No diálogo silencioso do coração

«Na vida oculta e silenciosa realiza-se a obra da Redenção. No diálogo silencioso do coraç...

Deus é a minha morada

«Deus é a minha morada, o meu Templo, a vida da minha vida e o Ser do meu ser, sem Ele nã...

A morte do cristão

 

«Que diferença imensa existe
no modo de considerar a morte de um cristão
e daquele que o não é!
Este só encontra o vazio,
o nada,
o frio do túmulo.
O cristão encontra o fim do seu desterro,
dos seus sofrimentos,
o princípio dos seus gozos eternos…
Ali está o seu Pai
com os braços estendidos para recebê-lo
e dar-lhe a coroa.
Que paz isso não nos dá
num transe tão terrível
como é o da destruição do nosso ser.»

Santa Teresa dos Andes | 1900 - 1920
Carta 126

Senhor,
como é agradável a Tua morada!
Dá-me a graça de sempre Te buscar nesta vida,
para Te encontrar depois da minha morte.
Hoje rezo por todos aqueles carmelitas
que já partiram antes de mim,
marcados com o sinal da fé e do amor.
Muitos foram direitos ao Céu,
mas a outros está reservada ainda uma última purificação.
É o fogo do amor que investindo nas almas
as purifica e embeleza
com a beleza do próprio Deus.
O purgatório é uma das mais belas invenções do amor
que nos prepara para comparecer diante de Ti.
Senhor, dá-me a graça de me purificar inteiramente nesta vida,
Pelas obras do amor a Ti e aos meus irmãos,
que faça o purgatório nesta vida,
para depois d a minha morte,
cair imediatamente nos Teus braços de Pai.
Assim seja.

Na foto: Fiéis defuntos Carmelitas, que hoje se celebram.

2017-11-15