«”Este é o pão vivo descido do céu”.
Quem faz d’Ele o seu pão quotidiano
deixa que se faça realidade quotidiana em si mesmo o mistério do Natal,
da Encarnação do Verbo.
E esse é o caminho seguro para alcançar o “ser um com Deus”
e para crescer cada dia com maior força e profundidade no Corpo Místico de Cristo.»

Santa Teresa Benedita da Cruz| Edite Stein,
O Mistério do Natal.

Senhor,
dá-me do Teu Pão na noite Santa deste dia.
Eu quero receber o Pão vivo descido do Céu,
para acolher a Tua Vida, a Tua Pessoa, todo o Teu ser.
Não serei de facto eu a acolher-Te, mas Tu a transformares-me em Ti.

Para que seja Natal, não basta que o seja em mim,
mas que o mundo fique melhor por eu estar em Ti e Tu em mim.
Então que o meu sorriso irradie o Teu,
as minhas palavras sejam as Tuas,
a minha alegria transpareça a alegria do Céu
e que os meus pobres cânticos se juntem na missa de hoje da meia-noite,
aos dos Anjos do Céu que cantam
“Glória a Deus nas alturas e paz aos homens por Ele amados”.
Vem, Jesus Menino!