ele no haveria liturgia nem Igreja.

Santa Teresa Benedita da Cruz | 1891 - 1942
Obras Edith Stein, 407

   

   Acompanhas-me a partir do interior de mim mesmo!

Nas minhas graves doenas
e enfermidades da alma,
aperto fortemente ao peito
o sagrado escapulrio da Santssima Virgem,
e beijando-o
sinto que ele o meu apoio
e a ncora da minha salvao.

Beata Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Autobiografia, p. 71

   

   Levantar o pezinho

necessrio levantar o nosso pezinho
[para tentar subir a escada]
e chamar o bom Deus.
O bom Deus criar na alma
uma docilidade, uma passividade,
um tal hbito em recorrer a Ele,
que nos far fazer as coisas perfeitas

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferncias |21.08.1957

   

   Na fortaleza do santo recolhimento!

Assim acontece com a alma que entrou
na fortaleza do santo recolhimento:
o olho da alma, aberto s claridades da f,
descobre Deus presente, vivendo nela;
por sua vez, ela permanece-Lhe to presente,
na bela simplicidade,
que Ele a guarda com um cioso cuidado.
Podem sobrevir, ento, as agitaes do exterior,
as tempestades do interior,
pode-se mesmo atingir o seu ponto de honra:
Nescivi! [no quero saber]
Deus pode esconder-Se,
retirar-lhe a sua graa sensvel: Nescivi...
E ainda, com So Paulo: Por seu amor, tudo perdi.
Ento, o Mestre est livre,
livre para Se derramar,
para Se dar segundo a Sua medida.
E a alma, assim simplificada, unificada,
torna-se o trono do Imutvel,
pois, a unidade o trono da Santssima Trindade.

Beata Isabel da Trindade | 1880 1906
ltimo Retiro 5

   

   S Deus sabe curar em profundidade!

Quisera que Jesus fosse o seu Amigo ntimo,
em Quem pudesse descansar o seu corao
cansado e saciado de sofrimentos.
Quem poder medir a intensidade,
o caudal de preocupaes que o oprimem
seno Nosso Senhor,
que penetra at ao mais ntimo
e sabe curar com delicado tacto
aquelas feridas dolorosas
cuja profundidade at voc mesmo desconhece?

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 150

   

   Como havemos de pedir?

A alma entende
que se protege mais do seu amor-prprio
e egosmo
apresentando as necessidades
do que pedir o que lhe falta.
como se dissesse:
Ide dizer ao meu Amado (Deus)
que, se adoeo,
me d a minha sade,
porque s Ele a minha sade;
se peno,
a minha alegria,
porque s Ele a minha alegria;
se morro,
a minha vida,
porque s Ele a minha vida.

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Cntico Espiritual, 2 , 8

   

   Cada acontecimento um sacramento

Jesus deseja ser recebido pelas almas,
no s sob as espcies eucarsticas,
mas a todo o instante,
sob a aparncia de contrariedades,
de confrontos,
de penas.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 1949
Cartas III, carta 24

   

   A santa liberdade dos filhos de Deus

Liberdade, pede o amor,
no terror nem encolhimento.
Corao voa contente,
livre, apressado e sem temor.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Deixai-me, dvidas incmodas

   

   Cair na conta da minha verdade

Ao empreendermos a vida espiritual
temos de considerar, a fundo, quem somos,
e veremos como somos dignos de todo o desprezo,
indignos do nome de Cristos,
sujeitos a toda a sorte de misrias,
a uma infinidade de acidentes
que nos perturbam e fazem desiguais
tanto na sade como no humor,
na disposio interior e exterior...

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 - 1691
A prtica da presena de Deus. VII, 2

   

   O amor aos irmos vem de Deus

S a caridade,
amor verdadeiro e eterno,
nos pode dar os laos para nos unirmos nesta vida [aos irmos]
e, se nos separamos de Deus,
j no possvel a unio e a concrdia,
j no pode haver filiao espiritual e verdadeira

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 30, 3

   

   No somos ns, mas o Senhor quem chama!

Abrindo o Santo Evangelho,
os meus olhos depararam com estas palavras:
Jesus, tendo subido a um monte,
chamou a Si os que Ele quis;
e foram ter com Ele. [Mc. 3, 13]
Eis todo o mistrio da minha vocao,
da minha vida inteira e, sobretudo,
o mistrio dos privilgios de Jesus para com a minha alma...
Ele no chama aqueles que so dignos,
mas aqueles que quer ou, como diz S. Paulo:
Deus sente compaixo de quem entende
e usa de misericrdia com quem quer usar de misericrdia.
Logo, no depende daquele que quer,
nem daquele que corre,
mas de Deus, que usa de misericrdia.

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito A [2r]

   

   A Lei do Amor!

Uma s a lei que governa o universo
que a lei do amor.
Deus, por amor criou,
por amor redimiu
e com leis de amor nos governa.
Olhemos com amor para a vida
e que o amor nos inspire a virtude e o bem.
A vida, olhada com amor, torna-se bela,
porque a vida uma misso e,
quando nos movemos por amor,
a nossa misso torna-se-nos querida;
o amor sabe elaborar e desenvolver
sempre novas e melhores energias no nosso corao,
por meio das quais tudo se torna fcil e sublime.

Beata Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Conselhos 1, 27

   

    incalculvel o valor da mais pequenina coisa

incalculvel o valor da mais pequenina coisa
que se faa por amor de Deus;
nem os olhos deveramos mover,
seno por este motivo e para agradar-Lhe.

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Fundaes 12,7

   

   O centro do meu amor

Vs sois o centro das minhas delcias

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Pensamentos, caderno 26

   

   Chamados a viver no interior

O homem est chamado a viver no seu interior
e a ser to dono de si mesmo
como apenas o pode ser a partir da;
s a partir da [do interior]
possvel um trato autenticamente humano
mesmo com o mundo;
s a partir do interior
o homem pode encontrar no mundo
o lugar que lhe corresponde.

Santa Teresa Benedita da Cruz | 1891 1942
Cincia da Cruz

   

   A santidade exige a liberdade

H depois a orao que habitualmente se designa por contemplao.
Consiste num trato de maior intimidade com Deus;
A pessoa compenetra-se mais intensamente
da presena de Deus em si mesma
e entrega-se mais intimamente aco da graa,
da luz e do amor de Deus nela. []
So poucas, muito poucas as almas que chegam aqui,
Porque so poucas, muito poucas
as que se desprendem totalmente do materialismo da vida,
das ambies nascidas do amor prprio,
da cobia, do orgulho e das honrarias.
E, se bem que estas coisas possam no chegar a ser pecado,
todavia prendem a alma ao p da terra
e impedem-na de se elevar at s regies mais altas
do sobrenatural.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 8

   

   Os nossos modelos

Ningum conseguir ser to humilde diante de Deus
como Jesus Cristo e como a Virgem Maria,
porque ningum chegou como eles
a medir o abismo infinito
que separa o homem do Seu Criador.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 1967
Quero ver a Deus, cap.II

   

   Nada nos pode separar

Se quiseres estar Comigo
tambm Eu quero estar contigo
e nada nos poder separar.

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 194

   

   Fomos criados para a unidade

De facto,
estar transformada nas trs Pessoas da Santssima Trindade
significa que a alma semelhante a Deus
na fora, na sabedoria e no amor;
alis, foi para isto que Deus a criou
sua imagem e semelhana.
No h ningum que saiba ou possa explicar
como isto acontece.
Apenas se pode dar a entender como o Filho de Deus
nos alcanou este alto estado
e nos mereceu esta grande dignidade
de podermos ser filhos de Deus,
como diz S. Joo.
Assim pediu Ele ao Pai, segundo
o mesmo S. Joo:

   

   A misericrdia de Deus um mar sem limites!

Confia em Deus sem limites.
No obstante as tuas grandes misrias e infidelidades,
confia;
e depois de teres cado,
confia:
nunca, nunca, nunca desesperes!
A Sua misericrdia um mar,
em relao ao qual as tuas culpas,
mesmo as enormes,
no podem deixar de se afogar neste mar
e desaparecer.
Recorda sempre isto.

Beata Maria Cndida da Eucaristia | 1884 - 1949
Carta a uma Carmelita Descala, L III, 26

   

   Entregar tudo a Deus ajuda-me a ver melhor

Se s vezes solitria me retiro,
por ver melhor e a mente a Deus elevar,
em qualquer coisinha que miro
encontro uma ocasio para desfrutar.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Poema: Alegria da Esposa de Jesus

   

   NEle temos tudo!

Somos feitos somente para Deus;
devemos pois deixarmo-nos a ns mesmos
para nos ocuparmos dEle somente.
E nEle veremos muito melhor o que nos faz falta
do que o veramos em ns,
por meio de todas as reflexes,
e s pode ser um resto de amor prprio
o que, sob a aparncia da nossa perfeio,
nos prende ainda a ns mesmos
e nos impede de nos elevarmos at Deus.

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 1691
A prtica da presena de Deus IV, 2

   

   Confio em Ti, Senhor!

Deixemos que Deus cuide de ns,
nos governe e nos guie.
Esta confiana nos proteger
contra as horrveis inquietaes,
nsias e temores
que nos assaltam,
procedentes das nossas prprias iluses.

Beato Francisco Palau | 1811 1872
Carta 56, 2

   

   Ter grande confiana

[Pelos mritos] do Nosso Cristo havemos de pedir,
seja para ns ou para os outros
o que pedirmos,
com grande confiana,
que Deus no escasso nem miservel
como os miserveis pensam.

Madre Maria de S. Jos | 1548 1603
Livro das Recreaes, stima recreao

   

   Deus muito melhor do que imaginamos!

Garanto-te que Deus muito melhor do que tu imaginas.
Contenta-Se com um olhar,
com um suspiro de amor...
Quanto a mim acho a perfeio muito fcil de praticar,
porque compreendi que nada h mais nada a fazer
seno ganhar Jesus pelo Corao...
V uma criancinha que acaba de arreliar a me
encolerizando-se ou desobedecendo-lhe;
se se esconde num canto com ar amuado
e grita com medo de ser castigada,
a me no lhe perdoar certamente a sua tolice,
mas se lhe estende os bracinhos sorrindo e dizendo:
D-me um beijo, no torno mais a fazer isso,
poder a me deixar de a apertar contra o corao com meiguice
e esquecer as suas travessuras?...

   

   Viver mergulhado na vontade de Deus

Desejo ardentemente viver da vontade de Deus,
sei que dessa forma que se fazem os santos,
e eu quero tornar-me santa
para dar glria a Deus.

Beata Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Dirio I, p. 10

   

   Est a por ns

Est a, no por Ele,
mas por ns:
porque a Sua dita estar com os filhos dos homens.
E porque sabe que ns, tal como somos,
precisamos da sua proximidade pessoal.

Santa Teresa Benedita da Cruz | 1891 - 1942
Carta 156

   

   O Senhor respeita o que sou.

A aco de Deus no destri a natureza humana,
antes a aperfeioa e dignifica;
no subtrai a pessoa ao sentimento humano natural, moral e fsico,
pois com ele que ela se h-de santificar,
semelhana de Cristo que sentiu e suportou
por amor do Pai;
no a imuniza aco da tentao,
seja do orgulho,
do demnio, da carne ou do mundo,
porque ela h-de santificar-se na luta,
vencendo com o auxlio da graa,
a exemplo de Jesus Cristo que,
apesar de ser o Santo dos Santos,
tambm foi tentado.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 21

   

   Ser instrumentos de Deus

Falamos com frequncia de maternidade espiritual.
Consiste em ser instrumentos de Deus,
instrumentos do Amor substancial,
em pr Sua disposio
a nossa vontade,
a nossa inteligncia,
todas as nossas faculdades,
o nosso psiquismo,
inclusivamente o nosso corpo, diria.
Ele [o Senhor] tem necessidade de tudo,
inclusivamente do nosso corpo tal como ,
com as nossas capacidades humanas,
para a difuso do amor nas almas,
para que sejamos irradiadores deste amor que acumulmos
e para que sejamos, ns tambm,
mensageiros,
distribuidores,
difusores do Amor do Esprito Santo.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilia de Pentecostes, 1965

   

   Viver na nica Verdade que s Tu Senhor!

Procure ser assduo na orao
e no a abandone no meio dos seus afazeres materiais.
Quer coma,
quer beba,
quer fale
ou se relacione com as pessoas,
quer faa qualquer outra coisa,
traga sempre um desejo de Deus
e afeioe-lhe o corao,
que coisa muito importante para a solido interior.
preciso no deixar poisar a alma em pensamento algum
que no esteja voltado para Deus.

S. Joo da Cruz | 1542 - 1591
Quatro Avisos a um Religioso, 9

   

   Unir-me a Jesus!

[No dia da minha Primeira Comunho]
no se pode descrever o que se passou na minha alma com Jesus.
Pedi-Lhe mil vezes que me levasse [para o Cu],
e senti a sua voz to querida pela primeira vez.
Ah, Jesus, eu Te amo; eu Te adoro!
Pedia-Lhe por todos.
Quanto Virgem, sentia-A perto de mim.
Oh, quanto se dilata o corao!
E, pela primeira vez senti uma paz deliciosa.
Depois de ter feito a aco de graas, fomos at ao ptio
repartir coisas pelos pobres e [cada uma] abraar a nossa Famlia.
O Meu Paizinho beijava-me e levantava-me nos seus braos, feliz.
Nesse dia foram muitas pequenas a minha casa.
Para qu falar dos presentes que tive:
a cmoda e a cama estavam cheios.
Esse dia passei-o to feliz,
que ficou na minha vida como nico.

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Dirio, 6

   

   Quem procura, encontra

Procurai lendo
e encontrareis meditando.
Chamai orando
e abrir-se-vos- contemplando.

S. Joo da Cruz | 1542 1591
Ditos de Luz e Amor, 157

   

   O Teu Amor por mim infinito!

Do amor,
a medida no sou eu.
Tu s Contigo Te pareces.
Para ser parecida a Ti,
s se o meu amor engrandeces

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 1770
In Jesus, meu bem supremo

   

   Fazer a Tua vontade atrai a Tua graa!

Pois j no me importa
o que fao ou o que sofro,
contanto que permanea amorosamente
unido vontade de Deus;
eis toda a minha preocupao.

Venha o que vier,
farei todas as minhas aces,
at ao fim da vida,
por amor de Deus.

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 - 1691
A prtica da presena de Deus, III, 8 e 9

   

   Misso

A minha Misso
resume-se em anunciar aos povos
que Vs sois infinitamente bela [a Igreja] e amvel,
e a pregar-lhes para que Vos amem.
Amar a Deus, amar o prximo:
este o objetivo da minha misso.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Minhas Relaes com a Igreja 12, 2

   

   A fora da verdade

Assim como a mentira
me de todos os vcios,
o a verdade
de todas as virtudes.

Madre Maria de S. Jos | 1548 1603
Instruo de Novias

   

   Repousar em Maria

Vigiemos sempre atentamente
para no deixar penetrar em ns
pensamentos que nos perturbam
e que nos tiram a paz e,
quando estes, obstinadamente,
ofuscam a nossa alma
recorramos a Maria
e repousemos nela.

Beata Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Pensamentos escritos em imagens, p.69

   

    mesa dos que no tm F

Senhor, a vossa filha compreendeu a vossa divina Luz.
Pede-Vos perdo para os seus irmos
e aceita comer por quanto tempo quiserdes
o po da dor,
e de maneira nenhuma se quer levantar desta mesa
cheia de amargura,
qual comem os pobres pecadores,
antes do dia que vs destinastes...
Acaso no poder dizer-Vos em nome dela
e em nome dos seus irmos:
Tende piedade de ns, Senhor,
porque somos pobres pecadores!...

   

   Orar amar

Para crescer na orao
e passar s moradas mais interiores
no est a coisa em pensar muito,
seno em amar muito;
e assim,
o que mais vos despertar ao amor,
isso que deveis fazer.

Santa Teresa de Jesus | 1515 1582
4 Moradas 1,6

   

   Viver acompanhado por Jesus!

Cada dia sou mais feliz ,
pois sou de Nosso Senhor.
Ele d-me a felicidade verdadeira
O amor a Jesus d foras e alegria!

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 128

   

   O esprito da pobreza

Uma vida em abundncia
e a comodidade burguesa
contradiz o esprito da santa pobreza
e afasta do pobre Crucificado

Santa Teresa Benedita da Cruz | 1891 1942
Obras 229

   

   O que o melhor?

Segundo os diversos temperamentos
ou at segundo os diversos momentos,
o trato de amizade com Deus
ser triste ou gozoso,
terno ou insensvel,
silencioso ou expansivo,
ativo ou impotente,
orao vocal ou recolhimento pacfico,
meditao ou simples olhar,
orao afetiva ou impotncia dolorosa,
elevao de esprito ou opresso de angstia,
entusiasmo sublime no meio da luz
ou suave abatimento na humildade profunda;
e entre todos estes modos ou oraes diversas,
o melhor para o orante
ser aquele que melhor o una a Deus
e lhe assegure o melhor alimento para a aco.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus
1894 1967 | Quero ver a Deus, cap. IV

   

   Sois imensamente Bom!...

Meu Deus,
que outra prova de amor poderia dar o Vosso Corao,
ao Vos recolherdes na pequena priso do Tabernculo
e ao esconderdes sob os humildes vus Eucarsticos
o Vosso esplendor,
a vossa Majestade,
a Vossa omnipotncia?
...Vs bem sabeis que os nossos coraes exilados
tinham necessidade de um corao de amigo bom
e afim de que nos aproximssemos sem temor,
encobristes aos nossos olhares mortais
o Vosso eterno esplendor

   

   Desprendimento

Ter mais olhos para os bens de Deus
do que para o prprio Deus
um grande erro.
Orao e desprendimento.

S. Joo da Cruz | 1542 1591
Ditos de Luz e Amor, 137

   

   S o amor no passa!

No preciso fazer grandes coisas:
volto a tortilha na frigideira por amor de Deus,
e quando est pronta,
se no tenho mais nada a fazer,
prostro-me por terra e adoro o meu Deus
de que Quem recebi a graa para a fazer;
depois levanto-me mais satisfeito que um rei.
Quando no posso fazer mais nada,
basta-me ter levantado uma palha do cho
por amor de Deus.

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 1691
A Prtica da Presena de Deus, III, 1

   

   Corao indiviso

Se est indiviso
meu corao em Deus,
nem meu caminhar airoso
nem meu riso,
algum deter.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1770 1747
Alegria da Esposa de Jesus

   

   A salvao eterna, porque o amor eterno!

Oh! como bela a nossa religio,
em vez de atrofiar os coraes
(como o mundo julga),
eleva-nos
e torna-nos capazes de amar,
amar com um amor quase infinito
j que continuar depois desta vida mortal,
que apenas nos dada
para alcanarmos a Ptria dos Cus
onde encontraremos depois os seres queridos
que tivermos amado na terra!

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 1897
Carta 513

   

   O Cu minha morada

Quando o vu cair,
com que felicidade me hei-de derramar
at ao mais secreto da Sua Face,
e l que hei-de passar a minha eternidade,
no seio desta Trindade
que foi j a minha morada aqui em baixo:
contemplar na Sua prpria luz,
os esplendores de Ser divino,
perscrutar todas as profundidades do Seu mistrio,
estar fundida com Aquele que se ama,
cantar sem repouso a Sua glria e o Seu amor,
ser a Ele semelhante,
porque se v tal qual Ele !...

Beata Isabel da Trindade | 1880 1906
Carta 269

   

   A fora do amor

Grande e desigual
o peso que um animal leva numa carroa
e desproporcional s suas foras
e impossvel seria lev-lo sobre si;
mas puxando com o peito,
pode a fora dele [do peito]
o que excede as suas.
Oh! Quo poderoso o peito
para tudo empregar!
Isto creio que dizia o Esposo
quando assemelhava a sua esposa
gua dos carros do Fara (cfr. Cant. 1, 8):
que por amor do seu Esposo
punha o peito valoroso
a seguir speros caminhos ().

Madre Maria de So Jos | 1548 1603
Instruo de Novias

   

   Bendito sejas, Po das entranhas do Pai!

Muita misericrdia nos faz a todos,
querendo Sua Majestade entendamos ser Ele
que est no Santssimo Sacramento.
Mas que O vejam a descoberto,
e comunicar Suas grandezas
e dar Seus tesouros,
no quer seno queles a quem entende
que muito O desejam,
porque estes so seus verdadeiros amigos.

Santa Teresa de Jesus | 1515 1582
Caminho 34,14

   

   O olhar de Deus puro!

A pureza algo de to belo,
de to branco!
Bem-aventurados os coraes puros,
porque vero a Deus!
Sim, v-lo-o mesmo na terra,
onde nada puro,
mas onde todas as criaturas se tornam lmpidas
quando so vistas atravs da Face
do mais belo
e do mais branco dos Lrios!

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 1897
Carta 105

   

   Caminho na noite, conTigo!

O Senhor nunca desilude
quem confia Nele
e nunca, por divina bondade,
um acto de f meu
saiu infrutuoso.

Beata Josefina de Jesus Crucificado | 1894 1948
Autobiografia, p. 336

   

   Abandonar-me com confiana!

[Procurarei] reconhecer em tudo e sempre
a vontade do meu Deus,
abandonando-me a ela
como uma menina
nos braos da sua mam,
com uma ilimitada confiana
e uma f ardente.

Beata Elias de S. Clemente | 1901 1927
Pensamentos, caderno 25

   

   Pequeno Paraso

Na solido da nossa celazinha
que chamo o meu pequeno paraso,
pois est toda cheia dAquele
de que se vive no Cu,
hei-de muitas vezes unir-me com a alma da Virgem
quando o Pai A cobria com a Sua sombra,
enquanto o Verbo nEla se encarnava
e o Esprito Santo sobrevinha
para operar o grande mistrio.
toda a Trindade que est em aco,
que Se entrega, que Se d,
e, no verdade
que sob estes amplexos divinos
que deve decorrer a vida da carmelita?...

Beata Isabel da Trindade | 1880 1906
Carta 246

   

   Amo-te, Igreja!

Encontrei-Te.
Amo-Te, tu o sabes:
a minha vida o menos que posso oferecer-te
em correspondncia ao teu amor.
A paixo do amor que me devora encontrou em ti o seu pbulo
porque s to bela como Deus,
s infinitamente amvel.
O meu corao foi criado para amar-te.
Aqui o tens, teu, amo-te.
Eu amo-te e tu sabes corresponder ao meu amor:
Eu sei que me amas com amor puro e leal, firme e invarivel.
Eu j no sou coisa minha, mas propriedade tua; porque te amo,
Dispe da minha vida,
da minha sade
e repouso,
de quanto sou e tenho.

Beato Francisco Palau y Quer | 1811 1872
MR Fragmentos III, 2 Escritos p. 722

   

   A vida de Deus Amor

A vida de Deus Amor:
amor desbordante, sem limites
e que se d livremente;
amor que se inclina misericordioso
a toda a necessidade;
amor que cura o enfermo
e ressuscita o que estava morto;
amor que protege, defende,
alimenta, ensina e forma;
amor que chora com os que choram
e se alegra com os que esto alegres;
dispostos a servir a todos
para que cheguem a ser o que o Pai quer;
numa Palavra:
o amor do Corao Divino.

Teresa Benedita da Cruz | 1891 1942
Edith Stein, Werk V, 11

   

   Como o girassol

Na vida espiritual
temos a mesma necessidade
de repetir continuamente
as mesmas oraes,
os mesmos actos de f,
de esperana
e de caridade,
para termos vida,
visto que a nossa vida
uma participao continuada
da vida de Deus.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 34

   

   Benefcios da orao

A orao fortifica as convices
e sustm as resolues generosas
de trabalhar e sofrer;
fonte de luz
e desempenha, em relao caridade,
o papel da inteligncia em relao vontade;
precede-a, orienta-a
e esclarece-a a cada passo.
A orao,
na sua etapa de contemplao,
transforma a alma,
segundo a palavra do Apstolo,
de claridade em claridade
at semelhana com Deus.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus
1894 1967| Quero ver a Deus, cap. IV

   

   Deus fiel

Se Deus se revela como Ser,
como o Criador
e o Conservador,
e se o Salvador diz:
Aquele que cr no Filho tem a vida eterna,
estas so respostas claras
questo enigmtica que concerne ao meu prprio ser.
E se Deus me diz pela boca do profeta
que me mais fiel que meu pai e minha me
e que Ele o prprio Amor,
reconheo quo razovel a minha confiana
no brao que me sustem
e como toda a angstia de cair no nada
insensata,
enquanto eu no me desprenda por mim mesmo
do brao protector.

Santa Teresa Benedita da Cruz |1891 1942
Edith Stein, Ser Finito e Ser Eterno (SFSE) 75-76

   

   O fogo do amor mais santificador!

Ele a nossa guia divina,
ns somos as presas do Seu Amor;
Ele toma-nos,
coloca-nos nas Suas asas
e leva-nos bem longe,
bem alto,
para essas regies onde a alma e o corao
amam perder-se!
Oh, deixemo-nos tomar,
ir at onde Ele quiser!
Um dia a nossa guia Bem-amada
far-nos- entrar nessa Ptria
a que as nossas almas aspiram.
Mas enquanto nos quiser deixar aqui em baixo,
amemos,
amemos tanto quanto pudermos,
vivamos do Amor!

Beata Isabel da Trindade | 1880 1906
Carta 41

   

   Ser pequeno: condio para aspirar santidade

Bem sabeis, minha Madre,
que sempre desejei ser santa.
Mas, ai de mim!
Sempre verifiquei, ao comparar-me com os Santos,
que h entre eles e eu
a mesma diferena que existe
entre uma montanha, cujo cume se perde nos cus,
e o obscuro gro de areia pisado pelos ps dos caminhantes.
Em vez de desanimar, disse para comigo:
Deus no pode inspirar desejos irrealizveis.
Posso, portanto, apesar da minha pequenez,
aspirar santidade.

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 1897
Manuscrito C, 2v

   

   O Senhor meu Pastor: nada me faltar

A segunda cautela contra o mundo
diz respeito aos bens temporais.
Para te libertares verdadeiramente
dos danos desta classe
e moderar o excesso de apetite,
preciso no quereres possuir nada,
no andares preocupado com a comida,
nem com o vestir
ou com outras coisas,
nem com o dia de amanh.
Essa preocupao deve encaminhar-se
para coisas mais elevadas,
como seja procurar o reino de Deus
e no ofender a Deus.

   

   Repousar em Vs

O Esprito Santo vive nas nossas almas,
o Esprito Santo vive no nosso mundo
e manifesta a Sua Vida;
manifesta-a por meio da Sua graa,
mediante as Suas inspiraes
que so chamamentos dirigidos a cada uma das nossas almas.
E esta aco de Deus,
cuja presena sentimos,
que experimentmos em certas ocasies,
que est presente no meio do povo cristo,
suscita nele actualmente um desejo,
uma inquietao.

   

   Confiana de filho

Queria tentar fazer-vos compreender
por uma comparao muito simples
como Jesus ama as almas,
mesmo imperfeitas,
que confiam nEle:
Suponhamos que um pai tem dois filhos
travessos e desobedientes
e que ao ir castig-los
v um que treme e se afasta dele com pavor,
embora sinta no fundo do corao
que merece ser punido;
e que o irmo, pelo contrrio,
se lana nos braos do pai
dizendo que lamenta ter-lhe dado desgosto,
que o ama e que, para o provar,
se portar bem da em diante;

   

   Crer com as obras!

D-me, Jesus,
a F invencvel dos mrtires,
a F fecunda em obras
dos confessores e das virgens.
D-me F viva,
firmssima
e inabalvel
e faz com ela constitua
a nica norma da minha vida.

Beata Josefina de Jesus Crucificado | 1894 1948
Dirio II, p. 24.

   

   A vida do Esprito Santo

Ento, comea a ter vida este gusano [homem]
quando com o calor do Esprito Santo
comea a aproveitar do auxlio geral,
que a todos Deus nos d
e quando comea a aproveitar
dos remdios que deixou na sua Igreja,
ento comea a viver.

Santa Teresa de Jesus | 1515 1572
5Moradas 2,3

   

   O Senhor nunca nos esquece!

Sabemos bem que tudo termina aqui em baixo
e rapidamente as criaturas beneficiadas por ns
nos esquecero
Oh! O bom Deus no assim!...
O Seu bom Corao remunerar j nesta terra
o mais pequeno acto de virtude
realizado por Seu amor
O nosso corao tem sede de bondade,
de amor
corramos para Jesus,
mergulhemos no oceano
da Sua infinita bondade e misericrdia
e saborearemos
todas as ternuras do Seu bom Corao.

Beata Elias de So Clemente | 1901 - 1927
Carta 25 de 03-12-1922

   

   Todo o crescimento fortalecimento

Todo o crescimento da graa
constitui tambm um fortalecimento
do ser espiritual
e abre a alma
a uma compreenso mais rica e mais fina
da Palavra divina,
ao sentido sobrenatural,
que se expressa a partir de todos os acontecimentos
e se torna perceptvel tambm,
enquanto correspondncia,
na sua interioridade.
Por isso,
a alma que em virtude da sua prpria liberdade,
se apoia no Esprito de Deus
ou na vida da graa,
capaz de uma renovao
e de uma transformao total.

Santa Teresa Benedita da Cruz | 1891 - 1942
Ser Finito e Ser Eterno (SFSE) 459

   

   Condies para orar: F, obras e graa

O primeiro (que as novias devem saber)
se sabem quem Deus,
que pelos Artigos [do Credo]
se ensina em que devemos crer
e se tm no seu lugar os mandamentos da lei de Deus,
que mostram o que devemos realizar,
e o Pater noster,
onde Cristo nosso bom Mestre nos mostra
o que havemos de pedir.
E com isto daremos pois incio orao.

Maria de So Jos | 1548 - 1603
Instruo de novias

   

   Orao: Escolher o bem

Desde que esteja ocupado o entendimento
com coisas que movam a vontade
para seguir o bom
e aborrecer o mau,
isso orao.

Madre Maria de So Jos | 1603
Livro das Recreaes, Stima Recreao

   

   A toupeira e o lince

Ser muito indulgentes para com os outros
e, connosco mesmas, muito rigorosas.
Outro dia disseram-me a este respeito
um pensamento que gostei muito:
ser toupeira com o prximo
e lince para consigo mesmos,
isto ,
no ver os defeitos alheios,
mas os nossos.

Santa Teresa dos Andes | 1900-1920
Carta 101

   

   Meu Senhor! Meu Tudo!

Meu criador, meu Deus, meu Redentor,
meu Pai, meu Esposo e meu tesouro,
meu sumo Bem,
minha herana,
meu Dador de alegria e de paz,
a Quem adoro;
meu Mestre,
meu querido e meu Pastor,
meu alimento e refgio,
do Qual imploro vida,
sade,
defesa
e a ventura
de Te amar s a Ti,
Beleza pura.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
In Meu criador, meu Deus, meu Redentor

   

   S amar a Deus no tempo perdido!

Bondade to antiga e to nova,
quo tarde Vos amei!
No useis da vida assim, meus irmos.
Sois novos,
aproveitai-vos da confisso sincera
que fao do pouco cuidado que tive
em empregar no servio de Deus
os meus primeiros anos.
Consagrai todos os vossos ao Seu amor!
Acreditai e contai por perdido
todo o tempo que no empregado
a amar a Deus.

Frei Loureno da Ressurreio | 1614 1691
A prtica da presena de Deus, III, 4 e 5

   

   A presena da Igreja presena de Cristo

A presena da Igreja
vivifica tudo,
lava tudo,
e tudo glorifica
e salva.

Beato Francisco Palau | 1811 1872
M. R. com a Igreja

   

   Quem comunga o irmo comunga a Deus

No so aqueles que dizem:
Senhor, Senhor, que entraro no reino dos Cus,
mas aqueles que fazem a vontade de Deus.
Jesus deu a conhecer esta vontade diversas vezes;
deveria dizer, quase em cada pgina do Evangelho.
Mas na ltima Ceia,
quando sabe que o corao dos seus discpulos
se abrasa num amor mais ardente para com Ele,
que acaba de Se lhes dar
no inefvel mistrio da Eucaristia,
este benigno Salvador,
quer dar-lhes um mandamento novo.

   

   Estar conTigo!

[A coisa] mais importante para a vida espiritual,
a orao,
sem a qual,
assim como o corpo sem o manjar corporal desfalece,
assim a alma sem este manjar
perde a fora na virtude .

Madre Maria de So Jos | 1548 1603
Livro das Recreaes, stima recreao

   

   No fazer coisas: deixar que Deus faa em mim

Podes fazer muitas coisas,
mas se no aprenderes a negar a tua vontade
e a dominar-te,
no te preocupando contigo
nem com as tuas coisas,
no avanars na perfeio.

S. Joo da Cruz | 1542 1591
Ditos de Luz e Amor, 71

   

   Andar em Verdade

Considerando eu
porque razo era Nosso Senhor
to amigo desta virtude da humildade,
logo se me ps diante isto:
porque Deus a Suma Verdade,
e a humildade andar na verdade.

Santa Teresa de Jesus | 1515 -1582
Livro das Moradas, 6M 10, 7-8

   

   Crer com as obras!

D-me, Jesus,
a F invencvel dos mrtires,
a F fecunda em obras
dos confessores e das virgens.
D-me F viva,
firmssima
e inabalvel
e faz com ela constitua
a nica norma da minha vida.

Beata Josefina de Jesus Crucificado | 1894 1948
Dirio II, p. 24.

   

   Maria, luminoso resplendor

Na Sagrada Escritura
encontramo-nos com muito poucas palavras
sobre a Virgem Maria,
mas essas palavras
so como gros de ouro purssimo:
se os fundimos com o fogo duma amorosa contemplao,
sero mais que suficientes
para irradiem sobre ns
e sobre toda a nossa vida
um luminoso resplendor.

Santa Teresa Benedita da Cruz| 1891 - 1942
Edith Stein, Obras 266

   

   A F ilumina

Sua Majestade (Jesus)
foi o Livro verdadeiro
onde vi as Verdades.
Bendito seja tal Livro,
que deixa impresso o que se h-de ler e fazer,
de maneira que no se pode esquecer.

Santa Teresa de Jesus | 1582
Vida 26,6

   

   Deus fonte de felicidade!

De facto, encontraste alguma vez um ser
que sem Deus
goze da felicidade imperecvel?...
No certamente,
visto que esta est escondida
s em Deus;
oh, sim,
recordemos frequentemente ao nosso corao
que nos espera uma ptria,
que o bom Jesus vela por ns
e particularmente por aqueles que esto ss no mundo;
fica certo de que Jesus,
qual Pai bom,
enxuga as tuas lgrimas nas horas de solido,
conta as pulsaes do teu corao abatido
e encoraja-te a seguir caminho
qual valoroso atleta.

Beata Elias de So Clemente | 1927
Carta 24 de 12-11-1922

   

   Os planos de Deus

O que no estava no meu plano estava no de Deus.
Cada vez creio com maior convico
que a casualidade no existe,
que toda a minha vida nos seus mais mnimos detalhes
est inserida no plano da divina Providencia,
e que ela s adquire o seu significado mais completo
diante do olho de Deus que tudo v.
Ento comeo a alegrar-me
pensando na luz da glria
pela qual se me descobrir
o seu verdadeiro sentido.

Santa Teresa Benedita da Cruz | 1891 - 1942
Ser Finito e Ser Eterno , p. 130

   

   A orao no tem idade!

Na orao,
o menino manifestar
o seu amor sobrenatural por Jesus
com um beijo,
um sorriso dirigido ao tabernculo,
uma carcia ao Menino Jesus,
uma expresso de tristeza diante do crucifixo.
O adolescente cantar o seu amor por Cristo
e desenvolv-lo- utilizando
as expresses
e imagens
que mais afetam a sua imaginao
e sentidos,
at que,
mais desenvolvida a sua inteligncia,
esta lhe facilite pensamentos profundos
para fazer uma orao mais intelectual
e mais nutritiva.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus
1967
Quero ver a Deus, cap. IV

   

   Tudo para meu maior bem!

Cada incidente,
cada acontecimento,
cada sofrimento,
como cada alegria,
um sacramento dado por Deus;
pois (a alma) j no faz distines entre estas coisas,
transcende-as e ultrapassa-as
para repousar, enfim,
acima de tudo,
no prprio Mestre.

   

   Confiar, como Maria!

As provas,
a que, por vezes, as almas de orao
so submetidas,
podem abal-las
e at faz-las recuar,
porque Deus no as tornou imunes
fraqueza humana;
particularmente duras so essas provas,
quando nascem da injustia,
da inexactido
ou da falta de verdade.
Contudo,
no meio de todas estas lutas
que a pessoa
se persevera na luta e vence
se santifica
e se torna para Deus
um verdadeiro louvor de glria.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 21

   

   Alimentas-me para me unires a Ti!

Aproveitemos para enriquecer-nos
no momento da comunho.
Banhemo-nos nessa Fonte de santidade
e peamos-Lhe o mundo inteiro das almas,
pois no nos saber dizer que no.
Porque o Seu Corao est a pulsar amorosamente
em unssono com o nosso,
de modo que todos os nossos desejos so dEle
e Ele Todo-poderoso.

Santa Teresa dos Andes | 1920
Carta 113

   

   Para amar a Deus quereria mil coraes

Mas para O amar [a Deus]
porque, dentro do meu peito,
no ps mil coraes
e [no] veio Ele sentar-se no meio?
Faz que esta chama, Deus meu,
cresa e se eleve at ao cu,
que ainda que pequeno o corao
para o teu voraz incndio,
nos mritos de outros
buscarei companhia.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1770
Suspiros de Elpina
a Pastorinha que no sabia como se ama a Deus

   

   Andar na Presena de Deus

Levantando-me depois das quedas,
e multiplicando os actos de f
e de amor,
cheguei a um estado
em que me seria to pouco possvel
no pensar em Deus,
como me foi difcil
habituar-me ao princpio.

Frei Loureno da Ressurreio | 1691
A Prtica da Presena de Deus, II, 3

   

   Orar uns pelos outros

Assim como Deus no dispensa as Suas graas aos homens
seno atravs da orao,
porque quer que O reconheamos
atravs da fonte de onde dimana todo o bem,
to-pouco quer salvar-nos dos perigos
nem curar as feridas,
nem consolar-nos nas aflies
a no ser pela orao.
E como nem todos os que sofrem
esto dispostos a pedir remdio a Deus,
para no os excluir da Sua proteo e misericrdia divina,
contenta-Se que outros Lhe peam em seu nome.

   

   O que Deus quer

Que adianta dares a Deus uma coisa
se Ele te pede outra?
Pensa no que Deus poder querer e f-lo,
porque assim satisfars melhor o teu corao
do que com aquilo que gostas.

S. Joo da Cruz, | 1591
Ditos de Luz e Amor, 72

   

   O ltimo Lugar

Irmzinha muito amada,
no procuremos nunca o que parece grande
aos olhos das criaturas.
A nica coisa que no invejada o ltimo lugar,
por isso s este ltimo lugar no vaidade
nem aflio de esprito...
Contudo o caminho do homem
no est no seu poder
e, s vezes,
surpreendemo-nos a desejar o que brilha.
Coloquemo-nos ento humildemente
entre os imperfeitos,
consideremo-nos almas pequenas
que Deus tem de amparar a cada instante;

   

   A fora de um SIM!

Viva Jesus,
viva o sofrimento,
viva tambm a minha impotncia
e ainda a minha misria,
se nelas puder glorificar o Senhor.

Beata Josefina de Jesus Crucificado | 1948
Dirio III

   

   No sabes que Sou todo-poderoso?

Aconteceu-me
ver-me com to grandes tribulaes
e aflita com muitas ocasies que havia para me inquietar,
e dizer-me o Senhor:
De que temes?
No sabes que Sou todo-poderoso?
Eu cumprirei o que te prometi.

Santa Teresa de Jesus | 1582
Livro da Vida 26,2

   

   Como belo o ocaso para quem ama

Cada belo dia aqui na terra,
tem o seu ocaso,
s o eterno dia durar para sempre.
Oh! Como ento os nossos coraes
se saciaro
para gozar eternamente
os dulcssimos sorrisos
do bom Deus

Beata Elias de So Clemente | 1927
Carta 55

   

   Renova o meu corao, Senhor!

Quando a Igreja rompe com as formas tradicionais,
f-lo porque vive nela o Esprito
que sopra onde quer:
o Esprito que criou as formas tradicionais
e que tem que criar continuamente as novas formas.
Sem Ele no haveria liturgia nem Igreja.

Santa Teresa Benedicta da Cruz | 1942
Obras Edith Stein 407

   

   A F contacto com Deus.

Assim como no se pode meter a mo na gua
sem se molhar,
ou numa fogueira
sem se queimar,
do mesmo modo no se pode estabelecer contacto com Deus
por meio da F
sem se extrair algo da Sua riqueza infinita.
A pobre mulher enferma
que procurava chegar at Jesus
atravs da multido compacta,
nas ruas de Cafarnaum,
dizia para si:
Se conseguir tocar na orla do Seu manto,
serei salva.

   

   Seguir Jesus

Eu devo seguir Jesus Cristo
at ao fim do mundo
se Ele quiser;
nEle encontro tudo,
Ele, s, ocupa o meu pensamento
e tudo o mais, fora dEle,
sombra,
aflio,
vaidade.
Por Ele deixarei tudo,
se for da Sua Vontade
e viverei s para Ele.

Santa Teresa dos Andes | 1920
Dirio ntimo, 1915

   

   Enraza-me e funda-me no Teu Amor!

Foi para que nos ajudemos
que o santo Deus uniu as nossas almas;
no foi Ele que disse:
O que for ajudado pelo seu irmo
ser como uma cidade fortificada?
Eis a misso que lhe confio;
pelo meu lado no lhe digo
que hei-de orar por si,
isso mais do que natural,
a minha alma muito simplesmente
levada a isso.
Faa por mim esta prece
que do grande corao do Apstolo
subia para Deus
pelos seus queridos efsios:

   

   A pomba regressou

A cndida pombinha
arca com seu ramo h regressado.

O Esposo compara aqui a alma
pomba da arca de No.
A pomba ia e voltava arca
por no encontrar onde poisar o p
no meio das guas do dilvio;
um dia voltou
com um ramo de oliveira no bico,
sinal da misericrdia de Deus,
quando cessam as guas
que tinham inundado a terra
Quando Deus fez cessar
todas as guas das imperfeies
sobre a terra da sua alma,
ela voltou ao recolhimento
do peito do seu Amado.

   

   Aproveitar a Tua companhia

Durante o trabalho
continuava a falar-Lhe familiarmente,
a oferecer-Lhe os meus pequenos servios,
e a pedir-Lhe as Suas graas;
no fim da aco,
examinava de que modo a tinha feito;
se nela encontrava algum bem,
agradecia a Deus;
se achava faltas
delas pedia perdo,
e sem desanimar,
rectificava o meu esprito
e recomeava a permanecer com Deus
como se dEle me no tivesse afastado.

Frei Loureno da Ressurreio | 1691
A prtica da presena de Deus, II, 3

   

   Faz o bem e evita o mal

[H uma] infinidade de coisas
que nos dispem para nos afastarem do mal
e outras para nos aproximarem do bem;
neste sentido se orienta toda a justia,
que se compe destas duas partes:
deixar o mal e fazer o bem.

Madre Maria de So Jos | 1603
Instruo de Novias

   

   Enches todos os vazios

Sinto-me impotente,
fraca,
pequena,
mas com Jesus que vive em mim,
que nunca me deixa,
serei potente,
forte,
grande.

Beata Josefina da Jesus Crucificado | 1948
Dirio II P.65

   

   Deus tem a mim a Sua morada

Assim como o Senhor
tem no Cu a Sua morada
deve ter na alma uma estncia,
digamos, outro cu
onde s mora a Sua Majestade.

Santa Teresa de Jesus | 1582
Livro das Moradas 7, 1,3

   

   Acumular tesouros no Cu!

O tempo passa velozmente
e em corrida vertiginosa
parece tocar a alma dizendo-lhe:
tesouros acumulados,
eu passo e no volto mais.

Beata Elias de S. Clemente | 1927
Pensamentos, caderno 25

   

   Caminhar para o interior

Os ardores da alma
movem-se para este Deus
localizado ou descoberto nas profundidades.
Para O ver e encontrar
a alma toma um movimento de interiorizao
sobre si mesma.
A vida espiritual ser, em consequncia,
uma vida interior por excelncia;
o caminho para Deus
h-de ser uma interiorizao progressiva
at ao encontro,
ao abrao,
unio com Ele
por entre as sombras da f
at ao amanhecer da viso clara do Cu.

   

   Quando se ama

Quando se ama,
deseja-se bem
ao ser amado.

Beata Isabel da Trindade | 1906
Carta 335

   

   Me das Dores

Elevemo-nos acima daquilo que passa,
conservemo-nos distncia da terra,
mais alto o ar puro,
Jesus esconde-Se
mas ns adivinhamo-lO,
derramando lgrimas enxugamos as dEle,
e a SSma Virgem sorri;
pobre Me, tanto sofreu por causa de ns,
justo que A consolemos um pouco
chorando e sofrendo com Ela...

Santa Teresa do Menino Jesus | 1897
Carta 57

   

   A Cruz e a f no Crucificadoreplicas relojes

Tal a f no Crucificado,
a f viva
que vai unida a um abandono amoroso
e constitui para ns
a entrada na vida.

Santa Teresa Benedicta da Cruz | 1942
Cincia da Cruz, 21

   

   Todos devemos fazer orao

A orao necessria a todos,
e todos ns devemos fazer orao,
Jesus Cristo,
para alm de nos recomendar a orao,
deixou-nos grandes exemplos
de vida de orao.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 8

   

   Bastas-me, Senhor!

Cada dia que passa, maninha,
compreendo melhor que s Deus basta.
Esta mxima que tenho sobre a minha cruz
seja tambm a tua;
buscando-O, encontr-Lo-s em tudo.
Busca a Deus no fundo da tua alma
e quando estiveres triste
expe-Lhe tudo
e ficars alegre,
porque Ele te dar a conhecer
que sendo Deus
sofreu por ti mais
do que todos alguma vez sofreram.

Santa Teresa dos Andes | 1920
Carta 53, sua irm Rebeca

   

   Derramas em mim graa e formosura!

"No queiras desprezar-me
Porque, se cor morena em mim achaste,
J bem podes olhar-me
Depois de que me olhaste,
Pois graa e formosura em mim deixaste."

A esposa (a alma)
anima-se e valoriza-se a si mesma
com os presentes e importncia
que recebe do seu Amado (Deus).
Ela sabe que vale pouco
e que no merece estima alguma,
mas, ao ver que estas coisas so do Amado,
merece ser tida em conta por causa dela.
Agora,
depois da primeira vez que Ele reparou nela
e a adornou com a sua graa e formosura,
j a pode olhar uma segunda e mais vezes,
pois, assim, aumenta-lhe a graa e a formosura.

S. Joo da Cruz | 1591
Cntico Espiritual, 33, 3

   

   Entrego-me a Ti, Senhor!

Oh, Deus meu, eu Te adoro
como meu nico tesouro!
Tua eu sempre serei.
Tu a Ti mesmo Te me deste;
eis-me inteira! Toma-me.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1770
Creio em Vs. Espero em Vs.

   

   Aumenta a minha F!

O que a f?
A f um hbito infuso na alma,
o princpio de tudo quanto esperamos
acreditar no que no vemos.

Beato Francisco Palau | 1872
Catecismo das Virtudes

   

   Ensina-me a ser como Tu, Maria!

E crede-me que o mais seguro
no querer seno o que Deus quer,
pois nos conhece e ama
mais do que ns mesmos.
Ponhamo-nos em Suas mos,
para que seja feita a Sua vontade em ns.

Santa Teresa de Jesus | 1582
Moradas VI 9, 17

   

   Unir o afecto vontade: a fora que nos santifica!

Que a nossa alma abrace de tal forma
o cumprimento das suas obrigaes
que quando cumpra exteriormente alguma [obrigao],
lhe una o afecto interior.

Madre Maria de So Jos | 1603
Instruo de Novias

   

   Confio em Ti, senhor!

Lembro-me de que aquele a quem mais se perdoou
mais deve amar,
por isso procuro fazer da minha vida
um acto de amor
e j no me inquieto por ser uma alma pequenina,
pelo contrrio,
at me regozijo com isso.
Essa a razo por que ouso esperar
que o meu exlio ser curto
(a sua morte ser em breve),
mas no porque esteja preparada;
sinto que nunca o estarei
se o Senhor
no Se dignar transformar-me nEle mesmo;
pode faz-lo num instante;
depois de todas as graas com que me cumulou
espero ainda essa
da Sua misericrdia infinita.

Santa Teresa do Menino Jesus | 1897
Carta 224

   

   O meu nada atrai o Tudo!

Quanto mais penso no meu nada,
mais encontro Deus em tudo
e mais me sinto cheia da Sua Vida.
Vivo das obras de Deus,
do Seu Amor,
da Sua Providncia;
como posso ignor-lo?

Beata Josefina da Jesus Crucificado | 1948
Dirio II P.2

   

   Quero amar-Te, por todos!

Meu Deus,
no me dado correr montes e vales
para anunciar o Vosso amor
aos coraes que no Vos conhecem
Bem, estarei perto de Vs
e cantarei sem nunca descansar
por aqueles que no Vos amam.
O meu canto ininterrupto dir-Vos-
que todos os coraes palpitam por Vs
e que todos os homens Vos amam
e Vos confessam como o seu Senhor

Beata Elias de S. Clemente | 1927
Pensamentos, caderno 26

   

   A Igreja nasceu da graa de Deus

A Igreja
nasceu da graa de Deus
e com o Filho de Deus
desceu do cu,
de modo que est unida a Ele
indissoluvelmente.
Foi construda com pedras vivas;
a sua pedra angular foi colocada
quando a Palavra de Deus
assumiu a natureza humana
no seio da Virgem.

Santa Teresa Benedita da Cruz | 1942
Obras 227

   

   A orao mais sublime

Esta a maneira de orar mais corrente
e goza da recomendao de Jesus Cristo:
Rezai, pois, assim:
Pai nosso, que estais nos cus,
Santificado seja o Vosso nome,
venha a ns o Vosso reino;
faa-se a Vossa vontade,
assim na terra como no cu.
O po nosso de cada dia
Nos dai hoje,
perdoai-nos as nossas ofensas
assim como ns perdoamos
a quem nos tem ofendido,
e no nos deixeis cair em tentao,
mas livrai-nos do mal.

   

   O nada e o Tudo

O contemplativo por excelncia
conhece o seu prprio nada
quem se ps em contacto com Deus
experimentou no seu ser a pequenez extrema
e o nada profundo da natureza humana.
Este duplo conhecimento
do tudo de Deus
e do nada do homem
fundamental para a vida espiritual
e desenvolve-se com ela.
Tal conhecimento cria na alma
uma humildade bsica,
que nenhuma coisa poder perturbar,
e coloca-a numa atitude de verdade
que atrai todos os dons de Deus.

Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | 1967
Quero ver a Deus, cap. II

   

   Ir ao Teu encontro!

Parece-me que, no Cu,
a minha misso
ser de atrair as almas
ajudando-as a sarem de si mesmas
para aderirem a Deus
por um movimento muito simples
e todo feito de amor,
e de as guardar nesse grande silncio do interior
que permite a Deus imprimir-se nelas,
tranformando-as em Si prprio.

Beata Isabel da trindade | 1906
Carta 335

   

   O Cu comea na terra!

Medita todos os dias,
seja na Paixo,
seja no Santssimo Sacramento,
ou nos imensos benefcios
com que o Senhor te favoreceu;
peamos-Lhe juntas
que te d o Seu divino amor.
Que sorte, maninha,
quando os vus da F
j tiverem cado
e contemplarmos sem cessar
a face do Deus Amor.
Que importa sofrer e morrer
a cada instante na terra,
se amamos!

Santa Teresa dos Andes | 1920
Carta 51 sua irm Rebeca

   

   No pensar mal

No penses mal
do teu irmo,
pois perders
a pureza do corao.

S. Joo da Cruz, 2 Cautela

   

   Sois a razo de tudo!

Oh! Vontade de Deus,
sois a razo de todo o meu amor.
Vs Vos dais todo a mim;
eu me dou toda a Vs.
Vs todo meu;
eu toda vossa.
Dou-Vos graas, meu Jesus,
por me terdes estado esperando at agora.

Santa Teresa Margarida de Redi | 1770
Creio em Vs. Espero em Vs

   

   Amo-O j como na eternidade!

Fao o que farei por toda a eternidade:
bendigo a Deus,
louvo a Deus,
adoro-O
e amo-O
com todo o meu corao;
eis meus irmos,
toda a nossa misso:
adorar a Deus e am-lO
sem nos importarmos com o resto.

Frei Loureno da Ressurreio | 1691
A prtica da presena de Deus, III, 14

   

   Beleza incomparvel!

Depois que vi
a grande Formosura do Senhor
no via a ningum
que comparado a Ele
me parecesse bem
ou me ocupasse.

Santa Teresa de Jesus | 1582
Livro da Vida 37,4

   

   F: tesouro guardado em vasos de barro

A f o fundamento do edifcio cristo.
Espero,
ajudado pela graa do Senhor,
perseverar na f;()
e nesta mesma f e obedincia
confio morrer.

Beato Francisco Palau | 1872
Escola da Virtude Vindicada I, 1
O solitrio de Cantayrac 12

   

   Somos pedras e alicerces

Oio algumas vezes dizer que nos princpios das Ordens religiosas
como eram os alicerces
fazia o Senhor maiores mercs
queles santos nossos antepassados.
E assim .
Mas sempre nos havamos de considerar alicerce
dos que vierem depois.
Porque, se agora ns,
os que vivemos,
no tivssemos perdido o fervor dos nossos antepassados
e se os que viessem aps ns
fizessem outro tanto,
sempre estaria firme o edifcio.

   

   Pai

Eu no sei que mais queremos
para saber o que orao
do que ver aquela que Nosso Senhor Jesus Cristo
ensinou aos seus discpulos quando Lhe disseram:
Mestre, ensina-nos a orar
como ensinou Joo aos seus discpulos
e Sua Majestade lhes ensinou o Pater noster.
Eu no quero outra regra para saber o que orao.
Valha-me o Senhor!
Se Sua Majestade ensina como orao
santificar o nome de Deus,
mandando-nos que Lhe chamemos Pai
e que Lhe peamos quanto necessitamos,
como nesta sagrada orao pedimos;
para que andamos da c para l
desvanecendo-nos?

Madre Maria de So Jos | 1603
Livro das Recreaes, stima recreao


   

   A humildade omnipotente

Oh! amo-te, Maria, quando te dizes a serva
Do Deus que tu deslumbras com a tua humildade.
Esta virtude oculta torna-te omnipotente,
Atrai ao teu corao a Santssima Trindade

Santa Teresa do Menino Jesus | 1897
Poema 54

   

   Repousar na Misericrdia.

Repousemos inteiramente
na infinita misericrdia
que nunca deixa de chegar
a quem espera e confia no Senhor.

Beata Josefina de Jesus Crucificado | + 1948
Conselhos, 24-2

   

   Oh, Amor que nos envolveis em Vs!

Formosura que excedeis
a todas as formosuras,
sem magoar dor fazeis,
como sem dor desfazeis
o Amor das criaturas.

Santa Teresa de Jesus | + 1582
Poesia 6

   

   Participar na Vida divina

A Graa a participao da vida divina.
Cristo derrama,
por meio da sua natureza humana,
a vida divina que possui,
dirige-se aos homens com palavras humanas
e dispe dos meios para comunicar a vida divina
de tal maneira,
que toma o caminho do corpo
para chegar alma.

Santa Teresa Benedita da Cruz | + 1942,
Ser Finito e Ser Eterno

   

   Ondas de misericrdia infinita

Qual ser, pois, o gozo de Deus
ao encontrar uma alma
que entregue toda a sua liberdade
e na qual Deus
possa derramar-Se medida dos Seus desejos!
A converso de um pecador
proporciona a Deus a ocasio
de derramar com mais abundncia a Sua graa.
Pelo contrrio,
quando uma alma destinada a receber grandes graas
defrauda a esperana divina,
este fracasso origina maior desgraa
do que a de uma multido de almas vulgares.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus | + 1967
Quero ver a Deus, II cap.

   

   Libertar-me de mim

Procura no te imiscures
em coisas alheias,
nem sequer te lembres delas,
porque qui
no poders cumprir
o que tens a fazer.

S. Joo da Cruz | 1591
Ditos de Luz e Amor, 60

   

   A Fonte da Santidade

Maninha,
no cu os anjos contemplam-nO
face a face,
mas ns, as criaturas humanas,
possumo-lO cada uma,
identificamo-nos com Ele.
Nos momentos em que a minha alma
est unida a Deus
tudo pra para mim,
faltam-me as palavras, maninha,
para expressar
a divina felicidade que experimento;
sinto o infinito,
o Omnipotente,
o Santo,
o Todo-Poderoso Deus
unido com o nada pecador.
Ento, adoro e amo mais.
ento que a alma se sente pura;
est na fonte da santidade.

Santa Teresa dos Andes | + 1920
Carta 53

   

   Preparar-me, com Maria.

Alegro-me por esta minha grande viagem:
parto, com a Virgem Santa
na tarde da sua Assuno,
a fim de me preparar para a vida eterna;
a Nossa Madre Germana fez-me tanto bem
ao dizer-me que este retiro
ia ser o meu noviciado do Cu,
e que a 8 de Dezembro,
se a Santssima Virgem me visse pronta,
me haveria de revestir
com o manto de glria.
Cada vez me atrai mais a Beatitude:
entre mim e o Mestre
de nada mais se trata seno disso,
e todo o Seu cuidado
o de me preparar para a vida eterna

Beata Isabel a Trindade | + 1906
Carta 306

   

   A natureza ensina a amar a Deus

V como te ensinam
a amar a Deus, no mistrio,
a fonte e o manancial
e o rio que foi riacho.
Vo correndo at ao mar
que onde est o seu centro
para lhe oferecer a prata
e fazer-se ali mar imenso
Amoroso te encaminha
esse fiel desejo
at ao Amor incriado,
que o divinal mar alto
onde queres submergir-te.
Deixa que corra.
Rapidamente chegars
e, nEle perdida,
vers que paz
e que calmo navegar
sempre ters

Santa Teresa Margarida de Redi | + 1770
Suspiros de Elpina,
a Pastorinha que no sabia como se ama a Deus.

   

   Rezai muito!

Devemos orar e sacrificarmo-nos
pelos que se deixam arrastar
e se separam do verdadeiro Corpo Mstico de Cristo,
que a Igreja,
para que regressem ao bom caminho,
porque Deus no quer que o pecador se perca,
mas que se converta e viva.
Este o motivo por que Nossa Senhora
tanto nos recomendou a orao e o sacrifcio
pela converso dos pecadores:
Rezai, rezai muito
e fazei sacrifcios pelos pecadores.
Vo muitas almas para o Inferno,
por no haver quem se sacrifique
e pea por elas. Agosto de 1917

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus | + 2005
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 3

   

   Dom da F

Quando Deus prega
e fala em mim e por mim,
sou eu o primeiro
a receber o dom da Palavra divina,
e a Palavra de Deus
salvar-me- e confortar-me-.

Beato Francisco Palau | 1872
Carta 54

   

   Receber para dar

bom e necessrio trabalhar,
esta a funo de Marta.
excelente e necessrio o orar;
este ofcio de Maria.
Sem a unio de estes dois exerccios
no se pode viver.

Madre Maria de So Jos,
Avisos e mximas para governar religiosas, XLIV

   

   Acreditar, mesmo sem ver.

Desde que Jesus me revelou
a via suave do abandono,
a minha alma goza uma paz inaltervel;
no procuro nada,
nunca vejo onde estou,
como estou,
mas tudo, e sempre,
abandono em Deus.

Beata Elias de S. Clemente,
Pensamentos, caderno 25

   

   O centro da alma

O centro da alma
o lugar em que se percebe a voz da conscincia,
e, o lugar das decises livres.
Porque isto assim
e porque para a unio com Deus
necessria a entrega pessoal e voluntria,
o lugar da livre deciso
tem que ser o mesmo da unio com Deus.

Santa Teresa Benedita da Cruz,
Edith Stein Obras 446

   

   S a pobreza sabe receber bem!

Muitas vezes o Senhor compraz-Se
em conceder a sabedoria aos pequenos,
e um dia, num transporte de alegria,
Ele bendisse o seu Pai
por ter escondido os Seus segredos
aos prudentes
e por os ter revelado
aos mais pequenos.

Santa Teresa do Menino Jesus,
Manuscrito C, 4r

   

   Abandonemo-nos a Deus

Abandonemo-nos a Deus
e Ele nos dirigir e orientar:
se somos cegos
a Sua luz nos guiar,
se somos dbeis
a Sua fortaleza nos sustentar,
se somos inconstantes
a Sua firmeza nos guardar.

Beata Josefina de Jesus Crucificado,
Conselhos, 24-2

   

   Memria do Criador.

Aproveitava-me tambm, a mim,
ver o campo,
gua
ou flores.
Nestas coisas encontrava eu
memria do Criador,
digo que me despertavam e recolhiam.

Santa Teresa de Jesus,
Livro da Vida 9, 5

   

   Jesus o Tudo!

Como s Jesus o tudo desta alma!
E como verdade que fora dos braos paternos
a criana no faz seno cair,
esperando ser reerguida pelo pai amoroso
e amparada a todo o instante!

Beata Elias de S. Clemente,
Pensamentos, Caderno 26

   

   Ao propor a F, procurar a unidade.

Quando estiveres com outras pessoas
pensa nisto:
que existe algo em comum
que mais forte
que o que separa
e tenta ficar ligada a ele.

Santa Teresa Benedita da Cruz,
Obras Completas I, Carta 257

   

   Orao mental

H tambm a orao mental,
que vulgarmente se designa por meditao.
Consiste em pormo-nos diante de Deus
a reflectir sobre algum dos mistrios revelados,
algum passo da vida do Senhor,
algum ponto da doutrina,
sobre a Lei de Deus,
ou ainda sobre alguma das virtudes
que encontramos em Jesus Cristo,
em Nossa Senhora
ou nos Santos, para nosso exemplo.

   

   Interiorizao

Os ardores da alma
movem-se para este Deus
localizado ou descoberto
nas profundidades.
Para O ver e encontrar
a alma toma um movimento de interiorizao
sobre si mesma.
A vida espiritual ser, em consequncia,
uma vida interior por excelncia;
o caminho para Deus h-de ser uma interiorizao progressiva
at ao encontro,
ao abrao,
unio com Ele
por entre as sombras da f
at ao amanhecer da viso clara do Cu.

   

   A minha esperana!

A minha nica esperana
Jesus.

Beata Josefina de Jesus Crucificado,
Diario II; Diario III

   

   Entregar-se ao Amor!

Um louvor de glria uma alma que mora em Deus,
que O ama com um amor puro e desinteressado,
sem se buscar na doura desse amor;
que O ama acima de todos os Seus dons,
ainda que nada dEle tivesse recebido,
e que deseja bem ao Objecto assim amado.
Ora, como desejar e querer efectivamente bem a Deus
a no ser cumprindo a Sua vontade,
pois que esta vontade tudo ordena mxima glria?
Portanto,
esta alma deve entregar-Se-lhe plenamente,
perdidamente,
at j no querer mais nada
seno o que Deus quer.

Beata Isabel da Trindade,
ltimo Retiro, 43

   

   Mergulhar em Deus!

Trabalha por amor a Ele;
no busques a aprovao das criaturas.
Enganam-se tanto nos seus juzos!...
Enquanto que Deus te penetra a cada instante
como se fosses a nica criatura existente.
Pensa que, enquanto tu dormes,
enquanto tu trabalhas
e vives,
h um Ser infinito
que se ocupa de te dar vida,
de te amar com um amor eterno,
infinito

   

   Um mar de Amor!

Uma pessoa que ama outra e que lhe faz bem
ama-a e faz-lhe bem
segundo as suas qualidades,
segundo as suas propriedades pessoais.
assim que age o teu Esposo,
que em ti reside:

Infinitamente bom,
Ele ama-te e faz-te bem
segundo a extenso da Sua bondade

Infinitamente misericordioso,
clemente e compassivo,
Ele faz-te experimentar
a Sua clemncia e a Sua compaixo.

   

   Amar tudo!

Porque Ele ama todas as coisas
por causa de Si,
o amor tem a razo de fim:
no ama as coisas
pelo que elas so em si mesmas.
Portanto, amar Deus a alma ,
de certo modo,
met-la dentro de Si,
igualando-a consigo;
ama-a conjuntamente com o mesmo amor
com que Se ama a Si prprio.
Em cada uma das obras
que a alma faz,
porque as faz em Deus,
merece o amor de Deus;
colocada nesta graa e dignidade,
merece em cada obra o prprio Deus.

S. Joo da Cruz,
Cntico Espiritual, 32, 6

   

   A F: fora para caminhar na vontade de Deus!

Leva de escolta na tua vida
uma tal f e uma tal claridade
que te dem a liberdade
de seguires pela tua escolhida senda.

Vers, te asseguro,
como a tua estrela veraz
te dar coragem e paz
e te guiar a fim seguro.

Santa Teresa Margarida de Redi,
In Epstola ao Pai

   

   A F toca a Deus!

Desde a minha entrada em Religio
tomei a Deus como o termo e fim
de todos os pensamentos e afectos
da minha alma.
No comeo do meu noviciado,
durante as horas destinadas orao,
ocupava o esprito
a convencer-me da verdade deste Ser Divino,
mais pela luz da F,
que pelo trabalho da meditao
e do discurso
e assim avanava
no conhecimento deste amvel Objecto,
com O Qual formava a resoluo
de permanecer sempre.

Frei Loureno da Ressurreio,
A prtica da presena de Deus, II, 3

   

   As duas unies

O Filho de Deus a tua coisa amada
e o teu Amante,
o objeto da tua vista
e dos teus olhares.
Para o Filho de Deus pode-se olhar
de duas maneiras diferentes:
Em primeiro lugar, como Pessoa,
Algum, um Singular,
um Ser que Uno com o Pai e o Filho;
em segundo lugar, como Cabea
de um Corpo Mstico e moral
que a Sua Igreja,
formando Corpo com os Santos
que existem neste e no outro mundo.
Sob estes dois pontos de vista
ho-de agir a f, a esperana e a caridade.
Existem duas unies,
ou melhor dizendo,
existe uma com formas diferentes.

Carta 74,4
Beato Francisco Palau

   

   Saber escolher o caminho de Deus

Quando o corao se rendeu,
a vontade segue-o
muito facilmente.

Madre Maria de So Jos,
Avisos e mximas para governar Religiosas, XIII

   

   A Verdade o Deus-Amor!

Numa outra passagem
Jesus ensina-nos
que Ele
o Caminho,
a Verdade,
a Vida.
Sabemos pois qual a Palavra
que devemos guardar;
no perguntemos a Jesus como Pilatos:
O que a Verdade?
Possumo-la, a Verdade.
Guardamos Jesus
nos nossos coraes!...

Santa Teresa do Menino Jesus,
Carta 510

   

   A riqueza da pobreza

Tornai-vos pobre em tudo
e sereis rica para o cu.

Beata Josefina de Jesus Crucificado,
Pensamento escrito por detrs de um postal

   

   O dom de Amor!

Que fora tem este dom!
(o de entregarmos a nossa vontade ao Senhor)
Se vai com determinao com que deve ir,
no pode menos do que
trazer o Todo Poderoso
a ser um com a nossa baixeza
e transformar-nos em Si,
e em fazer uma unio do Criador
com a criatura.
E quanto mais se vai entendendo pelas obras
que no so meras palavras de cumprimento,
mais e mais nos chega o Senhor a Si,
e levanta a alma acima
de todas as coisas de c da terra
e de si mesma,
para a habilitar a receber grandes mercs,
pois no se farta de nos pagar nesta vida
este servio.

Santa Teresa de Jesus,
Caminho de Perfeio 32,10-11

   

   nico desejo

Agora no me resta outro desejo
seno amar Jesus
e consumir-me nas chamas
do Seu puro Amor.

Beata Elias de S. Clemente,
Pensamentos, caderno 25

   

   Confiar no Senhor

A verdade
que no podemos fazer muito,
seno pormo-nos nas mos de Deus
e suplicar-Lhe que seja Ele a fazer tudo.
Naturalmente ns temos de fazer
o que Ele reclama de ns.

Santa Teresa Benedita da Cruz,
Obras Completas I, Carta 257

   

   Deus meu pai

Junto de Deus,
somos sempre filhos muito dbeis,
pequeninos e fracos
na prtica da virtude,
tropeamos e camos a cada instante,
por isso precisamos que o nosso
bom Pai
nos d a mo e nos ajude a levantar
e a andar pelos caminhos da santidade.
Quer a nossa orao seja feita na igreja,
em casa,
durante uma viagem,
no campo ou pelos caminhos ...
em toda a parte est Deus
e a v e escuta as nossas splicas,
os nossos louvores
e agradecimentos.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus,
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 9

   

   A vida da graa

A graa concede alma
a faculdade de reagir sob os dons de Deus,
de retornar a Ele,
conhec-lO directamente
como Ele Se conhece,
am-lO como Ele Se ama,
abraa-lO como a um pai;
estabelece entre a alma e Deus
correspondncias recprocas
de amizade,
relaes filiais.

Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus,
Quero ver a Deus, cap.II

   

   Solenidade da Nossa Me Santssima do Carmo

E, j que no posso deixar de ser a que tenho sido,
no tenho outro remdio,
seno acolher-me a Nossa Senhora
e confiar nos mritos de Seu Filho
e da Virgem, Sua Me,
cujo hbito indignamente trago,
e vs trazeis tambm.
Louvai-O, minhas filhas,
pois verdadeiramente o sois desta Senhora;
e assim no tendes de vos afrontar
que eu seja ruim,
pois tendes to boa Me.

   

   Maria acolhe Jesus em mim

No posso dizer que tenha recebido muitas vezes
consolaes durante as minhas aces de graas;
talvez o momento em que menos as tenho...
Acho muito natural, j que me ofereci a Jesus,
no como uma pessoa que deseja receber a sua visita
para consolao prpria,
mas, pelo contrrio,
para dar prazer quele que se d a mim.
Imagino a minha alma como um terreno livre,
e peo Santssima Virgem
que tire os escombros que o possam impedir
de estar livre;

   

   Assim procedeu a Virgem bendita

Quem ama discretamente
no se preocupa em pedir
o que carece e deseja,
antes apresenta as suas necessidades
para que o Amado faa como for servido.
Foi assim que procedeu a Virgem bendita
com o seu amado Filho
nas bodas de Can da Galileia:
directamente no Lhe pediu o vinho,
mas disse apenas: No tm vinho.
Tambm as irms de Lzaro
no Lhe mandaram dizer que curasse o irmo,
mas que soubesse que estava doente
aquele a quem Ele amava.

S. Joo da Cruz,
Cntico Espiritual 2, 8

   

   Por Maria a Jesus

A unio com Deus
no se pode conseguir
seno por meio da orao;
a que nos encontramos com Deus,
e nesse encontro
que Ele nos comunica
a Sua graa,
os Seus dons,
o Seu amor
e o Seu perdo.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus,
Apelos da Mensagem de Ftima, 8

   

   De corao a corao!

Fala Santssima Virgem de corao a corao.
Quando te sentires s olha para Ela
e vers que, sorrindo, te diz:
esta tua Me jamais te deixa s.

Santa Teresa dos Andes,
Carta 81

   

   O sorriso da Santssima Virgem

No encontrando na terra nenhum auxlio,
a pobre Teresinha voltara-se tambm
para a sua Me do Cu;
pediu-lhe com todo o corao
que tivesse finalmente piedade dela...
De repente, a Santssima Virgem pareceu-me bela,
to bela como nunca vira nada to belo:
o seu rosto irradiava
uma bondade e uma ternura inefveis;
mas o que me penetrou at ao fundo da alma
foi o encantador sorriso da SS Virgem.
Ento todos os meus males se desvaneceram.
Duas grossas lgrimas brotaram das minhas plpebras
e deslizaram silenciosamente pelas minhas faces;
mas eram lgrimas de uma alegria pura...
Ah! pensava, a SSm Virgem sorriu-me!
Como sou feliz!...

Santa Teresa do Menino Jesus,
Manuscrito A, 30r

   

   A humildade da Virgem!

Pareamo-nos, filhas minhas, nalguma coisa
com a grande humildade
da Virgem Sacratssima,
cujo hbito trazemos,
pois confuso chamarmo-nos freiras suas;
que, por muito que nos parea
que nos humilhamos,
ficamos bem longe de ser filhas de tal Me
e esposas de tal Esposo.

Santa Teresa de Jesus,
Caminho de Perfeio 13, 1

   

   Foi sempre movida pelo Esprito Santo!

As operaes da alma unida a Deus
so do Esprito Divino, isto , so divinas.
Isto sucede assim,
porque Deus move as potncias destas almas
s para aquelas aes
que convm vontade e determinao de Deus,
e no para outras;
por isso, as aces e oraes destas almas
tm sempre efeito.
Eram assim
as da gloriosssima Virgem Nossa Senhora,
a qual, estando desde o princpio
elevada a este alto estado,
nunca teve gravada na sua alma
forma alguma de criatura,
nem se moveu por ela,
mas foi sempre movida pelo Esprito Santo.

III Subida do Monte Carmelo 2, 9 e 10

   

   Cativa de Deus

[Maria] mantinha-se to pequena,
to recolhida em face de Deus,
no segredo do templo,
que atraa as complacncias da Santssima Trindade:
Por que Ele olhou para a humildade da Sua serva,
doravante todas as geraes me chamaro bem-aventurada!...
O Pai, inclinando-se para esta criatura to bela,
to ignorante da sua beleza,
quis que fosse a Me, no tempo,
dAquele de quem Ele o Pai, na eternidade.
Ento, o Esprito de Amor,
que preside a todas as operaes de Deus,
sobreveio-lhe; e a Virgem diz o seu fiat:
Eis a serva do Senhor,
faa-se em mim segundo a vossa palavra,
e assim se realizou o maior dos mistrios.
E, pela descida do Verbo nEla,
Maria ficou para sempre
cativa de Deus.

Beata Isabel da Trindade,
O Cu na Terra, 39

   

   Docilidade suavidade da graa.

Deste modo se estabelece
o Reino de Deus na alma
e se opera a unio transformante:
pela invaso da graa
que conquista progressivamente,
transforma e submete ao Deus interior.
Pela libertao
das exigncias exteriores dos sentidos
e das suas tendncias egostas,
pela submisso s luzes e moes
cada vez mais espirituais e interiores,
a prpria alma se interioriza
at pertencer totalmente
quele que mora no centro mais delicado
de si mesma.
Tal a vida espiritual e o seu movimento.

Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus,
Quero ver a Deus, cap. II

   

   O Amor: fora para fazer a Tua vontade!

Toda a alma que queira viver
em contacto com Ele,
deve viver tambm esta mxima
[Pai seja feita a tua vontade e no a minha].
A vontade divina
deve ser o seu alimento,
o seu po quotidiano,
deve deixar-se imolar
por todas as vontades de Deus
imagem do seu Cristo adorado.

Beata Isabel da Trindade,
ltimo Retiro

   

   Cobres-me de Amor, como de um manto

"Nosso Jesus".
Como se enternece a minha alma
ao pronunciar este nome santo!
Como me encho de uma alegria inexplicvel!
Quereria que a ti te sucedesse o mesmo!
Encerra tanto esta palavra:
Amor infinito de um Deus humanado,
de um Deus aniquilado por ns!...
Neste instante,
a minha alma encontra-se sob o peso infinito
do Seu amor.
to bom connosco, criaturas to pobres!

Santa Teresa dos Andes
Carta 53

   

   A boa Solido!

[Deus], alm de amar muito a solido da alma,
est muito mais ferido pelo amor dela.
Ela [a pessoa] quis ficar isolada de tudo
porque estava ferida pelo amor dEle,
por isso, Ele no a quis deixar sozinha;
ferido pela solido que ela tem por Sua causa,
e vendo que no se contenta com outra coisa,
Ele guia-a a ss para Si mesmo,
atraindo-a e absorvendo-a em Si.
Mas, nada disto teria feito
se no a tivesse encontrado
em solido espiritual.

S. Joo da Cruz
Cntico Espiritual, 35, 7

   

   Desejo de corresponder ao Amor

Eia! Quem poder ensinar-me
a am-lO como eu quero?
Pois dizem que quando o mundo
formou e ainda antes do tempo,
me amava a mim com um amor
inefavelmente terno.
E dizem que no molde
desse amor, formou aqui,
dentro de meu peito, um corao
que ardendo no Seu mesmo amor
s para Ele me arrasta;
mas em am-lO eu no acerto.
Se Ele quem eu busco,
Porque foge ou no O encontro?
E se o meu amor O persegue,
Porque no se torna inteiro?

Santa Teresa Margarida de Redi,
In Suspiros de Elpina,
A Pastorinha que no sabia como se ama a Deus

   

   Conhea eu o Teu Reino!

Fiat voluntas tua:
cumpra-se em mim, Senhor,
a Vossa vontade
de todos os modos e maneiras
que Vs, Senhor meu, quiserdes.
Se quereis com trabalhos,
dai-me esforo e venham;
se com perseguies e enfermidades
e desonras e necessidades,
aqui estou!
No voltarei o rosto, meu Pai,
nem razo para voltar as costas.

   

   S Deus Se d a conhecer como realmente !

S Deus capaz
de Se dar a conhecer
tal qual ;
ns procuramos nos raciocnios
e na cincia,
como em m cpia,
aquilo que no sabemos ver
num excelente original.
Deus pinta-Se a Si mesmo
no ntimo da nossa alma,
e ns no O queremos ver;
deixamo-lO por bagatelas
e desdenhamos entreter-nos
com o nosso Rei
que est sempre presente
em ns.

Frei Loureno da Ressurreio
A prtica da presena de Deus, II, 2

   

   A contemplao constri a Igreja

Como pensais que poderia So Paulo
sofrer trabalhos to grandes?
Por ele podemos ver
que efeitos
fazem as verdadeiras vises e a contemplao,
quando so de Nosso Senhor,
e no imaginao ou engano do demnio.
Porventura escondeu-se com tais mercs
para gozar daqueles regalos,
e no atender a outra coisa?
J vedes que no teve dia de descanso,
ao que podemos entender;
e to-pouco o devia ter tido de noite,
pois nela ganhava o que havia de comer.

   

   Amar os irmos transforma-nos em Morada de Deus.

Jesus quando estava prestes a subir
para o Seu e nosso Pai,
dizia com uma ternura inefvel:
Se algum Me ama,
guardar a minha palavra
e Ns viremos a ele
e faremos nele a nossa morada.
Guardar a palavra de Jesus,
eis a nica condio
para a nossa felicidade,
a prova do nosso amor por Ele.

Santa Teresa do Menino Jesus
Carta 510

   

   Ps na terra, olhos no Cu!

No so as coisas da terra
que me preocupam,
a necessidade ardente desta alma
so as eternas.

Beata Elias de S. Clemente
Pensamentos, caderno 25

   

   Morre feliz, quem vive no amor

Sim, vou.
Vou depois de ter amado sobre a terra
com todo o mpeto do meu ser.
Amado a Ti, meu Deus.
Amado os irmos em Ti,
porque neles vi apenas o Teu rosto.

Beata Josefina de Jesus Crucificado
suas ltimas palavras

   

   As flores variadas do Amor!

Sabendo ns que Deus est presente,
basta lembrar-nos dEle e de vez em quando
dirigir-Lhe alguma palavra:
quer seja de amor
Amo-Te, Senhor! ,
quer seja de agradecimento
Obrigado, Senhor, por todos os Teus benefcios ,
quer seja de splica
Senhor, ajuda-me a ser-Te fiel;
perdoa os meus pecados, as minhas ingratides,
as minhas friezas,
as minhas incompreenses, os meus deslizes. ,
quer seja de louvor
Bendigo-Te, Senhor, pela Tua grandeza,
Por Tua bondade, pela Tua sabedoria,
pelo Teu poder, pela Tua misericrdia,
pela Tua justia, pelo Teu amor.

   

   Imersos no Amor!

Deus est presente na alma do justo,
a quem comunica o ser natural
e a vida sobrenatural da graa.
Ele nos sustm,
no como uma me sustm
e leva nos seus braos
o filho das suas entranhas,
mas penetra-nos e envolve-nos.
No h sequer uma molcula do nosso ser
em que no esteja presente,
nem um s movimento
dos nossos membros ou faculdades
que no tenha animado previamente.

   

   Estar presente ao Amor

Oh, repara,
tenho tantos desejos para a tua alma,
ou antes, no tenho seno um:
que ames,
sejas toda amor,
no te movas
a no ser no amor
e que faas a felicidade do Amor;
que Ele cave na tua alma
o Seu abismo
e que estejas sempre l
presente para Ele.

Beata Isabel da Trindade
Carta 288

   

   O maior gosto de Deus perdoar!

Como se transformaria a sua vida
se fosse a Jesus
com frequncia
como a um amigo!
Acaso cr
que Jesus no o receber como tal?
Se pensasse assim
demonstraria que no O conhece.
Ele todo ternura,
todo amor,
para com a suas criaturas
pecadoras.

Santa Teresa dos Andes
Carta 150

   

   Fio do Amor

O fio do amor ata Deus e a alma
com tanta fora,
que os une,
transforma
e f-los um s
por amor.
Embora diferentes na substncia,
so iguais,
contudo,
na glria e na semelhana:
a alma parece Deus,
e Deus a alma.
Uma unio como esta
mais admirvel
do que tudo o que se possa dizer.

S. Joo da Cruz
Cntico Espiritual, Cano 31, 1-2

   

   Tudo fazer com amor!

Todas as nossas aces
devem ser feitas
com peso e medida,
sem impetuosidade
nem precipitao
que denotam um esprito dissipado;
devemos trabalhar
branda,
tranquila
e amorosamente com Deus,
pedindo-Lhe que aceite
o nosso trabalho.

Frei Loureno da Ressurreio
A prtica da presena de Deus, VIII, 3

   

   Desejar perdoar

Gritar sempre
e no querer ouvir com bondade os irmos,
quando se vo desculpar,
uma barbrie.
Seguramente Ado tinha culpa
e Deus conhecia-a muito bem
e, no entanto, escutou-o.
Podemos desejar
melhor modelo?

Madre Maria de So Jos
Avisos e Mximas, XIII

   

   Martrio de Amor

Deus admirvel,
mas sobretudo amvel;
amemo-lO ento
amemo-lO o bastante
para sofrer por Ele tudo o que quiser,
mesmo as penas da alma,
a aridez,
as angstias,
as friezas aparentes
Ah! grande amor
amar Jesus
sem sentir a doura deste amor
um verdadeiro martrio.
Pois bem!
Morramos mrtires.

Santa Teresa do Menino Jesus
Carta 94

   

   Saber esperar, sem desistir!

Nosso Senhor no deu
de uma s vez
toda a perfeio aos seus Apstolos,
mas pouco a pouco.
Erra, pois, quem se admira
de que, na prpria escola das virtudes,
no as aprendamos todas
num instante.

Madre Maria de So Jos
Avisos e mximas
para governar religiosas, XXXIV

   

   Ofereci-me para me dar!

Ofereci-me a Jesus,
no como uma pessoa
que deseja receber a Sua visita,
para sua prpria consolao,
mas pelo contrrio,
para o prazer dAquele
que Se d a mim.

Santa Teresa do Menino Jesus
Manuscrito A, 79 v

   

   Deus quem opera em ns!

Deus o verdadeiro autor
da nossa santificao,
e a graa
a Sua forma de transformar
o nosso esprito.

Beata Josefina de Jesus Crucificado
Retiro para a Profisso Simples

   

   A F faz milagres!

Como duvidar,
se temos F,
que faa milagres
estando to dentro de mim,
e que nos dar o que lhe pedirmos,
pois est em nossa casa?

Santa Teresa de Jesus
Caminho de Perfeio 34, 9

   

   Maria: espelho de Deus

O meu espelho h-de ser Maria.
Visto que sou sua filha
devo parecer-me com Ela
e assim me parecerei com Jesus.

Santa Teresa dos Andes
Dirio, 15

   

    luz da eternidade

Se Deus est em ns
porque procur-Lo noutros lugares?...

Se Jesus quer ser Ele
somente o apoio da alma
que atravessa o exlio,
porqu apoiar-se
em dbeis ramitos (as criaturas)
que com o sopro de um vento fraco
se dobram?...

Se Jesus vela continuamente
ao nosso lado,
porque no Lhe tornar agradvel
a nossa companhia,
trabalhando e sacrificando-se alegres,
e consol-Lo de tantos desprazeres
que o Seu corao amante
recebe continuamente
de quem tanto Ele beneficia?...

Beata Elias de S. Clemente
Pensamentos, caderno 26

   

   Saber dizer a verdade

A minha atitude frente s pessoas
e a mim mesma
tinha mudado totalmente.
J no pensava em ter sempre razo
e submeter o adversrio a todo o custo.
E quando ainda continuava
a ter um juzo duro
para com as debilidades das pessoas,
j no o usava
para tocar no seu ponto mais fraco,
mas sim para ser indulgente.

   

   O mistrio da orao

Ao meditar na vida de Nosso Senhor,
vemos que, dos trinta e trs anos
que passa na terra,
consagra trinta vida em Nazar.
Porqu?
Para viver uma vida ordinria,
a vida que todos vivemos.
compreensvel que se insista
na sua condio operria,
mas penso que se deveria insistir mais
na vida oculta que quis levar.
Para qu?
Para cumprir a sua misso de Homem-Deus,
a sua misso de mediador.

   

   Dcil ao Esprito Santo

Um louvor de glria uma alma que fixa Deus na f e na simplicidade.
um espelho que O reflecte em tudo o que Ele ,
como um abismo sem fundo
onde Ele pode fluir e expandir-Se.
ainda como um cristal
atravs do qual
Ele se pode reflectir
e contemplar
em todas as suas perfeies
o seu prprio esplendor.
Uma alma que, deste modo,
permita ao Ser divino
que nela sacie a necessidade de comunicar
tudo o que Ele , tudo o que Ele tem,
, de facto,
o louvor de glria
de todos os seus dons.

Beata Isabel da Trindade
ltimo Retiro, 43

   

   Esquece as minhas ingratides!

meu adorado Jesus,
pelo Teu Divino Corao,
esquece as minhas ingratides
e toma-me por inteiro.
Afasta-me de tudo
o que me rodeia.
Que eu viva sempre
a contemplar-Te!
Que eu viva mergulhada
no Teu amor,
para que ele consuma
o meu miservel ser
e me transforme em Ti!

Santa Teresa dos Andes
Dirio 57

   

   O Senhor estende-nos sempre a mo.

Procura no te entristeceres to depressa
com as contrariedades do mundo,
pois no sabes o bem que acarretam consigo,
nem como est ordenado nos juzos de Deus
para a alegria sempiterna dos eleitos.

S. Joo da Cruz,
Ditos de Luz e Amor, 63

   

   Deus mendigo de Amor

Oh, se pudesses, por um momento,
ver como me ama o meu Jesus!
Parece que no existe outra criatura no mundo
a quem amar,
pois o Seu amor manifesta-se-me
at nos mnimos detalhes.
Como queria que O amasses!
Quem pudera abrir os olhos da tua alma
para que pudesses contemplar
a Sua infinita beleza que arrebata,
para que compreendesses
o Seu amor infinito que extasia!
Todo um Deus
mendigando o amor
de criaturas miserveis.

Santa Teresa dos Andes, Carta 51

   

   Chamados a anunciar

A lei do Evangelho
a lei da caridade.
Parte, anuncia ao mundo
o perdo e a remisso dos pecados!

Beato Francisco Palau
Minhas relaes com a Igreja, p.26

   

   Pequenas conversas com Deus

preciso aplicarmo-nos sem cessar
a que, indiferentemente,
todas as aces
sejam como que
pequenas conversas com Deus,
feitas portanto sem estudo,
mas tal como vm
da pureza e simplicidade
do corao.

Frei Loureno da Ressurreio
A prtica da presena de Deus, VIII, 2

   

   Quer o Senhor que eu O veja na Eucaristia

Quando me aproximava
para comungar
e me lembrava
daquela majestade grandssima
que tinha visto
e via que era Ele que estava
no Santssimo Sacramento
e muitas vezes
quer o Senhor que O veja na Hstia,
os cabelos se me arrepiavam
e dir-se-ia que
toda eu me aniquilava.

   

   Quem acreditar e for baptizado ser salvo.

Por certo que a criana recm-nascida
ainda no capaz,
por si mesma,
de praticar actos de F,
mas a virtude ou dom da F
-lhe infundida na alma
como um dos frutos
do sacramento do Baptismo,
que a purifica
e isenta da mancha do pecado original,
tornando-a digna
da felicidade eterna.

Serva de Deus Irm Lcia de Jesus
Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 1

   

   O Amor a Deus conduz aos irmos!

Diz-nos o Evangelho que Maria
percorreu diligentemente as montanhas da Judeia,
para ir a casa de sua prima Isabel.
Nunca a viso, inefvel,
que em si contemplava,
diminuiu a sua caridade exterior.
Porque, diz um piedoso autor,
se a contemplao
tende ao louvor
e eternidade do seu Senhor,
possui a unidade
e no a perder.

   

   Voz do Amor!

Que passes pela terra
como voz do amor.

Beata Josefina de Jesus Crucificado
Pensamento escrito por detrs de um postal

   

   Entrega generosa!

O meu ideal:
Eclipsar-me sempre,
afim de que o meu Jesus
seja conhecido e amado

A minha delcia:
Fazer sempre com alegria
a Santa e Adorvel vontade de Deus
em todas as coisas

A minha misso:
Conduzir almas a Deus
com a orao.

Beata Elias de S. Clemente
Pensamentos, caderno 26

   

   O Senhor enche a minha vida de amor!

Acreditai no Amor
e de tudo o que vos incomoda,
desgosta e tortura,
tirai amor.
Visto que a fonte de tudo isso
o amor infinito com que Jesus vos ama,
deveis acreditar tambm que Jesus
neste momento,
nesta provao,
nesta dvida
ou nesta tentao,
espera o vosso amor.
Tudo o que Ele permite
no visa seno obter uma nova prova,
maior e mais pura do vosso amor.

Santa Teresa do Menino Jesus
Carta 101

   

   Procurar o lado positivo de todas as coisas

Creio que
no indispensvel para um santo
renunciar a todos os desejos
e esperanas
e a todas as alegrias do mundo.
Precisamente o contrrio:
estamos no mundo para viver,
e tudo o que h nele de belo
h que receb-lo com agradecimento.
Simplesmente no h que desesperar
se as coisas nos saem de maneira diferente
daquela que tnhamos pensado.

   

   Amor, graa e comunho da Santssima Trindade

Cristo orando
submerge-se em Deus,
e aqui a expresso em Deus
significa no s na unidade de Deus,
mas na vida ntima de Deus,
na Santssima Trindade.
O Verbo, em Deus, contempla e ama a Deus Pai;
o Pai ama a Seu Filho,
e dEles juntamente,
desse conhecimento,
dessa luz,
dessa perfeio infinita
que Eles descobrem Um no Outro,
que descobrem,
melhor dito,
na Divindade que Lhes comum,
procede o Esprito Santo,
o Amor substancial,
a terceira Pessoa da Santssima Trindade.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus
Movidos pelo Esprito

   

   A fecundidade da Boa Vontade

No penses que trabalhar muito
agrada mais a Deus
do que faz-lo com boa vontade,
sem apegos e respeitos humanos.

S. Joo da Cruz
Ditos de Luz e Amor, 58

   

   Deus comunica-Se pela orao

Deus Amor e Alegria,
e Ele no-la comunica.
No me dizes se tens feito orao.
No percas o tempo, maninha.
Quanto me pesa, a mim, t-lo perdido!
Como quereria,
desde que tive uso de razo,
ter-me dedicado a conhecer este Deus to bom,
a este Ser infinitamente Belo,
o nico digno de ser conhecido.

   

   A F exige a energia da determinao!

Ver sempre Deus
e procurar a Sua glria em tudo
o que fazemos,
dizemos
e empreendemos;
ter sempre em vista um fim:
ser nesta vida os mais perfeitos
adoradores de Deus,
assim como o esperamos ser
durante toda a eternidade;
tomar a firme resoluo de vencer,
com a graa de Deus,
todas as dificuldades que encontrarmos
na vida espiritual.

Frei Loureno da Ressurreio
A Prtica da Presena de Deus VII, 1

   

   O que ser contemplativo?

Encontrar Deus,
olhar Deus,
receber a sua luz
A contemplao no so as graas extraordinrias,
nem os xtases,
nem as experincias de Deus;
um simples olhar.
No fim de contas,
no necessrio ser um grande telogo
ou um grande intelectual:
Inclusivamente, a alta teologia
aproxima-se muito menos da verdadeira contemplao
do que uma orao simplesmente afectiva.
coisa bastante assombrosa
Poder-se-ia pensar que um grande telogo,
que se entrega ao estudo dos dogmas,
que os esquadrinha,
tem mais facilidade para a orao.

   

   Palavras a um amigo ateu

J lhe dei o meu conselho:
ser como uma criana
e pr a sua vida
com toda a investigao
e considerao
nas mos do Pai.
Se, no entanto, no consegue isso:
deve pedir ao Deus
posto em dvida por si
e desconhecido
que seja Ele quem o ajude.
Agora olhe para mim assombrado,
que no tenho medo
de me apresentar sua frente
com to simples sabedoria de criana.

   

   O Senhor ama-te!

O Senhor ama-te
com um amor infinito,
tudo te fala do Seu amor,
os instantes da tua vida
esto marcados pelos Seus divinos favores,
por isso, agradece,
bendiz e louva
sempre o Senhor.

Beata Josefina de Jesus Crucificado
Conselhos 12-2

   

   Canto de Amor

Caminhando pelo claustro,
elevo no ntimo do corao
um canto ao meu Rei:
o pequeno pssaro do bosque
que canta ao Seu Deus
um hino de reconhecimento e de amor

Beata Elias de S. Clemente, Pensamentos, caderno 25

   

   Querer o que Deus quer

Quando se quer s o que Deus quer,
tudo, tudo doce.

Beata Josefina de Jesus Crucificado, Dirio I, p. 70

   

   Grandeza e formosura da pessoa

Estando eu hoje
suplicando a Nosso Senhor que falasse por mim,
ofereceu-se-me considerar a nossa alma
como um castelo
todo ele de um diamante
ou mui claro cristal,
onde h muitos aposentos,
assim como no Cu h muitas moradas.
Que se bem o consideramos,
no outra coisa a alma do justo,
seno o paraso onde Ele
disse ter Suas delicias.

Santa Teresa de Jesus, Moradas I 1,1

   

   Julgar com amor

No julgues
que por no luzirem no outro
as virtudes que tu pensas,
no ser ele precioso aos olhos de Deus
pelo que tu no pensas.

S. Joo da Cruz, Ditos de Luz e Amor, 61

   

   Os Vossos braos

Apesar da minha pequenez, posso aspirar santidade
Quero procurar a maneira de ir para o Cu
por um pequeno caminho muito direito,
muito curto;
um caminhito completamente novo.
Estamos num sculo de invenes.
Agora j no se tem a maada de subir os degraus de uma escada;
em casa dos ricos o ascensor substitui-a vantajosamente.
Eu queria tambm encontrar um ascensor
que me elevasse at Jesus,
porque sou demasiado pequena
para subir a rude escada da perfeio.

   

   ConTigo serei forte

Sim,
meu Amor,
minha Vida,
Esposo Bem Amado que adoro,
sim, fica descansado que estou pronta a seguir-te
nesta senda de sacrifcios.
Oh, Tu queres mostrar-me todos os espinhos que encontrarei.
Bom Jesus, atravess-los-emos em conjunto;
seguindo conTigo, serei forte.
Oh, bem hajas teres escolhido uma pobre criatura como eu para te consolar;
oh, bem sabes que no te abandonarei.
Seria mais culpvel que os infelizes que te crucificavam h vinte sculos!
supremo Amor, sou toda tua;
ampara-me apenas,
pois sem ti sou capaz
at de todas as baixezas,
de todos os crimes

Beata Isabel da Trindade, Dirio, 124

   

   Andar na Vossa companhia

Compenetrado da grandeza
deste Ser infinito,
ia-me encerrar no lugar que a obedincia me marcava
e que era a cozinha.
No comeo das minhas ocupaes
dizia a Deus com uma filial confiana:
Meu Deus, pois que Vs estais comigo
e que por ordem Vossa
devo aplicar o meu esprito a estas coisas exteriores,
concedei-me, eu Vos peo,
a graa de permanecerdes comigo
e de eu Vos fazer companhia;
mas para que seja melhor,
trabalhai, meu Senhor, comigo,
recebei as minhas obras
e possu todos os meus afectos.

Frei Loureno da Ressurreio, A Prtica da Presena de Deus II 3

   

   A orao tudo alcana!

A orao
alcana tudo
o que cr e espera obter.

Beato Francisco Palau, Luta da Alma com Deus II, 11

   

   Ser cristo deveras!

Naturalmente,
a religio no algo para viver num cantinho tranquilo
e durante umas horas de festa,
seno como voc mesma experimenta,
ela deve ser raiz e fundamento de toda a vida,
e isto no s para alguns eleitos,
seno para todo o cristo que o seja deveras.

Santa Teresa Bendita da Cruz, Obras Completas I. Carta 174

   

   Vindes a mim!

Hoje tive a dita de comungar;
sentia-me to unida a Ele,
amava-O tanto
que me parecia estar no Cu
e permaneci nesta unio todo o dia.
Jesus meu, no Te separes de mim!

Santa Teresa dos Andes, Dirio ntimo 1915

   

   Eu creio, mas aumenta a minha F

A F um acto de adeso a Deus,
um acto da virtude da F:
Meu Deus, eu creio.
Acaso sinto algo? No.
O sentimento que se acrescenta algo acessrio;
O acto de F uma adeso,
uma submisso da minha inteligncia,
uma adeso por meio da virtude da F,
por essa faculdade que me deu o baptismo
e pela qual eu digo:
Creio.
Esta virtude est destinada a franquear a distncia
que me separa de Deus,
a penetrar nEle.

Venervel Pe. Maria-Eugnio do Menino Jesus, Movidos pelo Esprito

   

   A humildade conduz adorao

Adorar a Deus um dever e um preceito
que o Senhor nos imps por amor,
para nos dar ocasio de sermos por Ele beneficiados.

Serva de Deus, Irm Lcia de Jesus, Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 4

   

   Confiar no poder do Amor!

Deus suplanta,
na sua grande bondade,
a nossa insuficincia.

Beata Josefina de Jesus Crucificado, Retiro para a Profisso Simples

   

   Ver a Deus pela F

O Divino Mestre est sempre comigo
Ele fala ao meu corao
no O vejo
mas sinto-O
a Sua fora a minha vida
o Seu amor o meu repouso.

Beata Elias de S. Clemente, Pensamentos, caderno 26

   

   Tratar de Amizade

Outra coisa no ,
a meu parecer,
orao mental,
seno tratar de amizade
estando muitas vezes tratando a ss
com quem sabemos que nos ama.

Santa Teresa de Jesus, Vida 8,5

   

   Corao livre para amar

O gozo e o prazer das criaturas
aumenta mais desprendendo-se delas
do que se olhar para elas com o desejo de as possuir.
Este um cuidado a ter
porque, como um lao, amarra o esprito terra
e no lhe deixa ter o corao livre.
Pelo desapego das coisas
adquire um conhecimento mais perfeito das mesmas
e, entende melhor a verdade que elas contm.
Assim, goza-as de uma forma bem diferente,
com mais vantagens e excelncias
do que aquele que est apegado a elas.

S. Joo da Cruz, III Subida 20,2

   

   Sob o olhar do Senhor

Deus est em mim e eu nEle.
No tenho outra coisa a fazer seno am-lO
e deixar-me amar a cada instante, em tudo:
levantar-me no amor,
mover-me no amor,
adormecer no amor,
com a alma na Sua alma,
o corao no Seu corao,
os olhos nos Seus olhos,
a fim de que, por meio deste contacto,
Ele me purifique,
me liberte da minha misria.

Beata Isabel da Trindade, Carta 146

   

   A F simples: Luz para encontrar o Vosso rosto

Todos os belos discursos que oio fazer sobre Deus,
tudo o que dEle posso ler ou sentir,
no me poderia satisfazer;
pois sendo Infinito nas Suas perfeies,
por conseguinte inefvel
e no h termos assaz enrgicos
para me darem uma ideia perfeita da Sua grandeza.
a F que mO faz descobrir
e que mO d a conhecer tal qual .
Aprendo mais por seu intermdio,
em pouco tempo,
que aprenderia em muitos anos nas escolas.

Frei Loureno da Ressurreio, A Prtica da Presena de Deus II,1

   

   O amor gera Unidade

O nico crime que foi censurado a Jesus por Herodes
foi o de ser louco
e eu penso como ele!...
Sim era loucura
procurar os pobres coraezitos dos mortais
para deles fazer seus tronos,
Ele o Rei de Glria
que est sentado sobre os querubins...
Ele a quem nem os cus podem conter...

   

   A verdadeira meta do homem.

O homem capaz de ser tenaz,
esforado
e incansvel;
suportar privaes ano aps ano,
mas contanto que tenha a meta diante dos olhos;
se se lhe tira isto,
a sua capacidade de tenso rompe-se;
a vida parece-lhe carente de sentido
e com grande facilidade
chega recusa de tudo.
No entanto,
para o verdadeiro crente,
a submisso vontade de Deus o retm
diante das contradies da vida.

Santa Teresa Benedita da Cruz, cf. Autobiografia 2.1

   

   Ter F: fazer a Vossa vontade

Na nossa alma
deve reinar sempre o ambiente da F.
Nesse ar puro no se perde a voz de Deus,
que deve imperar na nossa alma.
Deus em Si,
faz sempre o que quer.
Que ns,
perdidos como um nada na Sua imensidade,
faamos tambm o que Ele quer.
Como seremos mais semelhantes a Ele,
seno fazendo a Sua divina vontade?

Santa Teresa dos Andes, carta 149

   

   A verdadeira santidade

Em que consiste ser santo?
Santo, no necessariamente
aquele que faz grandes mortificaes,
ou pelo menos,
no so essas mortificaes que fazem o santo.
Nem sequer so os milagres que possa realizar
que constituem a santidade,
ainda que sejam sinal autntico dela.

   

   Fomos escolhidos!

Escolhidos por Deus para a santidade,
procuremos corresponder a tal chamamento,
com o melhor de ns mesmos,
para o crescimento pessoal
e para o proveito comum.
Para isto fomos escolhidos
e havemos de ser santos:
para ser o louvor da glria de Deus
e participar dessa mesma glria
que dEle recebemos como graa.

Serva de Deus Ir. Lcia de Jesus, Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 21

   

   A fora da F!

A F vida que me d vida;
tenho F no poder de Deus,
no seu infinito amor,
na sua inexaurvel misericrdia;
e vivo desta F.
A F o alimento contnuo da minha alma,
a comida que sustenta o meu corpo,
o sustento dos meus passos,
o refgio das minhas dores,
a consolao das minhas desolaes.

Beata Josefina de Jesus Crucificado, Autobiografia, p. 335

   

   Amar Jesus, no silncio

Oh, como doce amar Jesus
no silncio de cada coisa criada
e sacrificar-se sombra do Seu puro amor
no esperando nenhum galardo nesta terra

A semente da virtude escondida
germinar nos canteiros eternos.

Beata Elias de S. Clemente, Pensamentos, caderno 25

   

   Acreditar no poder do Senhor sobre a minha fragilidade

Bendito seja o meu Deus!
Senhor! Confesso Vosso grande poder.
Se sois poderoso, como sois,
que h de impossvel ao que tudo pode?
Querei Vs, Senhor meu, querei!
Ainda que seja miservel,
creio fielmente que podeis o que quereis,
e quanto maiores maravilhas ouo de Vs
e considero que podeis fazer ainda mais,
mais se fortalece a minha F
e com maior determinao creio que Vs fareis o que Vos peo.

   

   Ganhar asas para fazer a vontade de Deus

O homem espiritual
nunca h-de pr os olhos no prazer
que os seus trabalhos lhe do,
para no se atar a isso
ou faz-los s por causa disso,
nem fugir daquilo que apresentam de amargo;
ao contrrio, h-de procurar e abraar
o que eles tm de custoso
e desagradvel.
Se assim no for,
nem perders o amor-prprio
nem conseguirs o amor de Deus.

S. Joo da Cruz, Cautelas 16

   

   Morar em Deus: querer o que Deus quer

Um louvor de glria
uma alma que mora em Deus,
que O ama com um amor puro e desinteressado,
sem se buscar a si mesma na doura desse amor,
que O ama acima de todos os seus dons,
como se nada tivesse recebido,
at desejar o bem do objecto to amado.
Ora como desejar e querer efectivamente o bem de Deus,
seno cumprindo a Sua vontade
A alma de que falo, deve, portanto,
dedicar-se plenamente,
perdidamente,
at no poder querer outra coisa
seno o que Deus quiser.

B. Isabel da Trindade, o Cu na terra 43

   

   Aproveitar a vida d-la inteiramente, amando!

Jesus, meu Bem-amado,
no sei quando acabar o meu exlio...
Mais que uma noite me ver ainda cantar no exlio
as vossas misericrdias.
Mas, finalmente,
tambm para mim vir a ltima noite.
Ento gostaria de poder dizer-Vos,
meu Deus:
Glorifiquei-Vos sobre a terra;
cumpri a obra que me confiastes;
dei a conhecer o vosso nome queles que Me destes.
Eles eram vossos, e Vs Mos destes.
E agora eles sabem que tudo o que Me destes vem de Vs,
pois Eu comuniquei-lhes as palavras que Vs Me comunicastes;
eles receberam-nas e acreditaram que fostes Vs que Me enviastes."

   

   Crescer na F

No basta conhecer e amar a Deus
pelo que nos dizem os livros
ou pelo que sentimos na alma
causado por qualquer pequena impresso devota
ou luz interior;
mas preciso vivificar a nossa F
e elevarmo-nos, por meio dela,
por sobre todos os nossos sentimentos
a fim de adorar a Deus e Jesus Cristo
em todas as suas divinas perfeies,
tal qual so em Si mesmos;
este caminho de F
o da Igreja
e por ele chegaremos
a uma alta perfeio.

Frei Loureno da Ressurreio, A prtica da presena de Deus, II, 2

   

   Abrir-me a Deus

Ao entregarmo-nos a Deus por amor,
oferecemos-Lhe, de uma vez para sempre,
o holocausto de tudo e de ns mesmos.
Ora, este acto de entrega,
capaz de nos elevar
a uma vida de constante intimidade com Deus
e de perfeito amor.

Serva de Deus Ir. Lcia de Jesus, Apelos da Mensagem de Ftima, cap. 21

   

   S Deus o meu apoio

Tudo muda aqui na terra.
O Ser imutvel, em que s pode apoiar-se esta alma,
sois Vs meu Deus
O meu corao lanando-se no infinito,
suavemente canta:
s Deus, s Deus me basta

Beata Elias de S. Clemente, Pensamentos,caderno 25

   

   Em contacto com Deus

Deus fogo que consome,
fonte que sempre mana,
bem difusivo em Si mesmo
e, por conseguinte, depende de ns em todo o momento,
mediante um acto de F,
um acto de amor,
pr-nos em contacto com Ele e assim vivificar-nos
e enriquecer-nos sobrenaturalmente.
Est em nossas mos
realizar esse acto divino que a orao,
entrar em Deus
e, quando nos encontramos nEle,
actuar nEle e por Ele com o olhar posto
no bem da nossa alma e no do mundo.

Venervel P. Maria-Eugnio do Menino Jesus, Movidos pelo Esprito

   

   Sem Ti nada posso!

vida, vida!
Como te podes sustentar
Estando ausente da tua vida?
Em tanta soledade,
Em que empregas?
Que fazes,
pois todas as tuas obras
so imperfeitas e falhas?
Que te consola, alma minha,
neste mar tempestuoso?
Tenho lstima de mim,
e maior ainda
do tempo em que no vivi lastimosa!

   

   A humildade do verdadeiro Amor

No terceiro degrau,
devido ao fogo de amor que j vai ardendo,
a alma considera
como pequenas e poucas
as grandes e muitas obras
que faz pelo Amado,
e como pouco
o muito tempo que Lhe dedica
Devido ao imenso amor que a alma sente para com Deus,
muito se lamenta e sofre
pelo pouco que faz por Ele;
se fosse lcito morrer mil vezes por Ele,
ficaria consolada.
Por isso considera-se como intil
em tudo o que faz,
e julga viver em vo.

S. Joo da Cruz, II Noite Escura 19,3

   

   A cincia do amor to simples!

Amar to simples,
entregar-se a todas as Suas vontades,
como Ele Se entregou s do Pai;
permanecer nEle,
pois o corao que ama j no vive mais em si,
mas naquele que constitui o objecto do seu amor;
sofrer por Ele,
recolhendo com alegria cada sacrifcio,
cada imolao,
que nos permitem dar alegria ao Seu Corao.
Que seja Ele prprio
a ensinar-te a cincia do amor.

B. Isabel da Trindade, Carta 288

   

   Rei e Senhor de todos os reis!

Rei da glria e Senhor de todos os reis!
O vosso Reino no armado de palitos,
pois no tem fim!
No so necessrios terceiros
para chegar at Vs!
Basta divisar ao longe a vossa Pessoa
para logo se conhecer
que s Vs mereceis que Vos chamem Senhor,
pela majestade que mostrais.

   

   O amor gera alegria

No so as alegrias
que fazem os santos,
mas os santos
que fazem as alegrias

Beata Elias de S. Clemente, Pensamentos, caderno 25, 1923

   

   Criados para Deus

Em que consiste ser cristo?
O cristo aquele que manifesta a sua f,
o seu cristianismo,
mediante o exerccio da caridade,
a sua atitude exterior
e o cumprimento dos seus deveres;
mas, essencialmente falando,
o cristo aquele que tende para o seu fim,
para Deus.

   

   Sois nossa vida, Senhor

Considero o quanto importa
no atender nossa fraca disposio
por mais contradies que se nos apresentem,
quando entendemos que se serve o Senhor,
pois poderoso para fazer dos fracos fortes
e dos enfermos sos.
E quando isto no fizer ser melhor padecer por nossa alma
e esquecermo-nos de ns mesmos
com os olhos postos na Sua honra e glria.
Para que servem a vida e a sade
seno para perd-las por to grande Rei e Senhor?

Santa Teresa de Jesus, Fundaes, XXVIII, 18

   

   A primeira clula da Igreja: Maria!

A Igreja a humanidade novamente gerada,
redimida por Cristo.
A primeira clula da humanidade redimida Maria:
ela foi a primeira
na qual atuou a pureza e a santidade de Cristo,
a plenitude do Esprito Santo.
Antes do Filho do Homem nascer desta Virgem,
o Filho de Deus criou esta Virgem cheia de graa,
e nela e com ela criou a Igreja.
Por isso Maria, enquanto nova criatura,
est a Seu lado,
ainda que esteja ligada indissoluvelmente a Ele.

Santa Teresa Benedita da Cruz, A Mulher como Membro do Corpo Mstico de Cristo, 1

   

   O privilgio de orar



Assim como Deus no dispensa as suas graas aos homens
seno atravs da orao,
porque quer que O reconheamos
atravs da fonte de onde dimana todo o bem,
tampouco quer salvar-nos dos perigos,
nem curar as feridas,
nem consolar-nos nas aflies,
a no ser pela orao.
E como nem todos os que sofrem
esto dispostos a pedir remdio a Deus,
para no os excluir da Sua proteco e misericrdia divina,
contenta-Se que outros Lhe peam em Seu nome.

   

   A F: luz para ver mais longe

A F est na base de toda a vida espiritual.
pela F que acreditamos na existncia de Deus,
no Seu poder, na Sua sabedoria,
na Sua misericrdia, na Sua obra redentora,
no Seu perdo e no Seu amor de Pai.

pela F que acreditamos na Igreja de Deus,
fundada por Jesus Cristo,
e na Doutrina que ela nos transmite
e por meio da qual seremos salvos.

   

   Tem piedade de mim

Jesus,
aqui me tens prostrada
diante da tua divina majestade,
cheia de vergonha e confuso
ao ver a minha pequenez,
a minha misria
e os meus muitos pecados.
At quando,Jesus meu,
ters piedade desta pecadora?
Desde agora me ponho nas tuas divinas mos.
Faz de mim o que quiseres.
Quero, Esposo adorado,
viver escondida,
desaparecer em Ti,
no ter outra vida seno a tua,
no ocupar-me seno de Ti.

Santa Teresa dos Andes, Dirio 17

   

   A verdadeira luz a razo orientada pelo Amor

Olha que o teu anjo da guarda
nem sempre move o apetite a agir,
se bem que ilumine sempre a razo.
Portanto, no estejas espera do gosto
para praticar a virtude,
pois basta a razo
e o entendimento.

S. Joo da Cruz, Ditos de luz e Amor 36

   

   Vida da tua vida

Quem s Tu, doce Luz, que me enches
e iluminas as trevas do meu corao?
Tu me conduzes com uma mo de me.
E se me abandonasses,
no poderia dar nem mais um passo.
Tu s o espao
que envolve e oculta todo o meu ser.
Se te afastasses de mim,
logo me afundaria no abismo do nada
que Tu elevas para o ser.
Oh, Tu, mais perto de mim que eu prpria
e mais interior do que o meu interior mais profundo.
Tanto mais imperceptvel e inexpugnvel
quanto no teu Nome se encontra todo o nome.
Esprito Santo Amor Eterno!

Santa Teresa Benedita da Cruz, Poema ao Esprito Santo

   

   Repousar em Deus

A alma que ama
permanece em Deus
e Deus permanece nela.
Assim, graas ao amor e pelo amor,
a criatura torna-se o repouso de Deus
e Deus o repouso da criatura.

B. Isabel da Trindade, Carta 217

   

   A recompensa do Amor amar!

Dizei-me que os bem-aventurados
podem ainda trabalhar pela salvao das almas...
Se no puder trabalhar no paraso para a glria de Jesus,
prefiro ficar no exlio
e continuar a combater por Ele!

Santa Teresa do Menino Jesus, Representao Piedosa 8

   

   A minha vida amor

A minha vida amor,
este nctar suave circunda-me,
este amor misericordioso penetra-me,
purifica-me,
renova-me
e sinto que me consome:
o grito deste meu pobre corao
o de Vos amar, meu Deus

Beata Elias de S. Clemente, Pensamentos cad.25, 1923

   

   Deus infinito como o oceano

Deus no pode expressar-se mediante a palavra humana,
porque a palavra humana limitada
e Deus infinito.
Assim como o oceano no se pode encerrar num copo,
to pouco e com muito mais razo
pode expressar e conter o infinito
a palavra humana,
a linguagem humana,
que est feita para servir de canal
a um pensamento humano.

P. Maria-Eugnio do Menino Jesus, Movidos pelo Esprito

   

   O Castelo interior

Bem compreendia que tinha alma,
mas o que merecia esta alma,
e Quem estava dentro dela,
no o entendia,
porque eu mesma me tapava os olhos
com as vaidades da vida
para o no ver.
Que a meu parecer,
se eu ento entendera, como agora entendo,
que neste pequenino palcio da minha alma
cabe to grande Rei,
no o deixara tantas vezes s,
algumas ter-me-ia ficado com Ele;
mais, procuraria que no estivesse to suja.

   

   Rogou por mim!

Vemos que Jesus Cristo, na Sua orao,
rogou tambm por ns:
No rogo somente por estes,
mas tambm por aqueles que,
pela sua palavra, ho-de crer em Mim.
E ns temos a felicidade de ser do nmero daqueles que,
pela palavra dos Apstolos
que nos foi transmitida pelos seus sucessores,
acreditam no Senhor,
pelo que Cristo tambm rogou ao Pai por ns.
Sinto-me to feliz quando penso que Ele me tinha presente
no momento em que dirigiu ao Pai esta orao:
que pensou em mim
e me apresentou ao Pai
como filha do Seu amor!

   

   O meu Cu: viver de Amor!

Viver de Amor enxugar-Te a Face,
alcanar o perdo dos pecadores.
Deus de Amor! Que eles voltem tua graa
E que para sempre bendigam o teu Nome
At ao corao me chega a blasfmia,
Para apag-la quero sempre cantar:
O teu Nome Sagrado, eu O adoro e Amo
Vivo de Amor!

Morrer de Amor, eis a minha esperana.
Quando vir quebrantarem-se os meus laos
O meu Deus ser a minha Grande Recompensa:
No anseio possuir outros bens.
Quero ser abrasada pelo seu Amor,
Quero v-lO, unir-me a Ele para sempre.
Eis o meu Cu eis o meu destino:
Viver de Amor!!!

Santa Teresa do Menino Jesus, Poesia 17, 11.13.15

   

   Permanecei em Mim

o prprio Verbo de Deus que d esta ordem
e que exprime esta vontade.
Morai em mim,
no por alguns instantes,
algumas horas que tm de passar,
mas morai
num modo permanente, habitual.
Permanecei em mim,
orai em mim,
adorai em mim,
amai em mim,
sofrei em mim,
trabalhai, agi em mim

   

   Vocao redentora

H uma vocao para sofrer com Cristo,
e portanto para colaborar na sua obra de redeno.
Se estamos unidos ao Senhor,
somos membros do corpo mstico de Cristo;
Cristo continua a viver nos seus membros
e sofre neles,
e o sofrimento suportado
em unio com o Senhor
o Seu sofrimento,
enxertado na grande obra da redeno
e, por isso, fecundo.
Por meio de uma livre e alegre aceitao do sofrimento
pelos pecadores
participa-se na redeno da Humanidade.

Santa Teresa Benedita da Cruz, Carta de Natal de 1937

   

   O caminho para Deus

Cumpramos a vontade de Deus em tudo,
embora s vezes, ela se apresente
de uma maneira mortificante,
contrariando o nosso prprio parecer e juzo.
Isto amar a Deus.
Isto viver correspondendo
a esse amor infinito, divino.

Santa Teresa dos Andes, Carta 114

   

   O Vosso olhar reveste-me de graa

E quando Tu me olhavas
Sua graa Teus olhos me imprimiam
Por isso me adoravas
Adorar significa amar muito.
mais do que simples amar;
como amar duplamente
Deus, ao colocar na alma a sua graa,
torna-a digna e capaz do seu amor.
Assim, pode tambm [a alma] dizer:
Porque tinhas posto em mim a Tua graa,
que eram prendas dignas do teu amor,
por isso me adoravas, quer dizer,
mais graa me concedias.
Isto o que diz S. Joo:
Dele recebemos graa sobre graa (Jo 1, 16),
ou seja, recebemos mais graa,
porque sem a Sua graa
no se pode merecer a Sua graa.

S. Joo da Cruz, Cntico Espiritual 32, 5

   

   Perder-me em Deus

Meu Deus,
o meu corao lana-se para Vs,
e quereria perder-se em Vs
como uma gotinha de gua
lanada no mais profundo mar
Como as ondas do mar se sucedem umas s outras
perdendo-se na praia,
assim todos os meus pensamentos,
todos os meus afectos
os perco em Vs,
meu Deus.

Beata Elias de S. Clemente, Caderno 25

   

   Sou sacerdote