A fé obtém o que espera

«É a fé que opera e obtém o que se pede na oração. A oração obtém na medida em que se...

A glória de Jesus: eis tudo!

«Mas, o ESQUECIMENTO!… Sim, desejo ser esquecida, e não só pelas criaturas mas também po...

Contemplar Jesus com os olhos de Maria

 

Na terra do Egipto, parece-me, ó Maria
Que na pobreza o teu coração continua feliz,
Pois não é Jesus a nossa formosa Pátria,
Que te importa o exílio se tu possuis os Céus?…
Mas em Jerusalém, uma tristeza amarga
Como um vasto oceano te inunda o coração
Jesus, durante três dias, esconde-se da tua ternura
É então o exílio em todo o seu rigor!…


Enfim encontra-lo e a alegria invade-te,
Dizes ao lindo Menino que deslumbra os doutores:
«Ó meu Filho, porque procedeste assim?
«Teu pai e eu procurávamos-Te chorando.»
E o Deus Menino responde (que profundo mistério!)
À Mãe querida que lhe estende os braços:
«Porque me procuráveis?… Das coisas do meu Pai
É preciso que Eu me ocupe; não o sabíeis já?»

O Evangelho ensina-me que crescendo em sabedoria
A José, a Maria, Jesus continua submisso
E o coração revela-me com que ternura
Sempre obedeceu aos seus queridos pais.
Agora compreendo o mistério do templo,
As palavras ocultas de um Amável Rei.
Mãe, o teu doce Filho quer que sejas o exemplo
Da alma que O procura na noite da fé.

Santa Teresa do Menino Jesus, Poesia 54, 13-15

2012-01-02