No diálogo silencioso do coração

«Na vida oculta e silenciosa realiza-se a obra da Redenção. No diálogo silencioso do coraç...

Deus é a minha morada

«Deus é a minha morada, o meu Templo, a vida da minha vida e o Ser do meu ser, sem Ele nã...

Maria junto à Cruz

 

«Senhor,
Tu nos chamaste à vida,
mas é Tua vontade
que passemos pela morte.
Isto assusta-me algumas vezes
e, outras, causa-me dor e angústia.
Não só a minha morte,
mas a das pessoas que eu amo.
Ajuda-me a compreender
o sentido da morte
e a esperá-la como o abraço
que me unirá a Ti!
Tu quiseste ser semelhante a nós, em tudo,
menos no pecado,
e também passaste
pela prova dolorosa da morte.»

Santo Henrique de Ossó | 1840 - 1896
Quarto de Hora de Oração, p. 62.

Minha Mãe,
hoje, dia de Nossa senhora das Dores,
uno-me a Ti
que passaste pela morte do Teu Filho.
O que é para uma Mãe viúva, como Tu,
a morte do Seu Filho Único?
E foi isso o que aconteceu conTigo, minha Mãe!
Mas Tu, de pé, junto à Cruz,
ensinas-me a fortaleza
e ainda mais a confiança
de quem sabe que a morte é uma passagem
para a verdadeira Vida,
um abraço com o Pai.
Serena-me, minha Mãe,
de cada vez que a morte se me apresenta
como um abismo onde me perco.
Concede-me que olhe para a morte
como uma amiga
que me encaminha para o verdadeiro Lar:
o Lar do Amor para sempre!
Assim seja.

2017-09-15