Dar tudo!

«O amor não quer um coração dividido: quer tudo ou nada.» Santa Teresa Margarida de Redi ...

Desejas a minha união conTigo!

«É preciso saber que o amor só chegará à perfeição quando os amantes forem um só, isto ...

Descei, Senhor, do alto dos Céus!

 

«Com esta boa esperança
Que do alto lhes descia,
O peso dos meus trabalhos
Mais leve se lhes fazia;
Porém a larga esperança
E o desejo que crescia
De gozar-se com o Esposo
De contínuo os afligia.
Por isso, com orações,
Com suspiros e agonias,
Com lágrimas e gemidos
Lhe rogavam noite e dia
Que já se determinasse
A fazer-lhes companhia.
Uns diziam: “Ó se fosse
Em meu tempo esta alegria!”
Outros: “Acaba, Senhor,
O que hás-de enviar, envia!”
Outros: “Ó se já rompesses
Esses céus, então veria
Com meus olhos que baixavas
E o meu pranto cessaria!”
“Jorrai, nuvens, das alturas
O que a terra vos pedia
E que se abra já a terra
Que espinhos nos produzia!
E produza aquela flor
Com que ela florescia!”
Outros diziam: “Ditoso
Quem nesse tempo vivia
Merecendo ver a Deus
Com o olhar que possuía
E tratá-lo com as mãos
E ter sua companhia
E desfrutar os mistérios
Que Ele então ordenaria!”

Em estes e outros rogos
Mui tempo passado havia;
Porém nos últimos anos
O fervor muito crescia
Quando o velho Simeão
Em desejo se acendia,
Rogando a Deus que quisesse
Deixá-lo ver este dia.
E assim o Espírito Santo
Ao bom velho respondia:
Sua palavra lhe dava
Que ele a morte não veria
Até que chegasse a vida
Que do alto desceria,
E que ele nas próprias mãos
Ao próprio Deus tomaria
E o teria nos seus braços
E consigo o abraçaria.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Romance sobre o Evangelho “In principio erat Verbum”. 5-6.

Descei, Senhor,
do alto dos Céus
e renovai a face da terra!
Assim seja.

Foto: Pormenor de um ícone de S. João da Cruz, que hoje se celebra.

2017-12-14