No diálogo silencioso do coração

«Na vida oculta e silenciosa realiza-se a obra da Redenção. No diálogo silencioso do coraç...

Deus é a minha morada

«Deus é a minha morada, o meu Templo, a vida da minha vida e o Ser do meu ser, sem Ele nã...

Tempo: Comum

 

 

   Educar os filhos para Ti

«Sois solícitos em educar os vossos filhos
no conhecimento de Deus e das Suas leis?
Tende presente que também isto
é um dever sagrado,
que pertence à missão confiada por Deus aos pais.»

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Fátima. 1.

   

   O Senhor não se arrepende do Seu amor.

«Em Deus não há nenhuma mudança.
Ele ama-nos
e não se arrepende de nos amar
em nenhum momento.
Ele continua a amar-nos
como nos amou no primeiro dia,
no dia do nosso Batismo.»

Beato Pe. Eugénio Maria do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências. 08.05.1966

   

   Abbá

«Nada melhor que o silêncio, a contemplação,
para penetrarmos nesse amor cheio de misericórdia,
para conhecermos o amor de Deus
que esquece a nossa miséria
e se abraça a ela,
alegrando-se com os nossos regressos,
as nossas conversões e até os nossos desejos…
Só quando nos sentimos perdoados
e amados por Deus,
sabemos o que é chamar-Lhe na oração:
“Abbá, Pai!”.»

Santo Henrique de Ossó | 1840 - 1896
Quarto de Hora de Oração. Quinta-feira. Oitava semana

   

   Desejar despojar-me para que Tu me ocupes, senhor.

«Deus só quer o nosso Coração:
se não o despojamos de tudo o que não é Ele,
não pode agir e fazer o que quer. […]
“Tenho”, diz “tesouros infinitos para te dar”.

Frei Lourenço da Ressurreição | 1614 - 1691
Carta 4

   

   Matem-me tua vista e formosura.

«“Matem-me tua vista e formosura.”
É como se dissesse:
Se é tão grande o gozo causado
pela vista do Teu ser e formosura,
ao ponto de a minha alma não a poder aguentar
sem que eu tenha de morrer ao vê-la,
então matem-me Tua vista e formosura. […]
Para a alma que ama,
a morte não pode ser amarga,
porque nela encontra todas as suas doçuras
e enlevos de amor.
A lembrança da morte não lhe pode causar tristeza,
pois encontra nela a alegria;
nem lhe pode causar inquietação e dor,
porque, além de ser o fim
de todos os seus pesadelos e penas,
é o princípio de todo o seu bem.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual. 11. 6, 10

   

   Sou da Casa de Deus

«Há pouco estava a ler em São Paulo
estas palavras tão simples,
e, ao mesmo tempo, tão profundas:
“a nossa conversação está nos céus”
e pensava que a minha alma,
para encontrar a vossa,
devia ir até aí!...
Não experimentais diariamente
a verdade deste pensamento:
“Não sois já hóspedes ou estrangeiros,
mas antes da Cidade dos santos
e da Casa de Deus”?»

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 250. Ao Abade Chevignard. (Cerca de) 29 de Novembro de 1905

   

   A visita do Rei

«Entre tantas pessoas que existem no mundo
tu és honrada com a visita desse grande Rei.
Mais ainda:
para que te poderes aproximar para O receber,
Ele deixa o Seu esplendor
e, sob a forma de pão,
do mais simples dos alimentos,
une-se à sua pobre criatura,
para fazer-Se uma mesma coisa com ela.
Ele está ardendo em infinito amor,
e ela permanece fria e indiferente,
sem Lhe agradecer tão assinalado favor.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 117. A Hermínia Valdés Ossa

   

   Sacrifico-me pela amada Igreja.

«Meu Jesus,
dirigi-me a Vosso Pai e a meu Pai;
Ele mostrou-me a Sua Filha unigénita [a Igreja]
e disse-me:
“Minha Filha muito amada é a tua Filha”.
Uma vez que a Sua eterna sabedoria assim o dispôs,
eu me rendo e me sujeito…
Eu morro de amor por Ela;
Vós o sabeis,
chamo-A, busco-A, vejo-A,
mas na obscuridade.
Estou ao seu serviço;
Senhor meu Deus, manda-me,
revela-me o que quereis que faça
para Lhe agradar e comprazer.
Vós sabeis que sobre o altar da cruz
tenho a minha vida sacrificada por Ela,
sacrificado o meu repouso
e tudo quanto tenho de mais querido…»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Minhas vivências com a Igreja. Fragmentos VII, 5

   

   Tu és o meu rochedo firme

«Ilumina as minhas trevas,
que eu conheça o meu fim,
que eu Te conheça,
que eu Te ame,
que eu Te siga,
que eu Te sirva com integridade de vida.»

Maria Felícia de Jesus Sacramentado (Chiquitunga) | 1925 - 1959
Pensamentos. pg. 16

   

   Aumenta a minha fé no Sacramento do Amor!

«Muita Majestade trazeis Vós,
Senhor meu,
no Santíssimo Sacramento;
mas como não têm fé viva, senão morta,
estes tais vêem-Vos tão humilde
debaixo das espécies de pão,
e nada lhes dizeis
porque não o merecem ouvir,
e assim se atrevem a tanto.
[…]
E, Senhor meu,
se significa paz e amizade
[o Santíssimo sacramento],
por que não Vos pedirão as almas
que a tenhais com elas?
Que melhor coisa podemos pedir
do que o que eu vos peço, Senhor meu;
que me deis esta paz…?»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Meditações sobre os Cantares. 2, 12

   

   Mãezinha do Céu, ajuda-me!!...

«Terei longas horas de tédio,
de tristeza, de desgosto por doença,
por quedas, por desilusões,
sentir-me-ei só, fria, sem coragem,
desiludida, desconsolada…
mas, Vós, ó Maria, ajudai-me!
Não vos peço outra consolação a não ser esta:
ajudai-me a ser forte, paciente,
vitoriosa, constante,
visto que desejo ser santa…»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 93. A Vicenza Rinaldi. 12.04.1925.

   

   Como a uma criancinha, Tu socorres aquele que ama sem sentir.

«Peço a Jesus
que faça brilhar na vossa alma
o sol da sua graça.
Ah! não receeis dizer-Lhe que O amais,
mesmo sem o sentir,
é o meio de forçar Jesus a socorrer-vos,
a levar-vos como uma criancinha
demasiado fraca para caminhar.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 241. À Irmã Marta de Jesus. Junho de 1897

   

   Não baixar os braços.

«Faço o propósito de me emendar
naquilo em que cometi falta,
e peço à Santíssima Virgem
que supra a minha pobreza.»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Carta 16

   

   Exultação!

«Oh! Quão admirável é Jesus!
Meu Deus, eu Te adoro!
Só Tu és grande;
adoro a Tua grandeza, o Teu poder.
Só Tu és digno de admiração…
Tu és admirável.
Quem é semelhante a Ti?
Não há outro deus semelhante a Ti,
nem no Céu, nem na terra.
Quão feliz sou por Deus me ter criado
para O poder chamar “meu” Deus!»

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevações Espirituais. 6

   

   A tranquila atividade da vida divina

«A alma que no mais alto grau de oração
entrou na “tranquila actividade da vida divina”,
não pensa senão em entregar-se ao apostolado
a que Deus a chamou.»

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
A oração da Igreja – Obras Completas.

   

   Convidas-me a ser todo Teu, Senhor!

«O que tens que procurar
é ser cada dia mais de Deus:
esvaziar o teu coração
de tudo o que não seja Ele;
não ter nenhum outro amor […]»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 146. A uma amiga

   

   Desejo viver de Ti, Jesus!

«Ó Jesus,
absorve-me em Ti,
transfunde-Te em mim,
transforma-me em Ti
e faz que eu viva só de Ti.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
O que faz o amor. pg. 183

   

   Os santos na glória

«No Céu da glória,
os bem-aventurados não têm “repouso
nem de dia nem de noite, dizendo:
Santo, santo, santo, o Senhor Todo-Poderoso...
E, prostrando-se, adoram Aquele
que vive pelos séculos …”
No céu da sua alma,
o louvor de glória
começa já o seu ofício da eternidade.
O cântico é ininterrupto,
porque está sob a acção do Espírito Santo
que nele tudo opera.»

Beata Isabel da Trindade | 1880 - 1906
O Céu na terra. 44

   

   Confiar sempre em Jesus

«A confiança honra Jesus;
leva a alma para os Seus braços
e a impele maravilhosamente
no caminho do amor.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 21

   

   Perdoar sempre

«Boa é para todos a disciplina do Senhor,
a qual abracemos como discípulas obedientes.
E como nos manda o glorioso S. Paulo,
não paguemos o mal com o mal,
nem, como mulheres ignorantes,
procuremos vingança:
que é outro erro de que mais me aflijo às vezes,
vendo-o entre gente espiritual;
ainda que não poderei dizer que o vi
em muitas queridas Irmãs,
as quais, imitando ao seu Esposo, sempre dizem:
perdoai-lhes, Senhor,
que não sabem o que fazem.»

Madre Maria de S. José | 1548 - 1603
Carta de uma pobre e presa Descalça. Lisboa 1593. pg 20

   

   Quero guardar o meu coração para Ti, Senhor.

«Amar o recolhimento,
a solidão e o silêncio,
tendo ciosamente guardada a alma,
não a introduzindo em ligeirezas e distrações,
vivendo sempre a presença de Deus…»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 – 1927
Pensamentos (Caderno 26), Propósitos. pg. 350

   

   Glória só a Ti, Senhor!

«Enquanto que os homens,
para vencer um contrário,
se preparam fabricando armamentos de guerra,
Deus prepara instrumentos de paz,
de oração e sacrifício
no seguimento de Cristo,
na renúncia a si mesmos,
para fazer a vontade do Pai.»

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus | 1907 - 2005
Como vejo a Mensagem. pg. 57

   

   Confiar ativamente

«A confiança na misericórdia
não quer dizer que abandonemos tudo,
que deixemos correr as coisas
de qualquer maneira.»

Beato Pe. Eugénio Maria do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências. 19.06.1966

   

   Consolação

«Caríssima Senhora,
soube há momentos
que Deus veio até si com a sua Cruz
pedindo-lhe o mais doloroso dos sacrifícios
e peço-Lhe para ser Ele mesmo a sua Força,
o seu Apoio, o seu divino Consolador!
Toda a minha alma e todo o meu coração
são um consigo,
pois bem sabe, querida Senhora,
que profunda afeição me une a si.
Hoje partilho toda a sua dor; […]
Diz-se no Evangelho
que na sepultura de Lázaro,
ao ver a dor de Maria, “Cristo se perturbou e chorou …”
Ele está junto de si, querida Senhora,
este Mestre cujo Coração é tão compassivo.»

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 195. À senhora Farrat. 15 de fevereiro de 1904

   

   Unir-me a Jesus!

«Ao entrar na oração
deves fazer um ato de união.
Este ato é coisa muito simples e singela.
É querer o que Deus quer
e não querer o que Ele não quer;
é abrir-lhe o coração
e oferecer-se a quanto exija e te peça.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 42

   

   Como sou amado!

«Não há coisa que mais incite a amar
do que ver como somos amados.
E Jesus, Caminho, Verdade e Vida,
demonstrou-nos esse amor de mil maneiras.»

Santo Henrique de Ossó | 1840 - 1896
Quarto de hora de oração. Quarta semana. Quarta-feira.

   

   Confiar em Ti, Senhor!

«Depois de me ter entregue todo a Deus […]
via-me às vezes, diante d’Ele
como um pobre criminoso
aos pés do seu juiz,
outras vezes via-O no meu coração,
como meu Pai e como meu Deus.»

Frei Lourenço da Ressurreição | 1614 - 1691
Carta 12

   

   Desejos de Deus

«A alma
[que vive no ardor e afeição do amor de Deus]
morre com desejos de mergulhar naquele Sumo Bem
que experimenta presente e oculto;
mas, apesar de encoberto,
experimenta de maneira notável
o bem e o gozo que Ele contém.
Por isso,
com mais força é atraída e arrebatada a alma
por este bem
do que qualquer coisa natural o é pelo seu centro.
É com essa ânsia
e entranhável desejo
que a alma, não podendo aguentar mais, diz:
“Mostra a Tua presença”.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual. 11, 4

   

   Face a face nas trevas.

«Ultimamente escreveram-me este belo pensamento:
“A fé é o face a face nas trevas.”
Oh, senhor Cura,
que isso seja verdadeiro para as nossas almas
através de todas as fases
pelas quais o santo Deus as quer levar
e que nada nos possa distrair da visão da sua Caridade.
Ele fez-nos dizer através do seu Verbo encarnado:
“Permanecei no meu amor”.»

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 193. Ao abade Jaillet. 11 de fevereiro de 1904

   

   Se vivo para o Senhor, morrerei para o Senhor.

«Mais de uma vez terás estado em contacto com a morte:
algum amigo, uma pessoa da tua família…
Sentiste na alma a dor profunda da separação,
talvez uma certa angústia
e inquietação pelo além.
Que haverá depois da morte?
Quando chegará a minha hora?
É bom meditar, alguma vez,
nesse derradeiro momento
que chegará para todos nós.
Se vivo para o Senhor,
então também hei de morrer para o Senhor.»

Santo Henrique de Ossó | 1840 - 1896
Quarto de Hora de Oração, p. 59

   

   No Céu ama-se mais!

«Adeus, minha irmã querida,
queria que o pensamento da minha entrada no Céu
te enchesse de alegria,
visto que poderei amar-te ainda mais.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 257. A sua irmã Leónia. 17 de julho de 1897

   

   Entrar pela porta que Deus abre

«Temos que entrar pela porta
que Deus abrir
seja ela qual for.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 4.

   

   Amas-nos sem medida.

«Vemos, Senhor meu,
que nos livrais muitas vezes
dos perigos em que nos metemos,
ainda mesmo para nos pormos contra Vós.
Como acreditar que não haveis de nos livrar
quando não pretendemos mais do que contentar-Vos
e regalarmo-nos conVosco?
Não, eu nunca o pude crer.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Fundações. 4, 4

   

   A Tua misericórdia é infinita.

«Confesso-vos, meu Irmão,
que não compreendemos o Céu da mesma maneira.
Parece-vos que participando eu da justiça,
da santidade de Deus,
não poderei desculpar as vossas faltas
como na terra.
Então esqueceis que participarei também
da misericórdia infinita do Senhor?
Creio que os Bem-aventurados
têm uma grande compaixão pelas nos¬sas misérias.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 263. Ao P. Bellière. 10 de agosto de 1897

   

   Que coisa tão bela rezar!

«Que coisa tão bela rezar
a Quem tem tanta vontade de Se dar!»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinário (Pe Ildefonso). 31

   

   Acreditar é pôr em prática

«Não basta pregar,
é preciso pôr em prática.»

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevações Espirituais, 57

   

   A glorificação mais perfeita do Pai

«Só por Cristo
a humanidade pode chegar ao Pai;
o Seu ser humano e divino
e a Sua obra redentora
são a glorificação mais perfeita do Pai».

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
A Oração da Igreja.

   

   Primeira Comunhão

«Todos os dias
eu pedia licença à minha mãe
para fazer a Primeira Comunhão.
Até que ela acedeu em 1910.
Comecei a minha preparação.
Parecia-me que esse dia nunca chegaria
e chorava pelos desejos que tinha
de receber Nosso Senhor.
Preparei-me um ano para a fazer.
Durante este tempo
a Virgem ajudou-me a purificar o meu coração
de toda a imperfeição.
No mês do Sagrado Coração [junho]
modifiquei o meu caráter por completo.
Tanto assim que minha mãe estava feliz
por me ver a preparar-me tão bem
para a minha Primeira Comunhão.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Diário. 5

   

   Estás sempre disponível para mim.

«Nos períodos de depressão física
e de abatimento espiritual,
se se torna difícil recolher as nossas energias
para erguer-se e elevar-se,
repousemos no Senhor
e não nos entristeçamos.
Tal estado pode trazer à alma
grande proveito;
basta que acolha a presença de Deus
e Lhe ofereça a própria humilhação.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Conselhos 5, 4

   

   Acolher toda a graça.

«No Céu dos santos
estás destinada a resplandecer,
qual estrela.
Não ponhas obstáculo à graça.
Dá morte ao teu “eu”
para que o desígnio do divino Amor
tenha a sua plena realização em ti.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 43

   

   Amar a pobreza e a pequenez

«A sua Elias está bem longe
de desejar o que brilha,
não ama senão a sua pequenez
e a sua pobreza…»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 – 1927
Carta 108. Ao Padre Elias. 15.07.1925.

   

   Espero em Ti, Senhor!

«O olhar da alma
deverá fixar Jesus incansavelmente.
A Sabedoria do Verbo Se manifestará […]
no despojamento e na pobreza.»

Beato Pe. Eugénio Maria do Menino Jesus | 1894 - 1967
Vem encontrar o Deus Vivo. pg 37

   

   Só Tu bastas, Senhor!

«Durante muito tempo,
parecia-me que tinha necessidade dos outros
e tinha mais confiança nas ajudas do mundo;
mas depois, percebi claramente
serem todos uns pauzinhos de alecrim seco
que, ao agarrar-se a eles,
não oferecem segurança
e se quebram
com qualquer peso de contradições ou murmurações.
E, por isso, tenho experiência
de que o verdadeiro remédio para não cair
é agarrarmo-nos à Cruz
e confiar n’Aquele que nela esteve.
Tenho-O por um Amigo verdadeiro
e encontro-me com tanta segurança
que me parece que poderia resistir a todo o mundo
desde que não me faltasse Deus,
porque só Deus basta.»

Santo Henrique de Ossó | 1840 - 1896
Quarto de Hora de Oração. Anexo 1

   

   Viver em santa liberdade

«Devemos servir a Deus
em santa liberdade.»

Frei Lourenço da Ressurreição | 1614 - 1691
Carta 4

   

   Mostra a Tua presença

«“Mostra a Tua presença.”

Como esta alma vive no ardor e afeição
do amor de Deus,
devemos entender
que a presença que aqui pede ao Amado [Jesus]
para lhe mostrar,
se refere sobretudo àquela presença afetiva
que o Amado fez à alma.
Esta presença foi de tal maneira sublime,
que a alma julgou e sentiu
estar ali encoberto um imenso ser,
do qual Deus lhe comunica alguns reflexos encobertos
da Sua divina formosura.
O efeito que lhe causam é tal,
que ela fica a suspirar e a morrer de desejo
por aquilo que naquela presença sente encoberto.
É o que sentia David quando disse:
A minha alma suspira e desfalece
pelos átrios do Senhor (Sl 83, 3).»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual. 11, 4

   

   A fé ilumina-me com o Sol de Amor.

«Prometo conceder-vos todos os dias
uma especial intenção na hora de “Tércia”
para que o Espírito de Amor,
Aquele que sela e consome o “Um” na Trindade,
vos conceda uma abundante efusão d’Ele mesmo.
Que vos transporte à luz da fé
até aos cumes onde não se vive senão de paz,
de amor e de união
já iluminada pelos raios do divino Sol.»

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 193. Ao abade Jaillet. 11 de fevereiro de 1904.

   

   Presença sacramental de Cristo no altar.

«Cristo está realmente presente no altar.
Sob as espécies de pão e vinho
está o Seu Corpo e o Seu Sangue:
ali o Seu Corpo, ali a Sua Alma, ali a Sua Divindade.
As espécies de pão e vinho
são o sinal da Sua presença no altar.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Texto Autografado, 3, 4 a)

   

   O Pão de cada dia nos dai hoje

«Oh! Valha-me Deus!
Que grande amor o do Filho,
e que grande amor o do Pai!
Ainda não me espanto tanto do bom Jesus,
porque como já tinha dito ‘fiat voluntas tua’,
tinha-o de cumprir como Quem é.
Sim, que não é como nós,
pois, como a conhece [a vontade do Pai],
cumpre-a amando-nos como a Si,
e assim andava a buscar
como cumprir este mandamento
com maior perfeição
embora fosse à Sua custa.
Ó Senhor Eterno!
Como aceitais tal petição, como o consentis?
Não vejais o Seu amor,
que a troco de fazer perfeitíssima a Vossa vontade,
e de a fazer por nós,
se deixará fazer em pedaços cada dia!
É de Vós, Senhor meu, o olhar a isto,
já que a Vosso Filho nada se Lhe põe diante.
Porque há-de ser todo o nosso bem à Sua custa?
Porque a tudo se cala
e não sabe falar por Si, senão por nós?»

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Caminho de Perfeição 33, 3-4

Na foto: quadro representando Jesus e Santa Teresa de Jesus, que hoje se celebra.

   

   O nosso «Espaço Vazio»

“Nós não podemos oferecer-lhe
senão o nosso «espaço vazio».
Mas não totalmente vazio,
porque dentro dele
há um amor sincero e agradecido.”

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Carta 172

   

   Não ofendam mais a Deus…

«Estamos, pois, Ex.mo e Rev.mo Senhor Bispo,
em o dia 13 de Outubro.
Neste dia, já V. Ex.a Rev.ma sabe tudo o que se passou.
Desta aparição,
as palavras que mais se me gravaram no coração
foi o pedido da Nossa Santíssima Mãe do Céu:
– Não ofendam mais a Deus Nosso Senhor,
que já está muito ofendido.
Que amorosa queixa e que terno pedido!
Quem me dera que ele ecoasse pelo mundo fora
e que todos os filhos da Mãe do Céu
ouvissem o som da Sua voz!»

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus | 1907 - 2005
Segunda Memória, 13 de outubro. pg. 96-97

   

   Abandonar-me nos Teus braços, como uma criança.

«Este Pão do Céu fortaleceu-me,
ora vede,
parece que a minha peregrinação
não pode acabar.
Bem longe de me queixar,
alegro-me por Deus me permitir sofrer ainda por Seu amor.
Ah! como é doce abandonar-se nos Seus braços,
sem temores nem desejos.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 263. Ao P. Bellière. 10 de agosto de 1897

   

   Amar os que estão longe

«A nossa caridade
não se deve orientar apenas
para os que nos estão próximos,
mas ser para todos.
É necessário, por isso,
rezar e oferecer pela Santa Igreja,
pelos ministros de Deus,
pelas almas justas e pelos pecadores,
e por aqueles
que ainda vivem fora do seio da santa Igreja.»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinário (Ricasoli). 23.

   

   Preferir o caminho normal

«Não temos necessidade de ouvir
a palavra de um Anjo;
temos os mandamentos.
Tudo está escrito,
temos o caminho traçado diante de nós.
Mas é necessário caminhar
e caminhar pelo reto caminho.
Se caminhas por outro lado,
ou se ficas aí por terra,
para que coisa serve a luz?
Mas se caminhas no caminho reto,
traçado diante de ti
terás a luz.»

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevações Espirituais. 36

   

   O abandono

«Abandonar-se à graça sem reservas.
O abandono é o acto mais livre da sua liberdade.
Aquele que totalmente despreocupado de si
se entrega à graça,
entra completamente dentro dela
sendo totalmente ele próprio.»

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
Obras Completas

   

   O amor de Jesus

«Meu Lúcio querido:
Que o amor de Jesus
se apodere da tua alma.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 107. Ao seu irmão Lúcio. 11 de junho de 1919

   

   Rainha do santíssimo Rosário

«Mãe da Divina graça,
Mãe do Divino amor,
de que o Seu Imaculado Coração é símbolo,
é recetáculo do amor a Deus
e às almas
remidas pela obra redentora
de Jesus Cristo Seu Filho,
que as confiou aos Seus cuidados de Mãe,
no cimo do Calvário ao espirar, pregado na Cruz:
“Mulher, eis aí o Teu Filho”.»

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus | 1907 - 2005
Como vejo a Mensagem. pg. 51

   

   Não há santidade sem cruz.

«O edifício da santidade
não se edifica nas almas
sem a imolação.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Pensamentos sobre Imagens (2ª série) 34, pg. 73

   

   A calma e serenidade.

«A calma no sofrimento
dá à alma o poder
de se abraçar ao seu Deus
e amá-Lo[…]»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 28

   

   Ser amigo de Jesus

«Temamos pois, Irmãs,
não sejamos traidoras ao nosso bom Jesus,
que é tão bom amigo para nós.»

Madre Maria de S. José | 1548 - 1603
Carta de uma pobre e presa Descalça. Lisboa 1593

   

   Caudais de misericórdia!

«O Senhor tornou-me clara
toda a Sua imensa misericórdia
prodigalizada à minha alma
e que se Ele dá desejos infinitos ao meu coração,
não pode deixá-los irrealizados…»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 – 1927
Carta 75. Ao Padre Elias. 04.03.1925.

   

   Tu és o meu Tudo!

«Que Cristo Jesus
seja verdadeiramente
o nosso Tudo!»

Beato Pe. Eugénio Maria do Menino Jesus | 1894 – 1967
Homilias e Conferências. 06.03.1966

   

   Único fim: agradar a Jesus!

«Podes portanto […]
ocupar-te da “única coisa necessária”,
quer dizer,
que mesmo entregando-te com dedicação
às obras exteriores
seja teu único fim: agradar a Jesus,
unir-te mais intimamente a Ele.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 257. A Leónia. 17 de julho de 1897

   

   Em Ti sou vitorioso!

«Senhor Jesus,
quero hoje repetir-Te
aquelas palavras da oração
que Tu nos ensinaste:
“não nos deixeis cair em tentação”.
Porque muitas vezes
é grande a luta a travar contra o pecado.
Levamos dentro de nós esse espírito do mal
que nos faz sentir a divisão interior
e gemer como S. Paulo, dizendo:
“faço o mal que não quero”.
Jesus, tem compaixão de mim
e ajuda-me a sair vitorioso das lutas contra o mal.
Ajuda-me a perder a vida
para Te encontrar a Ti
que és a Vida.»

Santo Henrique de Ossó | 1840 - 1896
Quarto de Hora de Oração. Segunda Semana.

   

   Confiança em Deus

«Estou muito satisfeito
com a confiança que depositas em Deus;
espero que Ele te aumente essa confiança
cada vez mais.»

Frei Lourenço da Ressurreição | 1614 - 1691
Carta 10

   

   Amar-Te com loucura!

«Quando se ama
não se pode deixar de falar do objeto amado.
E ainda mais quando o objeto amado
reúne em Si todas as perfeições possíveis.
Não sei como poderia fazer outra coisa
senão contemplá-Lo e amá-Lo.
Que queres que te diga,
se Jesus Cristo, esse Louco de amor
me tornou loca?
É um martírio aquilo que sofro
ao ver que corações nobres e bem nascidos,
corações capazes de amar o bem,
não amem o Bem imutável;
que corações agradecidos às criaturas
não o sejam para com Aquele que os sustenta,
que lhes dá e que lhes deu tudo,
até dar-Se a Si mesmo.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 107. Ao seu irmão Lucho. 11 de junho de 1919

   

   Seguir-Te só a Ti, Senhor!

«Por muito santo que seja,
nunca tomes o homem por modelo
no que tiveres a fazer,
porque o demónio acabará
por te mostrar as suas imperfeições.
Imita antes a Cristo, sumamente perfeito e santo,
e nunca te enganarás.»

S. João da Cruz | 1542 – 1591
Ditos de Luz e Amor. Pontos de amor 2. 156

   

   Deus é meu Pai!

«Desde que Jesus
nos revelou que Deus é Pai,
a nossa oração mudou.
Já não temos “o espírito de servos
para recair no temor,
mas o de filhos, que nos faz exclamar:
Abba, Pai”.
E esta confiança, este espírito filial
é o que nos torna perseverantes na oração.»

Santo Henrique de Ossó | 1840 - 1896
Quarto de Hora de Oração. Oitava Semana.

   

   Na guerra… a paz!

«Na guerra que fizeres ao teu eu,
encontrarás a paz.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 60

   

   A prática das virtudes

«Sinto, no fundo do meu coração,
que Deus me quer toda sua,
mas não surda à Sua vontade,
particularmente na prática das virtudes,
na qual encontro muitas repugnâncias.»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Carta 11

   

   Chamados à Vida Eterna

«Se a função da alma
é descobrir a Deus no seu centro
e acolhê-l’O livremente,
então compreende-se como a essência da alma
seja a união com o Deus uno e Trino,
pelo que esta vocação à união, à inhabitação trinitária,
se identifica com a vida eterna».

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Obras Completas

   

   O amor é tudo!

«Para Deus, os pensamentos contam pouco,
o amor é tudo.»

Frei Lourenço da Ressurreição | 1614 - 1691
Máximas Espirituais. 10

   

   O poder só serve para servir.

«Para as que governam:
amor, solicitude, prudência e discrição.
Fazer-se toda para todas,
não ser de si mesma, mas de todas;
cuidar de cada uma das irmãs
como de si própria;
pôr-se no lugar e no sítio da mais pequena de todas;
considerar ser a serva de todas,
a vassoura da casa,
a mais miserável
e a escrava de todas.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 7

   

   Aceitar a Cuz

«Não é razão que resistamos
a quem nos quer afligir;
mostremo-nos contentes.»

Madre Maria de S. José | 1548 - 1603
Carta de uma pobre e presa Descalça. Lisboa 1593

   

   Acolher com amor o que Deus nos dá.

«A única felicidade que há na terra
é aplicar-nos a achar sempre deliciosa
a parte que Jesus nos dá.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 257. A Leónia. 17 de julho de 1897

   

   Deixar-me olhar por Deus.

«Não te avalies a ti mesma.
Deixa que seja Deus a julgar-te.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Escritos Vários. pg. 3

   

   Pensais que é pouco ter um tal Amigo a vosso lado?

«Procurai…, pois estais sós,
arranjar companhia
e que melhor
que a do mesmo Mestre que ensinou a oração
que ides rezar?
Representai-vos o mesmo Senhor junto de vós
e vede com que amor e humildade
vos está ensinando.
E crede-me enquanto puderdes,
não estejais sem tão bom Amigo.
Se vos acostumardes a trazê-l’O ao pé de Vós
e Ele vir que O fazeis com amor
e andais procurando contentá-l’O,
não podereis afastá-l’O de vós;
nunca vos faltará,
ajudar-vos-á em todos os vossos trabalhos,
achá-lo-eis em toda a parte
e pensais que é pouco ter um tal Amigo
a vosso lado?»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Caminho de Perfeição 26,1

   

   Um pecador que se converte

«Num pecador que se converte,
Deus pode derramar
uma medida de amor,
uma abundância de amor
e de misericórdia.»

Beato Pe. Eugénio Maria do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências. 19.06. 1966

   

   Possuo-Te como um sol radiante

«Ó doce caridade do meu Deus,
fere-me, leva-me a Ti…
Meu Deus, Tu és senão paz, amor:
possuo-Te no centro da minha alma
como sol radiante,
em que desvanece toda a minha miséria
e, pelo fogo do Teu suave amor,
tudo é vivificado no meu pobre coração.»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Pensamentos. Caderno 26. 1921-1924. pg. 351

   

   Um connosco

«Um de nós tinha cortado
o laço da filiação divina,
e um de nós tinha de uni-lo novamente
e pagar a expiação.
Ninguém da velha geração enferma e degenerada
o podia fazer.
Por isso tina que ser enxertado um rebento novo,
saudável e nobre.
Ele fez-se um de nós,
mas não apenas isso,
fez-se também um connosco».

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Obras Completas - O mistério do Natal.

   

   Mãe, quero seguir-Te sempre!

«Quero seguir-Te sempre,
Por onde quer que for,
Contigo ser consagrada,
Pequena Hóstia d amor!

Humilde grão de trigo,
Moído por Teu amor,
Oferecido ao Pai contigo,
Hino de eterno louvor!

És Tu Senhora e Pastora,
Indo por esse mundo além,
Em busca dos filhos dispersos
Trazê-los no Teu Coração de Mãe

Vai celeste Mensageira,
Por essa terra inteira,
Não percas nem um só,
De quantos és Rainha e Padroeira.»

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus | 1907 - 2005
Como vejo a Mensagem. Pórtico.

   

   União dos corações

«Na sexta de manhã,
em estreita união com o Coração do Mestre
pedir-Lhe-ei que funda os nossos dois corações;
creio que Ele já o fez há muito tempo,
mas o amor, isso é algo de infinito
e no infinito podemos sempre ir mais longe!»

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 192. A Francisca de Sourdon. 27 de janeiro de 1904

   

   Ama e faz o bem!

«Ama e faz o bem
para possuíres eternamente o Bem imutável,
o Bem infinito,
o único que pode encher e satisfazer a tua vontade.
[…] Une-te a mim no que fizeres,
a fim de que não tenhamos
outro objetivo nos nossos atos
senão a Deus.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 107. Ao seu irmão Lucho. 11 de junho de 1919

   

   Suma da perfeição

«Suma da perfeição:

Esquecer-se do criado,
Memória do Criador,
Atenção ao interior
E estar amando o Amado.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Poesias XIV

   

   Sou Teu!

«Senhor,
Deus do meu coração,
muitas vezes tenho vivido
na cegueira mais absoluta,
longe de Ti.
Pensava procurar a felicidade
e o meu coração andava cada dia mais vazio.
Só Tu, Senhor, és capaz
de encher a minha vida.
Tu, o meu último fim!
Tudo por Ti,
nada sem Ti.
Sou Teu!»

Santo Henrique de Ossó | 1840 - 1896
Quarto de hora de oração. Primeira semana.

   

   Dar um presente a Maria!

«A Santíssima Virgem dá-me a entender
que não está zangada comigo,
pois nunca deixa de me proteger
logo que A invoco.
Se tenho qualquer inquietação,
uma dificuldade,
volto-me depressa para Ela,
e como a mais terna das mães,
encarrega-Se sempre dos meus interesses.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito C. 25 vº - 26rº

   

   Olhar para o próximo através de Ti, Jesus!

«Não olheis para o próximo
sem olhar para o Senhor,
senão caireis num buraco muito fundo.»

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Pensées de Marie de Jesus Crucifié, de Fr. Denis Buzy, scj

   

   Unir-me à Tua Cruz, Jesus!

«Jesus está ao teu lado:
não digas que estás sozinha.
É, pelo contrário, necessário
que Jesus Se cale,
para que o teu padecer seja puro padecer,
porque se sentíssemos Jesus
não sofreríamos mais».

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Cartas I, 73

   

   A vida espiritual é permanecer unido à videira

«Na vida do espírito, não avançar é retroceder.»

Frei Lourenço da Ressurreição | 1614 - 1691
Carta 1

   

   Faz-me semelhante a Ti, Jesus!

«Parece-vos coisa nova
e não usada
nos filhos de Adão
ser afligidos?
Não quero crer que o ignorais,
pois sou testemunha dos vossos fervorosos corações
e das vossas acesas palavras
com que me haveis descoberto
o ardente desejo de morrer com Cristo vosso Esposo. […]
Por certo, Irmãs e Madres minhas,
vergonha teria do mesmo Cristo e dos Seus Anjos
se a isto se pusesse o nome de trabalhos [sofrimentos],
lembrando-me que infinitas vezes,
com ardentes desejos,
e ainda com lágrimas saídas do coração,
tenho pedido a meu Senhor
me faça semelhante a Si:
e vendo-O qual O vejo numa Cruz,
com que cara Lhe pedirei honra e descanso?»

Madre Maria de S. José | 1548 - 1603
Carta de uma pobre e presa Descalça. Lisboa. 1593

   

   Ser obediente ao Rei que me habita.

«Entra no templo da tua alma,
fica ali em silêncio
e escuta a voz do Rei,
que a partir do trono do altar
que está no fundo do teu coração
sempre te fala.
Com fidelidade, com cuidado,
com toda a perfeição,
esforça-te por pôr em prática os Seus conselhos.
Caminha segundo a palavra
que Ele te anuncia no segredo do teu coração,
e viverás eternamente.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 14 de fevereiro de 1845

   

   Descansares a cabeça no meu coração

«Ouçamos o que Ele nos diz:
“Apressai-vos a descer,
é preciso que eu fique hoje em vossa casa.”
O quê! Jesus manda-nos descer...
Então até onde temos de descer?
Celina, tu sabe-lo melhor do que eu,
todavia deixa-me dizer
para onde devemos agora seguir Jesus:
“Mestre, onde moras?”
e Ele respondeu-lhes:
“As raposas têm as suas tocas,
as aves do céu os seus ninhos,
e Eu não tenho onde descansar a cabeça.”
Eis aqui até aonde devemos descer
para podermos servir de morada a Jesus.
Ser tão pobres
que não tenhamos onde descansar a cabeça.
[…] que ao menos no meu coração
Ele possa reclinar a cabeça querida
e sinta que aí é conhecido e compreendido!...»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 137. A Celina. 19 de outubro de 1892

   

   Ama Jesus!

«Ama Jesus, sim,
verdadeiramente!
Se tu soubesses como é belo,
como é querido,
como é amável!»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Apostólico (Francisco de Redi). 4.

   

   A virtude da humildade

«Com a dulcíssima virtude da humildade
conhecerás quem és.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Pensamentos sobre imagens. 44. pg 18

   

   Seja feita a Vossa vontade!

«Ó Senhor meu!
Que grande consolação é para mim
o não terdes deixado a um querer tão ruim como o meu
o cumprir-se a Vossa vontade!
Bendito sejais para sempre
e louvem-Vos todas as coisas!
Glorificado seja para sempre o Vosso Nome!
Bonito seria para mim, Senhor,
se estivesse em minhas mãos
o cumprir-se ou não a Vossa vontade!
Dou-Vos agora a minha livremente,
embora em tempo que não vai livre de interesse,
porque já tenho provas e grande experiência do ganho
que há em pôr livremente a minha vontade na Vossa.
Que grande lucro há nisto,
ou que grande perda se não cumprimos o que oferecemos ao Senhor,
quando isto lhe dizemos no Pai-Nosso.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Caminho de Perfeição 32,4

   

   Volumes inteiros não bastam para Te dizer, Senhor!

«Volumes inteiros
não bastariam para escrever
a infinita bondade do Senhor.»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 126. Ao Padre Elias. Setembro de 1925

   

   No meu caminho

«No meu caminho
o decisivo de forma consciente
foi o acontecido em mim:
topar com a imagem concreta da autêntica vida cristã
em testemunhos eloquentes como:
Agostinho, Francisco, Teresa…
É um mundo infinito que se abre
como algo absolutamente novo,
se em vez de vivermos para fora
começamos a viver para dentro.»

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942 Edith Stein, Cartas (8-11-1927)

   

   Confiar sempre!

«Quanto mais amamos,
tanto mais confiamos em Deus
e mais alegria Deus encontra em nós.»

Beato Pe. Eugénio Maria do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências. 19.06.1966

   

   Ainda na terra, marcamos encontro no Céu!

«Parabéns, minha Francisca.
Que o Mestre divino ao qual confiei os meus votos
te faça compreender tudo o que sobe da minha alma
em direção à tua!
Adivinha onde te vou festejar?
No Céu, muito simplesmente,
e encontro-me contigo,
pois, como vês, este Céu está muito próximo:
“Por todo o lado onde Ele é o Rei,
aí está também a sua corte”,
dizia a nossa santa Madre Teresa
e visto que Ele mora nas nossas almas,
estás a ver que não precisamos de ir muito longe
para entrar na Cidade de paz,
no Céu dos santos;
aí vou unir-me ao teu santo patrono
para fazer descer sobre a minha Francisca
as mais doces bênçãos do santo Deus,
que Ele a encha “com todas as riquezas da sua glória”,
como disse tão bem São Paulo!»

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 192. A Francisca de Sourdon. 27 de Janeiro de 1904

   

   Dar tudo a Jesus!

«Tomai atenção às pequeninas coisas.
Tudo é grande aos olhos de Deus.
Ele não quer ver rapina no holocausto.
Dai-Lhe tudo.»

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Pensées de Marie de Jesus Crucifié, de Fr. Denis Buzy, scj

   

   Aprender a amar

«Oh! Valha-me Deus!
Se entendêssemos quanta é a nossa miséria!
Tenho por maior mercê do Senhor
um dia de humilde conhecimento próprio,
ainda que nos tenha custado
muitas aflições e trabalhos,
que muitos dias de oração.
Tanto mais que o verdadeiro amante
em toda a parte ama e sempre se lembra do Amado.
Triste coisa seria
se só pelos cantos se pudesse fazer oração!
Bem vejo que não poderia ser por muitas horas,
mas, ó Senhor meu,
que força tem sobre Vós um suspiro de dor
saído das entranhas
por vermos que não só estamos neste desterro,
mas que nem sequer nos dão tempo
para estarmos a sós
gozando da Vossa presença!»

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Fundações V, 16

   

   Tu és o meu Céu!

«Tu não conheces o céu
que eu, por misericórdia de Deus,
possuo no meu coração.
Sim, Na minha alma tenho um céu,
porque Deus está na minha alma,
e Deus é o céu.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 107. Ao seu irmão Lucho. 11 de junho de 1919

   

   A Santíssima Virgem está intimamente unida a Deus!

«A propósito da SS.ma Virgem
tenho de te confiar uma das minhas simplicidades com Ela,
às vezes surpreendo-me a dizer-Lhe:
“Mas minha boa SS.ma Virgem,
eu acho que sou mais feliz do que Vós,
porque tenho-Vos por Mãe,
e Vós, não tendes uma SSma Virgem para amar...
É verdade que sois a Mãe de Jesus
mas este Jesus Vós deste-l’O todo inteiro a nós...
e Ele na cruz deu-Vos a nós por Mãe.
Somos assim mais ricos do que Vós
visto que possuímos Jesus
e que Vós sois nossa também. […]”
Certamente a SS.ma Virgem
deve rir-se da minha ingenuidade
mas o que eu lhe digo é bem verdade!...
Celina, que mistério é a nossa grandeza em Jesus...»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 137. A Celina. No Carmelo. 19 de Outubro de 1892

   

   Mostra Tua Presença!

«Sendo verdade
que Deus está sempre presente na alma, […],
esta não diz para Ele se lhe mostrar,
mas que esta Sua presença natural,
espiritual ou afetiva,
que Ele nela esconde,
lhe seja revelada e descoberta
de maneira a poder vê-l’O na Sua divina essência e formosura.
E, se com a presença da Sua essência
lhe dá o ser natural,
e com a presença da Sua graça a aperfeiçoa,
que também a glorifique com a sua manifesta glória.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual. 11, 4

   

   Jesus: Vida da minha vida

«Jesus,
Caminho, Verdade e Vida da minha alma,
eu Te dou graças por me teres revelado
o amor infinito do Pai
e seres para mim o Caminho
que me há-de levar até Ele.
E Te dou graças
por me teres revelado a sabedoria
que procede de Ti
e me leva a conhecer esse amor de Deus
derramado em nossos corações,
essa Sabedoria
que não possuem os sábios e inteligentes deste mundo,
porque Tu a revelaste aos “simples e humildes”. […]
Eu Te dou graças por me teres feito participante
da própria vida divina
e possuir já neste mundo
o penhor do que havemos de viver um dia, em plenitude,
por toda a eternidade:
a felicidade que só Tu me podes dar,
porque és a Vida da minha vida.
Amen.»

Santo Henrique de Ossó | 1840 - 1896
Quarto de Hora de Oração. Quarta Semana.

   

   O Amor é a semente

«Não basta amar.
É preciso completar com o trabalho.
O Amor é a semente,
o trabalho é o germinar,
o desenvolver e o frutificar da semente.»

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Pensées de Marie de Jesus Crucifié, de Fr. Denis Buzy, scj

   

   Aprender a encontrar-Te!

«Aprende a ver,
a escutar o teu Senhor Jesus
em tudo e em todos!

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 50.

   

   Tudo fala de Ti!

«As ocupações externas
servem-me de ajuda
para elevar a mente para Deus
e encontrar novos motivos
para O amar
e desejá-l’O sempre mais.»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinário (Pe. Ildefonso, OCD). 36

   

   Cristo e a Igreja intimamente unidos no altar.

«Este é o grande sacramento [a Eucaristia];
encerra profundos mistérios
entre Cristo e a sua Esposa.
Aqui está o leito nupcial
onde se unem o Esposo e a Esposa
e nesta união inefável
fundamenta a Igreja a sua maternidade.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Texto Autografado 3, 4 d.

   

   Ó Mãe bem-amada

«Ó Mãe bem-amada, apesar da minha pequenez
Como Tu possuo em mim o Omnipotente
Mas eu não tremo ao ver a minha fraqueza:
O tesouro da mãe pertence ao filho
E eu sou Tua filha, ó minha Mãe querida!
As Tuas virtudes, o Teu amor, acaso não são meus?
Por isso quando a Hóstia branca vem ao meu coração
Jesus, o Teu Manso Cordeiro, julga repousar em Ti!…»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Poesia 54

   

   A minha pobreza é a minha riqueza.

Quando reconheço ter pecado,
tomo consciência e digo a mim mesmo:
“é o normal,
não sei fazer outra coisa!”
Se não pequei,
dou graças a Deus
reconhecendo que provém d’Ele.»

Frei Lourenço da Ressurreição | 1614 - 1691
Conversações. 31

   

   Apenas tenho os meus desejos para Ti.

«Quando aparecer
diante do Esposo Bem-amado
terei somente os meus desejos
para Lhe apresentar.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 218. Ao Irmão Simeão. 27 de janeiro de 1897

   

   Ser Teu!

«Ó meu Jesus,
eis-me aqui, toda tua!
Quanto Te agradeço!
Torna-me fiel até à morte,
como lâmpada ardente
do Teu tabernáculo de amor,
hóstia imolada por Ti.
Faz que eu Te ame sempre mais
e Te glorifique
numa vida profundamente interior
e inteiramente imolada por Ti.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Práticas de Piedade. pg. 39.

   

   Encontrar Deus em todas as coisas.

«Encontrar o bom Deus
em tudo o que nos rodeia …:
eis a verdadeira felicidade…»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Pensamentos. Caderno 26. 1921-1924

   

   Conduzi-nos pelos Vossos caminhos

«Oh! Senhor,
que diferentes são os Vossos caminhos
das nossas grosseiras imaginações!
E como, de uma alma já determinada a amar-Vos
e abandonada nas Vossas mãos,
não quereis outra coisa
senão que obedeça
e se informe bem do que é mais serviço Vosso
e isso deseje!
Não precisa de procurar os caminhos nem de escolhe-los,
pois já a sua vontade é Vossa.
Vós, Senhor, tomais esse cuidado
de guiá-la por onde mais lhe aproveite.
Vós disso cuidais
e ides dispondo a alma e as ocupações
de maneira que, sem entender como,
nos achamos com tanto espírito
e tão grande aproveitamento,
que nos deixa depois espantadas.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Fundações, V, 6

   

   O amor de Cristo não conhece limites

«O amor de Cristo não conhece limites,
não acaba nunca,
não retrocede ante a fealdade ou a imundície […]
Cristo veio para resgatar a humanidade
e restitui-la ao Pai».

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Edith Stein, Obras Completas.

   

   É o amor que nos une com Deus.

«Aqui está o meu caminho:
renunciar a mim mesma,
abraçar a Cruz que o Senhor me deu,
por amor a Ele e ao próximo por Ele,
para assim, pela Sua infinita misericórdia,
me ser um dia concedida a graça
de ser recebida nas moradas eternas do Céu.
Porque o amor é que nos purifica,
dignifica e unifica com Deus.»

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus | 1907 - 2005
Como vejo a Mensagem. pg. 32

   

   Um coração à imagem do Coração divino

«Quem procura o Deus Eucarístico
e se aconselha com Ele em todas as situações…,
quem recebe o Salvador no íntimo da alma,
nada lhe pode faltar,
mas ver-se-á arrastado
cada vez mais profundamente
na corrente da vida divina
e integrará o Corpo Místico de Cristo
e o seu coração será transformado
segundo a imagem do coração divino».

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
Edith Stein, Obras Completas.

   

   A Tua Palavra é Luz!

«A palavra de Cristo
é a Verdade;
Ele é a Luz perfeita.»

Beato Pe. Eugénio Maria do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências. 19.06.1966

   

   A Eucaristia é fonte de sabedoria.

«Permanece sempre unida
ao Deus da Hóstia que tanto amas,
que te ensinará a sofrer,
a imolares-te,
a rezar
e a amar.»

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 186. A Maria Luísa Ambry. 15 de dezembro de 1903

   

   Render-se ao Amor!

«Tudo na terra
me parece cada vez mais pequeno,
mais miserável,
diante dessa Divindade que,
qual sol infinito,
vai iluminando com os Seus raios
a minha alma miserável.
Oh, se por um instante pudesses penetrar-me
até ao mais íntimo
ver-me-ias presa por essa Beleza,
por essa Bondade incompreensível…!
Como quereria reunir os corações das criaturas
e fazer com que se rendessem ao amor divino!»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 107. Ao seu irmão Lúcio. 11 de junho de 1919

   

   O Céu na terra

«”Mostra a tua presença,
Matem-me tua vista e formosura;
Pois olha que a doença
De amor, jamais se cura,
Senão com a presença e a figura.”

A alma deseja ver-se possuída já
por este grande Deus,
de cujo amor sente roubado e chagado o coração.
Porém, não aguentando mais,
pede determinadamente, nesta canção,
que Ele lhe revele e mostre a sua formosura,
que é a sua divina essência, e que a mate com esta visão […]
Manifesta-Lhe a doença e ansiedade do seu coração,
onde persevera penando de amor,
sem poder ter outro remédio
que não seja esta gloriosa visão da sua divina Essência.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual. 11, 2

   

   Seguir Jesus

«O seguimento de Jesus
é mais do que a Sua imitação.
Trata-se não só de fazer o que Ele fez,
mas de viver como Ele viveu
e de “O escutar” […]
Segui-Lo é participar da Sua vida,
sentimentos, critérios,
entrega, amor.»

Santo Henrique de Ossó | 1840 - 1896
Quarto de Hora de Oração. Quarta Semana.

   

   Pôr o olhar no alto

«Se o teu olhar se fixar no alto,
no amor,
nada mais te perturbará.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 22

   

   Dá-me o Teu amor, para amar como Tu!

«Tu mandas que Te ame
Por força de um legítimo direito.
Visto que o queres, dá-me
Tu esse amor que Te traga satisfeito.»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 – 1770
Jesus, meu bem supremo.

   

   O Senhor ama-me infinitamente

«Consola-te com Ele
que é o único remédio
para todos os nossos males.
Ele é o Pai dos afligidos,
sempre pronto para nos ajudar;
Ele ama-nos infinitamente mais
do que podemos acreditar»

Frei Lourenço da Ressurreição | 1614 - 1691
Carta 14

   

   Presença do Corpo de Cristo no altar.

«Onde está a Cabeça
está o Corpo
e onde está o Corpo está a Cabeça.
Onde está Cristo está moralmente a Igreja,
e onde está a Igreja está Cristo,
e não se podem conceber separados,
sendo uma realidade Cabeça e Corpo.
A Igreja está, pois, no altar
unida a Cristo
como o Corpo à sua Cabeça.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Texto Autografado, 3, 4 c.

   

   Amar o Deus das consolações e não as consolações de Deus.

«Ter mais olhos para os bens de Deus
do que para o próprio Deus
é um grande erro.
Oração e desprendimento.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Pontos de Amor. 137

   

   Fazer memória da vida eterna

«E porque para mim tem sido grande consolação,
vos direi o que li há dias,
em que diz o glorioso S. Tomás,
que Deus faz e fará festa
aos bem-aventurados no Céu,
mostrando-lhes as maravilhas
com que justifica os pecadores.
Deu-me isto tanto contentamento
que dei por bem empregados
todos os meus trabalhos,
vendo que no Céu se solenizam
e lá é Deus louvado pelos seus santos,
vendo a sabedoria e bondade que connosco usa.»

Madre Maria de S. José | 1548 - 1603
Carta de uma pobre e presa Descalça. Lisboa 1593

   

   Configurar-me com o sofrimento de Jesus.

«Muito teria desejado
não ver correr as lágrimas da minha Mãezinha,
mas o que eu gostei de ver
foi o bom efeito que elas produziram,
era maravilhoso.
Ah! não quero mal a ninguém
quando a minha Mãezinha é olhada de revés,
porque vejo muito bem que as Irmãs
são apenas instrumentos colocados de revés
pelo próprio Jesus
para que
o caminho da pequena Mãe
(á maneira do da pequena Teresa)
se pareça com o que escolheu para Ele,
quando era viajante pela terra do exílio...
Então o seu rosto estava como que escondido,
ninguém o reconhecia,
era um objeto de desprezo...»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 216. À Madre Inês de Jesus. 9 de janeiro de 1897

   

   O Senhor sustenta-me no sofrimento.

«Vivo morrendo, é verdade,
mas na morte sinto a vida.
Sinto Jesus que age em mim,
sinto a Sua mão benfeitora
que me sustenta e me ampara.
Obrigada, meu Deus,
agora e por toda a eternidade.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Diário II. pg. 15

   

   Venha a nós o Vosso reino

«Não poderíeis, Senhor meu,
concluir com uma palavra e dizer:
dai-nos, Pai, o que nos convém?
Pois, para Quem entende tudo,
não parece seria preciso dizer mais.
Ó Sabedoria eterna!
Entre Vós e o Vosso Pai isto bastava;
e assim pedistes no Horto;
mostrastes a Vossa vontade e temor,
mas entregastes-Vos à Sua.
Mas conheceis-nos, Senhor meu,
e sabeis que não estamos tão rendidos como Vós estáveis
à Vontade de Vosso Pai,
e vistes que era preciso pedir coisas determinadas,
para que nos detivéssemos
a ver se é bem a nosso gosto o que pedimos,
e não sendo, não Lho peçamos.
Porque, segundo a nossa maneira de ser,
se não nos dão o que queremos
– com este livre arbítrio que temos –
não admitiremos o que o Senhor nos der,
porque, ainda que seja melhor,
enquanto não nos vemos com o dinheiro nas mãos,
nunca julgamos ver-nos ricos.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Caminho de Perfeição 30,1-2

   

   Fontes de água viva

«Que o grande rio da Vida
vos submerja e invada,
que do mais profundo da vossa alma
sintais jorrar as fontes de água viva,
enfim, que Deus seja o vosso Tudo.
O voto que haveis formulado para a minha alma,
depu-lo nas mãos d’Aquela
que foi tão plenamente
a «coisa» de Deus,
e é Ela que vo-lo dirá
no silêncio da vossa alma.
Convosco fico inteira adoradora do Mistério.»

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 185. Ao Abade Chevignard. 28 de novembro de 1903

   

   Um só em Deus

«Quando por nosso amor
colocamos uma pessoa no Coração de Deus,
fazemo-nos uma com ela em Deus».

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942,
Obras Completas.

   

   Como é poderoso o Teu amor, ó Jesus!

«Como é poderoso o Teu amor, ó Jesus,
num coração que se dá todo a Ti…»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Pensamentos (Caderno 26) 1921-1924.

   

   O que é a Misericórdia?

«O que é a Misericórdia, em si mesma?
É o amor de Deus que se dá…
que obedece à Sua necessidade
de Se dar gratuitamente.»

Beato Pe. Eugénio Maria do Menino Jesus | 1894 - 1967
Acreditai na Loucura do Amor que está em Deus. pg. 35

   

   Confiemos em Maria

«Confiemos na assistência
da Santíssima Virgem Maria:
estamos em boas mãos.»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinário (Ricasoli). 20

   

   Jesus revela-Se no dia a dia.

«Como quereria
fazer-te ver o horizonte infinito,
belíssimo,
incriado,
que vivo contemplando!
Amo a Deus mil vezes mais que antes,
porque antes não O conhecia.
Ele revela-Se e descobre-Se cada vez mais
à alma que O procura sinceramente
e que deseja conhecê-Lo para O amar.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 107. Ao seu irmão Luís. 11 de junho de 1919

   

   Deus está presente em todas as criaturas

«Deus está presente [por essência]
não só nas boas e santas almas,
mas também nas más e pecadoras,
e em todas as outras criaturas.
Com esta presença dá-lhes a vida e o ser;
e, se lhes faltasse esta presença da essência,
todas se aniquilariam
e deixariam de existir.
Mas ela nunca falta na alma.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual. 11, 3

   

   Rainha e Formosura do Carmelo

«Sobre o teu peito
está o escudo da proteção de Maria:
o santo escapulário.
Aperta-o entre as tuas mãos,
beija-o com veneração,
e a força e a paz
descerão ao teu coração.
Nas horas escuras,
ergue o olhar para Maria,
repetindo sempre
com os lábios e com o coração:
Rainha e Formosura do Carmelo,
mostra-me a Tua proteção.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Escritos Vários. 74

   

   Mãe, Mãe da minha alma

«Mãe, Mãe da minha alma,
Mãe do meu coração,
sou Teu: salva-me!
Mãe de Deus e minha Mãe,
és a minha vida e esperança!
Com esta confiança,
viverei em paz e morrerei com alegria
até poder dar-Te um abraço eterno no Céu,
ao ver que fui salvo pela Tua intercessão.
E repetirei com todos os bem-aventurados:
verdadeiramente a Mãe de Deus
foi e é minha Mãe;
Mãe da minha alma
e Mãe do meu coração.
Assim seja, assim seja, assim seja…»

Santo Henrique de Ossó | 1840 - 1896
Quarto de Hora de Oração. Sétima Semana. Quarta-feira

   

   A devoção a Maria

«A devoção a Maria,
feita de amor e imitação,
é o indício seguro
de grande santidade.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 45

   

   A Virgem jamais deixa de nos consolar

«[…] Esta é a Virgem
que jamais deixou de me consolar e de me escutar.
Por este tempo começou a minha devoção à Virgem.
Meu irmão Lucho deu-me esta devoção
a qual tenho agora
e espero continuar a ter até à minha morte.
Todos os dias Lucho me convidava a rezar o Terço
e juntos fizemos a promessa de o rezar toda a vida;
cumpri-o até agora.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Diário. 5.

   

   Mãe consoladora

«Quanta pena me dão aqueles que sofrem!
Mas a Mãe do Céu está com eles
e transforma o sofrimento
em odor suave na presença de Deus,
e em jóias preciosas
para a coroa da eternidade.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Diário II. pg. 162

   

   Ama a Santíssima Virgem!

«Não receies amar demasiado a SS.ma Virgem,
nunca A amarás suficientemente,
e Jesus ficará muito contente
visto que a SS.ma Virgem
é a Sua Mãe.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 92

   

   A minha alma proclama a grandeza de Deus

«Se se aprende da Santíssima Virgem
a depender e a servir só a Deus
com um coração puro e desprendido,
então poder-se-á cantar com toda a alma
o seu hino de alegria:
“A minha alma proclama a grandeza de Deus
e o meu Espírito se alegra com Deus meu Salvador”.»

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
Obras

   

   Maria é modelo de uma fé viva

«Quando Deus encontra
uma alma imbuída de uma fé viva,
derrama sobre ela
abundantes graças.»

Frei Lourenço da Ressurreição | 1614 - 1691
Carta 1

   

   Maria, modelo da Igreja.

[…]Maria, a Mãe de Deus,
é o tipo mais vivo,
mais perfeito e acabado da Igreja.
Sendo uma mulher perfeita
e obra acabada
pela mão do supremo Artífice,
é o único tipo que,
sob a espécie duma mulher,
no-la pode figurar.

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Minhas Vivências com a Igreja. Maria tipo da Igreja. 14, pg. 881

   

   Amar quem me magoa.

«Peço-vos a todas, humildemente,
que para que o nosso merecimento
seja maior diante do nosso Rei,
todas nos conformemos em amar
aos que nos afligem,
não como inimigos,
senão como verdadeiros amigos
e benfeitores.»

Madre Maria de S. José | 1548 - 1603
Carta de uma pobre e presa Descalça. Lisboa 1593

   

   Trabalhar no Céu para Ti e para os irmãos.

«Reverendo Padre,
deveis achar-me muito estranha,
talvez lamenteis ter uma Irmã
que parece querer ir gozar do repouso eterno
e deixar-vos a trabalhar sozinho...
Mas tranquilizai-vos,
a única coisa que desejo,
é a vontade de Deus,
e confesso que se no Céu
já não pudesse trabalhar para a sua glória,
preferiria o exílio à pátria.
Não conheço o futuro,
mas se Jesus realizar os meus pressentimentos,
prometo-vos continuar a ser sempre a vossa Irmãzinha lá no Céu.
A nossa união, longe de ser quebrada,
tornar-se-á mais íntima,
já não haverá então clausura,
nem grades
e a minha alma poderá voar convosco
nas missões distantes.
Os nossos papéis continuarão a ser os mesmos,
para vós as armas apostólicas,
para mim a oração e o amor...»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 220. Ao Pe. Bellière

   

   Viver em união conTigo.

«A minha vida é uma oferta contínua;
não há um pensamento, ação, ocupação
que me possa retirar da íntima união com Deus […]
conservo, pela infinita bondade de Deus,
a paz no coração
e continuamente imutável
a minha oferta a cada instante.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Autobiografia. pg. 127

   

   O que faço por ti não é pouco

«Isto que faço por ti não é pouco.
É uma das coisas em que me ficas a dever muito;
porque todo o mal que vem ao mundo
é de não se conhecer deveras
as verdades da Sagrada Escritura,
da qual nem um til ficará por cumprir.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Palavras de Jesus a Santa Teresa. Livro da Vida 40,1

   

   Permanecer firme na impotência

Este sentimento de absoluta impotência
é algo a que dificilmente me posso habituar…
cada pessoa deve estar muito firme
na sua impotência,
para se curar da ilimitada confiança
no seu querer e poder,
que noutros tempos eu mesma possuía».

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
Edith Stein, Cartas 24-12-1917.

   

   Senhor, Tu és um Oceano de paz!

«Na manhã do 11 de fevereiro
[dia da sua consagração a Deus],
a minha alma estava imersa num oceano de paz,
daquela paz que só Jesus sabe dar às almas…
em tal estado me aproximei ao Banquete dos Anjos…
Quando o Senhor do Universo veio ao meu coração,
todos os tesouros do Céu se derramaram nele…»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 75. Ao Padre Elias. 04.03.1925.

   

   Caminhamos para Ti.

«Todos somos peregrinos
que, consciente ou inconscientemente,
caminhamos para a eternidade.»

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Fátima. Introdução.

   

   Santidade

«Para nós, a santidade
não é outra coisa senão
a posse completa do Espírito Santo,
o Seu domínio
sobre todo o nosso ser.»

Beato Pe. Eugénio Maria do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências. 27.02.1966

   

   Amar é servir a Igreja

«O amor de Deus,
se deveras é amor,
é impossível que esteja muito encoberto.
Senão, olhai um São Paulo,
uma Madalena:
em três dias, um começou a dar mostras
de estar enfermo de amor:
foi São Paulo.
[…]
Que isto tem o amor:
há mais e menos;
e assim se dá a conhecer
conforme a força que ele tem.
Se é pouco, dá-se pouco a conhecer;
se é muito, muito;
mas, pouco ou muito,
como haja amor de Deus,
sempre se conhece.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Livro da Vida. 40, 3

   

   Morrer a mim mesmo

«”Quotidie morior.”
“Morro cada dia”,
diminuo , renuncio-me cada dia mais a mim mesma,
a fim de que em mim Cristo cresça e seja exaltado;
“resido” ínfima “no fundo da minha pobreza”,
vejo “o meu nada, a minha miséria,
a minha impotência,
percebo-me incapaz de progresso,
de perseverança,
observo as minhas muitas negligências e defeitos,
vejo-me na indigência”,
“prostro-me na miséria,
reconhecendo a minha aflição,
colocando-a diante da misericórdia ” do meu Mestre.
“Quotidie morior”,
ponho a alegria da minha alma
(isto quanto à vontade e não quanto à sensibilidade)
em tudo o que me pode imolar, destruir, rebaixar,
porque quero dar lugar ao meu Mestre.
Já não sou eu que vivo,
é Ele que vive em mim :
não quero “mais viver da minha própria vida,
mas ser transformada em Jesus Cristo,
para que a minha vida seja mais divina do que humana ”
e que o Pai, ao inclinar-se sobre mim,
possa reconhecer a imagem
do Filho muito amado
em quem pôs todas as suas complacências.»

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
O Céu na Terra. 12

   

   O Amor infinito de um Deus!

«Como sou feliz
por poder sacrificar tudo por Deus!
Tudo é nada
em comparação com o que Nosso Senhor
Se sacrificou por nós,
desde o presépio até à Cruz,
desde a Cruz até aniquilar-se inteiramente
sob a forma de pão.
É todo um Deus,
sob as espécies de pão,
e até à consumação dos séculos.
Que grandeza de amor infinito!
Amor não conhecido,
amor não correspondido
pela maioria dos homens.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 107. Ao seu irmão Luís. 11 de junho de 1919

   

   A humildade dos santos

«A memória da tristeza de Jesus
faz-me ultrapassar todos os padecimentos,
ao ponto de que, quando me dizem:
“A Irmã está na Cruz com Jesus”,
eu não faço caso.
Quase não consigo pensar
que que eu leve uma Cruz,
e no entanto
não há um único instante da minha vida
no qual não sinta cruéis sofrimentos físicos,
penas interiores e morais.
Mas só o pensar que tenha uma Cruz com Jesus
isso é uma coisa demasiado alta para mim,
e não posso acreditar absolutamente
que me encontre nesse estado de predileção.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Diário III. pg 8-9

   

   Confiar na Tua misericórdia.

«Perdoa-me, Senhor,
sempre que confio demasiado em mim mesmo
e não ponho toda a minha confiança em Ti!
É então quando falho e caio.
Ajuda-me a lutar
contra as minhas paixões e defeitos,
mantendo-me sempre a Teu lado,
porque se puser a segurança na minha força
ou nas coisas,
cairei também como Pedro
ou atraiçoar-Te-ei como Judas.
E, já que pela minha cobardia,
respeito humano ou presunção,
tantas vezes Te neguei,
dá-me a graça de me sentir pobre e pecador
a fim de poder conhecer por experiência,
a Tua graça e o Teu perdão,
a Tua misericórdia e o Teu amor.
Amen.»

Santo Henrique de Ossó | 1840 - 1896
Quarto de Hora de Oração. Quinta Semana.

   

   Fazer bom uso do tempo

«Fazei bom uso do tempo.
Tudo nesta terra passa,
e o tempo é tão breve.
Praticai a perfeição.
Produzi frutos para Jesus.»

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Pensées de Marie de Jesus Crucifié, de Fr. Denis Buzy, scj

   

   Eucaristia é dom de Amor

«Põe todo o fervor da vontade
nas tuas comunhões.
Não importa se não sentes nada;
mas suspira pelo teu Jesus;
entretém-te com Ele
depois de vir a ti,
pelo Coração de Maria
e não te esqueças durante o dia
deste grande dom.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 71

   

   Estar em Ti e nas obras exteriores

«Se nós vivemos
e nos movemos em Deus,
não me parece possível
que a Sua companhia
e o Seu amor
venham a impedir-nos
de nos movermos e agirmos
nas obras externas».

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinário. (Pe. Ildefonso). 36

   

   Não ficar a remoer as faltas

«Quando o Irmão Lourenço
cometia alguma falta,
confessava a sua culpa
e dizia a Deus:
“não faria outra coisa se Tu me deixasses;
depende de Ti evitar que caia
e corrigir o que está mal.”
Depois disso
não se preocupava mais com a sua falta.»

Frei Lourenço da Ressurreição | 1614 - 1691
Entrevista 16

   

   A Igreja: Corpo Místico de Cristo

«Encontrei-Te [Igreja].
Amo-Te, tu o sabes:
a minha vida é o menos que posso oferecer-te
em correspondência ao teu amor.
A paixão do amor que me devora
encontrou em ti o seu pábulo
porque és tão bela como Deus,
és infinitamente amável.
O meu coração foi criado para amar-te,
aqui o tens, é teu, amo-te.
Eu amo-te e tu sabes corresponder ao meu amor:
Eu sei que me amas com amor puro e leal,
firme e invariável.
Eu já não sou coisa minha,
mas propriedade tua;
porque te amo,
dispõe da minha vida,
da minha saúde e repouso
de quanto sou e tenho.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Minhas Vivências com a Igreja. Fragmentos III, 2. pg. 722

   

   O sofrimento torna-me semelhante a Ti, Senhor!

«Querida irmãzinha,
como as tuas cartas me deram gosto
e sobretudo como me fizeram bem à alma.
Alegro-me ao ver como Deus te ama
e te cumula das Suas graças...
Acha-te digna de sofrer por Seu amor
e essa é a maior prova de amor
que Ele te pode dar,
porque é o sofrimento
que nos torna semelhantes a Ele...»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 173. À Irmã Teresa Dositeia (Leónia). Janeiro de 1895

   

   Por amor de Vós

«Eu julgo que todas as coisas que me surgiram,
eu sempre lhe meti ombros por amor de Vós.
Mas fostes Vós que me ajudastes nalgumas delas
para as acabar.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Vida 6, 9.

   

   Viver conTigo, pela fé viva.

«Jesus olha-a,
escuta-a,
vela por si,
está sempre consigo,
à sua volta,
dentro de si.
Não O sente com a fé viva?
Faça com que Ele aspire apenas
o perfume do seu coração.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 – 1948
Pensamentos sobre Imagens (1ª série) 9, pg. 4

   

   Viver para Te agradar.

«Oh! Como é doce amar Jesus
num silêncio de toda a coisa criada,
e sacrificar-se à sombra do Seu Amor
sem esperar galardões cá em baixo…»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Pensamentos. Caderno 26 (1921-1924). pg. 350

   

   Vocação ao louvor divino

«Todo o povo cristão,
quando nas festas aflui às catedrais
e com alegria toma parte activa no Ofício divino,
mostra que é consciente da sua vocação
ao louvor divino.»

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
A Oração da Igreja.

   

   Abandonar-me nos Teus braços.

«[…] Abandona-te nas mãos do bom Deus
como uma criancinha
repousando no seio da sua mãe.
Se soubesses como Ele te ama
e te quer bem perto d’Ele!
Vive na sua intimidade…
Ele é o Amigo que quer ser amado acima de tudo ;
amou-nos tanto que “veio habitar entre nós”».

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 186. A Maria Luísa Ambry. 15 de dezembro de 1903

   

   Maria viveu sempre unida a Ti, Senhor!

«Ó Senhora minha,
quão cabalmente se pode entender por Vós
o que se passa entre Deus e a Esposa,
conforme ao que se diz nos Cânticos.
Ó alma amada de Deus!,
não te aflijas,
que quando Sua Majestade te faz chegar aqui,
e te fala tão amorosamente
como verás em muitas palavras dos Cânticos,
é de crer que não consentirá Ele
que o descontentes
antes te ajudará.
“Ordenou em mim a caridade”.
Quem é esta que se tornou semelhante ao Sol? –
Ó verdadeiro Rei!
Quanta razão teve a Esposa
de Vos pôr este nome,
pois num momento enriqueceis uma alma
com riquezas que se gozam para sempre!
Que bem ordenado deixais o amor.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Conceitos do Amor de Deus. 6,8-11

   

   Fazer a experiência de Deus

«Passei estes dias de retiro.
Que feliz estive a sós com Aquele que é O só!
Mãezinha,
quereria que pudesse ler a minha alma,
para que visse tudo
o que nela escreveu Nosso Senhor nestes dias.
Quereria que visse a minha alma iluminada
pelos resplendores infinitos do Divino Prisioneiro.
Com essa escrita, com esse fogo,
faz-me compreender,
faz-me ver coisas desconhecidas,
grandezas nunca vistas.
Não imagina, Mãezinha,
a mudança que já percebo em mim.
Ele transformou-me.
Ele vai levantando os véus que O ocultavam
e que, estando eu no mundo, entre trevas,
era-me impossível perceber.
Cada vez me parece mais belo,
mais terno, cada vez mais louco…
Não tenho outro atrativo do que conhecê-L’O
para o amar, e com loucura.
Não quero continuar porque,
quando começo a falar de Nosso Senhor,
a caneta não pára.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 106. 9 de junho 1919. À sua mãe

   

   Ó noite é amável mais que a alvorada!

«A alma que Deus há-de fazer seguir em frente
não é posta logo por Sua Majestade
nesta noite do espírito
quando sai das securas e trabalhos
da primeira purificação,
que é a noite dos sentidos;
pelo contrário,
depois de ter deixado o estado de principiantes,
a alma costuma passar longo tempo,
e até anos,
exercitando-se no dos aproveitados.
Nele, como quem saiu de uma estreita prisão,
a alma move-se nas coisas de Deus
com muito mais liberdade e satisfação interior,
com maior e mais profunda alegria do que no princípio,
antes de entrar nessa noite.
Já não traz a imaginação e as potências
atadas ao discurso e à preocupação espiritual
como costumava trazer.
Sem qualquer atividade discursiva
encontra facilmente no seu espírito
uma mui serena e amorosa contemplação
e sabor espiritual.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
II Livro da Noite. 1, 1

   

   Só Tu és o mar para a minha sede

«Quanto mais se tem,
mais se deseja.
Porque, afinal,
nada pode encher o coração,
a não ser Deus
que o fez à Sua medida.
Tu próprio podes comprovar que,
enquanto andaste a querer saciar-te
em “cisternas rotas”, como diz a Escritura,
não gozaste de paz.
Ao contrário,
o tédio, a angústia,
a frustração, o desassossego
espreitaram muitas vezes a tua vida…
Quebra essas ataduras
que te ocasionam mal-estar interior,
“procura e encontrarás Deus”.
Converte-te a Ele de todo o coração
e encontrarás a paz.»

Santo Henrique de Ossó | 1840 - 1896
Quarto de hora de oração. Primeira Semana. Quinta-feira

   

   Amo a Cruz com Jesus

«Quando nos sobrevém algum combate,
ajoelhemo-nos
e agradeçamo-lo a Deus,
e por nos fazer sofrer.
Mantenhamos o coração elevado para Ele
e rezemos apenas
para que Ele não nos permita ofendê-l’O.»

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Pensées de Marie de Jesus Crucifié, de Fr. Denis Buzy, scj

   

   Coração de Jesus

«Meto-te no Coração de Jesus,
onde nos encontraremos
para nos amarmos.»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 89. A Pasqua Cianci, sua mãe. 08.04.1925.

   

   Identificar as minhas misérias à Tua luz

«Eu sei que o Amor
Se compraz em manter a alma na humilhação
e entretanto torna-a bela secretamente
com a condição de que a alma
não faça as pazes com as próprias misérias
e se estude interiormente
para saber como reagir contra elas.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Cartas III, 144

   

   Só de Ti vem toda a graça.

«Toda a alma que fizer caso
de todo o seu saber e engenho
para se unir à sabedoria de Deus
é sumamente ignorante diante de Deus
e está muito longe dela.
A ignorância não sabe o que é a sabedoria
e, como diz S. Paulo,
esta sabedoria mais parece a Deus uma loucura.
Os que julgam ter algum saber
são, diante de Deus,
muito ignorantes.
A eles se referiu o Apóstolo
quando escreveu aos Romanos:
“Considerando-se sábios,
tornaram-se néscios” (Rm 1, 22).
Só começam a ter sabedoria de Deus
aqueles que, como crianças ignorantes,
abandonam o seu saber
e O servem com amor.
Esta forma de sabedoria
ensinou-a também S. Paulo aos Coríntios:
“Se a algum de vós lhe parecer que é sábio
segundo os critérios deste mundo,
faça-se ignorante para ser sábio,
porque a sabedoria deste mundo
é loucura diante de Deus” (1 Cor 3, 18-19).
Assim, para que a alma chegue a unir-se
com a sabedoria de Deus,
mais há-de ir não sabendo
do que sabendo.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
I Livro da Subida. 4, 5

   

   Ser todo Teu

«Quereria ser toda de Deus,
é verdade,
mas não me sei resolver
a vencer os obstáculos
que me impedem de lançar-me toda n’Ele»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Carta 11

   

   Recomecemos!

«Uma vez que pela Sua misericórdia
nos dá um pouco mais de tempo,
comecemos bem!
Reparemos o tempo perdido.
Voltemos com total confiança
a este Pai de bondade,
que está sempre pronto
para nos receber com amor.»

Frei Lourenço da Ressurreição | 1614 - 1691
Carta 8

   

   Maria, modelo da Igreja

«Falando de mulheres,
Maria, a Mãe de Deus,
é o tipo mais vivo,
mais perfeito e acabado da Igreja.
Sara, Rebeca, Raquel e Lia,
Ester, Judit, Débora,
estas e as demais mulheres
de que nos falam os livros do Antigo Testamento
não a podem representar com todo o vigor da figura,
porque a sua história
no-las apresentam com imperfeições.
Mas Maria,
sendo uma mulher perfeita
e obra acabada pela mão do supremo Artífice,
é o único tipo que,
sob a espécie duma mulher,
no-la pode figurar.»

Beato Francisco Palau | 1811 – 1872
As minhas Vivências com a Igreja. 11

   

   Confiança em Jesus

«Embarcámos com Cristo na nau
e levantou-se a tempestade:
e ainda que o Senhor durma,
e nos parece que nos vamos afogar,
Sua Majestade [Jesus]
acordará a tempo e nos livrará:
não desmaieis caríssimas,
nem enfraqueça a vossa fé
por ver que parece que o Senhor
nos deixou tanto tempo
nas mãos dos que tão sem razão
nos afligem […].»

Madre Maria de S. José | 1548 – 1603
Carta de uma pobre e presa Descalça. Lisboa 1593

   

   Não resistir ao Senhor

«Resistindo a quem as leva [que é Deus],
avançam menos
e o mérito é pouco,
porque não aplicam a vontade;
assim, sofrem mais.
Há almas que,
em vez de se abandonarem a Deus
e se ajudarem,
antes O estorvam
ou contrariam
com o seu modo indiscreto de agir.
São como as crianças que,
querendo as suas mães levá-las ao colo,
começam a patear e a chorar,
teimando em ir pelo seu próprio pé.
Deste modo, não se pode andar nada;
e se se anda, será ao passo de criança.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Livro da Subida. Prólogo, 3

   

   Bendito sejas Pão das entranhas do Pai!

«Muita misericórdia nos faz a todos,
querendo Sua Majestade entendamos ser Ele
que está no Santíssimo Sacramento.
Mas que O vejam a descoberto,
e comunicar Suas grandezas
e dar Seus tesouros,
não quer senão àqueles a quem entende
que muito O desejam,
porque estes são seus verdadeiros amigos.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Caminho 34,14

   

   Estar junto de Deus

«Minha querida Mãezinha,
se soubésseis como estou comovida
ao ver a que ponto me amais!...
Oh! nunca poderei testemunhar-vos
a minha gratidão neste mundo...
Espero ir depressa para o Céu.
Já que “se há um Céu, ele é para mim”,
serei rica,
terei todos os tesouros de Deus
e Ele mesmo será o meu bem,
então poderei devolver-vos centuplicado
tudo o que vos devo.
Oh! Como me alegro com isso...
Sinto tanta pena
por estar sempre a receber
sem nunca dar.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 216. À Madre Inês de Jesus. 9 de janeiro de 1897

   

   O Senhor age docemente na alma

«Antes de começar,
parei por alguns instantes
a considerar o estado da minha alma…
Padre Venerado,
nela tudo cala…
uma paz inalterável reside
no fundo do meu coração
e pareceu-me verdadeiramente precioso
o que o bom Deus faz docemente na minha alma…»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 – 1927
Carta 108. Ao Padre Elias. 15.07.1925.

   

   Nada possuir para Te possuir a Ti.

«Só quem não possui
coisa alguma por amor de Jesus
é que possui tudo n’Ele.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Escritos Vários. pg. 72

   

   Santíssima Trindade

«Todas as coisas
são um símile da Santíssima Trindade
e nas três virtudes teologais
representa-se uma verdadeira trindade de pessoas
e a que faz a unidade entre elas
é a verdade
e assim se chama Deus de verdade.
E desta verdade
se engendraram todas as demais virtudes
seladas com a caridade
que lhes dá o seu valor.»

Madre Maria de S. José | 1548 – 1603
Instrução de Noviças

   

   A solidão própria da vida espiritual

«A solidão de que falas,
em certo sentido é própria da vida espiritual.
Quanto mais uma pessoa se aproxima de Deus,
mais insignificantes se tornam os laços naturais,
ela passa a estar unida aos que a rodeiam
num sentido mais profundo».

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
Edith Stein, Obras Completas.

   

   Esquecer-me de mim

«O meu programa:
fazer sorrir Jesus…
esquecendo-me
e deixando-me esquecer…»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Pensamentos. Caderno 26. 1921-1924. pág. 350

   

   Sou casa de Deus, da Trindade

«Senhor Abade,
a que abismo de glória somos chamados !
Oh! compreendo os silêncios,
os recolhimentos dos santos
que já não podiam sair da sua contemplação;
[…] E dizer que o Santo Deus nos chama,
pela nossa vocação,
a viver nestas santas claridades!
Que mistério adorável de caridade!
Quereria corresponder-Lhe
passando na terra como a Santa Virgem,
“guardando todas estas coisas em meu coração”,
sepultando-me por assim dizer
no fundo da minha alma
para me perder na Trindade que aí mora,
para n’Ela me transformar.
Então a minha divisa,
“o meu ideal luminoso”, como mo dizeis,
estarão realizados,
será mesmo “Isabel da Trindade”!...»

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 185. Ao Abade Chevignard. 28 de Novembro de 1903

   

   Deus fala-nos por sinais

«Deus fala-nos habitualmente por sinais,
Ele instruiu-nos por sinais.
Não só as Parábolas,
mas toda a Sua linguagem
é uma linguagem de sinais.»

Beato Pe. Eugénio-Maria do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências. 26.06.1966

   

   Quantos tesouros e riquezas nos confiastes

«Oh, oh, oh
quão pouco nos fiamos de Vós, Senhor!
Vós, porém,
quantos maiores tesouros e riquezas nos confiastes!
Muitos anos antes do nosso nascimento
destes-nos o Vosso Filho,
que, depois de 33 anos de grandes trabalhos,
padeceu por nós tão intolerável e lastimosa morte.
E mesmo sabendo que não Vos iríamos pagar,
Vós não deixastes de nos confiar tão inestimável tesouro.
Vós não quisestes, Pai piedoso,
que deixássemos de receber de Vós
o que granjeamos com Ele.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Exclamação XIII, 3.

   

   Oração

«Creio que farás todos os dias meditação [oração].
Pois bem,
esse é o momento de armazenar provisões
para todo o dia;
esse é o momento
para pensar na grandeza de Deus e no Seu amor.
Penetrada por ela [pela meditação],
todo o dia estarás recolhida,
amando e louvando.
Antes de agir, renova a tua intenção
e fá-lo por amor
e para realizar a vontade de Deus,
em união com o Divino Coração.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 105. A Carmen de Castro Ortúzar. Maio de 1919

   

   Vocação à eternidade

«Animada pela confiança
que a Senhora me inspirava, perguntei:
“Eu também vou para o Céu?”
Ao que a Senhora respondeu:
“Sim, vais.”
É indescritível a alegria íntima que senti,
mas nem por isso me considerei dispensada
da obrigação que todos temos
de ser fiéis a Deus,
amando-O,
servindo-O,
cumprido com fidelidade os Seus preceitos
e as Suas Leis.»

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus | 1907 - 2005
Como Vejo a Mensagem. pg. 31

   

   A fé iluminada “vê” a Deus.

«Ó fé do meu Esposo Cristo,
se as verdades do meu Amado
que infundiste na minha alma
encobertas de escuridão e trevas
– porque a fé, como dizem os teólogos, é veste escura –
as manifestasses agora abertamente!...
Se aquilo que me comunicas
em notícias imperfeitas e obscuras,
o comunicasses e revelasses num repente,
separando-te dessas verdades –
porque a fé é coberta e véu das verdades de Deus –
e transformando-as, perfeita e completamente,
em manifestação de glória!...»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual. 12, 2

   

   O doente deve unir-se a Deus.

«Quando se está doente,
a virtude mais necessária
é a de se unir a Deus
e aceitar a divina vontade.»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinário (Ricasoli). 11

   

   Tirar bem dos males

«Torno a dizer, Irmãs,
que nem ousaria chamar-me cristã,
quanto mais religiosa,
se do que padeço me queixasse;
nem é bem que vós que me amais
ponhais o nome de trabalhos
àquilo que são bens;
e se não o fossem,
nunca Cristo nosso Senhor
os tomaria para Si,
nem os dera a Sua gloriosa Mãe,
nem teria juntado a glória de Deus
com a glória da Cruz.»

Madre Maria de S. José | 1548 - 1603
Carta de uma pobre e presa Descalça. Lisboa 1593

   

   Espero e confio em Ti!

«Pequei!
Como posso esperar ir para o Paraíso?
Sim, meu Deus,
espero porque pequei muito.
No Paraíso farei resplandecer,
mais do que as outras Irmãs,
a misericórdia do Senhor…»

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevações Espirituais, 22

   

   Ser Carmelita Descalça

«Pensas que reina a tristeza no nosso conventinho?
Não imaginas a minha surpresa sobre isto;
eu já pensava que eram alegres,
mas isto não é nada para o que são,
pois nos recreios somos como criancinhas do colégio.
Existe uma união e confiança tão grandes
que somos todas como se pertencêssemos
à mesma família.
Com a nossa Madrezinha existe uma confiança
como aquela que se tem com a nossa mãe.
Nada se faz com temor,
mas tudo é carinho e confiança
nascida da santidade que reina nas almas
das minhas Irmãzinhas.
Asseguro-te que não me canso
de agradecer a Nosso Senhor
o ter-me trazido
para este pequeno céu.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 136. A uma amiga. 2 de outubro de 1919

   

   O teu Salvador está diante de Ti

«O teu Salvador está na Cruz
diante de ti com o Coração aberto.
Ele derramou o sangue do Seu Coração
para ganhar o teu. […]
Então o teu coração
tem que estar livre de todo o desejo terreno:
Jesus, o Crucificado,
será o único objeto dos teus anelos,
dos teus desejos, dos teus pensamentos.»

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
Exaltação da Santa Cruz

   

   Confiar

«É impossível que um coração
que só encontra repouso no tabernáculo
ofenda Jesus,
ao ponto de não O poder receber.
Aquilo que ofende Jesus,
o que Lhe fere o Coração,
é a falta de confiança.»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Cartas. 71

   

   Falar com Deus

«Entre no templo da sua alma;
aí faça silêncio
e escute a voz do seu rei Salomão,
que, do trono do altar
que existe no fundo do seu coração,
lhe fala sempre.
Com fidelidade, com diligência,
com toda a perfeição
esforce-se em pôr em prática os Seus conselhos.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 1. 2

   

   A Providência

«A Providência
cria, adapta, modifica as situações
segundo as necessidades daqueles que ama,
para conceder a graça necessária
ou impor as suas exigências
de uma maneira clara,
algumas vezes imperiosa.
Ao lermos as vidas dos santos
poderíamos pensar que eles são o fruto
do seu ambiente ou das situações que viveram.
Na realidade, é Deus que faz os Seus santos
e que amorosa e progressivamente,
para recompensar a fidelidade deles,
os impele ao heroísmo,
a fim e fazer jorrar das suas almas
os clamores e os movimentos que os libertam
para atingir os vértices.»

Beato Pe. Maria-Eugénio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Quero ver a Deus. nº 609

   

   Humildade

«A humildade abre a porta à caridade;
a paciência aperfeiçoa a humildade.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Pensamentos sobre imagens (Série I) 127. pg. 39

   

   Consagrados

«Oferecendo-me Vítima
à imensa bondade de Deus
no dia da Santa Profissão,
o Senhor tornou-Se Dono absoluto de mim
e, desde a hora
em que generosamente me consagrei a Ele,
senti verdadeiramente já não ser livre,
mas só Jesus pôs e tirou na minha alma
aquilo que Lhe aprouve.»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Pensamentos. Caderno 26. pg. 349

   

   A suavidade no caminho da santidade

«Quando se vir oprimido,
vá onde veja o céu
e procure passear,
pois isso não lhe tirará a oração
e é preciso levar esta nossa fraqueza
de modo a que não se oprima a nossa natureza.
Tudo é buscar a Deus...
e é preciso levar a alma com suavidade».

Carta enviada a partir de Segóvia. 3 de Julho de 1574.
Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582

   

   União com Cristo em comunhão de vida

«A Virgindade no seu sentido mais elevado e último
não é algo negativo.
É algo extremamente positivo:
união com Cristo em perpétua comunhão de vida.
A virgindade tem que se caracterizar sobretudo
no amor por Cristo…;
na alegria espontânea e radiante,
que nasce duma vida unida com Cristo e por Cristo;
na paz íntima…;
na simples disponibilidade para o sacrifício;
na plenitude da verdade divina…;
no entusiasmo.»

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
ESW 179

   

   A Igreja é missionária

«A Igreja de Deus é apostólica:
foi confiada por Jesus Cristo aos Apóstolos
e aos seus sucessores,
que deles recolheram
o fiel testemunho da Redenção,
com a missão de o tornarem presente e vivificante
até aos últimos confins da terra e da história:
“Foi-Me dado todo o poder no Céu e na terra:
Ide, pois, ensinai todas as nações,
batizando-as em nome do Pai,
do Filho e do Espírito Santo,
ensinando-as a cumprir tudo quanto vos tenho mandado.
E Eu estarei sempre convosco,
até ao fim do mundo” (Mt 28,18-20) ».

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Fátima, cap. 3

   

   Cooperar com Deus

«Deus deu-nos uma inteligência
e uma vontade livre
para que cooperemos no Seu desígnio.»

Beato Pe. Maria-Eugénio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências. 13.02.1966

   

   A união com Deus

«A união divina
e inteiramente íntima
constitui como que a essência
da nossa vida no Carmelo;
é o que faz que a nossa solidão
nos seja tão querida,
porque, como disse o nosso Padre São João da Cruz,
“dois corações que se amam
preferem a solidão a tudo”.»

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 184. À Senhora Angles. 24 de Novembro de 1903

   

   Oração a Santa Teresa de Jesus

«Confesso que
sem a graça de Deus nada podemos,
mas também reconheço que com ela
tudo podemos,
e que não seria impossível trabalhar
como tu o fizeste,
se o Senhor nos favorecesse com o espírito
que conduziu a tua pena
e te ajudou em tuas obras.
Alcança-nos, pois, do teu esposo Jesus,
uma parte - se não todo - do teu espírito,
para encher perfeitamente
o desejo ardente de Cristo,
que veio ao mundo para inflamar as almas,
e não anseia outra coisa
senão que todas ardam neste fogo divino».

Santo Henrique de Ossó | 1840 – 1896
Revista Teresiana 2. 1872, pg. 30


Na foto: Santo Henrique de Ossó, que hoje se celebra.

   

   Recuperar o tempo perdido

«Parece, Senhor meu,
que descansa minha alma
considerando o gozo que terá,
se por Vossa misericórdia,
lhe for concedido gozar de Vós.
Mas quereria primeiro servir-Vos,
pois há-de gozar do que Vós,
servindo-a a ela, lhe ganhastes.
Que farei, Senhor meu?
Que farei, meu Deus?
Oh! Que tarde se incendiaram meus desejos,
e que cedo andáveis Vós, Senhor,
granjeando e chamando
para que toda me empregasse em Vós!
Porventura, Senhor,
desamparais ao miserável,
ou apartais ao pobre mendigo,
quando ele se quer chegar a Vós?
Porventura, Senhor, têm fim as Vossas grandezas
ou Vossas magnificas obras?
Ó Deus meu e misericórdia minha!
E como as podereis agora mostrar em Vossa serva!
Poderoso sois, grande Deus.
Agora poder-se-á entender
se minha alma se entende a si mesma
vendo que perdeu,
e como num instante Vós podeis, Senhor,
fazer com que o torne a ganhar.
Parece-me que desatino,
é que o tempo perdido
– como se costuma dizer –
não se pode tornar a recuperar.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Exclamação IV. Recuperai, Deus meu, o tempo perdido

   

   A unidade

«Cristalina nascente,
Se nesses teus semblantes prateados
Formasses de repente
Os olhos desejados
Que tenho nas entranhas desenhados!»

«A alma tem um desejo enorme
de se unir ao Esposo,
mas vê que não encontra meio
nem remédio em criatura alguma.
Então, volta-se para a fé,
vendo nela a que, de forma mais ardente,
lhe há-de dar luz do seu Amado;
e escolhe-a como meio para isso.
Na verdade, não há outro meio
por onde se possa chegar à verdadeira união
e desposório espiritual com Deus,
como Ele próprio o dá a entender por Oseias:
Desposar-te-ei em fé (Os 2, 20).»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual. 12, 2

   

   Deus só!

«Que te poderei dizer
acerca da felicidade que experimento
por me ter entregado a Ele?
Já não é uma satisfação qualquer
aquilo que sinto.
É um céu o que possuo.
Principiei essa ocupação de amar e louvar,
que teremos por toda a eternidade.
Aqui, no Carmelo, só existe Deus.
Vivemos mergulhadas n’Ele,
na Sua atmosfera divina de paz e amor.
[…] Ele quer ouvir sempre a voz de louvor
da sua carmelita:
o seu canto ininterrupto de amor.
Para isso separa-a completamente do mundo,
trá-la à solidão,
onde Ele Se deixa ver, tocar,
ouvir, conhecer.
Por isso – só com Deus só –
a carmelita deve ocupar-se unicamente de Jesus.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 136. 2 de outubro de 1919

   

   Manter-se na presença de Deus

«Dia e noite
a alma pode procurar
manter-se em oração.
Se fizer o possível por realizar bem este exercício,
Jesus conduzi-la-á certamente
àquele grau de oração
ao qual a destinou.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 47

   

   Que eu faça a Tua vontade de amor

«Reze para que eu realize inteiramente
tudo aquilo que Deus quer de mim,
porque é este
o meu único desejo.»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 – 1770
Cartas

   

   Fazer aposentos em nossas almas

«Em que melhor nos podemos nós empregar
do que fazer aposentos em nossas almas
para o nosso Esposo
e chegar o tempo em que Lhe possamos dizer
que nos dê o beijo da Sua boca?
Venturosa será a que tal petição fizer
e, quando chegar o Senhor, não encontre sua lâmpada morta
e, farto de chamar, se vá».

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Conceitos de Amor 2,5

   

   Ser um só conTigo!

«A nossa condição humana é de tal maneira
que só nos podemos aperceber das coisas espirituais,
celestes, invisíveis e eternas
por meio de sombras, figuras e espécies do visível,
temporal e terreste.
O Espírito Santo nas Sagradas Escrituras
apresenta-nos a Igreja
sob o véu das metáforas,
entre enigmas e figuras duma cidade,
duma videira,
dum jardim cercado,
dum campo, duma grei,
dum corpo humano
e, olhando-a através da fé
ultrapassadas as sombras do humano,
por figuras e espécies,
revelou-nos dela tudo aquilo
que está ao limitado alcance de inteligências
que vivem em carne mortal.
Dentre outras figuras,
a duma mulher
descreve-nos a relação entre Cristo
e os santos
no matrimónio espiritual,
entre Cristo e a Igreja.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
As Minhas Vivências com a Igreja. A mulher tipo da Igreja. 13-14

   

   Ser missionário do Teu amor.

« […] Quando Jesus chama uma alma
para dirigir,
para salvar multidões de outras almas,
é muito necessário que lhe faça experimentar
as tentações e as provas da vida.
Já que Ele vos concedeu a graça
de sairdes vitorioso da luta,
espero, Reverendo Padre,
que o Nosso doce Jesus
há-de realizar os vossos grandes desejos.
Peço-Lhe para que sejais,
não só um bom missionário
mas sim um santo abrasado
do amor de Deus e das almas;
suplico-vos que alcanceis também para mim este amor
para que eu possa ajudar-vos
no vosso trabalho apostólico.
Vós sabeis que uma carmelita que não fosse apóstola
afastar-se-ia da sua vocação
e deixaria de ser filha
da Seráfica Santa Teresa
que desejava dar mil vidas
para salvar uma só alma.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 198. Ao Pe. Maurício Bellière. 21 de Outubro de 1896

   

   O amor de Deus

«O amor de Deus
é o perseguidor do amor próprio.
Lenha para acender um grandíssimo amor
são as fragilidades,
as misérias,
as contradições
e todas as amarguras.
O amor faz prodígios,
o ardor da caridade
converte em rosas os espinhos.
Dá-me, ó Senhor,
o Teu santo amor,
investe-me,
consome-me
e faz que eu viva e opere
só por amor de Ti.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Práticas de Piedade, p. 15-16

   

   Oh! Grandeza de Deus!

«Oh, grandeza de Deus!
Como manifestais o Vosso poder
dando ousadia a uma formiga!
É certo Senhor que não é por Vossa culpa
não fazermos grandes obras,
nós os que Vos amamos!
É por nossa cobardia e pusilanimidade!
Nunca nos decidimos
senão cheios de temores e prudências humanas
e assim, meu Deus
não operais Vossas maravilhas e grandezas.
Quem mais amigo de dar,
se tivesse a quem,
ou mais amigo de receber serviços
à Sua própria custa!
Ah! Se já Vos tivera feito algum!
Mas praza à Vossa Majestade
que não tenha antes de dar contas
por tantos que recebi!
Amen!»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Fundações. 2, 7

   

   Viver para Deus

Um dia, numa oração,
a minha alma saboreava uma paz profunda
e docemente eu repousava em Deus…
onde se perdia a minha pequena alma.
O Senhor, numa intimidade de afetos,
abaixando-se a mim – ínfima criatura –
disse algumas palavras,
que eu, depois com o andar do tempo,
vi cumpridas com precisão em mim
de um modo maravilhoso…
“Queres tu amar-Me,
saboreando verdadeiramente uma paz imperturbável,
e viver daquela vida íntima e segura,
traçada por Mim
para umas poucas almas preferidas do meu amor?...
Procura criar à tua volta um deserto,
e aí viverás a sós Comigo…
Naquele doce silêncio encontrar-me-ás livremente
todas as vezes que me procurares…”».

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Pensamentos. Caderno 26. 1921-1924. pg. 349

   

   A única condição

«A única condição
para que se realize este “renascimento” espiritual
é uma certa capacidade de acolhimento
que radica na estrutura pessoal».

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Obras Completas.

   

   A humildade “sabe” a Deus!

«A humildade tem o gosto de Deus!
Deus desce em toda a parte onde ela se encontra,
e em toda a parte onde Deus Se encontra nesta terra,
Ele se reveste dela
como um manto que esconde a Sua presença
aos orgulhosos
e a revela aos simples
e aos pequenos.»

Beato Pe. Maria-Eugénio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Quero ver a Deus. 344

   

   A vida é participação da Luz de Deus!

«S. João fala-nos da luz de Deus,
dizendo que essa luz é a nossa vida:
“N’Ele estava a Vida
e a Vida era a luz dos homens”.
Assim, a nossa vida é uma centelha da luz de Deus
a refulgir em nós.
Partiu de Deus
e para Deus há-de voltar,
se o pecado não a afastar.»

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Fátima, cap. 3

   

   Tudo para Jesus!

«Quero que cada dia da minha vida
seja gasto só por Deus,
para a Sua glória.
Não quero nada para mim
e se estiver em condições
de merecer alguma graça celeste,
dá-la-ei a Jesus para as almas.
Até da oferta dos meus sofrimentos
quero despojar-me:
quero que o próprio Jesus
disponha do meu sofrer.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Autobiografia. pg. 300

   

   «E todos quantos vagam.»

«Pelos que “vagam” entende aqui,
como dissemos,
as criaturas racionais,
isto é, os anjos e os homens,
porque, de entre todas as criaturas,
só eles se podem dispor para conhecer Deus.
É isso o que quer dizer o vocábulo “vagam”[…].
Dizer “todos quantos vagam” a Deus
é dizer que os anjos O contemplam
e gozam no Céu e
que os homens O amam e desejam na terra.
Através das criaturas racionais
a alma conhece mais vivamente a Deus,
quer pela contemplação da superioridade
que têm sobre todas as coisas criadas,
quer por aquilo que nos revelam de Deus.
Uns, os anjos, fazem-no interiormente
por meio de secretas inspirações;
outros, os homens,
fazem-no exteriormente
por meio das verdades da Sagrada Escritura. […]
Isto é,
levam-me a compreender coisas admiráveis
da Tua graça e misericórdia
nas obras da tua Encarnação,
assim como nas verdades da fé
que me vão relatando
e contando sempre cada vez mais de Ti.
Quanto mais quiserem relatar,
mais graças Tuas me poderão descobrir.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual, 7, 6-7

   

   Oh! Que pouco fiamos de Vós…

«Oh! Que pouco fiamos de Vós, Senhor!
Quantas maiores riquezas e tesouros
Vós nos confiastes,
Pois, trinta e três anos de grandes trabalhos,
E depois uma morte
Tão lastimosa e intolerável,
Pois nos destes Vosso Filho!
E tantos anos ainda antes do nosso nascimento!

E ainda mesmo sabendo que não Vos havíamos de pagar,
Não quiseste deixar de nos confiar
Tão inestimável tesouro,
Para que não fosse por Vós
Que ficasse por render aquilo,
Que, granjeando com Ele,
Nós podemos ganhar convosco,
Pai piedoso.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Exclamações da alma a Deus. XIII

   

   Humildade, caridade e paciência: escada da santidade

«A humildade
abre o caminho à caridade,
a paciência aperfeiçoa a caridade.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 – 1948
Pensamentos sobre imagens. pg. 39

   

   Libertados pela poderosa mão de Deus

«Ninguém penetrou tanto nas profundidades da alma
como aqueles que tinham abarcado o mundo
com coração cálido
e foram libertados
pela poderosa mão de Deus
dos laços deste mundo
e introduzidos na mais íntima esfera pessoal».

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Ser Finito e Ser Eterno.

   

   O grande privilégio e graça.

«O conhecimento de Deus, nesta terra
é o grande privilégio
e a grande graça.»

Beato Pe. Maria-Eugénio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências. 06.03.1966

   

   Oração apostólica é oração por todos

«Quando renovar os meus santos votos,
estes votos que fazem de mim uma
“acorrentada de Cristo”
para falar na linguagem de São Paulo,
gosto de juntar o seu nome ao meu
e assim entregá-la comigo!
Dar-se não é também um anseio da sua alma,
minha irmãzinha,
oh! é a resposta ao seu Amor.
Ofereçamos-Lhe também as almas,
a nossa Santa Madre Teresa
quer as suas filhas todas apostólicas:
é tão simples,
o divino Adorador está em nós,
pois que temos a sua oração,
ofereçamo-la,
comunguemos nela,
rezemos com a sua Alma!»

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 179. A Germana de Gemeaux. 20 de Setembro de 1903

   

   Chama de Amor Viva

«Ó chama de amor viva
Que ternamente feres
A minha alma no mais profundo centro!
Pois já não sendo esquiva
Acaba já, se queres,
Rasga a tela deste doce encontro!

Oh cautério suave!
Oh deliciosa chaga!
Oh branda mão! Oh toque delicado
Que à vida eterna sabe
E quanto devo paga!
Matando, a morte em vida a tens mudado.

Oh lâmpadas de fogo
Em cujos resplendores
As profundas cavernas do sentido,
Que estava escuro e cego,
Com estranhos primores
Calor e luz dão junto ao seu querido!

Quão manso e amoroso
Acordas em meu seio
Onde em segredo tu sozinho moras!
E em teu aspirar gostoso,
De bem e glória cheio,
Quão delicadamente me enamoras!»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Poesias. VII

   

   O amar está em servir.

«Feliz, pois, a alma que ama,
o coração em que a alma arde do amor de Deus!
Ó Senhor meu,
e a quem se visse tão mergulhado
nesta água viva de amor divino,
que se acabasse a vida!...
Mas se desejas o amor divino,
escuta, alma minha,
e pratica as lições que te dá a tua Santa Madre
[Santa Teresa de Jesus].
Começam a ser servos do amor
os que se determinam a seguir
por este caminho de oração…
Faz oração e alcançarás amor.
Ora muito e alcançarás muito amor…
Dizia David:
na meditação, Senhor,
aviva-se o fogo, acende-se o amor!
O amor de Deus não está em ter lágrimas,
nem gostos e afetos;
o amor de Deus
está em servir com justiça,
fortaleza de ânimo
e humildade.»

Santo Henrique de Ossó | 1840 - 1896
Revista Teresiana. 78-79: 64

   

   Humildade:cálice que contém Deus

«O coração humilde
é o cálice que contém Deus.»

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Pensamentos de Marie de Jesus Crucificado, de Fr. Denis Buzy, scj

   

   Sirvo o Rei

«Imagino muitas vezes que sou uma rainha;
pois enquanto outras almas servem o Rei
no apostolado da ação,
eu – como rainha –
estou ao Seu lado escutando-O,
contemplando-O,
rogando junto d’Ele,
sofrendo com os Seus sofrimentos.
Ele muda os meus sentimentos,
divinizando-os;
Ele rodeia-me da Sua luz divina,
embelezando a minha alma
com os Seus ensinamentos.
Oh, que bom é este Jesus
com a Sua pobre criatura.
Não quer separar-se dela um momento.
Procura na minha alma consolo e repouso.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 141. A Amelia Montt Martínez. Outubro de 1919

   

   Sorri, por amor a Jesus.

«Em tudo aquilo que te é amargo
e te custa,
sorri, minha Irmã,
por amor do teu querido Jesus.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 73

   

   Ser comunidade para crescer no Amor.

«Recordemo-nos frequentemente uns aos outros,
que vivemos em Deus,
nos movemos em Deus,
estamos em Deus,
lembrando-nos mutuamente
o amor de Deus.»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinário (Madre Ana Maria de S. António de Pádua – Picolimini). 41

   

   Pensar em Deus

«Não podemos evitar os perigos
e os escolhos,
de que a vida está cheia,
sem auxílio actual e contínuo de Deus;
peçamos-Lho continuamente.
Como pedi-lo sem estarmos com Ele?
Como estar com Ele senão pensando Nele frequentemente?
Como pensar Nele frequentemente
senão por esse santo hábito [o de pensar Nele]
que é necessário formar?
Dir-me-eis que vos digo sempre a mesma coisa.
É verdade:
não conheço meio mais próprio, nem mais fácil que este!
E, como não pratico outro,
aconselho-o a toda a gente.
É preciso conhecer antes de amar:
para conhecer a Deus
é preciso pensar Nele frequentemente.
E quando O amarmos
pensaremos Nele também frequentemente,
porque o nosso coração está onde está o nosso tesouro!
Pensai Nele frequentemente
e pensai Nele bem.»

Frei Lourenço da Ressurreição | 1614 – 1691
Carta 08. A uma religiosa. 28 de Março de 1698

   

   A minha união com Jesus, com a Igreja.

«[…] O santo sacrifício até à hora da consagração
não é mais que predisposição e preparação
para o ato solene das bodas do Cordeiro;
na consagração,
assim que esteja presente no altar
o Corpo e o Sangue de Cristo,
serás tu que, no momento em que O adores,
te hás de oferecer,
dar e entregar à tua Amada [a Igreja];
e, em sinal desta entrega total,
te hás de render adorando o teu Deus e Senhor.
Na comunhão, a tua Amada entrega-se a ti:
dá-te o Seu Corpo, dá-te o Seu Sangue,
dá-Se totalmente a ti.
Renova todos os dias no altar
a união com a tua Amada.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
As minhas vivências com a Igreja. pg. 839

   

   És o único necessário, Senhor!

«Agora que Ele [Jesus]
parece estar a aproximar-se dela [fala dela própria]
para a atrair à morada da Sua glória,
a vossa filha alegra-se.
Há muito tempo que compreendeu
que Deus não precisa de ninguém
(dela ainda menos que doutros)
para fazer bem na terra.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito C (Dirigindo-se à Madre Maria de Gonzaga) . 3vº

   

   Fazer a vontade de Deus

«Para nos tornarmos santos
é-nos pedida uma única coisa:
fazer a vontade de Deus.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Retiro para a Profissão Solene de uma Religiosa. pg 11-12

   

   Que mandais fazer de mim?

«Vossa sou, para Vós nasci,
que mandais fazer de mim?»

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Poesias 2

   

   Dar gosto a Jesus

«Viver preocupada com dar gosto ao meu Jesus:
eis o meu paraíso nesta terra…»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Pensamentos (caderno.26): 1921-1924. Pg. 351-352

   

   Escondida no coração divino

«A história das almas no Carmelo
está profundamente escondida no coração divino.
E o que nós acreditamos compreender
de vez em quando
da própria história
não é mais do que um reflexo passageiro
do que permanece no segredo de Deus,
até ao dia em que tudo se torne manifesto».

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Carta 16-5-1941.

   

   Ser criancinha de Deus

«Oh! olhe bem para Ele [Jesus],
apoie-se n’Ele
e leve até Ele a sua alma,
diga-Lhe que quer somente amá-Lo,
que seja Ele a fazer tudo em si,
porque é demasiado pequena.
É tão bom ser-se a criancinha do santo Deus,
deixar-se levar por Ele todo o tempo,
repousar no seu Amor!»

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 179. A Germana de Gemeaux. 20 Setembro de 1903

   

   A morte do cristão

«Que diferença imensa existe
no modo de considerar a morte de um cristão
e daquele que o não é!
Este só encontra o vazio,
o nada,
o frio do túmulo.
O cristão encontra o fim do seu desterro,
dos seus sofrimentos,
o princípio dos seus gozos eternos…
Ali está o seu Pai
com os braços estendidos para recebê-lo
e dar-lhe a coroa.
Que paz isso não nos dá
num transe tão terrível
como é o da destruição do nosso ser.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 126

   

   Os santos do Céu

«Lembrando-me da petição de Eliseu ao seu Pai Elias,
quando ousou pedir-lhe o seu duplo espírito,
apresentei-me diante dos Anjos e dos Santos,
e disse-lhes:
“Sou a mais pequena das criaturas;
conheço a minha miséria e a minha fraqueza;
mas sei também
quanto os corações nobres e generosos
gostam de fazer bem.
Suplico-vos, portanto,
ó bem-aventurados habitantes do Céu!,
suplico-vos que me adoteis por filha.
Só para vós será a glória que me fizerdes alcançar;
mas dignai-vos atender a minha prece.
É temerária, bem o sei;
contudo, ouso pedir-vos que me obtenhais
o vosso duplo Amor”.
Jesus, não me atrevo a alargar o meu pedido;
temeria ficar oprimida sob o peso dos meus desejos audaciosos...
A minha desculpa é que sou uma criança.
As crianças não refletem no alcance das suas palavras.
Não obstante,
quando os seus pais ocupam um trono,
quando possuem imensas riquezas,
não hesitam em satisfazer os desejos dos pequenos seres
que amam com tanta ternura como a si mesmos.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito B. 4rº

   

   Por Maria a Jesus

«Peçamos à Santíssima Virgem,
fonte de vida e de luz,
sabermos ser, como Ela,
somente um meio,
somente um caminho
para chegar ao Mestre verdadeiro:
Cristo nosso Senhor.»

Beato Pe. Maria-Eugénio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências. 06.01.1966

   

   Maturidade

«Se não fizeres desaparecer
a tua suscetibilidade
amargurar-te-ás a vida inteira.
Não deves abrigar no teu coração
esses sentimentos de desconfiança.
Pensas que, porque te contrariam
e não satisfazem os teus gostos,
não te amam?
Quando eu estava em casa
tinha que contrariar a minha vontade
até nas mínimas coisas
para me amoldar aos demais.
Formar-te-ás para a vida inteira
sacrificando-te, sem que ninguém o note.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 159. A uma jovem.

   

   Dispôr-se para o caminho espiritual.

«A alma acaba de indicar
a maneira de se dispor
para começar este caminho,
ou seja,
não andar atrás de deleites e gostos
e ganhar força
para vencer as tentações e as dificuldades,
pois nisso consiste o exercício
do conhecimento próprio,
que é a primeira coisa
que a alma tem a fazer
para chegar ao conhecimento de Deus.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual. 4, 1

   

   O amor ao próximo

«O amor ao próximo
é o melhor caminho
a prova de que O amas
porque se não amas o teu irmão
como poderás amar a Deus?

A caridade é o vínculo da perfeição;
o fim e a plenitude de toda a lei.
Ama o teu próximo e faz o que quiseres porque Deus é amor.

A caridade
nas adversidades, não desfalece, porque é sofrida;
nas injurias não provoca vingança, porque é benigna;
a prosperidade dos outros não a atormenta,
porque não tem inveja;
não procura o êxito e a honra,
porque não é soberba.»

   

   A tentação faz-nos correr para Deus.

«Deus permite as tentações
com o único objetivo de nos deixar crescer.
Corramos sempre mais para Deus,
quanto mais formos tentados!»

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Pensées de Marie de Jesus Crucifié, de Fr. Denis Buzy, scj

   

   Esquecer-se a si mesmo por Ele.

«Ele tem uma tal sede
de nos associar a tudo o que Ele é,
de nos transformar n’Ele.
Minha irmãzinha,
acordemos a nossa fé,
pensemos que Ele está aí, no íntimo,
e que Ele nos quer muito fiéis.
Também quando tem vontade de ser impaciente,
ou de dizer uma palavra contra a caridade,
aproxime-se d’Ele,
deixe cair esse ímpeto da natureza
para Lhe agradar.
Quantos atos de abnegação, só d’Ele conhecidos,
temos para Lhe oferecer!
Não os percamos, minha irmãzinha.
Parece-me que os santos
são as almas que se esquecem de si todo o tempo,
que se perdem de tal maneira n’Aquele que amam,
sem retornarem a si,
sem olhar para a criatura,
que podem dizer com São Paulo:
“Já não sou eu que vivo,
é Jesus Cristo que vive em mim!”».

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 179. A Germana de Gemeaux. 1903

   

   Amar como os olhos e o Coração de Deus.

«As dignidades e as honras não me movem:
amo, igualmente, o Pastor supremo das almas
que ocupa a cadeira de São Pedro
para governar o mundo,
como o humilde pastor
que apascenta no monte o seu rebanho
e não considero mais o rico que o pobre;
o ancião que o jovem;
o bem formado que o paralítico;
o mesmo digo do homem com relação à mulher.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Es Cubells – Ibiza, 10

   

   Deus é um Pai dulcíssimo

«Deus é um Pai dulcíssimo:
abandona-te a Ele,
confia n’Ele.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Cartas I. 47

   

   Deus orienta tudo para nosso bem

«O que quer que me aconteça
será sempre bom,
já que o bom Deus dispõe sempre tudo para nós
da melhor maneira.»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinário (Pe. Ildefonso). 31

   

   Posso falar de um “renascimento”

«Não sei se pelas minhas palavras anteriores
já deduziu que,
após uma longa reflexão,
decidi por um cristianismo positivo.
Isto livrou-me da vida
que me tinha atirado para o chão,
e, ao mesmo tempo deu-me força
para retomar de novo
e de forma agradecida a vida.
Portanto, posso falar,
em sentido mais profundo
de um “renascimento”.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
Carta 10/10/1918.

   

   Deus: Pai bom!

«Eu vejo que Deus,
como bom Pai,
me leva pela mão e conduz
para onde Ele quer.
E por isso, irei onde não sei
e caminharei por onde não quero.
Deus sabe como estou disposto
a servir a Sua Igreja
e que, em assuntos da Sua glória,
vejo tudo claro e fácil.
Ele sabe como tenho em pouco
a minha vida e o meu descanso
e como estou desprendido
de todo o consolo humano e celestial.
E, porque Deus conhece nisto a minha generosidade,
não me abandonará,
mas guiar-me-á por onde Lhe aprouver.
Eu ando seguro,
confiado nos cuidados da sua paternal solicitude.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 56, 1

   

   Desejos do Céu

«Também a Igreja chama […] “celestes verduras”
quando, ao pedir a Deus
pelas almas dos fiéis defuntos,
se dirige a elas e diz:
Constituat vos Dominus inter amoena virentia.
Quer dizer: “Que Deus vos estabeleça
entre as amenas verduras”.
Diz ainda que este prado de verduras também está
de flores esmaltado.
Por estas flores entende os anjos e as almas santas,
com as quais está adornado e enfeitado aquele lugar,
à semelhança de um belo e precioso esmalte
num recipiente de ouro magnífico.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual. 4.5-6

   

   Fazer o Céu na terra.

«Sou a mais pequena das criaturas;
conheço a minha miséria e a minha fraqueza;
mas sei também quanto os corações nobres e generosos
gostam de fazer bem.
Suplico-vos, portanto,
ó bem-aventurados habitantes do Céu!,
suplico-vos que me adoteis por filha.
Só para vós será a glória que me fizerdes alcançar;
mas dignai-vos atender a minha prece.
É temerária, bem o sei; contudo,
ouso pedir-vos que me obtenhais o vosso duplo Amor».

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito B. 4rº

   

   Humildade

«De há ano e meio para cá,
Jesus quis modificar a maneira de fazer crescer
a sua Florzinha.
Achou, sem dúvida,
que estava suficientemente regada;
pois agora é o sol que a faz desenvolver.
Jesus não quer para ela senão o Seu sorriso,
que Ele lhe dá ainda através de vós,
minha caríssima Madre.
Este sol aprazível,
longe de fazer murchar a Florzinha,
fá-la crescer maravilhosamente.
No fundo do seu cálice,
conserva as preciosas gotas de orvalho que recebeu,
e essas gotas lembram-lhe sempre
que é pequena e débil...
Podem inclinar-se para ela todas as criaturas,
admirá-la, cumulá-la de louvores...,
não sei porquê, mas isso não acrescentaria
nem uma gota de falsa alegria
à alegria verdadeira que saboreia no seu coração,
sabendo o que ela é aos olhos de Deus:
um pobre pequeno nada, e nada mais...»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito C. 1vº - 2rº

   

   O amor é esquecimento de si

«Na família religiosa
na qual o Senhor nos colocou [o Carmelo],
amai a todos na caridade de Cristo
e ajudai a todos a subir o monte santo
com o vosso exemplo.
Que divina beleza tem o coração mortificado,
o sorriso sobre os lábios,
a doçura nas palavras,
a compaixão fraterna nos gestos,
como o Esposo Jesus,
como os nossos santos!...»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Retiro para a Profissão solene de uma Religiosa. pg.16

   

   Temos tão grande Deus

«Quanto a nós,
tomar com singeleza o que o Senhor nos der;
e com aquilo que não nos der,
não nos cansarmos,
mas alegrar-nos de considerar
que temos tão grande Deus e Senhor,
que uma palavra Sua
pode conter em si mil mistérios...»

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Conceitos do Amor de Deus 1,2

   

   Para além das estrelas…

«Oh! Como é belo no silêncio do Carmelo
contemplar o Céu estrelado…
As estrelas!
Estas criaturas luzentes
sorriem ao meu pobre coração exilado
e o elevam a Deus…
não existe oração mais ardente
que a que se faz no observar das estrelas.
Não me cansaria de passar noites inteiras a olhá-las…
Elas falam-me do Infinito…
Os olhos, fixando-as, beatificam-se,
e não podem descer
para voltar a olhar a terra
sem sofrer:
a terra é um deserto
para quem ama o Céu…
Ó meu Jesus,
faz que eu volte a olhar para estas criaturas
com um coração puro
e continue a minha ascese para as estrelas,
porque por cima delas Vos encontrais Vós, meu Deus…»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Pensamentos. Caderno 26. 24-6-1924

   

   Uma gratidão ilimitada

«A mim aconteceu-me
como a uma pessoa que estava em perigo de se afogar,
e a quem muito tempo depois
num lugar luminoso e quente,
onde está muito segura e rodeada de amor e carinho…
de repente vê a imagem do escuro e frio abismo.
Que outra coisa pode sentir senão temor
e com isso uma gratidão ilimitada
diante daquele braço que a agarrou tão maravilhosamente
levando-a para terra firme».

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Carta 13-12-1925

   

   Eucaristia: Pão do Céu

«Na santa Eucaristia
nós recebemos
a divindade e a humanidade de Cristo Jesus,
tal como ela era aqui na terra.»

Beato Pe. Maria-Eugénio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências. 09.06.19

   

   É tão bom dar quando se ama.

«É tão bom dar quando se ama,
e eu amo-O tanto,
esse Deus cioso de me ter toda para Si.
Sinto tanto amor na minha alma
que é como um Oceano
no qual mergulho e me perco.
É a minha visão cá na terra
enquanto espero o face a face na luz.
Ele está em mim e eu n’Ele,
não tenho senão que O amar
e que me deixar amar
e isso em todos os momentos
e através de todas as coisas:
acordar no Amor,
mover-se no Amor,
adormecer no Amor,
a alma na Sua Alma,
o coração no Seu Coração,
os olhos nos Seus olhos,
a fim de que, pelo Seu contacto,
Ele me purifique, me liberte da minha miséria.»

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 177. Ao Cónego Angles

   

   Ser morada de Deus

«Seguramente terás lido
no Evangelho de S. João, capítulo 14, versículo 23:
“Àquele que me ama e observa a minha doutrina,
meu Pai o amará
e viremos a ele e faremos nela a Nossa morada”.
Mas para se ser morada de Deus
é necessário cumprir a Sua doutrina,
praticar as virtudes.
A primeira virtude há-de ser a pureza.
Hás-de purificar-te o mais rápido possível das tuas faltas,
pedir imediatamente perdão a Nosso Senhor.
Além disso hás de desarreigar os defeitos dominantes
pelos atos contrários a esses defeitos.
Ainda que seja impossível livrarmo-nos deles imediatamente,
Deus vê os nossos desejos
e contenta-Se com o nosso querermo-nos purificar deles.
Uma vez formulado este desejo, querida irmãzinha,
diz a Nosso Senhor que venha morar na nossa alma,
que ainda que seja muito pobre
e ainda não esteja muito pura,
faremos o possível
por tê-la sempre o mais agradável possível aos Seus olhos.
Diz-lhe depois […] que tu O amas
e que desejas viver em íntima união com Ele.
Quando temos um amigo em nossa casa,
não o deixamos só,
mas procuramos falar-lhe de vez em quando.
Assim farás com Jesus.
Antes de principiar qualquer obra
dir-Lhe-ás que a ofereces a Ele, só por amor,
não com a intenção de que as criaturas te vejam,
mas para servi-Lo, porque O amas.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 82. A Elena Salas

   

   A visita do Senhor

«A alma,
para mover e persuadir mais o Amado
a atender o seu pedido,
diz que,
se mais ninguém pode satisfazer a sua necessidade,
então seja Ele a apagar o seu pesar.
Daqui se depreende, então,
que Deus muito em breve irá consolar a alma
e atendê-la nas suas necessidades e penas,
porque não tem nem pretende outra satisfação e consolação
fora d’Ele.
Assim, a alma
que não tem coisa que a entretenha fora de Deus,
não pode ficar muito tempo
sem a visita do Amado.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual. 10, 6

   

   Senhor, que lições eloquentes me dás!...

«Olha quanto te amo…
Fiz-me escravo para que fosses livre,
pobre para que tu sejas rico,
humilde para te exaltar,
homem para que tu possas fazer-te filho de Deus.
Jesus! Que lições eloquentes
me dás no meio do silêncio!
Amo-Te e desejo imitar-Te.
Adoro-Te e ao adorar-Te ofereço-Te
a minha pobreza, pois não tenho
outra coisa para Te oferecer».

Santo Henrique de Ossó | 1840 - 1896
Quarto de Hora de Oração

   

   A humildade da criança

«A humildade é contente,
a humildade é feliz,
feliz em qualquer lugar;
a humildade satisfaz-se com tudo.»

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Escritos de Santa Maria de Jesus Crucificado

   

   Amar o amor

«Bem-aventurada a alma
que está tomada apenas
pela paixão do amor celeste…
Quereria ser uma destas almas amantíssimas
que se santificam a si mesmas rapidamente,
salvam o mundo
e sobretudo contentam e glorificam o Amor.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Cartas III. 77

   

   Humildade e simplicidade

«Se desejamos encontrar
o amor que nos criou e redimiu
e que nos pede que O amemos,
o caminho seguro é este:
humildade de coração
e simplicidade e espírito.»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Bilhetes escritos à Irmã Teresa Crucificada de Jesus. 4

   

   Amo-Te, Jesus!

«Sobre todos os grãos de poeira
quereria escrever com o meu sangue:
amo-Te Jesus,
salva as almas!»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Diário 1. pg.2

   

   Maria é modelo perfeito da Igreja

«Tudo quanto se prega de perfeito,
de puro,
de santo sobre Maria,
adequa-se duma maneira
mais excelente e sublime à Igreja.
A virgindade de Maria
mostra-nos a da Igreja,
como também a sua maternidade e pureza.
Uma mulher,
a mais perfeita que Deus criou,
não é mais que uma figura,
uma sombra,
uma imagem,
um esboço muito imperfeito da Igreja de Deus.
Somente esta puríssima Virgem
reúne em si com toda a plenitude e perfeição
aquela inexplicável beleza e amabilidade
que procura o nosso coração.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Minhas Vivências com a Igreja. Maria tipo da Igreja. 19

   

   Pequenas vítimas do Teu Amor…

«Porque hei-de desejar comunicar
os Teus segredos de amor, ó Jesus?
Não és só Tu a ensinar-mos?
E não podes acaso revelá-los a outros?
Sim, estou certa disso,
e peço-Te que o faças.
Suplico-Te que baixes o Teu olhar divino
sobre um grande número de pequenas almas...
Suplico-Te que escolhas uma legião
de pequenas vítimas do teu AMOR!...»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito B. 5vº

   

   Filha da Igreja

«Enfim, morro filha da Igreja».

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Últimas palavras proferidas por Santa Teresa de Jesus

   

   Uno-me a Ti, Senhor!

«Uma alma unida e identificada com Jesus
pode tudo.
E parece-me que só pela oração
se pode alcançar isso».

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 130

   

   A Humildade de Nossa Senhora

«[…]A Senhora respondeu:
“Vim para vos pedir
que venhais aqui seis meses seguidos,
no dia 13 a esta mesma hora.
Depois vos direi quem sou
e o que quero”. […]
A frase “vim para vos pedir”
tem também sido objeto
de muitas das minhas meditações.
Ela, a Senhora, a Padroeira,
a Rainha do Céu e da terra
desce para vir humildemente pedir
– como se fora um favor.
É sempre a mesma,
Aquela que disse há cerca de 2000 anos:
“Eis aqui a serva do Senhor.”

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus | 1907 - 2005
Como vejo a Mensagem. pg. 31

   

   Acudi à fé e à humildade

«Quando vos achardes com esta pusilanimidade,
acudi à fé e à humildade […],
que Deus tudo pode.
Desta determinação quer Ele fazer-nos Senhores,
deste livre alvedrio,
que não precisa do nosso esforço para nada,
antes gosta Sua Majestade
que resplandeçam Suas obras em gente fraca,
porque dão mais lugar a operar seu poder
e cumprir o desejo que tem de nos fazer mercês».

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Conceitos do Amor de Deus 3, 5-6

   

   Espero tudo do Teu olhar

«Padre Veneradíssimo,
que dizer-lhe da minha alma?…
Contra qualquer mérito,
o divino Mestre
continua a sua obra de amor em mim…
Desde o retiro para a tomada de Véu,
muitos e vastos horizontes
se abriram diante dos meus olhos:
o anseio de agradar ao bom Deus
torna-se cada vez mais intenso e profundo…
e não consigo perceber porquê…
como não correspondo a tanta delicadeza de amor,
e apesar disto não perco a coragem
diante das minhas inumeráveis imperfeições?…
Espero sempre que um só olhar de Jesus
cubra tudo…»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 95. Ao Padre Elias. 01.05.1925.

   

   A mediação de Cristo

«Nós temos esta grande graça
de ter a humanidade de Cristo
que continua na terra
o Seu trabalho de mediação.»

Beato Pe. Maria-Eugénio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências. 09.06-1966

   

   Depois do encontro com Deus

«Depois do encontro com Deus
todas as realidades,
com as que tinha que lidar antes,
tornaram-se transparentes
e é possível chegar a sentir as forças
que sustentam e movem tudo…»

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
Carta 8-11-1927.

   

   Que a minha vida seja um ato de amor

«Prometo ao meu Jesus
humilhar-me e renunciar-me
de cada vez que tiver ocasião
por Seu amor,
e peço a este Esposo Bem Amado
para ajudar à minha fraqueza
a fim de que faça da minha vida
uma oração contínua,
um só ato de amor.
Que nada me possa distrair d’Ele.
Que eu viva no mundo sem ser do mundo:
posso ser carmelita no interior e quero sê-lo.
Ó meu Bem Amado,
que eu passe santamente este tempo
que me resta viver no mundo;
que o passe na Vossa união,
na Vossa intimidade;
que o passe fazendo um pouco de bem.
Mestre, pertenço-Vos,
tomai-me inteiramente!

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Notas Íntimas. 6

   

   Olhos em Maria

«Tomarei Maria
como modelo da minha vida:
fixarei o olhar nesta celeste Mãe,
invocá-La-ei com filial ternura,
com vontade firme,
com coração humilde.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Diário II. pg. 60

   

   Desejos intensíssimos de Deus

«Apaga o meu pesar.»

«Como se disse,
o desejo de amor tem esta propriedade:
tudo o que não se faz, ou diz,
ou não é conforme àquilo que a vontade ama,
produz-lhe cansaço, fadiga e aborrecimento,
tornando-a áspera,
por ver que não se realize aquilo que deseja.
É a isto
e a todas as fadigas que passa para ver a Deus
que aqui chama “pesar”.
E não há nada que o possa desfazer
senão a posse do Amado;
suplica-Lhe, portanto,
que seja Ele a apagá-lo com a Sua presença,
refrescando-o como a água fresca
ao arrasado de calor.
É por isso que usa aqui a palavra “apaga”,
para dar a entender
que está a sofrer com fogo de amor.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual. 10, 5

   

   Minha Mãe: ensina-me a ser Eucaristia

«Senhor,
este Teu gesto supremo de amor e entrega [a Eucaristia]
desperta em mim o desejo de Te agradecer
e Te amar,
amando os meus irmãos
e tendo sempre para com eles
a atitude de serviço, que Tu nos ensinaste.
Maria, Mãe de Jesus,
ensina-nos a viver a Eucaristia
como o grande dom de amor
e a lição suprema de comunhão com Cristo,
com o Pai
e com os irmãos,
sabendo que a Eucaristia
é o sacramento que nos salva.
Ámen”.

Santo Henrique de Ossó | 1840 – 1896
Quarto de Hora de Oração, p. 165.

   

   Senhor, dá-me olhos iluminados pela fé.

«Cada vez que se fere a caridade,
fere-se Jesus,
que é a própria caridade.»

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Pensées de Marie de Jesus Crucifié, de Fr. Denis Buzy, scj

   

   Realmente presente

«Aprofundaste suficientemente bem
que depois da Comunhão
possuis realmente a Pessoa adorável
do próprio Jesus?
Aquele Jesus
que faz as delícias do Paraíso?»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 44

   

   Experimentar o Senhor, pela fé

«Aquilo que me consola nesta vida
é que vejo Deus pela fé.
E vejo-O de uma maneira
que às vezes me poderia fazer dizer:
“Já não creio, mas vejo,
experimento o que a fé nos ensina”.
E nesta certeza e nesta prática da fé,
viverei e morrerei com Ele.»

Frei Lourenço da Ressurreição | 1614 – 1691
Carta 11. A uma religiosa. 17 de Novembro de 1690.

   

   O caminho da confiança

«Queria tentar fazer-vos compreender
por uma comparação muito simples
como Jesus ama as almas,
mesmo imperfeitas, que confiam n’Ele:
Suponhamos que um pai tem dois filhos
travessos e desobedientes
e que ao ir castigá-los vê um que treme
e se afasta dele com pavor,
embora sinta no fundo do coração
que merece ser punido;
e que o irmão, pelo contrário,
se lança nos braços do pai
dizendo que lamenta ter-lhe dado desgosto,
que o ama e que, para o provar,
se portará bem daí em diante;
depois, se este filho pedir ao pai
para o castigar com um beijo,
não acredito que o coração do ditoso pai
possa resistir à confiança filial do filho
de quem conhece a sinceridade e o amor.
Não ignora todavia
que o filho mais uma vez cairá nas mesmas faltas,
mas está disposto a perdoar-lhe sempre,
se o filho sempre lhe falar ao coração...»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 258. 2rº - 2vº

   

   Generosidade por amor

«Para alcançar a Deus,
no qual estão todas as coisas
– e por isso todo o bem –
nenhuma fadiga nos deve parecer dura,
nem se deve voltar para trás
por causa das dificuldades que se encontrem,
mas antes abraçar as amarguras e as cruzes
com prontidão e generosidade.
Oh! Se com estes meios,
que são exatamente aqueles
que vemos em Jesus Cristo,
conseguíssemos verdadeiramente alcançar a Deus!
Teremos também obtido a graça
de permanecer na caridade,
porque “Deus charitas est”
e caminhar no amor.»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinário (Madre Ana Maria de S. António de Pádua). 41

   

   O Orvalho divino

«Meu doce Jesus, no regaço da tua Mãe
Apareces-me, envolto em luz de Amor.
O Amor, eis o inefável mistério
Que te exilou da Celeste Morada...
Ah! deixa-me ocultar sob o véu
Que aos olhos humanos Te esconde

Desde o nascer de cada nova aurora
Quando aparecem os primeiros raios de sol
A delicada flor que começa a abrir
Espera do alto um bálsamo precioso
É o orvalho benéfico da manhã
Totalmente cheio de uma doce frescura
Que produzindo uma seiva abundante
Do fresco botão faz entreabrir a flor.

Tu és, Jesus, a Flor que acaba de abrir-se,
Contemplo-Te no teu primeiro despertar,
És Tu, Jesus, a deslumbrante Rosa,
O fresco botão, gracioso e cor de ouro.
Os puríssimos braços da tua Mãe querida
Formam para Ti um berço, trono real
O teu doce sol, é o seio de Maria
E o teu Orvalho, o Leite Virginal!...»

   

   Não podemos fazer muito

«Na verdade não podemos fazer muito,
apenas pôr-nos nas mãos de Deus
e suplicar-Lhe que seja Ele quem faça tudo…»

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
Edith Stein, Obras Completas.

   

   Vossas obras são santas!

«Ó meu Deus misericórdia minha!,
que farei
para que não desfaça as grandezas
que Vós tendes comigo?
Vossas obras são santas,
são justas,
são de inestimável valor,
e com grande sabedoria,
porque Vós sois a própria Sabedoria».

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Exclamações I, 2

   

   Entrego-Me totalmente a Ti

«A minha Amada
não é senão Jesus Cristo
como Cabeça do seu Corpo moral,
isto é, Jesus e o próximo.
Esta manhã, no altar, disse-mo com toda a clareza
quando comungava:
- “Entrego-Me totalmente a ti,
dou-te como sinal o Meu Corpo e o Meu Sangue”.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
As Minhas Vivências com a Igreja.
A grande batalha. Vitória. pg 841

   

   Sorriso do bom Deus

«Uma alma
seguidora da Teresinha
no caminho da infância do divino amor
propôs-se ser o “pequeno sorriso do bom Deus”.
Quanta profundidade nesta simples expressão!...
Ser o “pequeno sorriso de Deus”, ou seja,
revelar sempre às criaturas
a divina bondade e mansidão;
pressupõe uma contínua abnegação,
um sacrifício absoluto,
um perfeito esquecimento de si próprio!
Esforcemo-nos por sermos também nós
os pequenos sorrisos de Jesus,
esqueçamo-nos das nossas pequenas dores
para mostrar a todos
a doce imutável serenidade de Deus!
Nas lutas da vida,
que certamente não te faltarão,
sorri sempre ao bom Deus, Vicenza querida!»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 93. A Vicenza Rinaldi. 12.04.1925.

   

   Firmeza da fé na Eucaristia

«Peçamos ao Senhor
que torne firme a nossa fé na Eucaristia,
que torne firme esta fé na Eucaristia
em todos os cristãos,
em todos os Sacerdotes.»

Beato Pe. Maria-Eugénio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências. 20.03.1966

   

   Tira-me a liberdade de Te desagradar

Oh, torna-me mártir do Teu Amor,
que este martírio me faça morrer.
Tira-me a liberdade de Te desagradar,
que nunca Te faça a mais ligeira ofensa.
Quebra, arranca do meu coração
tudo o que Te desagrade.
Quero cumprir sempre a Tua vontade,
corresponder sempre à Tua graça.
Ó Mestre,
quero ser santa para Ti,
sê a minha santidade,
pois conheço a minha fraqueza .
Oh! Jesus, obrigada por todas as graças que me concedeste,
agradeço sobretudo por me teres provado.
É tão bom sofrer por Ti, conTigo.
Que cada batimento do meu coração
seja um grito de reconhecimento e de amor.»

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Notas Íntimas 4 . Novembro de 1899

   

   O maravilhoso dom do guia

«Deus não deixa que nos formemos sozinhos,
mas segundo as suas advertências;
com frequência o homem não percebe
a voz suave que n’Ele fala.
Percebe talvez os suaves golpes da asa da pomba,
que o atrai com o seu voo,
mas não o entende.
Então tem que chegar alguém
dotado de um ouvido muito delicado
e uma vista muito aguda
que o faça conhecer o misterioso sentido da Palavra.
Este é o maravilhoso dom do guia:
ser colaborador na salvação das almas.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
Edith Stein, Obras Selectas.

   

   Viver de amor

«Oh! Se eu pudesse, minha Tia,
fazê-la experimentar
a felicidade que se sente
quando não se tem na vida outra ocupação
senão a de amar e contemplar;
quando a alma engolfada no oceano da divindade
perde de vista a ribeira do mundo,
desse mundo que é pátria de dor e de maldade!
Como me encontro feliz por viver prisioneira,
com o Divino Prisioneiro,
consolá-l’O com as minhas lágrimas,
ajudá-l’O a salvar as almas,
orando e sofrendo!
Já comecei a minha eternidade.
Tenho tudo.
Só me falta ver a Deus face a face…»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 111. A sua Tia Juana Solar de Domínguez

   

   Ver a Deus

«”Apaga o meu pesar,
Pois mais ninguém consegue desfazê-lo,
E veja-Te o meu olhar,
Que és lume a acendê-lo,
E apenas para Ti eu quero tê-lo.”

Nesta canção,
continua a pedir ao Amado
se digne pôr fim às suas ânsias e penas,
porque não tem mais ninguém que o possa fazer.
Pede que os olhos da sua alma O possam ver,
pois Ele é a única luz que eles veem,
e ela não os quer usar para outra coisa
que não seja Ele.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual. 10, 4

   

   Aceitar a vontade de Deus e os Seus caminhos

«O essencial
é aceitar com amor
tudo o que agrada a Deus mandar-nos,
com total conformidade com a Sua vontade,
sempre e em tudo.»

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Pensées de Marie de Jesus Crucifié, de Fr. Denis Buzy, scj

   

   A santidade

«A santidade é amor,
é correspondência à graça,
é triunfo,
é vitória sobre nós
e sobre o mundo,
é o ideal de Jesus para nós.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Cartas I. 101

   

   Tu que estás no mais profundo do meu ser…

Agora vede o que diz o Vosso Mestre:
«Que estais nos céus».
Pensais que importa pouco saberdes que coisa é o céu
e onde se deve procurar Vosso Sacratíssimo Pai?
Pois eu digo-vos
que, para entendimentos distraídos importa muito,
não só crer isto, mas procurar entendê-lo por experiência,
pois é uma coisa que muito prende o entendimento
e faz recolher a alma.
Já sabeis que Deus está em toda a parte. […]
Onde está Deus é o Céu.
Vede que santo Agostinho o buscava em muitas partes
e veio a encontra-Lo dentro de si. […]
Basta pôr-se em soledade e olhá-l’O dentro de si mesma,
e não se estranhar de tão bom Hóspede;
mas falar-Lhe com grande humildade, como a um pai;
contar-Lhe os seus trabalhos,
pedir-lhe remédio para eles entendendo
que não é digna de ser sua filha.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Caminho de Perfeição 28,1-2

   

   Exercitar a vontade

«É necessário
ter a vontade sempre pronta e zelosa
para tudo aquilo
que é para o serviço
e para a honra de Deus.»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinário (Padre Ildefonso). 56

   

   Maria junto à Cruz

«Senhor,
Tu nos chamaste à vida,
mas é Tua vontade
que passemos pela morte.
Isto assusta-me algumas vezes
e, outras, causa-me dor e angústia.
Não só a minha morte,
mas a das pessoas que eu amo.
Ajuda-me a compreender
o sentido da morte
e a esperá-la como o abraço
que me unirá a Ti!
Tu quiseste ser semelhante a nós, em tudo,
menos no pecado,
e também passaste
pela prova dolorosa da morte.»

Santo Henrique de Ossó | 1840 - 1896
Quarto de Hora de Oração, p. 62.

   

   As verdades da fé

«Quando uma alma
aceita as verdades da fé
e faz delas vida,
estas convertem-se na ciência dos santos.»

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
A Ciência da Cruz

   

   O Terço

«A Mensagem
pede que continuemos a rezar o Terço,
que é a fórmula de oração
que está mais ao alcance de todos,
grandes e pequenos,
ricos e pobres,
sábios e ignorantes;
todas as pessoas de boa vontade
podem diariamente rezar o seu Terço.»

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Fátima

   

   A Igreja é viva

«A Igreja é a meta do nosso amor
e aquela beleza indescritível
em cujo encalço vai o nosso coração.
A Virgem mais pura e Mãe fecundíssima
é infinitamente amável e formosa.
O seu corpo, a sua constituição e organismo,
as funções respetivas de cada um dos seus membros,
a perfeita harmonia em cada uma das suas partes,
as relações de cada uma destas
com a alma ou espírito que as vivifica e glorifica,
as relações entre membro e membro,
as suas glórias e as suas grandezas,
as suas imensas riquezas,
que nem olho algum jamais viu
e ouvido jamais ouviu
e que apenas o coração humano pode fazer-se uma ideia ou esboço
de quem é essa Virgem sempre virgem,
essa jovem infinitamente bela,
essa mulher tão bem constituída,
sempre ágil, sadia,
onde se refletem todos os atributos e perfeições de Deus.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
As Minhas Vivências com a Igreja.
Formação do corpo da Igreja e o seu enlace com o Filho de Deus. 12

   

   A perfeição é fazer a vontade de Deus

«Compreendi que todas as flores que Deus criou
são belas,
que o esplendor da rosa
e a alvura do lírio
não tiram o perfume à pequena violeta
nem a simplicidade encantadora à margarida...
Compreendi que, se todas as pequeninas flores
quisessem ser rosas,
a natureza perderia o seu adorno primaveril,
os campos não ficariam esmaltados de florzinhas...
Assim acontece no mundo das almas,
que é o jardim de Jesus.
Ele quis os grandes Santos,
que podem ser comparados aos lírios e às rosas;
mas criou também outros mais pequenos,
e estes devem contentar-se
com serem margaridas ou violetas,
destinadas a deleitar os olhares de Deus
quando olha para o chão.
A perfeição consiste em fazer a Sua vontade,
em ser o que Ele quer que sejamos...»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito A. 2vº

   

   Amor ardente

«Passei alguns dias num trabalho esgotante
em relação às almas.
É para mim doce este cansaço,
porque é por amor de Deus.
As almas são-me queridas,
sinto por elas uma grande maternidade.
Toda eu me darei a mim mesma
para trazê-las para Deus».

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Diário II. pg. 152

   

   Que eu Vos contente…

«Ó Jesus meu!
Que grande é o amor
que tendes aos filhos dos homens!
Que o maior serviço que se Vos pode prestar
é deixar-Vos a Vós
por seu amor e lucro.
E então sois possuído mais inteiramente,
porque, embora não se satisfaça tanto a vontade em gozar,
a alma goza de Vos contentar a Vós».

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Exclamações VII, 3

   

   Crescer contigo, Mãe!

«Por esse tempo (aos meus sete anos)
começou a minha devoção à Virgem.
Meu irmão Lucho deu-me essa devoção,
com a qual estive e estarei, assim o espero,
até à minha morte.
Lucho convidava-me para rezar o terço
e fizemos juntos a promessa
de o rezar toda a vida,
o que cumpri até agora.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Diário. 5

   

   Amemos

«Amemos,
amemos muito o bom Deus
e estaremos sempre contentes:
com o Seu Amor tudo é fácil de fazer
e de suportar.»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 93. A Vicenza Rinaldi. 12.04.1925.

   

   Esquecer-se de si mesmo

«Esquecer-se de si mesma,
libertar-se de todos os desejos e pretensões,
chegar a ser um coração
para todas as necessidades e obrigações alheias,
isto só se pode alcançar
no encontro quotidiano e confiado
com o Salvador no tabernáculo».

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
Edith Stein, Obras Completas.

   

   Ó beleza da Igreja!

«Ó beleza do Corpo Místico de Cristo,
da plenitude do Verbo encarnado,
da beleza perfeita da Igreja,
tal como Deus a quis.
Nós a saudamos, ó Jesus…»

Beato Pe. Maria-Eugénio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências. 07.04.1966

   

   Permanecer conTigo

«Vou até fazer-vos uma confidência muito íntima:
o meu sonho, é o de ser “o louvor de Sua glória”;
foi em São Paulo que li isto,
e o meu Esposo fez-me compreender
que era essa a minha vocação desde o exílio
enquanto espero ir cantar o Sanctus eterno
na Cidade dos santos.
Mas isto pede uma grande fidelidade
pois, para ser o louvor de glória,
é preciso estar morta para tudo o que não seja Ele,
a fim de não vibrar senão sob o Seu toque,
e a miserável Isabel bem faz algumas maldades ao seu Mestre;
embora Ele, como um terno Pai,
lhe perdoe,
o Seu divino olhar purifica-a
e, como São Paulo,
ela tenta “esquecer o que fica para trás
para se lançar para o que está adiante”.
Como se sente a necessidade de se santificar,
de se esquecer
para estar inteiramente
de acordo aos interesses da Igreja.»

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 256. Ao Cónego Angles

   

   Sede de Deus

«Quando a alma chega a este extremo de amor,
assemelha-se a um doente muito cansado,
o qual, tendo perdido o gosto e o apetite,
sente fastio de todas as comidas
e todas as coisas o incomodam e aborrecem.
Em todas as coisas
que lhe assomam ao pensamento ou à vista
só tem um apetite e um desejo,
que é a sua saúde;
e tudo quanto não o ajudar a isso
torna-se-lhe incómodo e penoso.
Daí que esta alma,
por haver chegado a esta doença de amor de Deus,
manifesta as seguintes três propriedades:
A primeira é que,
em todas as coisas que lhe surgem ou se relaciona,
tem sempre presente aquele «ai!» da sua saúde,
que é o seu Amado;
a custo relaciona-se com as coisas,
mas é sempre n’Ele que traz o coração.
Daí nasce a segunda propriedade,
que é ter perdido o gosto por tudo.
E daqui surge a terceira, ou seja,
todas as coisas lhe são incómodas,
e qualquer trato torna-se penoso e aborrecido.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual. 10, 1

   

   Amai-vos uns aos outros

«Amai-vos uns aos outros.
Não alimenteis sentimentos amargos
em vossos corações.»

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Pensées de Marie de Jesus Crucifié, de Fr. Denis Buzy, scj

   

   É para nosso bem

«Se o bom Deus não nos ouve
[naquilo que Lhe pedimos]
é sinal de que isso é para nosso bem.»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinário (P. Ildefonso). 32

   

   Amo-Te sobre todas as coisas

«Se quiseres, meu Jesus,
amor do meu coração,
dá a outros corações honras, glórias, riquezas,
bem-aventuranças e felicidade.
A mim, Teu servo,
dá-me apenas o Teu amor e isto me basta.
Só Deus basta
e Tu és o Deus do meu coração.

Ó meu Jesus e tudo o que tenho!
Viva Jesus, meu amor!
Amo-Te sobre todas as coisas,
com todo o meu coração!
Quero amar-Te como Tu Te amas,
mas se não for possível,
quero amar-Te quanto eu possa amar;
quero viver e morrer abrasado no Teu amor divino.

Santo Henrique de Ossó | 1840 – 1896
Revista Santa Teresa, 230, janeiro 1896, 100.

   

   Sê morada de alegria e glória!

«Recorda-te da adorável presença de Jesus em ti
e sê para Ele
morada de alegria e de glória!»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Cartas III. 37.

   

   Despertar para a presença de Deus

«[…] Outras vezes,
assim que me aplico
[em fazer o exercício da presença de Deus],
sinto todo o meu espírito,
toda a minha alma
elevar-se sem qualquer cuidado nem esforço,
e permanecer como suspensa
e fixamente quieta em Deus
como em seu centro
e em lugar de repouso.»

Frei Lourenço da Ressurreição | 1614 – 1691
Carta 02. A um conselheiro espiritual. 1682-1683.

   

   Viver só para Ti nas adversidades.

«Aconteça o que aconteça,
custe o que custar,
devemos estar prontos
para o martírio do corpo e do coração,
para viver e morrer
fidelissimamente
com Jesus e por Jesus.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Escritos Vários. pgs. 76-77

   

   Unido a Ti!

«Ao comungar,
creio que me uno com a minha Esposa a Igreja:
com a Cabeça num ato de amor divino,
e com todos os membros em atos de amor ao próximo.
Pela mesma razão,
todas as relações com o filho de Deus
e com o seu Pai
estão sempre relacionadas com a Igreja

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Minhas Vivências com a Igreja. pg 780

   

   Ó fogo de amor

«Ó amor, amor!
Ó fogo do amor de Deus.
Com que bens Te comunicas
com a alma que aqueces!
Os teus raios brilhantes,
ao iluminar os espaços do nosso coração,
limpam as futilidades e as imperfeições…
limpam o pó dos defeitos mais pequenos…
O amor agita, suavemente,
o coração, aviva a alma,
faz suspirar, continuamente, por Deus:
que só a Ele deseje;
que tudo rejeite por Ele;
que a alma até de se esqueça de si mesma.
O amor de Deus revolucionada tudo.
Esta chama de amor posta por Deus,
por pequenina que seja, faz muito ruido…
O amor é o pão que nos conforta
para subir o monte da perfeição…
És o Cireneu
que nos ajuda a levar a cruz
que sobre nós coloca,
o Deus a quem amamos…
O amor… é a arma com que conquistamos
o supremo domínio sobre nós,
sobre os elementos,
sobre as nossas paixões,
sobre o mundo inteiro.»

Santo Henrique de Ossó | 1840 – 1896
Revista Teresiana 78-79: 64

   

   Deus está sempre pronto a perdoar

«Deus está pronto a perdoar um pecador
que se humilha.
Ele olha com mais amor
para uma alma que volta para Ele em humildade,
do que para uma alma fiel
que se compraz nas suas virtudes.»

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Pensées de Marie de Jesus Crucifié, de Fr. Denis Buzy, scj

   

   Não estamos sós!

«Pensa que a tua alma
é o Templo de Deus:
a cada instante do dia ou da noite
aí habitam as três Pessoas! […]
A divindade,
esta essência que os Bem-aventurados adoram no Céu,
encontra-se na tua alma:
estabelece-se uma intimidade adorabilíssima
e deixamos de estar sós…»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 93. A Vicenza Rinaldi. 12.04.1925.

   

   Este é o caminho da verdade

«Acredita, filha,
que aqueles a quem o Pai mais ama,
mais trabalhos lhes dá;
e a estes corresponde o amor.
Em que posso mostrar-te melhor o meu amor
do que querer para ti o que quis para Mim?
Olha para estas chagas,
pois as tuas dores nunca chegaram a tanto!
Este é o caminho da verdade.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Contas de Consciência 37, 1

   

   Mãe e Rainha

«Oh! amo-te, Maria,
quando Te dizes a serva do Deus
que Tu deslumbras com a Tua humildade.
Esta virtude oculta torna-Te omnipotente
Atrai ao teu coração a Santíssima Trindade.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Poema 54

   

   Não podemos fazer muito

«Na verdade não podemos fazer muito,
apenas pôr-nos nas mãos de Deus
e suplicar-Lhe que seja Ele
quem faça tudo…»

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
Edith Stein, Obras Completas.

   

   Participação na vida de Deus

«Unamo-nos ao Filho,
ao Verbo Encarnado…
Nós somos Seus irmãos,
não só porque Ele também é homem,
mas pela graça que Ele nos deu,
participação da Sua Vida,
da Sua divindade.»

Beato Pe. Maria-Eugénio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências. 05-06-1966.

   

   Deus vem até nós continuamente

«A vontade de Cristo
é a de que
mesmo no meio dos atos mais práticos e mais diversos,
façamos continuamente visita à nossa Imagem divina.
Porque a cada momento da sua duração,
em todos os pontos que engloba a palavra “agora”,
Deus nasce em nós,
e o Espírito procede,
armado de todos os seus tesouros.»

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Nota Íntima. 17. Julho de 1906

   

   Um belíssimo diamante

«A alma que espera em Deus
será transformada pela Sua misericórdia
num belíssimo diamante.»

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Pensées de Marie de Jesus Crucifié, de Fr. Denis Buzy, scj

   

   Amar com o amor de Deus

«A alma abrasada no amor de Deus
deseja a consumação e perfeição do amor
para nele encontrar o refrigério perfeito.
Assim como o escravo cansado pelo calor
suspira pelo refrigério da sombra,
e o jornaleiro espera o fim da sua obra,
assim também a alma espera o fim da sua. […]
A sua obra consiste em amar
e, desta obra que é amar,
ela espera o fim e o termo,
que é a perfeição e consumação de amar a Deus.
Enquanto a alma não atingir esse fim,
estará sempre […] achando os dias e os meses vazios
e contando as longas noites cheias de dor
que lhe couberam em sorte.
Com o que se disse,
mostra-se como a alma que ama a Deus
não há-de pretender
nem esperar outro galardão pelos seus serviços
que não o perfeito amor de Deus.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual. 9, 7

   

   Firmar-se na perseverança

«Uma alma que aspira à perfeição
abraça todos,
submete-se a tudo;
tem em grande conta as coisas pequeninas
e, sobretudo,
firma-se na perseverança.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 – 1949
Perfeição Carmelitana. 24

   

   Ó Mãe: o meu coração está contigo no Céu.

«Rezamos nestes quinze dias antes da Assunção,
as quinze dezenas do Rosário.
Asseguro-lhe que enche a alma de felicidade,
esta devoção à Santíssima Virgem.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 120

   

   Jesus: és a fonte de toda a bondade e verdade

«Na Tua presença está o meu coração
e o meu silêncio fala-Te.
Estou cansado e angustiado
dos vãos discursos dos homens,
e desenganado por ter andado atrás da mentira
e por ter amado a vaidade.
Do teu Coração divino,
de onde saem todos os amores,
saem também todas as verdades.

Ame pois, eu, sobre todas as coisas o Teu Coração adorável,
para que amando a fonte de toda a bondade
ame também a fonte de toda a verdade,
e não seja só luz e vida eterna
para o meu entendimento,
senão amor e gozo completo
para o meu coração,
cá por graça
e lá por luz de glória abrasada no teu amor.»

Santo Henrique de Ossó | 1840 - 1896
Um mês na Escola do Sagrado Coração

   

   Como em Maria

«É o amor de Deus em nós,
comunicado pela presença
das três Pessoas divinas,
que nos há-de levar a viver submersos
no oceano da vida sobrenatural,
seguindo sempre o caminho apontado
pela luz da palavra de Deus.
E é assim que o amor de Deus se manifesta em nós,
nos transforma e identifica com as três Pessoas divinas
por uma plena união com Jesus Cristo:
“Nesse dia, conhecereis que Eu estou em Meu Pai
e vós em Mim e Eu em vós.
Aquele que tem os Meus mandamentos
e os guarda,
esse é que Me ama.
E aquele que Me ama será amado por Meu Pai,
e Eu amá-lo-ei e manifestar-Me-ei a ele”.
Portanto, é o amor que nos transforma
em templos vivos da Santíssima Trindade,
porque Deus é amor e comunica-nos a vida do Seu amor,
que é a vida de Deus em nós.»

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Fátima, cap. 11

   

   Quero estar na Tua companhia

«Lembrai-vos, peço-vos,
do que vos recomendei,
que é pensar muitas vezes em Deus
de dia, de noite,
em todas as vossas ocupações,
exercícios [espirituais]
e mesmo durante os vossos divertimentos.
Ele está sempre junto de vós e convosco,
não O deixeis só.
Creríeis ser pouco civilizado
deixar sozinho um amigo
que vos fizesse uma visita:
porquê abandonar a Deus
e deixá-Lo sozinho?»

Frei Lourenço da Ressurreição | 1614 – 1691
Carta 10. A uma senhora. 20 de Outubro de 1689.

   

   A Igreja é o Corpo Místico de Cristo

«Cristo está presente sacramentalmente
na hóstia e no cálice,
ou seja, está o Seu Corpo e Sangue
sob as espécies do pão e do vinho.
Está ali também mística e moralmente
como Cabeça da Igreja.
Cristo dá o Seu Corpo e Sangue,
dá-Se totalmente à Sua Esposa, a Igreja,
isto é, a assembleia dos que comungam,
dá-Se Todo a todos e a cada um também.
A Esposa recebe-O
e logo que o Sacramento toca no seu corpo
já não são dois,
senão um só corpo místico e moral,
isto é
a Igreja e a Cabeça.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Texto Autografado. 3, 9

   

   A noite

«Como é feio passar o tempo a aborrecer-se,
em vez de adormecer sobre o coração de Jesus!...
Se a noite mete medo à criancinha,
se ela se lamenta por não ver Aquele que a leva,
feche os olhos,
faça VOLUNTARIAMENTE o sacrifício que lhe é pedido
e depois espere pelo sono...
conservando-se assim tranquila,
a noite que já não verá não poderá assustá-la,
e em breve a calma ou até a alegria
renascerá no seu coraçãozinho.
Pedir-lhe para fechar os olhos será pedir muito?...
Pedir-lhe para não lutar contra as quimeras da morte?...
Não, não é muito e a criancinha vai abandonar-se,
vai pensar que Jesus a leva,
vai aceitar não O ver
e deixar muito longe o medo inútil de ser infiel
(medo que não convém a uma criança).»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 205. À Irmã Maria de S. José. Dezembro de 1896

   

   A religião deve ser raiz e fundamento

«A religião
não é algo para viver a um canto tranquilo
e durante umas horas de festa,
ela deve ser raiz e fundamento
de toda a vida…»

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
Edith Stein, Carta 12/2/1928

   

   Ser intercessor pelos que sofrem

«Quantas tribulações sobre a terra,
quantos lamentos,
quantos suspiros,
quantas lágrimas!...
Eu, aqui, longe de todos,
partilho as penas de cada coração,
apresento a Deus todos os suspiros,
todas as lágrimas
que regam esta terra de exílio.
Vivo com a humanidade que sofre,
e é doce para mim
percorrer através do pensamento
os corredores dos hospitais,
parar a cada cabeceira,
oferecer por cada doente,
por cada chaga que é preciso curar,
todas, todas as penas do meu próprio ser,
para serem lenitivo,
nem que seja por um instante,
pelas penas de quem sofre.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Autobiografia. pg. 292

   

   Quero escutar a Tua divina Palavra

«Meu Divino Mestre,
o meu céu será o Teu adorável Coração…
é Nele que ponho a minha felicidade…
Passarei a minha vida escutando a Tua divina Palavra…
Quando Jesus fala, tudo cala…
Serei dócil à Tua voz, meu Deus!...»

B. Elias de São Clemente.
Carta 82. A Vicenza Rinaldi. 22.03.1925.

   

   Creio na Igreja

«Com o amor à fé que Deus infunde,
uma fé viva, forte,
ela procura andar sempre
conforme ao que ensina a Igreja…
- até mesmo que visse os céus abertos –
a demoveriam de um só ponto
do que ensina a Igreja.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Vida 25,12

   

   Em Ti encontramos a luz e a vida!

«Veio ao mundo feito homem
e manifestou-Se como Luz.
Luz que brilha nas trevas:
presente entre nós, hoje como então,
mas velou-nos a humanidade;
está presente pela Sua Palavra
e pelas Suas obras, pela Eucaristia e pelos Sacramentos,
pela Igreja e na pessoa de cada um dos nossos irmãos.
Ele diz: «Eu sou a Luz do mundo.
Quem Me segue não andará nas trevas,
mas terá a luz da vida».
Para os que seguem a Cristo,
n’Ele encontrarão a luz e a vida.»

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus | 1907 - 2005
O Rosário com a Irmã Lúcia, Mistérios Gozosos

   

   Unimo-nos a Deus pela fé

«A misericórdia de Deus
é como uma cadeia cheia de anéis.
Como poderemos nós ligarmo-nos
a um desses anéis?
Muito bem, é pela fé!
A nossa fé é a ligação.»

Beato Pe. Maria-Eugénio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências. 06.11.1966

   

   A nossa vida está nos Céus!

«”A nossa vida é nos Céus”:
então todas as suas potências estão ordenadas a Deus;
[a alma] já não vibra
senão sob o toque misterioso do Espírito Santo ,
que a transforma no “louvor da glória
a que foi predestinada,
por um decreto d’Aquele
que opera todas as coisas
segundo o conselho da Sua vontade”.
Então, a cada minuto que passa,
todos os seus atos, movimentos, aspirações,
ao mesmo tempo que “a enraízam”
mais profundamente no Ser divino,
são tantos outros louvores,
adorações e homenagens
para com a Sua infinita Santidade;
tudo nela presta “testemunho à Verdade”
e glorifica Aquele que disse:
“Sede santos, porque Eu sou santo”!...»

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Nota Íntima. 16. Outubro de 1905

   

   A cruz: sinal de predilecção!

«Sei perfeitamente que a cruz é o melhor
e considero-me indigna de sofrer,
de carregar a cruz como Nosso Senhor;
uma vez que Ele dá a cruz
àqueles que mais ama…»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 60. A Helena Salas

   

   O amor só se paga com amor.

«[Senhor],
porque é que não guardas
o coração que roubaste por amor,
para o encher, saciar, acompanhar, sarar,
dando-lhe em Ti apoio e descanso perfeito?
Por grande que seja a conformidade com o Amado,
a alma enamorada não pode deixar de desejar
a paga e o salário do seu amor,
pois é por causa dele que serve o Amado.
Se assim não fosse, o amor não seria verdadeiro,
porque a paga e o salário do amor não é outro,
nem a alma pode desejar outro,
que não seja um amor maior
até chegar ao perfeito amor.
O amor só se paga com amor.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual 9, 7

   

   A morte é uma amiga que me leva para Ti.

«Como Tu,
quero considerar a morte
como o momento de ‘passar deste mundo para o Pai’.
Mas sei que a morte
é o eco da vida
e que tenho de me preparar
todos os dias para ela,
vivendo como Tu viveste,
pensando como Tu pensaste,
sentindo como Tu sentiste,
amando como Tu amaste.
Assim seja, Senhor Jesus!»

Santo Henrique de Ossó | 1840 – 1896
Quarto de Hora de Oração. pg. 62.

   

   Intimidade com Aquele que habita em nós.

«Não ponhas limites
ao estudo da divina Presença,
à doce ocupação de viver
na intimidade com Aquele
que habita em nós.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Cartas III. 42

   

   As belezas da criação

«Quanto me ensinam as flores,
os insectos,
a amar
e a corresponder
ao amor de Deus!»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinário (Pe. Ildefonso). 34

   

   Quero ser a Tua companhia, Senhor!

«[Deus] não nos pede grande coisa:
uma pequena lembrança
de tempos a tempos,
uma pequena adoração,
às vezes pedir a Sua graça,
às vezes oferecer-Lhe as vossas penas,
outras vezes agradecer
as graças que vos fez e que vos faz
no meio dos vossos trabalhos,
consolar-vos com Ele,
o mais frequentemente que possais.
Durante as vossas refeições
e os vossos encontros,
elevai de vez em quando o vosso coração para Ele:
a mais pequena lembrança
ser-Lhe-á sempre muito agradável.
Para isto, não é necessário gritar bem alto,
Ele está mais perto de nós do que nós pensamos.»

Frei Lourenço da Ressurreição | 1614 – 1691
Carta 9. A uma senhora. Cerca de 1689.

   

   Providência de Deus

«Digo-te isto
para que tu também te abandones à Sua Providência.
Que bem cuidado está o que se fia em Deus!
Na oração ocupa-te
em adquirir esta confiança em ti
pois tens necessidade disso.
Essa confiança supõe a fé na Sua Providência
e a Providência é o cuidado
e a solicitude paternal que Deus tem connosco.
Deixemos que Deus cuide de nós,
que nos governe,
que nos guie
e esta confiança nos protegerá
contra as horríveis inquietações,
ânsias e temores que nos assaltam,
procedentes das nossas próprias ilusões.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 56, 2

   

   Pão vivo!

«Pão vivo, Pão do Céu, divina Eucaristia.
Ó Mistério sagrado! que o Amor produziu...
Vem habitar no meu coração, Jesus, minha Hóstia branca
Somente por hoje.

Digna-Te unir-me a Ti, Vinha Santa e sagrada
E a minha frágil vergôntea dar-Te-á o seu fruto
E poderei oferecer-Te um cacho dourado
Senhor, desde hoje.

Este cacho de amor, cujos bagos são almas
Para o formar só tenho este dia que foge
Ah! dá-me, Jesus, o ardor de um Apóstolo
Somente por hoje.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Poesia 5. Estofes 8-10

   

   Sou Teu

«Ó meu Jesus,
eu sou toda consagrada a Ti
e Te agradeço
por este dom inefável que me fizeste.
Eis aqui o meu coração:
cobre-o com o Teu preciosíssimo Sangue
como de um véu,
a fim de que não apareça a minha miséria,
mas a Tua santidade.
Quando eu passar desta vida,
então velarei o meu rosto com os Teus méritos;
apresentar-me-ei ao Pai transfigurada de Ti
e estarei segura de obter a Tua misericórdia.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Retiro para a Profissão Solene de uma Religiosa. Pg. 26

   

   Serve e espera na Sua misericórdia

«Mas ai! Ai! Criador meu!
A grande dor faz queixar e dizer
O que não tem remédio até que Vós queirais.
E a alma tão encerrada deseja a sua liberdade,
Desejando não sair nem um ponto do que Vós quereis.
Fazei, Glória minha, que cresça a sua pena,
Ou remediai-a de todo. (…)

Ó alma minha!
Deixa que se faça a vontade do teu Deus;
Isso te convém.
Serve e espera na Sua misericórdia,
Que remediará a tua pena,
Quando a penitência de tuas culpas
Haja ganho algum perdão para elas.
Não queirais gozar sem padecer.

Ó verdadeiro Senhor e Rei meu!
Que até nem para isto sirvo,
Senão me favorece
A Vossa soberana mão e grandeza
Que, com isto, tudo poderei.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Exclamações VI, 2-3

   

   Florir

«é preciso saber florir aí,
onde Deus nos semeou.»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 93. A Vicenza Rinaldi. 12.04.1925.

   

   A luta pela claridade

«Os livros não me servem de nada
até que eu tenha clarificado a questão
com uma elaboração pessoal.
Esta luta pela claridade realiza-se agora em mim
através de grandes sofrimentos
e não me deixava descansar
nem de noite, nem de dia».

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
Edite Stein, Obras.

   

   Amor infinito

«Senhor Jesus,
que quiseste revelar-nos o amor infinito do Pai
e consolar-nos
com palavras de confiança nesse amor:
concede-me, Senhor, a graça de Te amar
como Tu me amas
para que, se vierem dificuldades e contradições,
e o mundo me odiar como Te odiou a Ti,
eu saiba amar-Te.
Jesus, que eu Te sirva sempre
e faz de mim o que quiseres.
Ámen”.»

Santo Henrique de Ossó | 1840 – 1896
Quarto de Hora de Oração, p. 169.

   

   Caminhos distintos

«Sabes por demais como gosto de ti,
minha querida Maria Luísa,
para que haja necessidade de te dizer
como o teu noivado me alegrou;
já o adivinhava, até certo ponto […].
Rezo muito por ti, querida amiga,
e peço a Deus que te encha com as Suas bênçãos
e te dê toda a felicidade que seja possível viver nesta terra.
Sim, querida Maria Luísa,
o bom Mestre chama-nos a caminhos diferentes.
A parte que Ele escolheu para mim é muito bela […]!
Todas [Isabel, a mãe e a irmã]
nos alegramos com a tua felicidade
porque muito te amamos.»

Santa Isabel da Trindade | 1880 – 1906
Carta 25. A Maria Luísa Maurel (sua amiga). 30.11.1899.