No diálogo silencioso do coração

«Na vida oculta e silenciosa realiza-se a obra da Redenção. No diálogo silencioso do coraç...

Deus é a minha morada

«Deus é a minha morada, o meu Templo, a vida da minha vida e o Ser do meu ser, sem Ele nã...

A Igreja é viva

 

«A Igreja é a meta do nosso amor
e aquela beleza indescritível
em cujo encalço vai o nosso coração.
A Virgem mais pura e Mãe fecundíssima
é infinitamente amável e formosa.
O seu corpo, a sua constituição e organismo,
as funções respetivas de cada um dos seus membros,
a perfeita harmonia em cada uma das suas partes,
as relações de cada uma destas
com a alma ou espírito que as vivifica e glorifica,
as relações entre membro e membro,
as suas glórias e as suas grandezas,
as suas imensas riquezas,
que nem olho algum jamais viu
e ouvido jamais ouviu
e que apenas o coração humano pode fazer-se uma ideia ou esboço
de quem é essa Virgem sempre virgem,
essa jovem infinitamente bela,
essa mulher tão bem constituída,
sempre ágil, sadia,
onde se refletem todos os atributos e perfeições de Deus.»

Beato Francisco Palau | 1811 - 1872
As Minhas Vivências com a Igreja.
Formação do corpo da Igreja e o seu enlace com o Filho de Deus. 12

Senhor,
o Beato Palau viu a Igreja
como uma esposa, viva, santa, imaculada.
Assim é a Igreja
e assim será a Igreja na eternidade
onde Tu, Senhor, és a cabeça
e nós os membros.
Esta Igreja não é um aglomerado de pessoas:
é um organismo vivo, santo,
bem articulado e cheio de beleza,
como “noiva adornada para o seu esposo”.
Torna-me, Senhor, digno de fazer parte
de tão glorioso Corpo
com uma tão insigne Cabeça,
que és Tu.
Assim seja.

2017-09-12