Dar tudo!

«O amor não quer um coração dividido: quer tudo ou nada.» Santa Teresa Margarida de Redi ...

Desejas a minha união conTigo!

«É preciso saber que o amor só chegará à perfeição quando os amantes forem um só, isto ...

Que mandais fazer de mim?

 

«Vossa sou, para Vós nasci,
que mandais fazer de mim?»

Santa Teresa de Jesus | 1515 – 1582
Poesias 2

Pai Eterno
conheci que eras meu Pai
quando me escondestes/cravastes
na Cruz com Jesus.
Escondestes-me aí nessa imensidão de amor
e nesse abandono de todas as criaturas
e de tudo o terreno.
Fiquei suspensa na Cruz
apenas com o Crucificado
E Tu Pai realizavas secretamente a Tua obra.

Sim, Pai
como é doce escutar do Teu Espírito de Santidade:
«Tudo sucede para bem dos que amam a Deus,
daqueles que são chamados,
segundo Sua vontade».
Era a tua vontade que me “crucificava”
que me “escondia”
n'Aquele que veio apenas para fazer a Tua vontade.

Mas a Tua acção, Pai,
é contínua geração de amor
e não bastava esconderes-me no Crucificado.

O resgate continuaria até
me dizeres que me tiraste de todo
para fora de mim mesma e que:
«Não sou eu que vivo
é Cristo que vivo em mim».
E isto aconteceu quando abriste
a janela da minha alma se abriu
e pude ver que estava inteiramente
nas Tuas mãos -
que nada em mim existia fora de Ti -
porque àqueles que conheceste
Tu os predestinastes para serem uma
imagem idêntica à do teu Filho.

Ó Pai, o Teu amor vem até mim
como esta obra de configuração,
num dinamismo vital
que vai trocando a minha vida e
transformando o meu viver.
Predestinastes-me e por isso chamastes-me;
ousastes chamar-me e justificas-me
e porque me justificas
manifestas em mim a Tua glória.

Pai, a minha alegria está em
manifestares Tu mesmo, em mim, a Tua glória.
Assim poderei permanecer sempre pequeno,
sempre entregue à tua acção criadora.
Tu, Pai, tomaste tudo!
E tudo fazes estar neste divino Amor,
com que te fazes meu Pai e me Amas,
com que me dás a Tua vida e
me unes a Ti em Cristo,
no Amor do Espírito.

Diante deste Amor
eu 'entrego-me/abandono-me' de todo a Ti,
à Tua amorosa acção criadora,
para que continues a esconder-me em Cristo,
segundo a Tua vontade,
até que só haja Cristo em meu viver.

«Vosso sou para vós nasci
Que mandais fazer de mim?»

2017-11-19