Lembra-Te da glória do Pai
Lembra-Te dos esplendores divinos
Que deixaste ao exilar-Te na terra
Para resgatar os pobres pecadores
Ó Jesus, descendo até à Virgem Maria
Escondeste a Tua grandeza e glória infinita
Ah! do seio maternal
Que foi o Teu segundo Céu
Lembra-Te.

Lembra-Te que no dia em que nasceste
Deixando o Céu, os Anjos cantaram:
Ao nosso Deus, glória, honra e poder
«E paz aos corações de boa vontade.»
Desde há dezanove séculos cumpres a Tua promessa
Senhor, a paz é a riqueza dos Teus filhos
Para saborear sempre
A Tua inefável paz
Venho a Ti.

Lembra-Te de que os braços de Maria
Preferiste ao Teu trono real
Doce Menino, para alimentar a Tua vida
Só tinhas o leite virginal.
A este festim de amor que Te dá a Tua Mãe
Oh! digna-Te convidar-me, Jesus meu Irmãozinho.
De que a Tua irmãzita
Fez palpitar o Teu coração
Lembra-Te!…

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 – 1897
Poesias