«Mestre, não são estes dons,
estas consolações com que me cumulas que procuro;
és Tu, oh! unicamente Tu!
Meu Jesus, meu Deus,
como é bom amar-Te,
ser inteiramente tua!»

Santa Isabel da Trindade | 1880 – 1906
Nota Íntima. 5

Jesus,
faço minha também a confissão de Tomé
e digo-Te,
meu Senhor e meu Deus!
Que mais posso Te dizer?
Sim, meu Senhor e meu Deus,
como é bom ter a certeza do Teu amor,
como é bom amar-Te,
nada mais importa.
Que a minha vida seja marcada
pela realidade da Tua ressurreição.
Sim, ressuscitaste! Que esta verdade,
mesmo perante todas as adversidades da vida,
seja a fonte da minha fé, da minha alegria.
Rendido ao Teu amor, à paz que só Tu me podes dar,
possa eu também dizer, como Santa Isabel,
Como é bom amar-Te,
ser inteiramente Teu.
Que assim seja.