Alcançar o cume.

«O monte é-me suave com o seu cume austero… alcançá-lo-ei guiada por Jesus…» Beata M...

Entrego-me a Ti, Jesus!

«O teu átomo, Divino Coração Dá-te a sua vida Toda a sua paz, a sua ventura É encantar-T...

Amar o Deus das consolações e não as consolações de Deus.

 

«Ter mais olhos para os bens de Deus
do que para o próprio Deus
é um grande erro.
Oração e desprendimento.»

S. João da Cruz | 1542 - 1591
Pontos de Amor. 137

Senhor,
a nível racional posso entender
o que S. João da Cruz quer dizer,
mas a nível dos afetos
tenho muita dificuldade em aceitar este facto:
devo olhar só para Deus
e não para as Suas consolações.
Sim, porque a natureza quer deleitar-se
com doçuras e consolações do espírito,
sente-se “confortável” e estimulada a estar conTigo
quando “sente” esse algo bom e agradável.
Mas será que Te estou a amar a Ti ou a mim?
Amo o que sinto ou amo-Te a Ti?
Ajuda-me, Senhor, a desprender-me das Tuas consolações
e a amar-Te quando nada “sinto”.
Então, pela fé pura e escura
alcanço-Te como se já estivesse no Céu,
derramas sobre mim as Tuas graças insensivelmente
e posso fazer todos os dias a experiência
da fortaleza e determinação que me concedes
para fazer aquilo que me obriga o meu dever de estado,
mesmo sem nada “sentir” e gozar de Ti:
trabalhar sem consolação,
amar sem gosto,
dar a quem não me é simpático,
rezar sem deleite…
É uma verdade difícil esta, Senhor,
mas desejo pô-la em prática
para Te amar de verdade.
Concede-me a Tua graça, Te peço.
Assim seja.

2018-07-28