Ser criancinha de Deus

«Oh! olhe bem para Ele [Jesus], apoie-se n’Ele e leve até Ele a sua alma, diga-Lhe que que...

Dar gosto a Jesus

«Viver preocupada com dar gosto ao meu Jesus: eis o meu paraíso nesta terra…» Beata Elias ...

Tempo: Comum

 

 

   Libertados pela poderosa mão de Deus

«Ninguém penetrou tanto nas profundidades da alma
como aqueles que tinham abarcado o mundo
com coração cálido
e foram libertados
pela poderosa mão de Deus
dos laços deste mundo
e introduzidos na mais íntima esfera pessoal».

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Ser Finito e Ser Eterno.

   

   O grande privilégio e graça.

«O conhecimento de Deus, nesta terra
é o grande privilégio
e a grande graça.»

Beato Pe. Maria-Eugénio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências. 06.03.1966

   

   Oração apostólica é oração por todos

«Quando renovar os meus santos votos,
estes votos que fazem de mim uma
“acorrentada de Cristo”
para falar na linguagem de São Paulo,
gosto de juntar o seu nome ao meu
e assim entregá-la comigo!
Dar-se não é também um anseio da sua alma,
minha irmãzinha,
oh! é a resposta ao seu Amor.
Ofereçamos-Lhe também as almas,
a nossa Santa Madre Teresa
quer as suas filhas todas apostólicas:
é tão simples,
o divino Adorador está em nós,
pois que temos a sua oração,
ofereçamo-la,
comunguemos nela,
rezemos com a sua Alma!»

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 179. A Germana de Gemeaux. 20 de Setembro de 1903

   

   Chama de Amor Viva

«Ó chama de amor viva
Que ternamente feres
A minha alma no mais profundo centro!
Pois já não sendo esquiva
Acaba já, se queres,
Rasga a tela deste doce encontro!

Oh cautério suave!
Oh deliciosa chaga!
Oh branda mão! Oh toque delicado
Que à vida eterna sabe
E quanto devo paga!
Matando, a morte em vida a tens mudado.

Oh lâmpadas de fogo
Em cujos resplendores
As profundas cavernas do sentido,
Que estava escuro e cego,
Com estranhos primores
Calor e luz dão junto ao seu querido!

Quão manso e amoroso
Acordas em meu seio
Onde em segredo tu sozinho moras!
E em teu aspirar gostoso,
De bem e glória cheio,
Quão delicadamente me enamoras!»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Poesias. VII

   

   O amar está em servir.

«Feliz, pois, a alma que ama,
o coração em que a alma arde do amor de Deus!
Ó Senhor meu,
e a quem se visse tão mergulhado
nesta água viva de amor divino,
que se acabasse a vida!...
Mas se desejas o amor divino,
escuta, alma minha,
e pratica as lições que te dá a tua Santa Madre
[Santa Teresa de Jesus].
Começam a ser servos do amor
os que se determinam a seguir
por este caminho de oração…
Faz oração e alcançarás amor.
Ora muito e alcançarás muito amor…
Dizia David:
na meditação, Senhor,
aviva-se o fogo, acende-se o amor!
O amor de Deus não está em ter lágrimas,
nem gostos e afetos;
o amor de Deus
está em servir com justiça,
fortaleza de ânimo
e humildade.»

Santo Henrique de Ossó | 1840 - 1896
Revista Teresiana. 78-79: 64

   

   Humildade:cálice que contém Deus

«O coração humilde
é o cálice que contém Deus.»

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Pensamentos de Marie de Jesus Crucificado, de Fr. Denis Buzy, scj

   

   Sirvo o Rei

«Imagino muitas vezes que sou uma rainha;
pois enquanto outras almas servem o Rei
no apostolado da ação,
eu – como rainha –
estou ao Seu lado escutando-O,
contemplando-O,
rogando junto d’Ele,
sofrendo com os Seus sofrimentos.
Ele muda os meus sentimentos,
divinizando-os;
Ele rodeia-me da Sua luz divina,
embelezando a minha alma
com os Seus ensinamentos.
Oh, que bom é este Jesus
com a Sua pobre criatura.
Não quer separar-se dela um momento.
Procura na minha alma consolo e repouso.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 141. A Amelia Montt Martínez. Outubro de 1919

   

   Sorri, por amor a Jesus.

«Em tudo aquilo que te é amargo
e te custa,
sorri, minha Irmã,
por amor do teu querido Jesus.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 73

   

   Ser comunidade para crescer no Amor.

«Recordemo-nos frequentemente uns aos outros,
que vivemos em Deus,
nos movemos em Deus,
estamos em Deus,
lembrando-nos mutuamente
o amor de Deus.»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinário (Madre Ana Maria de S. António de Pádua – Picolimini). 41

   

   Pensar em Deus

«Não podemos evitar os perigos
e os escolhos,
de que a vida está cheia,
sem auxílio actual e contínuo de Deus;
peçamos-Lho continuamente.
Como pedi-lo sem estarmos com Ele?
Como estar com Ele senão pensando Nele frequentemente?
Como pensar Nele frequentemente
senão por esse santo hábito [o de pensar Nele]
que é necessário formar?
Dir-me-eis que vos digo sempre a mesma coisa.
É verdade:
não conheço meio mais próprio, nem mais fácil que este!
E, como não pratico outro,
aconselho-o a toda a gente.
É preciso conhecer antes de amar:
para conhecer a Deus
é preciso pensar Nele frequentemente.
E quando O amarmos
pensaremos Nele também frequentemente,
porque o nosso coração está onde está o nosso tesouro!
Pensai Nele frequentemente
e pensai Nele bem.»

Frei Lourenço da Ressurreição | 1614 – 1691
Carta 08. A uma religiosa. 28 de Março de 1698

   

   A minha união com Jesus, com a Igreja.

«[…] O santo sacrifício até à hora da consagração
não é mais que predisposição e preparação
para o ato solene das bodas do Cordeiro;
na consagração,
assim que esteja presente no altar
o Corpo e o Sangue de Cristo,
serás tu que, no momento em que O adores,
te hás de oferecer,
dar e entregar à tua Amada [a Igreja];
e, em sinal desta entrega total,
te hás de render adorando o teu Deus e Senhor.
Na comunhão, a tua Amada entrega-se a ti:
dá-te o Seu Corpo, dá-te o Seu Sangue,
dá-Se totalmente a ti.
Renova todos os dias no altar
a união com a tua Amada.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
As minhas vivências com a Igreja. pg. 839

   

   És o único necessário, Senhor!

«Agora que Ele [Jesus]
parece estar a aproximar-se dela [fala dela própria]
para a atrair à morada da Sua glória,
a vossa filha alegra-se.
Há muito tempo que compreendeu
que Deus não precisa de ninguém
(dela ainda menos que doutros)
para fazer bem na terra.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito C (Dirigindo-se à Madre Maria de Gonzaga) . 3vº

   

   Fazer a vontade de Deus

«Para nos tornarmos santos
é-nos pedida uma única coisa:
fazer a vontade de Deus.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Retiro para a Profissão Solene de uma Religiosa. pg 11-12

   

   Que mandais fazer de mim?

«Vossa sou, para Vós nasci,
que mandais fazer de mim?»

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Poesias 2

   

   Dar gosto a Jesus

«Viver preocupada com dar gosto ao meu Jesus:
eis o meu paraíso nesta terra…»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Pensamentos (caderno.26): 1921-1924. Pg. 351-352

   

   Escondida no coração divino

«A história das almas no Carmelo
está profundamente escondida no coração divino.
E o que nós acreditamos compreender
de vez em quando
da própria história
não é mais do que um reflexo passageiro
do que permanece no segredo de Deus,
até ao dia em que tudo se torne manifesto».

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Carta 16-5-1941.

   

   Ser criancinha de Deus

«Oh! olhe bem para Ele [Jesus],
apoie-se n’Ele
e leve até Ele a sua alma,
diga-Lhe que quer somente amá-Lo,
que seja Ele a fazer tudo em si,
porque é demasiado pequena.
É tão bom ser-se a criancinha do santo Deus,
deixar-se levar por Ele todo o tempo,
repousar no seu Amor!»

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 179. A Germana de Gemeaux. 20 Setembro de 1903

   

   A morte do cristão

«Que diferença imensa existe
no modo de considerar a morte de um cristão
e daquele que o não é!
Este só encontra o vazio,
o nada,
o frio do túmulo.
O cristão encontra o fim do seu desterro,
dos seus sofrimentos,
o princípio dos seus gozos eternos…
Ali está o seu Pai
com os braços estendidos para recebê-lo
e dar-lhe a coroa.
Que paz isso não nos dá
num transe tão terrível
como é o da destruição do nosso ser.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 126

   

   Os santos do Céu

«Lembrando-me da petição de Eliseu ao seu Pai Elias,
quando ousou pedir-lhe o seu duplo espírito,
apresentei-me diante dos Anjos e dos Santos,
e disse-lhes:
“Sou a mais pequena das criaturas;
conheço a minha miséria e a minha fraqueza;
mas sei também
quanto os corações nobres e generosos
gostam de fazer bem.
Suplico-vos, portanto,
ó bem-aventurados habitantes do Céu!,
suplico-vos que me adoteis por filha.
Só para vós será a glória que me fizerdes alcançar;
mas dignai-vos atender a minha prece.
É temerária, bem o sei;
contudo, ouso pedir-vos que me obtenhais
o vosso duplo Amor”.
Jesus, não me atrevo a alargar o meu pedido;
temeria ficar oprimida sob o peso dos meus desejos audaciosos...
A minha desculpa é que sou uma criança.
As crianças não refletem no alcance das suas palavras.
Não obstante,
quando os seus pais ocupam um trono,
quando possuem imensas riquezas,
não hesitam em satisfazer os desejos dos pequenos seres
que amam com tanta ternura como a si mesmos.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito B. 4rº

   

   Por Maria a Jesus

«Peçamos à Santíssima Virgem,
fonte de vida e de luz,
sabermos ser, como Ela,
somente um meio,
somente um caminho
para chegar ao Mestre verdadeiro:
Cristo nosso Senhor.»

Beato Pe. Maria-Eugénio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências. 06.01.1966

   

   Maturidade

«Se não fizeres desaparecer
a tua suscetibilidade
amargurar-te-ás a vida inteira.
Não deves abrigar no teu coração
esses sentimentos de desconfiança.
Pensas que, porque te contrariam
e não satisfazem os teus gostos,
não te amam?
Quando eu estava em casa
tinha que contrariar a minha vontade
até nas mínimas coisas
para me amoldar aos demais.
Formar-te-ás para a vida inteira
sacrificando-te, sem que ninguém o note.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 159. A uma jovem.

   

   Dispôr-se para o caminho espiritual.

«A alma acaba de indicar
a maneira de se dispor
para começar este caminho,
ou seja,
não andar atrás de deleites e gostos
e ganhar força
para vencer as tentações e as dificuldades,
pois nisso consiste o exercício
do conhecimento próprio,
que é a primeira coisa
que a alma tem a fazer
para chegar ao conhecimento de Deus.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual. 4, 1

   

   O amor ao próximo

«O amor ao próximo
é o melhor caminho
a prova de que O amas
porque se não amas o teu irmão
como poderás amar a Deus?

A caridade é o vínculo da perfeição;
o fim e a plenitude de toda a lei.
Ama o teu próximo e faz o que quiseres porque Deus é amor.

A caridade
nas adversidades, não desfalece, porque é sofrida;
nas injurias não provoca vingança, porque é benigna;
a prosperidade dos outros não a atormenta,
porque não tem inveja;
não procura o êxito e a honra,
porque não é soberba.»

   

   A tentação faz-nos correr para Deus.

«Deus permite as tentações
com o único objetivo de nos deixar crescer.
Corramos sempre mais para Deus,
quanto mais formos tentados!»

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Pensées de Marie de Jesus Crucifié, de Fr. Denis Buzy, scj

   

   Esquecer-se a si mesmo por Ele.

«Ele tem uma tal sede
de nos associar a tudo o que Ele é,
de nos transformar n’Ele.
Minha irmãzinha,
acordemos a nossa fé,
pensemos que Ele está aí, no íntimo,
e que Ele nos quer muito fiéis.
Também quando tem vontade de ser impaciente,
ou de dizer uma palavra contra a caridade,
aproxime-se d’Ele,
deixe cair esse ímpeto da natureza
para Lhe agradar.
Quantos atos de abnegação, só d’Ele conhecidos,
temos para Lhe oferecer!
Não os percamos, minha irmãzinha.
Parece-me que os santos
são as almas que se esquecem de si todo o tempo,
que se perdem de tal maneira n’Aquele que amam,
sem retornarem a si,
sem olhar para a criatura,
que podem dizer com São Paulo:
“Já não sou eu que vivo,
é Jesus Cristo que vive em mim!”».

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 179. A Germana de Gemeaux. 1903

   

   Amar como os olhos e o Coração de Deus.

«As dignidades e as honras não me movem:
amo, igualmente, o Pastor supremo das almas
que ocupa a cadeira de São Pedro
para governar o mundo,
como o humilde pastor
que apascenta no monte o seu rebanho
e não considero mais o rico que o pobre;
o ancião que o jovem;
o bem formado que o paralítico;
o mesmo digo do homem com relação à mulher.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Es Cubells – Ibiza, 10

   

   Deus é um Pai dulcíssimo

«Deus é um Pai dulcíssimo:
abandona-te a Ele,
confia n’Ele.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Cartas I. 47

   

   Deus orienta tudo para nosso bem

«O que quer que me aconteça
será sempre bom,
já que o bom Deus dispõe sempre tudo para nós
da melhor maneira.»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinário (Pe. Ildefonso). 31

   

   Posso falar de um “renascimento”

«Não sei se pelas minhas palavras anteriores
já deduziu que,
após uma longa reflexão,
decidi por um cristianismo positivo.
Isto livrou-me da vida
que me tinha atirado para o chão,
e, ao mesmo tempo deu-me força
para retomar de novo
e de forma agradecida a vida.
Portanto, posso falar,
em sentido mais profundo
de um “renascimento”.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
Carta 10/10/1918.

   

   Deus: Pai bom!

«Eu vejo que Deus,
como bom Pai,
me leva pela mão e conduz
para onde Ele quer.
E por isso, irei onde não sei
e caminharei por onde não quero.
Deus sabe como estou disposto
a servir a Sua Igreja
e que, em assuntos da Sua glória,
vejo tudo claro e fácil.
Ele sabe como tenho em pouco
a minha vida e o meu descanso
e como estou desprendido
de todo o consolo humano e celestial.
E, porque Deus conhece nisto a minha generosidade,
não me abandonará,
mas guiar-me-á por onde Lhe aprouver.
Eu ando seguro,
confiado nos cuidados da sua paternal solicitude.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 56, 1

   

   Desejos do Céu

«Também a Igreja chama […] “celestes verduras”
quando, ao pedir a Deus
pelas almas dos fiéis defuntos,
se dirige a elas e diz:
Constituat vos Dominus inter amoena virentia.
Quer dizer: “Que Deus vos estabeleça
entre as amenas verduras”.
Diz ainda que este prado de verduras também está
de flores esmaltado.
Por estas flores entende os anjos e as almas santas,
com as quais está adornado e enfeitado aquele lugar,
à semelhança de um belo e precioso esmalte
num recipiente de ouro magnífico.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual. 4.5-6

   

   Fazer o Céu na terra.

«Sou a mais pequena das criaturas;
conheço a minha miséria e a minha fraqueza;
mas sei também quanto os corações nobres e generosos
gostam de fazer bem.
Suplico-vos, portanto,
ó bem-aventurados habitantes do Céu!,
suplico-vos que me adoteis por filha.
Só para vós será a glória que me fizerdes alcançar;
mas dignai-vos atender a minha prece.
É temerária, bem o sei; contudo,
ouso pedir-vos que me obtenhais o vosso duplo Amor».

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito B. 4rº

   

   Humildade

«De há ano e meio para cá,
Jesus quis modificar a maneira de fazer crescer
a sua Florzinha.
Achou, sem dúvida,
que estava suficientemente regada;
pois agora é o sol que a faz desenvolver.
Jesus não quer para ela senão o Seu sorriso,
que Ele lhe dá ainda através de vós,
minha caríssima Madre.
Este sol aprazível,
longe de fazer murchar a Florzinha,
fá-la crescer maravilhosamente.
No fundo do seu cálice,
conserva as preciosas gotas de orvalho que recebeu,
e essas gotas lembram-lhe sempre
que é pequena e débil...
Podem inclinar-se para ela todas as criaturas,
admirá-la, cumulá-la de louvores...,
não sei porquê, mas isso não acrescentaria
nem uma gota de falsa alegria
à alegria verdadeira que saboreia no seu coração,
sabendo o que ela é aos olhos de Deus:
um pobre pequeno nada, e nada mais...»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito C. 1vº - 2rº

   

   O amor é esquecimento de si

«Na família religiosa
na qual o Senhor nos colocou [o Carmelo],
amai a todos na caridade de Cristo
e ajudai a todos a subir o monte santo
com o vosso exemplo.
Que divina beleza tem o coração mortificado,
o sorriso sobre os lábios,
a doçura nas palavras,
a compaixão fraterna nos gestos,
como o Esposo Jesus,
como os nossos santos!...»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Retiro para a Profissão solene de uma Religiosa. pg.16

   

   Temos tão grande Deus

«Quanto a nós,
tomar com singeleza o que o Senhor nos der;
e com aquilo que não nos der,
não nos cansarmos,
mas alegrar-nos de considerar
que temos tão grande Deus e Senhor,
que uma palavra Sua
pode conter em si mil mistérios...»

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Conceitos do Amor de Deus 1,2

   

   Para além das estrelas…

«Oh! Como é belo no silêncio do Carmelo
contemplar o Céu estrelado…
As estrelas!
Estas criaturas luzentes
sorriem ao meu pobre coração exilado
e o elevam a Deus…
não existe oração mais ardente
que a que se faz no observar das estrelas.
Não me cansaria de passar noites inteiras a olhá-las…
Elas falam-me do Infinito…
Os olhos, fixando-as, beatificam-se,
e não podem descer
para voltar a olhar a terra
sem sofrer:
a terra é um deserto
para quem ama o Céu…
Ó meu Jesus,
faz que eu volte a olhar para estas criaturas
com um coração puro
e continue a minha ascese para as estrelas,
porque por cima delas Vos encontrais Vós, meu Deus…»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Pensamentos. Caderno 26. 24-6-1924

   

   Uma gratidão ilimitada

«A mim aconteceu-me
como a uma pessoa que estava em perigo de se afogar,
e a quem muito tempo depois
num lugar luminoso e quente,
onde está muito segura e rodeada de amor e carinho…
de repente vê a imagem do escuro e frio abismo.
Que outra coisa pode sentir senão temor
e com isso uma gratidão ilimitada
diante daquele braço que a agarrou tão maravilhosamente
levando-a para terra firme».

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
Carta 13-12-1925

   

   Eucaristia: Pão do Céu

«Na santa Eucaristia
nós recebemos
a divindade e a humanidade de Cristo Jesus,
tal como ela era aqui na terra.»

Beato Pe. Maria-Eugénio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências. 09.06.19

   

   É tão bom dar quando se ama.

«É tão bom dar quando se ama,
e eu amo-O tanto,
esse Deus cioso de me ter toda para Si.
Sinto tanto amor na minha alma
que é como um Oceano
no qual mergulho e me perco.
É a minha visão cá na terra
enquanto espero o face a face na luz.
Ele está em mim e eu n’Ele,
não tenho senão que O amar
e que me deixar amar
e isso em todos os momentos
e através de todas as coisas:
acordar no Amor,
mover-se no Amor,
adormecer no Amor,
a alma na Sua Alma,
o coração no Seu Coração,
os olhos nos Seus olhos,
a fim de que, pelo Seu contacto,
Ele me purifique, me liberte da minha miséria.»

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 177. Ao Cónego Angles

   

   Ser morada de Deus

«Seguramente terás lido
no Evangelho de S. João, capítulo 14, versículo 23:
“Àquele que me ama e observa a minha doutrina,
meu Pai o amará
e viremos a ele e faremos nela a Nossa morada”.
Mas para se ser morada de Deus
é necessário cumprir a Sua doutrina,
praticar as virtudes.
A primeira virtude há-de ser a pureza.
Hás-de purificar-te o mais rápido possível das tuas faltas,
pedir imediatamente perdão a Nosso Senhor.
Além disso hás de desarreigar os defeitos dominantes
pelos atos contrários a esses defeitos.
Ainda que seja impossível livrarmo-nos deles imediatamente,
Deus vê os nossos desejos
e contenta-Se com o nosso querermo-nos purificar deles.
Uma vez formulado este desejo, querida irmãzinha,
diz a Nosso Senhor que venha morar na nossa alma,
que ainda que seja muito pobre
e ainda não esteja muito pura,
faremos o possível
por tê-la sempre o mais agradável possível aos Seus olhos.
Diz-lhe depois […] que tu O amas
e que desejas viver em íntima união com Ele.
Quando temos um amigo em nossa casa,
não o deixamos só,
mas procuramos falar-lhe de vez em quando.
Assim farás com Jesus.
Antes de principiar qualquer obra
dir-Lhe-ás que a ofereces a Ele, só por amor,
não com a intenção de que as criaturas te vejam,
mas para servi-Lo, porque O amas.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 82. A Elena Salas

   

   A visita do Senhor

«A alma,
para mover e persuadir mais o Amado
a atender o seu pedido,
diz que,
se mais ninguém pode satisfazer a sua necessidade,
então seja Ele a apagar o seu pesar.
Daqui se depreende, então,
que Deus muito em breve irá consolar a alma
e atendê-la nas suas necessidades e penas,
porque não tem nem pretende outra satisfação e consolação
fora d’Ele.
Assim, a alma
que não tem coisa que a entretenha fora de Deus,
não pode ficar muito tempo
sem a visita do Amado.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual. 10, 6

   

   Senhor, que lições eloquentes me dás!...

«Olha quanto te amo…
Fiz-me escravo para que fosses livre,
pobre para que tu sejas rico,
humilde para te exaltar,
homem para que tu possas fazer-te filho de Deus.
Jesus! Que lições eloquentes
me dás no meio do silêncio!
Amo-Te e desejo imitar-Te.
Adoro-Te e ao adorar-Te ofereço-Te
a minha pobreza, pois não tenho
outra coisa para Te oferecer».

Santo Henrique de Ossó | 1840 - 1896
Quarto de Hora de Oração

   

   A humildade da criança

«A humildade é contente,
a humildade é feliz,
feliz em qualquer lugar;
a humildade satisfaz-se com tudo.»

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Escritos de Santa Maria de Jesus Crucificado

   

   Amar o amor

«Bem-aventurada a alma
que está tomada apenas
pela paixão do amor celeste…
Quereria ser uma destas almas amantíssimas
que se santificam a si mesmas rapidamente,
salvam o mundo
e sobretudo contentam e glorificam o Amor.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Cartas III. 77

   

   Humildade e simplicidade

«Se desejamos encontrar
o amor que nos criou e redimiu
e que nos pede que O amemos,
o caminho seguro é este:
humildade de coração
e simplicidade e espírito.»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Bilhetes escritos à Irmã Teresa Crucificada de Jesus. 4

   

   Amo-Te, Jesus!

«Sobre todos os grãos de poeira
quereria escrever com o meu sangue:
amo-Te Jesus,
salva as almas!»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Diário 1. pg.2

   

   Maria é modelo perfeito da Igreja

«Tudo quanto se prega de perfeito,
de puro,
de santo sobre Maria,
adequa-se duma maneira
mais excelente e sublime à Igreja.
A virgindade de Maria
mostra-nos a da Igreja,
como também a sua maternidade e pureza.
Uma mulher,
a mais perfeita que Deus criou,
não é mais que uma figura,
uma sombra,
uma imagem,
um esboço muito imperfeito da Igreja de Deus.
Somente esta puríssima Virgem
reúne em si com toda a plenitude e perfeição
aquela inexplicável beleza e amabilidade
que procura o nosso coração.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Minhas Vivências com a Igreja. Maria tipo da Igreja. 19

   

   Pequenas vítimas do Teu Amor…

«Porque hei-de desejar comunicar
os Teus segredos de amor, ó Jesus?
Não és só Tu a ensinar-mos?
E não podes acaso revelá-los a outros?
Sim, estou certa disso,
e peço-Te que o faças.
Suplico-Te que baixes o Teu olhar divino
sobre um grande número de pequenas almas...
Suplico-Te que escolhas uma legião
de pequenas vítimas do teu AMOR!...»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito B. 5vº

   

   Filha da Igreja

«Enfim, morro filha da Igreja».

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Últimas palavras proferidas por Santa Teresa de Jesus

   

   Uno-me a Ti, Senhor!

«Uma alma unida e identificada com Jesus
pode tudo.
E parece-me que só pela oração
se pode alcançar isso».

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 130

   

   A Humildade de Nossa Senhora

«[…]A Senhora respondeu:
“Vim para vos pedir
que venhais aqui seis meses seguidos,
no dia 13 a esta mesma hora.
Depois vos direi quem sou
e o que quero”. […]
A frase “vim para vos pedir”
tem também sido objeto
de muitas das minhas meditações.
Ela, a Senhora, a Padroeira,
a Rainha do Céu e da terra
desce para vir humildemente pedir
– como se fora um favor.
É sempre a mesma,
Aquela que disse há cerca de 2000 anos:
“Eis aqui a serva do Senhor.”

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus | 1907 - 2005
Como vejo a Mensagem. pg. 31

   

   Acudi à fé e à humildade

«Quando vos achardes com esta pusilanimidade,
acudi à fé e à humildade […],
que Deus tudo pode.
Desta determinação quer Ele fazer-nos Senhores,
deste livre alvedrio,
que não precisa do nosso esforço para nada,
antes gosta Sua Majestade
que resplandeçam Suas obras em gente fraca,
porque dão mais lugar a operar seu poder
e cumprir o desejo que tem de nos fazer mercês».

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Conceitos do Amor de Deus 3, 5-6

   

   Espero tudo do Teu olhar

«Padre Veneradíssimo,
que dizer-lhe da minha alma?…
Contra qualquer mérito,
o divino Mestre
continua a sua obra de amor em mim…
Desde o retiro para a tomada de Véu,
muitos e vastos horizontes
se abriram diante dos meus olhos:
o anseio de agradar ao bom Deus
torna-se cada vez mais intenso e profundo…
e não consigo perceber porquê…
como não correspondo a tanta delicadeza de amor,
e apesar disto não perco a coragem
diante das minhas inumeráveis imperfeições?…
Espero sempre que um só olhar de Jesus
cubra tudo…»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 95. Ao Padre Elias. 01.05.1925.

   

   A mediação de Cristo

«Nós temos esta grande graça
de ter a humanidade de Cristo
que continua na terra
o Seu trabalho de mediação.»

Beato Pe. Maria-Eugénio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências. 09.06-1966

   

   Depois do encontro com Deus

«Depois do encontro com Deus
todas as realidades,
com as que tinha que lidar antes,
tornaram-se transparentes
e é possível chegar a sentir as forças
que sustentam e movem tudo…»

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
Carta 8-11-1927.

   

   Que a minha vida seja um ato de amor

«Prometo ao meu Jesus
humilhar-me e renunciar-me
de cada vez que tiver ocasião
por Seu amor,
e peço a este Esposo Bem Amado
para ajudar à minha fraqueza
a fim de que faça da minha vida
uma oração contínua,
um só ato de amor.
Que nada me possa distrair d’Ele.
Que eu viva no mundo sem ser do mundo:
posso ser carmelita no interior e quero sê-lo.
Ó meu Bem Amado,
que eu passe santamente este tempo
que me resta viver no mundo;
que o passe na Vossa união,
na Vossa intimidade;
que o passe fazendo um pouco de bem.
Mestre, pertenço-Vos,
tomai-me inteiramente!

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Notas Íntimas. 6

   

   Olhos em Maria

«Tomarei Maria
como modelo da minha vida:
fixarei o olhar nesta celeste Mãe,
invocá-La-ei com filial ternura,
com vontade firme,
com coração humilde.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Diário II. pg. 60

   

   Desejos intensíssimos de Deus

«Apaga o meu pesar.»

«Como se disse,
o desejo de amor tem esta propriedade:
tudo o que não se faz, ou diz,
ou não é conforme àquilo que a vontade ama,
produz-lhe cansaço, fadiga e aborrecimento,
tornando-a áspera,
por ver que não se realize aquilo que deseja.
É a isto
e a todas as fadigas que passa para ver a Deus
que aqui chama “pesar”.
E não há nada que o possa desfazer
senão a posse do Amado;
suplica-Lhe, portanto,
que seja Ele a apagá-lo com a Sua presença,
refrescando-o como a água fresca
ao arrasado de calor.
É por isso que usa aqui a palavra “apaga”,
para dar a entender
que está a sofrer com fogo de amor.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual. 10, 5

   

   Minha Mãe: ensina-me a ser Eucaristia

«Senhor,
este Teu gesto supremo de amor e entrega [a Eucaristia]
desperta em mim o desejo de Te agradecer
e Te amar,
amando os meus irmãos
e tendo sempre para com eles
a atitude de serviço, que Tu nos ensinaste.
Maria, Mãe de Jesus,
ensina-nos a viver a Eucaristia
como o grande dom de amor
e a lição suprema de comunhão com Cristo,
com o Pai
e com os irmãos,
sabendo que a Eucaristia
é o sacramento que nos salva.
Ámen”.

Santo Henrique de Ossó | 1840 – 1896
Quarto de Hora de Oração, p. 165.

   

   Senhor, dá-me olhos iluminados pela fé.

«Cada vez que se fere a caridade,
fere-se Jesus,
que é a própria caridade.»

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Pensées de Marie de Jesus Crucifié, de Fr. Denis Buzy, scj

   

   Realmente presente

«Aprofundaste suficientemente bem
que depois da Comunhão
possuis realmente a Pessoa adorável
do próprio Jesus?
Aquele Jesus
que faz as delícias do Paraíso?»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 44

   

   Experimentar o Senhor, pela fé

«Aquilo que me consola nesta vida
é que vejo Deus pela fé.
E vejo-O de uma maneira
que às vezes me poderia fazer dizer:
“Já não creio, mas vejo,
experimento o que a fé nos ensina”.
E nesta certeza e nesta prática da fé,
viverei e morrerei com Ele.»

Frei Lourenço da Ressurreição | 1614 – 1691
Carta 11. A uma religiosa. 17 de Novembro de 1690.

   

   O caminho da confiança

«Queria tentar fazer-vos compreender
por uma comparação muito simples
como Jesus ama as almas,
mesmo imperfeitas, que confiam n’Ele:
Suponhamos que um pai tem dois filhos
travessos e desobedientes
e que ao ir castigá-los vê um que treme
e se afasta dele com pavor,
embora sinta no fundo do coração
que merece ser punido;
e que o irmão, pelo contrário,
se lança nos braços do pai
dizendo que lamenta ter-lhe dado desgosto,
que o ama e que, para o provar,
se portará bem daí em diante;
depois, se este filho pedir ao pai
para o castigar com um beijo,
não acredito que o coração do ditoso pai
possa resistir à confiança filial do filho
de quem conhece a sinceridade e o amor.
Não ignora todavia
que o filho mais uma vez cairá nas mesmas faltas,
mas está disposto a perdoar-lhe sempre,
se o filho sempre lhe falar ao coração...»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 258. 2rº - 2vº

   

   Generosidade por amor

«Para alcançar a Deus,
no qual estão todas as coisas
– e por isso todo o bem –
nenhuma fadiga nos deve parecer dura,
nem se deve voltar para trás
por causa das dificuldades que se encontrem,
mas antes abraçar as amarguras e as cruzes
com prontidão e generosidade.
Oh! Se com estes meios,
que são exatamente aqueles
que vemos em Jesus Cristo,
conseguíssemos verdadeiramente alcançar a Deus!
Teremos também obtido a graça
de permanecer na caridade,
porque “Deus charitas est”
e caminhar no amor.»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinário (Madre Ana Maria de S. António de Pádua). 41

   

   O Orvalho divino

«Meu doce Jesus, no regaço da tua Mãe
Apareces-me, envolto em luz de Amor.
O Amor, eis o inefável mistério
Que te exilou da Celeste Morada...
Ah! deixa-me ocultar sob o véu
Que aos olhos humanos Te esconde

Desde o nascer de cada nova aurora
Quando aparecem os primeiros raios de sol
A delicada flor que começa a abrir
Espera do alto um bálsamo precioso
É o orvalho benéfico da manhã
Totalmente cheio de uma doce frescura
Que produzindo uma seiva abundante
Do fresco botão faz entreabrir a flor.

Tu és, Jesus, a Flor que acaba de abrir-se,
Contemplo-Te no teu primeiro despertar,
És Tu, Jesus, a deslumbrante Rosa,
O fresco botão, gracioso e cor de ouro.
Os puríssimos braços da tua Mãe querida
Formam para Ti um berço, trono real
O teu doce sol, é o seio de Maria
E o teu Orvalho, o Leite Virginal!...»

   

   Não podemos fazer muito

«Na verdade não podemos fazer muito,
apenas pôr-nos nas mãos de Deus
e suplicar-Lhe que seja Ele quem faça tudo…»

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
Edith Stein, Obras Completas.

   

   Vossas obras são santas!

«Ó meu Deus misericórdia minha!,
que farei
para que não desfaça as grandezas
que Vós tendes comigo?
Vossas obras são santas,
são justas,
são de inestimável valor,
e com grande sabedoria,
porque Vós sois a própria Sabedoria».

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Exclamações I, 2

   

   Entrego-Me totalmente a Ti

«A minha Amada
não é senão Jesus Cristo
como Cabeça do seu Corpo moral,
isto é, Jesus e o próximo.
Esta manhã, no altar, disse-mo com toda a clareza
quando comungava:
- “Entrego-Me totalmente a ti,
dou-te como sinal o Meu Corpo e o Meu Sangue”.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
As Minhas Vivências com a Igreja.
A grande batalha. Vitória. pg 841

   

   Sorriso do bom Deus

«Uma alma
seguidora da Teresinha
no caminho da infância do divino amor
propôs-se ser o “pequeno sorriso do bom Deus”.
Quanta profundidade nesta simples expressão!...
Ser o “pequeno sorriso de Deus”, ou seja,
revelar sempre às criaturas
a divina bondade e mansidão;
pressupõe uma contínua abnegação,
um sacrifício absoluto,
um perfeito esquecimento de si próprio!
Esforcemo-nos por sermos também nós
os pequenos sorrisos de Jesus,
esqueçamo-nos das nossas pequenas dores
para mostrar a todos
a doce imutável serenidade de Deus!
Nas lutas da vida,
que certamente não te faltarão,
sorri sempre ao bom Deus, Vicenza querida!»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 93. A Vicenza Rinaldi. 12.04.1925.

   

   Firmeza da fé na Eucaristia

«Peçamos ao Senhor
que torne firme a nossa fé na Eucaristia,
que torne firme esta fé na Eucaristia
em todos os cristãos,
em todos os Sacerdotes.»

Beato Pe. Maria-Eugénio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências. 20.03.1966

   

   Tira-me a liberdade de Te desagradar

Oh, torna-me mártir do Teu Amor,
que este martírio me faça morrer.
Tira-me a liberdade de Te desagradar,
que nunca Te faça a mais ligeira ofensa.
Quebra, arranca do meu coração
tudo o que Te desagrade.
Quero cumprir sempre a Tua vontade,
corresponder sempre à Tua graça.
Ó Mestre,
quero ser santa para Ti,
sê a minha santidade,
pois conheço a minha fraqueza .
Oh! Jesus, obrigada por todas as graças que me concedeste,
agradeço sobretudo por me teres provado.
É tão bom sofrer por Ti, conTigo.
Que cada batimento do meu coração
seja um grito de reconhecimento e de amor.»

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Notas Íntimas 4 . Novembro de 1899

   

   O maravilhoso dom do guia

«Deus não deixa que nos formemos sozinhos,
mas segundo as suas advertências;
com frequência o homem não percebe
a voz suave que n’Ele fala.
Percebe talvez os suaves golpes da asa da pomba,
que o atrai com o seu voo,
mas não o entende.
Então tem que chegar alguém
dotado de um ouvido muito delicado
e uma vista muito aguda
que o faça conhecer o misterioso sentido da Palavra.
Este é o maravilhoso dom do guia:
ser colaborador na salvação das almas.

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
Edith Stein, Obras Selectas.

   

   Viver de amor

«Oh! Se eu pudesse, minha Tia,
fazê-la experimentar
a felicidade que se sente
quando não se tem na vida outra ocupação
senão a de amar e contemplar;
quando a alma engolfada no oceano da divindade
perde de vista a ribeira do mundo,
desse mundo que é pátria de dor e de maldade!
Como me encontro feliz por viver prisioneira,
com o Divino Prisioneiro,
consolá-l’O com as minhas lágrimas,
ajudá-l’O a salvar as almas,
orando e sofrendo!
Já comecei a minha eternidade.
Tenho tudo.
Só me falta ver a Deus face a face…»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 111. A sua Tia Juana Solar de Domínguez

   

   Ver a Deus

«”Apaga o meu pesar,
Pois mais ninguém consegue desfazê-lo,
E veja-Te o meu olhar,
Que és lume a acendê-lo,
E apenas para Ti eu quero tê-lo.”

Nesta canção,
continua a pedir ao Amado
se digne pôr fim às suas ânsias e penas,
porque não tem mais ninguém que o possa fazer.
Pede que os olhos da sua alma O possam ver,
pois Ele é a única luz que eles veem,
e ela não os quer usar para outra coisa
que não seja Ele.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual. 10, 4

   

   Aceitar a vontade de Deus e os Seus caminhos

«O essencial
é aceitar com amor
tudo o que agrada a Deus mandar-nos,
com total conformidade com a Sua vontade,
sempre e em tudo.»

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Pensées de Marie de Jesus Crucifié, de Fr. Denis Buzy, scj

   

   A santidade

«A santidade é amor,
é correspondência à graça,
é triunfo,
é vitória sobre nós
e sobre o mundo,
é o ideal de Jesus para nós.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Cartas I. 101

   

   Tu que estás no mais profundo do meu ser…

Agora vede o que diz o Vosso Mestre:
«Que estais nos céus».
Pensais que importa pouco saberdes que coisa é o céu
e onde se deve procurar Vosso Sacratíssimo Pai?
Pois eu digo-vos
que, para entendimentos distraídos importa muito,
não só crer isto, mas procurar entendê-lo por experiência,
pois é uma coisa que muito prende o entendimento
e faz recolher a alma.
Já sabeis que Deus está em toda a parte. […]
Onde está Deus é o Céu.
Vede que santo Agostinho o buscava em muitas partes
e veio a encontra-Lo dentro de si. […]
Basta pôr-se em soledade e olhá-l’O dentro de si mesma,
e não se estranhar de tão bom Hóspede;
mas falar-Lhe com grande humildade, como a um pai;
contar-Lhe os seus trabalhos,
pedir-lhe remédio para eles entendendo
que não é digna de ser sua filha.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Caminho de Perfeição 28,1-2

   

   Exercitar a vontade

«É necessário
ter a vontade sempre pronta e zelosa
para tudo aquilo
que é para o serviço
e para a honra de Deus.»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinário (Padre Ildefonso). 56

   

   Maria junto à Cruz

«Senhor,
Tu nos chamaste à vida,
mas é Tua vontade
que passemos pela morte.
Isto assusta-me algumas vezes
e, outras, causa-me dor e angústia.
Não só a minha morte,
mas a das pessoas que eu amo.
Ajuda-me a compreender
o sentido da morte
e a esperá-la como o abraço
que me unirá a Ti!
Tu quiseste ser semelhante a nós, em tudo,
menos no pecado,
e também passaste
pela prova dolorosa da morte.»

Santo Henrique de Ossó | 1840 - 1896
Quarto de Hora de Oração, p. 62.

   

   As verdades da fé

«Quando uma alma
aceita as verdades da fé
e faz delas vida,
estas convertem-se na ciência dos santos.»

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 - 1942
A Ciência da Cruz

   

   O Terço

«A Mensagem
pede que continuemos a rezar o Terço,
que é a fórmula de oração
que está mais ao alcance de todos,
grandes e pequenos,
ricos e pobres,
sábios e ignorantes;
todas as pessoas de boa vontade
podem diariamente rezar o seu Terço.»

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Fátima

   

   A Igreja é viva

«A Igreja é a meta do nosso amor
e aquela beleza indescritível
em cujo encalço vai o nosso coração.
A Virgem mais pura e Mãe fecundíssima
é infinitamente amável e formosa.
O seu corpo, a sua constituição e organismo,
as funções respetivas de cada um dos seus membros,
a perfeita harmonia em cada uma das suas partes,
as relações de cada uma destas
com a alma ou espírito que as vivifica e glorifica,
as relações entre membro e membro,
as suas glórias e as suas grandezas,
as suas imensas riquezas,
que nem olho algum jamais viu
e ouvido jamais ouviu
e que apenas o coração humano pode fazer-se uma ideia ou esboço
de quem é essa Virgem sempre virgem,
essa jovem infinitamente bela,
essa mulher tão bem constituída,
sempre ágil, sadia,
onde se refletem todos os atributos e perfeições de Deus.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
As Minhas Vivências com a Igreja.
Formação do corpo da Igreja e o seu enlace com o Filho de Deus. 12

   

   A perfeição é fazer a vontade de Deus

«Compreendi que todas as flores que Deus criou
são belas,
que o esplendor da rosa
e a alvura do lírio
não tiram o perfume à pequena violeta
nem a simplicidade encantadora à margarida...
Compreendi que, se todas as pequeninas flores
quisessem ser rosas,
a natureza perderia o seu adorno primaveril,
os campos não ficariam esmaltados de florzinhas...
Assim acontece no mundo das almas,
que é o jardim de Jesus.
Ele quis os grandes Santos,
que podem ser comparados aos lírios e às rosas;
mas criou também outros mais pequenos,
e estes devem contentar-se
com serem margaridas ou violetas,
destinadas a deleitar os olhares de Deus
quando olha para o chão.
A perfeição consiste em fazer a Sua vontade,
em ser o que Ele quer que sejamos...»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito A. 2vº

   

   Amor ardente

«Passei alguns dias num trabalho esgotante
em relação às almas.
É para mim doce este cansaço,
porque é por amor de Deus.
As almas são-me queridas,
sinto por elas uma grande maternidade.
Toda eu me darei a mim mesma
para trazê-las para Deus».

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Diário II. pg. 152

   

   Que eu Vos contente…

«Ó Jesus meu!
Que grande é o amor
que tendes aos filhos dos homens!
Que o maior serviço que se Vos pode prestar
é deixar-Vos a Vós
por seu amor e lucro.
E então sois possuído mais inteiramente,
porque, embora não se satisfaça tanto a vontade em gozar,
a alma goza de Vos contentar a Vós».

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Exclamações VII, 3

   

   Crescer contigo, Mãe!

«Por esse tempo (aos meus sete anos)
começou a minha devoção à Virgem.
Meu irmão Lucho deu-me essa devoção,
com a qual estive e estarei, assim o espero,
até à minha morte.
Lucho convidava-me para rezar o terço
e fizemos juntos a promessa
de o rezar toda a vida,
o que cumpri até agora.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Diário. 5

   

   Amemos

«Amemos,
amemos muito o bom Deus
e estaremos sempre contentes:
com o Seu Amor tudo é fácil de fazer
e de suportar.»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 93. A Vicenza Rinaldi. 12.04.1925.

   

   Esquecer-se de si mesmo

«Esquecer-se de si mesma,
libertar-se de todos os desejos e pretensões,
chegar a ser um coração
para todas as necessidades e obrigações alheias,
isto só se pode alcançar
no encontro quotidiano e confiado
com o Salvador no tabernáculo».

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
Edith Stein, Obras Completas.

   

   Ó beleza da Igreja!

«Ó beleza do Corpo Místico de Cristo,
da plenitude do Verbo encarnado,
da beleza perfeita da Igreja,
tal como Deus a quis.
Nós a saudamos, ó Jesus…»

Beato Pe. Maria-Eugénio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências. 07.04.1966

   

   Permanecer conTigo

«Vou até fazer-vos uma confidência muito íntima:
o meu sonho, é o de ser “o louvor de Sua glória”;
foi em São Paulo que li isto,
e o meu Esposo fez-me compreender
que era essa a minha vocação desde o exílio
enquanto espero ir cantar o Sanctus eterno
na Cidade dos santos.
Mas isto pede uma grande fidelidade
pois, para ser o louvor de glória,
é preciso estar morta para tudo o que não seja Ele,
a fim de não vibrar senão sob o Seu toque,
e a miserável Isabel bem faz algumas maldades ao seu Mestre;
embora Ele, como um terno Pai,
lhe perdoe,
o Seu divino olhar purifica-a
e, como São Paulo,
ela tenta “esquecer o que fica para trás
para se lançar para o que está adiante”.
Como se sente a necessidade de se santificar,
de se esquecer
para estar inteiramente
de acordo aos interesses da Igreja.»

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Carta 256. Ao Cónego Angles

   

   Sede de Deus

«Quando a alma chega a este extremo de amor,
assemelha-se a um doente muito cansado,
o qual, tendo perdido o gosto e o apetite,
sente fastio de todas as comidas
e todas as coisas o incomodam e aborrecem.
Em todas as coisas
que lhe assomam ao pensamento ou à vista
só tem um apetite e um desejo,
que é a sua saúde;
e tudo quanto não o ajudar a isso
torna-se-lhe incómodo e penoso.
Daí que esta alma,
por haver chegado a esta doença de amor de Deus,
manifesta as seguintes três propriedades:
A primeira é que,
em todas as coisas que lhe surgem ou se relaciona,
tem sempre presente aquele «ai!» da sua saúde,
que é o seu Amado;
a custo relaciona-se com as coisas,
mas é sempre n’Ele que traz o coração.
Daí nasce a segunda propriedade,
que é ter perdido o gosto por tudo.
E daqui surge a terceira, ou seja,
todas as coisas lhe são incómodas,
e qualquer trato torna-se penoso e aborrecido.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual. 10, 1

   

   Amai-vos uns aos outros

«Amai-vos uns aos outros.
Não alimenteis sentimentos amargos
em vossos corações.»

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Pensées de Marie de Jesus Crucifié, de Fr. Denis Buzy, scj

   

   É para nosso bem

«Se o bom Deus não nos ouve
[naquilo que Lhe pedimos]
é sinal de que isso é para nosso bem.»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinário (P. Ildefonso). 32

   

   Amo-Te sobre todas as coisas

«Se quiseres, meu Jesus,
amor do meu coração,
dá a outros corações honras, glórias, riquezas,
bem-aventuranças e felicidade.
A mim, Teu servo,
dá-me apenas o Teu amor e isto me basta.
Só Deus basta
e Tu és o Deus do meu coração.

Ó meu Jesus e tudo o que tenho!
Viva Jesus, meu amor!
Amo-Te sobre todas as coisas,
com todo o meu coração!
Quero amar-Te como Tu Te amas,
mas se não for possível,
quero amar-Te quanto eu possa amar;
quero viver e morrer abrasado no Teu amor divino.

Santo Henrique de Ossó | 1840 – 1896
Revista Santa Teresa, 230, janeiro 1896, 100.

   

   Sê morada de alegria e glória!

«Recorda-te da adorável presença de Jesus em ti
e sê para Ele
morada de alegria e de glória!»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Cartas III. 37.

   

   Despertar para a presença de Deus

«[…] Outras vezes,
assim que me aplico
[em fazer o exercício da presença de Deus],
sinto todo o meu espírito,
toda a minha alma
elevar-se sem qualquer cuidado nem esforço,
e permanecer como suspensa
e fixamente quieta em Deus
como em seu centro
e em lugar de repouso.»

Frei Lourenço da Ressurreição | 1614 – 1691
Carta 02. A um conselheiro espiritual. 1682-1683.

   

   Viver só para Ti nas adversidades.

«Aconteça o que aconteça,
custe o que custar,
devemos estar prontos
para o martírio do corpo e do coração,
para viver e morrer
fidelissimamente
com Jesus e por Jesus.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Escritos Vários. pgs. 76-77

   

   Unido a Ti!

«Ao comungar,
creio que me uno com a minha Esposa a Igreja:
com a Cabeça num ato de amor divino,
e com todos os membros em atos de amor ao próximo.
Pela mesma razão,
todas as relações com o filho de Deus
e com o seu Pai
estão sempre relacionadas com a Igreja

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Minhas Vivências com a Igreja. pg 780

   

   Ó fogo de amor

«Ó amor, amor!
Ó fogo do amor de Deus.
Com que bens Te comunicas
com a alma que aqueces!
Os teus raios brilhantes,
ao iluminar os espaços do nosso coração,
limpam as futilidades e as imperfeições…
limpam o pó dos defeitos mais pequenos…
O amor agita, suavemente,
o coração, aviva a alma,
faz suspirar, continuamente, por Deus:
que só a Ele deseje;
que tudo rejeite por Ele;
que a alma até de se esqueça de si mesma.
O amor de Deus revolucionada tudo.
Esta chama de amor posta por Deus,
por pequenina que seja, faz muito ruido…
O amor é o pão que nos conforta
para subir o monte da perfeição…
És o Cireneu
que nos ajuda a levar a cruz
que sobre nós coloca,
o Deus a quem amamos…
O amor… é a arma com que conquistamos
o supremo domínio sobre nós,
sobre os elementos,
sobre as nossas paixões,
sobre o mundo inteiro.»

Santo Henrique de Ossó | 1840 – 1896
Revista Teresiana 78-79: 64

   

   Deus está sempre pronto a perdoar

«Deus está pronto a perdoar um pecador
que se humilha.
Ele olha com mais amor
para uma alma que volta para Ele em humildade,
do que para uma alma fiel
que se compraz nas suas virtudes.»

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Pensées de Marie de Jesus Crucifié, de Fr. Denis Buzy, scj

   

   Não estamos sós!

«Pensa que a tua alma
é o Templo de Deus:
a cada instante do dia ou da noite
aí habitam as três Pessoas! […]
A divindade,
esta essência que os Bem-aventurados adoram no Céu,
encontra-se na tua alma:
estabelece-se uma intimidade adorabilíssima
e deixamos de estar sós…»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 93. A Vicenza Rinaldi. 12.04.1925.

   

   Este é o caminho da verdade

«Acredita, filha,
que aqueles a quem o Pai mais ama,
mais trabalhos lhes dá;
e a estes corresponde o amor.
Em que posso mostrar-te melhor o meu amor
do que querer para ti o que quis para Mim?
Olha para estas chagas,
pois as tuas dores nunca chegaram a tanto!
Este é o caminho da verdade.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Contas de Consciência 37, 1

   

   Mãe e Rainha

«Oh! amo-te, Maria,
quando Te dizes a serva do Deus
que Tu deslumbras com a Tua humildade.
Esta virtude oculta torna-Te omnipotente
Atrai ao teu coração a Santíssima Trindade.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Poema 54

   

   Não podemos fazer muito

«Na verdade não podemos fazer muito,
apenas pôr-nos nas mãos de Deus
e suplicar-Lhe que seja Ele
quem faça tudo…»

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
Edith Stein, Obras Completas.

   

   Participação na vida de Deus

«Unamo-nos ao Filho,
ao Verbo Encarnado…
Nós somos Seus irmãos,
não só porque Ele também é homem,
mas pela graça que Ele nos deu,
participação da Sua Vida,
da Sua divindade.»

Beato Pe. Maria-Eugénio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências. 05-06-1966.

   

   Deus vem até nós continuamente

«A vontade de Cristo
é a de que
mesmo no meio dos atos mais práticos e mais diversos,
façamos continuamente visita à nossa Imagem divina.
Porque a cada momento da sua duração,
em todos os pontos que engloba a palavra “agora”,
Deus nasce em nós,
e o Espírito procede,
armado de todos os seus tesouros.»

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Nota Íntima. 17. Julho de 1906

   

   Um belíssimo diamante

«A alma que espera em Deus
será transformada pela Sua misericórdia
num belíssimo diamante.»

Santa Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Pensées de Marie de Jesus Crucifié, de Fr. Denis Buzy, scj

   

   Amar com o amor de Deus

«A alma abrasada no amor de Deus
deseja a consumação e perfeição do amor
para nele encontrar o refrigério perfeito.
Assim como o escravo cansado pelo calor
suspira pelo refrigério da sombra,
e o jornaleiro espera o fim da sua obra,
assim também a alma espera o fim da sua. […]
A sua obra consiste em amar
e, desta obra que é amar,
ela espera o fim e o termo,
que é a perfeição e consumação de amar a Deus.
Enquanto a alma não atingir esse fim,
estará sempre […] achando os dias e os meses vazios
e contando as longas noites cheias de dor
que lhe couberam em sorte.
Com o que se disse,
mostra-se como a alma que ama a Deus
não há-de pretender
nem esperar outro galardão pelos seus serviços
que não o perfeito amor de Deus.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual. 9, 7

   

   Firmar-se na perseverança

«Uma alma que aspira à perfeição
abraça todos,
submete-se a tudo;
tem em grande conta as coisas pequeninas
e, sobretudo,
firma-se na perseverança.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 – 1949
Perfeição Carmelitana. 24

   

   Ó Mãe: o meu coração está contigo no Céu.

«Rezamos nestes quinze dias antes da Assunção,
as quinze dezenas do Rosário.
Asseguro-lhe que enche a alma de felicidade,
esta devoção à Santíssima Virgem.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 120

   

   Jesus: és a fonte de toda a bondade e verdade

«Na Tua presença está o meu coração
e o meu silêncio fala-Te.
Estou cansado e angustiado
dos vãos discursos dos homens,
e desenganado por ter andado atrás da mentira
e por ter amado a vaidade.
Do teu Coração divino,
de onde saem todos os amores,
saem também todas as verdades.

Ame pois, eu, sobre todas as coisas o Teu Coração adorável,
para que amando a fonte de toda a bondade
ame também a fonte de toda a verdade,
e não seja só luz e vida eterna
para o meu entendimento,
senão amor e gozo completo
para o meu coração,
cá por graça
e lá por luz de glória abrasada no teu amor.»

Santo Henrique de Ossó | 1840 - 1896
Um mês na Escola do Sagrado Coração

   

   Como em Maria

«É o amor de Deus em nós,
comunicado pela presença
das três Pessoas divinas,
que nos há-de levar a viver submersos
no oceano da vida sobrenatural,
seguindo sempre o caminho apontado
pela luz da palavra de Deus.
E é assim que o amor de Deus se manifesta em nós,
nos transforma e identifica com as três Pessoas divinas
por uma plena união com Jesus Cristo:
“Nesse dia, conhecereis que Eu estou em Meu Pai
e vós em Mim e Eu em vós.
Aquele que tem os Meus mandamentos
e os guarda,
esse é que Me ama.
E aquele que Me ama será amado por Meu Pai,
e Eu amá-lo-ei e manifestar-Me-ei a ele”.
Portanto, é o amor que nos transforma
em templos vivos da Santíssima Trindade,
porque Deus é amor e comunica-nos a vida do Seu amor,
que é a vida de Deus em nós.»

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus | 1907 - 2005
Apelos da Mensagem de Fátima, cap. 11

   

   Quero estar na Tua companhia

«Lembrai-vos, peço-vos,
do que vos recomendei,
que é pensar muitas vezes em Deus
de dia, de noite,
em todas as vossas ocupações,
exercícios [espirituais]
e mesmo durante os vossos divertimentos.
Ele está sempre junto de vós e convosco,
não O deixeis só.
Creríeis ser pouco civilizado
deixar sozinho um amigo
que vos fizesse uma visita:
porquê abandonar a Deus
e deixá-Lo sozinho?»

Frei Lourenço da Ressurreição | 1614 – 1691
Carta 10. A uma senhora. 20 de Outubro de 1689.

   

   A Igreja é o Corpo Místico de Cristo

«Cristo está presente sacramentalmente
na hóstia e no cálice,
ou seja, está o Seu Corpo e Sangue
sob as espécies do pão e do vinho.
Está ali também mística e moralmente
como Cabeça da Igreja.
Cristo dá o Seu Corpo e Sangue,
dá-Se totalmente à Sua Esposa, a Igreja,
isto é, a assembleia dos que comungam,
dá-Se Todo a todos e a cada um também.
A Esposa recebe-O
e logo que o Sacramento toca no seu corpo
já não são dois,
senão um só corpo místico e moral,
isto é
a Igreja e a Cabeça.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Texto Autografado. 3, 9

   

   A noite

«Como é feio passar o tempo a aborrecer-se,
em vez de adormecer sobre o coração de Jesus!...
Se a noite mete medo à criancinha,
se ela se lamenta por não ver Aquele que a leva,
feche os olhos,
faça VOLUNTARIAMENTE o sacrifício que lhe é pedido
e depois espere pelo sono...
conservando-se assim tranquila,
a noite que já não verá não poderá assustá-la,
e em breve a calma ou até a alegria
renascerá no seu coraçãozinho.
Pedir-lhe para fechar os olhos será pedir muito?...
Pedir-lhe para não lutar contra as quimeras da morte?...
Não, não é muito e a criancinha vai abandonar-se,
vai pensar que Jesus a leva,
vai aceitar não O ver
e deixar muito longe o medo inútil de ser infiel
(medo que não convém a uma criança).»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 205. À Irmã Maria de S. José. Dezembro de 1896

   

   A religião deve ser raiz e fundamento

«A religião
não é algo para viver a um canto tranquilo
e durante umas horas de festa,
ela deve ser raiz e fundamento
de toda a vida…»

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
Edith Stein, Carta 12/2/1928

   

   Ser intercessor pelos que sofrem

«Quantas tribulações sobre a terra,
quantos lamentos,
quantos suspiros,
quantas lágrimas!...
Eu, aqui, longe de todos,
partilho as penas de cada coração,
apresento a Deus todos os suspiros,
todas as lágrimas
que regam esta terra de exílio.
Vivo com a humanidade que sofre,
e é doce para mim
percorrer através do pensamento
os corredores dos hospitais,
parar a cada cabeceira,
oferecer por cada doente,
por cada chaga que é preciso curar,
todas, todas as penas do meu próprio ser,
para serem lenitivo,
nem que seja por um instante,
pelas penas de quem sofre.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Autobiografia. pg. 292

   

   Quero escutar a Tua divina Palavra

«Meu Divino Mestre,
o meu céu será o Teu adorável Coração…
é Nele que ponho a minha felicidade…
Passarei a minha vida escutando a Tua divina Palavra…
Quando Jesus fala, tudo cala…
Serei dócil à Tua voz, meu Deus!...»

B. Elias de São Clemente.
Carta 82. A Vicenza Rinaldi. 22.03.1925.

   

   Creio na Igreja

«Com o amor à fé que Deus infunde,
uma fé viva, forte,
ela procura andar sempre
conforme ao que ensina a Igreja…
- até mesmo que visse os céus abertos –
a demoveriam de um só ponto
do que ensina a Igreja.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Vida 25,12

   

   Em Ti encontramos a luz e a vida!

«Veio ao mundo feito homem
e manifestou-Se como Luz.
Luz que brilha nas trevas:
presente entre nós, hoje como então,
mas velou-nos a humanidade;
está presente pela Sua Palavra
e pelas Suas obras, pela Eucaristia e pelos Sacramentos,
pela Igreja e na pessoa de cada um dos nossos irmãos.
Ele diz: «Eu sou a Luz do mundo.
Quem Me segue não andará nas trevas,
mas terá a luz da vida».
Para os que seguem a Cristo,
n’Ele encontrarão a luz e a vida.»

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus | 1907 - 2005
O Rosário com a Irmã Lúcia, Mistérios Gozosos

   

   Unimo-nos a Deus pela fé

«A misericórdia de Deus
é como uma cadeia cheia de anéis.
Como poderemos nós ligarmo-nos
a um desses anéis?
Muito bem, é pela fé!
A nossa fé é a ligação.»

Beato Pe. Maria-Eugénio do Menino Jesus | 1894 - 1967
Homilias e Conferências. 06.11.1966

   

   A nossa vida está nos Céus!

«”A nossa vida é nos Céus”:
então todas as suas potências estão ordenadas a Deus;
[a alma] já não vibra
senão sob o toque misterioso do Espírito Santo ,
que a transforma no “louvor da glória
a que foi predestinada,
por um decreto d’Aquele
que opera todas as coisas
segundo o conselho da Sua vontade”.
Então, a cada minuto que passa,
todos os seus atos, movimentos, aspirações,
ao mesmo tempo que “a enraízam”
mais profundamente no Ser divino,
são tantos outros louvores,
adorações e homenagens
para com a Sua infinita Santidade;
tudo nela presta “testemunho à Verdade”
e glorifica Aquele que disse:
“Sede santos, porque Eu sou santo”!...»

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
Nota Íntima. 16. Outubro de 1905

   

   A cruz: sinal de predilecção!

«Sei perfeitamente que a cruz é o melhor
e considero-me indigna de sofrer,
de carregar a cruz como Nosso Senhor;
uma vez que Ele dá a cruz
àqueles que mais ama…»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 60. A Helena Salas

   

   O amor só se paga com amor.

«[Senhor],
porque é que não guardas
o coração que roubaste por amor,
para o encher, saciar, acompanhar, sarar,
dando-lhe em Ti apoio e descanso perfeito?
Por grande que seja a conformidade com o Amado,
a alma enamorada não pode deixar de desejar
a paga e o salário do seu amor,
pois é por causa dele que serve o Amado.
Se assim não fosse, o amor não seria verdadeiro,
porque a paga e o salário do amor não é outro,
nem a alma pode desejar outro,
que não seja um amor maior
até chegar ao perfeito amor.
O amor só se paga com amor.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Cântico Espiritual 9, 7

   

   A morte é uma amiga que me leva para Ti.

«Como Tu,
quero considerar a morte
como o momento de ‘passar deste mundo para o Pai’.
Mas sei que a morte
é o eco da vida
e que tenho de me preparar
todos os dias para ela,
vivendo como Tu viveste,
pensando como Tu pensaste,
sentindo como Tu sentiste,
amando como Tu amaste.
Assim seja, Senhor Jesus!»

Santo Henrique de Ossó | 1840 – 1896
Quarto de Hora de Oração. pg. 62.

   

   Intimidade com Aquele que habita em nós.

«Não ponhas limites
ao estudo da divina Presença,
à doce ocupação de viver
na intimidade com Aquele
que habita em nós.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Cartas III. 42

   

   As belezas da criação

«Quanto me ensinam as flores,
os insectos,
a amar
e a corresponder
ao amor de Deus!»

Santa Teresa Margarida de Redi | 1747 - 1770
Processo Ordinário (Pe. Ildefonso). 34

   

   Quero ser a Tua companhia, Senhor!

«[Deus] não nos pede grande coisa:
uma pequena lembrança
de tempos a tempos,
uma pequena adoração,
às vezes pedir a Sua graça,
às vezes oferecer-Lhe as vossas penas,
outras vezes agradecer
as graças que vos fez e que vos faz
no meio dos vossos trabalhos,
consolar-vos com Ele,
o mais frequentemente que possais.
Durante as vossas refeições
e os vossos encontros,
elevai de vez em quando o vosso coração para Ele:
a mais pequena lembrança
ser-Lhe-á sempre muito agradável.
Para isto, não é necessário gritar bem alto,
Ele está mais perto de nós do que nós pensamos.»

Frei Lourenço da Ressurreição | 1614 – 1691
Carta 9. A uma senhora. Cerca de 1689.

   

   Providência de Deus

«Digo-te isto
para que tu também te abandones à Sua Providência.
Que bem cuidado está o que se fia em Deus!
Na oração ocupa-te
em adquirir esta confiança em ti
pois tens necessidade disso.
Essa confiança supõe a fé na Sua Providência
e a Providência é o cuidado
e a solicitude paternal que Deus tem connosco.
Deixemos que Deus cuide de nós,
que nos governe,
que nos guie
e esta confiança nos protegerá
contra as horríveis inquietações,
ânsias e temores que nos assaltam,
procedentes das nossas próprias ilusões.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
Carta 56, 2

   

   Pão vivo!

«Pão vivo, Pão do Céu, divina Eucaristia.
Ó Mistério sagrado! que o Amor produziu...
Vem habitar no meu coração, Jesus, minha Hóstia branca
Somente por hoje.

Digna-Te unir-me a Ti, Vinha Santa e sagrada
E a minha frágil vergôntea dar-Te-á o seu fruto
E poderei oferecer-Te um cacho dourado
Senhor, desde hoje.

Este cacho de amor, cujos bagos são almas
Para o formar só tenho este dia que foge
Ah! dá-me, Jesus, o ardor de um Apóstolo
Somente por hoje.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Poesia 5. Estofes 8-10

   

   Sou Teu

«Ó meu Jesus,
eu sou toda consagrada a Ti
e Te agradeço
por este dom inefável que me fizeste.
Eis aqui o meu coração:
cobre-o com o Teu preciosíssimo Sangue
como de um véu,
a fim de que não apareça a minha miséria,
mas a Tua santidade.
Quando eu passar desta vida,
então velarei o meu rosto com os Teus méritos;
apresentar-me-ei ao Pai transfigurada de Ti
e estarei segura de obter a Tua misericórdia.»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Retiro para a Profissão Solene de uma Religiosa. Pg. 26

   

   Serve e espera na Sua misericórdia

«Mas ai! Ai! Criador meu!
A grande dor faz queixar e dizer
O que não tem remédio até que Vós queirais.
E a alma tão encerrada deseja a sua liberdade,
Desejando não sair nem um ponto do que Vós quereis.
Fazei, Glória minha, que cresça a sua pena,
Ou remediai-a de todo. (…)

Ó alma minha!
Deixa que se faça a vontade do teu Deus;
Isso te convém.
Serve e espera na Sua misericórdia,
Que remediará a tua pena,
Quando a penitência de tuas culpas
Haja ganho algum perdão para elas.
Não queirais gozar sem padecer.

Ó verdadeiro Senhor e Rei meu!
Que até nem para isto sirvo,
Senão me favorece
A Vossa soberana mão e grandeza
Que, com isto, tudo poderei.»

Santa Teresa de Jesus | 1515 - 1582
Exclamações VI, 2-3

   

   Florir

«é preciso saber florir aí,
onde Deus nos semeou.»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 - 1927
Carta 93. A Vicenza Rinaldi. 12.04.1925.

   

   A luta pela claridade

«Os livros não me servem de nada
até que eu tenha clarificado a questão
com uma elaboração pessoal.
Esta luta pela claridade realiza-se agora em mim
através de grandes sofrimentos
e não me deixava descansar
nem de noite, nem de dia».

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942
Edite Stein, Obras.

   

   Amor infinito

«Senhor Jesus,
que quiseste revelar-nos o amor infinito do Pai
e consolar-nos
com palavras de confiança nesse amor:
concede-me, Senhor, a graça de Te amar
como Tu me amas
para que, se vierem dificuldades e contradições,
e o mundo me odiar como Te odiou a Ti,
eu saiba amar-Te.
Jesus, que eu Te sirva sempre
e faz de mim o que quiseres.
Ámen”.»

Santo Henrique de Ossó | 1840 – 1896
Quarto de Hora de Oração, p. 169.

   

   Caminhos distintos

«Sabes por demais como gosto de ti,
minha querida Maria Luísa,
para que haja necessidade de te dizer
como o teu noivado me alegrou;
já o adivinhava, até certo ponto […].
Rezo muito por ti, querida amiga,
e peço a Deus que te encha com as Suas bênçãos
e te dê toda a felicidade que seja possível viver nesta terra.
Sim, querida Maria Luísa,
o bom Mestre chama-nos a caminhos diferentes.
A parte que Ele escolheu para mim é muito bela […]!
Todas [Isabel, a mãe e a irmã]
nos alegramos com a tua felicidade
porque muito te amamos.»

Santa Isabel da Trindade | 1880 – 1906
Carta 25. A Maria Luísa Maurel (sua amiga). 30.11.1899.