«Minha boa Irmãzinha,
hoje, aniversário de um dia tão querido ao meu coração,
não deixo de te enviar a expressão da minha dor passada e do presente afeto…
Oh! Como é bom o Senhor!!!…
Agradece-Lhe mais uma vez de todo o coração por mim…
Recordas-te de há um ano?… aquele monte de penas e de angústias…
tudo se superou… nos divinos braços de Jesus…
E foi exatamente na dor mais profunda
que Ele ligou indissoluvelmente a tua querida alma à minha…
desde aquele dia, não te abandonei um só instante…
e juntamente com a dor encerrei-te no meu coração como numa píxide…
O tempo passado guardo-o como o mais precioso da minha vida…»

Beata Elias de S. Clemente | 1901 – 1927
Carta 179. A Vicenza Rinaldi.

Jesus,
Tu escondes-Te tantas vezes na dor e aí,
apesar de não o esperar,
é exatamente onde Te encontro.
Ajuda-me Senhor, a encontrar-Te sempre.
Para isso é preciso dispor o coração a olhar para Ti, a procurar o Alto,
a permanecer em Ti, a fazer em Ti a minha morada querida,
a olhar todos os acontecimentos como um desígnio de salvação para mim e para os outros.
Tu não envias as doenças, as dores, as desgraças,
mas “concorres em tudo para o bem daqueles que Te amam”, como diz S. Paulo.
Ajuda-me a abraçar esta verdade de fé
sempre que me deparar com a minha cruz… que é a Tua!
Assim seja.