Maria dá-me Jesus

«Maria diz-te: “Dou-te o alimento, a Carne e o Sangue do Inocente:” Aos pés de Maria, en...

Grande é o Teu amor!

«Ai, Senhor, que grande és na Tua misericórdia! Prostro-me aos Teus pés e lavo-os com o me...

Morrer a mim mesmo

 

«”Quotidie morior.”
“Morro cada dia”,
diminuo , renuncio-me cada dia mais a mim mesma,
a fim de que em mim Cristo cresça e seja exaltado;
“resido” ínfima “no fundo da minha pobreza”,
vejo “o meu nada, a minha miséria,
a minha impotência,
percebo-me incapaz de progresso,
de perseverança,
observo as minhas muitas negligências e defeitos,
vejo-me na indigência”,
“prostro-me na miséria,
reconhecendo a minha aflição,
colocando-a diante da misericórdia ” do meu Mestre.
“Quotidie morior”,
ponho a alegria da minha alma
(isto quanto à vontade e não quanto à sensibilidade)
em tudo o que me pode imolar, destruir, rebaixar,
porque quero dar lugar ao meu Mestre.
Já não sou eu que vivo,
é Ele que vive em mim :
não quero “mais viver da minha própria vida,
mas ser transformada em Jesus Cristo,
para que a minha vida seja mais divina do que humana ”
e que o Pai, ao inclinar-se sobre mim,
possa reconhecer a imagem
do Filho muito amado
em quem pôs todas as suas complacências.»

Santa Isabel da Trindade | 1880 - 1906
O Céu na Terra. 12

Senhor,
são tantas as acometidas de problemas,
humilhações, dificuldades
que cada dia se lançam sobre mim como ondas…
Como as encaro e acolho?
Como algo que não quereria
ou como a Tua vontade?
Tudo é graça quando sei acolher
a Tua vontade que me crucifica
e me transforma em Ti.
Esta linguagem é loucura para o mundo,
mas para Ti é sabedoria e poder de Deus,
como diz o Apóstolo.
Saiba eu acolher com amor e humildade,
as provas que me envias cada dia,
para me transformar em Ti.
Assim seja.

2018-06-28