A fé obtém o que espera

«É a fé que opera e obtém o que se pede na oração. A oração obtém na medida em que se...

A glória de Jesus: eis tudo!

«Mas, o ESQUECIMENTO!… Sim, desejo ser esquecida, e não só pelas criaturas mas também po...

Ó Deus oculto

 

«Ó Deus oculto sob os traços da infância
Vejo em Ti o monarca dos Céus
Reconheço a tua grandeza, o teu poder
Na doce luz que brilha nos teus olhos.
Se quisesses, mil legiões de anjos
Ao teu apelo viriam formar a tua corte
Semeando de estrelas de oiro as tuas roupinhas
Cantariam o teu inefável amor.

Vejo na terra estrangeira
E ainda sem poder falar
O meu Deus, meu Salvador e Irmão
Sem ceptro nem tesouro.
Adorando este profundo mistério
Rei Divino, eu Te ofereço o meu ouro.
Ó Rei do Céu, vens a esta terra
Querendo salvar os homens teus irmãos.»

«Por teu amor, oh! quisera sofrer!
Já que por mim queres um dia morrer
Das tuas dores ofereço-Te o símbolo.
Vendo brilhar a tua sangrenta auréola
Ah! quisera ganhar para Ti os corações
Divino Jesus, para enxugar o teu pranto.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Poesia Suplementar. 1

2015-12-30