No diálogo silencioso do coração

«Na vida oculta e silenciosa realiza-se a obra da Redenção. No diálogo silencioso do coraç...

Deus é a minha morada

«Deus é a minha morada, o meu Templo, a vida da minha vida e o Ser do meu ser, sem Ele nã...

Abandonar-me nos Teus braços, como uma criança.

 

«Este Pão do Céu fortaleceu-me,
ora vede,
parece que a minha peregrinação
não pode acabar.
Bem longe de me queixar,
alegro-me por Deus me permitir sofrer ainda por Seu amor.
Ah! como é doce abandonar-se nos Seus braços,
sem temores nem desejos.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 263. Ao P. Bellière. 10 de agosto de 1897

Senhor,
como é doce abandonarmo-nos,
como uma criança,
nos Teus braços de amor e paz;
sem temor de se serei ou não acolhido,
porque sei que o serei incondicionalmente
pela Tua infinita misericórdia.
E abandonar-me sem desejos,
pois sei que Tu, Senhor,
sabes melhor do que eu daquilo de que preciso.
Assim seja.

2018-10-12