«Jesus mostrou um amor preferencial por duas categorias de pessoas:
os pecadores e os pobres e simples. (…)
E quem mais desvalido, pobre, pequeno e simples do que uma criança?
Por isso, Jesus acolhia-as continuamente.
E elas, as crianças, que adivinham facilmente
quando os adultos as aceitam ou rejeitam,
chegavam-se a Ele para receberem as Suas carícias, delicadezas e amor.
(…) Se és educador, pai, mãe, catequista, animador…,
se tens nas tuas mãos a oportunidade de que as crianças se aproximem de Jesus,
não podes impedir-lho.
Foi um pedido, um desejo ardente do Senhor:
“Deixai vir a Mim os pequeninos…”»

Santo Henrique de Ossó | 1840 – 1896
Quarto de Hora de Oração, Sexta-Feira da Quarta semana

Jesus,
sempre Te deliciaste com os pequeninos,
porque são a imagem mais bela dos humildes e simples de coração.
É certo que não sou uma criança,
mas ainda que o não seja pela idade,
peço-Te a graça de o ser pela consciência da minha pequenez e fraqueza,
pela confiança total no Teu amor e misericórdia
e pelo abandono nas Tuas mãos poderosas.
Que saiba descarregar o fardo da minha vida nas Tuas mãos,
pela confiança e abandono em Ti,
certo de que não ficarei desiludido.
Aumenta, Te peço, a consciência da minha pequenez
e do Teu infinito poder de amor sobre a minha vida
e a vida dos meus.
Assim seja.